Você está na página 1de 196

Prefeitura Municipal

de Ananindeua/PA
Auxiliar Municipal - Todas as Áreas

Língua Portuguesa
Compreensã o de texto. .......................................................................................................................................................1
Ortografia: acentuaçã o, emprego de letras e divisã o silá bica. ....................................................................................3
Pontuaçã o. ......................................................................................................................................................................... 14
Classes e emprego de palavras. Gê nero e nú mero dos substantivos. Coletivos. ................................................... 16
Sintaxe da oraçã o (perí́odo simples e composto). ...................................................................................................... 22
Concordâ ncia. .................................................................................................................................................................... 33
Significado das palavras: sinô nimos, antô nimos, denotaçã o e conotaçã o. ............................................................ 36

Matemática
Conjuntos numéricos. Números naturais, inteiros, racionais e reais. Operações com conjuntos..........................1
Fatoração e números primos: divisibilidade, máximo divisor comum e mínimo múltiplo comum. .................. 13
Razões e proporções: regras de três simples e composta. ......................................................................................... 18
Porcentagem e divisão proporcional. ............................................................................................................................ 22
Sistemas lineares: equações e inequações. ................................................................................................................... 26
Noções de geometria: retas, ângulos, paralelismo e perpendicularismo, triângulos e quadriláteros. Teorema
de Pitágoras. Leitura de gráficos. ................................................................................................................................... 30
Sistemas de medidas: tempo, massa, comprimento, área, volume etc. ................................................................... 44
Perímetro e área de figuras planas, volumes de sólidos. ........................................................................................... 46

Atualidades
Conhecimentos de assuntos atuais e relevantes nas áreas da política, economia, transporte, sociedade, meio
ambiente, educação, ciência, tecnologia, desenvolvimento sustentá vel, segurança pú blica, energia, relaçõ es
internacionais, suas inter-relaçõ es e vinculaçõ es histó ricas ........................................................................................1

Legislação
Lei nº 2.177, de 07 de dezembro 2005 ( Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Ananindeua) .... ..1
A apostila OPÇÃO não está vinculada a empresa organizadora do concurso público a que se destina,
assim como sua aquisição não garante a inscrição do candidato ou mesmo o seu ingresso na carreira
pública.

O conteúdo dessa apostila almeja abordar os tópicos do edital de forma prática e esquematizada,
porém, isso não impede que se utilize o manuseio de livros, sites, jornais, revistas, entre outros meios
que ampliem os conhecimentos do candidato, visando sua melhor preparação.

Atualizações legislativas, que não tenham sido colocadas à disposição até a data da elaboração da
apostila, poderão ser encontradas gratuitamente no site das apostilas opção, ou nos sites
governamentais.

Informamos que não são de nossa responsabilidade as alterações e retificações nos editais dos
concursos, assim como a distribuição gratuita do material retificado, na versão impressa, tendo em vista
que nossas apostilas são elaboradas de acordo com o edital inicial. Porém, quando isso ocorrer, inserimos
em nosso site, www.apostilasopcao.com.br, no link “erratas”, a matéria retificada, e disponibilizamos
gratuitamente o conteúdo na versão digital para nossos clientes.

Caso haja dúvidas quanto ao conteúdo desta apostila, o adquirente deve acessar o site
www.apostilasopcao.com.br, e enviar sua dúvida, que será respondida o mais breve possível, assim como
para consultar alterações legislativas e possíveis erratas.

Também ficam à disposição do adquirente o telefone (11) 2856-6066, dentro do horário comercial,
para eventuais consultas.

Eventuais reclamações deverão ser encaminhadas por escrito, respeitando os prazos instituídos no
Código de Defesa do Consumidor.

É proibida a reprodução total ou parcial desta apostila, de acordo com o Artigo 184 do Código
Penal.

Apostilas Opção, a opção certa para a sua realização.


LÍNGUA PORTUGUESA
APOSTILAS OPÇÃO

de coesão, a melhor atitude é ler atentamente o seu texto,


procurando estabelecer as possíveis relações entre palavras
que formam a oração e as orações que formam o período e,
finalmente, entre os vários períodos que formam o texto. Um
texto bem trabalhado sintática e semanticamente resulta num
texto coeso.

Compreensão de texto. Coerência

A coerência está diretamente ligada à possibilidade de


estabelecer um sentido para o texto, ou seja, ela é que faz com
COMPREENSÃO DO TEXTO que o texto tenha sentido para quem lê. Na avaliação da
coerência será levado em conta o tipo de texto. Em um texto
Há duas operações diferentes no entendimento de um texto. dissertativo, será avaliada a capacidade de relacionar os
A primeira é a apreensão, que é a captação das relações que argumentos e de organizá-los de forma a extrair deles
cada parte mantém com as outras no interior do texto. No conclusões apropriadas; num texto narrativo, será avaliada
entanto, ela não é suficiente para entender o sentido integral. sua capacidade de construir personagens e de relacionar ações
Uma pessoa que conhecesse todas as palavras do texto, mas e motivações.
não conhecesse o universo dos discursos, não entenderia o
significado do mesmo. Por isso, é preciso colocar o texto Tipos de Composição
dentro do universo discursivo a que ele pertence e no interior
do qual ganha sentido. Alguns teóricos chamam o universo Descrição: é representar verbalmente um objeto, uma
discursivo de “conhecimento de mundo”, mas chamaremos essa pessoa, um lugar, mediante a indicação de aspectos
operação de compreensão. característicos, de pormenores individualizantes. Requer
E assim teremos: observação cuidadosa, para tornar aquilo que vai ser descrito
um modelo inconfundível. Não se trata de enumerar uma série
Apreensão + Compreensão = Entendimento do texto de elementos, mas de captar os traços capazes de transmitir
uma impressão autêntica. Descrever é mais que apontar, é
Para ler e entender um texto é preciso atingir dois níveis muito mais que fotografar. É pintar, é criar. Por isso, impõe-se
de leitura, sendo a primeira a informativa e a segunda à de o uso de palavras específicas, exatas.
reconhecimento.
A primeira deve ser feita cuidadosamente por ser o Narração: é um relato organizado de acontecimentos reais
primeiro contato com o texto, extraindo-se informações e se ou imaginários. São seus elementos constitutivos:
preparando para a leitura interpretativa. Durante a personagens, circunstâncias, ação; o seu núcleo é o incidente,
interpretação grife palavras-chave, passagens importantes; o episódio, e o que a distingue da descrição é a presença de
tente ligar uma palavra à ideia central de cada parágrafo. personagens atuantes, que estão quase sempre em conflito. A
A última fase de interpretação concentra-se nas perguntas narração envolve:
e opções de respostas. Marque palavras como não, exceto, - Quem? Personagem;
respectivamente, etc., pois fazem diferença na escolha - Quê? Fatos, enredo;
adequada. - Quando? A época em que ocorreram os acontecimentos;
Retorne ao texto mesmo que pareça ser perda de tempo. - Onde? O lugar da ocorrência;
Leia a frase anterior e posterior para ter ideia do sentido global - Como? O modo como se desenvolveram os
proposto pelo autor. acontecimentos;
Um texto para ser compreendido deve apresentar ideias - Por quê? A causa dos acontecimentos;
seletas e organizadas, através dos parágrafos que é composto
pela ideia central, argumentação e/ou desenvolvimento e a Dissertação: é apresentar ideias, analisá-las, é estabelecer
conclusão do texto. um ponto de vista baseado em argumentos lógicos; é
A alusão histórica serve para dividir o texto em pontos estabelecer relações de causa e efeito. Aqui não basta expor,
menores, tendo em vista os diversos enfoques. narrar ou descrever, é necessário explanar e explicar. O
Convencionalmente, o parágrafo é indicado através da raciocínio é que deve imperar neste tipo de composição, e
mudança de linha e um espaçamento da margem esquerda. quanto maior a fundamentação argumentativa, mais brilhante
Uma das partes bem distintas do parágrafo é o tópico será o desempenho.
frasal, ou seja, a ideia central extraída de maneira clara e
resumida. Sentidos Próprio e Figurado
Atentando-se para a ideia principal de cada parágrafo,
asseguramos um caminho que nos levará à compreensão do Comumente afirma-se que certas ocorrências de discurso
texto. têm sentido próprio e sentido figurado. Geralmente os
Produzir um texto é semelhante à arte de produzir um exemplos de tais ocorrências são metáforas. Assim, em “Maria
tecido, o fio deve ser trabalhado com muito cuidado para que é uma flor” diz-se que “flor” tem um sentido próprio e um
o trabalho não se perca. Por isso se faz necessária a sentido figurado. O sentido próprio é o mesmo do enunciado:
compressão da coesão e coerência. “parte do vegetal que gera a semente”. O sentido figurado é o
mesmo de “Maria, mulher bela, etc.” O sentido próprio, na
Coesão acepção tradicional não é próprio ao contexto, mas ao termo.
O sentido tradicionalmente dito próprio sempre
É a amarração entre as várias partes do texto. Os principais corresponde ao que definimos aqui como sentido imediato do
elementos de coesão são os conectivos e vocábulos enunciado. Além disso, alguns autores o julgam como sendo o
gramaticais, que estabelecem conexão entre palavras ou sentido preferencial, o que comumente ocorre.
partes de uma frase. O texto deve ser organizado por nexos O sentido dito figurado é o do enunciado que substitui a
adequados, com sequência de ideias encadeadas logicamente, metáfora, e que em leitura imediata leva à mesma mensagem
evitando frases e períodos desconexos. Para perceber a falta que se obtém pela decifração da metáfora.

Língua Portuguesa 1
APOSTILAS OPÇÃO

O conceito de sentido próprio nasce do mito da existência Na verdade, não existe o leitor absolutamente ingênuo, que
da leitura ingênua, que ocorre esporadicamente, é verdade, se comporte como uma máquina de ler, o que faz do conceito
mas nunca mais que esporadicamente. de leitura imediata apenas um pressuposto metodológico. O
Não há muito que criticar na adoção dos conceitos de que existe são ocorrências eventuais que se aproximam de
sentido próprio e sentido figurado, pois ela abre um caminho uma leitura imediata, como quando alguém toma o sentido
de abordagem do fenômeno da metáfora. O que é passível de literal pelo figurado, quando não capta uma ironia ou fica
crítica é a atribuição de status diferenciado para cada uma das perplexo diante de um oximoro.
categorias. Tradicionalmente o sentido próprio carrega uma Há quem chame o discurso que admite leitura imediata de
conotação de sentido “natural”, sentido “primeiro”. grau zero da escritura, identificando-a como uma forma mais
Invertendo a perspectiva, com os mesmos argumentos, primitiva de expressão. Esse grau zero não tem realidade, é
poderíamos afirmar que “natural”, “primeiro” é o sentido apenas um pressuposto. Os recursos de Retórica são
figurado, afinal, é o sentido figurado que possibilita a correta anteriores a ele.
interpretação do enunciado e não o sentido próprio. Se o
sentido figurado é o “verdadeiro” para o enunciado, por que Sentido Preferencial
não chamá-lo de “natural”, “primeiro”? Para compreender o sentido preferencial é preciso
Pela lógica da Retórica tradicional, essa inversão de conceber o enunciado descontextualizado ou em contexto de
perspectiva não é possível, pois o sentido figurado está dicionário. Quando um enunciado é realizado em contexto
impregnado de uma conotação desfavorável. O sentido muito rarefeito, como é o contexto em que se encontra uma
figurado é visto como anormal e o sentido próprio, não. Ele palavra no dicionário, dizemos que ela está
carrega uma conotação positiva, logo, é natural, primeiro. descontextualizada. Nesta situação, o sentido preferencial é o
A Retórica tradicional é impregnada de moralismo e que, na média, primeiro se impõe para o enunciado. Óbvio, o
estetização e até a geração de categorias se ressente disso. sentido que primeiro se impõe para um receptor pode não ser
Essa tendência para atribuir status às categorias é uma o mesmo para outro. Por isso a definição tem de considerar o
constante do pensamento antigo, cuja índole era resultado médio, o que não impede que pela necessidade
hierarquizante, sempre buscando uma estrutura piramidal momentânea consideremos o significado preferencial para
para o conhecimento, o que se estende até hoje em algumas dado indivíduo.
teorias modernas. Algumas regularidades podem ser observadas nos
Ainda hoje, apesar da imparcialidade típica e necessária ao significados preferenciais. Por exemplo: o sentido preferencial
conhecimento científico, vemos conotações de valor sendo da palavra porco costuma ser: “animal criado em granja para
atribuídas a categorias retóricas a partir de considerações abate”, e nunca o de “indivíduo sem higiene”. Em outras
totalmente externas a ela. Um exemplo: o retórico que tenha palavras, geralmente o sentido que admite leitura imediata se
para si a convicção de que a qualidade de qualquer discurso se impõe sobre o que teve origem em processos metafóricos,
fundamenta na sua novidade, originalidade, imprevisibilidade, alegóricos, metonímicos. Mas esta regra não é geral. Vejamos
tenderá a descrever os recursos retóricos como “desvios da o seguinte exemplo: “Um caminhão de cimento”. O sentido
normalidade”, pois o que lhe interessa é pôr esses recursos preferencial para a frase dada é o mesmo de “caminhão
retóricos a serviço de sua concepção estética. carregado com cimento” e não o de “caminhão construído com
cimento”. Neste caso o sentido preferencial é o metonímico, o
Sentido Imediato que contrapõe a tese que diz que o sentido “figurado” não é o
“primeiro significado da palavra”. Também é comum o sentido
Sentido imediato é o que resulta de uma leitura imediata mais usado se impor sobre o menos usado.
que, com certa reserva, poderia ser chamada de leitura Para certos termos é difícil estabelecer o sentido
ingênua ou leitura de máquina de ler. preferencial. Um exemplo: Qual o sentido preferencial de
Uma leitura imediata é aquela em que se supõe a existência manga? O de fruto ou de uma parte da roupa?
de uma série de premissas que restringem a decodificação tais
como: Questões
- As frases seguem modelos completos de oração da língua.
- O discurso é lógico. 01. (SEDS/PE - Sargento Polícia Militar -
- Se a forma usada no discurso é a mesma usada para MS/CONCURSOS) O preenchimento adequado da manchete:
estabelecer identidades lógicas ou atribuições, então, tem-se, “Pelé afirma que a seleção está bem, ______Portugal e Espanha
respectivamente, identidade lógica e atribuição. também estão bem preparadas.” faz parte de um recurso de:
- Os significados são os encontrados no dicionário.
- Existe concordância entre termos sintáticos. (A) Adequação vocabular.
- Abstrai-se a conotação. (B) Falta de coesão.
- Supõe-se que não há anomalias linguísticas. (C) Incoerência.
- Abstrai-se o gestual, o entoativo e editorial enquanto (D) Coesão.
modificadores do código linguístico. (E) Coerência.
- Supõe-se pertinência ao contexto.
- Abstrai-se iconias. 02. (SEDUC/PI - Professor - NUCEP) O sentido da frase:
- Abstrai-se alegorias, ironias, paráfrases, trocadilhos, etc. Equivale dizer, ainda, que nós somos sujeitos de nossa história
- Não se concebe a existência de locuções e frases feitas. e de nossa realidade, considerando-se a palavra destacada,
- Supõe-se que o uso do discurso é comunicativo. Abstrai- continuará inalterado, em:
se o uso expressivo, cerimonial.
(A) Equivale dizer, talvez, que nós somos sujeitos de nossa
Admitindo essas premissas, o discurso será indecifrável, história e de nossa realidade.
ininteligível ou compreendido parcialmente toda vez que nele (B) Equivale dizer, por outro lado, que nós somos sujeitos
surgirem elipses, metáforas, metonímias, oximoros, ironias, de nossa história e de nossa realidade.
alegorias, anomalias, etc. Também passam despercebidas as (C) Equivale dizer, preferencialmente, que nós somos
conotações, as iconias, os modificadores gestuais, entoativos, sujeitos de nossa história e de nossa realidade.
editoriais, etc. (D) Equivale dizer, novamente, que nós somos sujeitos de
nossa história e de nossa realidade.

Língua Portuguesa 2
APOSTILAS OPÇÃO

(E) Equivale dizer, também, que nós somos sujeitos de O termo gavião, destacado em sua última ocorrência no
nossa história e de nossa realidade. texto – … pode lhe suceder que ele encontre seu gavião em
outro homem. –, é empregado com sentido:
03. (TJ/SP - Agente de Fiscalização Judiciária -
VUNESP) (A) próprio, equivalendo a inspiração.
(B) próprio, equivalendo a conquistador.
No fim da década de 90, atormentado pelos chás de cadeira (C) figurado, equivalendo a ave de rapina.
que enfrentou no Brasil, Levine resolveu fazer um (D) figurado, equivalendo a alimento.
levantamento em grandes cidades de 31 países para descobrir (E) figurado, equivalendo a predador.
como diferentes culturas lidam com a questão do tempo. A
conclusão foi que os brasileiros estão entre os povos mais Gabarito
atrasados - do ponto de vista temporal, bem entendido - do 01.D / 02.E / 03.D / 04.E
mundo. Foram analisadas a velocidade com que as pessoas
percorrem determinada distância a pé no centro da cidade, o
número de relógios corretamente ajustados e a eficiência dos Ortografia: acentuação,
correios. Os brasileiros pontuaram muito mal nos dois
primeiros quesitos. No ranking geral, os suíços ocupam o emprego de letras e divisão
primeiro lugar. O país dos relógios é, portanto, o que tem o silábica.
povo mais pontual. Já as oito últimas posições no ranking são
ocupadas por países pobres.
O estudo de Robert Levine associa a administração do ORTOGRAFIA
tempo aos traços culturais de um país. "Nos Estados Unidos,
por exemplo, a ideia de que tempo é dinheiro tem um alto valor Alfabeto
cultural. Os brasileiros, em comparação, dão mais importância
às relações sociais e são mais dispostos a perdoar atrasos", diz O alfabeto da língua portuguesa é formado por 26 letras. A –
o psicólogo. Uma série de entrevistas com cariocas, por B–C–D–E–F–G–H–I–J–K–L–M–N–O–P–Q–R–S–
exemplo, revelou que a maioria considera aceitável que um T – U – V – W – X – Y – Z.
convidado chegue mais de duas horas depois do combinado a
uma festa de aniversário. Pode-se argumentar que os Observação: emprega-se também o “ç”, que representa o
brasileiros são obrigados a ser mais flexíveis com os horários fonema /s/ diante das letras: a, o, e u em determinadas palavras.
porque a infraestrutura não ajuda. Como ser pontual se o
trânsito é um pesadelo e não se pode confiar no transporte Emprego das Letras e Fonemas
público?
(Veja, 2009.)
Emprego das letras K, W e Y
Há emprego do sentido figurado das palavras em: Utilizam-se nos seguintes casos:
(A) ... os brasileiros estão entre os povos mais atrasados... 1) Em antropônimos originários de outras línguas e seus
(B) No ranking geral, os suíços ocupam o primeiro lugar. derivados. Exemplos: Kant, kantismo; Darwin, darwinismo;
(C) Os brasileiros ... dão mais importância às relações Taylor, taylorista.
sociais...
(D) Como ser pontual se o trânsito é um pesadelo... 2) Em topônimos originários de outras línguas e seus
(E) ... não se pode confiar no serviço público? derivados. Exemplos: Kuwait, kuwaitiano.

04. (UNESP - Assistente Administrativo - 3) Em siglas, símbolos, e mesmo em palavras adotadas como
VUNESP/2016) unidades de medida de curso internacional. Exemplos: K
(Potássio), W (West), kg (quilograma), km (quilômetro), Watt.
O gavião
Emprego do X
Gente olhando para o céu: não é mais disco voador. Disco Se empregará o “X” nas seguintes situações:
voador perdeu o cartaz com tanto satélite beirando o sol e a 1) Após ditongos.
lua. Olhamos todos para o céu em busca de algo mais Exemplos: caixa, frouxo, peixe.
sensacional e comovente – o gavião malvado, que mata Exceção: recauchutar e seus derivados.
pombas.
O centro da cidade do Rio de Janeiro retorna assim à 2) Após a sílaba inicial “en”.
contemplação de um drama bem antigo, e há o partido das Exemplos: enxame, enxada, enxaqueca.
pombas e o partido do gavião. Os pombistas ou pombeiros Exceção: palavras iniciadas por “ch” que recebem o prefixo
(qualquer palavra é melhor que “columbófilo”) querem matar “en-”. Ex.: encharcar (de charco), enchiqueirar (de chiqueiro),
o gavião. Os amigos deste dizem que ele não é malvado tal; na encher e seus derivados (enchente, enchimento, preencher...)
verdade come a sua pombinha com a mesma inocência com
que a pomba come seu grão de milho. 3) Após a sílaba inicial “me-”.
Não tomarei partido; admiro a túrgida inocência das Exemplos: mexer, mexerica, mexicano, mexilhão.
pombas e também o lance magnífico em que o gavião se Exceção: mecha.
despenca sobre uma delas. Comer pombas é, como diria Saint-
Exupéry, “a verdade do gavião”, mas matar um gavião no ar 4) Se empregará o “X” em vocábulos de origem indígena ou
com um belo tiro pode também ser a verdade do caçador. africana e em palavras inglesas aportuguesadas.
Que o gavião mate a pomba e o homem mate alegremente Exemplos: abacaxi, xavante, orixá, xará, xerife, xampu,
o gavião; ao homem, se não houver outro bicho que o mate, bexiga, bruxa, coaxar, faxina, graxa, lagartixa, lixa, lixo, puxar,
pode lhe suceder que ele encontre seu gavião em outro rixa, oxalá, praxe, roxo, vexame, xadrez, xarope, xaxim, xícara,
homem. xale, xingar, etc.
(Rubem Braga. Ai de ti, Copacabana, 1999)

Língua Portuguesa 3
APOSTILAS OPÇÃO

Emprego do Ch 6) Nas formas dos verbos pôr e querer, bem como em seus
Se empregará o “Ch” nos seguintes vocábulos: bochecha, derivados.
bucha, cachimbo, chalé, charque, chimarrão, chuchu, chute, Exemplos: pus, pôs, pusemos, puseram, pusera, pusesse,
cochilo, debochar, fachada, fantoche, ficha, flecha, mochila, puséssemos, quis, quisemos, quiseram, quiser, quisera,
pechincha, salsicha, tchau, etc. quiséssemos, repus, repusera, repusesse, repuséssemos.

Emprego do G 7) Em nomes próprios personativos.


Se empregará o “G” em: Exemplos: Baltasar, Heloísa, Inês, Isabel, Luís, Luísa,
1) Substantivos terminados em: -agem, -igem, -ugem. Resende, Sousa, Teresa, Teresinha, Tomás.
Exemplos: barragem, miragem, viagem, origem, ferrugem.
Exceção: pajem. Observação - também se emprega com a letra “S” os
seguintes vocábulos: abuso, asilo, através, aviso, besouro, brasa,
2) Palavras terminadas em: -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio. cortesia, decisão, despesa, empresa, freguesia, fusível, maisena,
Exemplos: estágio, privilégio, prestígio, relógio, refúgio. mesada, paisagem, paraíso, pêsames, presépio, presídio,
querosene, raposa, surpresa, tesoura, usura, vaso, vigésimo,
3) Em palavras derivadas de outras que já apresentam “G”. visita, etc.
Exemplos: engessar (de gesso), massagista (de massagem),
vertiginoso (de vertigem). Emprego do Z
Se empregará o “Z” nos seguintes casos:
Observação - também se emprega com a letra “G” os 1) Palavras derivadas de outras que já apresentam Z no
seguintes vocábulos: algema, auge, bege, estrangeiro, geada, radical.
gengiva, gibi, gilete, hegemonia, herege, megera, monge, Exemplos: deslize – deslizar / razão – razoável / vazio –
rabugento, vagem. esvaziar / raiz – enraizar /cruz – cruzeiro.

Emprego do J 2) Nos sufixos -ez, -eza, ao formarem substantivos abstratos


Para representar o fonema “j’ na forma escrita, a grafia a partir de adjetivos.
considerada correta é aquela que ocorre de acordo com a Exemplos: inválido – invalidez / limpo – limpeza / macio –
origem da palavra, como por exemplo no caso da na palavra jipe maciez / rígido – rigidez / frio – frieza / nobre – nobreza / pobre
que origina-se do inglês jeep. Porém também se empregará o “J” – pobreza / surdo – surdez.
nas seguintes situações:
3) Nos sufixos -izar, ao formar verbos e -ização, ao formar
1) Em verbos terminados em -jar ou -jear. Exemplos: substantivos.
Arranjar: arranjo, arranje, arranjem Exemplos: civilizar – civilização / hospitalizar –
Despejar: despejo, despeje, despejem hospitalização / colonizar – colonização / realizar – realização.
Viajar: viajo, viaje, viajem
4) Nos derivados em -zal, -zeiro, -zinho, -zinha, -zito, -zita.
2) Nas palavras de origem tupi, africana, árabe ou exótica. Exemplos: cafezal, cafezeiro, cafezinho, arvorezinha, cãozito,
Exemplos: biju, jiboia, canjica, pajé, jerico, manjericão, Moji. avezita.

