Você está na página 1de 65
Guia do

Guia do

Professor

Novo FQ 9

Físico-Química 9.º Ano de Escolaridade

M. Neli G. C. Cavaleiro | M. Domingas Beleza

M. Neli G. C. Cavaleiro | M. Domingas Beleza

Guia de Exploração de Recursos Multimédia

Metas Curriculares (2013)

Orientações Curriculares (2001)

Agenda do Professor*

*Disponível em formato editável em
*Disponível em formato editável em

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Índice

 
 

Apresentação do Projeto

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

5

Guia de Exploração de Recursos Multimédia

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

11

Enquadramento Curricular

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

27

1. Metas Curriculares (2013)

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

28

2. Orientações Curriculares

(2001)

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

35

Agenda do Professor

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

43

 
 

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Introdução

  Este Guia do Professor foi concebido no intuito de auxiliar os professores na sua
 

Este Guia do Professor foi concebido no intuito de auxiliar os professores na sua ati- vidade, nomeadamente na preparação de aulas.

Inclui:

A apresentação do projeto Novo FQ 9.

Um Guia de Exploração dos Recursos Multimédia disponíveis na versão de

demonstração do

demonstração do .

.

Documentos orientadores

Metas Curriculares Ciências Físico-Químicas – 9. o ano (2013)

(Referência fundamental para o desenvolvimento das atividades letivas, já que nelas se clarifica o que nos Programas se deve eleger como prioridade, definindo os conhecimentos a adquirir e as capacidades a desenvolver pelos alunos nos diferentes anos de escolaridade.)

– Orientações Curriculares (2001)  

Orientações Curriculares (2001)

 

Agenda do Professor – um conjunto de documentos e grelhas que contemplam diferentes situações de âmbito letivo. Todos os documentos apresentados nesta

agenda estão também disponíveis, em formato editável, em

.
.

Esperamos ter contribuído de forma válida para facilitar o seu trabalho.

AS AUTORAS

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Apresentação do Projeto

O projeto Novo FQ 9 contempla os seguintes componentes:

Para o Aluno

Para o Professor

 

Manual

Manual (Edição do Professor)

Caderno de Atividades

Caderno de Atividades (Edição do Aluno)

www.fq9.asa.pt

Dossiê do Professor

– • Guia do Professor

Guia do Professor

 

Planificações e Planos de Aula

 

Caderno de Atividades (Edição do Professor) Testes • Questões e Desafios

Protocolos Experimentais

– www.fq9.asa.pt

www.fq9.asa.pt

–
 

Manual

 

Relativamente à edição anterior do projeto FQ, destaca-se que o manual Novo FQ 9 foi enriquecido com mais exercícios (e mais diversificados) e com atividades laboratoriais, tornando assim a sua utilização em sala de aula mais prática e funcional.

O manual encontra-se organizado em três domínios temáticos: “Movimentos e Forças”, “Eletrici- dade” e “Classificação dos Materiais”. Estes domínios temáticos são apresentados em vários capítulos. Cada capítulo inicia-se com a especificação dos objetivos a atingir e com o “Ponto de Partida”, que permite fazer uma contextualização.

 

Segue-se a abordagem dos conteúdos, estruturada em 21 subcapítulos. Cada subcapítulo termina com

uma síntese e um conjunto diversificado de propostas de exercícios e atividades . No final

uma síntese e um conjunto diversificado de propostas de exercícios e atividades. No final de cada do- mínio temático é disponibilizado um mapa de conceitos e um teste global.

Manual – Edição do Professor

Contém, banda lateral, soluções para todas as atividades propostas, identificação das Metas Curricula- res trabalhadas em cada página e remissões para os recursos multimédia do projeto.

Caderno de Atividades

Este recurso inclui 21 fichas, uma por cada subcapítulo do manual, para consolidação das aprendizagens. As fichas estão divididas em duas partes:

Parte A – atividades que permitem praticar de forma lúdica.

Parte B – exercícios de tipologia diversa – escolha múltipla, verdadeiro e falso – com respostas que envolvem cálculos, respostas longas, etc.

No final, apresentam-se as soluções de todas as fichas.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Dossiê do Professor

Guia do Professor

Reúne um conjunto de documentos vocacionados para apoiar o Professor na sua atividade, nomeadamente:

Guia de Exploração de Recursos Multimédia

Enquadramento Curricular Metas Curriculares (2013) Orientações Curriculares (2001)

Agenda do Professor*

* Disponível, em formato editável, em

.
.

Planificações e Planos de Aula

Inclui uma proposta de calendarização anual e uma planificação a médio prazo.

Contempla ainda 79 planos de aula, que abarcam todos os conteúdos das Metas Curriculares e que evidenciam a articulação entre todos os componentes do projeto. Estes planos estão disponíveis, em

Curriculares e que evidenciam a articulação entre todos os componentes do projeto. Estes planos estão disponíveis,

formato editável, em

, para que o Professor os possa adaptar ao seu grupo-turma .

, para que o Professor os possa adaptar ao seu grupo-turma.

Caderno de Atividades – Edição do Professor

 

A Edição do Professor difere da do Aluno por apresentar propostas de solução inseridas nas próprias fichas e não no final da publicação.

 

Testes

Inclui:

um teste de avaliação diagnóstica

 

seis testes de avaliação sumativa (dois para cada período letivo)

um teste adaptado de avaliação diagnóstica (para alunos com NEE)

 

seis testes adaptados de avaliação sumativa (para alunos com NEE)

propostas de resolução/soluções.

 

Todos estes materiais estão disponíveis, em formato editável, em

Todos estes materiais estão disponíveis, em formato editável, em .

