Você está na página 1de 27

BALANÇO DE MASSA E DE

ENERGIA
Princípios dos Processos Químicos – TF314
Listas de Exercícios

Prof. Ivanildo José da Silva Junior

2
Nota introdutória
O objetivo desta compilação de exercícios é de auxiliar e direcionar o estudante de Engenharia
Química no entendimento dos conceitos básicos, princípios e cálculos fundamentais que
envolvem os balanços de massa e de energia.

Neste material, os estudantes irão encontrar listas de exercícios sobre os seguintes temas:

1. Sistemas de unidades e conversão de unidades.


2. Variáveis de processos.
3. Balanço de massa simples.
4. Balanço de massa em unidades múltiplas.
5. Balanço de massa envolvendo reciclo, purga e desvio.
6. Balanço de massa em sistemas reacionais.
7. Sistemas monofásicos.
8. Sistemas multifásicos.
9. Balanço de energia: conceitos fundamentais e a Primeira Lei da Termodinâmica.
10. Balanço de energia em sistemas abertos e fechados.
11. Balanço de energia em dispositivos e equipamentos industriais.
12. Balanço de energia: entropia e a Segunda Lei da Termodinâmica.

Espera-se que, ao final do curso, o estudante seja capaz de:

1. Entender e explicar os conceitos de dimensão, unidades, propriedades de vapor, e a


conservação da massa e de energia.
2. Resolver problemas que envolvam balanços de massa e de energia em estado estacionário e
transiente, com ou sem reação química, assim como aqueles que envolvam múltiplas
unidades de processos, correntes de reciclo, purga e desvio.
3. Apresentar soluções aos problemas de engenharia tanto na forma oral quanto na forma
escrita de maneira clara e concisa.

Finalmente, este texto serve como um direcionamento não excluindo a consulta e


aprofundamento do assunto nos livros clássicos relativo aos assuntos aqui mencionados.

3
Lista 1
Conversão de Unidades
1. Faça a conversão dos seguintes valores:
a. 26 milhas/h para ft/s;
b. 46,8 cm5/s5⋅g para m5/dia5⋅kg;
c. 1,3 km/s para milhas/h;
d. 300 J/min para Hp;
e. 30 ft3/min2 para in3/s2.

2. Uma certa quantidade é dada como 200 ft⋅lbf/min⋅ton. Expresse-a:


a. No sistema SI;
b. No sistema CGS.

3. Uma coluna de mercúrio (massa específica = 13,6 g/cm3) tem 0,12 in de diâmetro e 2,26 ft de altura.
Calcule o peso da coluna em Newtons, em lbf e a massa em lbm.

4. Em sistemas biológicos, enzimas são utilizadas para acelerar as taxas de reações bioquímicas. Glico-
amilase é uma enzima que auxilia na conversão de amido a glicose (um açúcar que a célula utiliza como
fonte de energia). Experimentos mostram que 1µg-mol de glicoamilase em uma solução a 4% de
amido resulta em uma taxa de produção de glicose de 0,6 µg-mol mL-1 min-1. Determine a taxa de
produção de glicose par esse sistema nas unidades de lb-mol ft-3 dia-1.

5. O número de Reynolds é um importante número adimensional, dado por:


Duρ
Re =
µ
em que D é o diâmetro ou comprimento, u é alguma velocidade característica, ρ a massa específica do
fluido e µ é a viscosidade do fluido. Calcule o número de Reynolds para os seguintes casos:
1 2 3 4
D 2 in 20 ft 1 ft 2 mm
u 10 ft/s 10 milhas/h 1 m/s 3 cm/s
ρ
3 3 3
62,4 lbm/ft 1 lbm/ft 12,5 kg/m 25 lbm/ft3
µ 0,3 lbm/h⋅ft 0,14x10-4 lbm/h⋅ft 2⋅10-6 cP* 1x10-6 cP*
* 1 cP (centipoise) = 10-2 g/cm⋅s

6. Uma libra-mol de CH4 por minuto é alimentada num trocador de calor. A quanto isto corresponde em
quilogramas por segundo?

7. A equação
14 Luµ
∆p =
D2
é dimensionalmente homogênea? Caso não seja, qual a quantidade deve ser incluída no lado direito
para torna-la homogênea? Na equação acima, ∆p é a variação de pressão (lbf/ft2), 14 é uma constante
adimensional, L é o comprimento do tubo (ft), u é a velocidade do fluido (ft/s), µ é a viscosidade do
fluido (lbm/ft⋅s) e D é o diâmetro do tubo (ft).

4
8. 100 libras de água passam por uma tubulação a uma velocidade de 10,0 ft/s. Qual é a energia cinética
desta água em ft⋅lbf?

9. Qual é a energia potencial em ft⋅lbf, e em relação à superfície da Terra, de um tambor de 100 lb


colocado 10 ft acima da superfície da Terra?

10. Qual é a diferença de peso, em newtons, de um foguete de 100 kg a uma altura de 10 km acima da
superfície terrestre, em que g = 9,76 m/s2, em relação ao seu peso na superfície terrestre, em que g =
9,80 m/s2?

5
Lista 2

Variáveis de Processos
1. Quantos lb-mols e lbm de (a) H2, (b) H estão contidos em 1 lb-mol de H2O?

2. Faça as seguintes conversões:


a. 64 g de BaMnO4 em lbm;
b. 40 g de triclorobenzeno em lb-mol;
c. 120 g de NaCl em g-mol;
d. 120 g-mol de NaCl em lbm;
e. 120 lb-mol de NaCl em lbm;
f. 105 g-mol de óxido de potássio em g;
g. 6,02x1027 moléculas de etanol em kg-mol.

3. A densidade do nitrobenzeno é 1,20.


a. Calcule a massa em kg de 250 litros de nitrobenzeno;
b. Calcule a vazão volumétrica em mL/min correspondente à vazão mássica de 30 lbm de nitrobenzeno
por hora.

4. Sabe-se que as frações molar (x) e mássica (w) para o componente i são representadas pelas equações
descritas abaixo:
ni mi
xi = N wi = N
∑n
i=1
i ∑m i
i=1

Mostre que:
wi
Mi e xi M i
xi = N wi = N

∑ w i Mi
i=1
∑x M
i=1
i i

5. Calcule:
a. Quantas entidades elementares estão contidas em amostras com 50,0 kmol de CH4, 50,0 lb-mol de
H2 e 50,0 Mmol de C;
b. A quantidade de matéria equivalente a 450 kg de água.

6. Um limpador industrial de tubulações contém 5,00 kg de água e 5,00 kg de NaOH. Quais são as frações
mássica e molar de cada componente do garrafão do limpador?

