Você está na página 1de 9

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

SILVIA LUCIANA FORTES

ESTRUTURA DE MERCADO DO SETOR


SUPERMERCADISTA.

Corumbá-MS
2014
SILVIA LUCIANA FORTES

ESTRUTURA DE MERCADO DO SETOR


SUPERMERCADISTA.

Estrutura de mercado do setor supermercadista. Será


apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR,
como requisito parcial para a obtenção de média
bimestral na disciplina de Microeconomia e
Macroeconomia, Métodos Quantitativos, Ética, Política e
Sociedade, Seminário .

Marcelo Caldeira Viegas


Orientador: Prof. Regina Lucia Sanches Malassise
Sebastião de Oliveira
Wilson Sanches

Corumbá-MS
2014
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO .......................................................................................................3
DESENVOLVIMENTO.............................................................................................4
CONCLUSÃO..........................................................................................................7
REFERÊNCIAS.......................................................................................................8
3

INTRODUÇÃO

O presente trabalho tem por objetivo avaliar a evolução da concentração do


setor de supermercados do Rio Grande do Sul.
Além da concentração, o trabalho também se destina a uma análise da
estrutura deste mercado. A evolução e a concentração que o setor apresenta uma
concentração moderada, e a análise das principais características do mercado
permite concluir que se trata de um oligopólio do tipo diferenciado-concentrado. Que
acarretam direta e indiretamente na forma como as grandes empresas do setor
supermercadista atuam na Economia Nacional e Regional do Rio Grande do Sul
diante da configuração atual do Estado, classes sociais e poderio de compra da
população.
4

DESENVOLVIMENTO

Ética, Política e Sociedade

Uma boa governança pública, à semelhança da corporativa, está


apoiada em quatro princípios: relações éticas; conformidade, em todas as suas
dimensões; transparência; e prestação responsável de contas. A ausência desses
princípios requer mudança na forma de gestão. A busca permanente da prática
desses princípios na administração do país ou na gestão de qualquer instituição
deve ser vista como uma condição indispensável para que essa instituição possa
continuar a progredir. É importante ressaltar que essa é uma tarefa permanente, que
exige uma participação proativa de todos os atores envolvidos - dirigentes, políticos,
órgãos de controle - e, em especial da sociedade organizada.

Por sua vez, a busca permanente da transparência na


Administração Pública deve ser vista como uma condição indispensável para que o
Brasil possa continuar a progredir no processo de desenvolvimento socioeconômico
e na consolidação da democracia. Nesse sentido, a transparência do Estado se
efetiva por meio do acesso do cidadão à informação governamental, o que torna
mais democrática as relações entre o Estado e sociedade civil.

Microeconomia e Macroeconomia

Com o fortalecimento e consolidação da Segunda revolução


Industrial no final do século XIX foi possível perceber um aumento na oferta e na
demanda de bens e serviços nunca antes visto, oque proporcionou a concorrência
entre as empresas e também a concentração do poder econômico-financeiro nos
centros onde se concentravam tais empresas.
Tornando-se assim evidente, com o passar dos anos, o aumento
gradativo das grandes empresas nos grandes centros urbanos.
Percebe-se que com o aumento gradativo das grandes empresas
nos grandes centros urbanos, estas vêm acompanhando o cenário global e
adaptando-se às realidades de cada região.

Nos últimos 20 anos da implantação do Plano Real da Estabilização


Econômica, após quatro décadas convivendo com índices inflacionários variando de
20% a 2.000% ao ano, a economia brasileira viveu transformações históricas. A
história da economia brasileira nas últimas duas décadas é a história de como o país
viu surgirem crises uma após a outra e como lutou para sair de cada uma delas.

Métodos Quantitativos Aplicados à Gestão Empresarial

Os indicadores econômicos são índices obtidos através de pesquisas ou


levantamentos de dados que busca mostrar como está se desenvolvendo a
atividade econômica do país. Eles refletem os acontecimentos econômicos e podem,
ainda, influenciar nas políticas econômicas tomadas pelos agentes econômicos, uma
vez que mostra um retrato da situação passada, presente e podem mostrar
5

tendências de futuro.

Em 1994, ano da implantação do Plano Real, as vendas do setor


supermercadista. Que em 1993 sinalizavam um crescimento de 4,4% ao ano,
cresceram 12%, e no ano seguinte 14%, mostrando como foi a expansão do
consumo, o que foi típico da economia brasileira nos primeiros anos do referido
plano.

