Você está na página 1de 42

Radiojornalismo

Prof. Polyana Amorim


Aula 2
Cronograma de encontros
Fevereiro (história, técnica e linguagem)
11.02 – Apresentação da disciplina. Formas de avaliação.
Discussão inicial sobre rádio.
18.02 – História do rádio no mundo e no Brasil: evolução da
tecnologia.
25.02 – Linguagem radiofônica: elementos, aspectos e
estrutura.
Distribuição de temas para o seminário Panorama do
radiojornalismo no MA.
Março (produção da informação no rádio)
11.03 – Gêneros do rádio: compreendendo os formatos e
sua linguagem/ Gêneros jornalísticos no rádio: aspectos e
características de produção.
18.03 – O texto no rádio: linguagem e técnicas de redação.
A construção da pauta.
25.03 – O radiojornalismo na era da internet: novas formas
de transmissão, produção e circulação.
Abril (técnicas de produção dos formatos)
01.04 – Reportagem no rádio: linguagem, características e etapas
de produção.
08.04 – Encontro remanejado para a quarta-feira, 10.04.
Exposição dos banners.
15.04 – Primeira avaliação regimental.
22.04 – Devolutiva: correção e entrega da nota do primeiro
bimestre (prova + seminário)/ distribuição da temática de
produção para a segunda unidade.
29.04 – A entrevista no rádio: linguagem, características e etapas
de produção./ Planejamento do programa especial.
Maio (técnicas de produção dos formatos)
06.05 – O documentário no rádio: linguagem,
características e etapas de produção. / Estruturando o
programa especial e dividindo funções.
13.05 – Sonoplastia e roteiro técnico/ Spots e jingles no
rádio./ Criando a sonoplastia do programa especial.
20.05 – Prática: produção do especial.
27.05 - Prática: produção do especial.
Junho (produção e avaliação)
03.06 – Apresentação dos produtos
10.06 – Entrega das notas do segundo bimestre e
assinatura de ata.
17.06 – Substitutiva: aplicação, correção e entrega.
24.06 – Lançamento das notas no sistema.
Aula de hoje

História do rádio no mundo e no Brasil


Referência:

Cap1: Contextualização histórica.


JAVORSKI, Elaine. Radiojornalismo: do analógico ao digital. Curitiba: Intersaberes,
2017 (biblioteca virtual ceuma)

Complementar:

Periodização do rádio no Brasil. Luís Ferraretto (2011) 7


Rádio como experimento

1870 1888 1894 1901

INGLATERRA ALEMANHA ITÁLIA INGLATERRA

O FÍSICO JAMES MAXWELL HENRICH HERTZ COLOCA EM GUGLIELMO MARCONI REALIZA, O SISTEMA DE RADIODIFUSÃO
DEMONSTRA TEORICAMENTE A PRÁTICA E COMPROVA A TEORIA PELA PRIMEIRA VEZ, UMA DE MARCONI É PATENTEADO
PROPAGAÇÃO DE ONDAS DE MAXWELL COMUNICAÇÃO A DISTÂNCIA COM
ELETROMAGNETICAS NO ESPAÇO A TRANSMISSÃO DE ONDAS
ELETROMAGNÉTICAS

CANADÁ

1906 PRIMEIRA TRANSMISSÃO DE VOZ REALIZADA


UTILIZANDO A PROPAGAÇÃO DE ONDAS
8
ELETROMAGNÉTICAS
Outras possibilidades

1843 - No Brasil, o padre Roberto Landell Moura teria


realizado transmissões de mensagem a distância por
meio de telégrafo e do telefone sem fio.

9
Primeiras rádios
● Rádio KDKA, inaugurada em 1920, no Estados Unidos,
pertencente à Westinghouse, fornecedora dos aparelhos
receptores.
● Em três anos, já existiam mais de 500 emissoras licenciadas
no país (MEDISTCH, 2007)
● Empresas jornalísticas impulsionam a venda de seus
periódicos com a novidade do rádio ao produzir boletins
informativos.
● com a Segunda Guerra Mundial, o rádio torna-se um veículo
de utilidade pública ao levar a população notícias sobre a
guerra de modo mais imediato que os impressos.
10
Fases do rádio no Brasil

Implantação Difusão
(1930 - 1940)
(1920 - 1930)