.

Todos estes materiais estão disponíveis, em formato editável, em .

Questões e Desafios

Banco de 188 questões de escolha múltipla, onde o Professor poderá encontrar elementos para construir instrumentos de avaliação formativa.

42 Propostas de trabalho/Desafios, para alunos com melhores desempenhos.

Soluções.

Todos estes materiais estão disponíveis, em formato editável, em

.
.

Protocolos Experimentais

Com o intuito de facilitar a execução de atividades laboratoriais, são disponibilizados ao Professor cinco conjuntos de protocolos de atividades experimentais, plastificados, podendo ser distribuídos aos grupos de trabalho para utilização em laboratório, e recolhidos no final da aula.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

20 Aula Digital

O

projeto Novo FQ 9 através das novas tecnologias. Permite o acesso a um vasto conjunto de conteúdos multimédia associados ao Manual:

• Apresentações PowerPoint®

• Animações

• Simuladores

• Atividades

• Vídeos laboratoriais

• Vídeos temáticos

• Testes interativos

• Jogo do conhecimento

• Grelhas de avaliação em formato editável

• Imagens e soluções projetáveis

Links internet

• Recursos da Prevenção Rodoviária Portuguesa.

é uma ferramenta inovadora que possibilita, em sala de aula, a fácil exploração do

que possibilita, em sala de aula, a fácil exploração do Os professores adotantes do Novo FQ

Os professores adotantes do Novo FQ 9 terão ao seu dispor, em de 2015, os seguintes recursos multimédia:

seu dispor, em de 2015, os seguintes recursos multimédia: , a partir de setembro LISTAGEM GERAL

, a partir de setembro

LISTAGEM GERAL DOS RECURSOS MULTIMÉDIA DO NOVO FQ 9

Tipologia do recurso

Títulos dos recursos

Apresentações PowerPoint® Apresentações PowerPoint® dos conteúdos de cada subcapítulo do Manual. Podem ser usadas como suporte para a explicação de conteúdos ou, em alternativa, como síntese dos conteúdos abordados.

Domínio – Movimentos e Forças

• Posição, tempo e distância percorrida

• Rapidez média e velocidade. Classificação de movimentos

• A aceleração e a classificação dos movimentos – Disponível na versão de demonstração

• Velocidade em movimentos retilíneos uniformemente variados e uniformes – Disponível na versão de demonstração

Total de apresentações PowerPoint® disponíveis no projeto: 23

• Forças e a lei da ação-reação. Resultante de forças

• Lei fundamental da dinâmica e lei da inércia

 

• Força, pressão e a segurança rodoviária

• Forças de atrito e de resistência do ar – Disponível na versão de demonstração

• Energia cinética e potencial

• Transformação e transferência de energia

• Impulsão

Domínio – Eletricidade

• Corrente elétrica: o que é e como se utiliza

• Grandezas físicas: tensão elétrica e corrente elétrica

• Associações de recetores e de pilhas

• Resistência elétrica

• As transformações da energia elétrica

• Utilização dos circuitos elétricos em segurança

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

 

Tipologia do recurso

Títulos dos recursos

 

Domínio – Classificação dos Materiais

• Modelo atómico

• Átomos, iões e as nuvens eletrónicas

• Organização da Tabela Periódica – Disponível na versão de demonstração

• Substâncias elementares e Tabela Periódica

• Tipos de ligação química

• Compostos de carbono

Animações Proporcionam uma aula diferente, mais dinâmica e interativa.

Domínio – Movimentos e Forças

• Movimento, repouso e referencial

• Trajetória e distância percorrida

 

• Aceleração média – Disponível na versão de demonstração

No final de cada animação são sempre apresentadas atividades de consolidação.

O

disponibilizará propostas de exercícios de aplicação para todas as animações.

guia de exploração de recursos multimédia

• Par ação-reação. 3. a lei de Newton

• Inércia de um corpo e lei da inércia

• Forças e pressão

• Tipos fundamentais de energia: energia cinética e energia potencial

Total de animações disponíveis no projeto: 17

Domínio – Eletricidade

• Bons e maus condutores elétricos

 

• Grandezas físicas: tensão elétrica e corrente elétrica

Domínio – Classificação dos Materiais

• Evolução do modelo atómico

• Constituição dos átomos

• Tamanho dos átomos

• Isótopos e massa de um átomo

• Evolução da Tabela Periódica

• Tabela Periódica interativa – Disponível na versão de demonstração

• Ligação química

• Compostos de carbono

Simuladores Os simuladores permitem simular

Domínio – Movimentos e Forças

• Rapidez média e velocidade

e

manipular variáveis, facilitando

• Classificação de movimentos – Disponível na versão de demonstração

a

aprendizagem de conteúdos mais abstratos

e

complexos.

guia de exploração de recursos multimédia

O

disponibilizará propostas de exercícios de aplicação para todos os simuladores.

• Simuladores da Prevenção Rodoviária Portuguesa – Disponíveis na versão de demonstração

• Resultante das forças

• 2. a lei de Newton (lei fundamental da dinâmica)

• A força de atrito

Total de simuladores disponíveis no projeto:

• Transformações de energia

10 + 8 simuladores da Prevenção Rodoviária

• Determinar a intensidade da impulsão

Portuguesa

Domínio – Eletricidade

• Construção de circuitos elétricos

• Medir a resistência elétrica e a lei de Ohm

• Potência e energia elétrica consumida

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Tipologia do recurso

 

Títulos dos recursos

Atividades Conjunto de 6 a 10 exercícios que permitem consolidar, de uma forma interativa, os principais conceitos estudados.