3) Nas palavras derivadas de outras que já apresentam “J”. 5) Nos seguintes vocábulos: azar, azeite, azedo, amizade,
Exemplos: laranja –laranjeira / loja – lojista / lisonja – buzina, bazar, catequizar, chafariz, cicatriz, coalizão, cuscuz,
lisonjeador / nojo – nojeira / cereja – cerejeira / varejo – proeza, vizinho, xadrez, verniz, etc.
varejista / rijo – enrijecer / jeito – ajeitar.
6) Em vocábulos homófonos, estabelecendo distinção no
Observação - também se emprega com a letra “J” os contraste entre o S e o Z. Exemplos:
seguintes vocábulos: berinjela, cafajeste, jeca, jegue, majestade, Cozer (cozinhar) e coser (costurar);
jeito, jejum, laje, traje, pegajento. Prezar (ter em consideração) e presar (prender);
Traz (forma do verbo trazer) e trás (parte posterior).
Emprego do S
Utiliza-se “S” nos seguintes casos: Observação: em muitas palavras, a letra X soa como Z.
1) Palavras derivadas de outras que já apresentam “S” no Como por exemplo: exame, exato, exausto, exemplo, existir,
radical. Exemplos: análise – analisar / catálise – catalisador / exótico, inexorável.
casa – casinha ou casebre / liso – alisar.
Emprego do Fonema S
2) Nos sufixos -ês e -esa, ao indicarem nacionalidade, título Existem diversas formas para a representação do fonema “S”
ou origem. Exemplos: burguês – burguesa / inglês – inglesa / no qual podem ser: s, ç, x e dos dígrafos sc, sç, ss, xc, xs. Assim
chinês – chinesa / milanês – milanesa. vajamos algumas situações:

3) Nos sufixos formadores de adjetivos -ense, -oso e –osa. 1) Emprega-se o S: nos substantivos derivados de verbos
Exemplos: catarinense / palmeirense / gostoso – gostosa / terminados em -andir, -ender, -verter e -pelir.
amoroso – amorosa / gasoso – gasosa / teimoso – teimosa. Exemplos: expandir – expansão / pretender – pretensão /
verter – versão / expelir – expulsão / estender – extensão /
4) Nos sufixos gregos -ese, -isa, -osa. suspender – suspensão / converter – conversão / repelir –
Exemplos: catequese, diocese, poetisa, profetisa, repulsão.
sacerdotisa, glicose, metamorfose, virose.
2) Emprega-se Ç: nos substantivos derivados dos verbos ter
5) Após ditongos. e torcer.
Exemplos: coisa, pouso, lousa, náusea. Exemplos: ater – atenção / torcer – torção / deter – detenção
/ distorcer – distorção / manter – manutenção / contorcer –
contorção.

Língua Portuguesa 4
APOSTILAS OPÇÃO

3) Emprega-se o X: em casos que a letra X soa como Ss. - Grafam-se com a letra “U”: camundongo, jabuti, Manuel,
Exemplos: auxílio, expectativa, experto, extroversão, sexta, tábua.
sintaxe, texto, trouxe.
Emprego do H
4) Emprega-se Sc: nos termos eruditos. Esta letra, em início ou fim de palavras, não tem valor
Exemplos: acréscimo, ascensorista, consciência, descender, fonético. Conservou-se apenas como símbolo, por força da
discente, fascículo, fascínio, imprescindível, miscigenação, etimologia e da tradição escrita. A palavra hoje, por exemplo,
miscível, plebiscito, rescisão, seiscentos, transcender, etc. grafa-se desta forma devido a sua origem na forma latina hodie.
Assim vejamos o seu emprego:
5) Emprega-se Sç: na conjugação de alguns verbos.
Exemplos: nascer - nasço, nasça / crescer - cresço, cresça / 1) Inicial, quando etimológico.
Descer - desço, desça. Exemplos: hábito, hesitar, homologar, Horácio.

6) Emprega-se Ss: nos substantivos derivados de verbos 2) Medial, como integrante dos dígrafos ch, lh, nh.
terminados em -gredir, -mitir, -ceder e -cutir. Exemplos: flecha, telha, companhia.
Exemplos: agredir – agressão / demitir – demissão / ceder –
cessão / discutir – discussão/ progredir – progressão / 3) Final e inicial, em certas interjeições.
transmitir – transmissão / exceder – excesso / repercutir – Exemplos: ah!, ih!, eh!, oh!, hem?, hum!, etc.
repercussão.
4) Em compostos unidos por hífen, no início do segundo
7) Emprega-se o Xc e o Xs: em dígrafos que soam como Ss. elemento, se etimológico.
Exemplos: exceção, excêntrico, excedente, excepcional, Exemplos: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem, etc.
exsudar.
Observações:
Atenção - não se esqueça que uso da letra X apresenta 1) No substantivo Bahia, o “h” sobrevive por tradição. Note
algumas variações. Observe: que nos substantivos derivados como baiano, baianada ou
1) O “X” pode representar os seguintes fonemas: baianinha ele não é utilizado.
“ch” - xarope, vexame;
“cs” - axila, nexo; 2) Os vocábulos erva, Espanha e inverno não possuem a letra
“z” - exame, exílio; “h” na sua composição. No entanto, seus derivados eruditos
“ss” - máximo, próximo; sempre são grafados com h, como por exemplo: herbívoro,
“s” - texto, extenso. hispânico, hibernal.

2) Não soa nos grupos internos -xce- e -xci- Questões


Exemplos: excelente, excitar.
01. (FIOCRUZ – Assistente Técnico de Gestão em Saúde
Emprego do E – FIOCRUZ/2016)
Se empregará o “E” nas seguintes situações:
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -oar, -uar O FUTURO NO PASSADO
Exemplos: magoar - magoe, magoes / continuar- continue,
continues. 1 Poucas previsões para o futuro feitas no passado se
realizaram. O mundo se mudava do campo para as cidades, e
2) Em palavras formadas com o prefixo ante- (antes, era natural que o futuro idealizado então fosse o da cidade
anterior). perfeita. Mas o helicóptero não substituiu o automóvel
Exemplos: antebraço, antecipar. particular e só recentemente começou-se a experimentar
carros que andam sobre faixas magnéticas nas ruas, liberando
3) Nos seguintes vocábulos: cadeado, confete, disenteria, seus ocupantes para a leitura, o sono ou o amor no banco de
empecilho, irrequieto, mexerico, orquídea, etc. trás. As cidades não se transformaram em laboratórios de
convívio civilizado, como previam, e sim na maior prova da
Emprego do I impossibilidade da coexistência de desiguais.
Se empregará o “I” nas seguintes situações: 2 A ciência trouxe avanços espetaculares nas lides de
1) Em sílabas finais dos verbos terminados em -air, -oer, -uir. guerra, como os bombardeios com precisão cirúrgica que não
Exemplos: poupam civis, mas não trouxe a democratização da
Cair- cai prosperidade antevista. Mágicas novas como o cinema
Doer- dói prometiam ultrapassar os limites da imaginação.
Influir- influi Ultrapassaram, mas para o território da banalidade
espetaculosa. A TV foi prevista, e a energia nuclear intuída,
2) Em palavras formadas com o prefixo anti- (contra). mas a revolução da informática não foi nem sonhada. As
Exemplos: anticristo, antitetânico. revoluções na medicina foram notáveis, certo, mas a
prevenção do câncer ainda não foi descoberta. Pensando bem,
3) Nos seguintes vocábulos: aborígine, artimanha, chefiar, nem a do resfriado. A comida em pílulas não veio - se bem que
digladiar, penicilina, privilégio, etc. a nouvelle cuisine chegou perto. Até a colonização do espaço,
como previam os roteiristas do “Flash Gordon”, está atrasada.
Emprego do O/U Mal chegamos a Marte, só para descobrir que é um imenso
A oposição o/u é responsável pela diferença de significado terreno baldio. E os profetas da felicidade universal não
de algumas palavras. Veja os exemplos: comprimento contavam com uma coisa: o lixo produzido pela sua visão.
(extensão) e cumprimento (saudação, realização) soar (emitir Nenhuma previsão incluía a poluição e o aquecimento global.
som) e suar (transpirar). 3 Mas assim como os videntes otimistas falharam, talvez o
- Grafam-se com a letra “O”: bolacha, bússola, costume, pessimismo de hoje divirta nossos bisnetos. Eles certamente
moleque. falarão da Aids, por exemplo, como nós hoje falamos da gripe

Língua Portuguesa 5
APOSTILAS OPÇÃO

espanhola. A ciência e a técnica ainda nos surpreenderão. cúmplice etc. Nesse caso, os dados apontam para o lado do
Estamos na pré-história da energia magnética e por fusão criminoso comum, que entendia o que fazia.
nuclear fria. Claro que não é possível, apenas pela morfologia do crime,
4 É verdade que cada salto da ciência corresponderá a um saber-se tudo do diagnóstico do criminoso. Mas, por outro
passo atrás, rumo ao irracional. Quanto mais perto a ciência lado, é na maneira como o delito foi praticado que se
chegar das últimas revelações do Universo, mais as pessoas encontram características 100% seguras da mente de quem o
procurarão respostas no misticismo e refúgio no tribal. E praticou, a evidenciar fatos, tal qual a imagem fotográfica
quanto mais a ciência avança por caminhos nunca antes revela-nos exatamente algo, seja muito ou pouco, do momento
sonhados, mais leigo fica o leigo. A volta ao irracional é a birra em que foi registrada. Em suma, a forma como as coisas foram
do leigo. feitas revela muito da pessoa que as fez.
(VERÍSSIMO. L. F. O Globo. 24/07/2016, p. 15.) PALOMBA, Guido Arturo. Rev. Psique: n° 100 (ed. comemorativa), p. 82.

“e era natural que o futuro IDEALIZADO então fosse o da Tal como ocorre com “interpretaÇÃO ” e “dissimulaÇÃO”,
cidade perfeita.” (1º §) O vocábulo em destaque no trecho grafa-se com “ç” o sufixo de ambas as palavras arroladas em:
acima grafa-se com a letra Z, em conformidade com a norma (A) apreenção do menor - sanção legal.
de emprego do sufixo–izar. (B) detenção do infrator - ascenção ao posto.
(C) presunção de culpa - coerção penal.
Das opções abaixo, aquela em que um dos vocábulos está (D) interceção do juiz - contenção do distúrbio.
INCORRETAMENTE grafado por não se enquadrar nessa (E) submição à lei - indução ao crime.
norma é:
(A) alcoolizado / barbarizar / burocratizar. 04. (UFAM – Auxiliar em Administração – COMVEST-
(B) catalizar / abalizado / amenizar. UFAM/2016) Foi na minha última viagem ao Perú que entrei
(C) catequizar / cauterizado / climatizar. em uma baiúca muito agradável. Apesar de simples, era bem
(D) contemporizado / corporizar / cretinizar frequentada. Isso podia ser constatado pelas assinaturas (ou
(E) esterilizar / estigmatizado / estilizar. simples rúbricas) dispostas em quadros afixados nas paredes
do estabelecimento, algumas delas de pessoas famosas. Insisti
02. (Pref. De Biguaçu/SC – Professor III – Inglês/2016) com o garçom para também colocar a minha assinatura,
De acordo com a Língua Portuguesa culta, assinale a registrando ali a minha presença. No final, o ônus foi pesado: a
alternativa cujas palavras seguem as regras de ortografia: conta veio muito salgada. Tudo seria perfeito se o tempo ali
(A) Preciso contratar um eletrecista e um encanador para passado, por algum milagre, tivesse sido gratuíto.
o final da tarde.
(B) O trabalho voluntário continua sendo feito Assinale a alternativa que apresenta palavra em que a
prazerosamente pelos alunos. acentuação está CORRETA, de acordo com a Reforma
(C) Ainda não foram atendidas as reinvindicações dos Ortográfica em vigor:
professores em greve. (A) gratuíto
(D) Na lista de compras, é preciso descriminar melhor os (B) Perú
produtos em falta. (C) ônus
(E) Passou bastante desapercebido o caso envolvendo um (D) rúbricas
juiz federal. (E) baiúca

03. (PC/PA – Escrivão de Polícia Civil – FUNCAB/2016) 05. (Pref. De Quixadá/CE – Agente de Combate às
Dificilmente, em uma ciência-arte como a Psicologia- Endemias – Serctam/2016) Marque a opção em
Psiquiatria, há algo que se possa asseverar com 100% de que TODOS os vocábulos se completam com a letra “s”:
certeza. Isso porque há áreas bastante interpretativas, sujeitas (A) pesqui__a, ga__olina, ali__erce.
a leituras diversas, a depender do observador e do observado. (B) e__ótico, talve__, ala__ão.
Porém, existe um fato na Psicologia-Psiquiatria forense que é (C) atrá__, preten__ão, atra__o.
100% de certeza e não está sujeito a interpretação ou a (D) bati__ar, bu__ina, pra__o.
dissimulação por parte de quem está a ser examinado. E (E) valori__ar, avestru__, Mastru__.
revela, objetivamente, dados do psiquismo da pessoa ou, em
outras palavras, mostra características comportamentais Gabarito
indissimuláveis, claras e objetivas. O que pode ser tão exato,
em matéria de Psicologia-Psiquiatria, que não admite 01.B / 02.B / 03.C / 04.C / 05.C
variáveis? Resposta: todos os crimes, sem exceção, são como
fotografias exatas e em cores do comportamento do indivíduo. Emprego das Iniciais Maiúsculas e Minúsculas
E como o psiquismo é responsável pelo modo de agir, por
conseguinte, tem os em todos os crimes, obrigatoriamente e Inicial Maiúscula
sempre, elementos objetivos da mente de quem os praticou. Utiliza-se inicial maiúscula nos seguintes casos:
Por exemplo, o delito foi cometido com multiplicidade de 1) No começo de um período, verso ou citação direta.
golpes, com ferocidade na execução, não houve ocultação de
cadáver, não se verifica cúmplice, premeditação etc. Registre- Disse o Padre Antônio Vieira: “Estar com Cristo em qualquer
se que esses dados já aconteceram. Portanto, são insimuláveis, lugar, ainda que seja no inferno, é estar no Paraíso.”
100% objetivos. Basta juntar essas características
comportamentais que teremos algo do psiquismo de quem o “Auriverde pendão de minha terra,
praticou. Nesse caso específico, infere-se que a pessoa é Que a brisa do Brasil beija e balança,
explosiva, impulsiva e sem freios, provável portadora de Estandarte que à luz do sol encerra
algum transtorno ligado à disritmia psicocerebral, algum As promessas divinas da Esperança…”
estreitamento de consciência, no qual o sentimento invadiu o (Castro Alves)
pensamento e determinou a conduta.
Em outro exemplo, temos homicídio praticado com um só 2) Nos antropônimos, reais ou fictícios.
golpe, premeditado, com ocultação de cadáver, concurso de Exemplos: Pedro Silva, Cinderela, D. Quixote.

Língua Portuguesa 6
APOSTILAS OPÇÃO

3) Nos topônimos, reais ou fictícios. Governador Mário Covas ou governador Mário Covas
Exemplos: Rio de Janeiro, Rússia, Macondo. Papa João Paulo II ou papa João Paulo II
Excelentíssimo Senhor Reitor ou excelentíssimo senhor
4) Nos nomes mitológicos. reitor
Exemplos: Dionísio, Netuno. Santa Maria ou santa Maria

5) Nos nomes de festas e festividades. c) Nos nomes que designam domínios de saber, cursos e
Exemplos: Natal, Páscoa, Ramadã. disciplinas.
Exemplos:
6) Em siglas, símbolos ou abreviaturas internacionais. Português ou português
Exemplos: ONU, Sr., V. Ex.ª. Línguas e Literaturas Modernas ou línguas e literaturas
modernas
7) Nos nomes que designam altos conceitos religiosos, História do Brasil ou história do Brasil
políticos ou nacionalistas. Arquitetura ou arquitetura
Exemplos: Igreja (Católica, Apostólica, Romana), Estado,
Nação, Pátria, União, etc. Questões

Observação: esses nomes escrevem-se com inicial 01. (Câmara de Maringá/PR – Assistente Legislativo
minúscula quando são empregados em sentido geral ou – Instituto)
indeterminado.
Exemplo: Todos amam sua pátria. Longe é um lugar que existe?

Emprego Facultativo da Letra Maiúscula Voamos algum tempo em silêncio, até que finalmente ele
1) No início dos versos que não abrem período, é facultativo disse: "Não entendo muito bem o que você falou, mas o que
o uso da letra maiúscula, como por exemplo: menos entendo é o fato de estar indo a uma festa."
— Claro que estou indo à festa. — respondi. — O que há de
“Aqui, sim, no meu cantinho, tão difícil de se compreender nisso?
vendo rir-me o candeeiro, Enfim, sem nunca atingir o fim, imaginando-se uma
gozo o bem de estar sozinho Gaivota sobrevoando o mar, viajar é sentir-se ainda mais
e esquecer o mundo inteiro.” pássaro livre tocado pelas lufadas de vento, contraponto, de
uma ave mirrada de asas partidas numa gaiola lacrada,
2) Nos nomes de logradouros públicos, templos e edifícios. sobrevivendo apenas de alpiste da melhor qualidade e água
Exemplos: Rua da Liberdade ou rua da Liberdade / Igreja do filtrada. Ou ainda, pássaros presos na ambivalência
Rosário ou igreja do Rosário / Edifício Azevedo ou edifício existencial... fadado ao fracasso ou ao sucesso... ao ser livre ou
Azevedo. viver presos em suas próprias armadilhas...
Fica sob sua escolha e risco, a liberdade para voar os ventos
Inicial Minúscula ascendentes; que pássaro quer ser; que lugares quer
Utiliza-se inicial minúscula nos seguintes casos: sobrevoar; que viagem ao inusitado mais lhe compraz. Por
1) Em todos os vocábulos correntes da língua portuguesa. mais e mais, qual a serventia dessas asas enormes, herança
Exemplos: carro, flor, boneca, menino, porta, etc. genética de seus pais e que lhe confere enorme envergadura?
Diga para quê serve? Ao primeiro sinal de perigo, debique e
2) Depois de dois-pontos, não se tratando de citação direta, pouse na cerca mais próxima. Ora, não venha com desculpas
usa-se letra minúscula. esfarrapadas e vamos dona Gaivota, espante a preguiça, bata
Exemplo: “Chegam os magos do Oriente, com suas dádivas: as asas e saia do ninho! Não tenha medo de voar. Pois, como é
ouro, incenso, mirra.” (Manuel Bandeira) de conhecimento dos "Mestres dos ares e da Terra", longe é um
lugar que não existe para quem voa rente ao céu e viaja léguas
3) Nos nomes de meses, estações do ano e dias da semana. e mais léguas de distância com a mochila nas costas, olhar no
Exemplos: janeiro, julho, dezembro, etc. / segunda, sexta, horizonte e os pés socados em terra firme.
domingo, etc. / primavera, verão, outono, inverno. Longe é a porta de entrada do lugar que não existe? Não
deve ser, não; pois as Gaivotas sacodem a poeira das asas,
4) Nos pontos cardeais. limpam os resquícios de alimentos dos bicos e batem o toc-toc
Exemplos: “Percorri o país de norte a sul e de leste a oeste.” lá.
/ “Estes são os pontos colaterais: nordeste, noroeste, sudeste, <http://www.recantodasletras.com.br/contosdefantasia/6031227>
sudoeste.”
O uso do termo “Gaivota” sempre com letra maiúscula ao
Observação: quando empregados em sua forma absoluta, longo do texto se deve ao fato de que
os pontos cardeais são grafados com letra maiúscula. (A) o autor busca, com isso, fazer uma conexão mais
Exemplos: Nordeste (região do Brasil) / Ocidente (europeu) próxima entre o leitor e o animal.
/Oriente (asiático). (B) o autor quis dar destaque ao termo, apesar de não
haver importância da referência ao animal para o texto.
Emprego Facultativo da Letra Minúscula (C) há uma mudança no texto, em que, no início, as
1) Nos vocábulos que compõem uma citação bibliográfica. personagens eram duas pessoas e, a partir do segundo
Exemplos: parágrafo, é uma gaivota.
Crime e Castigo ou Crime e castigo (D) o texto faz uma reflexão sobre a ação humana de viajar,
Grande Sertão: Veredas ou Grande sertão: veredas porém comparando os seres humanos com gaivotas.
Em Busca do Tempo Perdido ou Em busca do tempo perdido (E) o autor utiliza o termo “Gaivota” como símbolo de
imponência, o que se relaciona à forma como os seres
2) Nas formas de tratamento e reverência, bem como em humanos são tratados no texto.
nomes sagrados e que designam crenças religiosas.
Exemplos:

Língua Portuguesa 7
APOSTILAS OPÇÃO

02. (MGS – Todos os Cargos de Nível Fundamental Palavras ou Expressões que geram dificuldades
Completo – IBFC/2017)
Algumas palavras ou expressões costumam apresentar
Estranhas Gentilezas dificuldades colocando em maus lençóis quem pretende falar
(Ivan Angelo) ou redigir português culto. Esta é uma oportunidade para você
aperfeiçoar seu desempenho. Preste atenção e tente
Estão acontecendo coisas estranhas. Sabe-se que as incorporar tais palavras certas em situações apropriadas.
pessoas nas grandes cidades não têm o hábito da gentileza.
Não é por ruindade, é falta de tempo. Gastam a paciência nos A anos: Daqui a um ano iremos à Europa. (a indica tempo
ônibus, no trânsito, nas filas, nos mercados, nas salas de futuro)
espera, nos embates familiares, e depois economizam com a Há anos: Não o vejo há meses. (há indica tempo passado)
gente. Atenção: Há muito tempo já indica passado. Não há
Comigo dá-se o contrário, é o que estou notando de uns necessidade de usar atrás, isto é um pleonasmo.
dias para cá. Tratam-me com inquietante delicadeza. Já
captava aqui e ali sinais suspeitos, imprecisos, ventinho de Acerca de: Falávamos acerca de uma solução melhor. (a
asas de borboleta, quase nada. A impressão de que há algo respeito de)
estranho tomou meu corpo mesmo foi na semana passada. Um Há cerca de: Há cerca de dias resolvemos este caso. (faz
vizinho que já fora meu amigo telefonou-me desfazendo o tempo)
engano que nos afastava, intriga de pessoa que nem conheço e
que afinal resolvera esclarecer tudo. Difícil reconstruir a Ao encontro de: Sua atitude vai ao encontro da verdade.
amizade, mas a inimizade morria ali. (estar a favor de)
Como disse, eu vinha desconfiando tenuemente de De encontro a: Minhas opiniões vão de encontro às suas.
algumas amabilidades. O episódio do vizinho fez surgir em (oposição, choque)
meu espírito a hipótese de uma trama, que já mobilizava até
pessoas distantes. E as próximas? A fim de: Vou a fim de visitá-la. (finalidade)
Tenho reparado. As próximas telefonam amáveis, sem Afim: Somos almas afins. (igual, semelhante)
motivo. Durante o telefonema fico aguardando o assunto que
estaria embrulhado nos enfeites da conversa, e ele não sai. Um Ao invés de: Ao invés de falar começou a chorar. (oposição,
número inesperado de pessoas me cumprimenta na rua, com ao contrário de)
acenos de cabeça. Mulheres, antes esquivas, sorriem Em vez de: Em vez de acompanhar-me, ficou só. (no lugar
transitáveis nas ruas dos Jardins1. Num restaurante caro, o de)
maître2, com uma piscadela, fura a demorada fila de executivos
à espera e me arruma rapidinho uma mesa para dois. Um A par: Estamos a par das boas notícias. (bem informado,
homem de pasta que parecia impaciente à minha frente me ciente)
cede o último lugar no elevador. O jornaleiro larga sua banca Ao par: O dólar e o euro estão ao par. (de igualdade ou
na avenida Sumaré e vem ao prédio avisar-me que o jornal equivalência entre valores financeiros – câmbio)
chegou. Os vizinhos de cima silenciam depois das dez da noite.
[...] Aprender: O menino aprendeu a lição. (tomar
Que significa isso? Que querem comigo? Que complô é conhecimento de)
este? Que vão pedir em troca de tanta gentileza? Apreender: O fiscal apreendeu a carteirinha do menino.
Aguardo, meio apreensivo, meio feliz. (prender)
Interrompo a crônica nesse ponto, saio para ir ao banco,
desço pelas escadas porque alguém segura o elevador lá em Baixar: os preços quando não há objeto direto; os preços
cima, o segurança do banco faz-me esvaziar os bolsos antes de funcionam como sujeito: Baixaram os preços (sujeito) nos
entrar na porta giratória, enfrento a fila do caixa, não aceitam supermercados. Vamos comemorar, pessoal!
meus cheques para pagar contas em nome de minha mulher, Abaixar: os preços empregado com objeto direto: Os postos
saio mal-humorado do banco, atravesso a avenida arriscando (sujeito) de combustível abaixaram os preços (objeto direto)
a vida entre bólidos3 , um caminhão joga-me água suja de uma da gasolina.
poça, o elevador continua preso lá em cima, subo a pé, entro no
apartamento, sento-me ao computador e ponho-me de novo a Bebedor: Tornei-me um grande bebedor de vinho. (pessoa
sonhar com gentilezas. que bebe)
Bebedouro: Este bebedouro está funcionando bem.
Vocabulário: (aparelho que fornece água)
1 bairro Jardim Paulista, um dos mais requintados de São
Paulo Bem-Vindo: Você é sempre bem-vindo aqui, jovem.
2 funcionário que coordena agendamentos entre outras (adjetivo composto)
coisas nos restaurantes Benvindo: Benvindo é meu colega de classe. (nome
3 carros muito velozes próprio)

