Você está na página 1de 39

SISTEMA

ELÉTRICO

SEÇÃO 13

SISTEMA ELÉTRICO SEÇÃO 13

2

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

Seção 13 - SiStema eLÉtRiCo

Conteúdo

descrição

Página

Sistema Elétrico

4

Conceitos de eletricidade

4

Conectando baterias

10

Usando multímetro

11

Resistência elétrica

13

Diodo

14

Definições normalizadas

16

Simbologia elétrica

17

Atuadores ou consumidores

18

Geradores e armazenadores

19

Chaves e Teclas

20

Relés

22

Instrumentos do painel

22

Sensoreamento

23

Código de cores

23

Interruptores

24

Interruptores de posição particular

25

Fusíveis

27

Relés

28

Sumário de alarmes

30

Condições de alertas

32

Problemas e Soluções

34

Capítulo 1 - esquemas elétricos

40

Bateria

41

Partida do motor

42

Alternador / Indicação restrição de ar

43

Interruptor de ignição

44

Módulo do motor

45

Indicador de nível de combustível e água

46

Luzes de direção

47

Luzes de direção / buzina

48

Luzes de trabalho / luz lateral

49

Luzes de distância / luz de cortesia

50

Freio de stacionamento / luzes de freio

51

Luz de estacionamento (tanque graneleiro)

52

Luzes principais

53

Luzes de aviso de tráfego

54

Alarme sonoro da ré / Luzes traseiras

55

Limpador do parabrisas

56

Ar condicionado

57

Circuito de segurança do pneumático

58

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

3

Seção 13 - SiStema eLÉtRiCo

Conteúdo

descrição

Página

Trilha ligada

59

Plataforma ligada

60

Sem fim de descarga ligado

61

Variador do cilindro de debulha

62

Variador do ventilador

63

Reversor

64

Fechar e abrir do turbo de descarga

65

Baixar a plataforma

66

Flutação lateral

67

Ajuste vertical do molinete

68

Ajuste horizontal do molinete

69

Velocidade do molinete

70

AHFC

71

Monitor de perdas

72

Sensores do RPM

73

Alarmes

74

Peneira auto-nivelante

75

4WD

76

Rádio

77

4

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

SiStema eLÉtRiCo

ConCeitoS de eLetRiCidade

i. oRiGem da CoRRente eLÉtRiCa

CoRRente eLÉtRiCa

É um deslocamento de elétrons.

eLÉtRonS

É a partícula negativa do átomo, que circunda no núcleo do mesmo.

Átomo

É a menor quantia de substância elementar que mantém as propriedades químicas de um elemento.

A corrente elétrica desloca-se do negativo para o

positivo, Fig. 02.

Lei de oHm

“A CORRENTE EM UM CIRCUITO ELÉTRICO É DIRETAMENTE PROPORCIONAL À TENSÃO

APLICADA E INVERSAMENTE PROPORCIONAL

À RESISTÊNCIA DO CIRCUITO”.

PROPORCIONAL À TENSÃO APLICADA E INVERSAMENTE PROPORCIONAL À RESISTÊNCIA DO CIRCUITO”. Fig. 1 Fig.2 Fig. 3

Fig. 1

PROPORCIONAL À TENSÃO APLICADA E INVERSAMENTE PROPORCIONAL À RESISTÊNCIA DO CIRCUITO”. Fig. 1 Fig.2 Fig. 3

Fig.2

PROPORCIONAL À TENSÃO APLICADA E INVERSAMENTE PROPORCIONAL À RESISTÊNCIA DO CIRCUITO”. Fig. 1 Fig.2 Fig. 3

Fig. 3

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

5

i. Como GeRaR eLetRiCidade

FRiCção - Tensão produzida friccionando-se dois materiais (pente, material sintético).

PReSSão - Tensão produzida por pressão mecânica exercida sobre certos cristais de certas substâncias (Magiclik) (quartzo).

ação QUÍmiCa - Tensão produzida por reação química em uma célula de bateria.

maGnetiSmo - Tensão produzida por um condutor quando o mesmo se move dentro de um campo magnético (Fig. 04), ou quando um campo magnético se move em relação ao citado condutor (Fig. 05), de tal maneira que ele corte as linhas de força magnética do campo.

ao citado condutor (Fig. 05), de tal maneira que ele corte as linhas de força magnética
Fig .4 Fig. 5
Fig .4
Fig. 5

6

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

i. maGnetiSmo

PRinCÍPioS imPoRtanteS

Pólos iguais causam repulsão.

Pólos diferentes causam atração.

As linhas de campo tem sempre a direção de noRte para o SUL.

Linhas de campo provenientes de campos distintos não se cruzam.

Jamais se conseguirá separar o polo Norte do polo Sul.

ii.

eLetRomaGnetiSmo

PRinCÍPioS imPoRtanteS:

Os

princípios importantes do eletromagnetismo são

iguais aos do magnetismo.