Domínio – Movimentos e Forças

• Posição e gráficos posição-tempo

• Gráficos velocidade-tempo e distância percorrida – Disponível na versão de demonstração

 

• Representação vetorial de forças

Total de atividades disponíveis no projeto: 8

Domínio – Eletricidade

Componentes elétricos num circuito

Domínio – Classificação dos Materiais

• Número atómico e número de massa

• Distribuição eletrónica

• Localiza os elementos químicos – Disponível na versão de demonstração

• Notação de Lewis e a regra do octeto

Vídeo laboratorial Apresentam-se vídeos para todas as atividades práticas/laboratoriais propostas no Manual. Estes podem ser utilizados para complementar/enriquecer as aulas práticas.

Domínio – Movimentos e Forças

• Movimento real e gráfico posição-tempo – Disponível na versão de demonstração

• De que depende o valor da força de atrito

• Uma verificação da lei de Arquimedes

 

• Verificação da lei de Arquimedes

Total de vídeos laboratoriais disponíveis no projeto: 17

Domínio – Eletricidade

• Bons e maus condutores elétricos

 

• Construção de elementos de pilhas

• Tensão e corrente elétrica numa lâmpada

• Instalações com três lâmpadas

• Associação de pilhas em série

• Relação entre a corrente elétrica e a resistência dos condutores

• Experimenta um condutor óhmico

• Condutores óhmicos e não óhmicos

Domínio – Classificação dos Materiais

• Combustão de metais e caráter químico dos óxidos metálicos

• Combustão de não metais e caráter químico dos óxidos não metálicos

• Reação de metais alcalinos com a água – Disponível na versão de demonstração

• Comportamento químico do magnésio e do cálcio

• Reconhecimento do carbono e do hidrogénio nos compostos orgânicos

Vídeos temáticos Os vídeos disponibilizados pretendem auxiliar o professor na exposição de conteúdos de uma forma mais simples e motivadora, dado que permitem ao aluno relacionar a ciência com o seu quotidiano.

Domínio – Movimentos e Forças

• Vídeos da Prevenção Rodoviária Portuguesa (3) – Disponíveis na versão de demonstração

 

• Radar

• ABS

• Semáforos

 

• Energia cinética e acidentes de automóvel

Total de vídeos temáticos disponíveis no projeto: 14

• Princípio de Arquimedes

Domínio – Eletricidade

 

• Eletricidade e circuitos

• A pilha de Volta

• Resistências elétricas

• Perigos da eletricidade

• Choques elétricos

Domínio – Classificação dos Materiais

A Tabela (é mesmo) Periódica

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Tipologia do recurso

 

Títulos dos recursos

Testes interativos (aluno) Testes interativos para o aluno, disponíveis por cada subcapítulo do Manual.

Domínio – Movimentos e Forças

• Posição, tempo e distância percorrida

• Rapidez média e velocidade. Classificação de movimentos

Total de testes interativos para o aluno no projeto: 23

• A aceleração e a classificação dos movimentos – Disponível na versão de demonstração

• Velocidade em movimentos retilíneos uniformemente variados e uniformes – Disponível na versão de demonstração

 

• Forças e a lei da ação-reação. Resultante de forças

• Lei fundamental da dinâmica e lei da inércia

• Força, pressão e a segurança rodoviária

• Forças de atrito e de resistência do ar

• Energia cinética e potencial

• Transformação e transferência de energia

• Impulsão

Domínio – Eletricidade

• Corrente elétrica: o que é e como se utiliza

• Grandezas físicas: tensão elétrica e corrente elétrica

• Associações de recetores e de pilhas

• Resistência elétrica

• As transformações da energia elétrica

• Utilização dos circuitos elétricos em segurança

Domínio – Classificação dos Materiais

• Modelo atómico

• Átomos, iões e nuvens eletrónicas

• Organização da Tabela Periódica – Disponível na versão de demonstração

• Substâncias elementares e Tabela Periódica

• Tipos de ligação química

• Compostos de carbono

Testes interativos (professor) Testes interativos exclusivos do professor, com 20 questões cada, disponíveis por cada domínio do Manual.

Domínio – Movimentos e Forças

Movimentos e forças – Disponível na versão de demonstração

Domínio – Eletricidade

 

Eletricidade

Total de testes interativos para o professor no projeto: 3

Domínio – Classificação dos Materiais

Classificação dos materiais

Jogo do conhecimento Este recurso pode ser utilizado para revisão, de uma forma lúdica, dos conceitos abordados apenas num dos domínios ou nos 3 domínios de Físico-Química do 9.º ano. O utilizador deve selecionar o domínio pretendido, por exemplo “Movimentos e forças”, para lhe aparecer apenas perguntas sobre esse domínio durante o jogo. Ou selecionar todos os domínios quando pretende que lhe apareçam perguntas dos 3 domínios.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

 

GUIA DE EXPLORAÇÃO DE RECURSOS MULTIMÉDIA (versão de demonstração)

Página

Recurso

 

Metas

Sugestões de exploração

22

Movimento real e gráfico posição-tempo

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

Enquadramento teórico (1. a secção) Contextualizar a atividade laboratorial da página 22 do Manual através da primeira secção do recurso.

Materiais (2. a secção)

1.10 Medir posições

1.10

Medir posições

e tempos em movimentos reais, de trajetória retilínea sem inversão do sentido, e interpretar gráficos posição-tempo assim obtidos.

Identificar o material a utilizar através da realização de uma atividade onde se seleciona

 

o

material necessário para

realização da atividade laboratorial.

a

Vídeo (3. a secção)

Vídeo laboratorial Inicia-se o recurso com um enquadramento teórico, exploram-se os materiais a utilizar. O procedimento experimental é demonstrado através de um vídeo e, no final, apresentam-se atividades de consolidação.

