Você está na página 1de 68

CONCURSO PETROBRAS

E NGENHEIRO ( A ) DE E QUIPAMENTOS J ÚNIOR - E LETRÔNICA


E NGENHEIRO ( A ) DE E QUIPAMENTOS J ÚNIOR - E LÉTRICA
E NGENHEIRO ( A ) J ÚNIOR - Á REA : AUTOMAÇÃO
E NGENHEIRO ( A ) J ÚNIOR - Á REA : E LÉTRICA

T
Circuitos Elétricos
AF
Questões Resolvidas

Q UESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO


R
D

Eng. Roni G. Rigoni


www.ExatasConcursos.com.br
Introdução

Recomendamos que o candidato primeiro estude a teoria referente a este assunto, e só depois
utilize esta apostila. Recomendamos também que o candidato primeiro tente resolver cada questão,

T
sem olhar a resolução, e só depois observe como nós a resolvemos. Deste modo acreditamos que este
material será de muito bom proveito.

Não será dado nenhum tipo de assistência pós-venda para compradores deste material, ou
seja, qualquer dúvida referente às resoluções deve ser sanada por iniciativa própria do comprador, seja
AF
consultando docentes da área ou a bibliografia. Apenas serão considerados casos em que o leitor
encontrar algum erro (conceitual ou de digitação) e desejar informar ao autor tal erro a fim de ser
corrigido.

O autor deste material não tem nenhum tipo de vínculo com a empresa CESGRANRIO, e as
resoluções aqui apresentadas são de autoria exclusiva de Roni Gabriel Rigoni, formado pela Univer-
sidade Federal de Santa Catarina e atualmente Engenheiro de Automação da Petrobras Transportes -
Transpetro.
R

Este material é de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por
quaisquer meios e a qualquer título, a sua reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se
o infrator à responsabilização civil e criminal.

Faça um bom uso do material, e que ele possa ser muito útil na conquista da sua vaga.
D
Índice de Questões

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Petrobras 2012/1

Q41 (pág. 21), Q42 (pág. 64), Q43 (pág. 33).

T
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Petrobras 2011

Q44 (pág. 62), Q47 (pág. 51), Q63 (pág. 63).


AF
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Petrobras 2010/2

Q47 (pág. 23), Q48 (pág. 53), Q50 (pág. 2).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Petrobras 2010/1

36 (pág. 38), 37 (pág. 39).

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Automação - Transpetro 2012

Q32 (pág. 29), Q67 (pág. 30).


R

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Automação - Transpetro 2011

Q37 (pág. 19), Q39 (pág. 28).

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Automação - Transpetro 2008


D

Q29 (pág. 1), Q30 (pág. 31).

Prova: Engenheiro(a) Júnior - Área: Automação - Transpetro 2006

Q26 (pág. 54), Q27 (pág. 34), Q28 (pág. 36).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Termoaçu 2008/1

Q27 (pág. 41).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Eletrônica - Refap 2007

Q24 (pág. 42).

Prova: Engenheiro(a) de Termelétrica Júnior - Eletrônica - Termoceará 2009

Q26 (pág. 27), Q29 (pág. 12), Q30 (pág. 13).


CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br

Prova: Engenheiro(a) - Eletrônica - Eletrobras Eletronuclear 2010

Q29 (pág. 55), Q30 (pág. 47), Q31 (pág. 47), Q33 (pág. 56), Q34 (pág. 57),
Q35 (pág. 58), Q48 (pág. 60).

Prova: Profissional Júnior - Formação: Engenharia Eletrônica - BR Distribuidora 2008

Q33 (pág. 14), Q34 (pág. 16), Q35 (pág. 49).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Eletrônica - Petrobras 2006

Q24 (pág. 25).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Elétrica - Petrobras 2010/2

Q23 (pág. 44), Q26 (pág. 46), Q29 (pág. 3), Q39 (pág. 4).

Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Júnior - Elétrica - Petrobras 2010/1

Q24 (pág. 6), Q25 (pág. 50), Q28 (pág. 8), Q29 (pág. 8), Q30 (pág. 10).

T
Prova: Engenheiro(a) de Equipamentos Pleno - Elétrica - Petrobras 2005

Q23 (pág. 18).


AF
Número total de questões resolvidas nesta apostila: 46
R
D

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
Vi
VL VD
L D
A

0
Vi S C R Vo t
toff ton

Figura 1 Figura 2

O circuito da Figura 1 é um conversor CC-CC denominado

Circuitos Elétricos
Boost, alimentado por uma tensão Vi em volts, cuja forma de
onda é apresentada na Figura 2. Considerando o seu funcio-
namento em regime permanente, é correto afirmar que
(A) quando a chave S está aberta, o capacitor é o elemento

KS
responsável por suprir a corrente da carga.

N
(B) quando a chave S está fechada, o diodo D conduz.