A intensidade magnética de um eletro-imã

depende:

a. do número de voltas do condutor.

b. da corrente elétrica que passa pelo rolamento.

aPLiCação

Em todo condutor que corta ou é cortado por um

campo magnético, nesse condutor será induzida uma tensão.

A tensão induzida depende:

• Do comprimento do condutor que corta ou é cortado pelo campo magnético.

Da intensidade do campo magnético.

Da velocidade do movimento do condutor ou do campo magnético.

Da intensidade do campo magnético. • Da velocidade do movimento do condutor ou do campo magnético.

Fig. 6

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

7

i.

eLetRoÍmãS

O fluxo da corrente elétrica sempre produzirá alguma forma de magnetismo. Assim sendo, temos um campo ao redor dos condutores.

Em um eletroímã o núcleo é imantado quando está

ligada à fonte (2), Fig. 07. Desligando-se a fonte,

a imantação quase desaparece, permanecendo

apenas o magnetismo residual (1), Fig. 07.

Na Fig. 08 podemos ver o princípio de funcionamento

de um indicador de combustível, manômetro de pressão de óleo de cárter dos veículos, etc.

Posição a do sensor do resistor - corrente alta e campo magnético forte na bobina.

Posição B do sensor do resistor - corrente média e campo magnético médio na bobina.

Posição C do sensor do resistor - corrente fraca e campo magnético fraco na bobina.

1 2 NúCLEO DO FERRO
1
2
NúCLEO
DO FERRO

Fig. 7

(1) Chave fechada: muitas linhas de força;

(2) Chave aberta: poucas linhas de força (magnetismo Residual)

(1) Chave fechada: muitas linhas de força; (2) Chave aberta: poucas linhas de força (magnetismo Residual)

Fig. 8

8

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

i. ComPaRação entRe oS CiRCUitoS HidRÁULiCo e eLÉtRiCo

ComPaRando-Se doiS CiRCUitoS:

• O manômetro mede a pressão hidráulica, o voltímetro mede a pressão elétrica.

• O fluxímetro mede a quantidade de óleo que passa pelo tubo, o amperímetro mede a corrente elétrica que passa pelo condutor.

• Para que o motor hidráulico funcione é necessário que a bomba esteja funcionando e o registro aberto, para que o motor funcione, o alternador deve estar funcionando e a chave ligada.

• Com a bomba funcionando, mas o registro fechado, haverá pressão sem vazão e o motor hidráulico não funciona. Com a chave desligada e o alternador funcionando, haverá tensão sem corrente e o motor não funciona.

• O óleo que sai da bomba, passa pelo motor hidráulico e retorna a bomba. A corrente elétrica que sai do alternador, passa pelo motor e retorna ao gerador.

• Se a tubulação amassar, isto causará uma resistência na vazão do óleo. Um condutor mal emendado, mal parafusado, causam resistência à corrente elétrica.

mal parafusado, causam resistência à corrente elétrica. Fig. 9: Circuito Elétrico Fig. 10: Circuito hidráulico

Fig. 9: Circuito Elétrico

parafusado, causam resistência à corrente elétrica. Fig. 9: Circuito Elétrico Fig. 10: Circuito hidráulico 10-2007

Fig. 10: Circuito hidráulico

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

9

i. PRinCÍPioS eLÉtRiCoS

tensão (Voltagem) - Volt:

É responsável pela ação de “empurrar” a corrente

elétrica pelo circuito.

Corrente (amperagem) - ampere:

É a quantidade de eletricidade que passa no circuito.

Resistência - ohms:

É a dificuldade encontrada pela corrente, para passar no circuito.

Potência - Watts:

É o produto entre a corrente e a tensão do circuito.

Circuito Série

Neste circuito (Fig.11), a corrente só tem um caminho a seguir e é igual em qualquer ponto. a tensão varia de acordo com a resistência de cada componente.

Circuito Paralelo

Neste circuito, (Fig.12), a tensão é igual em qualquer ponto. a corrente tem vários caminhos e varia de acordo com a resistência de cada componente.

e varia de acordo com a resistência de cada componente. Fig. 11: Circuito Elétrico em série.

Fig. 11: Circuito Elétrico em série.

resistência de cada componente. Fig. 11: Circuito Elétrico em série. Fig. 12: Circuito Elétrico em paralelo.

Fig. 12: Circuito Elétrico em paralelo.

10

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

ConeCtando BateRiaS

Conexão em série (Fig.13 e 15)

• As voltagens de cada bateria são adicionadas.

A intensidade de corrente é a mesma para todas.

• A intensidade de corrente é a mesma para todas. Fig. 13: Conexão em série. Conexão

Fig. 13: Conexão em série.

Conexão em paralelo (Fig.14 e 16)

A voltagem é a mesma para todas as baterias.

A intensidade de corrente é a soma das intensidades de cada bateria.