Esta secção corresponde ao vídeo laboratorial, que permite esclarecer possíveis dúvidas surgidas aquando da realização da atividade laboratorial.

A

visualização do vídeo pode

também ser feita após

a

realização da atividade

laboratorial em sala de aula, auxiliando no processo de interpretação dos resultados obtidos.

Atividades (4. a secção) Realizar as atividades finais sobre os resultados obtidos na experiência.

34

A aceleração e a classificação dos movimentos

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição

Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes conteúdos:

Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes conteúdos:

1.15

mudanças da direção da velocidade ou do seu valor implicam uma variação na velocidade.

Concluir que as

do subcapítulo “1.3. A aceleração

a classificação dos movimentos”.

Utilizar a apresentação PowerPoint®, para fazer uma revisão dos conteúdos abordados ao longo do subcapítulo “1.3. A aceleração e a classificação dos movimentos ”.

e

1.16

Definir aceleração

média, indicar a respetiva unidade SI e representá-la por um vetor, para movimentos retilíneos sem inversão de sentido.

 

– O que é a aceleração;

– Valor da aceleração média;

– Vetor aceleração média;

– Aceleração.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

Sugestões de exploração

   

1.17

Relacionar para

Utilizar as seguintes questões como suporte à apresentação PowerPoint®:

• O que é a aceleração?

movimentos retilíneos acelerados e retardados, realizados num certo intervalo de tempo, os sentidos dos vetores aceleração média e velocidade ao longo desse intervalo.

• O que significa dizer que o valor da aceleração média é 7 m/s 2 ?

• Se, num certo intervalo de tempo, o valor da velocidade aumentar, o valor da aceleração média é positivo ou negativo?

• Como se representa o vetor aceleração média?

1.18

Determinar

valores da aceleração média, para movimentos retilíneos no sentido positivo,

• Como se calcula o valor

a

partir de valores de

da aceleração instantânea?

velocidade e intervalos de tempo, ou de gráficos velocidade- -tempo, e resolver problemas que usem esta grandeza.

• No movimento uniformemente acelerado como varia o valor da aceleração?

1.20

Distinguir

movimentos retilíneos

uniformemente

variados (acelerados

ou retardados) e identificá-los em gráficos velocidade- -tempo.

35

Aceleração média

Aceleração média

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

1. a secção – Animação

• Associar a variação de velocidade de um dado corpo, num determinado intervalo de tempo, à grandeza aceleração

média.

1.16

Definir aceleração

média, indicar a respetiva unidade SI

e

representá-la por um

vetor, para movimentos retilíneos sem inversão de sentido.

• Caracterizar a aceleração média como uma grandeza vetorial.

• Calcular o valor da aceleração

1.17

Relacionar para

média através da fórmula:

movimentos retilíneos acelerados e retardados, realizados num certo intervalo de

v f v i

.

t f t i

Animação:

• Identificar a unidade SI de aceleração média como m/s 2 .

1. a secção – Animação

Definição do conceito de aceleração média recorrendo a um exemplo do quotidiano.

2. a secção – Secção interativa Cálculo da aceleração média em 3 situações específicas num gráfico velocidade-tempo:

velocidade constante, velocidade a aumentar e velocidade a diminuir.

tempo, os sentidos dos vetores aceleração

média e velocidade ao longo desse intervalo.

2. a secção – Secção interativa

• Analisar cada troço do gráfico velocidade-tempo.

• Calcular o valor da aceleração média num intervalo de tempo em que a velocidade é constante.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

 

Sugestões de exploração

 

3. a secção – Atividades 3 atividades de consolidação.

1.18

Determinar

• Calcular o valor da aceleração média num intervalo de tempo em que a velocidade aumenta.

• Calcular o valor da aceleração média num intervalo de tempo

em que a velocidade diminui.

valores da aceleração média, para movimentos retilíneos no sentido positivo,

a

partir de valores de

 

velocidade e intervalos de tempo, ou de gráficos velocidade- -tempo, e resolver problemas que usem esta grandeza.

 

a secção – Atividades

3.

• Consolidar os conhecimentos adquiridos.

• Analisar o grau de compreensão dos alunos e aplicação do conhecimento a novas situações.

 

Propostas de exercícios de aplicação

Aplicar os conhecimentos adquiridos através da resolução dos exercícios de aplicação.

44

Classificação dos movimentos

   

a secção – Introdução teórica

1.

Movimentos e Forças Movimentos na Terra 1.8 Interpretar gráficos posição-tempo para trajetórias retilíneas com

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

1.8 Interpretar gráficos posição-tempo para trajetórias retilíneas com movimentos realizados no sentido positivo, podendo

• Definir tipos de movimentos de acordo com a variação da velocidade e da aceleração em função do tempo.

• Analisar gráficos e inferir o tipo de movimento a que correspondem.

a

origem das posições

coincidir ou não com

 

a secção – Simulador

2.

posição no instante inicial.

a

Selecionar o tipo de movimento que se pretende estudar.

 

1.14

Classificar

 

Simulador

 

Movimento retilíneo uniforme

1. a secção – Introdução teórica

• Definição de movimento retilíneo uniforme, movimento retilíneo uniformemente acelerado e movimento retilíneo uniformemente retardado.

• Associação dos tipos de movimentos a gráficos velocidade-tempo e aceleração-tempo.

movimentos retilíneos no sentido positivo em

uniformes, acelerados ou retardados a partir dos valores da velocidade, da sua representação vetorial ou ainda de gráficos velocidade-tempo.