7. Qual é a diferença entre pressão manométrica e absoluta? O que é vácuo? A pressão absoluta pode ser
negativa?

8. Transforme:
a. 1250 mmHg em psia;
b. 3 atm para N/cm2;
c. 100,0 cmHg para dina/m2;
d. 10 psig para mmHg (manométrica, g significa gauge);
e. 650 mmHg para metros de coluna de água (mca).

6
9. Expresse a pressão de 101.325 Pa em termos de coluna de mercúrio a 0ºC, em um local onde a
aceleração da gravidade é a normal, sabendo-se que a massa específica do mercúrio é 13.595 kg/m3 a
0ºC.

10. Expresse a mesma pressão do exercício anterior em termos de coluna de água a 4ºC, sabendo-se que a
massa específica da água a 4ºC é 1.000 kg/m3.

11. Em um dado equipamento, o manômetro acusa um vácuo de 608 mmHg em um local onde a pressão
barométrica é 100,24 kPa. Calcule a pressão absoluta que opera o equipamento.

12. Ao medir a vazão de fluido numa tubulação, pode ser usado um manômetro diferencial para
determinação da diferença de pressão numa placa de orifício. A vazão pode ser calibrada com a queda
de pressão observada. Calcule a queda de pressão p1 – p2 em Pa.

13. O que é temperatura absoluta? Quais as escalas (unidades) que expressam este tipo de medida? Qual o
significado físico do zero absoluto de temperatura?

14. Calcule as temperaturas para todas as escalas a partir do valor dado:

(a) (b) (c) (d) (e) (f) (g) (h)


ºF 140 1000
ºR 500 1000
K 298 1000
ºC -40 1000

15. O volume de uma barra de ferro varia com a temperatura de acordo com a equação abaixo:
V (cm 3 ) = 100 + 3,55 × 10 −3 T ( o C)
a. Quais as unidades de 100 e 3,55x10-3?
b. Calcule o volume da barra em (in3) a uma temperatura de 212ºF.
c. Obtenha uma equação para V (in3) em função de T (ºF)

7
ESTRATÉGIA PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE BALANÇO DE MASSA

1. Formar um diagrama de blocos detalhado do processo.

2. Escolha o sistema, identifique suas fronteiras e então decida se o sistema é aberto ou fechado.
Escreva a sua decisão sobre essa questão. Altere-a no caso de sua decisão original mostrar-se fraca.
Delimite as fronteiras com linha tracejada.

3. Decida se o sistema está em estado estacionário ou em estado transiente. Anote sua decisão.

4. Quantificar todas as correntes conhecidas, bem como seus constituintes rotulando com símbolos
as vazões e, para cada componente, as composições associadas.

5. Reunir informações adicionais (complementares).

6. Escolher a base de cálculo para iniciar os balanços.

7. Escreva o balanço de massa para o sistema (um para cada sistema, se você estiver tratando de
múltiplos sistemas), juntamente com outras equações pertinentes.

8. Simplifique o balanço de massa tanto quanto possível, usando informações do enunciado do


problema e hipóteses razoáveis baseadas na sua compreensão acerca do processo.

9. Faça uma análise de graus de liberdade incluindo o balanço de massa como uma nova equação.

10. Checar os cálculos.

8
Lista 3

Balanço de massa em sistemas abertos e fechados


1. Uma unidade industrial de verniz tem que entregar 1000 lbm de uma solução de nitrocelulose a 8%.
Eles têm em estoque a solução a 5,5%. Quanto de nitrocelulose seca deve ser dissolvido na solução para
atender ao pedido? Resposta: 27 lbm

2. Para preparar uma solução de 50% de ácido sulfúrico, um rejeito ácido diluído contendo 28% de H2SO4
é reforçado com um ácido sulfúrico comercial contendo 96% de H2SO4. Quantos quilogramas de ácido
devem ser comprados para cada 100 kg de ácido diluído? Resposta: 47,8 kg de ácido

3. Uma solução aquosa de decapagem (retirada de película metálica deposita) contendo 8,8% de KI está
sendo preparado para decapar ouro em placas de circuito impresso. A solução desejada deve ser
preparada pela combinação de uma solução forte (12% de KI e 3% de I2 em H2O) com uma solução fraca
(2,5% de KI e 0,625% de I2 em H2O). Qual deve ser o valor de R, a razão entre as massas de solução
forte e fraca para fazer a solução de decapagem desejada? Qual será a concentração de I2 na solução final?
Resposta: R = 1,97; concentração de I2 = 2,2%

4. Uma solução ácida com 60 % de H2SO4, 20% de HNO3 e 20% de H2O deve ser obtida pela mistura das
seguintes soluções: S1 = 60% de H2SO4, 10% de HNO3 e 30% de H2O; S2 = 90% de HNO3 e 10% de
H2O; S3 = 95% de H2SO4 e 5% de H2O. Calcule a massa de cada solução a ser misturada para se obter
1000 kg da solução. Resposta: S1 = 568,2 kg; S2 = 159,1 kg, S3 = 272,7 kg

5. Água entra em um tanque de 2 litros a uma taxa de 3,0 g/s e é retirada a uma taxa de 5,0 g/s. O tanque
inicialmente contém água pela metade.
a. Este processo é batelada, contínuo ou semi-contínuo?
b. Escreva um balanço de massa para este processo, sendo m(t) a massa dentro do tanque no tempo t.
Identifique os termos da equação geral.
c. Escreva a equação resultante e determine quanto tempo será necessário para esvaziar completamente
o tanque.

6. Uma solução aquosa contém 25% em massa de sal. Calcule:


a. O teor de sal na solução se for evaporados 40% de água originalmente presente;
b. O teor de sal na solução, se a massa de água evaporada equivale a 40% da massa original;
c. A porcentagem de água evaporada da solução, se a solução final contiver 40% de sal.

7. Deseja-se separar por destilação uma mistura (F) cuja composição (wF %) é: “a” = 50%, “b” = 30% e “c”
= 20%. O destilado (ou produto de topo) deve ter uma razão em quantidade de matéria destilada/carga
(D/F) = 0,60 e uma composição (wD %) igual a: “a” = 80%, “b” = 18% e “c” = 2%. Calcule:
a. A razão de quantidade de matéria resíduo/carga (B/F);
b. A composição wB % do resíduo (B);
c. A recuperação do componente “a” no destilado (D) e a do “c” no resíduo (B).

9
Lista 4

Balanço de massa em unidades múltiplas


1. (Petrobras Transporte S/A - 2006) Observe o fluxograma abaixo.