ConeXÕeS PoSSÍVeiS

soma das intensidades de cada bateria. ConeXÕeS PoSSÍVeiS Fig. 15: Conexão em série (12V/.135 Ah) Fig.

Fig. 15: Conexão em série (12V/.135 Ah)

PoSSÍVeiS Fig. 15: Conexão em série (12V/.135 Ah) Fig. 14: Conexão em paralelo. fig. 16: Conexão

Fig. 14: Conexão em paralelo.

15: Conexão em série (12V/.135 Ah) Fig. 14: Conexão em paralelo. fig. 16: Conexão Paralela (12V

fig. 16: Conexão Paralela (12V / 130 Ah).

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

11

USo do mULtÍmetRo

i. FUnçÕeS maiS USadaS:

• V (volts) = tensão contínua (bateria)

• V (volts) = tensão alternada (energia residencial)

• W (ohm) = resistência ou continuidade (solenóides, relês, diodo, ETC.)

ii. aLGUmaS PRÁtiCaS de teSte

PotenCiÔmetRo

Um potenciômetro é usado para variar um sinal de tensão que é transmitido para um controlador eletrônico. Através da variação da tensão, um controlador pode dizer quando uma função, comando e/ou resposta é dada. Um potenciômetro normalmente apresenta três posições de fios

(Fig.18):

• Fio “A” normalmente é usado para fornecer tensão para operação do potenciômetro;

Fio “B” normalmente usado para enviar uma variação de tensão de volta ao controlador;

Fio “C” normalmente é usado para enviar um sinal de retorno para o controlador para ser usado em funções de auto-teste.

LemBRe-Se, a aplicação dos fios “A” e “C” podem alternar-se, MAS “B” sempre será o sinal variável.

dos fios “A” e “C” podem alternar-se, MAS “B” sempre será o sinal variável. Fig. 17
Fig. 17 Fig. 18
Fig. 17
Fig. 18

12

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

ReLÊ

Um relê é um interruptor ativado magneticamente, o qual possui dois circuitos totalmente separados. Para testar corretamente um relê ambos os circuitos devem ser testados individualmente. Os dois circuitos são:

ou

• Circuito

Circuito de ativação

que

será ATIVADO

DESATIVADO.

LemBRe-Se, normalmente a maneira mais rápida para se testar um relê, é coloca-lo em um circuito que se tem conhecimento que está operando corretamente.

Procedimentos de teste:

1. Remova o relê do circuito;

2. Identifique os terminais;

3. Coloque o seletor do multímetro na posição Ohms (Ω) e conecte as ponteiras nos terminais 2 e 1, 85 e 86 (Fig. 19).

A medida normalmente será entre 75 e

85

Ohms de resistência para um relê de

12

volts.

4. Coloque uma ponteira no terminal 3 (30) e uma no terminal 4 , 87a (Fig. 20);

A leitura deverá ser menos de 10 Ohms de resistência;

5. Coloque uma ponteira no terminal 3 (30) e uma no terminal 5 (87), Figura 21;

• Não deverá haver conexão, o display do multímetro deverá indicar um circuito aberto (OL).

Se 12 V forem aplicados através dos terminais 1(86) e 2 (85) o relê deverá ser ativado e as leituras encontradas nos passos 4 e 5 devem ser reversas.

relê deverá ser ativado e as leituras encontradas nos passos 4 e 5 devem ser reversas.

Fig. 19

relê deverá ser ativado e as leituras encontradas nos passos 4 e 5 devem ser reversas.

Fig. 20

relê deverá ser ativado e as leituras encontradas nos passos 4 e 5 devem ser reversas.

Fig. 21

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

13

ReSiStÊnCia eLÉtRiCa

Mede a dificuldade que apresenta um material à passagem de uma corrente Elétrica. Se representa pela letra R, e se mede com o ohmímetro ou óhmetro.

LeitURa de VaLoReS de ReSiStÊnCiaS

ohmímetro ou óhmetro. LeitURa de VaLoReS de ReSiStÊnCiaS Para leituras de valores de resistências, deverá ser

Para leituras de valores de resistências, deverá ser consultada a tabela (universal) de cores. Não deve ser descartados os valores de tolerânia da última faixa.

CiRCUito em SÉRie de ReSiStoReS

A resistência total neste circuito é igual a soma das resistências parciais (Fig. 23).

Exemplo:

R1 + R2 + R3 = 4 + 3 + 3 = 10 ohm

CiRCUito

em

PaRaLeLo

de

ReSiStoReS

Classificamos um circuito em paralelo quando a corrente tem vários caminhos a seguir uma vez que os componentes são ligados um ao lado do outro e portanto a tensão é igual em todos os componentes

(Fig.24).

