Você está na página 1de 4

COMO VENCER AS PROVAÇÕES?

Tg 1.2-4
INTRODUÇÃO
A carta de Tiago é comparada ao sermão do monte. Ela tem princípios práticos para nossas vidas.
Ela fala dos grandes temas da vida cristã de forma clara, direta e rica. Tiago ele está preocupado com a prática
do cristianismo.
Para ele não basta ter um credo, fazer uma profissão de fé tradicional, é preciso viver de forma digna diante de
Deus.
Quando Tiago escreveu essa carta ele pensava em um dos grandes problemas que a igreja de sua época
enfrentava, que era a prática daquilo que eles professavam.
A questão é que a igreja de hoje também enfrenta esse problema.
Por que Tiago escreveu esta carta? Para resolver alguns problemas:
1) Eles estavam passando por duras provações;
2) Eles estavam sendo tentados a pecar;
3) Alguns crentes estavam sendo humilhados pelos ricos, enquanto outros estavam sendo roubados pelos
ricos;
4) Alguns membros da igreja estavam buscando posições de liderança; ‘
5) Alguns crentes estavam falhando em viver o que pregavam;
6) Outros crentes estavam vivendo de forma mundana;
7) Outros não conseguiam dominar a língua;
8) Outros estavam se afastando do Senhor;
9) Havia crentes que estavam vivendo em guerra uns contra os outros.
Esses são os mesmos problemas que enfrentamos hoje.
Para Tiago, a raiz de todos esses problemas era a imaturidade cristã.
Mas hoje quero falar sobre as dificuldades de nossas vidas, as provações que vem para deixar a gente em
condições de humilhados.
Precisamos aprender a vencer as provações de nossas, nos preparar para nenhum sofrimento nos tirar do
caminho da eternidade, pelo contrário, que os sofrimentos venham para testificar que estamos no caminho
correto.
1. As provações são compatíveis com a fé cristã (Tg 1.2).
Por que os crentes sofrem? Por que um crente passa privações? Por que sofre prejuízos? Por que fica doente em
cima de uma cama? Por que são injustiçados? Deus nos adverte a esperar as provações. A vida cristã não é um
mar de rosas. Jesus advertiu: “No mundo tereis tribulações...” (Jo 16.33).
Somos peregrinos neste mundo. Nossa Pátria permanente não é aqui. Nosso lar permanente não é aqui.
Nossa Pátria está no céu. As provações que enfrentamos aqui apontam a nossa maturidade espiritual.
As provações procedem: Primeiro, de nossa humanidade. Pertencemos à raça humana sofremos doenças,
acidentes, desapontamentos.
Segundo, as provações procedem da nossa pecaminosidade. Criamos problemas com nossa língua, com nossas
atitudes. Uma pessoa que morre de câncer, depois de ter fumado dezenas de anos, não pode culpar a ninguém
por sua morte.
Terceiro, as provações procedem de nossa vida cristã. Muitas tribulações, nós as enfrentamos exatamente por
sermos cristãos, pois Satanás, o mundo e a própria carne lutam contra nós.
Quarto, as provações visam trazer glória ao nome de Deus. João registra a cura de um homem cego de
nascença. Ele nasceu cego para que nele fosse manifestada a glória de Deus (Jo 9.3).
2. Em segundo lugar, as provações são variadas (1.2).
Há provas fáceis e provas difíceis. Há provas que são maiores que nossas forças.
Há provas que enfrentamos sozinhos, como Jesus no Getsêmani. Deus sabe o que está fazendo em nossa vida.
Ele é como um escultor. Ele está esculpindo em nós a beleza de Jesus (Rm 8.29; 2Co 3.18).
3. Em terceiro lugar, as provações são passageiras (1.2).
As provações não duram a vida inteira.
Ninguém aguenta uma vida inteira de provas. Ninguém aguenta uma viagem inteira de turbulência. Depois da
noite, vem a manhã. Depois do choro, vem a alegria.
4. Em quarto lugar, as provações são pedagógicas (1.3,4).
Nas provações da vida, nossa fé é testada para mostrar se ela é verdadeira. Quando Deus chamou a Abraão para
viver pela fé, ele o testou com o fim de aumentar a sua fé. Deus sempre nos prova para produzir o melhor em
nós; Satanás nos tenta para fazer o pior em nós. As provas da fé provam que, de fato, nascemos de novo.
As provações de nossa fé trabalham por nós, e não contra nós, visto que produzem perseverança. Deus está no
controle de nossa vida. Tudo tem um propósito.
Os crentes imaturos são sempre impacientes. A impaciência pode gerar graves consequências: Abraão se
relacionou com Agar, Moisés matou o egípcio, Sansão contou seu segredo para Dalila e Pedro quase matou
Malco. Maturidade não se alcança apenas lendo um livro, é preciso passar pelas provas!
Qual deve ser a atitude com que vamos enfrentar as provações da vida?
Tiago responde: “... tende por motivo de toda alegria...”. Em vez de murmurar, de reclamar, de ficar amargo, de