O fluxograma ilustra um processo contínuo no estado estacionário, contendo duas unidades. Cada
corrente contém dois componentes (A e B), em diferentes proporções. Três correntes cujas vazões e/ou
composições não são conhecidas são rotuladas de 1, 2 e 3. A vazão da corrente 3 (em kg/h) e a
composição de A, nesta mesma corrente (em kg A/kg), são, respectivamente:
a. 40; 0,083
b. 40; 0,917
c. 60; 0,083
d. 60; 0,917
e. 100; 0,500

2. Acetona é usada na fabricação de muitos produtos químicos e também como solvente. Neste último
caso, muitas restrições são colocadas na liberação do vapor de acetona para o ambiente. Pediram para
você projetar um sistema de recuperação de acetona, tendo o fluxograma ilustrado na figura abaixo.
Todas as concentrações de gases e líquidos, ali mostradas, são especificadas em percentagem em peso,
nesse caso especial, para tornar os cálculos mais simples. Calcule A, F, W, B e D por hora, sabendo que G
= 1400 kg/h.

10
3. Uma mistura líquida contendo 30,0% molar de benzendo (B), 25,0% de tolueno (T) e o resto de xilenos
(X) alimenta uma coluna de destilação. O produto de fundo contém 98,0% molar de X e nenhum B, e
96,0% do X na alimentação são recuperados nesta corrente. O produto de topo alimenta uma segunda
coluna. O produto de topo da segunda coluna contém 97,0% do B contido na alimentação desta coluna.
A composição desta corrente é 94,0% molar de B e o resto de T.
a. Desenhe e rotule um diagrama de fluxo para este processo e faça uma análise dos graus de liberdade
para provar que, para uma base admitida de cálculo, as vazões molares e composições de todas as
correntes de processo podem ser calculadas com a informação dada. Escreva em ordem as equações
que você resolveria para calcular as variáveis desconhecidas do processo. Em cada equação (ou par de
equações simultâneas), marque as variáveis para as quais você as resolveria. Não faça nenhum cálculo.
b. Calcule (i) a percentagem do benzeno na alimentação do processo (quer dizer, a alimentação da
primeira coluna) que sai no produto de topo da segunda coluna e (ii) a percentagem do tolueno na
alimentação do processo que sai no produto de fundo da segunda coluna.

4. Um vapor com fração em massa: propano (30%), n-butano (30%) e n-pentano (40%) é carga de uma
torre de destilação. O teor mínimo de propano no destilado deve ser 65% em massa. O destilado será
enviado para outra torre em que a recuperação do propano deve ser 96%. Calcule:
a. A vazão mássica de carga da primeira torre de destilação para se produzir 10 ton/dia de
propano no destilado da segunda torre, se a relação destilado/carga da primeira torre corresponde a
40% em massa;
b. A recuperação do propano em relação à carga da primeira torre.

5. Água do mar contendo 3,5% (massa) passa por uma série de 10 evaporadores. Aproximadamente,
quantias iguais de água são evaporadas em cada uma das 10 unidades, que são condensadas para formar
uma corrente de água limpa. O produto de fundo do último evaporador contém 5% de sal. Se 30.000
kg/h de água do mar forem alimentados no processo, calcule a fração de água limpa produzida e a
porcentagem de sal no produto de fundo do quarto evaporador.

11
Lista 5

Balanço de massa envolvendo reciclo, purga e desvio


1. Uma coluna de destilação separa 10.000 kg/h de uma mistura de benzeno-tolueno 50%-50%. O
produto recuperado no condensador, no topo da coluna, contém 95% de benzeno, e a cauda contém
96% de tolueno. A corrente de vapor que entra no condensador pelo topo da coluna registra 8.000
kg/h. Uma parte do produto é retornada à coluna como refluxo, e o restante são recolhidos para uso
industrial. Suponha que as composições das correntes no topo da coluna (V), do produto recolhido (D), e
do refluxo (R) sejam idênticas. Encontre a razão R/D.

2. A alimentação fresca de um processo de preparação de soda (NaOH) em escamas, que é usada em lares
para desentupir ralos, corresponde a 10.000 lb/h de uma solução aquosa 40% de NaOH. A alimentação
fresca é combinada com o filtrado reciclado do cristalizador e alimentada para o evaporador, onde a água
é removida para produzir uma solução de 50% de NaOH que, por sua vez, alimenta o cristalizador. O
cristalizador produz uma torta de filtração que contém 95% de cristais de NaOH e 5% de uma solução
que consiste em 45% de NaOH.
a. Desenhe o fluxograma do processo e rotule todas as correntes;
b. Determine a taxa de escoamento da água removida pelo evaporador e a taxa de reciclo desse
processo;
c. Considere a mesma taxa de produção de NaOH em escamas, porém o filtrado não é reciclado. Qual
seria então a taxa total de alimentação de 40% de NaOH? Considere que a corrente de saída do
evaporador ainda contém 50% de NaOH.

3. Água do mar deve ser dessalinizada por osmose reversa. Para uma taxa de alimentação de 1000 lb/h de
água do mar contendo 3,1% de sal (em peso) é produzido água dessalinizada com apenas 500 ppm de sal
e o rejeito de salmoura contendo 5,25% de sal. Parte do rejeito de salmoura é reciclada e a corrente de
entrada na célula de osmose reversa contém 4,0% de sal. Pede-se:
a. A taxa de remoção da salmoura residual;
b. A taxa de produção de água dessalinizada (chamada de água potável);
c. A quantidade de salmoura que sai da célula de osmose reversa (que atua, em essência, como um
separador) e que é reciclada.

4. Na seção de preparo de carga de uma indústria produtora de gasolina, isopentano é removido de uma
gasolina isenta de butano. Considere, para simplificar, que o processo e seus componentes são os
mostrados na figura abaixo. Qual é a fração de gasolina isenta de butano que é percolada pela torre de
isopentano?

Corrente secundária de isopentano


Debutanizador (S)

Torre de isopentano
(x)
Carga isenta n-C5H12 (2) Para a planta de
(F) 100 de butano
gasolina natural
80% n-C5H12 (1) (P)
20% i-C5H12

12
5. O suco de laranja integral contém 12% em massa de sólidos, sendo o restante de água, enquanto que o
suco de laranja concentrado contém 42% em massa de sólidos. Inicialmente, usava-se um processo de
evaporação simples para a concentração, mas os constituintes voláteis do suco escapam com o vapor de
água, deixando o concentrado sem gosto. O processo atual resolve o problema desviando uma fração do
suco integral do evaporador. O suco que entra no evaporador é concentrado até 58% de sólidos e o
produto é depois misturado com o suco integral desviado para atingir a concentração de sólidos desejada.
a. Desenhe e rotule o fluxograma do processo, desprezando a vaporização de qualquer coisa que não
seja água. Prove primeiro que o subsistema contendo o ponto onde a corrente de desvio se separa da
corrente de alimentação tem um grau de liberdade. Faça depois a análise dos graus de liberdade para
o sistema global, o evaporador e o ponto de mistura do produto do evaporador com a corrente
desviada, e escreva em ordem as equações que você usaria para determinar as incógnitas. Em cada
equação, marque a variável para a qual você resolveria.
b. Calcule a quantidade de produto (concentrado 42%) produzido por cada 100 kg de suco integral que
alimentam o processo e a fração da alimentação que é desviada do evaporador.
c. A maior parte dos ingredientes voláteis que dão sabor estão contidos no suco integral que se desvia do
evaporador. Você pode obter mais destes ingredientes evaporando (digamos) até 90% de sólidos em
vez de 58%; você pode então desviar uma fração maior de suco integral e obter assim um produto de
melhor sabor. Sugira possíveis desvantagens desta proposta.