A soma das correntes paralelas é igual à corrente total do circuito

• A tensão é igual em todas as cargas

• Caso haja mais que dois resistores, o cálculo será feito com os dois e o resultado com o seguinte e assim sucessivamente (Fig.25).

feito com os dois e o resultado com o seguinte e assim sucessivamente (Fig.25). Fig. 22

Fig. 22

feito com os dois e o resultado com o seguinte e assim sucessivamente (Fig.25). Fig. 22

Fig. 23

feito com os dois e o resultado com o seguinte e assim sucessivamente (Fig.25). Fig. 22

Fig. 24

feito com os dois e o resultado com o seguinte e assim sucessivamente (Fig.25). Fig. 22

Fig. 25

14

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

SÍmBoLo:

diodoS

Um diodo é um tipo de semi-condutor que permite a passagem da corrente somente em uma direção (Fig. 26).

ComPoSição

Um diodo é formado pela união de dois semi- condutores, um do tipo P, predominância de carga positiva, e outro do tipo N, predominância de carga negativa (Fig.27). Em condição normal

o semi-condutor tipo P tem um execesso de

carga positiva. Na interface entre as cargas dos dois semi-condutores P e N, ocorreu uma tentativa de união através da troca de energia necessária.

CHeCando Um diodo Com Um medidoR de oHmS

A polaridade do medidor deve ser conhecida.

Seguir as instruções do manual do instrumento.

Retire o

medidor.

Se o medidor estiver na polaridade positiva (Fig.28) a resistência R deve ser baixa, se o medidor estiver na polaridade negativa (Fig.29) a resistência R é infinita. Neste caso o diodo está em boas condições.

diodo do circuito e conecte-o ao

Se, com o medidor em ambas as polaridedes, a resistência for infinita, o diodo está interrompido.

Se, com o medidor em ambas as polaridades, a resistência for aproximadamente zero, o diodo está em curto-circuito.

a resistência for aproximadamente zero, o diodo está em curto-circuito. Fig. 26 Fig. 27 Fig. 28

Fig. 26

Fig. 26 Fig. 27

Fig. 27

a resistência for aproximadamente zero, o diodo está em curto-circuito. Fig. 26 Fig. 27 Fig. 28

Fig. 28

a resistência for aproximadamente zero, o diodo está em curto-circuito. Fig. 26 Fig. 27 Fig. 28

fig. 29

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

15

Led

Os diodos emissores de luz, os famosos LED’s (light emissor diode), que são representados por um diodo normal mais duas pequenas flechas para fora, que indicam que emite luz. Possuem as mesmas propriedades dos diodos normais, porém, é claro, emitem luz. A simbologia adotada para um LED é mostrada na (Fig.30).

nota: o LED só acenderá se a polaridade estiver correta.

tRanSiStoReS

Os transistores bipolares NPN e PNP são compostos por diodos, porém com mais uma camada portanto,

os testes podem seguir o mesmo processo usado nos

diodos comuns. O teste se realiza entre o terminal da base B e o terminal E e C. O processo a seguir no transistor NPN e PNP são opostos. Como num diodo comum, se as passagens não são sómente em um sentido, deverá ser substituido (Fig.31).

PotenCiÔmetRo

Um potenciômetro é usado para variar um sinal de tensão que é transmitido para um controlador eletrônico. Através da variação da tensão, um controlador pode dizer quando uma função, comando e/ou resposta é dada. O potenciômetro é simbolizado conforme a Fig.32

O exemplo mais conhecido de um deste dispositico

é a "boia" de combustivel.

O exemplo mais conhecido de um deste dispositico é a "boia" de combustivel. Fig. 30 Fig.

Fig. 30

O exemplo mais conhecido de um deste dispositico é a "boia" de combustivel. Fig. 30 Fig.

Fig. 31

Fig. 31 Fig. 32

Fig. 32

16

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

deFiniçÕeS noRmaLiZadaS

alessandro Volta - Fisico italiano

1V (E) (Volt)

Diferença de potencial necessária para fazer circular 1A (Ampère), num condutor cuja resistência seja de 1  (Ohm).

V = A ×Ω

Georg S. ohm - Cientista alemâo

1  (R) (Ohm):

Resistência oferecida a passagem de 1A (Ampère), quando houver uma diferença de potencial de 1V (Volt).

Ω=

V

A

andré m. ampére - Fisico Francês

1A (I) (Ampère):

Corrente que passa por um condutor cuja resistência vale 1 (Ohm), quando submetido a uma diferença de potencial de 1 V (Volt).

A = V

PotÊnCia eLÉtRiCa: a Unidade de de PotÊnCia eLÉtRiCa É o Watt

Sir James Watt - Fisico inglês

1W (watt):

Trabalho realizado em um segundo, por um ddp (diferença de potencial) de 1 volt, para mover uma carga de 1 coulomb. Um Coulomb por segundo é igual a um ampère:

V = A ×Ω

para mover uma carga de 1 coulomb. Um Coulomb por segundo é igual a um ampère:

Fig. 33

para mover uma carga de 1 coulomb. Um Coulomb por segundo é igual a um ampère:

Fig. 34

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

17

SimBoLoGia eLÉtRiCa

GeneRaLidadeS

Fio condutor (transparente)

Fio condutor de dupla cor (vermelho/branco)

Conectores: conector C (pinos 6 - 3 - 5 e 9)

Linha limitadora de sistemas ou módulos

Linha limitando um sistema

Linha limatora de um módulo, por exemplo: A10 Buzina.

Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 - Alarme.

de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -
de um módulo, por exemplo: A10 Buzina. Seta endereçadora. Neste, indica continuidade no módulo A15 -

18

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

Motor elétrico

Motor de arranque

Alarme Sonoro

Buzina

Bobina (Relé, solenóide, etc.)

Lâmpada

Lâmpada pequena ou LED

atUadoReS oU ConSUmidoReS

Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007
Alarme Sonoro Buzina Bobina (Relé, solenóide, etc.) Lâmpada Lâmpada pequena ou LED atUadoReS oU ConSUmidoReS 10-2007

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

19

Alternador

Bateria

Fusível de linha

Diodo

GeRadoReS e aRmaZenadoReS

ELÉTRICO 19 Alternador Bateria Fusível de linha Diodo GeRadoReS e aRmaZenadoReS eLementoS de SeGURança 10-2007
ELÉTRICO 19 Alternador Bateria Fusível de linha Diodo GeRadoReS e aRmaZenadoReS eLementoS de SeGURança 10-2007

eLementoS de SeGURança

ELÉTRICO 19 Alternador Bateria Fusível de linha Diodo GeRadoReS e aRmaZenadoReS eLementoS de SeGURança 10-2007
ELÉTRICO 19 Alternador Bateria Fusível de linha Diodo GeRadoReS e aRmaZenadoReS eLementoS de SeGURança 10-2007

20

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

Chave de contato

Tecla com iluminação:

1

Contato

2

Posições

Tecla com iluminação

1

Contato

2

Posições

ND

Tecla com iluminação

2

contatos

2

posições

NL

CHaVeS e teCLaS

1 Contato 2 Posições ND Tecla com iluminação 2 contatos 2 posições NL CHaVeS e teCLaS
1 Contato 2 Posições ND Tecla com iluminação 2 contatos 2 posições NL CHaVeS e teCLaS
1 Contato 2 Posições ND Tecla com iluminação 2 contatos 2 posições NL CHaVeS e teCLaS
1 Contato 2 Posições ND Tecla com iluminação 2 contatos 2 posições NL CHaVeS e teCLaS

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

21

Tecla com iluminação 2 contatos

3 posições

ND

Tecla com iluminação

3

contatos (sequencial)

3

posições

com iluminação 2 contatos 3 posições ND Tecla com iluminação 3 contatos (sequencial) 3 posições 10-2007
com iluminação 2 contatos 3 posições ND Tecla com iluminação 3 contatos (sequencial) 3 posições 10-2007
com iluminação 2 contatos 3 posições ND Tecla com iluminação 3 contatos (sequencial) 3 posições 10-2007

22

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

Relé inversor

1 contato

2 posições

Relé

Tacômetro de 3 funções

Indicador analógico

Horímetro analógico

ReLÉS

Relé Tacômetro de 3 funções Indicador analógico Horímetro analógico ReLÉS inStRUmentoS do PaineL 10-2007
Relé Tacômetro de 3 funções Indicador analógico Horímetro analógico ReLÉS inStRUmentoS do PaineL 10-2007

inStRUmentoS do PaineL

Relé Tacômetro de 3 funções Indicador analógico Horímetro analógico ReLÉS inStRUmentoS do PaineL 10-2007
Relé Tacômetro de 3 funções Indicador analógico Horímetro analógico ReLÉS inStRUmentoS do PaineL 10-2007
Relé Tacômetro de 3 funções Indicador analógico Horímetro analógico ReLÉS inStRUmentoS do PaineL 10-2007

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

23

Sensor de perda de grão

Nivelador das peneiras

Sensor de RPM

SenSoReamento

de grão Nivelador das peneiras Sensor de RPM SenSoReamento CÓdiGo de CoReS SiGLa CoR AM Amarelo
de grão Nivelador das peneiras Sensor de RPM SenSoReamento CÓdiGo de CoReS SiGLa CoR AM Amarelo
de grão Nivelador das peneiras Sensor de RPM SenSoReamento CÓdiGo de CoReS SiGLa CoR AM Amarelo

CÓdiGo de CoReS

SiGLa

CoR

AM

Amarelo

AM/VE

Amarelo/Vermelho

AZ

Azul

BR

Branco

COR/COR

Dupla cor

LA

Laranja

MA

Marrom

PR

Preto

PU

Púrpura (Violeta)

TR

Transparente

VD

Verde

VE

Vermelho

24

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

inteRRUPtoReS

Atuação mecânica

Variável por nível

Variável por temperatura

De contato por temperatura Normal aberto

De contato por pressão Normal fechado

De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto

De contato por alavanca

por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca
por pressão Normal fechado De contato por pressão negativa (vácuo) Normal aberto De contato por alavanca

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

25

inteRRUPtoReS de PoSição PaRtiCULaR

Interruptor da ré no conjunto multifunção que energiza o solenóide da haste hidráulica, posição sobe, do conjunto de alimentação (Fig.35). Fica normalmente desligado.