Selecionar diferentes valores para a velocidade inicial do automóvel e observar a variação do traçado gráfico. Analisar

os gráficos obtidos e inferir conclusões.

Movimento retilíneo uniformemente retardado

Selecionar diferentes valores para a velocidade inicial

e

aceleração e observar

variação do traçado gráfico. Analisar os gráficos obtidos

a

e

tirar conclusões.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

Sugestões de exploração

 

2. a secção - Simulador Traçado de gráficos posição-tempo, velocidade- -posição e aceleração-tempo no movimento retilíneo uniforme, movimento retilíneo uniformemente acelerado e movimento retilíneo uniformemente retardado.

1.19

Concluir que, num

3. a secção – Atividades

movimento retilíneo acelerado ou retardado, existe aceleração num dado instante, sendo

• Consolidar os conhecimentos adquiridos.

• Aferir o grau de compreensão dos alunos.

o

valor da aceleração,

3. a secção – Atividades 3 atividades de consolidação.

se esta for constante, igual ao da aceleração média.

Propostas de exercícios de aplicação

1.20

Distinguir

• Aplicar os conhecimentos adquiridos através da resolução dos exercícios de aplicação.

movimentos retilíneos

uniformemente

variados (acelerados

 

ou retardados)

e

identificá-los em

gráficos velocidade-

-tempo.

44

Velocidade em movimentos retilíneos uniformemente variados e uniformes

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante exposição do subcapítulo “1.4. Velocidade em movimentos retilíneos uniformemente variados e uniformes”.

a

retilíneos uniformemente variados e uniformes”. a 1.20 movimentos retilíneos Distinguir uniformemente

1.20

movimentos retilíneos

Distinguir

uniformemente

variados (acelerados

ou retardados)

Utilizar a apresentação

e

identificá-los em

PowerPoint®, para fazer uma revisão dos conteúdos abordados ao longo do subcapítulo “1.4. Velocidade em movimentos retilíneos uniformemente variados e uniformes”.

Utilizar as seguintes questões como suporte à apresentação PowerPoint®:

gráficos velocidade-

-tempo.

1.21

Determinar

distâncias percorridas usando um gráfico velocidade-tempo para movimentos retilíneos, no sentido positivo, uniformes e

Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes conteúdos:

uniformemente

– Como varia o valor da velocidade num movimento retilíneo uniformemente acelerado?

variados.

 

1.22

Concluir que os

limites de velocidade

• A velocidade nos movimentos retilíneos uniformemente variados;

• Gráficos velocidade-tempo e a distância percorrida;

rodoviária, embora

sejam apresentados

– Se o valor da aceleração for 5 m/s 2 , como varia o valor da velocidade em cada segundo?

• A velocidade dos veículos e a segurança rodoviária;

em km/h, se referem

• Distância de segurança rodoviária e os gráficos velocidade-tempo.

à velocidade e não

à rapidez média.

– Como varia o valor da velocidade num movimento retilíneo uniformemente retardado?

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

Sugestões de exploração

   

1.23

Distinguir, numa

• Se o valor da aceleração for -10 m/s 2 , como varia o valor da velocidade em cada segundo?

• Como varia o valor da velocidade num movimento retilíneo uniforme? E como

travagem de um veículo, tempo de reação de tempo de travagem, indicando os fatores de que depende cada um deles.

1.24

Determinar

é

o gráfico velocidade-tempo?

distâncias de reação, de travagem e de segurança, a partir de gráficos velocidade- -tempo, indicando os

• Como é o gráfico velocidade- -tempo de um movimento retilíneo uniformemente acelerado? E de um movimento retilíneo uniformemente retardado?

• Como se calcula a distância percorrida num certo intervalo de tempo, a partir de um gráfico velocidade-tempo?

fatores de que dependem.

• De que fatores depende a distância de segurança rodoviária?

46

Gráficos velocidade-tempo e distância percorrida

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

• Analisar e interpretar, a partir da imagem, os tipos de movimentos de um automóvel numa estrada retilínea.

1.20 Distinguir

1.20

Distinguir

movimentos retilíneos uniformemente variados (acelerados ou retardados) e identificá-los em gráficos velocidade- -tempo.

Desenhar a linha do gráfico velocidade-tempo

• Deslocar na vertical os pontos sobre o eixo horizontal, para tomarem os valores da velocidade associados a cada

1.21

Determinar

instante de tempo, de forma

a

traduzir os tipos de

distâncias percorridas usando um gráfico velocidade-tempo para movimentos retilíneos, no sentido positivo, uniformes e uniformemente variados.

movimentos representados.

Atividade Exercícios interativos para definir a linha de gráficos velocidade-tempo associada aos movimentos representados na imagem e exercícios para calcular a distância percorrida através da área total subjacente à linha do gráfico.

• Clicar no botão “Validar” e tirar conclusões.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

Sugestões de exploração

     

Cálculo da distância percorrida

• Arrastar as figuras geométricas corretas para as áreas subjacentes à linha do gráfico

e redimensionar até ocupar toda

a área.

• Observar e compreender

cálculo da distância percorrida num certo intervalo de tempo

o

a

partir da soma das áreas

compreendidas entre a linha do gráfico e o eixo horizontal.

47

Simuladores da Prevenção Rodoviária

Movimentos e Forças Movimentos na Terra

Para todos os simuladores

48

Portuguesa

• Clicar no botão i em caso de

1.22 Concluir que os dúvidas.

1.22

Concluir que os

dúvidas.

limites de velocidade

• Depois de selecionar todas as variáveis, clicar no botão play e tirar conclusões.

rodoviária, embora

sejam apresentados

em km/h, se referem

 

à velocidade e não

Simulador – Distância de

à rapidez média.

paragem (distância de

segurança rodoviária)

1.23

Distinguir, numa

travagem de um veículo, tempo de reação de tempo de travagem, indicando os fatores de que depende cada um deles.