6. Na produção de óleo de soja, grãos de soja contendo 13% em massa de óleo e 87% de sólidos são
moídos e vertidos em um tanque agitado (extrator), junto com uma corrente reciclada de n-hexano
líquido. A razão de alimentação é de 3 kg de hexano/kg de grãos moídos. Os grãos moídos são suspensos
no líquido, e praticamente todo o óleo nos grãos é extraído pelo hexano. O efluente do extrator passa
para um filtro. A torta do filtro contém 75% em massa de sólidos e o resto é óleo e hexano, na mesma
razão com que saem do extrator. A torta de filtro é descartada e o filtrado líquido é vertido em um
evaporador, no qual o hexano é vaporizado e o óleo permanece como líquido. O óleo é armazenado em
tambores e comercializado. O vapor de hexano é subsequentemente esfriado e condensado, e o hexano
líquido é reciclado para o extrator.
a. Desenhe e rotule o fluxograma do processo, faça uma análise dos graus de liberdade e escreva em
uma ordem eficiente as equações que você resolveria para determinar todas as incógnitas, indicando
as variáveis para as quais você resolveria as equações.
b. Calcule o rendimento de óleo de soja (kg óleo/kg grãos fornecidos), a alimentação virgem de hexano
requerida (kg C6H14)/kg grãos fornecidos), e a razão do reciclo para a alimentação virgem (kg de
C6H14/kg alimentação virgem).
c. Foi sugerida a adição de um trocador de calor ao processo. Esta unidade consistiria em um feixe de
tubos metálicos paralelos contidos em uma carcaça. O filtrado líquido passaria do filtro para o
interior dos tubos e depois para o evaporador. O vapor de hexano quente, no seu caminho do
evaporador para o extrator, passaria pela carcaça e por entre os tubos, aquecendo o filtrado. De que
forma a inclusão desta unidade levaria a uma redução nos custos operacionais do processo?

13
Lista 6

Balanço de massa com reação química


1. Amônia sofre combustão para formar ácido nítrico através da seguinte reação:
4NH3 + 5O2 4NO + 6H2O. Calcule as seguintes quantidades:
a. Mol de NO produzido por mol de O2 reagido;
b. O fluxo molar de oxigênio correspondente a uma alimentação de NH3 de 50 lb/h, se os reagentes são
alimentados em proporções estequiométricas;
c. A massa de NO produzida se 200 kg de amônia e 200 kg de oxigênio reagem e a reação é completa.

2. Etano é queimado com oxigênio para formar dióxido de carbono e água. 100 moles/h de cada reagente
são alimentados em um forno. Determine:
a. A razão estequiométrica entre oxigênio e o etano;
b. O reagente limitante;
c. A porcentagem em que o outro está em excesso.

3. A reação entre etileno é ácido bromídrico para formar etil-bromato acontece num reator contínuo. A
corrente de produto é analisada e encontra-se que contém 50% em moles de C2H5Br e 33,3% em moles
de HBr. A alimentação contém somente etileno e ácido bromídrico. Calcule a fração de conversão do
reagente limitante e a porcentagem em excesso do outro.

4. As reações de obtenção do cloreto de alila são descritas abaixo:


Cl2 (g) + C3H6 (g) C3H5Cl (g) + HCl (g)
Cl2 (g) + C3H6 (g) C3H6Cl2 (g)

C3H6 é o propileno (propeno) (MM = 42,08)


C3H5Cl é o cloreto de alila (3-cloropropeno) (MM = 76,53)
C3H6Cl2 é o cloreto de propileno (1,2-dicloropropano) (MM = 112,99)

As espécies recuperadas após as reações ocorreram por um certo período de tempo e estão listadas na
tabela abaixo.

Espécie g mol
Cl2 141,0
C 3 H6 651,0
C3H5Cl 4,6
C3H6Cl2 24,5
HCl 4,6

Baseando-se nessa distribuição de produtos e admitindo que não havia cloreto de alila na alimentação do
reator, calcule o seguinte:
a. Quanto foi alimentado de Cl2 e C3H6 ao reator em g mol?
b. Qual é o reagente limitante?
c. Qual é o reagente em excesso?
d. Qual é a conversão fracionária de C3H6 em C3H5Cl?
e. Qual é a seletividade de C3H5Cl em relação a C3H6Cl2?
f. Qual é o rendimento em C3H5Cl expresso em g de C3H5Cl por g de C3H6 alimentado no reator?
g. Qual é a extensão de reação para a primeira e para a segunda reação?

14
5. A cloração de metano ocorre de acordo com a seguinte reação

CH4 + Cl2 CH3Cl + HCl

Pede-se que você determine a composição do produto, sabendo que a conversão do reagente limitante é
de 67% e que a composição da alimentação em % molar corresponde a 40% CH4, 50% Cl2 e 10% N2.
Resolver tanto por extensão de reação quanto por balanço atômico.

6. Um biorreator é um vaso no qual uma conversão biológica ocorre envolvendo enzimas, microrganismos
e/ou células animais ou vegetais. Na fermentação anaeróbica de cereais, a levedura Saccharomyces
cerevisiae digere glicose (C6H12O6) proveniente dos grãos para formar etanol (C2H5OH) e ácido
propenóico (C2H3CO2H) pelas seguintes reações globais:

Reação 1: C6H12O6 2 C2H5OH + 2CO2


Reação 2: C6H12O6 2 C2H3CO2H + 2H2O

Em um processo batelada, o fermentador é carregado com 4000 kg de uma solução de glicose a 12% em
água. Após a fermentação, 120 kg de CO2 foram produzidos, permanecendo no mosto 90 kg de glicose
não convertida. Quais são as porcentagenes (em massa) de etanol e ácido propenóico existentes no
mosto ao final do processo de fermentação? Admita que não houvesse assimilação de glicose pela
levedura.

7. Ciclohexano (C6H12) pode ser produzido pela reação de benzeno (C6H6) com hidrogênio. Determine a
razão entre a corrente de reciclo e a corrente de alimentação fresca, se a conversão global do benzeno
for de 95% e a conversão para uma única passagem for de 20%. Considere que um excesso de 20% de
hidrogênio seja usado na alimentação fresca e que a composição molar da corrente de reciclo seja
22,74% de benzeno e 78,26% de hidrogênio.