Interruptor da posição neutra da alavanca multifunção (Fig.36). Interrompe a passagem de corrente para o relê 12, do motor.

Interruptor de ação mecânica no dispositivo de freio de estacionamento (Fig.37). Fica normalmente desligado.

mecânica no dispositivo de freio de estacionamento (Fig.37). Fica normalmente desligado. Fig. 35 Fig. 36 Fig.

Fig. 35

mecânica no dispositivo de freio de estacionamento (Fig.37). Fica normalmente desligado. Fig. 35 Fig. 36 Fig.

Fig. 36

mecânica no dispositivo de freio de estacionamento (Fig.37). Fica normalmente desligado. Fig. 35 Fig. 36 Fig.

Fig. 37

26

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

Interruptor de ação mecânica no dispositivo de corte de energia do solenóide que ativa a haste hidráulica, posição sobe, do conjunto de alimentação (Fig.38). Fica normalmente ligado.

ativa a haste hidráulica, posição sobe, do conjunto de alimentação (Fig.38). Fica normalmente ligado. Fig. 38

Fig. 38

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

27

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 27 FUSÍVeiS 1 - 16A: Farol Principal 2 - 10A -

FUSÍVeiS

1 - 16A:

Farol Principal

2 - 10A - Buzina

3 - 10A:

Lâmpada Tanque Graneleiro (Iluminação)

4 - 16A:

Iluminação Teclas

Tacômetro

Painel Lâmpadas de Advertência

5 - 10A Lâmpadas do Freio de Estacionamento

Lanternas de Freio

Tubo de Descarga

6 - 16A

Indicadores de Direção

de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:
de Freio Tubo de Descarga 6 - 16A Indicadores de Direção Pisca Alerta 7 - 10A:

Pisca Alerta

7 - 10A:

Lanterna Esquerda

8 - 25A:

Variador Ventilador

Variador Cilindro

Variador Molinete

Picador de Palha

9 - 16A:

Ar Condicionado

Ventilador Cabine

10 - 16A:

Limpador de pára-brisa

11 - 10A:

Farol de trabalho da cabine

28

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -
2 8 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO FUSÍVeiS 12- 10A: Lanterna Direita Iluminação Instrumentos 13 -

FUSÍVeiS

12- 10A:

Lanterna Direita

Iluminação Instrumentos

13 - 16A:

Farol Trabalho

14 - 16A:

Farol Trabalho

15 - 10A:

Válvula Eletro-pneumática

de Segurança

16 - 16A:

Monitor de Perdas

Eletro-pneumática de Segurança 16 - 16A: Monitor de Perdas ReLÉS 1 - Válvula Eletro- pneumática de
Eletro-pneumática de Segurança 16 - 16A: Monitor de Perdas ReLÉS 1 - Válvula Eletro- pneumática de
Eletro-pneumática de Segurança 16 - 16A: Monitor de Perdas ReLÉS 1 - Válvula Eletro- pneumática de
Eletro-pneumática de Segurança 16 - 16A: Monitor de Perdas ReLÉS 1 - Válvula Eletro- pneumática de

ReLÉS

1 - Válvula Eletro-

pneumática de Segurança

2 - Alarme sonoro

3 - Interruptor de partida

de Segurança 2 - Alarme sonoro 3 - Interruptor de partida 17 - 16A: Luz Alerta
de Segurança 2 - Alarme sonoro 3 - Interruptor de partida 17 - 16A: Luz Alerta
de Segurança 2 - Alarme sonoro 3 - Interruptor de partida 17 - 16A: Luz Alerta

17 - 16A:

Luz Alerta Tráfego

Nível Tanque Graneleiro

18 - 10A:

Rádio

19 - 15A:

Reserva

21 - 10A:

Reserva

4 - Faróis de trabalho da Cabine

5 - Faróis de trabalho

6 - Segurança do motor

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

29

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10
SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 29 7 - Reativação do motor 9 - Ar Condicionado 10

7

- Reativação do motor

9

- Ar Condicionado

10 - Cilindro de Debulha

11 - Indicadores de direção

Pisca alerta

12 - Motor de partida

13 - Variador do molinete

(Aumento da velocidade)

14 - Variador do molinete

(diminuição da velocidade)

15 - Parada da plataforma

RELÉS

da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma
da velocidade) 15 - Parada da plataforma RELÉS 16 - Controle automático da altura da plataforma

