Você está na página 1de 12

Índice It s all about style...

1 O que você vai aprender neste Guia Essa situação acabou muito
mal Amor Incondicional Super Di Disciplina O que você quer afinal? Sobre profissionais da
saúde Autoboicote e falta de Disciplina Funcionamento da Mente A mente escondida
Funcionamento do Subconsciente Da onde vem o sofrimento Você é responsabilidade de
quem? Marionete nunca mais O que fazer com a culpa? Marionete sensível Faxinar traumas e
cicatrizar feridas Mudando o subconsciente Erro que afasta a Super Di Exercícios Práticos
Exercício 1: Acordando o Eu-observador

3 Índice Exercício 2: Imprinting de cura Exercício 3: Pensamentos negativos Barrados no Baile


Exercício 4: Joga luz na sombra Exercício 5: Eu me amo Finito Resumo: as 44 lições deste
Guia Super Dicas finais... 46

4 Atenção Todos os direitos reservados - Ana Maria Saad É proibida a cópia, venda,
distribuição, reprodução total ou parcial deste E-book. Sujeito as penas previstas por lei.
Autora: Ana Maria Saad

5 1 It s all about style, baby! O que você acha que vai acontecer se um paciente que teve
princípio de infarto fizer cirurgia, tomar remédios, mas continuar sedentário, comendo errado e
se deixando levar pelo estresse? Não precisamos ser gênios para ver o óbvio: ele vai ter outro
treco, né? Não adianta intervenção médica e medicamentosa se o principal interessado não
mudar seu estilo de vida com disciplina, trocando hábitos nocivos por hábitos saudáveis. Mas a
Medicina Convencional pouco fala disso, os próprios médicos pouco estudam sobre algo
básico que é a nutrição e eles mesmos estão doentes devido ao sedentarismo. Estima-se que
os médicos brasileiros vivam 10 anos menos que a população em geral. Ui! Então,
provavelmente você foi a algumas consultas médicas por conta do seu transtorno da cachola,
mas não recebeu orientação adequada sobre o EMMYR abaixo: Exercício Meditação
Mindfulness (cientificamente comprovada como ótima aliada no tratamento de transtornos
mentais) Medicina Integrativa (regulamentada desde 2006, hospitais renomados como Albert
Einstein já adotaram essa combinação de tratamentos onde o foco não é na doença, mas em
gerar saúde) Yoga (cientificamente comprovada como excelente aliada da saúde, age no corpo
como se fosse um psicotrópico não químico ) Ritual Diário de Higiene Mental (práticas diárias
para colocar a mente a seu serviço.)

6 2 Algum médico comentou sobre os itens anteriores com você? Não? Beleza, agora você já
sabe. Mas, como colocar isso em prática, já que falar é fácil, mudar hábitos não... Você
provavelmente sofre com o fato de não ter Disciplina - a Super Di - que te leva pra ação com
persistência e constância, né? E sem ação e prática, o EMMYR não entra na sua vida pra te
livrar de vez desse transtorno da cachola. Então como desenvolver Disciplina pra isso? Neste
Guia você vai aprender o que precisa sobre a Super Di a Disciplina Libertadora! Prazer, Super
Di! Não é a castradora e limitante, tá! Mas a Disciplina que te liberta do sofrimento e da dor. O
QUE VOCÊ VAI APRENDER NESTE GUIA Você não tem Disciplina e se Autoboicota por uma
simples razão Como vivenciar o amor incondicional por você mesmo Como trazer a disciplina
libertadora para a sua vida Quais profissionais da saúde são uma perda de tempo e dinheiro
Como sua mente funciona Exercícios Práticos para acabar com a negatividade

7 3 Essa situação acabou muito mal Depois de algumas poucas sessões de terapia com a
terapeuta holística e transpessoal Ângela Colameo, eu escutei algo que me despertou a
vontade de agredi-la fisicamente. Ana, há ganhos em estar doente. Oi?!Você-não-sabe-o-que-
tá-falando!Eu-sou-meu-próprio-inferno-querodesesperadamente-deixar-de-ser-e-você-me-vem-
falar-que-eu-tenhoganhos-com-essa-doença-terrível?Você-não-passou-por-isso-não-
sabecomo-é... O diálogo acima foi só um chat interno, ou seja, pensei, mas não falei nada. Não
conseguia ainda me expressar, tamanha a perturbação em que me encontrava. E a terapeuta
continuou: Somos os próprios causadores das nossas misérias. Ah, aí foi demais: Eu-adoeci-
ainda-criança,não-tive-culpa-nenhuma-dissoe-você-vem-me-falar-que-eu-que-causei-a-doença-
em-mim?Quemprecisa-se-tratar-é-você-sua-louca! - mais um chat interno. E diante do meu
silêncio a terapeuta, candidata a olho roxo, continuou: Se você quer mesmo melhorar, por que
não tá fazendo em casa os exercícios que te passo? E uma lista de 100 razões pra não fazer
os exercícios chatos que ela me passava, imediatamente pipocou na minha cabeça e dessa
vez eu falei: 1- Não tenho energia 2- Não tenho concentração 3- Meu corpo dói 4- Já tenho que
trabalhar e fazer coisas chatas e não me parece legal comigo me forçar a fazer mais coisas
chatas 5- Fico mais perturbada e ----

8 4 Mesmo assim, é pra fazer. - Ângela me interrompeu. Mais um chat interno. E fomos para a
sessão. Eu cansada e de saco cheio. Com uma baita raiva da terapeuta... O chat interno como
se fosse locomotiva viajando a todo vapor: essa-vaiser-minha-última-sessão,nem-concordo-
mesmo-com-o-jeito que-elatrabalha, tem-umas-coisas-meio-místicas-e-ela-não-tem-
competência-pratratar-transtorno-não-sabe-nada-disso-... E ela pediu: Faz uma posição que
mostre esse cansaço que você tá sentindo hoje. Como fica seu corpo? E eu sentei, encurvei as
costas e ela disse: Vai mais, exagera o cansaço. Fiz como ela sugeriu e me senti muito pior.
Achei que fosse vomitar. Chat interno: Essa-mulher-é-amiga-de-satanás. Continuei seguindo
suas instruções até que através do corpo entrei em contato com meu inferno: EU! O cansaço, a
raiva, a confusão, a auto piedade, o medo, vontade de vomitar, cabeça doendo... tudo errado...
E escutando a voz da Ângela, seguia suas orientações: Levanta e solta isso! Grita, balança o
corpo!. E assim fiz... Chorei enlouquecidamente, gritei, esmurrei o ar e chutei até nocauteá-lo.
Não sei quanto tempo passou, mas meu inferno desapareceu. Em seguida, Ângela conduziu
uma Meditação Ativa e eu entrei em contato com meu céu.