Sabe quantos metros percorre

o

seu automóvel desde que

coloca o pé no travão até parar?

 

• Selecionar um valor para

a velocidade do automóvel e um
a velocidade do automóvel e um

a

velocidade do automóvel e um

valor para o tempo de reação.

• Selecionar o tipo de piso

1.24

Determinar

(alcatrão, terra, neve ou gelo)

distâncias de reação, de travagem e de segurança, a partir de gráficos velocidade- -tempo, indicando os fatores de que dependem.

as condições do piso (seco ou molhado), no caso de ter selecionado o tipo de piso, alcatrão ou terra.

e

Simulador – Piso seco e piso molhado Compare as distâncias de paragem com piso seco

e com piso molhado.

 

• Selecionar um valor para a velocidade do automóvel.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

Metas

Sugestões de exploração

 

Simuladores

 

Simulador – Velocidade de colisão Sabe de que depende a velocidade de colisão?

Conjunto de 8 simuladores disponibilizados pela Prevenção Rodoviária Portuguesa sobre os conteúdos:

• Distância de paragem (distância de segurança rodoviária);

• Selecionar um valor para a velocidade do automóvel e um valor para o tempo de reação.

• Piso seco e piso molhado;

• Velocidade de colisão;

• Selecionar o tipo de piso

• Velocidade de atropelamento;

(alcatrão, terra, neve ou gelo)

as condições do piso (seco ou molhado), no caso de ter selecionado o tipo de piso, alcatrão ou terra.

e

• Comparação de velocidades de atropelamento;

• Visibilidade reduzida;

• Força de embate;

• Campo de visão.

• Selecionar a distância entre

o

automóvel e o obstáculo.

 

Simulador – Velocidade de atropelamento Sabe qual a probabilidade de morte de um peão atropelado?

• Selecionar um valor para a velocidade do automóvel e um valor para o tempo de reação.

• Selecionar o tipo de piso (alcatrão, terra, neve ou gelo)

e

as condições do piso (seco

ou molhado), no caso de ter

selecionado o tipo de piso, alcatrão ou terra.

• Selecionar a distância entre

o

automóvel e o peão.

Simulador – Comparação de velocidades de atropelamento Compare como mesmo pequenas diferenças de velocidade de circulação podem fazer diferença entre vida e morte.

• Selecionar um valor para

velocidade do automóvel laranja e do automóvel vermelho.

a

• Selecionar as condições do piso, seco ou molhado.

• Selecionar a distância entre

o

automóvel e os peões.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

Metas

 

Sugestões de exploração

     

Simulador – Visibilidade reduzida

Sabia que situações de visibilidade reduzida como o nevoeiro condicionam

a velocidade a que pode circular?

• Selecionar o tempo de reação

 

e

a distância de visibilidade.

• Selecionar o tipo de piso, alcatrão, terra, neve ou gelo.

Simulador – Força de embate

Sabe o que representa para os ocupantes de um automóvel terem um acidente a determinada velocidade?

Selecionar o valor da velocidade de colisão do automóvel

e

a massa do ocupante.

Simulador – Campo de visão Sabe qual a influência da velocidade de um automóvel no campo de visão do condutor?

• Selecionar o valor da velocidade do automóvel e observar a sua influência no campo de visão docondutor.

48

Vídeos temáticos da Prevenção Rodoviária Portuguesa

Movimentos e Forças Forças e movimentos 2.10 Justificar a utilização de apoios de cabeça, cintos de segurança, airbags, capacetes e materiais deformáveis nos veículos com base nas leis de dinâmica.

• Sensibilizar para a problemática do excesso de velocidade

Abordam de modo preventivo situações comuns no quotidiano, alertando para possíveis consequências resultantes do

Abordam de modo preventivo situações comuns no quotidiano, alertando para possíveis consequências resultantes do excesso de velocidade e ausência de cinto de segurança.

 

de viajar sem o cinto de segurança.

e

 

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

Metas

 

Sugestões de exploração

215

Organização da Tabela Periódica

Classificação dos

Utilizar a apresentação PowerPoint®, durante a exposição do tópico “2.1. Organização da Tabela Periódica”. Utilizar a apresentação PowerPoint®, para fazer uma revisão dos conteúdos

abordados ao longo do subcapítulo “2.1. Organização

Materiais

Materiais

Propriedades dos materiais e Tabela Periódica

2.1

Identificar

contributos de vários cientistas para

evolução da Tabela Periódica até

a

à

atualidade.

da Tabela Periódica”. Utilizar as seguintes questões como suporte à apresentação PowerPoint®:

2.2

Identificar a

posição dos elementos

químicos na Tabela

Periódica a partir da ordem crescente do número atómico

O

que é a Tabela Periódica?

 

O

que é a lei das tríades

e

a lei das oitavas?

e

definir período

 

Apresentação PowerPoint® sobre os seguintes conteúdos:

• Tabela Periódica atual – grupos e períodos;

• Tabela Periódica atual e distribuição eletrónica;

grupo.

e

2.3

e

Determinar o grupo

o período de

Qual o cientista responsável

pela primeira classificação

periódica dos elementos?

• Elementos naturais e artificiais;

elementos químicos (Z ≤ 20) a partir do seu valor de Z ou conhecendo o número de eletrões de valência

Qual o contributo de Niels Bohr para a evolução da Tabela Periódica?

• Informações que a Tabela Periódica fornece.

