Você está na página 1de 4

QUE TAMANHO MEU CORPO TÊM?

 Compartilhar por E-mail




 Compartailhar no Orkut

19/06/2009
Autor e Coautor(es)
Autor: ADELE GUIMARAES UBARANA SANTOS

NATAL - RN NUCLEO EDUCACIONAL INFANTIL - NEI


Coautor(es):
Solange Kátia E. Soares, Suzana Maria Brito de Medeiros
Estrutura Curricular
MODALIDADE / NÍVEL DE ENSINO COMPONENTE CURRICULAR
Educação Infantil Natureza e sociedade
Educação Infantil Linguagem oral e escrita
Educação Infantil Matemática
Dados da Aula
O que o aluno poderá aprender com esta aula

Os alunos poderão:

 Familiarizar-se com a noção de medida de comprimento tomando como referência sua


altura;
 Estabelecer relações de semelhanças e diferenças entre o seu corpo e o corpo dos seus
pares.

Duração das atividades

2
Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

O professor já deverá ter trabalhado, com o grupo de alunos, as características físicas externas do corpo
humano(as suas partes, as quantidades de membros, etc.), conforme apresentado nas aulas anteriores.
Estratégias e recursos da aula
Já tendo trabalhado com os seus alunos as características físicas do corpo humano(as suas
diferenças e semelhanças), partindo do corpo da própria criança, o professor poderá assim,
introduzir a noção de medida de comprimento tomando como referência a altura das crianças.
1º MOMENTO – O professor deverá reunir o grupo de alunos e abrir uma discussão sobre as diferenças e
semelhanças entre os corpos das crianças (cor de cabelo, cor dos olhos, tipo de cabelo, os diferentes
tamanhos das crianças, etc.) Depois desta conversa, enfatiza as diferenças existentes entre elas, sugere
registrar o tamanho de cada uma delas.
2º MOMENTO – O professor pode mostrar que existe um instrumento que geralmente os adultos utilizam
para medir as coisas e/ou as pessoas apresentando para as crianças uma fita métrica. Contudo, o
professor explica que pode-se medir as coisas e/ou as pessoas com diversos materiais dentre eles o
barbante. Ele explicará que registrará o tamanho de cada criança com um esse material e ao final do
barbante colocará uma foto de cada uma, para que assim elas identifiquem a sua altura com mais
facilidade.

O professor chama uma criança de cada vez, encosta em um quadro previamente montado com cartolina
escura (para que os barbantes se destaquem), corta o barbante da altura da criança, fixa no painel e
depois cola a foto da criança em cima do barbante.
3º MOMENTO – Com o quadro pronto o professor tem condições de junto com seus alunos, realizar
comparações:

 Qual a criança menor?


 Qual a maior?
 O menino menor?
 Quem é maior quê?

MATERIAL UTILIZADO:

 Barbante;
 tesoura;
 durex
 2 cartolinas de cor escura
 xerox de fotografias das crianças tipo 3x4

Recursos Complementares

Avaliação

O professor deverá observar ao final desta aula se o seu aluno:

1. Nomeou as partes do corpo;


2. Construiu noções de medida de comprimento tendo como referência sua altura.

JACA OU JACARÉ

Cada vez que falar “jaca(s)”, vocês sentam e quando falar “jacaré(s)” vocês levantam.
Prestem atenção na historinha para ninguém sentar no jacaré ou levantar na jaca, é ao contrário.
Manuel ia na casa de seu tio Florindo apanhar jacas. Bem no meio do caminho havia um grande rio
que não tinha ponte, era preciso atravessar de canoa. Neste rio havia jacarés ferozes e Manuel
pensou :
- Eu quero as jacas e vou enfrentar os jacarés ?
E aí ele chegou na beira do rio e viu aquela quantidade de jacarés. Ficou pensativo : “jacas” ou
“jacarés”. Entrou na canoa e começou a remar contra os jacarés. Remou,remou, lutou sempre no
meio dos jacarés mas sem esquecer de suas jacas. Até que enfim chegou na margem do rio.
- Ufa ! Esses jacarés me cansaram. Mas eu estou mais perto das minhas jacas.
Andou, andou e viu o pé de jaca. Como fazer agora... Apanhou cinco jacas e lembrou dos jacarés
que enfrentaria, mas voltou feliz da vida com suas jacas até o rio de jacarés. Colocou as jacas na
canoa e começou a luta. Salva a jaca e bate no jacaré. Bate no jacaré e salva as jacas. Até que
jogou uma jaca nos jacarés e eles deixaram-no seguir em paz. Chegou, desceu da canoa e comeu
todas as jacas.

TEMPESTADE

Formação : sentados em cadeiras na formação circular.


Comandos : o apresentador da dinâmica fará a leitura do texto abaixo; os demais devem obedecer
os comandos : DIREITA (todos devem mudar para a cadeira a sua direita); ESQUERDA (todos
devem mudar para a cadeira a sua esquerda); quando aparecer a palavraTEMPESTADE todos
devem mudar de lugar, não podendo ser nem para a sua direita, nem para a sua esquerda.
TEXTO

Vamos fazer uma viagem pelas águas de um lindo rio. Chego na margem e entro numa
canoa. O dia está lindo. Ao olhar o horizonte, senti o vento soprar levemente para a DIREITA.
Estou muito contente. Olho ao meu redor e contemplo a cidade. Observo as árvores que
estão próximas, na margem a ESQUERDA.
Estamos nos aproximando de uma grande pedra à DIREITA, mas eu me pergunto : aquelas
nuvens podem ser sinal de TEMPESTADE ? É melhor não pensar no pior, ou seja, em
TEMPESTADE no meio do rio.
Quero continuar minha maravilhosa viagem sem pensar. Agora aprecio lindos pássaros e
outras novas árvores que estão bem longe, à ESQUERDA.
Meus amigos me chamam para lanchar e, ao tentar ficar de pé, desequilíbrio e caio para a
DIREITA. Então percebo que o sol começa a baixar, fico preocupado e penso : será sinal de
TEMPESTADE ? Mesmo assim, continuo brincando, curtindo esse dia.
Meus amigos resolveram pescar e jogam seus anzóis : uma joga para a DIREITA e o outro
para a ESQUERDA.
E o sol de repente desaparece, com final da tarde. O rio começa a jogar a canoa para a
ESQUERDA. Vi então, um raio refletir lá no horizonte e gritei para o dono da canoa : TEMPESTADE
! E então todos se mexem, ora para a DIREITA, ora para a ESQUERDA, e eu começo a temer e
penso : será que esta TEMPESTADE vai acabar com meu passeio ?
Bem perto, eis que começa a chover, a trovejar e raios cortam o céu e eu penso, com alívio :
a TEMPESTADE vai me pegar em terra firme.

Você também pode gostar