9 5 Imagina todo esse seu mal estar, esse turbilhão de emoções, pensamentos, negatividade...
Imagine sumir com tudo isso! Pois é, eu acessei o que faria a situação acabar muito mal para a
doença! Acessei minha essência, a fonte de luz que existe dentro da gente, mas que está
abafada. E parecia que eu mesma me dizia: Você nasceu pra ser feliz e se realizar, a vida não
precisa ser pela dor. Sabe quando você vê um filme inspirador tipo A Vida é Bela, Elsa e Fred,
Histórias Cruzadas (The Help) ou O discurso do Rei? E a atmosfera cinematográfica te
contamina com aquela sensação gostosa de que você é especial, poderoso e que a vida é
linda? Foi com isso que eu entrei em contato nessa sessão de terapia. Mas, sem precisar de
filme, droga ou qualquer fantasia externa. Somente através de uma catarse (limpeza
emocional) seguida de uma Meditação Ativa, eu senti um êxtase por ser eu mesma, por
simplesmente existir. Eu me senti poderosa e amparada pela VIDA. Porém todavia contudo,
assim que a prática acabou, voltei pra realidade e lá estava a doença e o mal estar sentados
nas minhas costas como se fossem um elefante balofo. E então a Ângela disse: Se você quer
viver nesse lugar, onde não tem esgotamento físico, mental, nem qualquer mal estar: treine!
Comece todo dia fazendo seus exercícios. Mesmo com raiva, mesmo com preguiça, mesmo
cansada, faça como estiver.

10 6 Isso vai te ajudar a entrar em contato com você e aceitar a sombra, porque uma vez que
você acolhe esse seu lado, essa luz dentro de você se espalha. Treine pra espalhar a luz cada
vez mais. Essa é sua missão: treinar. E aí a ficha caiu: eu não estava fazendo a minha parte
porque eu nem aceitava a doença. Eu não aceitava que dentro de mim havia tantos
pensamento negativos, tantos julgamentos, críticas, tanta inveja, tanta autopiedade, tanto
medo, tanta ferida, tanta fragilidade, tanta imperfeição, tanta dor... Eu não me aceitava como
eu estava. Queria ser outra pessoa, não eu. Não queria ter doença e muito menos minha
história de vida. Queria ser como as pessoas que eu admirava, que claramente viviam uma
vida de sucesso em todas as áreas. Eu me o-di-a-va e nem isso eu aceitava. Por isso não fazia
a minha parte. Mas, diante dessa experiência de êxtase, eu entrei em contato com meu Amor
por mim mesma. Ele existia em algum lugar dentro de mim, só que estava abafado com tanto
lixo emocional e pensamentos negativos. E ao entrar em contato com esse Amor, pude aceitar
o ódio e a doença. Eles não me pareceram mais um bicho de sete cabeças, muito menos
inimigos. Eles apenas estavam comigo como sintoma de que havia feridas abertas dentro de
mim. Disposta a treinar pra espalhar a luz interna, e fazer o meu Amor incondicional por mim
mesma tomar conta, eu resolvi me pegar pra criar e ser minha melhor mãe e o meu melhor pai
pra minha própria pessoa. Porém como qualquer treino e diante da grandiosidade da missão,
eu sabia que precisaria da ajuda de uma heroína: a Super Di - A Disciplina Libertadora.

11 7 E toda essa situação acabou muito mal pra doença, porque foi quando percebi que dentro
de mim havia algo muito mais forte que a doença da cachola: Meu Potencial. SUPER DICA #1:
Amor incondicional por você mesmo Você precisa passar por essa experiência de Amor por
você mesmo, não de modo intelectualizado, mas vivenciado. E por quê? Porque você já tem a
referência do inferno em que vive, mas não tem a vivência do céu onde pode chegar. Uma vez
que você experiencia esse seu potencial de luz, a possibilidade de cura deixa de ser uma
utopia, e sabendo que é possível - que dentro de você existe um lugar sem doença e que é
uma delícia viver lá - você trará a Super Di pra perto de ti mais facilmente. E a Disciplina se
torna sua aliada porque você entende que é através de sua AÇÃO persistente e constante que
você muda seu estilo de vida e chega onde quer. A Super Di te ajuda a fazer o que precisa ser
feito, mesmo sem vontade, trazendo o EMMYR pra sua vida: Exercício Físico pelo menos 3
vezes por semana Meditação Mindfulness todo dia (você vai aprender) Medicina Integrativa
combinando Terapias (terapia holística, transpessoal, bioenergética, acupuntura, massagem,
homeopatia, etc) Yoga pelo menos 4 vezes por semana (na sua Área de Membros do Club da
Cachola tem a vídeo aula da Tia Mi) Ritual Diário de Higiene Mental o Rituário todo dia (você
vai aprender)

12 8 Mas como passar por essa experiência de Amor por si mesmo? Talvez você já tenha
passado... Pense se em algum momento ao longo dos anos você sentiu essa conexão com a
vida: uma energia, leveza, um poder... Talvez vendo um filme, escutando uma música,
dançando, correndo com o cachorro, cuidando do filho... Se você nunca sentiu isso, preste
atenção: Busque um terapeuta não só fora da caixa, mas que principalmente trabalhe focado
na sua essência: em descortinar seu potencial e que te ajude a entrar em contato com esse
seu lado luz, onde a doença não existe.

13 9 SE VOCÊ QUER SE CURAR, CONHEÇA A SUPER DI Eu comecei a fazer ballet antes de


aprender a falar. Aos 8 anos já fazia parte do Corpo de Baile, que era uma turma de garotas
mais velhas que eu. O professor, um gringo cujas coreografias eram apresentadas no famoso
Festival de Joinville, me colocou nessa turma porque acreditava em mim. E na primeira aula eu
vi as garotas fazendo uma pirueta que eu não sabia, o fueté. Fiquei encantada e encasquetei
que precisava aprender aquilo. Parecia tão fácil... Eu já me sentia um pouco mal por causa da
doença que já dava seus primeiros sinais, mas nem desconfiava de nada. E ter a vontade de
aprender o tal fueté, me trazia esperança na vida de novo. Sim, eu era só uma criança, já
totalmente ET. Então, depois daquela primeira aula, eu fiquei na sala sozinha com minha
roupinha de bailarina. Tentei o fueté uma vez, duas vezes, três vezes, quatro vezes... Aff,
olhando parecia ser tão fácil!. Então fiquei frustrada por não conseguir logo e encasquetei que
jamais aprenderia o fueté. E comecei a juntar minhas coisas pra ir embora quando meu
professor entrou na sala e com seu portunhol me disse: Já vai desistir? Se você quer fazer o
fueté, você precisa só de uma coisa: Disciplina. E então ele me disse como treinaríamos o
fueté. Fizemos um acordo: ele me diria como fazer e eu faria minha parte treinaria, treinaria,
treinaria. Todo dia pelo menos 20 minutos, até mesmo em casa. Assumi o compromisso e
comecei a treinar cheia de empolgação. Depois de umas semanas, aprendi um pouco e fiquei
super feliz. Mas meu professor disse que ainda estava bem ruim.