3Y
(C) a tensão média no indutor é igual a A.
AD
(D) a tensão média de saída Vo, em Volts, é igual a ,

J7
1.1 Circuitos t CC Resistivos
on
1-D
onde D=
.
T

R
A
(E) a tensão média de saída Vo, em Volts, é igual a ,
1-D

4T
Questão 1 t
onde(Eng.
D= on .de Automação Jr - Transpetro 2008)
T

T6
29
R
X
KS
-
+ 3E
E + +
- R Vxy
N

a apresenta um circuito ativo, utilizado na


de compensadores de primeira ordem de atraso R -
3Y

vanço de fase. O amplificador operacional do


r considerado como ideal. Para que o pólo da Y
J7

erência do compensador esteja localizado em A expressão da tensão Vxy do Equivalente Thevenin entre
ência de R, em , deverá ser os pontos X e Y do circuito da figura acima é
R

(B) 1,0
(D) 5,0 E E 2E E
4T

(A) (B) 2E (C) (D) - (E) -


4 3 3 2
T6

8
JÚNIOR - ÁREA: AUTOMAÇÃO
KS

Resolução:
www.pciconcursos.com.br
Aplicando a Lei dos Nós no nó X temos:
N
3Y
J7

VXY VXY + 3E E − VXY


+ =
R

R R R
4T

VXY + VXY + 3E = E − VXY


T6

3VXY = −2E
2E
VXY = −
3
 
Alternativa (D) 

dos estão na tabela abaixo. i
rando o funcionamento do circuito em regime permanen-
ia PR PRL te, o valor médio da tensão de saída Vo, em volts, é
12 mW 8 mW (A) −37,5
(B) −22,5
48 mW CIRCUITOS
18 mW ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 2
(C) 3,75
dados acima apresentados, os valores de (D) 22,5
spectivamente, (E) 37,5
Questão 2
(B) 3 kΩ e 6 V (Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2010/2)
(D) 3 kΩ e 4 V 50
V

KS
N
igura acima, o resistor dissipará a potência

3Y
No circuito apresentado na figura acima, a fonte V2 é uma
o a frequência ω do sinal da fonte de cor-
em rad/s, for fonte de tensão controlada por tensão, cujo valor é 2V1 e

J7
onde V1 é a diferença de potencial aplicada ao resistor de
contínua) (B) 2 Ω. Para esse circuito, o valor da corrente I, em função

R
da tensão V, é

4T
(A) −3V
(D) 2V

T6
(D) (B) −2V
(E) 3V
KS
(C)
N
3Y

Resolução:
J7

Fechando a malha externa temos:


R

13 ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR


4T

ELETRÔNICA
V + V2 − V1 = 0
T6

V + 2V1 − V1 = 0
V1 = −V
KS

Pela Lei dos Nós vemos que a corrente I é igual a soma da corrente que passa
N

pelo resistor de 1Ω com a corrente que passa pelo resistor de 2Ω, ou seja:
3Y
J7

I = I1 + I2
V1 V1
R

I= +
1 2
4T

V V
I=− −
T6

1 2
3
I=− V
2
 
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
ra acima, composto por iumasc
fonte simétrica e uma carga 33
desequilibrada, a(s) Em uma linha de transmissão, ocorr
Circuito
(A) potência
A aparente total é a soma das potências apa- rente é definida por
rentes das três impedâncias.
(B) tensão de deslocamento de neutro (VNN’) é igual a
CIRCUITOS ELÉTRICOS zero. dewww.ExatasConcursos.com.br
isc = corrente curto-circuito 3
(C) soma das correntes nas três impedâncias é diferente
de zero. • V1(F) é sua tensão de sequência p
Com isso teremosem cada impedância são iguais.
(D) correntes
Questão 3 • , e são as impe
(Eng. de(E) tensões VAN eJr
Equipamentos VA’N’ são iguais.
Elétrica - Petrobras 2010/2)
i = i1 + isc cias: zero, positiva e negativa, resp
29
Um circuito
aplicando equivalente de Norton é composto por uma
a super-posição A esse respeito, afirma-se que se tra
fonte de corrente de 20 A, em paralelo com um resistor de (A) trifásica.
2 Ω. Ov seu equivalente de Thévenin é um circuito compos- (B) entre duas fases.
i1 =to-por uma fonte de (C) entre fase e terra.
Rth (D) entre duas fases e terra.
(A) corrente de 10 A, em série com um resistor de 1 Ω.
(B) corrente de 10 A, em paralelo com um resistor de 1 Ω. (E) entre as três fases e terra.
(C)vtensão de 40 V, em paralelo com um resistor de 2 Ω.
- tensão
i = (D) + iscde 40 V, em série com um resistor de 10 Ω. 34
Rth Em um sistema elétrico do tipo estre
(E) tensão de 40 V, em série com um resistor de 2 Ω.

KS
brado a quatro fios, existe uma corr
30em ab exista um circuito aberto
Caso nida por . Sabe-se que essa corre
decomposta por seus componentes s

N
A respeito de um transformador considerado ideal, afir-
i =ma-se que v = Rth . isc cias zero, positiva e negativa, definid

3Y
0
Resolução: (A) a corrente de Foucault mantém-se constante em rela- por , e . A expressão que rel
ção à variação do número de espiras. neutro com seus componentes simé
r r r

J7
A figura abaixo
(B) mostra
a relutânciaa tensão
voc = correspondência
do núcleo abertoentre os circuitos equivalentes
é infinita.
de circuito (A) IN = 3( I0+ I1)de
(C) o fluxo de dispersão é grande.

