Você está na página 1de 13

ÍNDICE

INTRODUÇÃO ............................................................................................................................ 2
1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA – O SISTEMA URINÁRIO ........................................... 3
1.1 O Rim ............................................................................................................................ 3
1.1.1 Configuração Externa dos Rins ................................................................................. 4
1.1.2 Configuração Interna dos Rins: ................................................................................. 4
1.1.3 Néfrons ...................................................................................................................... 5
2. Túbulo Renal: .................................................................................................................... 5
1.2 FUNÇÕES DOS RINS.............................................................................................. 5
As Funções dos Rins incluem: .................................................................................................. 5
2. GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS ......................................................................................... 6
3. URETER ............................................................................................................................... 6
4. BEXIGA ................................................................................................................................ 7
5. URETRA ............................................................................................................................... 8
5.1 Uretra Masculina ................................................................................................................. 8
5.2 Uretra Feminina .................................................................................................................. 8
6. IMPORTÂNCIA DO SISTEMA URINÁRIO ...................................................................... 9
7. DOENÇAS DO SISTEMA URINÁRIO ............................................................................. 10
Doenças Renais ................................................................................................................... 10
Doenças nas Vias Urinárias................................................................................................. 10
CONCLUSÃO ............................................................................................................................ 11
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................................................ 12
ANEXOS..................................................................................................................................... 13

1
INTRODUÇÃO

O trabalho que agora se apresenta, tem como tema o Sistema Urinário, orientado
pela docente da disciplina de Anatomia, procura-se ao longo deste trabalho apresentar de
modo abrangente todos os aspectos inerentes ao sistema urinário.
Entende-se por sistema urinário conjunto de órgãos envolvidos com a formação,
depósito e eliminação da urina. O aparelho é formado por dois rins, dois ureteres,
uma bexiga e uma uretra.

Assim, para se alcançar de modo pleno os objectivos de realização do presente


trabalho, traçou-se os seguintes objectivos gerais e específicos.

Como objectivo geral, conhecer o sistema urinário e seu funcionamento;


Como objectivos específicos, saber o que é o sistema urinário e seu modo de
funcionamente;
Determinar cada elemento constitutivo do sistema urinário;
Definir cada um dos elementos do sistema urinário;

O método criteriosamente acolhido na pesquisa é o da revisão bibliográfica, que


corresponde a pesquisa em livros e artigos científicos.

Quanto a estrutura do trabalho, inicialmente, temos a introdução, seguida do


referencial teórico, ou desenvolvimento, onde é espelhado e desenvolvido o trabalho na
integra, depois vem as conclusões, seguida das referencias bibliográficas e o anexos.

2
1. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA – O SISTEMA URINÁRIO

O sistema urinário é constituído pelos órgãos uropoéticos, isto é, incumbidos de


elaborar a urina e armazená-la temporariamente até a oportunidade de ser eliminada para
o exterior. Na urina encontramos ácido úrico, ureia, sódio, potássio, bicarbonato, etc.

Este aparelho pode ser dividido em órgãos secretores – que produzem a urina – e
órgãos excretores – que são encarregados de processar a drenagem da urina para fora do
corpo.

Os órgãos urinários compreendem os rins (2), que produzem a urina, os ureteres


(2) ou ductos, que transportam a urina para a bexiga (1), onde fica retida por algum tempo,
e a uretra (1), através da qual é expelida do corpo.

Além dos rins, as estruturas restantes do sistema urinário funcionam como um


encanamento constituindo as vias do trato urinário. Essas estruturas – ureteres, bexiga e
uretra – não modificam a urina ao longo do caminho, ao contrário, elas armazenam e
conduzem a urina do rim para o meio externo.

1.1 O Rim

Os rins são órgãos pares, em forma de grão de feijão, localizados logo acima da
cintura, entre o peritónio e a parede posterior do abdome. Sua coloração é vermelho-
parda.

Os rins estão situados de cada lado da coluna vertebral, por diante da região
superior da parede posterior do abdome, estendendo-se entre a 11ª costela e o processo
transverso da 3ª vértebra lombar. São descritos como órgãos retroperitoneais, por estarem
posicionados por trás do peritónio da cavidade abdominal.