16 - Controle automático da

altura da plataforma

17 - Interruptor do CAAP

18 - Levante da plataforma

19 - Descida da Plataforma

20 - Flutuação do lado

esquerdo

21 - Flutuação do lado direito

22 - Sobe Molinete

23 - Desce Molinete

24 - Reversor

30

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

3 0 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 10-2007

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

31

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 31 10-2007

32

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

3 2 SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 10-2007

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

33

Calibração de raio dos pneus para cál- culo de área

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO 33 Calibração de raio dos pneus para cál- culo de área

34

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

diaGRama de PRoBLemaS e SoLUçÕeS

deFeito oBSeRVado

PoSSÍVeiS CaUSaS

oPeRação a

eFetUaR

Luzes de trabalho não acendem

Lâmpada queimada

Substituir

Fusíveis nº 14/13 Queimado

 
 

Relé nº 5

Verificar/Substituir

Tecla do painel

Luzes do tubo de descarga não acendem

Lâmpada Queimada

Substituir

Fusível 24

Verificar/Substituir

 

Tecla do Painel

Luzes de trabalho da cabine não acendem

Lâmpada Queimada

Substituir

Fusível nº 11

 
 

Relé nº 4

Verificar/Substituir

Tecla do Painel

Luz interna da cabine não acende

Lâmpada Queimada

Substituir

Interruptor ( Teto )

Verificar/Substituir

Limpador de para-brisa não funciona

Motor do limpador

 

Tecla do limpador

Verificar (Teste )/ Substituir

 

Fusível nº 10

Relé nº 3

 

Ar condicionado não funciona

Interruptor ar condicionado

 

Termostato

Relé nº 9/3

Verificar/Substituir

Fusível nº 9

Pressostato

 

Embreagem magnética do compressor

Luzes de freio de mão não acendem (módulo de controle)

Led Queimado

Substituir módulo de controle

Interruptor Freio de mão

 

Fusível nº 5

Verificar/Substituir

Relé nº 3

Alarme sonoro do freio de mão não funciona

Interruptor do freio de mão

 

Fusível nº 5

Verificar/Substituir

 

Relé nº 3

Alarme

Substituir central elétrica

Luzes freio de pé não funcionam

Lâmpada queimada

Substituir

Relé nº 3

 
 

Fusível nº 5

Verificar/Substituir

Bulbo de pressão (Pressostato)

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

35

deFeito oBSeRVado

PoSSÍVeiS CaUSaS

oPeRação a

eFetUaR

Lanternas de tráfego não acendem

Lâmpada Queimada

Substituir

Fusíveis nº 7/12

Verificar/Substituir

 

Tecla do Painel

Faróis principais não acendem

Lâmpada Queimada

Substituir

Fusível nº 1

Verificar/Substituir

Tecla do Painel

Buzina não soa

Fusível nº 2

 

Relé nº 3

Verificar/Substituir

Buzina com defeito

Chave de seta

 

Luzes de direção não funcionam

Lâmpada Queimada

Substituir

Relé nº 11/3

 

Chave de seta

Verificar/Substituir

Tecla do Alerta

Fusível nº 6

 

Alerta não funciona

Fusível nº 23

 

Tecla do Alerta

Verificar/Substituir

Relé nº 11

Lâmpada Queimada

Substituir

Medidor de combustível não funciona

Bóia do tanque

Testar/Substituir

Relógio do marcador de combustível

 

Fusível nº 4

Verificar/Substituir

Relé nº 3

Medidor de temperatura não funciona

Sensor ( Bulbo ) temp .

Testar/Substituir

Relógio de temp.

 

Fusível nº 4

Verificar/Substituir

Relé nº 3

Motor não arranca (não gira)

Chave de contato

Verificar/Substituir

Interruptor de partida

Tecla da trilha ligada

Desligar

Tecla da trilha com defeito

Verificar/Substituir

Alavanca multi-funcional

Deixar na posição neutra

Relé nº 12

Verificar/Substituir

Solenóide do motor de partida

Motor de partida

Verificar

Motor arranca (Gira) mas não pega

Conector do solenóide da bomba injetora

Verificar

Solenóide da bomba injetotra

Verificar/Substituir

 

Relé nº 6/3

Luzes do painel não acendem

Relé nº 3

Verificar/Substituir

Fusível nº 4

Horímetro não funciona

Horímetro ( Relógio )

Substituir

Alternador

Verificar

36

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

deFeito oBSeRVado

PoSSÍVeiS CaUSaS

oPeRação a

eFetUaR

Módulo de RPM

Sensores

Ajustar/Verificar/

Substituir

Saca palha

Relé nº 10/3

 

Elevador de grãos

Fusível nº 8/4

 

Picador

Tecla da trilha

 

Trilha não liga

Relé nº 3/10

 

Fusível nº 4/8

Verificar/Substituir

Tecla com defeito

Solenóide da micro-válvula

 

Reversor não aciona

Tecla da plataforma ligada

Desliga-la

Tecla da plataforma com defeito

 