Os estudos sobre economia industrial cresceram muito nos últimos


quarenta anos devido ao dinamismo das relações inter e intras-setoriais. “Este
dinamismo resulta da interação das atitudes de compradores e vendedores, que são
os responsáveis pelo ciclo da produção, circulação e consumo de produtos e
serviços.”
ESTRUTURAS DE MERCADO
A microeconomia trata do comportamento das empresas, famílias e
indivíduos. Estuda fatores observados no mercado, onde é possível salientar
algumas situações em que os preços são determinados através de distorções
provocadas em mercados distintos, tais como: monopólios, oligopólios, concorrência
monopolista e concorrência perfeita. Cada estrutura destaca aspectos essências da
interação da oferta e da demanda, baseando-se em características observadas em
mercados existentes.
Define-se organização industrial como “um ramo da microeconomia
que enfatiza o estudo das unidades industriais de decisão. Portanto, tratam do
estudo das relações industriais, tanto interna quanto externa, dada as condições de
oferta e demanda ditadas pelo mercado”
O aparecimento dos primeiros supermercados no Rio Grande do Sul
data da década de 50. Desde então, o setor cresceu muito, e, hoje, os
supermercados fazem parte da vida da grande maioria dos gaúchos. De acordo com
a Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS), o setor de supermercados do
estado teve um faturamento bruto superior a R$ 16 bilhões no ano de 2012, o que o
fez responsável por mais de 62 mil empregos diretos neste mesmo ano. Mesmo que
a empresa seja de pequeno ou médio porte, isso não significa que ela não precise
investir na comunicação.
A importante participação do setor na economia gaúcha justifica uma
preocupação com a forma com que se estrutura. Por isso, o presente trabalho se
destina a avaliar a concentração do setor de supermercados do Rio Grande do Sul
6

nas últimas décadas. Essa avaliação far-se-á através da análise da concentração


de mercado no setor.
7

Conclusão

Conclui que com o desenvolvimento do novo plano econômico e


abertura do comércio internacional, caracterizada pelo fenômeno da globalização,
ocasionou profundas mudanças no cenário empresarial, influenciando
significativamente a estrutura e as regras da competição no varejo, mais
especificamente o setor supermercadista. Com o avanço tecnológico e a abertura de
mercado, que implicaram em aumento da concorrência, os varejistas passaram a
oferecer uma variedade maior de produtos e serviços ao consumidor, e esse por sua
vez, está mais atuante informado e consciente, exigindo produtos que satisfaçam
suas necessidades e desejos de forma mais individualizada. Neste novo contexto, é
natural que o varejo cresça em importância pois tradicionalmente, é dentro da loja
que o processo de troca com o consumidor é concretizado. Dentre as mudanças
advindas da implantação do plano real, o setor de autosserviço sofreu inúmeras
alterações, dentre as quais se podem citar o processo de concentração, a
modernização, a expansão e a internacionalização de capital. Além disso, no caso
específico dos supermercados, a economia de escala gerada pelo aumento do
tamanho da firma é um fator que, através da redução dos custos, permite
claramente uma redução dos preços ao consumidor. Por essas e outras razões, as
organizações que querem manter um bom relacionamento com seu público e
aumentar cada vez mais admiradores, ela deve pensar em todos que estão
envolvidos ao seu redor.
8

REFERÊNCIAS

Banco de Pesquisa:

ÉTICA POLITICA E SOCIEDADE, “O homem é um animal político.”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pol%C3%ADtica

http://www.sppert.com.br/Brasil/Economia/Pol%C3%ADtica_Econ%C3%B4mica/

MICROECONOMIA, “Economia financeira”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Microeconomia

MACROECONOMIA, “Crescimento e economia do desenvolvimento”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Macroeconomia

MICROECONOMIA E MACROECONOMIA E POLITICA

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAS70AF/introducao-a-economia-
microeconomia-macroeconomia-resumo

MÉTODO QUANTITATIVO, “A estratégia metodológica quantitativa caracteriza-


se por”

http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA4-wAC/metodos-quantitativos-aula-01

SUPERMERCADISTA RIO GRANDE DO SUL, “AGAS - Associação Gaúcha de


Supermercados”

http://www.agas.com.br/site/default.asp?
TroncoID=708180&SecaoID=939263&SubsecaoID=0&Template=../artigosnoticias/us
er_exibir.asp&ID=922614