14 10 Treinei mais várias semanas, meu entusiasmo tinha diminuído bastante, já estava
pensando se realmente queria aprender o tal do fueté... Mas continuei treinando, de modo
mecânico. Quando achei que tava boa... Meu professor novamente me jogou um balde água
fria: pode melhorar muito mais. Achei que jamais aprenderia o tal fueté e confrontei o professor:
não levo jeito pro fueté, e ele fez uma cara de desdém que jamais vou esquecer! Em seguida,
me deixou uma hora treinando a maldita pirueta... Grrrrrrrrrrrr Que raiva dele! E de mim por ter
me enfiado naquilo. Mas, mesmo sem acreditar muito na minha capacidade de realizar um bom
fueté, continuei treinando, de modo mecânico. Embora algumas vezes eu até que conseguia
me divertir. E meses se passaram... Lá estava eu servindo de modelo de fueté para as outras
garotas! Eu que cheguei a acreditar que não levava jeito pro fueté, havia me tornado boa na
coisa. Algumas meninas falavam que era sorte, dom, talento, que eu já tinha o fueté na veia. E
eu ficava com raiva porque só eu e o professor sabíamos o quanto eu tinha me esforçado pra
conseguir fazer aquilo direito. E isso me mostrou o poder que eu tinha: pra conseguir algo
basta me esforçar. Posso aprender o que quiser, é só me dedicar. Sou muito grata a esse
professor até hoje, porque essa experiência me marcou muito. Isso me ajudou a retomar o
contato com a Super Di, a Disciplina libertadora, quando cansada do quentinho da escutei a
Ângela, minha terapeuta, dizer que se eu quisesse melhorar teria que fazer minha parte com
disciplina.
15 11 SUPER DICA #2: Disciplina você já conhece Você chegou até aqui e ao longo da sua
vida teve experiências onde usou a disciplina libertadora pra conseguir o que você queria.
Pense em uma situação na sua vida onde a Super Di esteve presente: Quando você aprendeu
a andar de bike; nadar; jogar bola; vôlei? Pra passar de ano na escola? Pra passar no
vestibular? Pra alimentar seu filho nos horários certos? Pra ganhar um aumento? Quando você
ficou próximo da Super Di na sua vida? Lembre só de um momento, porque isso vai te mostrar
como a disciplina libertadora já faz parte da sua vida, você só precisa se aproximar dela de
novo.

16 12 A pergunta mais importante deste guia: o que você quer afinal? Desde que comecei a
fazer esse trabalho há cinco anos empoderando pessoas com conhecimento fora da caixa,
noto que muitas são como eu lá atrás: Tem dificuldade de ter claro o que querem pra si e
bancar as próprias escolhas. Imagina que você tem um cabelão e quer cortá-lo bem curtinho.
Então alguém te indica o Jacques, um cabelereiro famoso que acha que cabelos curtinhos são
uma viagem de mau gosto. Detalhe: Jacques nem corta cabelos. Mas, você vai ao Jacques
mesmo assim porque é o que todo mundo faz, uai! Ele te faz um penteado prendendo sua juba,
até parece que você tem cabelo curtinho. No dia seguinte seu cabelo já está solto de novo. E lá
está você reclamando que Jacques não fez um bom trabalho: nem cortou meu cabelo!. Se
você quer cortar o cabelo, procure um cabelereiro que corte cabelos e que te apoie em sua
decisão de ter cabelos curtos. Como vamos esperar uma mudança radical se estamos com um
profissional que não está preparado pra isso e pior, acha que aquilo que queremos é uma
viagem! Sacou? SABEDORIA SUPER DI: Se você quer se curar não adianta se tratar com
profissionais que acreditam só no controle da doença!!!

17 13 SUPER DICA #3: Sobre profissionais da saúde: Tenha claro o que você quer: se curar
ou apenas controlar a doença? E procure profissionais alinhados com seu plano de vida. Se o
profissional não acredita no seu potencial de saúde e na sua essência, ELE NÃO PODERÁ TE
AJUDAR na cura e você estará perdendo seu tempo e seu dinheiro.

18 14 Por que você não tem disciplina e se autoboicota? Preste MUITA atenção nas 12 lições a
seguir: Se você quer a cura, a base está nesse conhecimento que eu demorei mais de 10 anos
pra aprender e agora compilei aqui neste Guia com muito amor pra você. Deu um trabalhão,
então use por favor! (Leia este Guia 5 vezes pelo menos!) Todo seu autoboicote, preguiça,
doença da cachola... isso tudo acontece devido a sua cabeça de cima. E você tem noção do
tanto que você não sabe sobre a sua própria mente? Vamos consertar isso já! #Mente Lição 1:
Como sua Mente Consciente funciona 1. A Mente consciente é: Ativa: sempre se movendo -
estima-se que temos mais de 50 mil pensamentos por dia, seja absorvendo informação como
agora; refletindo; relembrando, indo pro passado; indo pro futuro; fantasiando. 2. A Mente,
mente como uma Trapaceira Fofoqueira: Um passo importante para a cura é saber que sua
mente é uma Trapaceira Fofoqueira. Ela te engana, te limita, te distrai de várias maneiras, cria
cenários na sua cabeça e te faz viver intensamente brigas mentais (quem nunca ficou
imaginando o que diria de esperto pra alguém que foi desagradável?).

19 15 E você sofre como se essas situações fossem reais e se preocupa com coisas que
nunca vão acontecer e se esquece de viver no aqui agora. E a danada da sua mente é
fofoqueira, ela sabe tudo sobre você e tira vantagem disso pra te zoar mais ainda, ela sabe
TUDO: Seus medos Segredos Todos os detalhes (inclusive os mais sórdidos) E o que ela faz?
Ela pega o maior medo que você tem e te provoca: Adivinha o que vai acontecer? Você nunca
vai se curar, isso tudo é enganação!. Pronto! Lá está você, péssimo, se sentindo o cocô do
pernilongo que picou o cavalo do bandido, diante de algo que nem é verdade. E sua mente faz
previsões e te fala de coisas que vão acontecer, mas essas coisas dificilmente acontecem!
Mas, as raras vezes em que as profecias mentais se cumprem, ela tripudia: eu disse!. Mesmo
assim, o que você poderia ter feito? Ela te joga informações inúteis que só te perturbam, te
afastam do aqui agora e desregulam toda a sua química corporal. Ela te zoa! Ela é ilusionista e
você dá total crédito a ela. SABEDORIA SUPER DI: Sua mente não sabe o que vai acontecer,
mas age como se soubesse. 3. Mente disfuncional: Sua mente vive no medo. O medo é ótimo
quando você faz uma trilha no meio do mato, vê uma cobra e mantem distância da bichana.
Mas medo de tentar, medo do futuro, preocupação, ansiedade, negatividade por coisas que
não são reais... faz parte da doença e de mentes normais deseducadas.
20 16 Você está escravo da sua mente que te zoa e te engana, por isso você sofre com a
doença. Eu já estive nesse lugar. A nossa mente pega nossos medos e projeta tudo o que não
queremos que aconteça e nos bota no inferno. Nosso corpo fica quimicamente desregulado,
vem o cansaço, falta de energia e até pânico. É como se nossa mente fosse um carro que se
rebela contra a gente, nos amarra, nos joga no banco de trás, e sai perambulando que nem
loko pela cidade. E nos usa para abastecê-lo e ter energia para apavorar por aí, nos deixando
exauridos. E por que nossa mente fica assim? Porque nossa consciência está destreinada!
Perdemos o controle. E como ganhar o controle? Terapias para faxina interna, liberando todo
lixo emocional e traumas que ficam emanando esse fedor mental, que alimenta esse carro
desgovernado. SUPER DICA #4: Bota a mente no lugar dela! Duvide até mesmo de suas
dúvidas Não escute tudo que sua mente diz! Não acredite sempre no que sua mente te diz!
Lembra da palestra do Hipnólogo Fabio Puentes no Congresso MeDISMente? A dica de Fábio
é dizer para sua mente: E daí?. (Assiste a palestra!)

