Você está na página 1de 4

Exploração

APL Atividade de Projeto Laboratorial 1


Construção de uma pilha com determinada diferença de potencial elétrico

Objetivo geral: Conceber e fundamentar um percurso investigativo para dar resposta à questão-problema.

Nesta atividade de projeto laboratorial pretende-se dar resposta à seguinte questão-problema:

Como construir uma pilha com uma determinada diferença de potencial elétrico?

Sugestões metodológicas do Programa


1 – Organizar uma discussão com os alunos sobre tópicos centrais na temática em questão como, por exemplo:
■■
significados de pilha eletroquímica;
■■
processos corretos de manuseamento de produtos químicos/bioquímicos (uso de luvas; lavagem das mãos
e das unhas em profundidade após manuseamento).
2 – Os alunos devem selecionar previamente o par redox a utilizar, com base na diferença de potencial pretendida
(a partir de tabelas de potenciais-padrão de redução) e na análise da exequibilidade do seu uso
(nomeadamente, considerando o custo e a toxicidade dos reagentes e produtos).
3 – Para o desenvolvimento da atividade os alunos devem verificar a reprodução da diferença de potencial
prevista e testar o efeito da variação da concentração das soluções.
4 – Os alunos devem tentar obter uma relação empírica entre a concentração das soluções (quociente de reação)
e a diferença de potencial obtida. No final deverão comparar a relação observada com a equação de Nernst.
5 – A atividade poderá ser organizada de modo que os diferentes grupos de alunos controlem diferentes
variáveis.

Metas específicas a atingir com a APL


1 – Apresentar e discutir o percurso investigativo concebido.
2 – Executar o procedimento laboratorial proposto.

Exclusivo do Professor
3 – Discutir os resultados obtidos com base nas hipóteses de trabalho.
■■
Relacionar quantitativamente a força eletromotriz de uma célula eletroquímica, fora das condições-padrão,
com as concentrações dos reagentes e produtos e com a temperatura, usando a equação de Nernst.
■■
Selecionar um par redox que permita construir uma pilha, com diferença de potencial elétrico
predefinida, a partir de potenciais-padrão de redução.
■■
Ajustar a concentração das soluções usadas na construção da pilha para obter a diferença de potencial
elétrico predefinida, com base nas previsões fornecidas pela equação de Nernst.
■■
Medir a diferença de potencial elétrico nos terminais da pilha construída e comparar o valor obtido com o
valor previsto teoricamente, apontando causas de eventuais desfasamentos.
■■
Relacionar o esgotamento de uma pilha com o estado de equilíbrio do sistema.

1. Contextualize e preveja
EQ12-CLAB © Porto Editora

Apresentação e discussão do percurso investigativo a conceber


De forma a dar resposta à questão-problema, será necessário conceber um projeto de investigação, que deve
passar por várias etapas.

11  EP
Exploração das Atividades Laboratoriais

1.ª etapa

EQ12-CLAB © Porto Editora


Identificação e discussão sobre os tópicos centrais da temática em questão

1 Tendo em conta o “contexto teórico” em que se enquadra esta APL:


1.1. Enumere os tópicos centrais da temática em causa.
• Pilha galvânica: significado e constituição • Força eletromotriz: definição e cálculo
• Reações de oxidação-redução • Caracterização da pilha de Daniell
• Condições-padrão • Equação de Nernst
1.2. Elabore um pequeno texto/resumo que refira o elenco e definição dos conceitos a aplicar/reforçar ao
longo da implementação desta APL.
Uma pilha ou célula eletroquímica pode ser galvânica ou eletrolítica.
Uma reação de oxidação-redução é uma reação que acontece por transferência de eletrões entre as
espécies reagentes. Processo em que ocorre simultaneamente uma oxidação (perda de eletrões) e
uma redução (ganho de eletrões).
As reações de oxidação-redução tanto podem gerar corrente elétrica como serem iniciadas por uma
corrente elétrica. Esta última recebe o nome especial de eletrólise e a primeira é responsável pelos
dispositivos conhecidos por pilhas, baterias e acumuladores.
Uma reação redox é estabelecida estando o oxidante (espécie que aceita eletrões) e o redutor (espécie
que cede eletrões) separados em compartimentos diferentes, de modo que o redutor seja obrigado a
ceder os seus eletrões através de um fio ou circuito externo.
Uma pilha ou célula galvânica é um dispositivo em que é produzida corrente elétrica a partir de uma
reação de oxidação-redução espontânea. É constituída por:
– um recipiente, onde se encontra um metal (denominado ânodo ou elétrodo negativo), mergulhado
numa solução aquosa de um composto iónico que contém catiões desse metal, onde ocorre a
semirreação de oxidação que fornece os eletrões que irão transitar pelo fio externo no sentido da
chapa de outro metal;
– um recipiente onde se encontra um outro metal (denominado cátodo ou elétrodo positivo),
mergulhado numa solução de um composto iónico que contém catiões desse metal, onde ocorre a
semirreação de redução.
Consegue-se, assim, um fluxo de eletrões, através do fio externo, do ânodo para o cátodo.
A força eletromotriz (f.e.m.) de uma célula (ou tensão da célula) é a diferença de potencial elétrico
entre os dois elétrodos, medida num voltímetro.
A célula galvânica é ainda constituída por uma ponte salina (tubo em “U” invertido, fechado nas suas
Exclusivo do Professor