Relé nº 3/24

Verificar/Substituir

Fusível nº 4/18

Interruptor do reversor (Alavanca multi- funcional)

Substituir Alavanca

Solenóide da micro-válvula

Verificar/Substituir

Descarga de grãos não liga

Relé nº 3

 

Fusível nº 5

Interruptor (Fim de curso)

Verificar/Substituir

Tecla do tubo de descarga

Solenóide da micro válvula

Variador do molinete não liga

Relé nº 3/13/14

Verificar/Substituir

Fusível nº 18

Interruptor do variador do molinete (Alavanca Multi-Função)

Substituir a

alavanca

Motor do variador

Verificar/Substituir

Monitor de rendimento não funciona

Fusível nº 4/16

 

Relé nº 3

Verificar/Substituir

 

Monitor

Sensores peneiras/saca-palha (Filtro)

 

Luz do tanque graneleiro não funciona

Lâmpada queimada

 

Fusível nº 3

Verificar/Substituir

 

Relé nº 3

Circuito de segurança Sistema pneumático

Relé nº 3/1

 

Fusível nº 15

 

Sensor de pressão (Pressostato)

Verificar/Substituir

Solenóide da micro-válvula

Sensor do picador

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

37

deFeito oBSeRVado

PoSSÍVeiS CaUSaS

oPeRação a

eFetUaR

Plataforma não liga

Fusível nº 4

 

Relé nº 3/15

Verificar/Substituir

Tecla com defeito

Solenóide da micro-válvula

 

Flutuação lateral não funciona

Fusível nº 4

 

Relé nº 3

Verificar/Substituir

Solenóide da micro-válvula

Tecla com defeito

 

CAAP não funciona (TC 5090)

Fusível nº 4/18

Verificar/Substituir

Relé nº 3/16/17

Interruptor CAAP - Alavanca multi-função

Substituir alavanca multi-função

Solenóide da micro-válvula

Verificar/Substituir

Tecla com defeito

Sensor do tanque graneleiro não aciona

Tecla na posição 1 ou 3

Ligar na posição 2

Fusível nº 17

 
 

Relé nº 3

Verificar/Substituir

Sensor do tanque graneleiro

Variador do cilindro não aciona

Fusível nº 8

 

Relé nº 10

Verificar/Substituir

Tecla com defeito

Motor com defeito

 

Tacômetro não funciona

Relé nº 3

 

Fusível nº 4

Tacômetro com defeito

Verificar/Substituir

Sensores

Tecla com defeito

Variador do ventilador não aciona

Fusível nº 8

 

Relé nº 10

Verificar/Substituir

Tecla com defeito

Motor com defeito

 

Lat. Float (Manual) não aciona (TC 5090)

Fusível nº 18

 

Relé nº 3/20/21

Verificar/Substituir

 

Tecla com defeito

Interruptor ( Alavanca Multi-função )

Substituir

Solenóide da micro válvula (L. D. Sobe)

Verificar/Substituir

Solenóide da micro válvula (L. E. Sobe)

Altura do molinete não aciona (TC

Fusível nº 18

Verificar/Substituir

5090)

Relé nº 3/22/23

Interruptor ( Alavanca multi-função )

Substituir

Solenóide da micro válvula (Sobe)

Verificar/Substituir

Solenóide da micro válvula (Desce)

38

SEÇÃO 13 - SISTEMA ELÉTRICO

deFeito oBSeRVado

PoSSÍVeiS CaUSaS

oPeRação a

eFetUaR

Controle de altura da plataforma não aciona

Fusível nº 18

Verificar/Substituir

Relé nº 3/18/19

 

Interruptor (Alavanca multi-função )

Substituir

Solenóide da micro-válvula:

 

Sobe - Ver interruptor módulo A29 pos. 54 C

Verificar/Substituir

Desce

Bateria não carrega

Terminais soltos ou corroídos

Apertar ou substituir terminais.

Correia do alternador frouxa.

Tensionar ou substituir correia.

Alternador ou regulador

Testar alternador * de tensão defeituosos.

Ar condicionado não esfria

Fusível nº 9 queimado.

Verificar a causa e substituir o fusível.

Condensador obstruído

Limpar o

condensador

externamente

Evaporador obstruído

Limpar o

evaporador

externamente.

 

Contate o seu Distribuidor/ Representante New Holland para assistência especializada.

Flutuação Lateral Não Aciona

Relé N o 3

 

Fusível N o 4

Substituir

Tecla com Defeito

Solenóide da Micro-Válvula

 

CAAP Não Funciona

Relé N o 3

 

Fusível N o 4

Tecla com defeito

Substituir

Relé N o 8

Solenóide da Micro-Válvula

4WD Não Funciona (TC 5090)

Relé N o 3

 

Fusível N o 3

Substituir

Tecla 4WD com Defeito

Solenóide da Válvula Equatrac

 

SEÇÃO 21 - SISTEMA ELÉTRICO

39

ANOTAÇÕES