Você está na página 1de 10

Medidores de Vazão:

Placa de Orifício

Pedro Galvão Barros


INTRODUÇÃO

Vazão pode ser definida como o volume transportado em certo intervalo de tempo.
Sua dimensão é dada por L³/s.
A escolha do medidor de vazão pode ser influenciada pela:
• Incerteza exigida
• Faixa de medida
• Custos
• Complicações
• Facilidade de leitura
• Tempo de vida em serviço

Para escoamentos de fluidos incompressíveis para os quais se pode desprezar os


efeitos de atrito (fluidos ideais), temos:

Essa equação é conhecida como equação de Bernoulli para fluidos ideais. Para regime

turbulento, consideramos = =1. Como a equação se reduz a

Onde:

A equação da continuidade estabelece que a vazão volumétrica é constante, ou seja:

As velocidades V1 e V2 podem ser relacionadas através da equação de conservação de


massa:

2
Portanto, a velocidade teórica (ideal) é, portanto, dada por:

A vazão volumétrica teórica é dada, portanto, por:

No entanto devemos considerar o atrito. Assim inserimos na fórmula o Cd que


representa o fator de correção.

Qreal
O Cd é definido como a vazão real/vazão teórica. Cd =
Qtéorico

O medidor de placa de orifício é muito empregado para medição de vazão, tanto para
líquidos como para gases. O medidor de placa de orifício em tubos circulares, consiste em
uma placa circular de mesmo diâmetro do tubo contendo um orifício circular de arestas
chanfradas e concêntrico com o tubo. Por esse orifício, o fluido escoa, e ao atravessá-lo,
haverá uma concentração na veia líquida que será formada imediatamente à saída do orifício
(jusante). Entre montante e jusante (entrada e saída) do orifício colocamos um manômetro
diferencial que nos dará a queda de pressão ocasionada.

3
Figura 3- Placa de orifício

Figura 4- Placa de orifício

Para escoamentos ideais, temos

.
Porém na realidade não é isso que acontece. Assim precisamos multiplicar ambos os lados
por um fator de correção Cd. A equação fica:

4
É essencial que as bordas do orifício fiquem estejam sempre perfeitas, pois se ficarem
corroídas pelo fluido as medições serão comprometidas. Costumeiramente são fabricadas com
aço inox, monel, latão dependendo do fluido.

TIPOS EXISTENTES:

• Orifício concêntrico:
Este tipo de placa é utilizado para líquido, gases e vapor que não contenham sólidos
em suspensão.
• Orifício excêntrico:
Utilizada quando mede-se vazão de fluidos com sólidos em suspensão, os quais podem
ser retidos e acumulados na base da placa.

• Orifício segmental:
Esta placa tem a abertura para passagem de fluido disposta em segmento de círculo. É
destinada para fluidos laminados e com alta percentagem de sólidos em suspensão.

Tipos de bordo:

• Bordo quadrado:
Usado em tubulações normalmente maiores que 6”. Não usada em fluxos com baixos
Rd.

5
• Bordo arredondado:
Usado em fluidos altamente viscosos, onde Rd está em torno de 250.

• Bordo em entrada cônica:


Usado em condições em que Rd está em torno de 25 e em condições severas de
viscosidade.

Bordo quadrado Bordo arredondado

6
INSTALAÇÕES

Tomada de pressão:
Devido ao fato de que não há variação de pressão numa direção normal às linhas de
corrente retilíneas usa-se tomadas de pressão instaladas na parede do duto.

• Tomada em flange: São as tomadas mais populares onde os furos da tomada são
feitas no próprio flange.
• Tomada na vena contracta: Utiliza flanges comuns, sendo o centro da tomada de alta
pressão a montante entre 1/2D e 2D e o centro da tomada de baixa pressão em 1/2D.
• Tomada D e D/2: Usadas em tubulação de 2” e 30” com Reynolds 8000 e 40000.
• Tomadas em canto: São construídas no próprio flange e seu uso principal é em
tubulações menores que 2”, tendo como desvantagem a grande possibilidade de
entupimento.
• Tomadas em tubulação: Possuem o menor diferencial de pressão entre todas as
tomadas e perdem muita precisão devido a rugosidade do tubo.

7
8
Ao instalar os transmissores de pressão devemos ter algumas precauções como:
• Ao escolher o local de instalação é conveniente determinar um lugar com
pouca variação de temperatura, perto da origem de medição de pressão.
• Construir a tubulação mais curta possível evitando locais onde existem
umidade e gases corrosivos.
• Deve-se colocar válvulas de bloqueio na tomada de impulso de pressão para se
fazer com facilidade a manutenção.

Deve-se levar em conta a perda de carga que a placa de orifício apresenta ao circuito,
pois seu desgaste acarretará em maior preço de operação.
Se a placa de orifício for instalada a jusante da válvula, cotovelo ou outro elemento
perturbador de escoamento, um trecho de tubo reto deve ser previsto a montante do medidor.
Para a placa de orifício usa-se 40 diâmetros da tubulação em comprimento.

PREÇOS E MATERIAIS

O preço de uma placa de orifício varia de acordo com os componentes que a acompanham, do
material (Aço inox 304/316, Aço liga Hastelloy e Monel), do tamanho da placa, do tipo de
bordas. Preços de R$10,00 até R$260,00

Vantagens:
• simplicidade
• custo relativamente baixo
• ausência de partes móveis
• pouca manutenção
• aplicação para muitos tipos de fluido
• instrumentação externa

Desvatagens:
• provoca considerável perda de carga no fluxo

9
• a faixa de medição é restrita
• desgaste da placa

CONCLUSÃO

A escolha de um medidor de vazão é influenciada pela incerteza exigida, faixa de


medida, custo, complicações, facilidade de leitura ou de redução de dados, e tempo de vida
em serviço. Deve ser escolhido o dispositivo mais simples e mais barato que forneça a
exatidão desejada.
Uma perda de carga grande significa que o custo de operação do dispositivo é alto,
pois consumirá boa perda de quantidade de energia do fluido. Um alto custo inicial deve ser
amortizado durante a vida útil do dispositivo

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 FOX, Robert W. Mecânica dos Fluídos. 6.ed. Rio de Janeiro: LTC,2006.


 ECM, Noções básicas para montagem de instrumentos
 ECM, Curso Básico de Instrumentação Industrial

10