Você está na página 1de 8

12. I João 2.28-29 Está pronto para o Seu regresso?

1Jo 2:28-29 (AlmeidaXXI)


(2:28) Eagora, filhinhos, permanecei nele, para que tenhamos confiança quando ele se manifestar
e não fiquemos envergonhados diante dele na sua vinda.
(2:29) Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele.

Nós gostamos de assistir algumas provas dos Jogo Olímpicos na TV. Alguns dos
feitos dos atletas são simplesmente incríveis! Muitas pergunto-me como aqueles que
fazem as acrobacias na ginástica ou nos saltos para a piscina fizeram aquilo pela primeira
vez. No salto para a piscina só de olhar lá de cima ficava em pele de galinha.
Uma coisa é óbvia para todos os atletas olímpicos: eles levam anos a se preparar
para o grande evento. Ninguém pratica um desporto algumas vezes e depois qualifica-se
para as Olimpíadas. Vários anos de preparação e treino são absolutamente essenciais.
Mas, mesmo assim, alguns dos atletas ainda falham miseravelmente ou são
desqualificados no grande evento. Isto é sempre triste de assistir.
No entanto, um evento muito maior do que as Olimpíadas está a chegar, e estamos
inscritos como participantes. Esse evento é a segunda vinda de Jesus Cristo em poder e
glória. Será o evento mais incrível e vai abalar todo o mundo. Vejam como Jesus
descreveu (Lucas 21: 25-28):
Lc 21:25-28 (AlmeidaXXI)
(21:25) Ehaverá sinais no sol, na lua e nas estrelas; e sobre a terra haverá angústia para as nações,
perplexas com o bramido do mar e das ondas.
(21:26) Os homens desmaiarão de terror pela expectativa das coisas que acontecerão com o
mundo; porque os poderes do céu serão abalados.
(21:27) Então verão o Filho do homem vindo com poder e grande glória numa nuvem.
(21:28) Quando essas coisas começarem a acontecer, exultai e levantai a cabeça, porque a vossa
redenção se aproxima.

A pergunta é: "Estamos prontos para o grande evento?" Podemos pensar: "Confiei em


Jesus Cristo como meu Salvador, então estou pronto". Isto é verdade. Mas a Bíblia ensina
que, mesmo como crentes, devemos estar preparados para o Seu regresso. Jesus concluiu
o seu discurso das Oliveiras com estas advertências aos discípulos (Marcos 13: 33-37):
Mc 13:33-37 (AlmeidaXXI)
(13:33) Tende cuidado! Vigiai! Porque não sabeis quando chegará o tempo.
(13:34) É como um homem que sai de viagem. Ao deixar sua casa, ele dá autoridade aos seus
servos; a cada um, sua tarefa, e ordena também ao porteiro que vigie.
(13:35) Portanto, vigiai, pois não sabeis quando o senhor da casa chegará; se à tarde, se à meia-
noite, se ao cantar do galo, se pela manhã,
(13:36) para que, se chegar de repente, não vos ache dormindo.
(13:37) O que vos digo, digo a todos: Vigiai!

1
O apóstolo João ouviu Jesus falar estas palavras. João advertiu que estamos na última
hora, com muitos enganadores a tentar nos desviar da verdade. Com este perigo em
mente, ele nos deu três testes pelos quais podemos detectar tais falsos mestres e também
testar nossa própria fé: (1) o teste moral da obediência a Jesus Cristo (2: 3-6); (2) o teste
relacional de amor pelos irmãos (2: 7-11); e, (3) o teste doutrinário de acreditar na
verdade sobre Jesus Cristo (2: 18-27). Agora, João inicia uma segunda aplicação dos
testes: (1) o teste moral (2: 28-3: 10); (2) o teste relacional (3: 11-18); então, como no
primeiro ciclo (2: 12-17), ele interrompe os testes neste momento para inserir uma
palavra sobre garantia (3: 19-24); finalmente, (3) o teste doutrinário (4: 1-6). No nosso
texto (2: 28-29), João diz-nos como estar preparados para o maior evento que está por vir
de toda a história:
Para estar pronto para a vinda de Cristo, permaneça nele como uma criancinha.
João faz três pontos simples, mas importantes:

1. Jesus Cristo voltará.


“Quando Ele se manifestar”, o que vemos aqui é uma incerteza sobre o tempo
dela. O facto de estar a voltar fisicamente ou é verdade ou a Bíblia é falsa. Mas nós não
sabemos quando Ele retornará. James Boice escreve (As Epístolas de João [Zondervan],
p. 96) que no Novo Testamento, “… um versículo em vinte e cinco fala do regresso do
Senhor. É mencionado 318 vezes nos 260 capítulos do Novo Testamento. É mencionado
em cada um dos livros do Novo Testamento, com excepção de Gálatas, que lida com um
problema doutrinário particular, e os livros muito curtos como 2 e 3 João e Filemom.”
Jesus repetidamente mencionou Seu próprio regresso. Na noite anterior à Sua
crucificação, Ele prometeu aos discípulos ansiosos (João 14: 1-3),
Jo 14:1-3 (AlmeidaXXI)
(14:1) Não se perturbe o vosso coração. Crede* em Deus, crede também em mim.
(14:2) Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vos teria dito; pois vou
preparar-vos lugar.
(14:3) E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim, para que onde eu
estiver estejais vós também.

Quando os discípulos observaram Jesus ressuscitado subir ao céu:


At 1:10-11 (AlmeidaXXI)
(1:10) Estando eles com os olhos fixos no céu, enquanto ele subia, apareceram junto deles dois
homens vestidos de branco,
(1:11) que lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que
dentre vós foi elevado ao céu, virá do mesmo modo como o vistes partir.

Ele virá corporalmente.


Os crentes discordam muito sobre os detalhes da profecia, como o milénio e o
arrebatamento. Obviamente, há boas razões para cada visão. Mas há algo que todo o
crente verdadeiro, não importa quais sejam suas visões proféticas, e é absolutamente
verdadeiro: Jesus Cristo está voltará fisicamente como o conquistador Juiz e Rei.

2
2. Quando Cristo voltar, alguns estarão prontos, mas outros não.
João indica que existem duas possibilidades quando Jesus Cristo voltar: ou
teremos confiança ou “nos afastaremos Dele de vergonha”. Aqui João está a referir-se aos
crentes que se envergonharão da vinda do Senhor, ou dos hereges e aqueles que os
seguiram na sua negação da divindade de Jesus Cristo?
Parece-me que a referência primária no contexto é para os hereges e os seus
seguidores. Por um tempo, eles professaram conhecer a Jesus Cristo, mas eles se
afastaram, mostrando que a sua fé não era genuína, fé que salva (2:19). Eles O negaram,
o Seu legítimo lugar como o Soberano Senhor e se voltaram, em vez disso, para
especulações que os exultam com orgulho no seu suposto conhecimento. Porque por sua
negação de Cristo, eles se envergonhavam Dele, quando Ele vier, Ele se envergonhará
deles (Marcos 8:38). Eles se encolherão de medo e vergonha quando O virem na Sua
glória (Mt 22: 11-13; Ap 6: 15-17).
Mas, pode haver um sentido secundário, momentâneo, no qual até os verdadeiros
crentes podem ficar envergonhados quando Ele vier. Alguns trabalharam para Cristo por
motivos egoístas e orgulhosos. Eles serão salvos, mas através do fogo, quando suas obras
são queimadas (1 Coríntios 3: 12-15) serão avaliados. Certamente, eles devem sentir um
sentimento de vergonha por causa do seu pecado, mesmo que rapidamente sejam
transformados na imagem de Cristo e entrem no céu nos seus corpos perfeitos da
ressurreição (1 João 3: 2; 1Co 15: 50-53). Mesmo nós que servimos conscientemente a
Cristo, estamos dolorosamente conscientes das nossas muitas falhas e fracassos. Podemos
ter um breve momento de vergonha ou arrependimento quando O vemos e pensamos: "Se
ao menos eu tivesse feito mais por Ele!"
Mas, para aqueles que habitam em Cristo, o sentimento dominante será a
confiança quando Ele vier. A palavra grega significa “coragem, confiança, ousadia,
destemor, especialmente na presença de pessoas de alto nível” (Um Léxico Grego-Inglês
do Novo Testamento, Bauer, Arndt, & Gingrich [University of Chicago Press], segunda
edição 630). A palavra usada para "vir" (2:28) era usada na visita de um rei ou imperador.
Se já teve que ir perante um alto representante do estado, provavelmente se sentiu um
pouco nervoso. Mesmo João, quando viu Jesus na Sua glória, “caiu a seus pés como
homem morto” (Ap 1:17). Mas aqui João diz: "podemos ter confiança ... na sua vinda".
Como isso pode ser? João dá uma resposta simples:

3. Para estar pronto para a vinda de Cristo, devemos permanecer Nele


como uma criancinha.
A ideia é simples:
A. Permaneça Nele.
“Permanecer” é uma das palavras favoritas de João. Ele usa mais do que todos os
outros escritores do Novo Testamento combinados - 24 vezes em 1 João. Em João 15.4-6,
Jesus usou 11 vezes. Ela é usada tanto para a permanência de Deus em nós quanto para a
permanência n’Ele (ver 2:27; 3:24; 4:15). Há um sentido em que todo verdadeiro crente
permanece em Cristo, mas o fato de que somos ordenados a permanecer Nele implica

3
uma acção persistente e com propósito da nossa parte (Robert Law, The Tests of Life
[Baker], p. 199). -200). Observemos cinco coisas sobre o que significa permanecer nele:
(1). Para permanecer Nele, devemos estar Nele.
Os crentes nunca são ordenados a estar em Cristo, porque isso é um fato, mas
somos ordenados a permanecer n’Ele. Quando se confia em Jesus Cristo como Salvador e
Senhor, somos colocados Nele. Paulo usa esta frase frequentemente para descrever a
nossa posição permanente de identificação com Cristo e todas as bênçãos que Ele
concede a nós pela Sua graça (Efésios 1: 3). Esta posição de estar em Cristo vem a nós
através do novo nascimento, quando nascemos na família de Deus. Se quer saber se já
nasceu de novo, procure sinais de uma nova vida. Realmente confiou e confia em Jesus
Cristo somente para a salvação? Arrependeu-se e agora está a se arrepender dos seus
pecados? Ama a Deus e as coisas de Deus? Estes e muitos mais são sinais de que
nasceu de novo. Se nasceu de novo, está em Cristo.
(2). Permanecer nele é passivo e activo ao mesmo tempo.
Há um ensino popular de que, se permanece, não se está a esforçar ou a exercer
algum esforço. Está simplesmente a descansar em tudo o que Jesus é para si, como o
ramo habita passivamente na videira. Isto é verdade, mas não toda a verdade (para uma
discussão mais completa disso, ver James Rosscup, Abiding in Christ [Zondervan], pp.
146-170). Existe o sentido passivo em que descansamos ou confiamos em Cristo como
nossa vida e força. Não realizaremos nada de valor para Deus a menos que
permaneçamos em Cristo nesse sentido (João 15: 5). Mas, ao mesmo tempo, somos
ordenados a permanecer n’Ele, o que implica que devemos estar activos. O lado activo
envolve os três testes: obedecer aos Seus mandamentos (1Jo 2: 6; 3:24), amar os irmãos
(2:10; 4:16) e reter tenazmente a verdade do evangelho (2:24; 4:15).
(3). Permanecer nele significa viver em rectidão.
O versículo 29 (no contexto) explica como não se envergonhar da vinda de Cristo,
a saber, viver em rectidão (também antecipa o tema de 3: 4-10). Quando João diz: “Se
sabeis que Ele é justo”, “se” tem o sentido de “desde”. “Ele” poderia se referir a Jesus
Cristo, o justo (2: 2), que é o assunto do versículo 28. Mas já que a Bíblia normalmente
fala sobre o Pai como aquele que nos gera como Seus filhos, o “Ele” e “Dele” do
versículo 28 provavelmente aponta também para o Pai (3: 1). Note também que a Sua
justiça (2:29) é perfeitamente compatível com o Seu grande amor (3: 1). Nós caímos no
erro se não nos apegamos a ambos.
Não confundam o ponto do versículo 29. Não está a dizer que o comportamento
correcto é a causa ou o que leva ao novo nascimento, mas exactamente o oposto. O verbo
é literalmente "nascido de Ele" (tempo perfeito grego). O significado é que uma vida
justa é a evidência do novo nascimento. Uma criança será como os seus pais, porque ele
compartilha sua natureza. Porque Deus é justo, aqueles que verdadeiramente nasceram
dele serão justos no padrão geral das suas vidas. Quando nascemos d’Ele, Ele nos
concede “tudo relacionado à vida e à piedade” (2 Pedro 1: 3; ver também Ef 4:24). A
nova vida em nós produz piedade, ou o viver de um modo justo (1 João 3: 9).
Viver em rectidão é um processo vitalício de crescimento em obediência à Palavra
de Deus. Não acontece instantaneamente ou sem contratempos e lutas. Mas se nascer de