Em “nas ruas dos Jardins1" (4º§), a palavra em destaque Câmara: Ficaram todos reunidos na Câmara Municipal.
foi escrita com letra maiúscula por se tratar de: (local de trabalho)
(A) um erro de grafia. Câmera: Comprei uma câmera japonesa. (aparelho que
(B) um destaque do autor fotografa)
(C) um substantivo próprio.
(D) um substantivo coletivo. Champanha/Champanhe (do francês): O
champanha/champanhe está bem gelado.
Gabarito
Cessão: Foi confirmada a cessão do terreno. (ato de doar)
01.D / 02.C Sessão: A sessão do filme durou duas horas. (intervalo de
tempo)

Língua Portuguesa 8
APOSTILAS OPÇÃO

Seção/Secção: Visitei hoje a seção de esportes. (repartição Se não: Se não houver homens honestos, o país não sairá
pública, departamento) desta situação crítica. (se por acaso não)

Demais: Vocês falam demais, caras! (advérbio de Tampouco: Não compareceu, tampouco apresentou
intensidade) qualquer justificativa. (Também não)
Demais: Chamaram mais dez candidatos, os demais devem Tão pouco: Encontramo-nos tão pouco esta semana.
aguardar. (equivale a “os outros”) (intensidade)
De mais: Não vejo nada de mais em sua decisão. (opõe-se a
“de menos”) Trás ou Atrás: O menino estava atrás da árvore. (lugar)
Traz: Ele traz consigo muita felicidade. (verbo trazer)
Descriminar: O réu foi descriminado; pra sorte dele.
(inocentar, absolver de crime) Vultoso: Fizemos um trabalho vultoso aqui. (volumoso)
Discriminar: Era impossível discriminar os caracteres do Vultuoso: Sua face está vultuosa e deformada. (congestão
documento. (diferençar, distinguir, separar) no rosto)
Descrição: A descrição sobre o jogador foi perfeita.
(descrever) Questão
Discrição: Você foi muito discreto. (reservado)
01. (TCM/RJ – Técnico de Controle Externo –
Entrega em domicílio: Fiz a entrega em domicílio. (lugar) IBFC/2016) Analise as afirmativas abaixo, dê valores
Entrega a domicílio: Enviou as compras a domicílio. (com Verdadeiro (V) ou Falso (F) quanto ao emprego do acento
verbos de movimento) circunflexo estabelecido pelo Novo Acordo Ortográfico.
( ) O acento permanece na grafia de 'pôde' (o verbo
Espectador: Os espectadores se fartaram da apresentação. conjugado no passado) para diferenciá-la de 'pode' (o verbo
(aquele que vê, assiste) conjugado no presente).
Expectador: O expectador aguardava o momento da ( ) O acento circunflexo de 'pôr' (verbo) cai e a palavra terá
chamada. (que espera alguma coisa) a mesma grafia de 'por' (preposição), diferenciando-se pelo
contexto de uso.
Estada: A estada dela aqui foi gratificante. (tempo em algum ( ) a queda do acento na conjugação da terceira pessoa do
lugar) plural do presente do indicativo dos verbos crer, dar, ler, ter,
Estadia: A estadia do carro foi prolongada por mais vir e seus derivados.
algumas semanas. (prazo concedido para carga e descarga)
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de
Fosforescente: Este material é fosforescente. (que brilha cima para baixo.
no escuro) (A) V F F
Fluorescente: A luz branca do carro era fluorescente. (B) F V F
(determinado tipo de luminosidade) (C) F F V
(D) F V V
Haja: É preciso que não haja descuido. (verbo haver – 1ª
pessoa singular do presente do subjuntivo) 02. (Detran/CE – Vistoriador – UCE-CEV/2018) Na frase
Aja: Aja com cuidado, Carlinhos. (verbo agir – 1ª pessoa “... as penalidades são as previstas pelo bom senso...”, a palavra
singular do presente do subjuntivo) destacada é homônima de censo. Assinale a opção em que o
emprego dos homônimos destacados está adequado.
Houve: Houve um grande incêndio no centro de São (A) O reitor da faculdade solicitou que todos os
Paulo. (verbo haver - 3ª pessoa do singular do pretérito funcionários participassem do censo anual para verificar
perfeito) quem realmente está na ativa.
Ouve: A mãe disse: ninguém me ouve. (verbo ouvir - 3ª (B) Foi pedido para que todos os motoristas respondessem
pessoa singular do presente do indicativo) ao senso, a fim de se obter o número real de carros no pátio da
universidade.
Mal: Dormi mal. (oposto de bem) (C) Os infratores são penalizados com a “multa moral” por
Mau: Você é um mau exemplo. (oposto de bom) não demonstrarem censo crítico.
(D) Se o infrator tiver censo, saberá o que dizer na hora da
Mas: Telefonei-lhe mas ela não atendeu. (ideia contrária) punição.
Mais: Há mais flores perfumadas no campo. (opõe-se a
menos) Gabarito

Nem um: Nem um filho de Deus apareceu para ajudá-la. 01.A / 02.A
(equivale a nem um sequer)
Nenhum: Nenhum jornal divulgou o resultado do concurso. Emprego do Porquê
(oposto de algum)
Orações Interrogativas Exemplo:
Onde: Onde fica a farmácia mais próxima? (lugar em que se (pode ser substituído Por que devemos nos
está) por: por qual motivo, por preocupar com o meio
Aonde: Aonde vão com tanta pressa? (ideia de movimento) qual razão) ambiente?
Por
Por ora: Por ora chega de trabalhar. (por este momento) Que
Exemplo:
Por hora: Você deve cobrar por hora. (cada sessenta Equivalendo a “pelo Os motivos por que não
minutos) qual” respondeu são
desconhecidos.
Senão: Não fazia coisa nenhuma senão criticar. (caso
contrário)

Língua Portuguesa 9
APOSTILAS OPÇÃO

Exemplos:
Aí podemos acrescentar outro fator. Uma nota de violão
Você ainda tem coragem de tem um número limitado e pequeno de frequências –
Por Final de frases e seguidos formando um som mais “limpo”. Já no espectro de som
perguntar por quê?
Quê de pontuação
Você não vai? Por quê? proveniente de unhas arranhando um quadro-negro (ou de
Não sei por quê! atrito entre isopores ou entre duas bexigas de ar) há um
número infinito delas. Assim, as células vibram de acordo com
Exemplos: muitas frequências e aquelas presentes na parte inicial da
A situação agravou-se porque
Conjunção que indica cóclea, por serem mais frágeis, são lesadas com mais
ninguém reclamou.
explicação ou causa
Ninguém mais o espera, facilidade. Daí a sensação de aversão a esse sons agudos e
Porque porque ele sempre se atrasa. “crus”.
Ronald Ranvaud, Ciência Hoje, nº 282.
Conjunção de Finalidade Exemplos:
– equivale a “para que”, Não julgues porque não te Assinale a frase em que a grafia do vocábulo sublinhado
“a fim de que”. julguem. está equivocada.
(A) Por que sentimos calafrios?
Exemplos: (B) A razão porque sentimos calafrios é conhecida.
Função de substantivo –
Não é fácil encontrar o (C) Qual o porquê de sentirmos calafrios?
vem acompanhado de
Porquê porquê de toda confusão. (D) Sentimos calafrios porque precisamos defender nossa
artigo ou pronome
Dê-me um porquê de sua
saída.
audição.
(E) Sentimos calafrios por quê?

1. Por que (pergunta); Gabarito


2. Porque (resposta);
3. Por quê (fim de frase: motivo); 01.D / 02.B
4. O Porquê (substantivo).
ACENTUAÇÃO
Questões
Acentuação Tônica
01. (TJ/SP - Escrevente Técnico Judiciário - VUNESP)
Que mexer o esqueleto é bom para a saúde já virou até Implica na intensidade com que são pronunciadas as
sabedoria popular. Agora, estudo levanta hipóteses sobre sílabas das palavras. Aquela que se dá de forma mais
........................ praticar atividade física..........................benefícios acentuada, conceitua-se como sílaba tônica. As demais, como
para a totalidade do corpo. Os resultados podem levar a novas são pronunciadas com menos intensidade, são denominadas
terapias para reabilitar músculos contundidos ou mesmo para de átonas.
.......................... e restaurar a perda muscular que ocorre com o De acordo com a tonicidade, as palavras são classificadas
avanço da idade. como oxítona, paroxítona e proparoxítonas, independente de
(Ciência Hoje, março de 2012) levar acento gráfico:

As lacunas do texto devem ser preenchidas, correta e res- Oxítonas – São aquelas cuja sílaba tônica recai sobre a
pectivamente, com: última sílaba. Ex.: café – coração – cajá – atum – caju – papel
(A) porque … trás … previnir
(B) porque … traz … previnir Paroxítonas – São aquelas em que a sílaba tônica se
(C) porquê … tras … previnir evidencia na penúltima sílaba. Ex.: útil – tórax – táxi – leque –
(D) por que … traz … prevenir retrato – passível
(E) por quê … tráz … prevenir
Proparoxítonas - São aquelas em que a sílaba tônica se
02. Pref. de Salvador/BA - Técnico de Nível Médio II – evidencia na antepenúltima sílaba. Ex.: lâmpada – câmara –
FGV/2017) tímpano – médico – ônibus

Por que sentimos calafrios e desconforto ao ouvir certos Como podemos observar, mediante todos os exemplos
sons agudos – como unhas arranhando um quadro-negro? mencionados, os vocábulos possuem mais de uma sílaba, mas
em nossa língua existem aqueles com uma sílaba somente, no
Esta é uma reação instintiva para protegermos nossa qual são os chamados de monossílabos, que quando
audição. A cóclea (parte interna do ouvido) tem uma pronunciados apresentam certa diferenciação quanto à
membrana que vibra de acordo com as frequências sonoras intensidade.
que ali chegam. A parte mais próxima ao exterior está ligada à Tal diferenciação só é percebida quando os pronunciamos
audição de sons agudos; a região mediana é responsável pela em uma dada sequência de palavras. Assim como podemos
audição de sons de frequência média; e a porção mais final, por observar no exemplo a seguir:
sons graves. As células da parte inicial, mais delicadas e frágeis,
são facilmente destruídas – razão por que, ao envelhecermos, “Sei que não vai dar em nada, seus segredos sei de cor.”
perdemos a capacidade de ouvir sons agudos. Quando
frequências muito agudas chegam a essa parte da membrana, Os monossílabos em destaque classificam-se como
as células podem ser danificadas, pois, quanto mais alta a tônicos; os demais, como átonos (que, em e de).
frequência, mais energia tem seu movimento ondulatório. Isso,
em parte, explica nossa aversão a determinados sons agudos, Acentos Gráficos
mas não a todos. Afinal, geralmente não sentimos calafrios ou
uma sensação ruim ao ouvirmos uma música com notas Acento agudo (´) – colocado sobre as letras “a”, “i”, “u” e
agudas. sobre o “e” do grupo “em” - indica que estas letras representam
as vogais tônicas de palavras como Amapá, caí, público,
parabéns.

Língua Portuguesa 10
APOSTILAS OPÇÃO

Acento circunflexo (^) – colocado sobre as letras “a”, “e” Observação importante: Não serão mais acentuados “i” e
e “o” indica, além da tonicidade, timbre fechado. Ex.: tâmara – “u” tônicos, formando hiato quando vierem depois de
Atlântico – pêssego – supôs ditongo. Ex.:

Acento grave (`) – indica a fusão da preposição “a” com Antes Agora
artigos e pronomes. Ex.: à – às – àquelas – àqueles bocaiúva bocaiuva
feiúra feiura
Trema)¨( – de acordo com a nova regra, foi totalmente
abolido das palavras. Há uma exceção: é utilizado em palavras Não se acentuam o “i” e o “u” que formam hiato quando
derivadas de nomes próprios estrangeiros. Ex.: mülleriano (de seguidos, na mesma sílaba, de l, m, n, r ou z: Ra-ul, ru-im, con-
Müller) tri-bu-in-te, sa-ir, ju-iz

Til (~) – indica que as letras “a” e “o” representam vogais Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se estiverem
nasais. Ex.: coração – melão – órgão – ímã seguidas do dígrafo nh: ra-i-nha, ven-to-i-nha.

Regras Fundamentais Não se acentuam as letras “i” e “u” dos hiatos se vierem
precedidas de vogal idêntica: xi-i-ta, pa-ra-cu-u-ba
Palavras oxítonas - acentuam-se todas as oxítonas
terminadas em: “a”, “e”, “o”, “em”, seguidas ou não do plural(s): As formas verbais que possuíam o acento tônico na raiz,
Pará – café(s) – cipó(s) – armazém(s). com “u” tônico precedido de “g” ou “q” e seguido de “e” ou “i”
não serão mais acentuadas. Ex.:
Essa regra também é aplicada aos seguintes casos:
Antes Agora
Monossílabos tônicos - terminados em “a”, “e”, “o”, apazigúe (apaziguar) apazigue
seguidos ou não de “s”. Ex.: pá – pé – dó – há argúi (arguir) argui

Formas verbais - terminadas em “a”, “e”, “o” tônicos, O acento pertencente aos encontros “oo” e “ee” foi abolido.
seguidas de lo, la, los, las. Ex.: respeitá-lo – percebê-lo – compô- Ex.:
lo Antes Agora
crêem creem
Paroxítonas - acentuam-se as palavras paroxítonas vôo voo
terminadas em:
- i, is - Agora memorize a palavra CREDELEVÊ. São os verbos
táxi – lápis – júri que, no plural, dobram o “e”, mas que não recebem mais
- us, um, uns acento como antes: CRER, DAR, LER e VER.
vírus – álbuns – fórum
- l, n, r, x, ps Repare:
automóvel – elétron - cadáver – tórax – fórceps 1) O menino crê em você
- ã, ãs, ão, ãos Os meninos creem em você.
ímã – ímãs – órfão – órgãos 2) Elza lê bem!
Todas leem bem!
Dica: Memorize a palavra LINURXÃO. Repare que essa 3) Espero que ele dê o recado à sala.
palavra apresenta as terminações das paroxítonas que são Esperamos que os dados deem efeito!
acentuadas: L, I N, U (aqui inclua UM), R, X, Ã, ÃO. Assim ficará 4) Rubens vê tudo!
mais fácil a memorização! Eles veem tudo!

- ditongo oral, crescente ou decrescente, seguido ou não de Cuidado! Há o verbo vir:


“s”. Ex.: água – pônei – mágoa – jóquei Ele vem à tarde!
Eles vêm à tarde!
Regras Especiais
Acentuam-se os verbos pertencentes à terceira pessoa do
Os ditongos de pronúncia aberta “ei”, “oi” (ditongos plural de:
abertos), que antes eram acentuados, perderam o acento de ele tem – eles têm
acordo com a nova regra, mas desde que estejam em palavras ele vem – eles vêm (verbo vir)
paroxítonas.
Cuidado: Se os ditongos abertos estiverem em uma A regra prevalece também para os verbos conter, obter,
palavra oxítona (herói) ou monossílaba (céu) ainda são reter, deter, abster.
acentuados. Mas caso não forem ditongos perdem o acento. ele contém – eles contêm
Ex.: ele obtém – eles obtêm
ele retém – eles retêm
Antes Agora
ele convém – eles convêm
assembléia assembleia
idéia ideia
Não se acentuam mais as palavras homógrafas que antes
jibóia jiboia
eram acentuadas para diferenciá-las de outras semelhantes
apóia (verbo apoiar) apoia
(regra do acento diferencial). Apenas em algumas exceções,
como:
Quando a vogal do hiato for “i” ou “u” tônicos,
Pôde (terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do
acompanhados ou não de “s”, haverá acento. Ex.: saída – faísca
indicativo).
– baú – país – Luís
Pode (terceira pessoa do singular do presente do
indicativo). Ex.:

Língua Portuguesa 11
APOSTILAS OPÇÃO

Ela pode fazer isso agora. - Trissílabas (três vogais, três sílabas): man-guei-ra.
Elvis não pôde participar porque sua mãe não deixou. - Polissílabas (mais de três vogais, mais de três sílabas):
man-guei-ren-se.
O mesmo ocorreu com o verbo pôr para diferenciar da
preposição por. Ex.: Ou quem sabe esta: pneu-mo-ul-tra-mi-cros-co-pi-cos-si-
Faço isso por você. li-co-vul-ca-no-co-nió-ti-co.
Posso pôr (colocar) meus livros aqui? Se eu ainda sei contar, são 20 vogais, logo 20 sílabas.
Quanto à tonicidade, há sílaba tônica (alta intensidade na
Questões pronúncia) e átona (baixa intensidade na pronúncia). Sempre
há apenas uma (1) sílaba tônica por palavra. Ela se encontra
01. “Cadáver” é paroxítona, pois: em uma das três sílabas finais da palavra (isto é, se a palavra
(A) Tem a última sílaba como tônica. apresentar três sílabas).
(B) Tem a penúltima sílaba como tônica. Dica: se houver acento agudo ou circunflexo em uma das
(C) Tem a antepenúltima sílaba como tônica. vogais, aí estará a sílaba tônica da palavra.
(D) Não tem sílaba tônica.
Divisão Silábica
02. Indique a alternativa em que todas as palavras devem
receber acento. A divisão silábica deve ser feita normalmente a partir da
(A) virus, torax, ma. soletração. Usa-se o hífen para marcar a separação silábica.
(B) caju, paleto, miosotis.
(C) refem, rainha, orgão. Não se separam:
(D) papeis, ideia, latex. - Ditongos e Tritongos
(E) lotus, juiz, virus. Exemplos: foi-ce, a-ve-ri-guou;

03. Em “O resultado da experiência foi, literalmente, - Dígrafos: ch, lh, nh, gu, qu.
aterrador.” a palavra destacada encontra-se acentuada pelo Exemplos: cha-ve, ba-ra-lho, ba-nha, fre-guês, quei-xa;
mesmo motivo que:
(A) túnel - Encontros consonantais que iniciam a sílaba.
(B) voluntário Exemplos: psi-có-lo-go, re-fres-co;
(C) até
(D) insólito Separam-se:
(E) rótulos - Vogais dos hiatos.
Exemplos: ca-a-tin-ga, fi-el, sa-ú-de;
04. Analise atentamente a presença ou a ausência de
acento gráfico nas palavras abaixo e indique a alternativa em - Letras dos dígrafos: rr, ss, sc, sç xc.
que não há erro: Exemplos: car-ro, pas-sa-re-la, des-cer, nas-ço, ex-ce-len-
(A) ruím - termômetro - táxi – talvez. te;
(B) flôres - econômia - biquíni - globo. - Encontros consonantais das sílabas internas, excetuando-
(C) bambu - através - sozinho - juiz se aqueles em que a segunda consoante é l ou r.
(D) econômico - gíz - juízes - cajú. Exemplos: ap-to, bis-ne-to, con-vic-ção, a-brir, a-pli-car.
(E) portuguêses - princesa - faísca.
Acento Tônico
05. Todas as palavras abaixo são hiatos, EXCETO:
(A) saúde Ao pronunciar uma palavra de duas ou mais sílabas,
(B) cooperar percebe-se que há sempre uma sílaba de maior intensidade
(C) ruim sonora em comparação com as demais. Exemplo:
(D) creem
(E) pouco Calor - a sílaba lor é a de maior intensidade.
Gabarito Faceiro - a sílaba cei é a de maior intensidade.
1.B / 2.A / 3.B / 4.C / 5.E Sólido - a sílaba só é a de maior intensidade.

SÍLABA Classificação da sílaba quanto à intensidade


-Tônica: é a sílaba pronunciada com maior intensidade.
A sílaba é, normalmente, um grupo de fonemas centrados - Átona: é a sílaba pronunciada com menor intensidade.
numa vogal. Toda sílaba é expressa numa só emissão de voz, - Subtônica: é a sílaba de intensidade intermediária.
havendo breves pausas entre cada sílaba. Ocorre, principalmente, nas palavras derivadas,
Isso fica mais perceptível quando pronunciamos uma correspondendo à tônica da palavra primitiva.
palavra bem pausadamente.
Por isso, intuitivamente, a melhor maneira de separar as Classificação das palavras quanto à posição da sílaba
sílabas é falar bem pausadamente a palavra. Exemplo: FO... tônica
NO... LO... GI... A. Percebeu?1 De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos da
Fique sabendo que a base da sílaba é a vogal e, sem ela, não língua portuguesa que contêm duas ou mais sílabas são
há sílaba, ok? Há palavras com apenas uma vogal formando classificados em:
cada sílaba: aí, que se pronuncia a-í (duas sílabas). - Oxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a última. Ex.:
Quanto ao número de sílabas, as palavras classificam-se avó, urubu, parabéns.
em: - Paroxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a penúltima.
- Monossílabas (uma vogal, uma sílaba): mão. Ex.: dócil, suavemente, banana.
- Dissílabas (duas vogais, duas sílabas): man-ga.

1 PESTANA, Fernando. A Gramática para concursos. Elsevier. 2013..

Língua Portuguesa 12
APOSTILAS OPÇÃO

- Proparoxítonos: são aqueles cuja sílaba tônica é a -Alô! É Jorge quem está falando? Já pensei e resolvi casar-
antepenúltima. Ex.: máximo, parábola, íntimo. me com você. Sim, Jorge, amo-o! Ora, que pergunta! Pode vir.
A voz de Jorge estava rouca de felicidade!
Observações: E nunca soube a que devia tanta sorte!
- São palavras oxítonas: cateter, mister, Nobel, novel, ruim, (André Sinoldi)
sutil, transistor, ureter.
- São palavras paroxítonas: avaro, aziago, boêmia, Assinale a opção em que as duas palavras foram
caracteres, cartomancia, celtibero, circuito, decano, filantropo, corretamente separadas em sílabas.
fluido, fortuito, gratuito, Hungria, ibero, impudico, inaudito, (A) in-cóg-ni-to; trans-tor-no
intuito, maquinaria, meteorito, misantropo, necropsia (alguns (B) in-co-ns-ci-en-te-men-te; é-bria
dicionários admitem também necrópsia), Normandia, pegada, (C) em-pa-li-de-ce-u; a pa-i-xo-na-da
policromo, pudico, quiromancia, rubrica, subido (a). (D) tu-mul-tuo-sa-men-te; e- ni-gma
- São palavras proparoxítonas: aerólito, bávaro, bímano, (E) re-ti-cên-ci-as; em-pe-cil-ho
crisântemo, ímprobo, ínterim, lêvedo, ômega, pântano,
trânsfuga. 02. Assinale o item em que todas as sílabas estão
- As seguintes palavras, entre outras, admitem dupla corretamente separadas:
tonicidade: acróbata/acrobata, hieróglifo/hieroglifo, (A) a-p-ti-dão;
Oceânia/Oceania, ortoépia/ortoepia, projétil/projetil, (B) so-li-tá-ri-o;
réptil/reptil, zângão/zangão. (C) col-me-ia;
(D) ar-mis-tí-cio;
Questões (E) trans-a-tlân-ti-co.