8. 120 kmol de propano são alimentados em uma fornalha juntamente com 4284 kmol de ar. O propano
não sofre combustão total, portanto apenas parte deste é transformada em CO e CO2. Se possível,
calcule a porcentagem de ar em excesso fornecida à fornalha a partir dos dados fornecidos. Se forem
necessárias informações adicionais, faça então as hipóteses necessárias para resolução do problema.

9. Metanol líquido é alimentado a um aquecedor de ambiente, a uma taxa de 10 litros/h e é queimado com
excesso de ar. O produto gasoso é analisado e as seguintes porcentagens molares em base seca são
determinadas: CH3OH = 0,84%; CO2 = 7,10%; CO = 2,40%.
a. Calcule a conversão do metanol, a porcentagem de ar em excesso alimentado e a quantidade de água
(mols/h) no produto;
b. Suponha que os produtos da combustão são liberados diretamente para o ambiente onde está
instalado o equipamento. Que problemas você pode identificar com o processo e qual a solução que
pode ser proposta?

15
Lista 7

Sistemas monofásicos
1. Os gases reais exibem desvios em relação às leis dos gases ideais (gases perfeitos). Como base nas
suposições adotadas para descrever o comportamento ideal de um gás discorra sobre os fenômenos que
causam estes desvios do comportamento ideal.

2. Estime o volume molar do CO2, a 500 K e 100 atm, admitindo que o gás se comporte como um gás de
van der Waals.

3. Determine o volume molar do n-butano a 510 K e 25 bar, através dos seguintes procedimentos:
a. Equação do gás ideal;
b. Equação do fator de compressibilidade.

4. Qual pressão é gerada quando 1 lbmol de metano é armazenado em um volume de 2 ft3 a 122 ºF? Tome
como base para os cálculos cada uma das seguintes opções:
a. Equação do gás ideal;
b. Equação de Redlich-Kwong;

5. Calcule a pressão de vapor da água a uma temperatura de 500 ºC e uma densidade de 24 kg/m3,
usando:
a. A equação do gás ideal;
b. A equação de van der Waals;
c. Equação de Redlich-Kwong;
d. O fator de compressibilidade;
e. A tabela de vapor.

6. Um gás a 250 K e 12 atm tem o volume molar 12% menor do que o calculado pela lei dos gases ideais.
Calcule (a) o fator de compressibilidade nestas condições e (b) o volume molar do gás. Que forças são
dominantes no gás, as atrativas ou as repulsivas?

7. Um gás a 350 K e 12 atm tem o volume molar 12% maior do que o calculado pela lei dos gases ideais.
Calcule (a) o fator de compressibilidade nestas condições e (b) o volume molar do gás. Que forças são
dominantes no gás, as atrativas ou as repulsivas?

8. Num processo industrial, o nitrogênio é aquecido a 500 K num vaso de volume constante igual a 1 m3.
O gás entra no vaso a 300 K e 100 atm. A massa do gás é 92,4 kg. Use a equação de van der Waals para
determinar a pressão aproximada do gás na temperatura de operação aproximada do gás na
temperatura de operação de 500 K. Para o nitrogênio, a = 1,408 L2 atm mol-2 e b = 3,91x10-2 L mol-1.

9. Os cilindros de gás comprimido são cheios, nos casos comuns, até a pressão de 200 bar. Qual seria o
volume molar do oxigênio, nesta pressão e a 25 ºC, com base na equação (a) dos gases perfeitos e (b)
de van der Waals? Para o oxigênio, a = 1,364 L2 atm mol-2 e b = 3,19x10-2 L mol-1.

10. Um tanque cilíndrico contendo 4,0 kg de gás monóxido de carbono a –50 ºC possui um diâmetro
interno de 0,2 m e um comprimento de 1 m. Determine a pressão, em bar, exercida pelo gás usando
(a) a equação de estado de gás ideal e (b) a equação de estado de van der Waals. Compare os resultados
obtidos.

16
Propriedades críticas: PC = 34,5 (atm); TC = 133,0 (K); v)C = 93 (cm3/g mol)

11. Calcule o volume ocupado por 10 kg de butano a 50 bar e 60ºC usando a equação de Redlich-Kwong e
as tabelas de compressibilidade generalizada baseadas na Equação de Estado de Lee-Kesler.

Dados adicionais:
z = z0 + ωz1
ω = 0,199; Pc = 39,8 bar e Tc = 345,2 K
Gráficos z0 e z1 em função de Pr

12. Amônia a 100ºC e 150 kPa é queimada com 20% de excesso de O2

4NH3 + 5O2 4NO + 6H2O


A reação é 80% completa. O NO é separado da amônia e água, sendo NH3 reciclada, conforme
mostrado na figura abaixo. Calcule o volume em m3 de NH3 reciclada a 150ºC e 150KPa por m3 de
NH3 alimentada a 100ºC e 150 kPa.

13. Ácido acético (HAc) pode ser gerado pela adição de 10% de excesso de ácido sulfúrico a acetato de
cálcio (Ca(Ac)2). A reação:

Ca(Ac)2 + H2SO4 CaSO4 + 2HAc

é 90% completa em uma única passagem pelo reator. O Ca(Ac)2 não usado é separado dos produtos da
reação e reciclado. O HAc é separado dos produtos restantes. Encontre a quantidade de reciclo por
hora, baseado em 1000 kg de alimentação de Ca(Ac)2 por hora. Calcule também quantos quilos de
HAc são fabricados por horas.

17
Lista 8

Sistemas multifásicos
1. Determine a solubilidade molar (a solubilidade em moles por litro) do oxigênio em água a 25 ºC e sob a
pressão parcial de 160 torr, que é a pressão parcial do oxigênio na atmosfera ao nível do mar.

2. Ensaios de laboratório revelam que a solubilidade do dióxido de carbono, em termos de fração molar,
em um hidrocarboneto não volátil, é igual a 5x10-3 a 105 Pa e 330 K. Calcule a solubilidade do dióxido
de carbono nesse hidrocarboneto a 5x106 Pa e 330 K. Admita que a fase vapor se comporte como gás
ideal e que a Constante de Henry independa da pressão.

3. As pressões de vapor de cada componente nas soluções de propanona (acetona, A) e tricolorometano


(clorofórmio, C) foram medidas a 35 ºC e os resultados obtidos são os seguintes:

xC 0,0 0,20 0,40 0,60 0,80 1,00


pC (torr) 0 35 82 142 200 273
pA (torr) 347 250 175 92 37 0

Verifique que as soluções se comportam de acordo com a lei de Raoult para o componente que estiver
em grande excesso e de acordo com a lei de Henry para o componente minoritário. Ache as constantes
da lei de Henry.