21 17 #Mente Lição 2: Conhecer sua mente escondida é o que faz a diferença quando o
assunto é cura Meu psicólogo, que fazia um trabalho mega fora da caixa, traduzia conceitos
complexos sobre a mente para uma linguagem muito fácil e objetiva. Então aqueles conceitos
freudianos e de seus sucessores mais modernos, eram de fácil digestão. Ainda bem, porque
meu cérebro emburrecido me dificultava imensamente de entender as coisas. Aprender o que
vou te contar agora, foi um divisor de águas na minha vida. Vou te passar os ensinamentos do
modo como meu psicólogo fez comigo, porque é isso que você precisa saber pra melhorar. Se
você gosta de psicologia e quer se aprofundar nos termos e conceitos, estude depois.
Basicamente: você tem duas mentes: 1- A mente consciente: que segundo a neurociência
controla apenas 5% da sua vida. Essa sua mente que pensa, reflete, vê o que rola a sua volta,
e parece que é tudo. 2- A mente escondida: a subconsciente. Segundo a neurociência, é
responsável por controlar 95%, da sua vida, e você nem sabe o que rola nela. A Mente
Subconsciente é como se fosse uma segunda mente escondida que funciona a todo vapor sem
que a mente consciente saiba! Por isso que você diz conscientemente: quero me curar; quero
parar de fumar; quero ter disciplina; quero me alimentar melhor. Mas no fim das contas você
continua na mesma e por quê?

22 18 Por que: 1- Seus desejos, objetivos e intenções estão no consciente, mas Suas crenças
estão no subconsciente, escondidas lá no fundo sem que você saiba que elas existem
(crenças: modos como você interpreta a realidade - ex: o mundo é cruel ; eu não presto pra
nada ) Então não basta você decidir apenas com a sua mente consciente que opera só 5% da
sua vida. Se ela não estiver em consonância com a sua mente subconsciente, você não vai
conseguir o que quer. Seu subconsciente tem 2 funções: 1- Te dar insights e te guiar além da
sua mente normal consciente. 2- Interagir com a estrutura vibracional da sua realidade,
atraindo pra você as circunstâncias e situações que se aproximam dessas vibrações da sua
estrutura interna. Traduzindo: atrair situações e pessoas que correspondam a realidade
gravada no seu subconsciente. Estar consciente dessa mente subconsciente é a base para
desenvolver disciplina e consequentemente se curar! Entende que você não se boicota, mas
uma parte do seu subconsciente sim. E não porque ele é mal, mas porque ele foi programado
pra agir assim, como te explico na próxima lição.

23 19 #Mente Lição 3: Por que seu subconsciente funciona como funciona De um modo bem
simplificado: tudo no mundo é energia, certo? Até mesmo o chão que você pisa agora tem
energia, o teto sobre a sua cabeça tem energia, seu corpo tem energia. Lembra das aulas de
física? Essa energia emite o quê? Vibrações. Seu subconsciente tem uma estrutura interna que
emite vibrações e atrai vibrações semelhantes. E como elas se formaram? Graças à repetição.
Sabe quando você ficava repetindo a tabuada pra decorar? E de tanto repetir acabou
decorando, e até hoje você se lembra (pelo menos aquelas que você não colava na prova).
Então, você ficava repetindo até a tabuada entrar na sua cachola, até gravá-la no seu
subconsciente. O mesmo com a língua que você aprendeu. De tanto repetir enfiamos o que
queremos no subconsciente. Só que quando somos crianças e adolescentes, enfiamos
também o que não queremos no subconsciente porque estamos a mercê das referências que
recebemos do mundo que vem pelos adultos, cultura, os condicionamentos a nossa volta e por
aí vai. Toda essa repetição de padrões, pensamentos, sentimentos, emoções, gravam no
nosso subconsciente o que em inglês a psicologia chama de imprintings, mas que podemos
apelidar de programas em português. Esses programas gravados, rodam no subconsciente e
como tudo é energia no mundo, eles geram vibrações. Essas vibrações atraem vibrações
semelhantes para gente, porque o subconsciente trabalha dia e noite pra essas vibrações
manifestarem a nossa realidade externa.

24 20 Mas, ao contrário da mente consciente, o subconsciente é passivo, ele só quer validar o


que está gravado nele. Ele não distingue se algo é positivo ou negativo, pra ele tanto faz. Ele
não é maldoso, toda essa negatividade que se passa dentro dele não faz diferença alguma pra
ele. Mas, para o seu corpo e as situações que você vivencia, faz muita diferença, né! Por isso
que você precisa estar consciente da sua mente subconsciente. Mesmo porque não tem só
negatividade no subconsciente, mas muito do seu potencial e luz, que você nem desconfia que
tem, estão escondidos lá. SUPER DICA #5: Os principais programas do Subconsciente Se
você tem alguns dos principais programas nocivos rodando no seu subconsciente, como: a)
Culpa c) Vergonha b) Medo d) Anulação Pode ter certeza que foi graças ao que você viveu na
infância e na adolescência: como lar disfuncional, negligência, abusos, bullying, etc E aí, por
mais que você decida conscientemente que quer se curar, isso não está em consonância com
seu subconsciente e cedo ou tarde você vai se boicotar e deixar a Disciplina de lado. A menos
que você esteja alerta para esses programas e, quando se perceber entrando no auto boicote,
parta para a ação mesmo sem vontade. #Mente Lição 4: Identifique suas crenças Há
basicamente 2 tipos de crenças no seu subconsciente: 1- Crenças Limitantes: sobre qualquer
assunto: saúde, relação, dinheiro, você mesmo, oportunidades, dificuldade, corpo, vida, etc

25 21 Ex: se as crenças são limitantes: eu não mereço nada de bom, tudo da errado pra mim o
subconsciente vai trabalhar dia e noite pra fazer disso uma realidade, atraindo situações e
pessoas que combinem com isso, ele não julga se é bom ou não. 2- Crenças Libertadoras: nos
trazem poder, realização, alegria, paz, energia, abundância, prosperidade e tudo de bom. Ex:
se as crenças são libertadoras: eu mereço ter saúde, eu mereço ganhar dinheiro o
subconsciente vai trabalhar dia e noite pra fazer disso uma realidade, atraindo situações e
pessoas que combinem com isso, ele não julga se é bom ou não. SUPER DICA #6: Como
identificar as crenças Preste atenção em: 1- Diálogos internos 2- Frases repetitivas 3-
Situações recorrentes 4- Pessoas tóxicas que te fazem mal SUPER SABEDORIA: A partir de
agora qualquer situação ou pessoa desagradável serve apenas pra você olhar e pensar: por
que eu atrai isso? Quais crenças estão por trás disso? #Mente Lição 5: O sofrimento vem da
reação Vivemos em 2 mundos ao mesmo tempo: 1- Mundo externo: tudo o que se passa a sua
volta 2- Mundo interno: tudo o que se passa dentro e você Se não temos controle da nossa
mente vivemos reagindo ao mundo externo, que muda constantemente. Logo, vivemos num
mundo interno caótico e perturbador. Sofremos por viver assim, a mercê da nossa mente,
como uma marionete que reage ao que lhe é feito.