Os rins são recobertos pelo peritónio e circundados por uma massa de gordura e
de tecido areolar frouxo. Cada rim tem cerca de 11,25 cm de comprimento, 5 a 7,5 cm de
largura e um pouco mais que 2,5 cm de espessura. O esquerdo é um pouco mais comprido
e mais estreito do que o direito. O peso do rim do homem adulto varia entre 125 a 170 g;
na mulher adulta, entre 115 a 155 g. O rim direito normalmente situa-se ligeiramente
abaixo do rim esquerdo devido ao grande tamanho do lobo direito do fígado.

Na margem medial côncava de cada rim encontra-se uma fenda vertical – o


HILO RENAL – onde a artéria renal entra e a veia e a pelve renal deixam o seio renal.
No hilo, a veia renal está anterior à artéria renal, que está anterior à pelve renal. O hilo
renal é a entrada para um espaço dentro do rim.

O seio renal, que é ocupado pela pelve renal, cálices, nervos, vasos sanguíneos e
linfáticos e uma variável quantidade de gordura.

3
1.1.1 Configuração Externa dos Rins

Cada rim apresenta duas faces, duas bordas e duas extremidades.

Faces (2) – Anterior e Posterior. As duas são lisas, porém a anterior é mais abaulada e a
posterior mais plana.

Bordas (2) – Medial (côncava) e Lateral (convexa).

Extremidades (2) – Superior (Glândula Supra-Renal) e Inferior (a nível de L3).

1.1.2 Configuração Interna dos Rins:

Em um corte frontal através do rim, são reveladas duas regiões distintas: uma área
avermelhada de textura lisa, chamada córtex renal e uma área marrom-avermelhada
profunda, denominada medula renal. A medula consiste em 8-18 estruturas cuneiformes,
as Pirâmides Renais. A base (extremidade mais larga) de cada pirâmide olha o córtex, e
seu ápice (extremidade mais estreita), chamada papila renal, aponta para o hilo do rim.
As partes do córtex renal que se estendem entre as pirâmides renais são chamadas colunas
renais.

Juntos, o córtex e as pirâmides renais da medula renal constituem a parte


funcional, ou parênquima do rim. No parênquima estão as unidades funcionais dos rins –
cerca de 1 milhão de estruturas microscópicas chamadas NÉFRONS. A urina, formada
pelos néfrons, drena para os grandes ductos papilares, que se estendem ao longo das
papilas renais das pirâmides.

Os ductos drenam para estruturas chamadas Cálices Renais Menor e Maior.


Cada rim tem 8-18 cálices menores e 2-3 cálices maiores. O cálice renal menor recebe
urina dos ductos papilares de uma papila renal e a transporta até um cálice renal maior.
Do cálice renal maior, a urina drena para a grande cavidade chamada Pelve Renal e
depois para fora, pelo Ureter, até a bexiga urinária. O hilo renal se expande em uma
cavidade, no rim, chamada seio renal.

4
1.1.3 Néfrons

O néfron é a unidade morfofuncional ou a unidade produtora de urina do rim. Cada rim


contém cerca de 1 milhão de néfrons.

A forma do néfron é peculiar, inconfundível, e admiravelmente adequada para sua


função de produzir urina.

O néfron é formado por dois componentes principais:

1. Corpúsculo Renal:

Cápsula Glomerular (de Bowman);

Glomérulo – rede de capilares sanguíneos enovelados dentro da cápsula


glomerular

2. Túbulo Renal:

Túbulo contorcido proximal;


Alça do Néfron (de Henle);
Túbulo contorcido distal;
Túbulo coletor.

1.2 FUNÇÕES DOS RINS

Os rins realizam o trabalho principal do sistema urinário, com as outras partes do


sistema atuando, principalmente, como vias de passagem e áreas de armazenamento. Com
a filtração do sangue e a formação da urina, os rins contribuem para a homeostasia dos
líquidos do corpo de várias maneiras.

As Funções dos Rins incluem:

Regulação da composição iônica do


sangue;
Manutenção da osmolaridade do
sangue;
Regulação do volume sanguíneo;
Regulação da pressão arterial;
Regulação do pH do sangue;
Liberação de hormônios;
Regulação do nível de glicose no
sangue;
Excreção de resíduos e substâncias
estranhas.