extremidades com tampões porosos, contendo um gel de ágar-ágar saturado com um sal - ex.: ​NaCℓ​).
A diferença de potencial de uma pilha (célula galvânica) depende da temperatura, da natureza dos
elétrodos e da concentração dos iões envolvidos na reação.
Uma pilha galvânica constituída por um elétrodo de zinco (ânodo) e outro de cobre (cátodo) também é
− 3
designada por pilha de Daniell se as soluções tiverem uma concentração de ​1,0 ​mol dm​ ​e a f.e.m.
for de ​+ 1,10 V​, à temperatura de ​25 °C​.
A f.e.m. de uma pilha, nas condições-padrão ​​(Δ​E​ °p ilha​ )​​, é igual à diferença entre ​E​ °oxidante   ​ 
e ​E​ °redutor
  ​  .
Para a pilha de Daniell: ​Δ​E​ °p ilha​  = ​E​ °oxidante
   − ​E​ °redutor
​    ​    ​  = + 0,34 − ​(− 0,76)​ ⇔ Δ​E​ °pilha
 ⇔ Δ​E​ °pilha   ​  = + 1,10 V​
Para concentrações dos eletrólitos diferentes dos valores-padrão, deve usar-se, na determinação
da f.e.m., a equação de Nernst:
ɛo​ – f.e.m. calculada em condições-padrão
0,0592 ​ɛ​– f.e.m. calculada para qualquer concentração
​ε = ​ε​ °​ − ​ ______
   ​ log Q​

n ​Q​ – quociente da reação
​n​ – n.º de eletrões envolvidos na reação
1.3. Apresente ao grupo-turma e ao(à) professor(a) as respostas às questões 1.1 e 1.2 e discuta com os
restantes colegas e professor(a) sobre a pertinência e correção das mesmas. Complete e corrija, se
necessário, as respostas dadas às questões.

EP 12
APL Atividade de Projeto Laboratorial 1

2.ª etapa
Elenco de previsões e variáveis a controlar

2 Tendo em conta a identificação do referencial teórico apresentado e discutido na 1.ª etapa:


2.1. Defina subquestões relacionadas com a questão-problema, que servirão, de uma forma mais
específica, de guia à sua investigação.
Como construir uma pilha de Daniell? Qual o valor da f.e.m. desta pilha?
Voltímetro
2.2. Faça previsões sobre a resposta à questão-problema.
De acordo com a investigação feita, e que constitui o
referencial teórico desta APL, para responder à
questão‑problema teremos de realizar a atividade de acordo Cátodo NaCℓ + H20 Ânodo
Cu Zn
com o esquema de montagem ao lado. + –
Ponte salina
O valor da f.e.m. desta pilha, obtido experimentalmente,
deverá ser próximo de ​+ 1,10 V​.
2.3. Identifique as variáveis a controlar:
• Concentração das soluções
• Natureza dos elétrodos
• Temperatura
Algodão
CuSO4+ H2O ZnSO4 + H2O

3.ª etapa Figura 1 – Esquema da pilha de Daniell.

Elaboração e discussão do procedimento experimental

3 Com base nas previsões efetuadas e na identificação das variáveis a controlar:


3.1. Sugira um procedimento experimental que permita testar as previsões, referindo o material necessário.
Material e reagentes
– 2 copos de plástico – Lixa – Termómetro
– Tubo de plástico – Voltímetro – Soluções aquosas:
– Lâmina de zinco – Caixa de Petri • Sulfato de cobre(II), ​​CuSO​4​​​, ​1,0 mol/L​

– Lâmina de cobre – Vareta de vidro • Sulfato de zinco, ​​ZnSO​4​​​, ​1,0 mol/L​ e ​0,5 mol/L​

– Par de fios ligados a crocodilos – Algodão • Cloreto de sódio, ​NaCℓ​, ​1,0 mol/L​