4. Uma solução líquida, contendo 30% molar de n-pentano (1) e 70% molar de n-heptano (2), encontra-se
em equilíbrio de fases com o seu vapor a 50 oC.

a. Calcule o fator Ki = yi/xi para os dois componentes nas condições acima, em que yi = fração molar do
componente i na fase vapor, e xi = fração molar do componente i na fase líquida. Admita que a
solução líquida seja ideal e que a pressão do sistema seja suficientemente baixa para que sejam
desprezadas correções nas fases líquida e vapor. As pressões de vapor são dadas pelas expressões
abaixo, nas quais p*i encontra-se expressa em kPa e T em K:

n-pentano: ln (p*1) = 13,8183 – 2.477,07 / (T – 39,94)


n-heptano: ln (p*2) = 13,8587 – 2.911,32 / (T – 56,51)

b. Discuta a pertinência da hipótese de solução líquida ideal admitida em no item (a).

5. Considere uma mistura binária de n-hexano (1) e n-heptano (2), que está em equilíbrio na temperatura
de 60 oC. Análises da composição na fase líquida revelam que x1 = x2 = 0,5. Sabendo-se que
determinações experimentais são onerosas no aspecto custo-tempo, e algumas vezes não são possíveis,
responda as seguintes questões:
a. Que informação seria necessário para calcular a pressão que seria lida no manômetro, sem que haja
necessidade de medidas experimentais?
b. Como poderia ser conhecida a composição da fase vapor?

6. Considerando a mistura do problema anterior e que a composição da fase líquida em equilíbrio é mais
uma vez x1 = x2 = 0,5; mas a pressão de 300 mmHg. Quais seriam a temperatura do sistema e a
composição da fase vapor, mais uma vez sem que haja necessidade de determinação experimental?

18
7. Considere a mistura dos problemas anteriores, e que mais uma vez a temperatura é de 60 oC.
Conhecendo a composição da fase vapor (y1 = 0,731 e y2 = 0,269), pede-se:
a. Qual é a pressão total do sistema?
b. Qual é a composição da fase líquida?

8. Assumindo agora que a pressão e as composições da fase vapor estejam especificadas (p = 300 mmHg; y1
= 0,738; y2 = 0,262), deseja-se saber:
a. A temperatura na qual a primeira gota aparecerá.
b. A composição da gota.

Dados:
Bi
• Constantes da Equação de Antoine: ln p *i = A i −
T + Ci
Composto A B C Faixa de T (K)
n-hexano 15,8366 2697,55 -48,78 245 - 370
n-heptano 15,8737 2911,32 -56,71 270 - 400

9. Considere um sistema líquido contendo 30% de n-pentano (1), 30% de ciclohexano (2), 20% de n-
hexano (3) e 20% de n-heptano (4), a 1 bar.
a. Determine a temperatura na qual a primeira bolha de vapor é formada. Qual é a composição do
vapor?
b. Determine a temperatura na qual a primeira gota de líquido se condensa. Qual é a composição do
líquido?
c. A partir dos resultados obtidos, comente sobre a facilidade (ou dificuldade) em separar por
destilação os componentes n-pentano e n-heptano.

Dados:
Bi
• Constantes da Equação de Antoine: ln p *i [bar ] = A i −
T [K ] + C i

Componentes n-C5H12 C6H12 n- C6H14 n-C7H16


Ai 9,2131 9,1325 9,2164 9,2535
Bi 2477,07 2766,63 2697,55 2911,32
Ci -39,94 -50,50 -48,78 -56,51

10. Os seguintes dados de temperatura e composição foram obtidos para o equilíbrio líquido-vapor de
soluções de octano (O) e metilbenzeno (M), a 760 torr. A fração molar da solução líquida é x e no
vapor em equilíbrio é y.

T 110,9 112,0 114,0 115,8 117,3 119,0 121,1 123,0


o
( C)
xM 0,908 0,795 0,615 0,527 0,408 0,300 0,203 0,097
yM 0,923 0,836 0,698 0,624 0,527 0,410 0,297 0,164

O ponto de ebulição do metilbenzeno é 110,6 oC e do octano, 125,6 oC. Plote o diagrama da


temperatura contra a composição do sistema. Qual a composição do vapor em equilíbrio com a solução
líquida que tem (a) xM = 0,25 e (b) xO = 0,25?

11. Propõe-se a separação de uma mistura equimolar de acetona e clorofórmio por meio da operação
unitária de destilação clássica (separação dos constituintes da mistura em duas correntes: topo e fundo
da coluna). Para realizar tal estudo, foram obtidos dados de equilíbrio para o sistema na temperatura de

19
50 ºC (considerada a temperatura média da coluna de destilação), tendo-se obtido os resultados
mostrados abaixo. Pede-se:
a. Representação do diagrama p versus x e pversus y;
b. Análise do comportamento da mistura de acetona e clorofórmio quando comparada à Lei de Raoult;
c. Análise da possibilidade de realização da operação unitária supramencionada.

Dados/Informações Adicionais:

Planilha dos dados de ELV para o sistema acetona (1) + clorofórmio (2) à temperatura de 50 ºC.
p (kPa) x y
69,38 0,000 0,000
66,11 0,104 0,066
63,07 0,198 0,153
61,25 0,298 0,269
60,60 0,401 0,414
62,01 0,502 0,562
64,53 0,591 0,676
68,29 0,695 0,793
72,75 0,797 0,879
77,13 0,865 0,946
81,75 1,000 1,000

• Constantes da Equação de Antoine: ln p* = A – B/(T + C), p* em mmHg e T em K

Composto Ai Bi Ci
Acetona 16,6513 2940,46 -35,93
Clorofórmio 15,9732 2696,79 -46,16

• Pressão de vapor para misturas líquidas – Lei de Raoult: P = ∑ (p*i xi) em que p*i é a pressão de
vapor do constituinte i na temperatura de operação, e xi é a fração molar de i na fase líquida.

• Composição do vapor – Lei de Dalton: pi = p*ix em que pi é a pressão parcial de um dado


constituinte na fase gasosa. A fração molar da fase gasosa é dada por: yi = pi/P em que yi é a fração
molar da fase gasosa.

• Coeficiente de distribuição: Ki = yi/xi

• Volatilidade relativa: αij = Ki/Kj em que αij é a volatilidade relativa.