26 22 Se tivesse companhia teria disciplina ; Se me ligarem ficarei animado ; Se fulano me


amar serei feliz. ; Se ninguem me ligar, me mato ; Se minha mãe me pedir perdão melhoro ; Se
arrumar aquele emprego vou ficar bem ; Fiquei mal porque meu chefe foi grosseiro, Se tiver
dinheiro serei feliz ; Se conseguir esse terapeuta tudo dará certo ; Se alguém me apoiar
poderei melhorar. ; Caí porque levei um golpe financeiro ; Tive crise porque não passei no
vestibular ; etc, etc, etc E viver assim é como apostar na loteria: a chance do outro e dos
eventos corresponderem as nossas expectativas e idealizações é mínima, porque o externo
não existe para nos satisfazer. A satisfação, a saúde, a felicidade, a alegria, assim como a
insatisfação, a tristeza, o medo, a raiva, são produtos do seu mundo interno e não do externo!
Observe como as pessoas reagem de modo diferente a crise econômica por exemplo. Algumas
só falam disso como se fosse o fim do mundo, e elas sofrem. Outras sabem que é só mais uma
crise que faz parte do nosso sistema. A maneira de reagir ao mundo externo está ligada as
gravações do nosso subconsciente e as nossas crenças, não ao mundo externo em si.
SABEDORIA SUPER DI: Quanto mais alerta você estiver para o modo como você reage ao
mundo externo, mais você consegue perceber o que se passa no seu subconsciente,
descortinando suas crenças e programas nocivos.

27 23 #Mente Lição 6: Você é responsabilidade só sua! O responsável por tudo o que te


acontece é você mesmo! Quando a Ângela, minha terapeuta, me falou isso eu fiquei fula da
vida. Como eu sou responsável pela doença se adoeci ainda criança? E talvez você esteja fulo
da vida por descobrir que você é o único responsável pelo que te acontece. Se no seu
subconsciente tem programas nocivos rodando, o que acontece na sua vida é devido a esses
programas e não porque você é azarado ou vítima do mundo, ou porque há pessoas
aproveitadoras. Ah, mas eu não enfiei esses programas no meu subconsciente reação infantil,
porque o fato é: eles estão lá e a única pessoa que pode mudar isso é você. A
responsabilidade pra transformar esses programas é sua. Não é da sua mãe, nem do seu
parceiro, do seu ex, do seu irmão, da sua avó, do seu pai, do seu colega de trabalho, do seu
abusador, etc. Você é o único responsável pelo que te acontece, sejam coisas positivas como
negativas. E sim, esse fato é um pouco amargo no começo e até difícil de entender. A gente
quer colocar um açúcar pra disfarçar o gosto e não lidar com essa realidade Mas, confia em
mim! Assim como num bom cafezinho, esse amargo fica melhor assim mesmo, sem adoçar. E
encarar isso é o que vai te manter no caminho da cura. Por quê? Porque se somos os únicos
responsáveis pela própria doença, também somos os únicos responsáveis por gerar saúde.
Não precisamos ficar na passividade, esperando que alguém nos conserte. Eita poder!

28 24 #Mente Lição 7: Deixa de ser marionete Durante muito tempo me senti vítima da vida,
como se fosse uma marionete em suas garras. Era como se ela fosse algo abstrato que me
seguia e me fazia mal. Até que eu descobri que não! Eu sou a vida, ela não é algo que me
controla, eu que posso moldá-la. A minha vida reflete a mim mesma. Eu estava uma e só atraía
mais fedor, porque dentro de mim eu vibrava lixo devido as feridas abertas que precisavam ser
cicatrizadas. Quando você se responsabiliza por você e por mudar sua saúde, o que acontece?
Você deixa de ser marionete do mundo externo e pára de ser refém de terapeutas
despreparados, médicos dentro da caixa, indústria farmacêutica, estilo de vida prejudicial e
hábitos nocivos. Você adota a Super Di Disciplina Libertadora - conscientemente e usa-a pra
administrar a sua não-vontade de fazer as coisas e fazer mesmo assim. A consciência pra
quem quer se curar, é perceber que você não é essa doença, nem a sua mente e que você não
tem que reagir a essa mente tumultuada. Por exemplo: antes eu só atraia pessoas tóxicas e
acontecimentos hostis ou tumultuados. Até perceber que essas situações eram recorrentes e
então eu disse: opa, quero mudar isso. Deu trabalho, mas valeu muiiiito a pena! SUPER DICA
#7: Quando se pegar ansioso, se pergunte: do que estou com medo? Quais coisas que eu não
quero que aconteça que minha mente está projetando? E traga um pensamento ou
visualização de algo incrível te acontecendo.

29 25 #Mente Lição 8: Troque culpa por responsabilidade A culpa de você sofrer não é do
mundo! E nem sua! A culpa não existe. Ela é apenas um mecanismo de manipulação da mente
ou pra te zoar, ou pra te deixar numa certa vibração que se alinhe com a estrutura vibracional
do seu subconsciente. Então troque a palavra culpa por responsabilidade. Diga: Eu sou
responsável pelo que acontece comigo e tenho o poder de mudar o meu externo se eu fico
atento para o que se passa no meu interno Fique alerta para: situações e tipos de pessoas
recorrentes na sua vida. E então perceba o que se passa na sua cachola para atrair isso: seus
pensamentos e emoções recorrentes. Você vai ficando atento e então passa a controlar sua
mente e não o contrário, dissipando a culpa. A Super Di também serve pra treinar essa auto-
observação diariamente. SUPER DICA #8: A Super Di é necessária não só no mundo externo
do fazer, mas também no interno do observar. Treinar a auto observação com constância e
persistência, sem analisar, sem julgar, sem embarcar no que se passa no seu mundo interior,
só OBSERVAR FRIAMENTE. #Mente Lição 9: Deixe de ser marionete da sua sensibilidade Eu
sempre tive muitas premonições, sempre fui muito sensível, e os espiriteiros vinham com o
papo de que eu era médium e tinha que trabalhar a mediunidade. (OBS: Uso a palavra
espiriteiro porque conheço muitos espíritas bacanas que eu adoro e que não fazem parte
dessas viagens espiriteiras.) Muitos dos conceitos espiriteiros atribuídos a mediunidade e
fenômenos paranormais, que me jogaram ao longo da minha juventude,

30 26 eu descobri que eram apenas mecanismos mentais e produtos de uma mente


descontrolada. E muitas das premonições e informações que me vinham, que eu achava que
tinha que agir a partir delas, eu descobri que não tinha que fazer nada com elas. Não era da
minha conta! Mas, minha mente descontrolada captava tudo ao meu redor, trazia pra mim, me
perturbando ainda mais e eu que não dava conta nem de mim, achava que tinha que dar conta
dessas informações recebidas. Viagem minha? Não, isso é uma realidade e eu preciso falar
disso. Vai que é seu caso. Há pessoas que captam o inconsciente do outro e até o coletivo.
Elas são sensíveis, percebem coisas que os outros nem estão vendo. É como se fossem o Lion
do desenho Thundercats e tivessem o olho de Tandera, a visão além do alcance. Quando algo
bom ou trágico está pra acontecer no mundo, elas podem captar e acham que tem que fazer
algo com essas informações. Não tem. A menos que você decida trabalhar com isso e
desenvolver sua sensibilidade. Mas pra isso, primeiro você precisa colocar sua mente a seu
serviço. Não temos que reagir ao que se passa na nossa mente mal educada, mesmo que
pareça algo tão incrível e sobrenatural. #Mente Lição 10: Por que faxinar os traumas e
emoções reprimidas é etapa obrigatória Técnicas de hipnose, Yoga, afirmações, relaxamento,
meditação, visualizações, podem imprimir novas gravações no seu subconsciente desde que
você se dedique e simultaneamente faça a faxina das emoções reprimidas e dos traumas.
Sabe o Fabio Puentes, que está no nosso Congresso MeDISMente?