Procedimento experimental

Exclusivo do Professor
1. Colocar a solução de ​​CuSO​4​​​de ​1,0 mol/L​num copo de
plástico e a solução de ​​ZnSO​4​​​de ​1,0 mol/L​no outro copo.
2. Para a preparação da ponte salina, colocar a solução
de NaC​ℓ​no tubo de plástico.
3. Colocar algodão embebido na solução de ​NaCℓ​ nas
extremidades do tubo de plástico.
4. Introduzir uma extremidade da ponte salina no copo
que contém a solução de ​​CuSO​4​​​e a outra extremidade
no copo que contém a solução de ​​ZnSO​4​​​. Figura 2 – Montagem experimental.
5. Lixar cuidadosamente as lâminas de zinco e cobre, removendo impurezas e óxidos das suas superfícies.
6. Lavar as lâminas com água destilada e colocar a lâmina de cobre no copo com a solução de sulfato
de cobre(II). Colocar a lâmina de zinco no copo que contém a solução de sulfato de zinco.
7. Colocar um fio com o crocodilo na lâmina de zinco e outro na lâmina de cobre.
8. Ligar cada um dos fios ao voltímetro.
9. Esperar algum tempo e registar a leitura efetuada no voltímetro.
EQ12-CLAB © Porto Editora

10. Registar a temperatura das soluções em cada copo.


11. Repetir todas as etapas do procedimento utilizando uma solução de Z ​ nS​O4​ ​​​ de 0,5 mol/L.
3.2. Discuta a sua proposta com o grupo-turma e com o(a) professor(a) e altere-a/adapte-a, se necessário.

13  EP
Exploração das Atividades Laboratoriais

2. Observe e conclua
Execução do procedimento laboratorial proposto, registo de dados, tratamentos de resultados e conclusões

EQ12-CLAB © Porto Editora


Depois de validada e, se for o caso, adaptada a sua proposta de procedimento:

1 Execute a atividade atendendo ao correto manuseamento do material e reagentes e ao cumprimento das


regras de segurança.

2 Elabore uma tabela que permita o registo de dados


de forma organizada. Temperatura (°C) Diferença de potencial (V)
22,8 ​+ 0,94​
3 Preencha a tabela com os dados recolhidos.

4 Efetue os cálculos que julgar convenientes.


– Cálculo do valor teórico da f.e.m. da pilha nas condições-padrão (​​ Δ​E​ °p ilha)​ ​​
​Δ​E​ °p ilha​  = ​E​ °oxidante
   − ​E​ °redutor
​    ​    ​  = + 0,34 − ​(− 0,76)​ ⇔ Δ​E​ °pilha
 ⇔ Δ​E​ °pilha   ​  = + 1,10 V​
– Determinação do erro percentual
|   
      
|
​  ​valor​tabelado​ − ​valor​experimental​  ​
​%​erro​ = ​______________
​ | 1,10 − 0,94 | ​
​ × 100 = ​ _______  
  ​ × 100 = 14%​

​valor​tabelado​ 1,10
– Cálculo do valor da f.e.m. da pilha construída em condições-padrão e noutras condições

Condições-padrão: Noutras condições:


0,0592 0,0592
​ε = ​ε​ °​ − ​ ______
   

​ log Q ​ε = ​ε​ °​ − ​ ______
   

​ log Q
n n
​ [​Zn​2+​] ​ = ​ [​Cu​ ​] ​ = 1,0 mol/L
2+
​ [​Zn​2+​] ​ = 0,5 mol/L  e  ​ [​Cu​ ​] ​ = 1,0 mol/L
2+

0,0592 ​ [​Zn​ ​] ​


2+
ε = 1,10 − ​ ______    ​ log ​ ______
    =
 ​   0,0592 ​ [​Zn​2+​] ​
2 ​ [​Cu​ ​] ​
2+
ε = 1,10 − ​ ______
   ​ log ​ ______
    = 
 ​  
2 ​ [​Cu​ ​] ​
2+
0,0592 1,0
= 1,10 − ​ ______
    ​ log ​ ___  ​ = + 1,10 V​
  0,0592 0,5
2 1,0 = 1,10 − ​ ______ ​ log ​ ___  ​ = + 1,11 V​
   

2 1,0
5 Apresente as suas conclusões.
A construção da pilha de Daniell permitiu compreender melhor o mecanismo que gera corrente elétrica
neste tipo de pilha.
O valor da f.e.m. obtido experimentalmente para a pilha de Daniell construída foi de +
​ 0,94 V​.
Exclusivo do Professor

Este valor não se afasta de forma muito significativa do valor tabelado, calculado tendo em conta os
potenciais-padrão de redução obtidos em condições-padrão ​​(% erro = 14%)​​.
O esgotamento da pilha ocorre com o estado de equilíbrio do sistema.

3. Explique e reflita
Reflexões e comunicação de resultados
Após o registo de dados, tratamento de resultados e conclusões:

1 Confronte as suas previsões com os resultados obtidos.


Os resultados obtidos não se afastam de forma significativa das previsões efetuadas antes da realização da APL.
A diferença de valores pode ser justificada pela alteração de temperatura ou alguma sujidade existente nas
lâminas de cobre e/ou zinco.

2 Sugira propostas fundamentadas de melhoria/alterações do procedimento de forma a obter resultados


mais concordantes com os esperados.
Limpar as lâminas de cobre com ácido clorídrico.

3 Apresente e discuta as suas conclusões e reflexões com o grupo-turma.

EP 14

Você também pode gostar