12. O 1-butanol e o clorobenzeno formam um sistema onde existe um azeotropo de mínimo. As frações
molares do 1-butanol nas fases líquida (x) e vapor (y), em equilíbrio a 1 atm, em diferentes
temperaturas, são apresentados na tabela a seguir (H. Artigas, C. Lafuente, P. Cea, F. M. Royo e J. S.
Urieta, J. Chem. Eng. Data 42, 132 (1997)). O ponto de ebulição do clorobenzeno puro é 404,86 K.
Pede-se:
a. Com os dados da tabela, construa a parte do diagrama de fases na região rica em clorobenzeno.
b. Estime a temperatura do início da ebulição de uma solução com a fração molar de 0,300 no
butanol.
c. Dê as composições e abundâncias relativas das duas fases presentes, a 393,94 K, resultantes do
aquecimento de uma solução que inicialmente tinha uma fração molar de 1-butanol igual a 0,300.
d. Explique, em termos de interações moleculares, por que a solução entre 1-butanol e clorobenzeno
forma um azeotrópo de mínimo.

20
13. Uma corrente de alimentação de um líquido comprimido, que contém uma mistura equimolar de n-
heptano e n-hexano, flui na vazão F para dentro de uma unidade flash. No estado estacionário, 33,3%
do fluxo de alimentação são vaporizados e saem do tanque como um fluxo de vapor, com vazão V. O
restante sai como líquido, com vazão L. Se a temperatura de flash é 20 oC, qual é a pressão necessária?
Quais são as composições dos fluxos de saída do líquido e do vapor?

21
ESTRATÉGIA PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS DE BALANÇO DE
ENERGIA

1. Escolha o sistema, identifique suas fronteiras e então decida se o sistema é aberto ou fechado.
Escreva a sua decisão sobre essa questão. Altere-a no caso de sua decisão original mostrar-se fraca.

2. Decida se o sistema está em estado estacionário ou em estado transiente. Anote sua decisão.

3. Escreva o balanço de energia para o sistema (um para cada sistema, se você estiver tratando de
múltiplos sistemas), juntamente com outras equações pertinentes.

4. Simplifique o balanço de energia tanto quanto possível, usando informações do enunciado do


problema e hipóteses razoáveis baseadas na sua compreensão acerca do processo.

5. Faça uma análise de graus de liberdade incluindo o balanço de energia como uma nova equação
(isso poderá demandar a inclusão simultânea de mais de uma nova variável), além dos balanços de massa.

6. Escolha o estado de referência para os cálculos de propriedades através (normalmente) da


especificação de temperatura e pressão, embora outras coordenadas possam ser usadas em substituição.

7. Baseando-se no estado de referência escolhido, obtenha as propriedades físicas necessárias (T, p,


Ĥ ,Û ,V̂ ) e acrescente os valores destas aos dados no esboço do processo. Certifique-se de incluir as
mudanças de fase.

8. Resolva o balanço de energia isoladamente ou em conjunto com os balanços materiais.

TABELAS E DIAGRAMS PARA OBTENÇÃO DE VALORES DE ENTALPIA

1. Os valores de entalpia são sempre relativos a algum estado de referência.

2. Tabelas de vapor incluem dados de transição de fase e efeitos de pressão nas entalpias.

3. Na região de coexistência de duas fases só estarão listados os valores para líquido saturado e vapor
saturado. Você terá que interpolar entre esses valores de líquido saturado e vapor saturado para obter
propriedades de mistura de vapor com líquido.

4. Para líquidos comprimidos (sub-resfriados), você poderá usar valores de propriedades de líquido
saturado na mesma temperatura com boa aproximação.

22
Lista 9

Balanço de energia: conceitos fundamentais e 1ª Lei da Termodinâmica


1. Um gás é contido em um cilindro dotado de um pistão que pode se mover sem atrito. Um peso colocado
sobre o pistão garante uma pressão total exercida sobre o gás de 200 kPa. Inicialmente, o gás ocupa o
volume de 0,02 m3, quando calor na quantidade de 25 kJ é fornecido ao gás, aquecendo-o e fazendo-o
expandir até o volume de 0,05 m3 à pressão constante (o peso é mantido sobre o pistão). Calcule:
a. O trabalho exercido pelo gás sobre as vizinhanças;
b. A variação de energia interna do sistema.

2. Calcule a energia liberada quando uma garrafa plástica de 2 litros contém ar a 300 K e 11,5 bar de
pressão manométrica explode.

3. Um quilograma de vapor com um título de 20% é aquecido a uma pressão constante de 200 kPa até a
temperatura de alcance 400 ºC. Calcule o trabalho realizado pelo vapor usando tabelas de vapor.

4. Um cilindro de 110 mm de diâmetro contém 100 cm3 de água a 60 ºC. Um pistão de 50 kg está
posicionado sobre a água. Se for aquecido até que a temperatura alcance 200 ºC calcule o trabalho
realizado suando as tabelas de vapor.

5. Uma massa de 100 kg cai 3 m, resultando no aumento de volume de um cilindro de 0,002 m3. O peso W
e o pistão mantêm uma pressão manométrica constante de 100 kPa. Determine o trabalho realizado pelo
gás no meio. Desconsidere o atrito.

6. Um volume rígido fechado contém 6 ft3 de vapor inicialmente a uma pressão de 400 psia e a uma
temperatura de 900 ºF. Estime a temperatura final se 800 Btu são adicionados por calor.

7. Um pistão sem atrito é usado para manter uma pressão constante de 400 kPa em um cilindro contendo
vapor inicialmente a 200 ºC com volume de 2 m3. Calcule a temperatura final se 3.500 kJ de calor são
fornecidos.

23
Lista 10

Balanço de energia em sistemas abertos e sistemas fechados


Balanço de energia em dispositivos e equipamentos
1. Água quente (80 oC) de uma chaleira e usada para encher uma xicara perfeitamente isolada com isopor.
Aplique a equação geral a xicara para calcular a temperatura fina da água dentro dela.

2. Um cilindro com um pistão contem 3 kg de água a 20 oC e 10 bar. Fornecendo calor, a água aquece,
ferve, transforma-se em vapor, e o pistão se move até a temperatura atingir 300 oC; todo o processo e
conduzido a 10 bar. Para esses 3 kg de fluido (despreze o calor necessário para aquecer o metal do
cilindro e do pistão), calcule:
a. A variação de energia interna;
b. Quanto trabalho foi realizado pelo fluido;
c. Quanto calor o fluido recebeu.

3. O gás argônio ocupa uma câmara isolada de deposição a plasma com volume de 2 L. O gás deverá ser
aquecido por uma resistência elétrica existente na câmara. O argônio está inicialmente a 1,5 Pa e 300
K, podendo ser considerado um gás ideal. A resistência elétrica de 1000 ohm recebe corrente a 40 V
por cinco minutos (i.e., trabalho de 480 J é realizado sobre o sistema pelas suas vizinhanças). Quais são
os valores da temperatura e da pressão finais do gás na câmara? A massa do aquecedor é de 12 g e sua
capacidade calorífica é 0,35 J/gK. Admita que, nessa baixa pressão e nesse curto intervalo de tempo, a
transferência de calor do gás através das paredes da câmara possa ser considerada desprezível.

