Você está na página 1de 6

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR

DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGREGIO


TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - SP.

RECURSO HABEAS CORPUS


COM PEDIDO DE LIMINAR
IMPETRANTE: Marcos José Leme – OAB/SP 215.865
Juiz de Direito da Unidade do
AUTORIDADE COATORA:
Departamento Estadual de Execução Criminal -
DEECRIM – UR 2 -2ª RAJ – Araçatuba
PACIENTE: GILBERTO DONIZETTI SILVERIO

MARCOS JOSÉ LEME OAB/SP


215.865, com endereço que consta no rodapé, que a esta
subscreve, vem respeitosamente, impetrar o presente
Recurso Habeas Corpus com pedido de liminar em favor
de GILBERTO DONIZETTI SILVERIO,
1
atualmente recolhido junto ao Sistema Prisional da
Penitenciaria “”/Vereador Frederico Geometti de
Lavínia I, pelos fatos e fundamentos a seguir expostos
e também com fundamento no 647, 654 e 660, § 2º todos
do Código de Processo Penal, impetrar RECURSO
HABEAS CORPUS COM PEDIDO DE LIMINAR.

Preambularmente:

Requer a Vossas Excelências que seja


reconhecido o presente recurso de acordo com o princípio
da fungibilidade para sanar o Constrangimento que a
Paciente vem sofrendo ou que caso não seja o
entendimento desta Egrégia Câmara Criminal que seja
dado de oficio a presente ordem de concessão de Habeas
Corpus deferindo o pleito.

BREVE RELATO:

2
01. O Paciente foi transferido do
Estado do Rio de Janeiro para o Estado de São Paulo e
na época não foi transladado sua Execução Criminal.

02. Ocorre que já esta no setor de


distribuição da Comarca de Araçatuba os autos da
execução criminal do Rio de Janeiro para que o Paciente
tenha o direito de benefícios como progressão de regime
prisional uma vez que já extrapolou o lapso de regime
semiaberto e Livramento Condicional.

03. Consoante não se pode pleitear


nada na execução criminal se não foi atuada pela 2RAJ
de Araçatuba.

04. Ocorre o Paciente/Reeducando


está sofrendo um constrangimento em não aplicação da
lei e de um direito a concessão de regime semiaberto ou
livramento condicional sendo que poderia estar em
liberdade cumprindo as obrigações legais imposta pela
concessão de tal benesse ou em regime semiaberto mais
brando uma vez que estão preenchidos os requisitos
subjetivos e objetivos.
3
05. Cabe ao Estado garantir o “Jus
puniendi” e “Jus executionis” da pena, uma vez que não
se trata de atividade administrativa e sim jurisdicional.

06. Nesse diapasão, faz-se mister


ressaltar que obstar o usufruto de regime mais brando
pelo Paciente, infligindo lhe único e inflexível regime
carcerário, envolve anular qualquer pretensão
ressocializadora, a qual, como é sabido, constitui o fim
primacial orientador da execução penal.

07. O Paciente continua com bom


comportamento carcerário, mas está sendo banido de ter
sua ressocialização dentro de um presidio sem
perspectivas,

08. O fato é que não pode o Estado


punir o apenado em razão de sua própria falha.

Nobres Desembargadores!!!

09. O processo de execução criminal


acompanha o preso e é de competência do juízo da
4
comarca aonde o Paciente se encontra cumprindo pena,
que no caso em testilha e Lavínia na qual a competência
territorial será 2ª RAJ de Araçatuba - SP.

10. Conforme consta no atestado de


conduta ora anexado o Paciente possui bom
comportamento carcerário e cumpriu os lapsos para tais
benefícios.

11. As cadeias estão superlotadas por


causa dessas Jurisdicionais e burocracias ou falhas do
Estado em não autuar o processo de execução criminal
fazendo com que o Paciente sofra tal constrangimento
pois ficando privado de pedir qualquer benesse.

Diante o exposto requer a Vossas


Excelências que conheçam do presente recurso de acordo
com o princípio da fungibilidade concedendo a liminar
para que conceda o livramento condicional aplicando
assim a lei mais benéfica a Paciente cessando
constrangimento ordenando a autuação e distribuição
do processo de execução criminal na Comarca de 2ª RAJ
de Araçatuba e que seja solicitada informações a
Comarca sob essa situação como medida da mais lidima
Justiça!

5
Termos em que;
Pede concessão da ordem.

Guarulhos, 20 de março de 2019.

Marcos Jose Leme


OAB/SP nº 215.865