enfiar-se em uma caverna, devemos nos alegrar intensamente. Essa alegria é confiança segura na soberania de
Deus, de que Ele está no controle, de que Ele sabe o que está fazendo e sabe para onde está nos levando.
APLICAÇÕES
Porque Deus permite o sofrimento na vida de seus filhos?
1. DEUS PERMITE O SOFRIMENTO NA VIDA DOS SEUS FILHOS PARA QUE ELES
LEMBREM QUE AQUI NÃO É O CÉU.
Aqui é o que Davi descreve no salmo 23 "o vale da sombra da morte". Aqui é o mar de tristeza, de sofrimento e
dor.
Queremos ser eternos nesse mundo, estudamos, trabalhamos achando que tudo o que conquistamos é pra
sempre. Deus permite os sofrimentos por isso.
Pra lembrar que nós não somos eternos aqui nesse mundo, somos peregrinos, e que nossa pátria não é essa.
O sofrimento serve para nos lembrar que não chegamos ainda, que estamos no caminho. Deus nunca prometeu
uma viagem tranquila, sem sofrimento, o que ele prometeu foi uma chegada certa!
2. PARA LEMBRARMOS DA SERIEDADE DO PECADO.
Quando Deus nos criou no paraíso, nós tínhamos tudo, pureza, santidade, Deus nos visitava no final da tarde,
tínhamos alegria, inocência.
O que aconteceu com a humanidade? Ela virou as costas para Deus. Nossos primeiros pais viraram as costas
para Deus.
Foram expulsos do paraíso, e trouxeram a maldição para toda raça humana.
O sofrimento é resultado da queda, do pecado, da desobediência da nossa raça.
Deus permite que sintamos o sofrimento, para entendermos a veracidade do pecado e suas consequências.
Para então depois gritarmos: Miserável homem que sou. Quem me livrará da morte? E a resposta é: graças a
Deus, por Jesus Cristo, nosso Senhor.
A redenção está Cristo Jesus, mas neste mundo, Deus deseja que seu povo entenda e perceba a seriedade do
pecado e as graves consequências do pecado.
A ponto de mandar seu único filho para nos redimir, raça rebelde.
3. NÓS DEPENDEMOS TOTALMENTE DE DEUS.
Não há nenhum momento mais pertinente que entendemos nossa fraqueza e pequenez, se não em uma tragédia.
Quando olhamos para todos os lados e não há saída. O que nos resta é olhar para cima.
Somos tão confiantes em nós mesmos, nos nossos planos, na nossa inteligência, mas que Deus acaba com tudo
para dizer:
Você depende é de mim. Você precisa é de mim. É isso que ele quer ensinar no meio do sofrimento.
4. O PROPÓSITO DE DEUS PARA SEU SOFRIMENTO É DE TRAZER VOCÊ MAIS PERTO
DE DEUS.
Para quem está sofrendo, não sei da intensidade do seu sofrimento, da sua dor, mas gostaria de lhe dizer que o
propósito de Deus com seu sofrimento é para trazê-lo mais dele.
Para que você veja a mão de Deus em tudo isso, antes de dizer: É coisa do inimigo! Eu repreendo! Olhe outra
vez.
Às vezes é próprio Deus que está fazendo essas coisas, dizendo: Meu filho, você está longe dos meus caminhos,
quero você perto de mim, e se para isso for necessário tirar tudo o que você mais gosta, eu farei isso.
Quando o espinho bateu na carne de Paulo, ele disse: Senhor, tira! Silêncio dos céus. E o espinho na carne
continuou.
Paulo diz: Tá amarrado! Tira, Senhor! Novamente, silêncio dos céus.
E na terceira vez: Senhor não aguento mais, isso é obra do inimigo, tira! E Deus disse: Não, Paulo, é obra
minha! Sabe por quê?
Eu preciso de você humilde. Não posso usar um apóstolo arrogante, um obreiro vaidoso, cheio de si, autoritário,
é por isso que mando o espinho na carne.
A mensagem para você que está sofrendo é: humilhe-se diante de Deus, para que em tempo oportuno ele te
exalte.
Não pare de orar, mesmo que nada mude, não pare de orar.
Insista, busque, bata, clame, peça e, no tempo de Deus, na vontade dele, quando ele tiver realizado o propósito
dele na sua vida, os céus abriram e você verá a glória de Deus.
5. PARA VOCÊ QUE AINDA NÃO TEM CRISTO COMO SEU SENHOR.
Se Deus trata assim os seus filhos, imagina quem não é.
Se Deus toma dos seus escolhidos, e os usa, humilhando coma a dor e o sofrimento, imagina o que ele fará com
você no dia do juízo?
Se você não se arrepender dos seus pecados hoje, e se voltar para Deus em súplica, talvez ele ouça sua oração e
o perdoe, transforme sua vida e recebe-o como filho.
Deus o chama para que você se arrependa dos seus pecados e creia em Jesus Cristo, que sofreu na cruz do
Calvário.
A fim de que os sofrimentos dele sejam para sua salvação, e não para condenação.
Recebe-o e você experimentará a doçura do evangelho, temperado com a esperança da glória de Deus no novo
céu e nova terra, onde habita a justiça.
Que Deus receba toda glória. A ele toda honra e toda glória, agora e para sempre, amém!

Interesses relacionados