31 27 Fábio tem um trabalho extenso com hipnose, uma técnica que atua justamente no
subconsciente para mudar seus imprintings (gravações). Mas, para que o resultado seja efetivo
é preciso também faxinar os traumas, como a Fanny Van Laere explica na palestra dela do
Congresso. (Assista!) Então não adianta você achar que pode pular a etapa da faxina, da
catarse e ir direto para novas gravações no subconsciente, porque a sujeira é tanta, sua mente
tá tão destrambelhada que primeiro você precisa deixála mais limpa pra então conseguir se
beneficiar completamente das outras técnicas. E por quê? Porque as outras técnicas
demandam um mínimo controle da mente consciente, e você só terá esse mínimo controle da
sua mente se faxinar. Então você vai fazer terapias pra faxinar e ao mesmo tempo vai
treinando as outras técnicas. Por isso que a Medicina Integrativa é importante: ao combinar
técnicas que atuam de modos diferentes, você acelera seu processo de cura. #Mente Lição 11:
Imprintings: gravando novos e bons programas no subconsciente Já reparou que para algumas
pessoas tudo dá certo? Elas tem toda a sorte do mundo, vivem no amor, com pessoas leves e
amorosas, com saúde e realizadas numa carreira de sucesso. Enquanto para outras as coisas
não andam, dão errado e a vida é um tumulto. Por quê? Agora você já sabe: Graças às
gravações dos programas que rodam no subconsciente. Como mudar isso? Precisamos
imprimir novos programas no subconsciente para neutralizar os programas nocivos (culpa,
medo, vergonha, anulação) e mudar o

32 28 padrão vibratório pra você atrair o que você realmente quer na sua vida: saúde, paz,
plenitude! Como fazer isso? Você precisa ganhar cada vez mais consciência do seu
subconsciente, integrá-lo a sua vida e ter ações repetitivas que geram saúde. Então mesmo
quando você não tiver vontade de fazer Yoga, Exercício Físico, Meditação, seu Rituário e suas
Terapias, você faz o que precisa ser feito! Você já sabe que quem não quer gerar saúde é um
programa do seu subconsciente e não você. Então chame a Super Di e manda ver, porque
para mudar os programas nocivos é preciso gravar novos programas e isso se faz com treino e
muita REPETIÇÃO (lembra da tabuada?). Então quanto mais você repete essas atividades
(Yoga, Exercício Físico, Meditação, seu Rituário ou suas Terapias), mais você grava saúde no
seu subconsciente e treina a auto-observação para descortinar o que se passa nessa sua
mente escondida, gravando aquilo que você quer nela. #Mente Lição 12: O principal erro que
você pode cometer e que afastará a Super Di Um erro muito comum que eu também cometia, é
o de achar que ao fazer seu Rituário, Yoga, Meditação, Terapia você tem que sentir algo:
arrepio, alegria, raiva, paz, calor... Ou ainda que você tenha que finalizar as técnicas e estar
com seu estado mental modificado. Estava triste e fiquei alegre, estava sem energia e me
energizou. É comum quem faz a técnica de EFT (Emotional Freedom Technique) dizer que não
sentiu nada. E eu aprendi algo incrível com meu psicólogo fora da caixa : em geral as técnicas
não deveriam servir pra você sentir nada.

33 29 Então não vá fazer seu Rituário, Meditação, Yoga ou qualquer técnica com a expectativa
de sentir algo ou mudar seu estado mental. ACEITE seu estado mental verdadeiramente e ele
naturalmente se modificará, não perca tempo atuando apenas no nível mental consciente,
porque senão você vai do nada pro lugar algum. Daqui a pouco algo externo acontece, alguém
tóxico te ofende e como você ainda é refém da sua mente, logo você volta pro seu estado
mental anterior de dor, que você lutou tanto pra modificar. Pare de cortar as folhinhas da erva
daninha e arranque-a direto pela raiz! Use sua inteligência, preste atenção nisso: Essas
técnicas que você faz diariamente são apenas treinos, como o treino que você fazia de decorar
a tabuada. O acúmulo desses treinos te levam a ganhar controle da sua mente consciente e a
conhecer o que se passa no seu subconsciente. Pode acontecer de você sentir coisas sim.
Pode ser que você tenha até catarses, que seu estado mental mude, que você fique mais leve,
ou alegre, ou com energia, mas isso foi só um plus a mais, saca? Então faça o que precisa ser
feito com a Super Di e SEM EXPECTATIVA. Você não precisa acreditar, às vezes vai ser
chato, às vezes mecânico, às vezes revelador, às vezes você vai ficar duvidando. Apenas faça
e se observe. Porque uma vez que você despertar esse seu eu-observador, então você
começará a usar sua mente a seu serviço e a doença vai embora para sempre. Simples assim!
Aumente a Super Di, diminua as expectativas. CONFIE mesmo desconfiando...

34 30 SUPER EXERCÍCIOS PRÁTICOS É importante que você faça um diário do seu processo
para anotar tudo o que se passa com você: Seus Desabafos Seus Sonhos (quando dorme e
sues sonhos a serem realizados) Suas Ideias Seus Insights Anote porque isso é muito
terapêutico. Há estudos que já comprovaram a eficácia da escrita como terapia. E agora vamos
lá: Os exercícios a seguir eu aprendi com meus amados terapeutas. Dicas para realizá-los: 1-
Tenha paciência. De início você vai embarcar nos pensamentos, quando se der conta que
embarcou: VIVA! Você percebeu, agora traga sua consciência para apenas observá-los
novamente. Se parabenize MUITO por ter percebido que você embarcou nos seus
pensamentos você tá no caminho da cura. 2- Xô culpa Quando você embarcar nos
pensamentos e não conseguir seguir o exercício, sua mente vai tentar te fazer sentir culpado.
Não deixe! Se parabenize por você estar treinando.

35 31 3- O chato vira legal Nos primeiros 2 meses, mais ou menos, você vai ficar cansado e
irritado de ter que ficar alerta mentalmente. Tudo bem, continue treinando. Esse negócio de
ficar alerta no início é chato mesmo, mas depois quando você perceber a melhora, será bem
legal e você vai adorar ficar alerta! Super Di na veia! 4- Seja frio Não analise e nem interprete
sua mente, só tome consciência. Não classifique, não faça diagnósticos, não se defenda, não
se desculpe, não dê importância para o que se passa na sua mente. A tentação de analisar e
elaborar teorias é gigantescas, resista! A tentação de julgar: ah que ruim, ah que bom, ah que
mais ou menos é grande também, resista! PARABENS! SUPER SABEDORIA: Pensamentos
negativos vem como se fossem uma voz do além, uma entidade sábia, como se fossem Deus
te trazendo uma profecia. É tudo truque da sua mente Trapaceira Fofoqueira. Apenas observe,
não embarque!!!!!

36 32 EXERCÍCIOS #1: Acordando o Eu-observador A) Ao acordar: Observe imediatamente


seus pensamentos por 30 segundos: - Eles são mais positivos ou negativos? - Que tipos de
pensamentos são: elaborados, recorrentes, desconexos? B) Ao longo do dia observe. A noite
anote: - 1 pensamento que você pensou ativamente - 1 pensamento que te invadiu - 1
comentário mental que você teve ( que blusa bonita, que cabelo feio ) - seu diálogo interno
tinha mais a presença de um crítico ou comentador? O crítico te criticava ou criticava as
pessoas ou alguém em especial? Quais tópicos foram os preferidos? Esse diálogo interno tem
um padrão? - Taganômetro: Nível da tagarelice mental do dia de 0 a 10, sendo 10 muita
tagarelice e 0 nenhuma - 2 temas principais do diálogo interno C) Técnica Lalalaaaa: Observe
quando você estiver remoendo acontecimentos hostis ou recriando cenários de brigas e
tumultos na sua mente. Por exemplo: coisas que você não disse pra fulano e gostaria de ter
dito, ou coisas que você vai dizer e fica maquinando como fará. Percebeu que está vivendo
uma cena negativa na sua cabeça?