01. Leia o texto e responda as questões 03 e 04.


A carta de amor
O Mirante do Sertão
No momento em que Malvina ia pôr a frigideira no fogo,
entrou a cozinheira com um envelope na mão. Isso bastou para Parque ambiental que, segundo dados da Sudema, possui
que ela se tornasse nervosa. Seu coração pôs-se a bater aproximadamente 500 hectares de área composta de espécies
precipitadamente e seu rosto se afogueou. Abriu-o com gesto de Mata Atlântica e Caatinga, a Serra do Jabre é reconhecida
decisivo e extraiu um papel verde-mar, sobre o qual se liam, pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) como uma das
em caracteres energéticos, masculinos, estas palavras: “Você maiores fontes de pesquisas biológicas do país, pois possui
será amada...”. espécies endêmicas que só existem aqui na reserva ecológica e
Malvina empalideceu, apesar de já conhecer o conteúdo devem ser fruto de estudo para evitar extinção de exemplares
dessa carta verde-mar, que recebia todos os dias, havia já uma raros da fauna e da flora. O Parque possui 1.197 metros de
semana. Malvina estava apaixonada por um ente invisível, por altitude e é um observatório natural que permite que os
um papel verde-mar, por três palavras e três pontos de visitantes contemplem do alto toda cobertura vegetal
reticências: “Você será amada...”. Há uma semana que vivia acompanhada de relevos e fontes de água dos municípios
como ébria. vizinhos. Uma paisagem rica em belezas naturais, que atrai a
Olhava para a rua e qualquer olhar de homem que se atenção de turistas brasileiros e estrangeiros.
cruzasse com o seu, lhe fazia palpitar tumultuosamente o (...) O Pico do Jabre surpreende por suas belezas, clima
coração. Se o telefone tilintava, seu pensamento corria célere: agradável e uma visão de encher de entusiasmo e energia
talvez fosse “ele”. Se não conhecesse a causa desse transtorno, positiva qualquer visitante. Com uma panorâmica de 130 km
por certo Malvina já teria ido consultar um médico de doenças de visão, de onde se pode ver, a olho nu, os Estados do Rio
nervosas. Mandara examinar por um grafólogo a letra dessa Grande do Norte e Pernambuco, o Mirante do Sertão, título
carta. Fora em todas as papelarias à procura desse papel mais que merecido, é um dos lugares mais belos da Paraíba,
verde-mar e, inconscientemente, fora até o correio ver se com potencialidade para se tornar um dos complexos
descobria o remetente no ato de atirar o envelope na caixa. turísticos mais bem visitados do Estado.
Tudo em vão. Quem escrevia conseguia manter-se (...) Cenário ideal para os praticantes de esportes radicais,
incógnito. Malvina teria feito tudo quanto ele quisesse. o Pico do Jabre atrai turistas de todas as partes do país,
Nenhum empecilho para com o desconhecido. Mas para que equipados com seus acessórios de segurança. A existência de
ela pudesse realizar o seu sonho, era preciso que ele se trilhas fechadas é outro atrativo para os desportistas,
tornasse homem de carne e osso. Malvina imaginava-o alto, incansáveis na busca de aventura.
moreno, com grandes olhos negros, forte e espadaúdo. O entorno do Parque Estadual do Pico do Jabre abrange
O seu cérebro trabalhava: seria ele casado? Não, não o era. cinco municípios com atividades econômicas voltadas para a
Seria pobre? Não podia ser. Seria um grande industrial? Quem agricultura. A turística no meio rural é uma das perspectivas
sabe? para o desenvolvimento desta economia. O Parque Estadual do
As cartas de amor, verde-mar, haviam surgido na vida de Pico do Jabre, dentro da malha turística do estado da Paraíba,
Malvina como o dilúvio, transformando-lhe o cérebro. com roteiros alternativos envolvendo esportes, cultura,
Afinal, no décimo dia, chegou a explicação do enigma. Foi gastronomia e lazer, traz benefícios a uma população, com a
uma coisa tão dramática, tão original, tão crível, que Malvina geração de mais empregos.
não teve nem um ataque de histerismo, nem uma crise de O Parque Ecológico, como atrativo turístico natural desta
cólera. Ficou apenas petrificada. região, faz surgir novos serviços, tais como mateiros, guias,
“Você será amada... se usar, pela manhã, o creme de beleza taxistas, cozinheiros, dentre outros, os quais estão
Lua Cheia. O creme Lua Cheia é vendido em todas as farmácias diretamente ligados ao visitante. Os novos empreendimentos
e drogarias. Ninguém resistirá a você, se usar o creme Lua que surgirão, vão gerar recursos utilizados para a adequação
Cheia. da infraestrutura local. Assim, surgirão novos horizontes para
Era o que continha o papel verde-mar, escrito em enérgicos a região do entorno do Pico do Jabre, contribuindo para
caracteres masculinos. permanência de sua população, que não mais migrará em
Ao voltar a si, Malvina arrastou-se até o telefone: busca de empregos e melhor qualidade de vida. Com a
preservação da natureza, que está pronta para despertar uma

Língua Portuguesa 13
APOSTILAS OPÇÃO

nova visão desta atividade tão promissora que é o turismo no (E) in – te – lec – ção / mi – ú – do / sa – guões
meio rural.
(http://www.matureia.pb.gov.br).
07. Dadas as palavras:
03. Assinale a opção em que TODAS as palavras 1) des – a – ten – to
apresentam separação de sílaba escrita INCORRETAMENTE. 2) sub – es – ti – mar
(A) Am-bi-en-tal - pos-su-i - hec-ta-res 3) trans – tor – no
(B) A-tlân-ti-ca - caa-tin-ga - pa-ís
(C) Es-pé-cies - mu-ni-cí-pios -per-ma-nên-cia Constatamos que a separação silábica está correta:
(D) A-de-qua-ção - in-can-sá-ve-is - na-tu-rais (A) apenas em 1.
(E) Ma-te-i-ro - pro-mis-so-ra - mei-o (B) apenas em 2.
(C) apenas em 3.
04. Algumas palavras do texto estão escritas com acento. (D) em todas as palavras.
Quanto à posição da sílaba tônica, as palavras turística, (E) n.d.a
agradável e país são RESPECTIVAMENTE:
(A) Paroxítona - oxítona - proparoxítona. 08. Os vocábulos abaixo aparecem separados em sílabas.
(B) Proparoxítona - oxítona - paroxítona. Assinale aquele em que a separação não obedece às normas do
(C) Paroxítona - paroxítona - proparoxítona. sistema ortográfico vigente:
(D) Proparoxítona - paroxítona - paroxítona. (A) car-re-ga-dos;
(E) Proparoxítona - paroxítona - oxítona. (B) es-tá-tuas;
(C) cam-ba-Iei-a;
05. Leia o texto abaixo e, depois, responda a questão. (D) es-pi-ra-is;
(E) es-cal-da-vam.
As algas
09. Há erro de divisão silábica em uma das séries.
As algas Assinale-a:
das águas salgadas (A) ist-mo, á-gua, pror-ro-gar, trans-a-tlân-ti-co, cai-ais;
são mais amadas, (B) pneu, nup-ci-al, bi-sa-vô, flu-iu, su-bo-fi-ci-al;
são mais amargas (C) ne-crop-si-a, ru-a, sais, prai-a, cou-sa;
(D) ap-to, de-sá-gua, jói-a, mne-mô-ni-ca, dor;
As algas marinhas (E) ad-li-ga-ção, sub-lin-gual, a-ven-tu-ra, sa-ir, ca-í-da.
não andam sozinhas,
de um reino maravilhoso 10. A divisão silábica só não está correta em:
são as rainhas. (A) cor-rup-ção;
(B) su-bli-nhar;
As algas muito amigas (C) subs-cri-ção;
inventam cantigas (D) sé-rie;
pra embalar (E) a-ve-ri-gue
os habitantes do mar.
Gabarito
As algas tão sábias 01.A / 02.D / 03.C / 04.E / 05.D / 06.E / 07.C / 08.D /
são cheias de lábias 09.A / 10.B
se jogam sem medo
e descobrem
o segredo
mais profundo Pontuação.
que há bem no fundo
do mar.
PONTUAÇÃO
As algas em seus verdores
são plantas e são flores. Os sinais de pontuação são marcações gráficas que servem
Um pouco de tudo: de bichos, de gente, de flores, de Elias para compor a coesão e a coerência textual além de ressaltar
(José. São Paulo: Paulinas, 1982.)
especificidades semânticas e pragmáticas. Vejamos as
Escolha a alternativa em que a palavra retirada do texto principais funções dos sinais de pontuação conhecidos pelo
apresenta-se com a sua correta justificativa de acentuação uso da língua portuguesa.2
gráfica.
(A) “águas” – oxítona terminada em ditongo. Ponto
(B) “sábias” – proparoxítona terminada em ditongo.
(C) “lábias” – paroxítona terminada em s. 1) Indica o término do discurso ou de parte dele.
(D) “há” – monossílaba tônica terminada em a(s). Ex.: Façamos o que for preciso para tirá-la da situação em
que se encontra. / Gostaria de comprar pão, queijo, manteiga
06. Assinale a alternativa em que a divisão silábica de e leite.
todas as palavras está correta:
(A) e – nig – ma / su – bju – gar / rai – nha 2) Usa-se nas abreviações.
(B) co – lé – gi – o / pror – ro – gar / je – suí – ta Ex.: V.Exª (Vossa Exelencia) , Sr. (Senhor), S.A (Sociedade
(C) res – sur – gir / su – bli – nhar / fu – gi – u Anonima).
(D) i – guais / ca- ná – rio / due – lo

2 http://tudodeconcursosevestibulares.blogspot.com/2013/04/pontuacao-
resumo-com-questoes.html

Língua Portuguesa 14
APOSTILAS OPÇÃO

Ponto e Vírgula 1) Entre sujeito e predicado.


Todos os alunos da sala foram advertidos.
1) Separa várias partes do discurso, que têm a mesma sujeito predicado
importância.
Ex.: “Os pobres dão pelo pão o trabalho; os ricos dão pelo 2) Entre o verbo e seus objetos.
pão a fazenda; os de espíritos generosos dão pelo pão a vida; O trabalho custou sacrifício aos realizadores.
os de nenhum espírito dão pelo pão a alma...” V.T.D.I .O.D .O.I.
(Vieira)
2) Separa partes de frases que já estão separadas por 3) Entre nome e complemento nominal; entre nome e
vírgulas. adjunto adnominal.
Ex.: Alguns quiseram verão, praia e calor; outros A surpreendente reação do governo contra os sonegadores
montanhas, frio e cobertor. despertou reações entre os empresários.
adj. adnominal nome adj. adn. Compl. nominal
3) Separa itens de uma enumeração, exposição de motivos,
decreto de lei, etc. Ex.: Usa-se a Vírgula
- Ir ao supermercado; 1) Para marcar intercalação:
- Pegar as crianças na escola; a) Do adjunto adverbial: O café, em razão da sua
- Caminhada na praia; abundância, vem caindo de preço.
- Reunião com amigos. b) Da conjunção: Os cerrados são secos e áridos. Estão
produzindo, todavia, altas quantidades de alimentos.
Dois Pontos c) Das expressões explicativas ou corretivas: As indústrias
não querem abrir mão de suas vantagens, isto é, não querem
1) Antes de uma citação. abrir mão dos lucros altos.
Ex.: Vejamos como Afrânio Coutinho trata este assunto:...
2) Para marcar inversão:
2) Antes de um aposto. a) Do adjunto adverbial (colocado no início da oração):
Ex.: Três coisas não me agradam: chuva pela manhã, frio à Depois das sete horas, todo o comércio está de portas fechadas.
tarde e calor à noite. b) Dos objetos pleonásticos antepostos ao verbo: Aos
pesquisadores, não lhes destinaram verba alguma.
3) Antes de uma explicação ou esclarecimento. c) Do nome de lugar anteposto às datas: Recife, 15 de maio
Ex.: Lá estava a deplorável família: triste, cabisbaixa, de 1982.
vivendo a rotina de sempre.
3) Para separar entre si elementos coordenados (dispostos
4) Em frases de estilo direto. Ex.: em enumeração): Era um garoto de 15 anos, alto, magro. / A
Maria perguntou: ventania levou árvores, e telhados, e pontes, e animais.
- Por que você não toma uma decisão?
4) Para marcar elipse (omissão) do verbo: Nós queremos
Ponto de Exclamação comer pizza; e vocês, churrasco.
1) Usa-se para indicar entonação de surpresa, cólera, susto, 5) Para isolar:
súplica, etc. a) O aposto: São Paulo, considerada a metrópole brasileira,
Ex.: - Sim! Claro que eu quero me casar com você! possui um trânsito caótico.
b) O vocativo: Ora, Thiago, não diga bobagem.
2) Depois de interjeições ou vocativos.
Ex.: - João! Há quanto tempo! Questões
Ponto de Interrogação 01. Assinale a alternativa em que a pontuação está
corretamente empregada, de acordo com a norma-padrão da
Usa-se nas interrogações diretas e indiretas livres. língua portuguesa.
“Então? Que é isso? Desertaram ambos?” (A) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e,
(Artur Azevedo)
embora, experimentasse, a sensação de violar uma intimidade,
procurou a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo
Reticências
que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
(B) Diante, da testemunha o homem abriu a bolsa e,
1) Indica que palavras foram suprimidas.
embora experimentasse a sensação, de violar uma intimidade,
Ex.: Comprei lápis, canetas, cadernos...
procurou a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo
que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
2) Indica interrupção violenta da frase.
(C) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e,
Ex.: Não... quero dizer... é verdade... Ah!
embora experimentasse a sensação de violar uma intimidade,
procurou a esmo entre as coisinhas, tentando encontrar algo
3) Indica interrupções de hesitação ou dúvida
que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
Ex.: Este mal... pega doutor?
(D) Diante da testemunha, o homem, abriu a bolsa e,
embora experimentasse a sensação de violar uma intimidade,
4) Indica que o sentido vai além do que foi dito
procurou a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo
Ex.: Deixa, depois, o coração falar...
que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
(E) Diante da testemunha, o homem abriu a bolsa e,
Vírgula
embora, experimentasse a sensação de violar uma intimidade,
procurou a esmo entre as coisinhas, tentando, encontrar algo
Não se usa Vírgula
que pudesse ajudar a revelar quem era a sua dona.
Separando termos que, do ponto de vista sintático, ligam-
se diretamente entre si:

Língua Portuguesa 15
APOSTILAS OPÇÃO

02. Assinale a opção em que está corretamente indicada a (D) De fabricação chinesa, a nova pulseirinha, chega
ordem dos sinais de pontuação que devem preencher as primeiro às, areias do Guarujá.
lacunas da frase abaixo: (E) O sistema permite, ainda, cadastrar o nome e o telefone
“Quando se trata de trabalho científico ___ duas coisas de quem a encontrou e informar um ponto de referência
devem ser consideradas ____ uma é a contribuição teórica que o
trabalho oferece ___ a outra é o valor prático que possa ter. Respostas
(A) dois pontos, ponto e vírgula, ponto e vírgula 1.C / 2.C / 3.B / 4.D / 5.E
(B) dois pontos, vírgula, ponto e vírgula;
(C) vírgula, dois pontos, ponto e vírgula;
(D) pontos vírgula, dois pontos, ponto e vírgula; Classes e emprego de
(E) ponto e vírgula, vírgula, vírgula.
palavras. Gênero e número
03. Os sinais de pontuação estão empregados dos substantivos. Coletivos.
corretamente em:
(A) Duas explicações, do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque, o conceito de PPD e a CLASSE DE PALAVRAS
construção de tabelas Price; mas por outro lado, faltou falar
das metas de vendas associadas aos dois temas. Artigo
(B) Duas explicações do treinamento para consultores
iniciantes receberam destaque: o conceito de PPD e a É uma palavra que antepomos aos substantivos para
construção de tabelas Price; mas, por outro lado, faltou falar determiná-los, indicando, ao mesmo tempo, gênero e número.
das metas de vendas associadas aos dois temas. Dividem-se em:
(C) Duas explicações do treinamento para consultores - Definidos: o, a, os, as
iniciantes receberam destaque; o conceito de PPD e a - Indefinidos: um, uma, uns, umas.
construção de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar
das metas de vendas associadas aos dois temas. Os definidos determinam os substantivos de modo preciso,
(D) Duas explicações do treinamento para consultores particular: Viajei com o médico.
iniciantes, receberam destaque: o conceito de PPD e a Os indefinidos determinam os substantivos de modo vago,
construção de tabelas Price, mas, por outro lado, faltou falar impreciso, geral: Viajei com um médico.
das metas de vendas associadas aos dois temas.
(E) Duas explicações, do treinamento para consultores - Usa-se o artigo entre o numeral ambas e o substantivo:
iniciantes, receberam destaque; o conceito de PPD e a Ambas as mãos são perfeitas.
construção de tabelas Price, mas por outro lado, faltou falar
das metas, de vendas associadas aos dois temas. - Não se usa artigo antes dos nomes de cidades, a menos
que venham determinados por adjetivos ou locuções adjetivas.
04. Assinale a alternativa em que o período, adaptado da Vim de Paris
revista Pesquisa Fapesp de junho de 2012, está correto quanto Vim da luminosa Paris.
à regência nominal e à pontuação.
(A) Não há dúvida que as mulheres ampliam, rapidamente, Mas com alguns nomes de cidades conservamos o artigo.
seu espaço na carreira científica ainda que o avanço seja mais O Rio de Janeiro, O Cairo, O Porto.
notável em alguns países, o Brasil é um exemplo, do que em
outros. Todo, toda designam qualquer, cada. Ex.: Toda cidade
(B) Não há dúvida de que, as mulheres, ampliam pode concorrer (qualquer cidade).
rapidamente seu espaço na carreira científica; ainda que o Todo o, toda a designam totalidade, inteireza. Ex.: Conheci
avanço seja mais notável, em alguns países, o Brasil é um toda a cidade (a cidade inteira).
exemplo!, do que em outros.
(C) Não há dúvida de que as mulheres, ampliam - De maneira geral, é facultativo o uso do artigo antes dos
rapidamente seu espaço, na carreira científica, ainda que o possessivos.
avanço seja mais notável, em alguns países: o Brasil é um Aplaudimos tua decisão.
exemplo, do que em outros. Aplaudimos a tua decisão.
(D) Não há dúvida de que as mulheres ampliam
rapidamente seu espaço na carreira científica, ainda que o Se o possessivo não vier seguido de substantivo explícito é
avanço seja mais notável em alguns países - o Brasil é um obrigatória a ocorrência do artigo.
exemplo - do que em outros. Aplaudiram a tua decisão e não a minha.
(E) Não há dúvida que as mulheres ampliam rapidamente,
seu espaço na carreira científica, ainda que, o avanço seja mais - O artigo indefinido, posto antes de um numeral, designa
notável em alguns países (o Brasil é um exemplo) do que em quantidade aproximada: Faz uns dez anos que saí de lá.
outros.
- Os artigos definidos e indefinidos contraem-se com
05. Assinale a alternativa em que a frase mantém-se preposições: de + o = do, de + a = da, em + uma = numa, etc.
correta após o acréscimo das vírgulas.
(A) Se a criança se perder, quem encontrá-la, verá na Substantivo
pulseira instruções para que envie, uma mensagem eletrônica
ao grupo ou acione o código na internet. É tudo o que nomeia as “coisas” em geral. Tudo o que pode
(B) Um geolocalizador também, avisará, os pais de onde o ser visto, pego ou sentido. Tudo o que pode ser precedido de
código foi acionado. artigo.
(C) Assim que o código é digitado, familiares cadastrados,
recebem automaticamente, uma mensagem dizendo que a Classificação
criança foi encontrada. Comum: é aquele que designa os seres de uma espécie de
forma genérica. Ex.: pedra, computador, cachorro.

Língua Portuguesa 16
APOSTILAS OPÇÃO

Próprio: é aquele que designa um ser específico, Plural dos adjetivos compostos - Os adjetivos compostos
determinado, individualizando-o. Ex.: Maxi, Londrina, flexionam-se no plural de acordo com as seguintes regras:
Dílson, Ester. O substantivo próprio sempre deve ser escrito - os adjetivos compostos formados de adjetivo + adjetivo
com letra maiúscula. flexionam somente o último elemento. Ex.: luso-brasileiro e
Concreto: é aquele que designa seres que existem por si só luso-brasileiros. Exceções: surdo-mudo e surdos-mudos.
ou apresentam-se em nossa imaginação como se existissem Ficam invariáveis os seguintes adjetivos compostos: azul-
por si. Ex.: ar, som, Deus. celeste e azul-marinho.
Abstrato: é aquele que designa prática de ações verbais, - os adjetivos compostos formados de palavra invariável +
existência de qualidades ou sentimentos humanos. Ex.: saída adjetivo flexionam também só o último elemento. Ex.: mal-
(prática de sair), beleza (existência do belo), saudade. educado e mal-educados.
- os adjetivos compostos formados de adjetivo +
Formação substantivo ficam invariáveis. Ex.: carro(s) verde-canário.
Primitivo: aquele que não se origina de outra palavra - as expressões formadas de cor + de + substantivo também
existente na língua portuguesa. Ex.: pedra, jornal. ficam invariáveis. Ex.: cabelo(s) cor-de-ouro.
Derivado: aquele que provém de outra palavra da língua
portuguesa. Ex.: pedreiro, jornalista. Graus dos Adjetivos
Simples: aquele formado por um único radical. Ex.: pedra, O adjetivo flexiona-se em grau para indicar a intensidade
pedreiro. da qualidade do ser. Existem, para o adjetivo, dois graus:
Composto: aquele formado por dois ou mais radicais. Ex.:
pedra-sabão, passatempo. Comparativo
- de igualdade: tão (tanto, tal) bom como (quão, quanto).
Coletivo: aquele no singular que indica diversos - de superioridade: analítico (mais bom do que) e sintético
elementos de uma mesma espécie. Ex.: (melhor que).
- abelha - enxame, cortiço, colmeia - de inferioridade: menos bom que (do que).
- acompanhante - comitiva, cortejo, séquito
- alho - (quando entrelaçados) réstia, enfiada, cambada Superlativo
- aluno - classe - absoluto: analítico (muito bom) e sintético (ótimo ou
- amigo - (quando em assembleia) tertúlia boníssimo).
- relativo: de superioridade (o mais bom de) e de
Adjetivo inferioridade (o menos bom).

É a classe gramatical de palavras que exprimem qualidade, Somente seis adjetivos têm o grau comparativo de
defeito, origem, estado do ser. superioridade sintético. Veja-os: de bom - melhor, de mau -
pior, de grande - maior, de pequeno - menor, de alto - superior,
Classificação dos Adjetivos de baixo - inferior.
Explicativo - exprime qualidade própria do ser. Ex.: neve Para estes seis adjetivos, usamos a forma analítica do grau
fria. comparativo de superioridade, quando se comparam duas
Restritivo - exprime qualidade que não é própria do ser. qualidades do mesmo ser. Ex.: Ele é mais bom que inteligente.
Ex.: fruta madura. Usa-se a forma sintética do grau comparativo de
Primitivo - não vem de outra palavra portuguesa. Ex.: bom superioridade, quando se comparam dois seres através da
e mau. mesma qualidade. Ex.: Ela é melhor que você.
Derivado - tem origem em outra palavra portuguesa. Ex.:
bondoso. Numeral
Simples - formado de um só radical. Ex.: brasileiro.
Composto - formado de mais de um radical. Ex.: franco- É a classe de palavras que exprimem quantidade, ordem,
brasileiro. divisão e multiplicação dos seres na natureza.
Pátrio - é o adjetivo que indica a naturalidade ou a
nacionalidade do ser. Ex.: brasileiro, cambuiense, etc. Classificação
Cardinais: indicam contagem, medida. Ex.: um, dois, três…
Locução Adjetiva Ordinais: indicam a ordem do ser numa série dada. Ex.:
É toda expressão formada de uma preposição mais um primeiro, segundo, terceiro…
substantivo, equivalente a um adjetivo. Por exemplo, homens Fracionários: indicam a divisão dos seres. Ex.: meio, terço,
com aptidão (aptos), bandeira da Irlanda (irlandesa). quarto, quinto…
Multiplicativos: indicam a multiplicação dos seres. Ex.:
Gêneros dos Adjetivos dobro, triplo, quádruplo, quíntuplo…
Biformes - têm duas formas, sendo uma para o masculino
e outra para o feminino. Ex.: mau e má, judeu e judia. Se o Um Primeiro Vinte Vigésimo
adjetivo é composto e biforme, ele flexiona no feminino Dois Segundo Trinta Trigésimo
somente o último elemento. Ex.: o motivo sócio literário e a Três Terceiro Cinquenta Quinquagésimo
causa sócio literária. Exceção = surdo-mudo e surda-muda. Quatro Quarto Sessenta Sexagésimo
Uniformes - têm uma só forma tanto para o masculino Cinco Quinto Setenta Septuagésimo
como para o feminino. Ex.: homem feliz ou cruel e mulher feliz Seis Sexto Cem Centésimo
Sete Sétimo Quinhentos Quingentésimo
ou cruel. Se o adjetivo é composto e uniforme, fica invariável
Oito Oitavo Seiscentos Sexcentésimo
no feminino. Ex.: conflito político-social e desavença político-
Nove Nono Mil Milésimo
social. Dez Décimo Milhão Milionésimo

Número dos Adjetivos Faz-se a leitura do numeral cardinal, dispondo-se a palavra


Plural dos adjetivos simples - Ex.: mau e maus, feliz e “e” entre as centenas e as dezenas e entre as dezenas e
felizes, ruim e ruins, boa e boas. unidades. Ex.: 1.203.726 = um milhão duzentos e três mil
setecentos e vinte e seis.