5
2. GLÂNDULAS SUPRA-RENAIS
As glândulas supra-renais (adrenais) estão localizadas entre as faces supero-
mediais dos rins e o diafragma. Cada glândula supra-renal, envolvida por uma cápsula
fibrosa e um coxim de gordura, possui duas partes: o córtex e a medula supra-renal, ambas
produzindo diferentes hormônios.

O córtex secreta hormônios essenciais à vida, enquanto os hormônios medulares


não são essenciais para a vida. A medula da supra-renal pode ser removida, sem causar
efeitos que comprometem a vida.

A medula supra-renal secreta dois hormônios: epinefrina (adrenalina) e


norepinefrina. Já o córtex supra-renal secreta os esteroides.

3. URETER

São dois tubos que transportam a urina dos rins para a bexiga.

Órgãos pouco calibrosos, os ureteres têm menos de 6 mm de diâmetro e 25 a 30


cm de comprimento.

Pelve renal é a extremidade superior do ureter, localizada no interior do rim.


Descendo obliquamente para baixo e medialmente, o ureter percorre por diante da parede
posterior do abdome, penetrando em seguida na cavidade pélvica, abrindo-se no estio do
ureter situado no assoalho da bexiga urinária.

Em virtude desse seu trajeto, distinguem-se duas partes do ureter: abdominal e


pélvica. Os ureteres são capazes de realizar contrações rítmicas denominadas
peristaltismo. A urina se move ao longo dos ureteres em resposta à gravidade e ao
peristaltismo.

6
4. BEXIGA

A bexiga urinária funciona como um reservatório temporário para o


armazenamento da urina. Quando vazia, a bexiga está localizada inferiormente ao
peritónio e posteriormente à sínfise púbica: quando cheia, ela se eleva para a cavidade
abdominal.

É um órgão muscular oco, elástico que, nos homens situa-se diretamente anterior
ao reto.

Nas mulheres está à frente da vagina e abaixo do útero.

Quando a bexiga está cheia, sua superfície interna fica lisa. Uma área triangular
na superfície posterior da bexiga não exibe rugas. Esta área é chamada trígono da bexiga
e é sempre lisa. Este trígono é limitado por três vértices: os pontos de entrada dos dois
ureteres e o ponto de saída da uretra. O trígono é importante clinicamente, pois as
infecções tendem a persistir nessa área.
A saída da bexiga urinária contém o músculo esfíncter chamada esfíncter interno,
que se contrai involuntariamente, prevenindo o esvaziamento. Inferiormente ao músculo
esfíncter, envolvendo a parte superior da uretra, está o esfíncter externo, que controlado
voluntariamente, permitindo a resistência à necessidade de urinar.
A capacidade média da bexiga urinária é de 700 – 800 ml; é menor nas mulheres
porque o útero ocupa o espaço imediatamente acima da bexiga.

7
5. URETRA

A uretra é um tubo que conduz a urina da bexiga para o meio externo, sendo
revestida por mucosa que contém grande quantidade de glândulas secretoras de muco. A
uretra se abre para o exterior através do óstio externo da uretra.
A uretra é diferente entre os dois sexos.

As uretras masculinas e a femininas se diferem em seu trajeto. Na mulher, a uretra


é curta (3,8 cm) e faz parte exclusivamente do sistema urinário. Seu óstio externo localiza-
se anteriormente à vagina e entre os lábios menores. Já no homem, a uretra faz parte dos
sistemas urinário e reprodutor. Medindo cerca de 20 cm, é muito mais longa que a uretra
feminina. Quando a uretra masculina deixa a bexiga, ela passa através da próstata e se
estende ao longo do comprimento do pênis. Assim, a uretra masculina atua com duas
finalidades: conduz a urina e o esperma.

5.1 Uretra Masculina

A uretra masculina estende-se do orifício uretral interno na bexiga urinária até o


orifício uretral externa na extremidade do pênis. Apresenta dupla curvatura no estado
comum de relaxamento do pênis. É dividida em três porções: a Prostática,
a Membranácea e a Esponjosa, cujas as estruturas e relações são essencialmente
diferentes. Na uretra masculina existe uma abertura diminuta em forma de fenda, um
ducto ejaculatório.

