Você está na página 1de 3

A GEOGRAFIA DO SÉCULO XIX – GEORGE TATHAM

GEOGRAFIA CLASSICA
- A geografia atual é produto das interpretações desencadeadas por Ratzel, Kant,
Humboldt, especialmente nos anos de 1750;
- Anterior a isso, mesmo que de modo não oficial, o pensamento geográfico estava
desorganizado do ponto de vista acadêmico e de método. Assim, atribui-se as principais
características do momento: a exploração, os mapas e o estudo do material organizado.
- A forma da terra, os estudos gregos, as dinâmicas associadas a esfericidade da terra,
deram o tom de estudo e rapidamente a geografia física sofre impulso.
- O autor afirma que os estudos da geografia humana não foram estudados no período
sistematicamente, apenas no que diz respeito a geografia histórica. Pergunta: essa
perspectiva da geo-histórica já é algo parecida com a produção atual ?
- A produção associada a um pensar “geográfico” na grecia levou a queda do poderio
político. Os mesmos não analisavam a geografia do ponto de vista filosófico, detinham
de um saber pratico.
- As primeiras definições de geografia, atribuída por Strabo, já apontavam uma geografia
regional
GEOGRAFIA ERA MEDIEVAL
- O interesse por estatísticas, números. Encaravam os fatos de maneira teológica;
-A renascença proporcionou marca a volta dos estudo em geografia do ponto de vista
da pesquisa, abandonando a perspectiva teológica. Entretanto, o progresso da
renascença possuía mais um caráter religioso do que proporcionalmente cientista. Essa
postura marca o avanço da geografia por mulçumanos.
- O comercio, rede rodoviária, fronteiras, estimularam os estudo mulçumanos na
geografia. O desenvolvimento da geografia mulçumana está calcada na transferecia de
califates de damasco para bagdad, triunfando portanto, a cultura persa.
- as questões associadas ao deserto, produziram importantes instrumentos de análise
geográficas, baseadas especificamente em observações astronômicas.
-calculos de latitude, longitude, cartas marítimas, permitindo o florescimento da
geografia descritiva.
- o possível embargo da geografia na perspectiva árabe esteve calcada no refinamento
da língua e pelo prazer de escrever histórias, que produziu uma mistura gostosa entre
geografia e historia. Mantiveram a erudição grega. Os desenvolvimento a partir do
descobrimento de novas áreas possibilitou novos questionamentos sobre elementos de
base geográfica.

CLUVERIUS E VARENIUS
- reescrever antigas geografias, novos trabalhos eram basicamente copilações de
velhos e novos trabalhos.
- duas novas perspectivas: 1 – Cluverius: descrição regional dos países 2 – Verenius :
geografia como ramo das matemáticas mistas, e censuravam os que limitavam a
descrição. Pergunta: hoje percebe-se um retorno da descrisão, especialmente na
abordagem cultural. Isso impacta diretamente na forma de conceber o trabalho de
campo e suas variações.
- Geografia geral: I – absoluta: terra como um todo, sua forma, tamanho, etc. II – Relativa
ou Planetária: relação da terra com outras estrelas, III- Comparativa – descrição geral
da terra.
GEOGRAFIA NO SECULO XVIII
- não testemunhou avanços relacionados a varenius
- conhecimento empírico se acumulou e se organizou de forma sistêmica
-estudos nas áreas da estrutura montanhosa, botânica, antropologia das ciências
naturais, tudo isso preparou o terreno para as grandes mudanças que vinheram no
século posterior
-o valor da geografia estava apenas nos esclarecimentos de fatos históricos
- as primeiras geografias modernas eram descritivas
JR – JG FORSTER
-Geografia do ponto de vista pratico
-despertava o interesse apenas em várias natureza em partes da terra
- a contribuição estava no método a ser tratado: observação, colecionava fatos,
comparava-os, classificava-os.
-Contribuição do método e da geografia humana. Reconheceu o estreito laço entre
homem e meio
- pensar a beleza da paisagem. Pergunta: o jeito questionador dos alemães
A CONTRIBUIÇÃO DE KANT
- sec 18 – ensinou geografia física, geografo de gabinete, despertava o conhecimento
filosófico em detrimento da experiência
-Consistia numa discussão filosófica, a definição da geografia e sua relação com as
ciências naturais
-desordem sobre a finalidade e o conteúdo da geografia
-conhecimento --- emprego da razão pura, ou através dos sentidos.
- as sensações perceptivas: sensoriais subjetivas (homem e alma) e objetivas
(natureza), que juntas fornecem o elemento de conhecimento humano;
- faz máster reconhecer que as nossas experiências não sejam apenas conjunto das
coisas , mas que sejam organizados em um todo sistemático. Para a ele a geografia
física detinha essa relação
-o conhecimento requer mais do que ve-lo, plano de viagem e obserevalo
- conhecimento empírico pode ser classificado de 2 formas: de acordo com um conceito
ou uma distribuição no tempo ou no espaço
- quem nasceu primeiro geografia ou historia
- geografia moderna preenchidas por finalidades
-homem x meio
RITTER
- relações espaciais
-volumosa obra requer clareza e atenção
- pureza básica dos princípios
- rejeita a geografia pura
-a terra influencia seus habitantes
-atribuia a descrição, relacionar o homem com a natureza
- ciência empírica –metodo
HUMBOLDT
-Prazer estético e contemplação da natureza
- observação de fenômenos metereologicos
- distribuição espacial da botânica e vegetais
- descrever o cosmos
-pesquisa racional da natureza
- domínio das ideias empíricas
- método comparativo
-conceito de unidade e casualidade
-idealismo foi sucumbido pela ideais materialistas
-