Língua Portuguesa 17
APOSTILAS OPÇÃO

Pronome - Quando associados a verbos terminados em ditongo nasal


(-am, -em, -ão, -õe), assumem as formas no, na, nos, nas. Ex.:
A palavra que acompanha (determina) ou substitui um Fizeram um relatório; Fizeram-no.
nome é denominada pronome. Ex.: Ana disse para sua irmã: -
Eu preciso do meu livro de matemática. Você não o encontrou? - Os pronomes oblíquos podem ser reflexivos e quando
Ele estava aqui em cima da mesa. isso ocorre se referem ao sujeito da oração. Ex.: Maria olhou-
- eu substitui “Ana” se no espelho; Eu não consegui controlar-me diante do público.
- meu acompanha “o livro de matemática”
- o substitui “o livro de matemática” - Antes do infinitivo precedido de preposição, o pronome
- ele substitui “o livro de matemática” usado deverá ser o reto, pois será sujeito do verbo no
infinitivo. Ex.: O professor trouxe o livro para mim. (Pronome
Flexão: quanto à forma, o pronome varia em gênero, oblíquo, pois é um complemento); O professor trouxe o livro
número e pessoa: para eu ler. (Pronome reto, pois é sujeito)
- Gênero (masculino/feminino)
Ele saiu/Ela saiu Pronomes de Tratamento
Meu carro/Minha casa São aqueles que substituem a terceira pessoa gramatical.
Alguns são usados em tratamento cerimonioso e outros em
- Número (singular/plural) situações de intimidade. Conheça alguns:
Eu saí/Nós saímos - Você (v.): tratamento familiar
Minha casa/Minhas casas - Senhor (Sr.), senhora (Sr.ª.): tratamento de respeito
- Senhorita (Srta.): moças solteiras
- Pessoa (1ª/2ª/3ª) - Vossa Senhoria (V.S.ª.): para pessoa de cerimônia
Eu saí/Tu saíste/Ele saiu - Vossa Excelência (V.S.ª.): para altas autoridades
Meu carro/Teu carro/Seu carro - Vossa Reverendíssima (V. Revmª.): para sacerdotes
- Vossa Eminência (V.Emª.): para cardeais
Função: tem duas funções fundamentais. - Vossa Santidade (V.S.): para o Papa
- Substituir o nome: nesse caso, classifica-se como - Vossa Majestade (V.M.): para reis e rainhas
pronome substantivo e constitui o núcleo de um grupo - Vossa Majestade Imperial (V.M.I.): para imperadores
nominal. Ex.: Quando cheguei, ela se calou. (Ela é o núcleo do - Vossa Alteza (V.A.): para príncipes, princesas e duques
sujeito da segunda oração e se trata de um pronome
substantivo porque está substituindo um nome) Os pronomes e os verbos ligados aos pronomes de
- Referir-se ao nome: nesse caso, classifica-se como tratamento devem estar na 3ª pessoa. Ex.: Vossa Excelência já
pronome adjetivo e constitui uma palavra dependente do terminou a audiência? (Nesse fragmento se está dirigindo a
grupo nominal. Ex.: Nenhum aluno se calou. (O sujeito pergunta à autoridade).
“nenhum aluno” tem como núcleo o substantivo “aluno” e Quando apenas nos referimos a essas pessoas, sem que
como palavra dependente o pronome adjetivo “nenhum”) estejamos nos dirigindo a elas, o pronome “vossa” se
transforma no possessivo “sua”. Ex.: Sua Excelência já
Pronomes Pessoais terminou a audiência? (Nesse fragmento não se está dirigindo
São aqueles que substituem os nomes e representam as a pergunta à autoridade, mas a uma terceira pessoa do
pessoas do discurso: discurso).
1ª pessoa - a pessoa que fala - eu/nós
2ª pessoa - a pessoa com que se fala - tu/vós Pronomes Possessivos
3ª pessoa - a pessoa de quem se fala - ele/ela/eles/elas São aqueles que indicam ideia de posse. Além de indicar a
coisa possuída, indicam a pessoa gramatical possuidora.
Pronomes pessoais retos: são os que têm por função
principal representar o sujeito ou predicativo. Masculino Feminino
Singular Plural Singular Plural
Pronomes pessoais oblíquos: são os que podem exercer meu meus minha minhas
função de complemento. teu teus tua tuas
seu seus sua suas
Pessoas do Retos Oblíquos nosso nossos nossa nossas
Discurso Átonos Tônicos vosso vossos vossa vossas
Singular 1ª pessoa eu me mim, seu seus sua suas
2ª pessoa tu te comigo
3ª pessoa ele/ela se, o, a, ti, contigo Pronomes Demonstrativos
lhe si, ele, Possibilitam localizar o substantivo em relação às pessoas,
consigo ao tempo, e sua posição no interior de um discurso.
Plural 1ª pessoa nós nos nós,
2ª pessoa vós vos conosco este, esta, isto, estes, estas
3ª pessoa eles/elas se, os, vós, Ex.:
as, lhes convosco Não gostei deste livro aqui.
si, eles, Neste ano, tenho realizado bons negócios.
consigo Esta afirmação me deixou surpresa: gostava de química.
O homem e a mulher são massacrados pela cultura atual, mas
- Associação de pronomes a verbos: os pronomes oblíquos esta é mais oprimida.
o, a, os, as, quando associados a verbos terminados em -r, -s, - esse, essa, esses, essas
z, assumem as formas lo, la, los, las, caindo as consoantes. Ex.: Ex.:
Carlos quer convencer seu amigo a fazer uma viagem; Carlos Não gostei desse livro que está em tuas mãos.
quer convencê-lo a fazer uma viagem. Nesse último ano, realizei bons negócios.
Gostava de química. Essa afirmação me deixou surpresa.
aquele, aquela, aquilo, aqueles, aquelas
Ex.:

Língua Portuguesa 18
APOSTILAS OPÇÃO

Não gostei daquele livro que a Roberta trouxe. Antecedente: menina; Pronome relativo antecedido de
Tenho boas recordações de 1960, pois naquele ano realizei preposição: de quem.
bons negócios. Os pronomes relativos cujo, cuja sempre precedem a um
O homem e a mulher são massacrados pela cultura atual, mas substantivo sem artigo e possuem o significado “do qual”, “da
esta é mais oprimida que aquele.
qual”. Ex.: “O livro cujo autor não me recordo.”
Os pronomes relativos quanto(s) e quanta(s) aparecem
Pronomes Indefinidos
geralmente precedidos dos pronomes indefinidos tudo,
São pronomes que acompanham o substantivo, mas não o
tanto(s), tanta(s), todos, todas. Ex.: “Você é tudo quanto queria
determinam de forma precisa: algum, bastante, cada, certo,
na vida.”
diferentes, diversos, demais, mais, menos, muito, nenhum,
O pronome relativo onde tem sempre como antecedente
outro, pouco, qual, qualquer, quanto, tanto, todo, tudo, um,
palavra que indica lugar. Ex.: “A casa onde moro é muito
vários.
espaçosa.”
O pronome relativo que admite diversos tipos de
Algumas locuções pronominais indefinidas: cada qual,
antecedentes: nome de uma coisa ou pessoa, o pronome
qualquer um, tal e qual, seja qual for, sejam quem for, todo
demonstrativo ou outro pronome. Ex.: “Quero agora aquilo
aquele, quem (que), quer uma ou outra, todo aquele (que), tais
que ele me prometeu.”
e tais, tal qual, seja qual for.
Os pronomes relativos, na maioria das vezes, funcionam
como conectivos, permitindo-nos unir duas orações em um só
Uso de alguns pronomes indefinidos
período. Ex.: A mulher parece interessada. A mulher comprou
Algum
o livro. (A mulher que parece interessada comprou o livro.)
- Quando anteposto ao substantivo dá ideia de afirmação.
“Algum dinheiro terá sido deixado por ela.”
Pronomes Interrogativos
- Quando posposto ao substantivo dá ideia de negação.
Levam o verbo à 3ª pessoa e são usados em frases
“Dinheiro algum terá sido deixado por ela.”
interrogativas diretas ou indiretas. Não existem pronomes
O uso desse pronome indefinido antes ou depois do verbo
exclusivamente interrogativos e sim que desempenham
está ligado à intenção do enunciador.
função de pronomes interrogativos, como por exemplo: que,
quantos, quem, qual, etc. Ex.: “Quantos livros teremos que
Demais
comprar?”; “Ele perguntou quantos livros teriam que
Este pronome indefinido, muitas vezes, é confundido com
comprar.”; “Qual foi o motivo do seu atraso?”
o advérbio “demais” ou com a locução adverbial “de mais”. Ex.:
Maria não criou nada de mais além de uma cópia do quadro
Verbo
de outro artista. (Locução Adverbial)
Maria esperou-os demais. (Pronome Indefinido = os
Quando se pratica uma ação, a palavra que representa essa
outros)
ação e indica o momento em que ela ocorre é o verbo.
Maria esperou demais. (Advérbio de Intensidade)
Exemplos:
- Aquele pedreiro trabalhou muito. (Ação – pretérito)
Todo
- Venta muito na primavera. (Fenômeno – presente)
É usado como pronome indefinido e também como
- Ana ficará feliz com a tua chegada. (Estado - futuro)
advérbio, no sentido de completamente, mas possuindo flexão
de gênero e número, o que é raro em um advérbio. Ex.:
Existem 3 Conjugações Verbais:
Percorri todo trajeto. (Pronome Indefinido)
Por causa da chuva, a roupa estava toda molhada.
1º Conjugação 2º Conjugação 3º Conjugação
(Advérbio) terminados em AR terminados em ER terminados em IR
cantar vender partir
Cada amar chover sorrir
Possui valor distributivo e significa todo, qualquer, dentre sonhar sofrer abrir
certo número de pessoas ou de coisas. Ex.: “Cada homem tem
a mulher que merece”. Este pronome indefinido não pode Obs.: O verbo pôr, assim como seus derivados (compor,
anteceder substantivo que esteja em plural (cada férias), a não repor, depor, etc.), pertence à 2º conjugação, porque na sua
ser que o substantivo venha antecedido de numeral (cada duas forma antiga sua terminação era em er: poer. A vogal “e”,
férias). Pode, às vezes, ter valor intensificador: “Mário diz cada apesar de haver desaparecido do infinitivo, revela-se em
coisa idiota!” algumas formas de verbo: põe, pões, põem etc.

Pronomes Relativos Pessoas: 1ª, 2ª e 3ª pessoa são abordadas em 2 situações:


São aqueles que representam nomes que já foram citados singular e plural.
e com os quais estão relacionados. O nome citado denomina- Primeira pessoa do singular – eu; ex: eu canto
se antecedente do pronome relativo. Ex.: “A rua onde moro é Segunda pessoa do singular – tu; ex: tu cantas
muito escura à noite.”; onde: pronome relativo que representa Terceira pessoa do singular – ele; ex ele: canta
“a rua”; a rua: antecedente do pronome “onde”. Primeira pessoa do plural – nós; ex: nós cantamos
Segunda pessoa do plural – vós; ex: vós cantais
Alguns pronomes que podem funcionar como Terceira pessoa do plural – eles; ex: eles cantam
pronomes relativos:
Masculino (o qual, os quais, quanto, quantos, cujo, cujos). Tempos Verbais
Feminino (a qual, as quais, quanta, quantas, cuja, cujas). - Presente - Fato ocorrido no momento em que se fala. Ex.:
Invariável (quem, que, onde). Faz
- Pretérito - Fato ocorrido antes. Ex.: Fez
O pronome relativo quem sempre possui como - Futuro - Fato ocorrido depois. Ex.: Fará
antecedente uma pessoa ou coisas personificadas, vem sempre
antecedido de preposição e possui o significado de “o qual”. O pretérito subdivide-se em perfeito, imperfeito e mais-
Ex.: “Aquela menina de quem lhe falei viajou para Paris”. que-perfeito.

Língua Portuguesa 19
APOSTILAS OPÇÃO

- Perfeito. Ação acabada. Ex.: Eu li o último romance de - Imperativo Afirmativo: também é formado do presente
Rubens Fonseca. do subjuntivo, com exceção da 2ª pessoa do singular e da 2ª
- Imperfeito. Ação inacabada no momento a que se refere pessoa do plural, que são retiradas do presente do indicativo
à narração. Ex.: Ele olhava o mar durante horas e horas. sem o “s”. Ex.: Canta – Cante – Cantemos – Cantai – Cantem
- Mais-que-perfeito. Ação acabada, ocorrida antes de
outro fato passado. Ex.: Para poder trabalhar melhor, ela O imperativo não possui a 1ª pessoa do singular, pois não
dividira a turma em dois grupos. se prevê a ordem, o pedido ou o conselho a si mesmo.

O futuro subdivide-se em futuro do presente e futuro do Aspectos


pretérito. Pretérito Perfeito Composto: indica um fato concluído,
- Futuro do Presente - Refere-se a um fato imediato e revela de certa forma a ideia de continuidade. Ex.: Eu tenho
certo. Ex.: Comprarei ingressos para o teatro. estudado (eu estudei até o presente momento). Os verbos
- Futuro do Pretérito - Pode indicar condição, referindo- invocativos (terminados em “ecer” ou “escer”) indica uma
se a uma ação futura, vinculada a um momento já passado. Ex.: continuidade gradual. Ex.: Embranquecer é começar a ficar
Aprenderia tocar violão, se tivesse ouvido para a música grisalho e Envelhecer é ir ficando velho.
(indica condição); Eles gostariam de convidá-la para a festa.
Presente do Indicativo pode:
Tempos simples - quando formados apenas pelo verbo - indicar frequência. Ex.: O sol nasce para todos.
principal. - ser empregado no lugar do futuro. Ex.: Amanhã vou ao
Tempos compostos - quando formados pelos auxiliares teatro. (irei); Se continuam as indiretas, perco a paciência.
ter ou haver. Ex.: Havia consertado. (continuarem; perderei)
- ser empregado no lugar do pretérito (presente histórico).
Modos Verbais Ex.: É 1939: alemães invadem o território polonês (era;
- Indicativo - Apresenta o fato de maneira real, certa, invadiram)
positiva. Ex.: Eu estudo geografia; Iremos ao cinema; Voltou
para casa. Pretérito Imperfeito do Indicativo pode:
- Subjuntivo - Pode exprimir um desejo e apresenta o fato - Substituir o futuro do pretérito. Ex.: Se eu soubesse, não
como possível ou duvidoso, hipotético. Ex.: Queria que me dizia aquilo. (diria)
levasses ao teatro; Se eu tivesse dinheiro, compraria um carro; - Expressar cortesia ou timidez. Ex.: O senhor podia fazer o
Quando o relógio despertar, acorda-me. favor de me emprestar uma caneta? (pode)
- Imperativo - Exprime ordem, conselho ou súplica. Ex.:
Limpa a cozinha, Maria; Descanse bastante nestas férias; Futuro do Presente pode:
Senhor tende piedade de nós. - Indicar probabilidade. Ex.: Ele terá, no máximo, uns 70
quilos.
As Formas Nominais do verbo são três: infinitivo, - Substituir o imperativo. Ex.: Não matarás. (Não mates)
gerúndio e particípio.
Advérbio
- Infinitivo Pessoal: quando se refere às pessoas do
discurso. Neste caso, não é flexionado nas 1ª e 3ª pessoas do Palavra invariável que modifica essencialmente o verbo,
singular e flexionadas nas demais: exprimindo uma circunstância.
Falar (eu) – não flexionado Advérbio modificando um verbo ou adjetivo: quando o
Falares (tu) – flexionado advérbio modifica um verbo ou um adjetivo acrescentando a
Falar (ele) – não flexionado eles uma circunstância, qualquer particularidade que
Falarmos (nós) – flexionado determina um fato, ampliando a informação nele contida. Ex.:
Falardes (voz) – flexionado Antônio construiu seu arraial popular ali; Estradas tão ruins.
Falarem (eles) – flexionado Advérbio modificando outro advérbio: geralmente
intensificando o significado. Ex.: Grande parte da população
- Infinitivo Impessoal: uma forma em que o verbo não se adulta lê muito mal.
refere a nenhuma pessoa gramatical. Não se refere às pessoas Advérbio modificando uma oração inteira: quando o
do discurso. Exemplos: Viver é bom. (A vida é boa); É proibido advérbio está modificando o grupo formado por todos os
fumar. (É proibido o fumo) outros elementos da oração, indicando uma circunstância. Ex.:
- Gerúndio: cantando, vendendo, partindo. Lamentavelmente o Brasil ainda tem 19 milhões de
- Particípio: cantado, vendido, partido. analfabetos.
Locução Adverbial: é um conjunto de palavras que pode
Imperativo exercer a função de advérbio. Ex.: De modo algum irei lá.
Ao indicar ordem, conselho, pedido, o fato verbal pode
expressar negação ou afirmação. São, portanto, duas as formas Tipos de Advérbios
do imperativo: - de modo: Bem, mal, assim, adrede, melhor, pior,
depressa, acinte, debalde, devagar, ás pressas, às claras, às
- Imperativo Negativo: é formado do presente do cegas, à toa, à vontade, às escondas, aos poucos, desse jeito,
subjuntivo. desse modo, dessa maneira, em geral, frente a frente, lado a
lado, a pé, de cor, em vão e a maior parte dos que terminam em
1º CONJUGAÇAO 2º CONJUGAÇÃO 3º CONJUGAÇÃO -mente: calmamente, tristemente, propositadamente,
CANT - AR VEND - ER PART - IR pacientemente, amorosamente, docemente,
Não cantes Não vendas Não partas escandalosamente, bondosamente, generosamente.
Não cante Não venda Não parta Ex.: Sei muito bem que ninguém deve passar atestado da
Não cantemos Não vendamos Não partamos virtude alheia.
Não canteis Não vendais Não partais
Não cantem Não vendam Não partam
- de intensidade: Muito, demais, pouco, tão, menos, em
excesso, bastante, pouco, mais, menos, demasiado, quanto,

Língua Portuguesa 20
APOSTILAS OPÇÃO

quão, tanto, assaz, que (equivale a quão), tudo, nada, todo, - comparativo de inferioridade. Ex.: Chegaremos menos
quase, de todo, de muito, por completo, bem (quando aplicado cedo que você.
a propriedades graduáveis).
Ex.: Acho que, por hoje, você já ouviu bastante. - Grau Superlativo: nesse caso, a circunstância expressa
pelo advérbio aparecerá intensificada. O grau superlativo do
- de tempo: Hoje, logo, primeiro, ontem, tarde, outrora, advérbio pode ser formado tanto pelo processo sintético
amanhã, cedo, dantes, depois, ainda, antigamente, antes, (acréscimo de sufixo), como pelo processo analítico (outro
doravante, nunca, então, ora, jamais, agora, sempre, já, enfim, advérbio estará indicando o grau superlativo).
afinal, amiúde, breve, constantemente, entrementes, - superlativo (ou absoluto) sintético: formado com o
imediatamente, primeiramente, provisoriamente, acréscimo de sufixo. Ex.: Cheguei tardíssimo.
sucessivamente, às vezes, à tarde, à noite, de manhã, de - superlativo (ou absoluto) analítico: expresso com o
repente, de vez em quando, de quando em quando, a qualquer auxílio de um advérbio de intensidade. Ex.: Cheguei muito
momento, de tempos em tempos, em breve, hoje em dia. tarde.
Ex.: Leia e depois me diga quando pode sair na gazeta. Quando se empregam dois ou mais advérbios terminados
em –mente, pode-se acrescentar o sufixo apenas no último. Ex.:
- de lugar: Aqui, antes, dentro, ali, adiante, fora, acolá, Nada omitiu de seu pensamento; falou clara, franca e
atrás, além, lá, detrás, aquém, cá, acima, onde, perto, aí, abaixo, nitidamente.
aonde, longe, debaixo, algures, defronte, nenhures, adentro, Quando se quer realçar o advérbio, pode-se antecipá-lo.
afora, alhures, nenhures, aquém, embaixo, externamente, a Ex.: Imediatamente convoquei os alunos.
distância, a distância de, de longe, de perto, em cima, à direita,
à esquerda, ao lado, em volta. Preposição
Ex.: A senhora sabe aonde eu posso encontrar esse pai-de-
santo? É uma palavra invariável que serve para ligar termos ou
orações. Quando esta ligação acontece normalmente há uma
- de negação: Não, nem, nunca, jamais, de modo algum, de subordinação do segundo termo em relação ao primeiro. As
forma nenhuma, tampouco, de jeito nenhum. preposições são muito importantes na estrutura da língua,
Ex.: De modo algum irei lá. pois estabelecem a coesão textual e possuem valores
semânticos indispensáveis para a compreensão do texto.
- de dúvida: Acaso, porventura, possivelmente,
provavelmente, quiçá, talvez, casualmente, por certo, quem Tipos de Preposição
sabe. - Preposições essenciais: palavras que atuam
Ex.: Talvez ela volte hoje. exclusivamente como preposições. A, ante, perante, após, até,
com, contra, de, desde, em, entre, para, por, sem, sob, sobre,
- de afirmação: Sim, certamente, realmente, decerto, trás, atrás de, dentro de, para com.
efetivamente, certo, decididamente, realmente, deveras, - Preposições acidentais: palavras de outras classes
indubitavelmente. gramaticais que podem atuar como preposições. Como,
Ex.: Realmente eles sumiram. durante, exceto, fora, mediante, salvo, segundo, senão, visto.
- Locuções prepositivas: duas ou mais palavras valendo
- de exclusão: Apenas, exclusivamente, salvo, senão, como uma preposição, sendo que a última palavra é uma delas.
somente, simplesmente, só, unicamente. Abaixo de, acerca de, acima de, ao lado de, a respeito de, de
acordo com, em cima de, embaixo de, em frente a, ao redor de,
- de inclusão: Ainda, até, mesmo, inclusivamente, também. graças a, junto a, com, perto de, por causa de, por cima de, por
Ex.: Emocionalmente o indivíduo também amadurece trás de.
durante a adolescência.
A preposição é invariável. No entanto pode unir-se a outras
- de ordem: Depois, primeiramente, ultimamente. palavras e assim estabelecer concordância em gênero ou em
número. Ex: por + o = pelo; por + a = pela. Esse processo de
- de designação: Eis junção de uma preposição com outra palavra pode se dar a
partir de dois processos:
- de interrogação: onde? (lugar), como? (modo), quando?
(tempo), porque? (causa), quanto? (preço e intensidade), para - Combinação: A preposição não sofre alteração.
que? (finalidade). preposição a + artigos definidos o, os
Ex.: E então? Quando é que embarca? a + o = ao
preposição a + advérbio onde
Grau dos Advérbios a + onde = aonde
Embora pertençam à categoria das palavras invariáveis,
podem apresentar variações com relação ao grau. Além do - Contração: Quando a preposição sofre alteração.
grau normal, o advérbio pode-se apresentar no grau
comparativo e no superlativo. Preposição + Artigos
De + o(s) = do(s)
- Grau Comparativo: quando a circunstância expressa De + um = dum
pelo advérbio aparece em relação de comparação. O advérbio Em + um = num
não é flexionado no grau comparativo. Para indicar esse grau
utilizam as formas tão…quanto, mais…que, menos…que. Pode Preposição + Pronomes
ser: De + ele(s) = dele(s)
- comparativo de igualdade. Ex.: Chegarei tão cedo quanto Em + esse(s) = nesse(s)
você.
- comparativo de superioridade. Ex.: Chegarei mais cedo Interjeição
que você.

Língua Portuguesa 21
APOSTILAS OPÇÃO

É a palavra que expressa emoções, sentimentos ou trouxer um atributo diferente. Exemplo: Não se esqueça de
pensamentos súbitos. Trata-se de um recurso da linguagem trancar as portas interna e externa.
afetiva, em que não há uma ideia organizada de maneira lógica, III - Quando um adjetivo qualifica dois ou mais
como são as sentenças da língua, mas sim a manifestação de substantivos e vem depois deles, o adjetivo vai para o plural,
um suspiro, um estado da alma decorrente de uma situação concordando com todos os substantivos. Exemplo: Filmes e
particular, um momento ou um contexto específico. Exemplos: shows fantásticos foram apresentados na semana cultural.
- Ah, como eu queria voltar a ser criança! (ah: expressão de IV - Quando um adjetivo qualifica dois ou mais
um estado emotivo = interjeição) substantivos e vem depois deles, o adjetivo não concorda com
- Hum! Esse cuscuz estava maravilhoso! (hum: expressão o substantivo mais próximo. Exemplo: Juros e
de um pensamento súbito = interjeição) inflação altas são obstáculos para o crescimento econômico.