5.2 Uretra Feminina

É um canal membranoso estreito estendendo-se da bexiga ao orifício externa no


vestíbulo. Está colocada dorsalmente à sínfise púbica, incluída na parede anterior da
vagina, e de direção oblíqua para baixo e para frente; é levemente curva, com a
concavidade dirigida para frente. Seu diâmetro, quando não dilatada, é de cerca de 6 mm.
Seu orifício externo fica imediatamente na frente da abertura vaginal e cerca de 2,5 cm
dorsalmente à glande do clitóris. Muitas e pequenas glândulas uretrais abrem-se na uretra.
As maiores destas são as glândulas parauretrais, cujos ductos desembocam exatamente
dentro do óstio uretral.

8
6. IMPORTÂNCIA DO SISTEMA URINÁRIO

O sistema urinário possui basicamente algumas funções no corpo: filtração e


manutenção do equilíbrio hídrico e salino. É esse sistema que produz, armazena e elimina
a urina; que regula o volume a composição química do sangue e seu volume; Garante a
manutenção do equilíbrio dos minerais no corpo humano e auxilia na regulação de
produção das hemácias (células vermelhas sanguíneas).

9
7. DOENÇAS DO SISTEMA URINÁRIO

Muitas doenças estão associadas ao sistema urinário seja nos rins ou nas vias
urinárias (ureteres, bexiga e uretra).

Doenças Renais

Nefrite
A nefrite é uma infecção dos néfrons, resultado de diversos fatores, por exemplo, a
superdosagem de medicamentos e a presença no organismo de algumas substâncias
tóxicas, como o mercúrio, o que pode lesar ou destruir os néfrons, causando dores,
redução da produção da urina, aparência turva da urina e o aumento da pressão.
Hipertensão Arterial e Problemas Renais
Quando os rins não funcionam de modo eficiente, os sais e a água em excesso se
acumulam no sangue, provocando aumento da pressão arterial. O processo de filtragem
renal nas pessoas hipertensas é deficiente, o que pode resultar no desenvolvimento de
doenças renais.

Infecções Bacterianas
Em especial a bactéria Escherichia coli, que pode penetrar no sistema urinário por meio
da uretra causando infecção bacteriana.

Doenças nas Vias Urinárias

Cálculos Renais

Esquema da formação e localização de um cálculo no rim.


Popularmente conhecido como "pedra nos rins", os cálculos renais podem se
alojar nos rins, nos ureteres ou na bexiga. São formados na medida em que ocorre alta
concentração de cálcio ou de outros tipos de sal contidos nos líquidos do organismo (no
caso a urina).
Cistite
A Cistite é uma infecção ou inflamação na bexiga urinária. O doente sente ardor
na uretra no ato de urinar e por não conseguir reter a urina, libera em pouca quantidade.
Uretite
A Uretite é uma infecção na uretra desenvolvida por bactérias que ocorre
normalmente junto com a cistite.

10
CONCLUSÃO

Depois de um longo e aturado período de estudo, chega-se a conclusão que o


sistema urinário é um dos sistemas com elevada importância na excreção humana, este
sistema está constituído por dois rins e pelas vias urinárias, formada por dois ureteres,
a bexiga urinária e a uretra.

Os rins são órgãos que se situam na parte posterior da cavidade abdominal,


localizados uns em cada lado da coluna vertebral. São de cor vermelha - escuro e têm o
formato semelhante ao de um grão de feijão e do tamanho aproximado de uma mão
fechada. Ureteres, são dois tubos de aproximadamente 20 cm de comprimento cada, que
conduz a urina dos rins para a bexiga.

Uretra, Tubo muscular, que conduz a urina da bexiga para fora do corpo. A uretra
feminina mede cerca de 5 cm de comprimento e transporta somente a urina. A bexiga, é
um órgão muscular elástico, uma espécie de bolsa, que está situada na parte inferior do
abdome com a função de acumular a urina que chega dos ureteres.

11
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Educação, M. (10 de Março de 2019). Mundo Educação. Obtido de Mundo da


educação: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/sistema-excretor.htm
Ensino, M. d. (2008). Biologia 12º Ano de Escolaridade. Porto: Porto Editores.
Filho, E. P. (2000). Anatomia Geral. Lisboa: Porto Editores.
Saraiva. (1999). Fisiologia Humana. S. Paulo: Saraiva.

12
ANEXOS

13