Quantos elementos químicos se conhecem atualmente?

o nível de energia em que estes se encontram.

e

Como estão organizados na Tabela Periódica?

O

que há de comum na

2.4

Tabela Periódica, elementos que existem na natureza próxima de nós e outros que na Terra só são produzidos artificialmente.

Identificar, na

distribuição eletrónica dos átomos dos elementos de um mesmo período?

O

que há de comum na

distribuição eletrónica dos átomos dos elementos de um mesmo grupo?

2.5

Identificar, na

Que informações relativas

Tabela Periódica, os metais e os não metais.

à

substância elementar

podemos encontrar na Tabela

2.7

Distinguir

Periódica?

informações na Tabela

 

Periódica relativas

elementos químicos (número atómico, massa atómica relativa) e às

a

substâncias

elementares

correspondentes

(ponto de fusão, ponto de ebulição e massa volúmica).

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

 

Sugestões de exploração

216

Tabela Periódica interativa

Classificação dos

Esta animação é atípica dado ser constituída por apenas uma secção interativa.

219

219 Materiais

Materiais

223

Propriedades dos materiais e Tabela Periódica

• Clicar em cada elemento químico para aceder às

2.2

Identificar a posição

 

seguintes informações: símbolo químico, número atómico, massa atómica relativa, distribuição eletrónica

dos elementos

químicos na Tabela Periódica a partir da ordem crescente do número atómico

propriedades das substâncias elementares (ponto de fusão,

e

e

definir período

ponto de ebulição e massa

volúmica).

 

e

grupo.

Animação

2.4

Identificar, na

• Relacionar a posição de cada elemento com a sua distribuição eletrónica (foi incluída

Secção interativa

Tabela Periódica, elementos que existem na natureza próxima de nós e outros que na Terra só são produzidos artificialmente.

• Análise da Tabela Periódica por forma a conhecer os elementos e as suas propriedades.

• Conhecer algumas propriedades das substâncias elementares e sua variação ao longo do grupo e do período.

a

elementos de transição embora não seja alvo de estudo no

distribuição eletrónica dos

9. o ano). • Clicar nos botões Metais, Não metais e Semimetais, para localizar a sua posição na Tabela Periódica.

• Aceder ao botão Propriedades

2.5

Identificar, na

 

Tabela Periódica, os metais e os não metais.

2.6

Tabela Periódica,

Identificar, na

elementos

 

e

clicar em: ponto de fusão,

pertencentes aos grupos dos metais

ponto de ebulição, massa volúmica e raio atómico. Verificar a variação destas

alcalinos, metais

alcalinoterrosos,

halogéneos e gases nobres.

propriedades ao longo da Tabela Periódica.

• Selecionar a unidade para

2.7

Distinguir

 

a

temperatura ( o C ou K) e

informações na Tabela Periódica relativas

arrastar o cursor para verificar como variam os estados físicos

elementos químicos (número atómico, massa atómica relativa) e às

a

 

das substâncias elementares de acordo com a temperatura indicada.

• Conhecer os elementos

substâncias

 

químicos que fazem parte

elementares

dos grupos: 1, 2, 17 e 18.

correspondentes

 

(ponto de fusão, ponto

Propostas de exercícios de aplicação

de ebulição e massa volúmica).

Aplicar os conhecimentos adquiridos através da resolução dos exercícios de aplicação.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Página

Recurso

 

Metas

 

Sugestões de exploração

217

Localiza os elementos químicos

Classificação dos

Clicar no elemento químico da Tabela Periódica que corresponda à resposta correta da questão indicada na pista.

223

223 Materiais

Materiais

Propriedades dos materiais e Tabela Periódica

2.2

Identificar

 

a

posição dos

elementos químicos na Tabela Periódica

a

partir da ordem

crescente do número

atómico e definir período e grupo.

Atividade Conjunto de exercícios de aplicação relacionados com alguns conteúdos abordados nos subcapítulos “2.1. Organização da Tabela Periódica” e “2.2. Propriedades de substâncias elementares e a Tabela Periódica”.

2.3

Determinar o grupo

e

o período de

elementos químicos

(Z

≤ 20) a partir do seu

valor de Z ou conhecendo o número

 

de eletrões de valência

o nível de energia em que estes se encontram.

e

227

Reação de metais alcalinos com a água

Classificação dos

Enquadramento teórico (1. a secção)

Materiais

Materiais

Propriedades dos materiais e Tabela Periódica

Contextualizar a atividade laboratorial da página 227 do Manual através da primeira

2.9

Explicar

secção do recurso.

a

semelhança de

Materiais (1. a secção)

Identificar materiais/reagentes

propriedades químicas das substâncias

elementares

 

a

utilizar através da realização

correspondentes

da atividade onde se associa

a

um mesmo grupo

o

número ao nome do

(1,

2 e 17) atendendo

material/reagente respetivo.

à

sua estrutura

 

atómica.

Vídeo (3. a secção)

Vídeo laboratorial Inicia-se o recurso com um enquadramento teórico, exploram-se os materiais a utilizar. O procedimento experimental é demonstrado através de um vídeo e, no final, apresentam-se atividades de consolidação.

Esta secção corresponde ao vídeo laboratorial, que permite esclarecer possíveis dúvidas surgidas aquando da realização da atividade laboratorial.

A

visualização do vídeo pode

também ser feita após

 

a

realização da atividade

laboratorial em sala de aula, auxiliando no processo de interpretação dos resultados obtidos.

Atividades (4. a secção)

Realizar as atividades finais sobre os resultados obtidos na experiência.