Questões (A) Apenas I, II e III estão corretos.


(B) Apenas I, II e IV estão corretos.
01. (Pref. Piraúba/MG - Oficial de Serviço Público - MS (C) Apenas II, III e IV estão corretos.
Concursos/2017) Assinale a alternativa onde tenha palavras (D) Apenas I, III e IV estão corretos.
que não sejam substantivos.
(A) Menino / elefante / presidente. Gabarito
(B) Sacerdote / aviador / cantor. 01.D / 02.A / 03.C / 04.A / 05.A
(C) Senador / doutor / avô.
(D) Bom / forte / feliz.
Sintaxe da oração (período
02. (Pref. Piraúba/MG - Oficial de Serviço Público - MS simples e composto).
Concursos/2017) Marque a alternativa onde temos
substantivos coletivos.
(A) Exército – rebanho – constelação. Oração
(B) Pai – cavaleiro – frade.
(C) Rei – conde – cônsul. É todo enunciado linguístico dotado de sentido, porém há,
(D) Padre – marido – cão. necessariamente, a presença do verbo. A oração encerra uma
frase (ou segmento de frase), várias frases ou um período,
03. (Pref. Piraúba/MG - Oficial de Serviço Público - MS completando um pensamento e concluindo o enunciado
Concursos/2017) O algarismo arábico transformado em através de ponto final, interrogação, exclamação e, em alguns
ordinal está correto em: casos, através de reticências.
(A) 2000 – dois mil. Em toda oração há um verbo ou locução verbal (às vezes
(B) 70 – setenta. elípticos - ocultos).
(C) 3000 – terceiro milésimo. Não têm estrutura sintática, portanto não são orações,
(D) 12 – doze avos. assim não podem ser analisadas sintaticamente frases como:

04. (Pref. Tremembé/SP - Oficial de Escola - Instituto Socorro!


Excelência/2017) Com licença!
Que rapaz impertinente!
O cachorro e sua sombra
Esopo Na oração as palavras estão relacionadas entre si, como
partes de um conjunto harmônico: elas formam os termos ou
Um cachorro, que carregava na boca um pedaço de carne, as unidades sintáticas da oração. Cada termo da oração
ao cruzar uma ponte sobre um riacho, vê sua imagem refletida desempenha uma função sintática.
na água. Diante disso, ele logo imagina que se trata de outro
cachorro, com um pedaço de carne maior que o seu. Então, ele Os termos da oração na língua portuguesa são classificados
deixa cair no riacho o pedaço que carrega, e ferozmente se em três grandes níveis:
lança sobre o animal refletido na água, para tomar a porção de - Termos Essenciais da Oração: Sujeito e Predicado.
carne que julga ser maior que a sua. Agindo assim ele perdeu - Termos Integrantes da Oração: Complemento Nominal e
ambos. Aquele que tentou pegar na água, por se tratar de um Complementos Verbais (Objeto Direto, Objeto indireto e
simples reflexo, e o seu próprio, uma vez que ao largá-lo nas Agente da Passiva).
águas, a correnteza levou para longe. - Termos Acessórios da Oração: Adjunto Adnominal,
Adjunto Adverbial, Aposto e Vocativo.
Qual das frases abaixo apresenta um caso CORRETO de
interjeição? Termos Essenciais da Oração
(A) Droga! Preste atenção quando eu estou falando! Dois termos fundamentais da oração: sujeito e predicado.
(B) Estamos trabalhando muito há dois dias.
(C) Preciso levar meu cachorro ao veterinário. Sujeito Predicado
(D) Nenhuma das alternativas.
Felicidade é estar satisfeito.
05. (Pref. Tanguá/RJ - Agente Administrativo - MS Os jovens compraram os doces.
Concursos/2017) Leia os itens a seguir e assinale a Um carro forte tombou nas ruas.
alternativa correta:
I - Quando um adjetivo é anteposto a dois ou mais Sujeito: é equivocado dizer que o sujeito é aquele que
substantivos, concorda com o substantivo mais próximo. pratica uma ação ou é aquele (ou aquilo) do qual se diz alguma
Exemplo: Não gostei muito da imensa barba e cabelo do seu coisa. Ao fazer tal afirmação estamos considerando o aspecto
namorado. semântico do sujeito (agente de uma ação) ou o seu aspecto
II - Se o substantivo estiver no plural, os adjetivos que o estilístico (o tópico da sentença).
seguem podem permanecer no singular se cada um deles

Língua Portuguesa 22
APOSTILAS OPÇÃO

Já que o sujeito é depreendido de uma análise sintática, optar por esse ou aquele doce: oração substantiva
vamos restringir a definição apenas ao seu papel sintático na subjetiva.
sentença: aquele que estabelece concordância com o núcleo do
predicado. O sujeito é constituído por um substantivo ou pronome, ou
Quando se trata de predicado verbal, o núcleo é sempre um por uma palavra ou expressão substantivada. Exemplos:
verbo; sendo um predicado nominal, o núcleo é sempre um
nome. 3Tendo assim por características básicas: O sino era grande.
- Estabelecer concordância com o núcleo do predicado; Ela tem uma educação fina.
- Apresentar-se como elemento determinante em relação Vossa Excelência agiu com imparcialidade.
ao predicado;
- Constituir-se de um substantivo, ou pronome substantivo O núcleo (isto é, a palavra base) do sujeito é, pois, um
ou, ainda, qualquer palavra substantivada. Exemplo: substantivo ou pronome. Em torno do núcleo podem aparecer
palavras secundárias (artigos, adjetivos, locuções adjetivas,
O banco está interditado hoje. etc.). Exemplo: “Todos os ligeiros rumores da mata tinham
está interditado hoje: predicado nominal. uma voz para a selvagem filha do sertão.” (José de Alencar)
interditado: nome adjetivo = núcleo do predicado.
O banco: sujeito. Classificação dos Sujeitos
Banco: núcleo do sujeito - nome masculino singular. Simples - tem um só núcleo, no singular ou plural: O
cachorro tem uma casinha linda.
No interior de uma sentença, o sujeito é o termo Composto - apresenta mais de um núcleo: O garoto e a
determinante, ao passo que o predicado é o termo menina brincavam alegremente.
determinado. Essa posição de determinante do sujeito em Expresso - está explícito, enunciado: Eu trabalharei
relação ao predicado adquire sentido com o fato de ser amanhã.
possível, na língua portuguesa, uma sentença sem sujeito, mas Oculto (ou elíptico) - está implícito, não está expresso,
nunca uma sentença sem predicado. Exemplos: funciona como algo que não está claro, porém, no texto está o
significado dele: Trabalharei amanhã. (se deduz “eu” a partir
As formigas invadiram minha casa. da desinência do verbo).
as formigas: sujeito = termo determinante. Agente - ação expressa pelo verbo da voz ativa: O garoto
invadiram minha casa: predicado = termo determinado. chutou a bola.
Paciente - recebe os efeitos da ação expressa pelo verbo
Há formigas na minha casa. passivo: A bola é chutada pelo menino. Construíram-se
há formigas na minha casa: predicado = termo açudes. (= Açudes foram construídos.)
determinado. Agente e Paciente - quando o sujeito realiza a ação
sujeito: inexistente. expressa por um verbo reflexivo e ele mesmo sofre ou recebe
os efeitos dessa ação: O operário feriu-se durante o trabalho;
O sujeito sempre se manifesta em termos de sintagma Regina trancou-se no quarto.
nominal, isto é, seu núcleo é sempre um nome. Quando esse Indeterminado - quando não se indica o agente da ação
nome se refere a objetos da primeira e segunda pessoa, o verbal: Atropelaram uma senhora na esquina. (Quem
sujeito é representado por um pronome pessoal do caso reto atropelou a senhora? Não se diz, não se sabe quem a
(eu, tu, ele, etc.). atropelou.); Come-se bem naquele restaurante (quem come).4
Se o sujeito se refere a um objeto da terceira pessoa, sua
representação pode ser feita através de um substantivo, de um Observações:
pronome substantivo ou de qualquer conjunto de palavras, - Não confunda sujeito indeterminado com sujeito oculto.
cujo núcleo funcione, na sentença, como um substantivo. - Sujeito formado por pronome indefinido não é
Exemplos: indeterminado, mas expresso: Ninguém lhe telefonou.
- Assinala-se a indeterminação do sujeito usando-se o
Eu acompanho você até o guichê. verbo na 3ª pessoa do plural, sem referência a qualquer agente
eu: sujeito = pronome pessoal de primeira pessoa. já expresso nas orações anteriores: Na rua olhavam-no com
admiração. “De qualquer modo, foi uma judiação matarem a
Vocês disseram alguma coisa? moça”.
vocês: sujeito = pronome pessoal de segunda pessoa (tu) - Assinala-se a indeterminação do sujeito com um verbo
ativo na 3ª pessoa do singular, acompanhado do pronome se.
Marcos tem um fã-clube no seu bairro. O pronome se, neste caso, é índice de indeterminação do
Marcos: sujeito = substantivo próprio. sujeito. Pode ser omitido junto de infinitivos. Exemplos:
Aqui paga-se bem.
Ninguém entra na sala agora. Devagar se vai ao longe.
ninguém: sujeito = pronome substantivo. Quando se é jovem, a vida é vigorosa.

O andar deve ser uma atividade diária. - O verbo no infinitivo impessoal, ocorre a indeterminação
o andar: sujeito = núcleo: verbo substantivado nessa do sujeito. Exemplo: É legal assistir a estes filmes clássicos.
oração.
Normalmente, o sujeito antecede o predicado; todavia, a
Além dessas formas, o sujeito também pode se constituir posposição do sujeito ao verbo é fato corriqueiro em nossa
de uma oração inteira. Nesse caso, a oração recebe o nome de língua. Exemplo: Da casa próxima apareceu aquela moça. / É
oração substantiva subjetiva: difícil esta situação.

É difícil optar por esse ou aquele doce... Sem Sujeito - são enunciados através do predicado, o
É difícil: oração principal. verbo não é atribuído a nenhum sujeito. Construídas com

3 www.portalsaofrancisco.com.br/portugues/sujeito 4 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.

Língua Portuguesa 23
APOSTILAS OPÇÃO

verbos impessoais na 3ª pessoa do singular: Havia gatos na “A fraqueza de Pilatos é enorme, a ferocidade dos algozes
sala. / Choveu durante a festa. inexcedível.” (Machado de Assis) (Está subentendido o verbo
é depois de algozes)
São verbos impessoais: Haver (nos sentidos de existir, “Mas o sal está no Norte, o peixe, no Sul” (Paulo Moreira da
acontecer, realizar-se, decorrer). Silva) (Subentende-se o verbo está depois de peixe)
Fazer, passar, ser e estar, com referência ao tempo.
Chover, ventar, nevar, gear, relampejar, amanhecer, Predicação verbal - tem como núcleo um verbo que
anoitecer e outros que exprimem fenômenos meteorológicos. transmite ideia de ação, pode ser uma locução verbal (dois
verbos). Alguns verbos, por natureza, têm sentido completo,
Predicado - é a soma de todos os termos da oração, exceto podendo, por si mesmos, constituir o predicado: são os verbos
o sujeito e o vocativo. É tudo o que se declara na oração de predicação completa denominados intransitivos.
referindo-se ao sujeito (quando há sujeito). Sempre apresenta Exemplos: A planta nasceu. / Os meninos correm.
um verbo.5 Exemplo:
Outros verbos, que tem predicação incompleta (sentido
Victor conhece os amigos do rei. incompleto) conhecido como transitivos (precisam de
sujeito: Victor = termo determinante. complemento) Exemplos: Paulo comprou cinco pães. / A casa
predicado: conhece os amigos do rei = termo determinado. pertence ao Júlio.

No predicado o núcleo pode ser de dois tipos: um nome, Observe que, sem os seus complementos, os verbos
quase sempre um atributo que se refere ao sujeito da oração, “comprou” e “pertence” não transmitiriam informações
ou um verbo (ou locução verbal). completas, pois ainda fica a dúvida: Comprou o quê? Pertence
Predicado nominal - (seu núcleo significativo é um nome, a quem?
substantivo, adjetivo, pronome, ligado ao sujeito por um verbo
de ligação). Os verbos de predicação completa denominam-se de
Predicado verbal - (seu núcleo é um verbo, seguido, ou intransitivos e os de predicação incompleta de transitivos.
não, de complemento(s) ou termos acessórios). Quando, num Os verbos transitivos subdividem-se em: transitivos
mesmo segmento o nome e o verbo são de igual importância, diretos, transitivos indiretos e transitivos diretos e
ambos constituem o núcleo do predicado e resultam no tipo de indiretos (bitransitivos).
predicado verbo-nominal (tem dois núcleos significativos:
um verbo e um nome). Exemplos: Além dos verbos transitivos e intransitivos, que encerram
uma noção definida ou conteúdo significativo, ainda existem
Victor era jogador. os de ligação, verbos que entram na formação do predicado
predicado: era jogador. nominal, relacionando o predicativo com o sujeito.
núcleo do predicado: jogador = atributo do sujeito.
tipo de predicado: nominal. Quanto à predicação classificam-se, pois os verbos em:
Intransitivos: são os que não precisam de complemento,
Predicativo do sujeito - é o nome dado ao núcleo do pois têm sentido completo. Exemplo: “Três contos bastavam,
predicado nominal, é atribuído uma qualidade ou insistiu ele.” (Machado de Assis)
característica ao sujeito. Os verbos de ligação (ser, estar,
parecer, etc.) são a ligação entre o sujeito e o predicado. Observações: Os verbos intransitivos podem vir
Exemplo: acompanhados de um adjunto adverbial e mesmo de um
predicativo (qualidade, características). Exemplos:
A prefeitura comprou várias coisas na licitação.
predicado: comprou várias coisas na licitação. Fui cedo; Passeamos pela cidade; Cheguei atrasado;
núcleo do predicado: comprou = nova informação sobre o Entrei em casa aborrecido.
sujeito
tipo de predicado: verbal As orações formadas com verbos intransitivos não podem
“transitar” (= passar) para a voz passiva. 6
Os meninos jogavam bola contentes. Verbos intransitivos passam, ocasionalmente, a transitivos
predicado: jogavam bola contentes. quando construídos com o objeto direto ou indireto. Exemplo:
núcleos do predicado: jogavam = nova informação sobre o
sujeito; contentes = atributo do sujeito. “Inutilmente a minha alma o chora!” (Cabral do
tipo de predicado: verbo-nominal. Nascimento)
“Depois me deitei e dormi um sono pesado.” (Luís
Nos predicados verbais e verbo-nominais o verbo é Jardim)
responsável também por definir os tipos de elementos que “Morrerás morte vil da mão de um forte.” (Gonçalves
aparecerão no segmento. Em alguns casos o verbo sozinho Dias)
basta para compor o predicado (verbo intransitivo). “Inútil tentativa de viajar o passado, penetrar no mundo
Em outros casos é necessário um complemento que, que já morreu...” (Ciro dos Anjos)
juntamente com o verbo, constituem a nova informação sobre
o sujeito. De qualquer forma, esses complementos do verbo Alguns verbos essencialmente intransitivos: anoitecer,
não interferem na tipologia do predicado. crescer, brilhar, ir, agir, sair, nascer, latir, rir, tremer, brincar,
Entretanto, é muito comum a elipse (ou omissão) do verbo, chegar, vir, mentir, suar, adoecer, etc.
quando este puder ser facilmente subentendido, em geral por
estar expresso ou implícito na oração anterior. Exemplos: Transitivos Diretos: pedem um objeto direto, ou seja,
sempre um complemento sem preposição. Alguns verbos
deste grupo: julgar, chamar, nomear, eleger, proclamar,
designar, considerar, declarar, adotar, ter, fazer, etc. Exemplos:

5 PESTANA, Fernando. Gramática para concursos. Elsevier.2011. 6 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.

Língua Portuguesa 24
APOSTILAS OPÇÃO

Comprei um terreno e construí a casa. Esses verbos, formam o predicado nominal. Exemplos:
“Trabalho honesto produz riqueza honrada.” (Marquês de A casa é feia.
Maricá) A carroça está torta.
A menina anda (=está) alegre.
Dentre os verbos transitivos diretos merecem destaque os A vizinha parecia uma mulher virtuosa.
que formam o predicado verbo nominal e se constrói com o
complemento acompanhado de predicativo. Exemplos: Observações: os verbos de ligação não servem apenas de
Consideramos a situação difícil. anexo, mas exprimem ainda os diversos aspectos sob os quais
Fernando trazia os documentos. se considera a qualidade atribuída ao sujeito. O verbo ser, por
Em geral, os verbos transitivos diretos são usados na voz exemplo, traduz aspecto permanente e o verbo estar, aspecto
passiva. transitório. Exemplos:
Podem receber como objeto direto, os pronomes o, a, os, Ele é doente. (aspecto permanente)
as: convido-o, encontro-os, incomodo-a, conheço-as. Ele está doente. (aspecto transitório).
Podem ser construídos acidentalmente com preposição, a Muito desses verbos passam à categoria dos intransitivos
qual lhes acrescenta novo sentido: arrancar da espada; puxar em frases como por exemplo: Era = existia) uma vez uma
da faca; pegar de uma ferramenta; tomar do lápis; cumprir princesa.;
com o dever; Eu não estava em casa. / Fiquei à sombra. / Anda com
Alguns verbos transitivos diretos: abençoar, achar, colher, dificuldades. / Parece que vai chover.7
avisar, abraçar, comprar, castigar, contrariar, convidar,
desculpar, dizer, estimar, elogiar, entristecer, encontrar, ferir, Os verbos, relativamente à predicação, não fixos. Variam
imitar, levar, perseguir, prejudicar, receber, saldar, socorrer, conforme apresentado na frase, a sua regência e sentido
ter, unir, ver, etc. podem pertencer a outro grupo. Exemplos:
O homem anda. (intransitivo)
Transitivos Indiretos: são os que reclamam um O homem anda triste. (de ligação)
complemento regido de preposição, chamado objeto indireto.
Exemplos: O cego não vê. (intransitivo)
“Ninguém perdoa ao quarentão que se apaixona por uma O cego não vê o obstáculo. (transitivo direto)
adolescente.” (Ciro dos Anjos)
“Populares assistiam à cena aparentemente apáticos e Predicativo: expressa estado, qualidade ou condição do
neutros.” (Érico Veríssimo) ser ao qual se refere, ou seja, é um atributo. Dois predicativos
são apontados.
Observações: Entre os verbos transitivos indiretos
importa distinguir os que se constroem com os pronomes Predicativo do Sujeito: exprime um atributo, estado ou
objetivos lhe, lhes. Em geral são verbos que exigem a modo de ser do sujeito, aparece como verbo de ligação, no
preposição a: agradar-lhe, agradeço-lhe, apraz-lhe, bate-lhe, predicado nominal. Exemplos:
desagrada-lhe, desobedecem-lhe, etc. O aluno é estudioso e exemplar.
Entre os verbos transitivos indiretos importa distinguir os A casa era toda feita de pedras raras.
que não admitem para objeto indireto as formas oblíquas lhe,
lhes, construindo-se com os pronomes retos precedidos de Outro tipo de predicativo, aparece no predicado verbo-
preposição: aludir a ele, anuir a ele, assistir a ela, atentar nele, nominal. Exemplos:
depender dele, investir contra ele, não ligar para ele, etc. José chegou cansado.
Os meninos chegaram cansados.
Em princípio, verbos transitivos indiretos não comportam
a forma passiva. Excetuam-se pagar, perdoar, obedecer, e O predicativo subjetivo pode estar preposicionado; E pode
pouco mais, usados também como transitivos diretos. o predicativo ser antes do sujeito e do verbo. Exemplo:
Exemplos: São horríveis essas coisas!
João paga (perdoa, obedece) o médico. Que linda estava Amélia!
O médico é pago (perdoado, obedecido) por João. Completamente feliz ninguém é.

Há verbos transitivos indiretos, como atirar, investir, Predicativo do Objeto: é o termo que se refere ao objeto
contentar-se, etc., que admitem mais de uma preposição, sem de um verbo transitivo. Exemplos:
mudança de sentido. Outros mudam de sentido com a troca da As paixões tornam os homens felizes.
preposição. Exemplos: Nós julgamos o fato estranho.
Trate de sua vida. (tratar=cuidar).
É desagradável tratar com gente grosseira. (tratar=lidar). Observações: O predicativo objetivo, pode estar regido de
preposição. É facultativo, as vezes. E o predicativo objetivo em
Verbos como aspirar, assistir, dispor, servir, etc., variam de geral se refere ao objeto direto. Em casos especiais, pode
significação conforme sejam usados como transitivos diretos referir-se ao objeto indireto do verbo chamar. Exemplo:
ou indiretos. Chamavam-lhe poeta.
Podemos também antepor o predicativo a seu objeto como
Transitivos Diretos e Indiretos: utilizam com dois por exemplo: O advogado considerava indiscutíveis os
objetos: um direto, outro indireto, ao mesmo tempo. direitos da herdeira. / Julgo inoportuna essa viagem. / “E até
Exemplos: embriagado o vi muitas vezes.” / “Tinha estendida a seus pés
A jornalista fornece informações para os concorrentes. uma planta rústica da cidade.” / “Sentia ainda muito abertos
Oferecemos rosas a nossa amiga. os ferimentos que aquele choque com o mundo me causara.”
Ceda o carro para sua mãe.

De Ligação: ligam ao sujeito o predicativo, uma palavra.