4. Um duto de transporte de água que recebe calor a uma taxa de 2,5 kJ/s é agitado recebendo, do
agitador, 1,5 kJ de trabalho para cada 1 kg de água transportada. Se o sistema for considerado em
estado estacionário, determinar a temperatura da água na saída do duto se a entrada estiver a 50ºC.

Dados/Desenho esquemático:

5. Água está sendo bombeada do fundo de um poço, com 15 ft de profundidade, a uma taxa de 200
gal/h, para um reservatório ventilado, objetivando-se manter um nível de água no tanque 165 ft acima
do chão. Para impedir o congelamento no inverno, um pequeno aquecedor fornece 30.000 Btu/h à
água durante sua transferência do poço para o reservatório. O sistema global perde calor a uma taxa
constante de 25.000 Btu/h. Qual a temperatura da água ao entrar no reservatório, sabendo-se que a
água no poço tem uma temperatura de 35ºF? É usada uma bomba de 2 hp para bombear a água. Cerca
de 55% da potência da bomba são efetivos para o bombeamento, e o restante é dissipado, sob a forma
de calor, para a atmosfera.

24
6. Um tanque de 10 m3 está aberto em um ambiente a 20 oC e 1 bar. Então conectamos sua entrada a um
compressor, o ligamos, e o ar começa a ser bombeado para o tanque. Esse compressor opera
isotermicamente. Calcule:
a. O mínimo trabalho necessário para comprimir o tanque a 10 bar;
b. O calor trocado no compressor.

7. Abrimos para a atmosfera a válvula de um tanque isolado, até então sob vácuo. O ar entra e as pressões
se igualam. A válvula e então rapidamente fechada. Qual a temperatura do gás no tanque se a atmosfera
adjacente está a 27 oC e 1 bar?

8. O vapor d’água entra em um bocal que opera em regime permanente com p1 = 40 bar, T1 = 400 oC e
uma velocidade de 10 m/s. O vapor escoa através de um bocal sem transferência de calor e nenhuma
variação significativa de energia potencial. Na saída, p2 = 15 bar e a velocidade é de 665 m/s. A vazão
mássica é de 2 kg/s. Determine a área de saída do bocal em m2.

9. Ar deverá ser comprimido das condições ambientes (pressão de 100 kPa e temperatura de 300 K) para
a pressão de descarga de 1 MPa e temperatura 320 K. Se a vazão mássica do ar é de 10.000 kg/h e a
tubulação de descarga do compressor é de 75 mm, calcule a potência fornecida pelo compressor.

10. Uma turbina, acionada a vapor d’água, opera adiabaticamente com uma potência de 3.000 kW. O
vapor que aciona a turbina com uma velocidade de 60 m/s é disponível a 2 MPa e 600 K e é
descarregado saturado à pressão de 200 kPa e com uma velocidade de 300 m/s. Calcule a vazão
mássica de vapor d’água através da turbina.

11. Água disponível a 1.400 kPa e 450 K passa através de uma válvula de estrangulamento em que é
mantida na saída a pressão constante de 140 kPa. Estime a temperatura na saída da válvula e a % em
massa de água que se vaporiza.

12. Vapor d’água superaquecido a uma pressão de 200 bar, a uma temperatura de 50 ºC e uma vazão de 10
kg/s, será levado a um estado de vapor saturado a 100 bar em um aquecedor de água de abastecimento
aberto. Este processo é realizado misturando-se esse fluxo com um fluxo de água líquida a 20 ºC e 100
bar. Qual a vazão necessária para o fluxo líquido?

13. No processo de recuperação do ácido glucônico proveniente de uma fermentação, o caldo de


fermentação concentrado que contém 20% (p/p) do ácido de glucônico é resfriado em um trocado de
calor antes de cristalização. 2.000 kg/h do líquido que deixa o evaporador à 90ºC deve ser resfriado a
6ºC. O resfriamento é alcançado através da troca de calor com 2.700 kg/h de água inicialmente a 2ºC.
Se a temperatura final da água de resfriamento é 50ºC, qual é a taxa de perda de calor da solução de
ácido glucônico ácida para a vizinhança? Assuma a capacidade calorífica do ácido de glucônico é 0,35
cal/g⋅ºC.

25
14. Uma quantidade líquida de benzeno (B) e tolueno (T) contendo 60% em quantidade de matéria de
benzeno, inicialmente a 30 0C, é aquecida à pressão de 101,325 kPa até a temperatura de 92 0C. A
mistura é alimentada continuamente em um vaso, em que a mistura vapor formada (yB = 72%) é
separada da mistura líquida residual (xB = 51%). Calcule a quantidade de calor a ser transferido à
mistura por quilomol de carga.

15. A carga de uma coluna de destilação que opera a pressão atmosférica é de 10 Mg/h de uma mistura
líquida de benzeno (xB = 60%) – tolueno disponível a 35 0C. Antes de ser introduzida na torre, a carga
é pré-aquecida pelo produto de fundo. O destilado contém 98,2% de benzeno e está saturado a 81 0C.
A razão de refluxo é 3:1. O produto de fundo contém 3,2% de benzeno, sai da torre a 109 0C e é
enviado para armazenamento a 50 0C. O condensador utiliza água de resfriamento que entra a 30 0C e
sai a 50 0C, enquanto que o refervedor usa vapor d’água disponível à pressão absoluta de 400,0 kPa.
Calcule:
a. Desenhe e rotule um diagrama de fluxo para este processo;
b. Vazão mássica dos produtos de topo e de fundo;
c. Carga térmica do condensador de topo;
d. Carga térmica do refervedor;
e. Carga térmica do pré-aquecedor;
f. Consumo (vazão mássica) do vapor d’água e da água de resfriamento.

16. Dado o fluxograma abaixo, calcule as vazões de água no condensador (W) e vapor no refervedor (S)
em kg/h. Considere que Cp e ∆ĤV não dependem da temperatura.

Substância A B Água
Cp,L (cal/g⋅0C) 1,5 3,0 1,0
∆ĤV (cal/g) 85,0 65,0 540,0

17. Uma corrente consistindo em uma mistura de benzeno (Bem) e tolueno (Tol) será separada em um
processo de destilação. A corrente de alimentação (líquido saturado) corresponde a uma mistura
equimolar com vazão mássica de 20.000 kg/h. Calcule os valores de vazão de destilado (D), vazão de
produto de fundo (B), a carga térmica (calor removido pela água de resfriamento) n condensador (QC) e
a carga térmica (calor fornecido pelo vapor de aquecimento) do refervedor (QR). A razão de refluxo de
topo R/D é 0,40. A destilação ocorre a 1 atm.

26
Os extremos das linhas tracejadas indicam composições de equilíbrio de fases líquido-vapor.

27

Você também pode gostar