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Propostas de exercícios de aplicação

Os recursos multimédia das tipologias “Simulação” e “Animação” incluem um conjunto de exer- cícios que complementam a sua exploração.

De seguida apresentam-se alguns exemplos destas propostas de trabalho, disponíveis na versão

de demonstração do

.
.

Animação: Aceleração média (Página 35 do Manual)

1. A turma do Gustavo deslocou-se do Porto a Lisboa para uma visita de estudo. Durante a viagem, o Gustavo registou os valores da velocidade do comboio nos seguintes instantes de tempo:

 

Tempo t / min

Velocidade v / (km/h)

 

0

 

0

3

 

60

20

100

 
20 100  

45

180

 

65

 

80

100

185

140

185

155

 

0

1.1 Constrói o gráfico velocidade–tempo correspondente aos valores da tabela, depois de convertidos às unidades SI.

1.2 Indica em que intervalos de tempo o valor da velocidade:

 

1.2.1

aumentou;

1.2.2 diminuiu;

1.2.3 permaneceu constante.

 

1.3 Calcula, na unidade SI, os valores da aceleração média nos intervalos de tempo: [0; 3[ min, [3; 20[ min, [20; 45[ min, [45; 65[ min, [65; 100[ min, [100; 140[ min e [140; 155[ min.

1.4 Indica em que intervalos de tempo o valor da aceleração média:

 

1.4.1

foi negativo;

1.4.2 foi positivo;

1.4.3 se anulou.

 

2. Em 2014, a FIFA realizou um estudo sobre os jogadores mais rápidos do mundo. Os resultados obtidos fo- ram os seguintes:

Em 2014, a FIFA realizou um estudo sobre os jogadores mais rápidos do mundo. Os resultados

Jogador

Velocidade v / (km/h)

Arjen Robben

37,0

Theo Walcott

35,7

António Valencia

35,2

Gareth Bale

34,7

Aaron Lennon

33,8

Cristiano Ronaldo

33,6

Leonel Messi

32,5

Wayne Rooney

32,1

2.1 Supondo que esta velocidade foi atingida durante um sprint de 0,8 s para todos os jogadores, indica a aceleração média de cada jogador nesse intervalo de tempo.

22

EDITÁVEL

FOTOCOPIÁVEL

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Aprende com a pesquisa

Imagina-te um fabricante de carros desportivos que está a desenvolver um novo modelo que permita atingir velocidades elevadas num curto intervalo de tempo. Para tal começas por estudar os modelos que já existem.

Efetua uma pesquisa que te permita saber os melhores resultados para velocidades dos 0 aos 100 km/h, em carros desportivos.

Em seguida calcula as respetivas acelerações médias e tira conclusões.

Simulação: Classificação dos movimentos (Página 44 do manual)

1. Um grupo de amigos costuma fazer corrida regularmente. Sempre que possível seguem o mesmo
1.
Um grupo de amigos costuma fazer corrida regularmente. Sempre que possível seguem o mesmo percurso
com o mesmo tipo de movimento. O gráfico velocidade-tempo seguinte reflete o treino deste grupo de
amigos.
1,6
v / (m/s)
1,4
1,2
1
0,8
0,6
0,4
0,2
0
0
500
1000
1500
2000
2500
3000
3500
t / s

1.1 Indica em que intervalos de tempo o movimento foi acelerado, retardado ou uniforme ao longo do per- curso. Justifica.

1.2 Calcula a aceleração média nos seguintes intervalos de tempo:

1.2.1 [0; 1500[ s

1.2.2 [1500; 2400[ s

1.2.3 [2400; 3300[ s

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

2. No ginásio, cinco amigas resolveram fazer uma pequena competição na aula de spinning.

Registaram os valores de velocidade nos mesmos instantes de tempo, obtendo a seguinte tabela:

   

Tempo t / min

 

0

5

10

15

20

25

30

40

45

 

Joana

0

4

8

16

16

16

9

3

0

Vânia

0

6

10

16

16

16

16

14

0

Velocidade v / (m/s)

Catarina

1

2

6

8

16

16

20

10

5

Cátia

1,5

8

12

16

20

20

12

5

1

Sílvia

2

10

16

16

16

20

18

6

0

 
 

2.1 Para cada uma das amigas, constrói um gráfico velocidade-tempo que traduza os resultados obtidos.

2.2 Indica para cada uma das amigas um intervalo de tempo em que o movimento tenha sido:

2.2.1 retilíneo uniformemente acelerado;

2.2.2 retilíneo uniformemente retardado;

2.2.3 retilíneo uniforme.

2.3 Calcula os valores da aceleração média nos intervalos de tempo referidos em 2.2, para cada uma das desportistas.

 
 

Novo FQ 9 – Guia do Professor, ASA

Animação: Tabela Periódica interativa (Página 218 do manual)

Faz capturas de ecrã da Tabela Periódica que te permitam responder às seguintes questões.

1. Cada elemento químico tem uma posição definida na Tabela Periódica que se relaciona com as caracte- rísticas dos seus átomos.

1.1 Identifica os elementos cuja localização na Tabela Periódica é:

i) Grupo 2 e 3. o período;

ii) Grupo 17 e 2. o período;

iii) Grupo 1 e 4. o período.

1.2 Para os elementos identificados, escreve a distribuição eletrónica dos respetivos átomos.

1.3 Dos três elementos identificados, seleciona o que não é um metal.

1.3 Dos três elementos identificados, seleciona o que não é um metal.

2. Após analisares a informação sobre os primeiros 20 elementos da Tabela Periódica, descreve como variam as suas propriedades e as propriedades das respetivas substâncias elementares.

3. Identifica o elemento químico correspondente a cada uma das características/propriedades indicadas.