7
CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.

Língua Portuguesa 25
APOSTILAS OPÇÃO

Termos Integrantes da Oração - Quando precisamos assegurar a clareza da frase, evitando


Complementam o sentido de certos verbos e nomes para que o objeto direto seja tomado como sujeito, impedindo
que a oração fique completa, são chamados de: construções ambíguas: Convence, enfim, ao pai o filho amado;
“Vence o mal ao remédio.”; “Tratava-me sem cerimônia, como
- Complemento Verbais (Objeto Direto e Objeto Indireto); a um irmão.”; A qual delas iria homenagear o cavaleiro?
- Complemento Nominal; - Em expressões de reciprocidade, para garantir a clareza
- Agente da Passiva. e a eufonia da frase: “Os tigres despedaçam-se uns aos
outros.”; “As companheiras convidavam-se umas às outras.”;
Objeto Direto: complementa o sentido de um verbo “Era o abraço de duas criaturas que só tinham uma à outra”.
transitivo direto, não regido por preposição. Dica: faça as - Com nomes próprios ou comuns, referentes a pessoas,
perguntas “o quê?” ou “quem?”. Exemplos: principalmente na expressão dos sentimentos ou por amor da
O menino matou o passarinho. (o menino matou quem ?) eufonia da frase: Judas traiu a Cristo; Amemos a Deus sobre
Geraldo ama Andressa. (Geraldo ama o quê?) todas as coisas. “Provavelmente, enganavam é a Pedro.”; “O
estrangeiro foi quem ofendeu a Tupã”.
Características do objeto direto: - Em construções enfáticas, nas quais antecipamos o objeto
- Completa a significação dos verbos transitivos diretos; direto para dar-lhe realce: A você é que não enganam!; Ao
- Normalmente, não vem regido de preposição; médico, confessor e letrado nunca enganes.; “A este
- Traduz o ser sobre o qual recai a ação expressa por um confrade conheço desde os seus mais tenros anos”.
verbo ativo. Ex. Caim matou Abel. - Sendo objeto direto o numeral ambos(as): “O aguaceiro
- Torna-se sujeito da oração na voz passiva. Ex. Abel foi caiu, molhou a ambos.”; “Se eu previsse que os matava a
morto por Caim. ambos...”.
- Com certos pronomes indefinidos, sobretudo referentes
O objeto direto pode ser constituído: a pessoas: Se todos são teus irmãos, por que amas a uns e
- Por um substantivo ou expressão substantivada: O odeias a outros?; Aumente a sua felicidade, tornando felizes
lavrador cultiva a terra; Unimos o útil ao agradável. também aos outros.; A quantos a vida ilude!.
- Pelos pronomes oblíquos o, a, os, as, me, te, se, nos, vos: - Em certas construções enfáticas, como puxar (ou
Espero-o na estação; Estimo-os muito; Sílvia olhou-se ao arrancar) da espada, pegar da pena, cumprir com o dever,
espelho; Não me convidas?; Ela nos chama.; Avisamo-lo a atirar com os livros sobre a mesa, etc.: “Arrancam das espadas
tempo.; Procuram-na em toda parte.; Meu Deus, eu vos amo.; de aço fino...”; “Chegou a costureira, pegou do pano, pegou da
“Marchei resolutamente para a maluca e intimei-a a ficar agulha, pegou da linha, enfiou a linha na agulha e entrou a
quieta.”; “Vós haveis de crescer, perder-vos-ei de vista.” coser.”; “Imagina-se a consternação de Itaguaí, quando soube
- Por qualquer pronome substantivo: Não vi ninguém na do caso.”
loja; A árvore que plantei floresceu. (que: objeto direto de
plantei); Onde foi que você achou isso? Quando vira as folhas Observações: Nos quatro primeiros casos estudados a
do livro, ela o faz com cuidado; “Que teria o homem percebido preposição é de rigor, nos cinco outros, facultativo; A
nos meus escritos?” substituição do objeto direto preposicionado pelo pronome
oblíquo átono, quando possível, se faz com as formas o(s), a(s)
Frequentemente transitivam-se verbos intransitivos, e não lhe, lhes: amar a Deus (amá-lo); convencer ao amigo
dando-se-lhes por objeto direto uma palavra cognata ou da (convencê-lo); O objeto direto preposicionado, é obvio, só
mesma esfera semântica. Exemlos: ocorre com verbo transitivo direto; Podem resumir-se em três
“Viveu José Joaquim Alves vida tranquila e patriarcal.” as razões ou finalidades do emprego do objeto direto
(Vivaldo Coaraci) preposicionado: a clareza da frase; a harmonia da frase; a
“Pela primeira vez chorou o choro da tristeza.” (Aníbal ênfase ou a força da expressão.
Machado)
“Nenhum de nós pelejou a batalha de Salamina.” Objeto Direto Pleonástico: aquele que se repete na
(Machado de Assis) sequência da frase. Quando queremos dar destaque ou ênfase
Em tais construções é de rigor que o objeto venha à ideia contida no objeto direto, colocamo-lo no início da frase
acompanhado de um adjunto.8 e depois o repetimos ou reforçamos por meio do pronome
oblíquo. A esse objeto repetido sob forma pronominal chama-
Objeto Direto Preposicionado: antecipado por preposição se pleonástico, enfático ou redundante. Exemplos:
não obrigatória. Exemplos: O pão, Paulo o trazia dentro da sacola.
Identifiquei a vocês todos naquela foto (quem identifica, Seus cachorros, ele os cuidava em amor.
identifica a algo, o verbo não pede preposição).
Objeto Indireto: por meio de uma preposição obrigatória,
Em certos casos, o objeto direto, vem precedido de completa o sentido de um verbo transitivo indireto. Dica: faça
preposição, e ocorrerá: às perguntas “para quê, em quê, de quê, ou preposição mais
- Quando o objeto direto é um pronome pessoal tônico: quem?”
Deste modo, prejudicas a ti e a ela; “Mas dona Carolina amava Exemplos:Meu irmão cuidava de toda a sua casa. (cuidava
mais a ele do que aos outros filhos.”; “Pareceu-me que Roberto de quê ?) João gosta de goiaba. (gosta do quê ?)
hostilizava antes a mim do que à ideia.”; “Ricardina lastimava
o seu amigo como a si própria.”; “Amava-a tanto como a nós”. - Transitivos Indiretos: Assisti ao filme; Assistimos à
- Quando o objeto é o pronome relativo quem: “Pedro festa e à folia; Aludiu ao fato; Aspiro a uma casa boa.
Severiano tinha um filho a quem idolatrava.”; “Abraçou a
todos; deu um beijo em Adelaide, a quem felicitou pelo - Transitivos Diretos e Indiretos (na voz ativa ou
desenvolvimento das suas graças.”; “Agora sabia que podia passiva): Dou graças a Deus; Dedicou sua vida aos doentes e
manobrar com ele, com aquele homem a quem na realidade aos pobres; Disse-lhe a verdade. (Disse a verdade ao moço.)
também temia, como todos ali”.

8 PESTANA, Fernando. Gramática para concursos. Elsevier.2011.

Língua Portuguesa 26
APOSTILAS OPÇÃO

O objeto indireto pode ainda acompanhar verbos de outras O menino estava cercado pelo seu pai e mãe.
categorias, os quais, no caso, são considerados acidentalmente
transitivos indiretos: A bom entendedor meia palavra basta; O agente da passiva pode ser expresso pelos substantivos
Sobram-lhe qualidades e recursos. (lhe=a ele); Isto não lhe ou pelos pronomes:
convém; A proposta pareceu-lhe aceitável. O cão foi atropelado pelo carro.
Este caderno foi rabiscado por mim.
Observações: Há verbos que podem construir-se com dois
objetos indiretos, regidos de preposições diferentes: Rogue a O agente da passiva corresponde ao sujeito da oração na
Deus por nós; Ela queixou-se de mim a seu pai.; Pedirei para voz ativa:
ti a meu senhor um rico presente; Não confundir o objeto A menina foi penteada pela mãe. (voz passiva)
direto com o complemento nominal nem com o adjunto A mãe penteou a menina. (voz ativa)
adverbial; Em frases como “Para mim tudo eram alegrias”, Ele será acompanhado por ti. (voz passiva)
“Para ele nada é impossível”, os pronomes em destaque
podem ser considerados adjuntos adverbiais. Observações: Frase de forma passiva analítica sem
complemento agente expresso, ao passar para a ativa, terá
O objeto indireto é sempre regido de preposição, expressa sujeito indeterminado e o verbo na 3ª pessoa do plural: Ele foi
ou implícita. A preposição está implícita nos pronomes expulso da cidade. (Expulsaram-no da cidade.); As florestas
objetivos indiretos (átonos) me, te, se, lhe, nos, vos, lhes. são devastadas. (Devastam as florestas.); Na passiva
Exemplos: Obedece-me. (=Obedece a mim.); Isto te pertence. pronominal não se declara o agente: Nas ruas assobiavam-se
(=Isto pertence a ti.); Rogo-lhe que fique. (=Rogo a você...); as canções dele pelos pedestres. (errado); Nas ruas eram
Peço-vos isto. (=Peço isto a vós.). Nos demais casos a assobiadas as canções dele pelos pedestres. (certo);
preposição é expressa, como característica do objeto indireto: Assobiavam-se as canções dele nas ruas. (certo)
Recorro a Deus; Dê isto a (ou para) ele.; Contenta-se com
pouco.; Ele só pensa em si.; Esperei por ti.; Falou contra nós.; Termos Acessórios da Oração
Conto com você.; Não preciso disto.; O filme a que assisti São os que desempenham na oração uma função
agradou ao público.; Assisti ao desenrolar da luta.; A coisa de secundária, qual seja a de caracterizar um ser, determinar os
que mais gosto é pescar.; A pessoa a quem me refiro você a substantivos, exprimir alguma circunstância. São três os
conhece.; Os obstáculos contra os quais luto são muitos.; As termos acessórios da oração: adjunto adnominal, adjunto
pessoas com quem conto são poucas. adverbial e aposto.

Como atestam os exemplos acima, o objeto indireto é Adjunto adnominal: é o termo (expressão) que se junta a
representado pelos substantivos (ou expressões substantivas) um nome para melhor função especificar, detalhar ou
ou pelos pronomes. As preposições que o ligam ao verbo são: caracterizar o sentido desse nome (substantivos).10 Exemplo:
a, com, contra, de, em, para e por. Meu irmão veste roupas vistosas. (Meu determina o
substantivo irmão: é um adjunto adnominal – vistosas
Objeto Indireto Pleonástico: sempre representado por um caracteriza o substantivo roupas: é também adjunto
pronome oblíquo átono para dar ênfase a um objeto indireto adnominal).
que já tem na frase. Exemplos: O adjunto adnominal pode ser expresso: Pelos adjetivos:
A mim o que me deu foi pena.”; “Que me importa a mim o água fresca, animal feroz; Pelos artigos: o mundo, as ruas;
destino de uma mulher tísica...? “E, aos brigões, incapazes de Pelos pronomes adjetivos: nosso tio, este lugar, pouco sal,
se moverem, basta-lhes xingarem-se a distância.” muitas rãs ,país cuja história conheço, que rua? Pelos
numerais: dois pés ,quinto ano; Pelas locuções ou expressões
Complemento Nominal: completa o sentido de um (nome) adjetivas que exprimem qualidade, posse, origem, fim ou outra
substantivo, de um adjetivo e um advérbio, sempre regido por especificação:
preposição. Exemplos: A defesa da pátria; “O ódio ao mal é - presente de rei (=régio): qualidade
amor do bem, e a ira contra o mal, entusiasmo divino.”; “Ah, - livro do mestre, as mãos dele: posse, pertença
não fosse ele surdo à minha voz!” - água da fonte, filho de fazendeiros: origem
- fio de aço, casa de madeira: matéria
Observações: O complemento nominal representa o - casa de ensino, aulas de inglês: fim, especialidade
recebedor, o paciente, o alvo da declaração expressa por um
nome: amor a Deus, a condenação da violência, o medo de Observações: Não confundir o adjunto adnominal
assaltos, a remessa de cartas, útil ao homem, compositor de formado por locução adjetiva com complemento nominal. Este
músicas, etc. É regido pelas mesmas preposições usadas no representa o alvo da ação expressa por um nome transitivo: a
objeto indireto. Difere deste apenas porque, em vez de eleição do presidente, aviso de perigo, declaração de guerra,
complementar verbos, complementa nomes (substantivos, empréstimo de dinheiro, plantio de árvores, colheita de
adjetivos) e alguns advérbios em –mente. Os nomes que trigo, destruidor de matas, descoberta de petróleo, amor ao
requerem complemento nominal correspondem, geralmente, próximo, etc. O adjunto adnominal formado por locução
a verbos de mesmo radical: amor ao próximo, amar o adjetiva representa o agente da ação, ou a origem, pertença,
próximo ;perdão das injúrias, perdoar as injúrias; obediente qualidade de alguém ou de alguma coisa: o discurso do
aos pais, obedecer aos pais; regresso à pátria, regressar à presidente, aviso de amigo, declaração do ministro,
pátria; etc.9 empréstimo do banco, a casa do fazendeiro, folhas de
árvores, farinha de trigo, beleza das matas, cheiro de
Agente da Passiva: complementa um verbo na voz petróleo, amor de mãe.11
passiva. Sempre representa quem pratica a ação expressa pelo
verbo passivo. Vem regido na maioria das vezes pela Adjunto adverbial: termo que exprime uma circunstância
preposição por, e menos frequentemente pela preposição de: (de tempo, lugar, modo, etc.) ou, em outras palavras, que
O vencedor foi escolhido pelos jurados. modifica o sentido de um verbo, adjetivo ou advérbio.

9 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004. 11 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.
10 AMARAL, Emília. Novas Palavras. Editora FTD.2016.

Língua Portuguesa 27
APOSTILAS OPÇÃO

Exemplo: “Meninas numa tarde brincavam de roda na Dois países sul-americanos, isto é, a Colômbia e o Chile,
praça”. O adjunto adverbial é expresso: Pelos advérbios: não são banhados pelo mar.
Cheguei tarde; Maria é mais alta; Não durma na cabana; Ele
fala bem, fala corretamente; Talvez esteja enganado.; Pelas O aposto que se refere a objeto indireto, complemento
locuções ou expressões adverbiais: Compreendo sem nominal ou adjunto adverbial vem precedido de preposição:
esforço.; Saí com meu pai.; Paulo reside em São Paulo.; O rei perdoou aos dois: ao fidalgo e ao criado.
Escureceu de repente. “Acho que adoeci disso, de beleza, da intensidade das
coisas.” (Raquel Jardim)
Observações: Pode ocorrer a elipse da preposição antes
de adjuntos adverbiais de tempo e modo: Aquela noite, não Vocativo: termo que exprime um nome, título, apelido,
dormi. (=Naquela noite...); Domingo que vem não sairei. (=No usado para chamar o interlocutor.
domingo...); Ouvidos atentos, aproximei-me da porta. (=De
ouvidos atentos...); Os adjuntos adverbiais classificam-se de “Elesbão? Ó Elesbão! Venha ajudar-nos, por favor!” (Maria
acordo com as circunstâncias que exprimem: adjunto de Lourdes Teixeira)
adverbial de lugar, modo, tempo, intensidade, causa, “A ordem, meus amigos, é a base do governo.” (Machado
companhia, meio, assunto, negação, etc. É importante saber de Assis)
distinguir adjunto adverbial de adjunto adnominal, de objeto “Correi, correi, ó lágrimas saudosas!” (Fagundes Varela)
indireto e de complemento nominal: sair do mar (ad. adv.);
água do mar (adj. adn.); gosta do mar (obj. indir.); ter medo Observação: Profere-se o vocativo com entoação
do mar (compl. nom.). exclamativa. Na escrita é separado por vírgula(s). No exemplo
inicial, os pontos interrogativo e exclamativo indicam um
Aposto: um termo ou expressão que associa a um nome chamado alto e prolongado. O vocativo se refere sempre à 2ª
anterior, e explica ou esclarece o sentido desse nome. pessoa do discurso, que pode ser uma pessoa, um animal, uma
Geralmente, separado dos outros termos da oração por dois coisa real ou entidade abstrata personificada. Podemos
pontos, travessão e vírgula. antepor-lhe uma interjeição de apelo (ó, olá, eh!):
Exemplos:
Ontem, segunda-feira, passei o dia com dor de estômago. “Tem compaixão de nós, ó Cristo!” (Alexandre Herculano)
“Nicanor, ascensorista, expôs-me seu caso de consciência.” “Ó Dr. Nogueira, mande-me cá o Padilha, amanhã!”
(Carlos Drummond de Andrade) (Graciliano Ramos)
“Esconde-te, ó sol de maio ,ó alegria do mundo!” (Camilo
O núcleo do aposto pode ser expresso por um substantivo Castelo Branco)
ou por um pronome substantivo. Exemplo: O vocativo é um tempo à parte. Não pertence à estrutura
Os responsáveis pelo projeto, tu e a arquiteta, não podem da oração, por isso não se anexa ao sujeito nem ao predicado.12
se ausentar.
Questões
O aposto não pode ser formado por adjetivos. Nas frases
seguintes, por exemplo, não há aposto, mas predicativo do 01. O termo em destaque é adjunto adverbial de
sujeito. Ex. intensidade em:
Audaciosos, os dois surfistas atiraram-se às ondas. (A) pode aprender e assimilar MUITA coisa
As borboletas, leves e graciosas, esvoaçavam num balé de (B) enfrentamos MUITAS novidades
cores. (C) precisa de um parceiro com MUITO caráter
(D) não gostam de mulheres MUITO inteligentes
Os apostos, em geral, têm pausas, indicadas, na escrita, por (E) assumimos MUITO conflito e confusão
vírgulas, dois pontos ou travessões. Não havendo pausa, não
haverá vírgula, como nestes exemplos: 02. Assinale a alternativa correta: “para todos os males, há
O romance Tróia; o rio Amazonas; a Rua Osvaldo Cruz; o dois remédios: o tempo e o silêncio”, os termos grifados são
Colégio Tiradentes, etc. respectivamente:
“Onde estariam os descendentes de Amaro vaqueiro?” (A) sujeito – objeto direto;
(Graciliano Ramos) (B) sujeito – aposto;
(C) objeto direto – aposto;
O aposto pode preceder o termo a que se refere, o qual, às (D) objeto direto – objeto direto;
vezes, está elíptico. Exemplos: (E) objeto direto – complemento nominal.
Rapaz impulsivo, Mário não se conteve.
Mensageira da ideia, a palavra é a mais bela expressão da 03. Assinale a alternativa em que o termo destacado é
alma humana. objeto indireto.
(A) “Quem faz um poema abre uma janela.” (Mário
O aposto, às vezes, refere-se a toda uma oração. Exemplos: Quintana)
Nuvens escuras borravam os espaços silenciosos, sinal de (B) “Toda gente que eu conheço e que fala comigo / Nunca
tempestade iminente. teve um ato ridículo / Nunca sofreu enxovalho (...)”
O espaço é incomensurável, fato que me deixa atônito. (Fernando Pessoa)
(C) “Quando Ismália enlouqueceu / Pôs-se na torre a
Um aposto refere a outro aposto, às vezes: sonhar / Viu uma lua no céu, / Viu uma lua no mar.”
“Serafim Gonçalves casou-se com Lígia Tavares, filha do (Alphonsus de Guimarães)
velho coronel Tavares, senhor de engenho.” (Ledo Ivo) (D) “Mas, quando responderam a Nhô Augusto: ‘– É a
jagunçada de seu Joãozinho Bem-Bem, que está descendo para
O aposto pode vir antecedido das expressões explicativas, a Bahia.’ – ele, de alegre, não se pôde conter.” (Guimarães
ou da preposição acidental como: Rosa)

12 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.

Língua Portuguesa 28
APOSTILAS OPÇÃO

04. “Recebeu o prêmio o jogador que fez o gol”. Nessa frase OCA OCA OCA
o sujeito de “fez”?
(A) o prêmio; “Inclinei-me, apanhei o embrulho e segui.” (Machado de
(B) o jogador; Assis)
(C) que; “A noite avança, há uma paz profunda na casa deserta.”
(D) o gol; (Antônio Olavo Pereira)
(E) recebeu. “O ferro mata apenas; o ouro infama, avilta, desonra.”
(Coelho Neto)
05. Assinale a alternativa correspondente ao período onde
há predicativo do sujeito: - As orações coordenadas são sindéticas (OCS) quando
(A) como o povo anda tristonho! vêm introduzidas por conjunção coordenativa. Exemplo:
(B) agradou ao chefe o novo funcionário; O homem saiu do carro / e entrou na casa.
(C) ele nos garantiu que viria; OCA OCS
(D) no Rio não faltam diversões;
(E) o aluno ficou sabendo hoje cedo de sua aprovação. As orações coordenadas sindéticas são classificadas de
acordo com o sentido expresso pelas conjunções
Gabarito coordenativas que as introduzem. E podem ser:
01.D \ 02.C \ 03.D \ 04.C \ 05.A
- Orações coordenadas sindéticas aditivas: e, nem, não
Período só... mas também, não só... mas ainda.
Saí da escola / e fui à lanchonete.
Toda frase com uma ou mais orações constitui um período, OCA OCS Aditiva
que se encerra com ponto de exclamação, interrogação ou
reticências. Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma
O período de uma oração pode ser: simples quando só traz conjunção que expressa ideia de acréscimo ou adição com
uma oração, também conhecida como oração absoluta; ou referência à oração anterior, ou seja, por uma conjunção
composto quando traz mais de uma oração. Exemplo: coordenativa aditiva.
Pegou fogo no prédio. (Período simples, oração absoluta.)
Quero que você aprenda. (Período composto.) O menino comprou pães e um leite.
As crianças não gritavam e nem choravam.
Existe uma maneira prática de saber quantas orações há Os celulares não somente instruem mas também
num período, e para isso basta contar os verbos ou locuções divertem.
verbais. Num período haverá tantas orações quantos forem os
verbos ou as locuções verbais neles existentes. Exemplos: - Orações coordenadas sindéticas adversativas: mas,
porém, todavia, contudo, entretanto, no entanto.
Pegou fogo no prédio. (um verbo, uma oração)
Quero que você aprenda. (dois verbos, duas orações) Estudei bastante / mas não passei no teste.
Está pegando fogo no prédio. (uma locução verbal, uma OCA OCS Adversativa
oração)
Deves estudar para poderes vencer na vida. (duas Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma
locuções verbais, duas orações) conjunção que expressa ideia de oposição à oração anterior, ou
seja, por uma conjunção coordenativa adversativa.
Há três tipos de período composto: por coordenação, por
subordinação e por coordenação e subordinação ao mesmo O aluno é estudioso, porém, suas notas são baixas.
tempo (também chamada de período misto). “É dura a vida, mas aceitam-na.” (Cecília Meireles)

Período Composto por Coordenação – Orações - Orações coordenadas sindéticas conclusivas: portanto,
Coordenadas por isso, pois, logo.

Considere, por exemplo, este período composto: Ele me ajudou muito, / portanto merece minha gratidão.
Passeamos pela praia, / brincamos, / recordamos os OCA OCS Conclusiva
tempos de infância.
1ª oração: Passeamos pela praia Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma
2ª oração: brincamos conjunção que expressa ideia de conclusão de um fato
3ª oração: recordamos os tempos de infância enunciado na oração anterior, ou seja, por uma conjunção
As três orações que compõem esse período têm sentido coordenativa conclusiva.
próprio e não mantêm entre si nenhuma dependência
sintática: elas são independentes. Há entre elas, é claro, uma Vives mentindo; logo, não mereces fé.
relação de sentido, mas, como já dissemos, uma não depende Não tenho dinheiro, portanto não posso pagar.
da outra sintaticamente.
As orações independentes de um período são chamadas de - Orações coordenadas sindéticas alternativas: ou... ou,
orações coordenadas (OC), e o período formado só de ora... ora, seja... seja, quer... quer.
orações coordenadas é chamado de período composto por
coordenação. Seja mais educado / ou retire-se da reunião!
OCA OCS Alternativa
As orações coordenadas são classificadas em assindéticas
e sindéticas. Observe que a 2ª oração vem introduzida por uma
- As orações coordenadas são assindéticas (OCA) quando conjunção que estabelece uma relação de alternância ou
não vêm introduzidas por conjunção. Exemplo: escolha com referência à oração anterior, ou seja, por uma
Os torcedores gritaram, / sofreram, / vibraram. conjunção coordenativa alternativa.

Língua Portuguesa 29
APOSTILAS OPÇÃO

Cale-se agora ou nunca mais fale. 05. Os dias já eram quentes, mas a água do mar ainda
Ora colocava a luca, ora a retirava. estava fria, por isso as praias permaneciam desertas.

- Orações coordenadas sindéticas explicativas: que, Período Composto por Subordinação


porque, pois, porquanto. Observe os termos destacados em cada uma destas
Vamos andar depressa / que estamos atrasados. orações:
OCA OCS Explicativa Vi uma cena triste. (adjunto adnominal)
Observe que a 2ª oração é introduzida por uma conjunção Todos querem sua participação. (objeto direto)
que expressa ideia de explicação, de justificativa em relação à Não pude sair por causa da chuva. (adjunto adverbial de
oração anterior, ou seja, por uma conjunção coordenativa causa)
explicativa.
Veja, agora, como podemos transformar esses termos em
Não comprei o carro, porque estava muito caro. orações com a mesma função sintática:
Cumprimente-a, pois hoje é o seu aniversário. Vi uma cena / que me entristeceu. (oração subordinada
com função de adjunto adnominal)
Questões Todos querem / que você participe. (oração subordinada
com função de objeto direto)
01. Relacione as orações coordenadas por meio de Não pude sair / porque estava chovendo. (oração
conjunções: subordinada com função de adjunto adverbial de causa)
(A) Ouviu-se o som da bateria. Os primeiros foliões
surgiram. Em todos esses períodos, a segunda oração exerce uma
(B) Não durma sem cobertor. A noite está fria. certa função sintática em relação à primeira, sendo, portanto,
(C) Quero desculpar-me. Não consigo encontrá-los. subordinada a ela. Quando um período é constituído de pelo
menos um conjunto de duas orações em que uma delas (a
02. Em: “... ouviam-se amplos bocejos, fortes como o subordinada) depende sintaticamente da outra (principal), ele
marulhar das ondas...” a partícula como expressa uma ideia de: é classificado como período composto por subordinação.
(A) causa As orações subordinadas são classificadas de acordo com a
(B) explicação função que exercem: adverbiais, substantivas e adjetivas.
(C) conclusão
(D) proporção Orações Subordinadas Adverbiais (OSA)
(E) comparação São aquelas que exercem a função de adjunto adverbial da
oração principal (OP). São classificadas de acordo com a
03. “Entrando na faculdade, procurarei emprego”, oração conjunção subordinativa que as introduz:
sublinhada pode indicar uma ideia de:
(A) concessão - Causais: expressam a causa do fato enunciado na oração
(B) oposição principal. Conjunções: porque, que, como (= porque), pois que,
(C) condição visto que.
(D) lugar Não fui à escola / porque fiquei doente.
(E) consequência OP OSA Causal

04. Assinale a sequência de conjunções que estabelecem, O tambor soa porque é oco.
entre as orações de cada item, uma correta relação de sentido. Como não me atendessem, repreendi-os severamente.
1. Correu demais, ... caiu. Como ele estava armado, ninguém ousou reagir.
2. Dormiu mal, ... os sonhos não o deixaram em paz. “Faltou à reunião, visto que esteve doente.” (Arlindo de
3. A matéria perece, ... a alma é imortal. Sousa)
4. Leu o livro, ... é capaz de descrever as personagens com
detalhes. - Condicionais: expressam hipóteses ou condição para a
5. Guarde seus pertences, ... podem servir mais tarde. ocorrência do que foi enunciado na principal. Conjunções: se,
contanto que, a menos que, a não ser que, desde que.
(A) porque, todavia, portanto, logo, entretanto Irei à sua casa / se não chover.
(B) por isso, porque, mas, portanto, que OP OSA Condicional
(C) logo, porém, pois, porque, mas
(D) porém, pois, logo, todavia, porque Deus só nos perdoará se perdoarmos aos nossos
(E) entretanto, que, porque, pois, portanto ofensores.
Se o conhecesses, não o condenarias.
05. Reúna as três orações em um período composto por “Que diria o pai se soubesse disso?” (Carlos Drummond
coordenação, usando conjunções adequadas. de Andrade)
A cápsula do satélite será recuperada, caso a experiência
Os dias já eram quentes. tenha êxito.
A água do mar ainda estava fria.
As praias permaneciam desertas. - Concessivas: expressam ideia ou fato contrário ao da
oração principal, sem, no entanto, impedir sua realização.
Respostas Conjunções: embora, ainda que, apesar de, se bem que, por mais
que, mesmo que.
01. Ouviu-se o som da bateria e os primeiros foliões Ela saiu à noite / embora estivesse doente.
surgiram. OP OSA Concessiva
Não durma sem cobertor, pois a noite está fria. Admirava-o muito, embora (ou conquanto ou posto que
Quero desculpar-me, mas consigo encontrá-los. ou se bem que) não o conhecesse pessoalmente.
Embora não possuísse informações seguras, ainda
02. E\03. C\04. B assim arriscou uma opinião.