37 33 Interfira cantando: lalalaaaa e vá fazer alguma coisa física, como arrumar a gaveta de
camiseta. E sempre que a mente quiser voltar nesse assunto negativo, cante lalalaaaa. A
tentação de deixa-la resolver a situação é grande, confie e resista! Lalalaaaaaaaa! SUPER
SABEDORIA: Remoer ou projetar eventos desagradáveis afeta a química do seu corpo. Essas
conversas imaginárias hostis causam danos em você. NÃO EMBARQUE - cante Lalalaaaaaa
Não alimente as situações desagradáveis. Resolva quando for o momento e papo encerrado!
Não conte para todas as pessoas que você conhece o que te aconteceu, não perca sua
energia e saúde com esse tipo de vibração.

38 34 EXERCÍCIO #2: Imprinting de cura Durante 180 dias seguidos você faz esse exercício
logo que acorda pra gravar isso no seu subconsciente e integrá-lo a sua vida. Se programe
para levantar mais cedo e fazer com calma. É mecânico mesmo e não necessita de análises.
Repita a frase mentalmente ou verbalmente: Meu subconsciente é meu parceiro no sucesso da
minha cura Veio imagens traz de volta pra frase. Distraiu, traga a frase de volta. Tudo que vier,
deixe ir e concentre-se na frase. Acabou o exercício: não analisa nada, volte nele apenas no
dia seguinte. O objetivo é chegar a 5minutos por dia. Dia 1 a 7: por 30s Dia 8 a 15: por 1min
Dia 16 a 24: por 1min e 30 Dia 25 a 32: por 2 min Dia 33 a 40: por 3 min Dia 41 a 48: 3min e 30
Dia 49 a 55: 4 min Dia 56 a 63: 4 min e 30 Dia 64 em diante: 5 minutos

39 35 EXERCÍCIOS #3: Barrados no Baile - Eu-observador é seu Leão de Chácara


Pensamentos negativos drenam sua energia e te deixam mais doente e por quê? Porque você
reage a eles. A negatividade só tem poder porque reagimos a ela. As emoções só tem poder
porque reagimos a elas. Se você não embarcar no pensamento, não analisar, não julgar, não
se defender, não lutar contra, SE VOCÊ NÃO REAGIR, eles não tem poder. Se você não
embarcar na emoção ou lutar contra ela, mas apenas deixá-la passar, ela acaba logo e não te
fere. A doença é sanguessuga e se alimenta da sua reação Por isso apenas se OBSERVE.
Isso é treino, quanto mais você treinar, mais rápido sairá desse automatismo que te faz reagir e
embarcar nos pensamentos e emoções. Com a ajuda da Super Di você treina e com o tempo
não ficará mais refém deles. Há 4 técnicas simples pra reconhecer pensamentos negativos e
barrá-los. 1- Brinca no Karaokê Lalalaaaaaaa: Reconheceu o pensamento, corta: não avalia,
não se defende, não julga, não embarca. Só pára e insere lalalaaaa. Quanto mais forte o
pensamento e mais avalanches de pensamentos, mais forte seu lalalaaaaa. E vá fazer algo
físico pra ajudar, tipo arrumar gaveta separando as meias por cores. 2- Brinca de ser criança:
Pergunte: O que tá acontecendo comigo que agora eu tô experienciando isso? não embarca na
resposta, pergunte de novo,

40 36 como criança que tudo pergunta e pouco se atem a resposta. Só pergunte


repetidamente. 3- Brinca de roteirista mexicano: A mente adora drama. E é um drama tipo
novela mexicana, onde toda tragédia e emoções a flor da pele correm soltos. Quando você
reparar que surgem pensamentos: não vou conseguir me curar, vou acabar doente, sem
dinheiro, vou acabar me matando... Dramatize de propósito, como se você fosse roteirista de
novela mexicana, crie imagens ridículas e absurdas, dê asas a imaginação e solte seu humor.
Seja ativo e ajude a sua mente a criar tragédias exageradas e ridículas: nunca vou melhorar e
a culpa é minha. Vou acabar com 250 anos enrugado como um maracujá de gaveta, e sozinho.
E quando os ETs chegarem nem vão me levar para dar uma volta na nave mãe. 4- Brinca de
oposição: Por exemplo: quando o pensamento eu nunca vou me curar aparecer, traga seu
oposto: eu vou me curar, sem brigar com o pensamento anterior.

41 37 EXERCÍCIO #4: Joga luz na sombra Não brigue com as crenças limitantes e programas
do subconsciente (medo, culpa, vergonha, anulação). Traga luz pra sombra! O oposto, o
libertador. Por exemplo: Quando você perceber que está ansioso, geralmente a ansiedade
encobre o medo, o que você faz é trazer o oposto, o oposto do medo é Amor! Tô ansioso
beleza, tô com medo de alguma coisa, mas eu me amo mesmo assim. E repete a frase varias
vezes: Tô ansioso beleza, tô com medo de alguma coisa, mas eu me amo mesmo assim. O
oposto de cada programa nocivo: - Medo / Amor eu me amo mesmo assim - Anulação /
Validação: eu mereço e vai repetindo ao invés de focar no programa nocivo e na frase limitante
- Culpa / frase ridícula manda me prender, porque a culpa nem tem oposto, ela é só
manipulação da mente ilusionista que te zoa! - Vergonha / orgulho eu tenho orgulho de ter
chegado até aqui!

42 38 EXERCÍCIO #5: Eu me amo! O caminho da cura é o caminho do amor por si mesmo.


Diga pra você todo dia antes de dormir por pelo menos 1min: Eu me amo e mereço ser feliz.
Quanto mais você diz isso - mesmo sem acreditar, mesmo duvidando, mesmo mecanicamente
- mais você grava no seu subconsciente até que isso vire uma realidade. E lembre de celebrar
seu subconsciente, diga pra ele como você fica feliz de saber do poder que ele tem, diga que
você quer se curar, desenvolva uma relação funcional e saudável com ele. Focar na doença e
suas limitações é apenas um truque da sua mente trapaceira, que adora te fazer de bobo. Você
vai deixar?

43 39 FINITO Parabéns! Eu demorei mais de 10 anos pra descobrir o que compilei com muito
carinho neste Guia pra você. E agora, de posse desta preciosidade, você pode pegar atalhos e
sair mais rápido desse sofrimento em que você se encontra. FAÇA SUA PARTE! A vida dos
seus sonhos está apenas a um passo pra fora da sua zona de (des)conforto. Agarra a Super Di
e comece a caminhada!