Convergência Segmentação
(1990 - 2000)
(1950 - 1980)
Fase 1: Implantação
Características do rádio
❏ Modelo: rádio clube ou rádio sociedade
❏ Ouvinte: elite de alto poder aquisitivo para adquirir os aparelhos
importados e financiar as rádios
❏ Publicidade: não regulamentada, mas acontecia de forma rudimentar
com o anúncio simples de lojas e comércios locais.
❏ Patrocínio: os ouvintes eram assinantes e patrocinavam as rádios.
❏ Programação: elitista, voltada para o público ouvinte da época.
Implantação do rádio no Brasil

1919 1923
Teria sido inaugurada a
Rádio Clube Sociedade de Inauguração da Rádio
Pernambuco Sociedade do Rio de
Janeiro

Primeira transmissão oficial - realizada em 7 de setembro de 1922,


pela Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, como parte da programação
do Centenário da Independência. Na ocasião foi transmitido para 80
receptores, o discurso do presidente Epitácio Pessoa.
14
Rádio Sociedade do Rio de Janeiro
❏ Fundada por Edgar Roquete Pinto
❏ Seu objetivo inicial era ser uma rádio a
favor da educação no Brasil.
❏ Roquete Pinto é hoje considerado o pai do
rádio brasileiro.
❏ Era educador e queria transformar a
sociedade a partir do rádio.
❏ O slogan da rádio Sociedade carioca era:
“levar a cada canto um pouco de educação,
de ensino e de alegria”

15
Rádio Clube de Recife

A rádio teria sido fundada


em 1919, de forma
experimental, por Antônio
Joaquim Pereira, mas só
começou a irradiar
regularmente em 1923.
A rádio ainda em atividade,
hoje é conhecida como
Rádio Clube, operando
ainda na faixa AM.
Perfil do ouvinte

❏ Classe média/alta detentores dos


poucos receptores fornecidos
pela Westinghouse
❏ Assinantes da rádio - rádio clube
ou rádio sociedade
❏ Não havia regulamentação para
publicidade no novo meio

17
Programação

Composta, em sua maioria, pela execução de óperas


transmitidas ao vivo de teatros.
Não existia ainda a tecnologia de gravação e edição.
Priorizava o conceito de cultura e educação, mas
baseado no que a elite considerava cultura e educação.

18
Primórdios do radiojornalismo

❏ O radiojornalismo nasce com o rádio;


❏ O primeiros informativos eram leituras de notícias dos
impressos com comentários pessoais dos
apresentadores;
❏ Aos poucos o interesse do comércio local cresceu em
relação a esse tipo de conteúdo e alguns deles tinham
“patrocinadores” que eram anunciados antes ou
depois da atração. 19
Fase 2: Difusão
Expansão do rádio no Brasil

❏ Década de 30
❏ Governo Getúlio Vargas
❏ Regulamentação da publicidade radiofônica - 1932
❏ Crescimento da indústria e do comércio
❏ Barateamento do aparelho receptor

21
Rádio como unidade nacional
Em países subdesenvolvidos, o rádio é o meio que
contribui para os ideais de universalização e
identidade nacional.
No Brasil, esse aspecto só acontece, com o
período estabelecido da radiodifusão, a partir dos
anos 30.
A ascensão do rádio popular
Decreto de lei nº21.111 permite a inserção publicitária no rádio.
O governo (GV) define a radiodifusão como serviço de interesse
nacional e de finalidade educativa.
A indústria e o comércio passam a definir a programação
radiofônica.
A preocupação educativa foi preterida em face dos interesses
comerciais: desenvolvimento técnico, status da emissora e
popularidade.
Expansão do radiojornalismo no Brasil
O mesmo decreto nº 21.111/1932 tornou obrigatório
a inserção de programas noticiosos na grade de
programação das emissoras, com pelo menos 1 hora
de duração.
Assim, em 1938, foi criado o programa Hora do Brasil,
que em 1946, muda o nome para Voz do Brasil, sendo
veiculado em todo território nacional.

24
Rádio profissional
A profissionalização do rádio começa com a definição de
cargos e funções específicas para os funcionários.
Antes, um profissional exercia várias funções: redator,
contato, produtor, apresentador.
Mais funcionários produzem uma programação variada,
planejada para o grande público.
A linguagem deixa expressões menos usuais e se
populariza.
Era de ouro do rádio
❏ Popularização do rádio: mais rádios no país e mais
ouvintes;
❏ Profissionalização do rádio: investimento em
equipamento e pessoal;
❏ Programação focada no entretenimento (programas
musicais, radionovelas e humorísticos).