Língua Portuguesa 30
APOSTILAS OPÇÃO

Cumpriremos nosso dever, ainda que (ou mesmo Como a flor se abre ao Sol, assim minha alma se abriu à
quando ou ainda quando ou mesmo que) todos nos luz daquele olhar.
critiquem.
Por mais que gritasse, não me ouviram. Obs.: As orações comparativas nem sempre apresentam
claramente o verbo, como no exemplo acima, em que está
- Conformativas: expressam a conformidade de um fato subentendido o verbo ser (como a mãe é).
com outro. Conjunções: conforme, como (=conforme), segundo.
O trabalho foi feito / conforme havíamos planejado. - Proporcionais: expressam uma ideia que se relaciona
OP OSA Conformativa proporcionalmente ao que foi enunciado na principal.
Conjunções: à medida que, à proporção que, ao passo que,
O homem age conforme pensa. quanto mais, quanto menos.
Relatei os fatos como (ou conforme) os ouvi. Quanto mais reclamava / menos atenção recebia.
Como diz o povo, tristezas não pagam dívidas. OSA Proporcional OP
O jornal, como sabemos, é um grande veículo de
informação. À medida que se vive, mais se aprende.
À proporção que avançávamos, as casas iam rareando.
- Temporais: acrescentam uma circunstância de tempo ao O valor do salário, ao passo que os preços sobem, vai
que foi expresso na oração principal. Conjunções: quando, diminuindo.
assim que, logo que, enquanto, sempre que, depois que, mal
(=assim que). Orações Subordinadas Substantivas
Ele saiu da sala / assim que eu cheguei. As orações subordinadas substantivas (OSS) são
OP OSA Temporal aquelas que, num período, exercem funções sintáticas
próprias de substantivos, geralmente são introduzidas pelas
Formiga, quando quer se perder, cria asas. conjunções integrantes que e se. Elas podem ser:
“Lá pelas sete da noite, quando escurecia, as casas se
esvaziam.” (Carlos Povina Cavalcânti) - Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta: é
“Quando os tiranos caem, os povos se levantam.” aquela que exerce a função de objeto direto do verbo da oração
(Marquês de Maricá) principal. Observe: O grupo quer a sua ajuda. (objeto direto)
Enquanto foi rico, todos o procuravam. O grupo quer / que você ajude.
OP OSS Objetiva Direta
- Finais: expressam a finalidade ou o objetivo do que foi
enunciado na oração principal. Conjunções: para que, a fim de O mestre exigia que todos estivessem presentes. (= O
que, porque (=para que), que. mestre exigia a presença de todos.)
Abri a porta do salão / para que todos pudessem entrar. Mariana esperou que o marido voltasse.
OP OSA Final Ninguém pode dizer: Desta água não beberei.
O fiscal verificou se tudo estava em ordem.
“O futuro se nos oculta para que nós o imaginemos.”
(Marquês de Maricá) - Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta: é
Aproximei-me dele a fim de que me ouvisse melhor. aquela que exerce a função de objeto indireto do verbo da
“Fiz-lhe sinal que se calasse.” (Machado de Assis) (que = oração principal. Observe: Necessito de sua ajuda. (objeto
para que) indireto)
“Instara muito comigo não deixasse de frequentar as Necessito / de que você me ajude.
recepções da mulher.” (Machado de Assis) (não deixasse = OP OSS Objetiva Indireta
para que não deixasse)
Não me oponho a que você viaje. (= Não me oponho à sua
- Consecutivas: expressam a consequência do que foi viagem.)
enunciado na oração principal. Conjunções: porque, que, como Aconselha-o a que trabalhe mais.
(= porque), pois que, visto que. Daremos o prêmio a quem o merecer.
A chuva foi tão forte / que inundou a cidade. Lembre-se de que a vida é breve.
OP OSA Consecutiva
- Oração Subordinada Substantiva Subjetiva: é aquela
Fazia tanto frio que meus dedos estavam endurecidos. que exerce a função de sujeito do verbo da oração principal.
“A fumaça era tanta que eu mal podia abrir os olhos.” Observe :É importante sua colaboração. (sujeito)
(José J. Veiga) É importante / que você colabore.
De tal sorte a cidade crescera que não a reconhecia mais. OP OSS Subjetiva
As notícias de casa eram boas, de maneira que pude
prolongar minha viagem. A oração subjetiva geralmente vem:
- Depois de um verbo de ligação + predicativo, em
- Comparativas: expressam ideia de comparação com construções do tipo é bom ,é útil ,é certo ,é conveniente, etc.
referência à oração principal. Conjunções: como, assim como, Ex.: É certo que ele voltará amanhã.
tal como, (tão)... como, tanto como, tal qual, que (combinado - Depois de expressões na voz passiva, como sabe-se, conta-
com menos ou mais). se, diz-se, etc. Ex.: Sabe-se que ele saiu da cidade.
Ela é bonita / como a mãe. - Depois de verbos como convir, cumprir, constar, urgir,
OP OSA Comparativa ocorrer, quando empregados na 3ª pessoa do singular e
seguidos das conjunções que ou se. Ex.: Convém que todos
A preguiça gasta a vida como a ferrugem consome o participem da reunião.
ferro.” (Marquês de Maricá)
Ela o atraía irresistivelmente, como o imã atrai o ferro. É necessário que você colabore. (= Sua colaboração é
Os retirantes deixaram a cidade tão pobres como vieram. necessária.)
Parece que a situação melhorou.

Língua Portuguesa 31
APOSTILAS OPÇÃO

Aconteceu que não o encontrei em casa. - Subordinadas Adjetivas Restritivas: são restritivas
Importa que saibas isso bem. quando restringem ou especificam o sentido da palavra a que
se referem. Exemplo:
- Oração Subordinada Substantiva Completiva O público aplaudiu o cantor / que ganhou o 1º lugar.
Nominal: É aquela que exerce a função de complemento OP OSA Restritiva
nominal de um termo da oração principal. Observe: Estou
convencido de sua inocência. (complemento nominal) Nesse exemplo, a oração que ganhou o 1º lugar especifica
Estou convencido / de que ele é inocente. o sentido do substantivo cantor, indicando que o público não
OP OSS Completiva Nominal aplaudiu qualquer cantor mas sim aquele que ganhou o 1º
lugar. Exemplo:
Sou favorável a que o prendam. (= Sou favorável à prisão
dele.) Pedra que rola não cria limo.
Estava ansioso por que voltasses. Os animais que se alimentam de carne chamam-se
Sê grato a quem te ensina. carnívoros.
“Fabiano tinha a certeza de que não se acabaria tão Rubem Braga é um dos cronistas que mais belas páginas
cedo.” (Graciliano Ramos) escreveram.
“Há saudades que a gente nunca esquece.” (Olegário
- Oração Subordinada Substantiva Predicativa: é Mariano)
aquela que exerce a função de predicativo do sujeito da oração
principal, vindo sempre depois do verbo ser. Observe: O - Subordinadas Adjetivas Explicativas: são explicativas
importante é sua felicidade. (predicativo) quando apenas acrescentam uma qualidade à palavra a que se
O importante é / que você seja feliz. referem, esclarecendo um pouco mais seu sentido, mas sem
OP OSS Predicativa restringi-lo ou especificá-lo. Exemplo:
Seu receio era que chovesse. (Seu receio era a chuva.) O escritor Jorge Amado, / que mora na Bahia, / lançou um
Minha esperança era que ele desistisse. novo livro.
Meu maior desejo agora é que me deixem em paz. OP OSA Explicativa OP
Não sou quem você pensa.
Deus, que é nosso pai, nos salvará.
- Oração Subordinada Substantiva Apositiva: É aquela Valério, que nasceu rico, acabou na miséria.
que exerce a função de aposto de um termo da oração Ele tem amor às plantas, que cultiva com carinho.
principal. Observe: Ele tinha um sonho a união de todos em Alguém, que passe por ali à noite, poderá ser assaltado.
benefício do país. (aposto) Observação: As explicativas são isoladas por pausas, que
Ele tinha um sonho / que todos se unissem em benefício na escrita se indicam por vírgulas.13
do país.
OP OSS Apositiva Orações Reduzidas
Observe que as orações subordinadas eram sempre
Só desejo uma coisa: que vivam felizes. (Só desejo uma introduzidas por uma conjunção ou pronome relativo e
coisa: a sua felicidade) apresentavam o verbo na forma do indicativo ou do
Só lhe peço isto: honre o nosso nome. subjuntivo. Além desse tipo de orações subordinadas há
“Talvez o que eu houvesse sentido fosse o presságio disto: outras que se apresentam com o verbo numa das formas
de que virias a morrer...” (Osmã Lins) nominais (infinitivo, gerúndio e particípio). Exemplos:
“Mas diga-me uma cousa, essa proposta traz algum
motivo oculto?” (Machado de Assis) Ao entrar na escola, encontrei o professor de inglês.
As orações apositivas vêm geralmente antecedidas de (infinitivo)
dois-pontos. Podem vir, também, entre vírgulas, intercaladas à Precisando de ajuda, telefone-me. (gerúndio)
oração principal. Exemplo: Seu desejo, que o filho Acabado o treino, os jogadores foram para o vestiário.
recuperasse a saúde, tornou-se realidade. (particípio)

Observação: Além das conjunções integrantes que e se, as As orações subordinadas que apresentam o verbo numa
orações substantivas podem ser introduzidas por outros das formas nominais são chamadas de reduzidas.
conectivos, tais como quando, como, quanto, etc. Exemplos: Para classificar a oração que está sob a forma reduzida,
Não sei quando ele chegou. devemos procurar desenvolvê-la do seguinte modo:
Diga-me como resolver esse problema. colocamos a conjunção ou o pronome relativo adequado ao
sentido e passamos o verbo para uma forma do indicativo ou
Orações Subordinadas Adjetivas subjuntivo, conforme o caso. A oração reduzida terá a mesma
As orações subordinadas Adjetivas (OSA) exercem a classificação da oração desenvolvida.
função de adjunto adnominal de algum termo da oração
principal. Observe como podemos transformar um adjunto Ao entrar na escola, encontrei o professor de inglês.
adnominal em oração subordinada adjetiva: Quando entrei na escola, / encontrei o professor de
Desejamos uma paz duradoura. (adjunto adnominal) inglês.
Desejamos uma paz / que dure. (oração subordinada OSA Temporal
adjetiva) Ao entrar na escola: oração subordinada adverbial
temporal, reduzida de infinitivo.
As orações subordinadas adjetivas são sempre
introduzidas por um pronome relativo (que , qual, cujo, quem, Precisando de ajuda, telefone-me.
etc.) e podem ser classificadas em: Se precisar de ajuda, / telefone-me.
OSA Condicional

13 CEGALLA, Paschoal. Minigramática Língua Portuguesa. Nacional. 2004.

Língua Portuguesa 32
APOSTILAS OPÇÃO

Precisando de ajuda: oração subordinada adverbial 03. “Esses produtos podem ser encontrados nos
condicional, reduzida de gerúndio. supermercados com rótulos como ‘sênior’ e com
características adaptadas às dificuldades para mastigar e para
Acabado o treino, os jogadores foram para o vestiário. engolir dos mais velhos, e preparados para se encaixar em seus
Assim que acabou o treino, / os jogadores foram para o hábitos de consumo”. O segmento “para se encaixar” pode ter
vestiário. sua forma verbal reduzida adequadamente desenvolvida em
OSA Temporal (A) para se encaixarem.
Acabado o treino: oração subordinada adverbial temporal, (B) para seu encaixotamento.
reduzida de particípio. (C) para que se encaixassem.
(D) para que se encaixem.
Observações: (E) para que se encaixariam.
- Há orações reduzidas que permitem mais de um tipo de
desenvolvimento. Há casos também de orações reduzidas 04. A palavra “se” é conjunção integrante (por introduzir
fixas, isto é, orações reduzidas que não são passíveis de oração subordinada substantiva objetiva direta) em qual das
desenvolvimento. Exemplo: Tenho vontade de visitar essa orações seguintes?
cidade. (A) Ele se mordia de ciúmes pelo patrão.
- O infinitivo, o gerúndio e o particípio não constituem (B) A Federação arroga-se o direito de cancelar o jogo.
orações reduzidas quando fazem parte de uma locução verbal. (C) O aluno fez-se passar por doutor.
Exemplos: (D) Precisa-se de operários.
Preciso terminar este exercício. (E) Não sei se o vinho está bom.
Ele está jantando na sala.
Essa casa foi construída por meu pai. 05. “Lembro-me de que ele só usava camisas brancas.” A
- Uma oração coordenada também pode vir sob a forma oração sublinhada é:
reduzida. Exemplo: (A) subordinada substantiva completiva nominal
O homem fechou a porta, saindo depressa de casa. (B) subordinada substantiva objetiva indireta
O homem fechou a porta e saiu depressa de casa. (oração (C) subordinada substantiva predicativa
coordenada sindética aditiva) (D) subordinada substantiva subjetiva
Saindo depressa de casa: oração coordenada reduzida de (E) subordinada substantiva objetiva direta
gerúndio.
Qual é a diferença entre as orações coordenadas Respostas
explicativas e as orações subordinadas causais, já que ambas 01.B \ 02.A \ 03.D \ 04.E \ 05.B
podem ser iniciadas por que e porquê? Às vezes não é fácil
estabelecer a diferença entre explicativas e causais, mas como
o próprio nome indica, as causais sempre trazem a causa de
algo que se revela na oração principal, que traz o efeito.
Concordância.
Note-se também que há pausa (vírgula, na escrita) entre a
oração explicativa e a precedente e que esta é, muitas vezes,
imperativa, o que não acontece com a oração adverbial causal. CONCORDÂNCIA NOMINAL
Essa noção de causa e efeito não existe no período
composto por coordenação. Exemplo: Concordância nominal é que o ajuste que fazemos aos
Rosa chorou porque levou uma surra. Está claro que a demais termos da oração para que concordem em gênero e
oração iniciada pela conjunção é causal, visto que a surra foi número com o substantivo. Teremos que alterar, portanto, o
sem dúvida a causa do choro, que é efeito. artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome. Além disso, temos
Rosa chorou, porque seus olhos estão vermelhos. O também o verbo, que se flexionará à sua maneira.
período agora é composto por coordenação, pois a oração
iniciada pela conjunção traz a explicação daquilo que se Regra geral: o artigo, o adjetivo, o numeral e o pronome
revelou na coordena anterior. Não existe aí relação de causa e concordam em gênero e número com o substantivo.
efeito: o fato de os olhos de Elisa estarem vermelhos não é A pequena criança é uma gracinha. / O garoto que encontrei
causa de ela ter chorado. era muito gentil e simpático.
Ela fala / como falaria / se entendesse do assunto.
OP OSA Comparativa OSA Condicional Casos especiais: veremos alguns casos que fogem à regra
geral mostrada acima.
Questões
a) Um adjetivo após vários substantivos
01. Na frase: “Maria do Carmo tinha a certeza de que 1- Substantivos de mesmo gênero: adjetivo vai para o
estava para ser mãe”, a oração destacada é: plural ou concorda com o substantivo mais próximo.
(A) subordinada substantiva objetiva indireta Irmão e primo recém-chegado estiveram aqui. / Irmão
(B) subordinada substantiva completiva nominal e primo recém-chegados estiveram aqui.
(C) subordinada substantiva predicativa
(D) coordenada sindética conclusiva 2- Substantivos de gêneros diferentes: vai para o
(E) coordenada sindética explicativa plural masculino ou concorda com o substantivo mais
próximo.
02. “Na ‘Partida Monção’, não há uma atitude inventada. Há Ela tem pai e mãe louros. / Ela tem pai e mãe loura.
reconstituição de uma cena como ela devia ter sido na
realidade.” A oração sublinhada é: 3- Adjetivo funciona como predicativo: vai
(A) adverbial conformativa obrigatoriamente para o plural.
(B) adjetiva O homem e o menino estavam perdidos. / O homem e sua
(C) adverbial consecutiva esposa estiveram hospedados aqui.
(D) adverbial proporcional
(E) adverbial causal

Língua Portuguesa 33
APOSTILAS OPÇÃO

b) Um adjetivo anteposto a vários substantivos Os melhores cargos possíveis estão neste setor da empresa.
1- Adjetivo anteposto normalmente concorda com o mais As piores situações possíveis são encontradas nas favelas da
próximo. cidade.
Comi delicioso almoço e sobremesa. / Provei deliciosa fruta
e suco. m) Meio
2- Adjetivo anteposto funcionando como predicativo: 1- Como advérbio: invariável.
concorda com o mais próximo ou vai para o plural. Estou meio (um pouco) insegura.
Estavam feridos o pai e os filhos. / Estava ferido o pai e os
filhos. 2- Como numeral: segue a regra geral.
Comi meia (metade) laranja pela manhã.
c) Um substantivo e mais de um adjetivo
1- antecede todos os adjetivos com um artigo. Falava n) Só
fluentemente a língua inglesa e a espanhola. 1- apenas, somente (advérbio): invariável.
2- coloca o substantivo no plural. Falava fluentemente as Só consegui comprar uma passagem.
línguas inglesa e espanhola.
2- sozinho (adjetivo): variável.
d) Pronomes de tratamento Estiveram sós durante horas.
Sempre concordam com a 3ª pessoa. Vossa Santidade
esteve no Brasil. Questões

e) Anexo, incluso, próprio, obrigado 01. Indique o uso INCORRETO da concordância verbal ou
Concordam com o substantivo a que se referem. nominal:
As cartas estão anexas. / A bebida está inclusa. (A) Será descontada em folha sua contribuição sindical.
(B) Na última reunião, ficou acordado que se realizariam
f) Um(a) e outro(a), num(a) e noutro(a) encontros semanais com os diversos interessados no assunto.
Após essas expressões o substantivo fica sempre no (C) Alguma solução é necessária, e logo!
singular e o adjetivo no plural. (D) Embora tenha ficado demonstrado cabalmente a
Renato advogou um e outro caso fáceis. / Pusemos numa e ocorrência de simulação na transferência do imóvel, o pedido
noutra bandeja rasas o peixe. não pode prosperar.
(E) A liberdade comercial da colônia, somada ao fato de D.
g) É bom, é necessario, é proibido João VI ter também elevado sua colônia americana à condição
Essas expressões não variam se o sujeito não vier de Reino Unido a Portugal e Algarves, possibilitou ao Brasil
precedido de artigo ou outro determinante. obter certa autonomia econômica.
É necessário sua presença. / É necessária a sua presença.
É proibido entrada de pessoas não autorizadas. / A entrada 02. Aponte a alternativa em que NÃO ocorre silepse (de
é proibida. gênero, número ou pessoa):
(A) “A gente é feito daquele tipo de talento capaz de fazer
h) Muito, pouco, caro a diferença.”
1- Como adjetivos: seguem a regra geral. (B) Todos sabemos que a solução não é fácil.
Comi muitas frutas durante a viagem. / Pouco arroz é (C) Essa gente trabalhadora merecia mais, pois acordam às
suficiente para mim. cinco horas para chegar ao trabalho às oito da manhã.
(D) Todos os brasileiros sabem que esse problema vem de
2- Como advérbios: são invariáveis. longe...
Comi muito durante a viagem. / Pouco lutei, por isso perdi (E) Senhor diretor, espero que Vossa Senhoria seja mais
a batalha. compreensivo.

i) Mesmo, bastante 03. A concordância nominal está INCORRETA em:


1- Como advérbios: invariáveis (A) A mídia julgou desnecessária a campanha e o
Preciso mesmo da sua ajuda. envolvimento da empresa.
Fiquei bastante contente com a proposta de emprego. (B) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa
desnecessária.
2- Como pronomes: seguem a regra geral. (C) A mídia julgou desnecessário o envolvimento da
Seus argumentos foram bastantes para me convencer. empresa e a campanha.
Os mesmos argumentos que eu usei, você copiou. (D) A mídia julgou a campanha e a atuação da empresa
desnecessárias.
j) Menos, alerta
Em todas as ocasiões são invariáveis. 04. Complete os espaços com um dos nomes colocados nos
Preciso de menos comida para perder peso. / Estamos alerta parênteses.
para com suas chamadas. (A) Será que é ____ essa confusão toda? (necessário/
necessária)
k) Tal Qual (B) Quero que todos fiquem ____. (alerta/ alertas)
“Tal” concorda com o antecedente, “qual” concorda com o (C) Houve ____ razões para eu não voltar lá. (bastante/
consequente. bastantes)
As garotas são vaidosas tais qual a tia. / Os pais vieram (D) Encontrei ____ a sala e os quartos. (vazia/vazios)
fantasiados tais quais os filhos. (E) A dona do imóvel ficou ____ desiludida com o inquilino.
(meio/ meia)
l) Possível
Quando vem acompanhado de “mais”, “menos”, “melhor” ou 05. Quanto à concordância nominal, verifica-se ERRO em:
“pior”, acompanha o artigo que precede as expressões. (A) O texto fala de uma época e de um assunto polêmicos.
A mais possível das alternativas é a que você expôs.

Língua Portuguesa 34
APOSTILAS OPÇÃO

(B) Tornou-se clara para o leitor a posição do autor sobre pronome: Fomos nós quem contou toda a verdade para ela. /
o assunto. Fomos nós quem contamos toda a verdade para ela.
(C) Constata-se hoje a existência de homem, mulher e
criança viciadas. 9) Em casos nos quais o sujeito aparece realçado pela
(D) Não será permitido visita de amigos, apenas a de palavra “que”, o verbo deverá concordar com o termo que
parentes. antecede essa palavra: Nesta empresa somos nós
que tomamos as decisões. / Em casa sou eu que decido tudo.
Respostas
01.D / 02.D / 03.B / 04. a) necessária b) alerta c) 10) No caso de o sujeito aparecer representado por
bastantes d) vazia e) meio / 05. C expressões que indicam porcentagens, o verbo concordará
com o numeral ou com o substantivo a que se refere essa
CONCORDÂNCIA VERBAL porcentagem: 50% dos funcionários aprovaram a decisão da
diretoria. / 50% do eleitorado apoiou a decisão.
Ao falarmos sobre a concordância verbal, estamos nos Observações:
referindo à relação de dependência estabelecida entre um - Caso o verbo aparecer anteposto à expressão de
termo e outro mediante um contexto oracional. porcentagem, esse deverá concordar com o numeral:
Aprovaram a decisão da diretoria 50% dos funcionários.
Casos Referentes a Sujeito Simples - Em casos relativos a 1%, o verbo permanecerá no
1) Sujeito simples, o verbo concorda com o núcleo em singular: 1% dos funcionários não aprovou a decisão da
número e pessoa: O aluno chegou atrasado. diretoria.
- Em casos em que o numeral estiver acompanhado de
2) O verbo concorda no singular com o sujeito coletivo do determinantes no plural, o verbo permanecerá no plural: Os
singular, o verbo permanece na terceira pessoa do 50% dos funcionários apoiaram a decisão da diretoria.
singular: A multidão, apavorada, saiu aos gritos.
Observação: no caso de o coletivo aparecer seguido de 11) Quando o sujeito estiver representado por pronomes
adjunto adnominal no plural, o verbo permanecerá no singular de tratamento, o verbo deverá ser empregado na tercei