44 40 Resumo: 44 Lições deste Guia para você trilhar seu caminho da cura: 1- Mudar seu
estilo de vida - colocar o EMMYR no seu dia a dia (Exercicio Físico, Meditação Mindfulness,
Medicina Integrativa combinando terapias no seu tratamento, Yoga, Rituário). 2- Entrar em
contato com seu céu, seu Amor incondicional por você mesmo. Se você nunca sentiu isso,
buscar um terapeuta focado na sua essência: em descortinar seu potencial e que te ajude a
entrar em contato com esse seu lado luz, onde a doença não existe. 3- Super Di Disciplina é:
administrar a não vontade de fazer o que precisa ser feito, com constância e persistência, tanto
no mundo externo, como no interno (treinando a própria mente, observando-a sem análises e
julgamentos). 4- Ter claro o que você quer: cura ou controle da doença? Se for cura, buscar
profissionais alinhados com seu plano de vida e que acreditem na cura. 5- Você é
responsabilidade só sua. Só você é responsável pelo que te acontece. 6- A Mente Consciente
é: ativa; mente muito projetando seus piores medos; e te faz de refém. Não devemos acreditar
sempre nela. 7- A Mente Subconsciente é: passiva, não distingue o que é positivo de negativo.
É ela quem define se vamos conseguir ou não o que queremos. 8- Sombra nociva está no
subconsciente: as emoções reprimidas, feridas, dores, crenças limitantes, programas nocivos:
tudo o que te causa desequilíbrio e você não está consciente que existe. Essa sua

45 41 parte te bloqueia, te deixa empacado, drena energia, te deixa ansioso, cansado e


doente. O que está na sombra está te limitando, então você faz o trabalho necessário na
terapia pra revelar o que está lá. 9- Luz na sombra está também no seu subconsciente: seu
potencial que não está sendo usado, que não foi explorado. Seus talentos naturais, dons,
criatividade, o que te energiza, seu potencial de saúde que você nem sabe que tem, uma boa
terapia vai trabalhar isso tudo. 10- Se você quer e deseja algo que vai conflitar com seus
programas do subconsciente, ele sempre vai ganhar! Isso é uma lei natural, e a menos que
você esteja alerta para a sua mente consciente e subconsciente você não vai alcançar a cura.
11- O subconsciente não é inimigo, ele não distingue o que é positivo de negativo para nossa
vida. 12- O que está no subconsciente é a maquete das experiências que vamos ter na vida.
13- É preciso conhecer a mente subconsciente a fundo: seus programas nocivos, crenças
limitantes e libertadoras e todo o potencial escondido nela, a fim de integrá-la a nossa vida. 14-
Ter consciência do subconsciente, mas não de uma maneira intelectualizada, e sim vivenciada.
Por isso terapias que levam o corpo em consideração são importantes: terapia somática,
transpessoal, holística, bioenergética, etc 15- Se você não consegue o que quer, mesmo que
se esforce é porque os programas no subconsciente abafam suas intenções e desejos
conscientes.

46 42 16- Os programas do subconsciente desafiam a lógica: nos autoboicotamos, vivemos


mal, e parece que não conseguimos mudar esses programas, parece que eles são mais fortes
que a gente. Mas não são, basta estar alerta. 17- Os principais programas nocivos que rodam
no subconsciente são: culpa, medo, vergonha e anulação. 18- Quando você revela esses
programas e tudo que está no subconsciente, então você pode junto com seus terapeutas
arquitetar estratégias pra mudar esses aspectos que estão te empacando. 19- Para identificar
as crenças limitantes do subconsciente basta prestar atenção aos diálogos internos; frases
repetitivas; situações recorrentes e pessoas tóxicas que acabam se aproximando. 20- Para
neutralizar um programa nocivo ou crenças limitantes, basta gravar novas crenças e novos
programas libertadores no subconsciente através de técnicas diversas. 21- Vivemos
simultaneamente em dois mundos: externo e interno. Nossa felicidade e saúde dependem
apenas do nosso mundo interno, assim como nossas misérias e desgraças. Mas, a mente cria
a ilusão de que o mundo externo tem o poder de nos fazer felizes ou miseráveis. 22- Somos os
criadores das nossas mazelas e da nossa felicidade. 23- Você não é escravo do seu passado,
dos abusos sofridos, da família disfuncional. Eles deixaram marcas de desamor que você pode
neutralizar imprimindo novas marcas libertadoras e amorosas.

47 43 24- A natureza é muito sábia e jamais deixaria a gente a mercê das mazelas da vida. A
gente que cria essas mazelas da vida e só a gente pode criar suas belezas também. 25-
Sofremos porque reagimos ao que se passa na nossa mente mal educada e descontrolada.
Precisamos deixar de ser marionetes dela e do mundo externo. 26- A partir de agora qualquer
situação ou pessoa desagradável serve apenas pra você olhar e pensar: por que eu atraio
isso? Quais crenças limitantes estão por trás disso? 27- Quanto mais alerta você estiver para o
modo como você reage ao mundo externo, mais você consegue perceber o que se passa no
seu subconsciente, descortinando suas crenças e programas nocivos. Qual a lição a ser
aprendida: que programa está ativo no meu subconsciente que precisa ser neutralizado (culpa,
medo, vergonha, anulação)? 28- Se você é sensível e capta o inconsciente alheio e o coletivo,
lembre que você não tem que fazer nada com essas informações. Seu dever antes de tudo é
com você mesmo: colocar sua mente a seu serviço e se curar. 29- Trocar a palavra culpa por
responsabilidade. A culpa é só um mecanismo de manipulação da mente, que mente. 30- Não
adianta querer queimar a etapa da faxina interna dos traumas e feridas. Assistir a palestra do
Congresso MeDISMente com a palestrante Fanny Van Laere. 31- Podemos mudar nossa vida
quanto mais consciência temos da nossa mente consciente e do subconsciente, colocando-os
a nosso serviço através da observação.

48 44 32- Parar de julgar, analisar, se defender ou interpretar o que passa na mente, apenas
observar com aceitação. 33- Desapegar das expectativas. Os exercícios e técnicas diárias são
apenas um treino pra colocar a mente a seu serviço. Não é para mudar o estado mental ou
sentir qualquer coisa. 34- Rituário: serve para alinhar seu corpo, mente e ser. Serve para você
entrar em contato com seu corpo, sua mente consciente e seu subconsciente, se
conscientizando do modo como eles estão interligados, educando sua mente consciente para a
existência de todos esses seus aspectos, experienciando que você é muito mais do que só ela.
35- Fazer as técnicas mesmo sem acreditar conscientemente, mesmo que seja de modo
mecânico. Sem analises, interpretações, defesas, encantamentos. Apenas fazer e observar.
36- O autoboicote vem de um programinha instalado no subconsciente. Pra mudá-lo basta
fazer o que precisa ser feito com a Super Di. 37- A cura é possível quando tomamos
consciência da nossa mente e sua estrutura mente consciente + mente subconsciente e como
isso está interligado com nosso corpo. 38- Fazer um diário escrever é parte do processo de
cura. 39- Ter paciência a semente de banana plantada hoje não vira uma bananeira cheia de
frutas amanhã. 40- Fazer as técnicas diárias para se conscientizar sobre o que se passa no
seu mundo interno

49 45 41- O caminho da cura é se pegar pra criar, ser a melhor mãe e o melhor pai pra você
mesmo. 42- O caminho da cura é o caminho do despertar o amor incondicional por você
mesmo. 43- Inconsciente coletivo: herdamos do mundo e contribuímos para novas referências
serem gravadas nele. Então quando você trabalha sua cura, desenvolve o auto amor, você
está curando o mundo também. 44- O subconsciente é meu parceiro no sucesso da minha cura
Repetir esta frase é educar o consciente que o subconsciente existe. Você lembra o consciente
das vantagens de trabalhar junto com o subconsciente.