4
novo, estará a aprender a julgar todo o pensamento, motivo e atitude pela Palavra de
Deus. Procurará agradar ao Senhor, começando no pensamento (Mt 5: 27-30; Marcos 7:
20-23). O fruto do Espírito Santo crescerá no seu carácter (Gálatas 5: 22-23). Estará
disciplinando-se para o propósito ae piedade (1 Timóteo 4: 7). Naturalmente, tudo isto é
feito na dependência do Espírito Santo, mas deve estar envolvido activamente no
processo (Fp 2: 12-13; Gl 5:16).
(4). Permanecer Nele significa manter firmemente a verdade da Palavra, especialmente
a verdade do evangelho.
Nós nos concentrámos na semana passada (2:24, “o que ouvistes desde o
começo”), e então eu apenas menciono isto de passagem. Numa época onde há muitas
pressões para comprometer o evangelho a fim de demonstrar amor e unidade, devemos
permanecer firmes. Se não se apega com tenacidade à verdade, não está a permanecer em
Cristo, que é a verdade.
(5). Permanecer Nele significa estar em casa com Ele e ser um alienígena para este
mundo.
Vimos isto em 2: 15-17, onde João traça a linha entre o amor pelo mundo e o
amor pelo Pai. Em contraste com este mundo fugaz, aquele que faz a vontade de Deus
permanece para sempre. Se está mais confortável a assistir Tv ou coisas vãs em vez de o
usar para ter tempo com o Senhor e o Seu povo, então não está a permanecer Nele. Se
tem áreas secretas na sua vida onde bloqueia Deus, não está a permanecer Nele.
Permanecer Nele significa que está em casa com Ele e Ele está em casa consigo. Se se
sente cada vez mais alheio ou estrangeiro neste mundo maligno é normal: “Por isso, o
mundo não nos conhece, porque não o conhece” (3: 1).
Muito mais poderia ser dito, mas observe, também, como João fala novamente
sobre seu rebanho como “filhinhos”. A implicação é:
B. Permaneça Nele como uma criancinha Sua.
Vivemos numa época em que os pastores são informados de que carecem de
experiência profissional para ajudar as pessoas com os seus problemas “profundos”. No
seminário, somos informados de que precisa encaminhar esses casos difíceis para os
profissionais treinados. A implicação não tão subtil é que a Bíblia não tem respostas para
os difíceis problemas que as pessoas enfrentam. Para soluções, temos que nos voltar para
a psicologia mundana.
Eu reconheço que, se houver desequilíbrios bioquímicos ou se as drogas
estiverem envolvidas, as coisas ficam complicadas para resolver. Eu também percebo que
alguns problemas não são fáceis de superar. No entanto, ao mesmo tempo, o evangelho é
o poder de Deus para a salvação de todos que crêem e o Espírito Santo no crente é bem
capaz de produzir o Seu fruto, que descreve uma pessoa emocional e relacionalmente
completa. Se as promessas da Palavra de Deus não se aplicam aos difíceis problemas da
vida, então elas realmente não são muito boas. As palavras de João, "filhinhos,
permaneçam nEle", sugerem pelo menos quatro verdades simples:

5
(1). Como uma criança, não complique demais a vida cristã.
“Filhinhos” implica que permanecer em Cristo é simples, não é algo que precisa
de um diploma de pós-graduação para entender ou praticar. De facto, Jesus disse (Mateus
18: 3), “a menos que você seja convertido e se torne como crianças, você não entrará no
reino dos céus”. Eu vi um adesivo que dizia “Mantém simples”. Isto não é um mau
conselho para todas as áreas da vida, mas é especialmente apropriado para a caminhada
com o Senhor. Pergunte a si mesmo estas questões básicas:
 Passo tempo regular e consistente a sós com o Senhor na Palavra?
 Estou a confiar em Deus, aproximando-me em oração do Seu trono de graça
em todas as minhas provações?
 Eu medito na Palavra de Deus, aplicando-a à minha vida?
 Sou fiel como administrador de tudo o que Deus me confiou, mantendo a
integridade e deixando de lado a ganância?
 Estou a crescer em santidade, desenvolvendo o fruto do Espírito ao andar no
Espírito?
 Estou a julgar, confessar e abandonar o pecado, começando no pensamento?
 Estou trabalhando para manter e aprofundar os relacionamentos com os da
minha vida, especialmente na minha família imediata? Isso inclui
comunicação sincera e amorosa; ouvindo; bondade; paciência; perdão; e
humildade.
Isto não é física quântica avançada! É a vida cristã básica e aqueles que aplicaram
estas coisas suportaram terríveis sofrimentos e até mesmo o martírio com a alegria de
Deus. Invariavelmente, quando as pessoas têm sérios problemas pessoais ou familiares,
elas estão a falhar nestes e noutros aspectos básicos da vida cristã.
(2). Como uma criança, dependa do seu pai para tudo.
As crianças pequenas dependem dos pais para tudo. Os pais devem protegê-los e
provê-los. Eles não sobreviveriam por um dia se os seus pais os abandonassem. Se está a
permanecer no Pai como uma criança pequena, então depende completamente Dele.
Aceita todas as suas necessidades em oração e aproxima-se Dele como seu Pai amoroso e
carinhoso.
Quando as provações surgem na vida, devemos nos aproximar activamente do
Senhor e depender Dele como nunca tivemos que fazer noutros momentos. Se não fizer
isso activamente, ficará zangado e amargurado em relação a Deus e se afastará dele. É
por isso que Pedro escreve aos crentes sofredores (1Pe 5: 7-11):
1Pe 5:7-11 (AlmeidaXXI)
(5:7) lançando sobre ele toda vossa ansiedade, pois ele tem cuidado de vós.
(5:8) Tende bom senso e estai atentos. O Diabo, vosso adversário, anda em derredor, rugindo
como leão que procura a quem possa devorar.
(5:9) Resisti-lhe firmes na fé, sabendo que os mesmos sofrimentos estão acontecendo entre
vossos irmãos no mundo.

6
(5:10) Eo Deus de toda graça, que em Cristo vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes
sofrido um pouco, ele mesmo vos haverá de reabilitar, confirmar, fortalecer e alicerçar.*
(5:11) A ele seja o domínio para todo o sempre. Amém.

(3). Como uma criança, não pense mais de si mesmo do que deveria pensar.
Devemos ser humildes como uma criança (Mt 18: 4). As crianças não são fortes
por si, mas apenas no seu protector. Eles correm para seus pais em busca de refúgio.
Somos fracos, mas o seu Pai celestial é forte. É somente quando estamos conscientes da
nossa própria fraqueza que confiamos Nele para a nossa força (2 Coríntios 12: 9-10).
Podemos ver um exemplo disso no nosso texto, na pequena palavra “fiquemos” (2:28).
Na sequência da frase e pensamento, esperaríamos “fiquem” e não “fiquemos”. Mas João
inclui-se com estas criancinhas. Embora ele fosse um apóstolo idoso, embora tivesse
estado com o Senhor, ele reconheceu a sua necessidade de permanecer n’Ele como uma
criancinha.
(4). Como uma criança, divirta-se no grande amor do Pai por si.
Isto está implícito no relacionamento entre um pai e os seus filhos. Todo o pai
ama os seus filhos com um amor especial. João dirá isto explicitamente em 3: 1-2, e
precisamos esperar até que o nosso estudo desses versículos comente mais. Mas, por
enquanto, observe que se conhecer e se deleitar no grande amor do Pai, permanecer Nele
não será uma tarefa difícil, mas um grande prazer.

Conclusão
Então, está pronto para o maior e mais incrível evento da história do mundo - o
regresso de Jesus Cristo? A resposta a essa pergunta depende da sua resposta a outra
pergunta: Está a permanecer Nele como uma criancinha?
Se não, por que não começar hoje? Fique a sós com o Senhor e sua Bíblia.
Confesse todo o seu pecado conhecido a Ele. Chore pela sua frieza em relação ao amor
do Pai e ao Senhor Jesus, que se entregou por si na cruz. Aceite o seu perdão gracioso.
Analise as perguntas que mencionei anteriormente e priorize onde precisa começar. Mude
sua agenda diária para que possa começar a implementar essas noções básicas de
permanência em Cristo. Ao fazê-lo, crescerá em confiança ao antecipar a Sua vinda.

Perguntas de aplicação
1. É errado ser dogmático demais em sua visão da profecia? Em que questões
proféticas todas as visões ortodoxas concordam?
2. Concorda que os crentes podem sentir vergonha momentânea pela vinda do
Senhor? Se não, por que não?
3. Como podemos saber o equilíbrio entre os aspectos activos e passivos de
permanecer em Cristo?

7
4. Alguns cristãos argumentam que a simples resposta de permanecer em Cristo
não funciona para problemas difíceis e profundos. Concorda/discorda? Por
quê?