26
27
Era de ouro do rádio
❏ Contratação de artistas produtores que garantiam a
audiência e estabilidade da programação;
❏ Linguagem formal dá espaço a uma linguagem mais
coloquial;
❏ Fundação da Rádio Nacional em 1936 - transmitiu a
primeira radionovela (em busca da felicidade) e chegou a
transmitir 14 novelas/dia 28
29
Jornalismo popular
O rádio consolida-se como meio de informação e entretenimento.
Assume papel importante na vida política e econômica do país.
Em sua fase de ouro, anos 40, sua vertente jornalística ganha
ênfase com o Repórter Esso.
Popularidade do Repórter Esso
O programa era uma versão do original americano Your Esso Reporter
Transmitido no rádio, pela primeira vez, pela rádio Nacional em 1941.
Tinha como linha editorial as notícias internacionais dadas em primeira mão,
fornecidas por agências de notícias.
Desse modo, não ficava restrito aos jornais impressos locais.
Introduz a notícia como propaganda político-ideológica.
Demarca no rádio brasileiro a globalização das informações.
Repórter Esso (Rádio Nacional)
❏ Formato de radiojornal americano
❏ Patrocinado
❏ Veiculava notícias nacionais e
internacionais
❏ Sem vínculo com localidade
❏ 27 anos no ar
32
Fase 3: Segmentação
Surgimento da TV

❏ Fundada a TV Tupi, por Assis Chateubriand, em 1950


(SP).
❏ Rádio perde audiência e anunciantes para o novo meio
❏ Algumas rádios começam a fechar em função da crise
anunciada.
❏ Decadência da era de ouro

34
Retomada
● Transistor
● Portabilidade e mobilidade.
● Aparelhos menores, sem cabo de
energia
● Surgimento dos repórteres de
ruas, transmitindo notícias de
unidades móveis.
● Consumo individual.
Segmentação de conteúdo: AM e FM
A TV tomou para si os principais formatos da era de ouro do
rádio: novelas e programas de auditório.
O rádio passa a criar programas de utilidade pública. Notas e
boletins com informes locais: clima, achados e perdidos,
trânsito, notas sobre emprego, etc, o que reacendeu o
interesse da audiência.
Outras rádios dedicavam-se a veicular música em grande
parte de sua programação, os hits das telenovelas.
Segmentação de conteúdo: AM e FM

Criação da faixa FM (frequência modulada)


Até, os anos 60, todas as rádios operavam na mesma
faixa: AMPLITUDE MODULADA, que oferecia grande
alcance, porém com pouca qualidade do sinal.
A criação da FM oferece um alcance reduzido, mas
com grande qualidade do sinal nos receptores.
Segmentação de conteúdo: AM e FM

Características das FMS


Linguagem jovem e coloquial
Surgimento dos disque-joqueis (DJs)
Segmentação de público por faixa de horário nas rádios.
Segmentação em três tipos de conteúdo: jornalismo,
popular e musical
IMPLANTAÇÃO DIFUSÃO SEGMENTAÇÃO
Profissionalização do rádio;
Rádio como clube e Surgimento da TV;
Aumento do número de
sociedade; Decadência da era de ouro;
emissoras;
Hobby para a elite brasileira; Transistor;
Popularização dos
Programação fragmentada; FM-AM;
conteúdos;
Ao vivo. Segmentação de
Regulamentação da
conteúdo/público;
publicidade;
Utilidade pública.
Era de ouro.

Conceito de educação e cultura A partir dos anos 50, o rádio, no geral, muda
Quando o rádio passa a ser interessante sua abordagem tanto n a linguagem quanto
pautado no que a elite pensava;
comercialmente e há investida publicitária, o no conteúdo. Por se tornar móvel, sua
Radiojornalismo rudimentar - leitura de
conteúdo deixa de focar no público elitista e relação com o ouvinte fica mais íntima.
notícias do impresso acrescida de
passa a buscar uma audiência maior (massa) Então, os conteúdos buscam trazer
comentários do apresentador
para continuar sendo atrativo aos investidores. informação mais próxima da realizada do
audiência.
42

Você também pode gostar