R
Thévenin e Norton:(D) o núcleo tem permeabilidade infinita. (B)

4T
Com isso os equivalentes de Thevenin e Norton podem ser montados (C)
:
(E) as correntes elétricas são iguais nos lados primário e
secundário.
i Rth i (D)

T6
(E)
31 + a + a
Um motor de indução de 6 polos e 60 Hz apresenta veloci- 35
dade +do campo magnético girante,
IN em rpm, igual a Rth
KS
Em um sistema elétrico, composto p
VTH
(A) 1.200
- mador de 500 kVA, foi adotada com
- b
(B) 1.400 400 kVA. A potência desse transform
N

- b
(C) 1.600 (A) 0,80 (B) 0
3Y

(D) 1.800 (C) 0,95 (D) 1


(E) 2.000 Thevenin Norton (E) 1,25
J7

8
R

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR


Como pode ser visto, a resistência de Thévenin é igual à resistência de
ELÉTRICA
4T

Norton, logo:
T6

RT H = RN = 2Ω
KS

A tensão de Thévenin (VT H ) é obtida por uma simples transformação de


fonte:
N
3Y

VT H = RT H × IN
J7

VT H = 2 × 20
R

VT H = 40V
4T
T6

E como pode ser visto na figura, no equivalente de Thévenin RT H e VT H


estão em série.

 
Alternativa (E) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 4

39
Questão 4
(Eng. de Equipamentos Jr Elétrica - Petrobras 2010/2)

informações a seguir para responder às


os
36 e 37.

KS
gura acima apresenta o modelo equivalente
m motor de indução trifásico 440 V, 60 Hz,

N
o em Y. Os parâmetros desse motor, em
esentados a seguir.

3Y
J7
x1 = 0,40; r2 = 0,15; x2 = 0,20; xϕ = 15

R
com um escorregamento de 4%, deman-

4T
uma corrente de 20 A, com fator de po-
ssas condições de funcionamento, as per- A resistência equivalente do circuito representado acima,

T6
o estator do motor, em W, são entre os pontos A e B, em ohms, é, aproximadamente,
(A) 1,5
(B) 1,6
KS
(C) 1,8
(D) 2,0
(E) 2,1
N
3Y

40
que e que as perdas totais por atrito, Um motor síncrono trifásico, de polos salientes, está co-
J7

e no ferro do motor somam 150Resolução:


W, inde- nectado a um barramento infinito. As reatâncias síncronas
ua rotação e carga, a potência de saída do
de eixo direto e de quadratura por fase valem, respectiva-
R

s, é, aproximadamente, Como este circuito apresenta uma fonte controlada, o procedimento padrão
mente, xd = 2 Ω e xq = 1,8 Ω. Sabe-se que a tensão induzida
4T

para encontrarmosnoamotor e a tensão do


resistência barramento infinito,
equivalente por fase, valem
de Thévenin RT H não funcionará.
T6

1.500 V e 1.450 V, respectivamente. O valor máximo da


Uma maneira de contornar este problema é colocarmos uma fonte de tensão Vf
potência de conjugado da relutância do motor, em W, é,
qualquer entre os terminais A e B, encontrarmos o valor da corrente IN que então
aproximadamente,
KS

(A) 12.600
passará por esta fonte,
(B)
para
48.300
termos RT H dado por:
ado em Y aterrado possui, em pu, as se-
(C) 58.400
N

cias: Vf
(D) V572.200
f = RT H × IN → RT H =
3Y

positiva: j 0,30; (E) 1.087.500 IN


negativa: j 0,20;
Ou seja, escolhendo arbitrariamente Vf = 1V , e transformando a fonte de corrente
J7

zero: j 0,15;
to do gerador: j 0,05.
em fonte de tensão para simplificar, teremos o seguinte circuito:
I

I I
R

ocorrência de uma falta fase terra, o ge-


4T

va-se operando em vazio, com sua tensão VX + -


as condições de operação, o módulo da I
T6

nsitória, na fase da falta, em pu, é


+
IN 1V
-

9
Agora nossa missão é encontrar o valor da
ENGENHEIRO(A) DE corrente IN que
EQUIPAMENTOS passa pela fonte. Para
JÚNIOR
ELÉTRICA

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 5

tal aplicaremos a Lei dos Nós no nó X (cuja tensão está representada na figura por
VX ), resultando em:
VX VX − 3V0 − V0
IN = +
1 1
IN = 2VX − 4V0 (1.1)

Porém podemos achar VX em função de IN fechando a malha de tensão da es-


querda:

KS
N
1 − 1 × IN − VX = 0

3Y
VX = 1 − IN (1.2)

J7
E conseguimos deixar V0 em função de IN e VX fechando a malha de tensão

R
4T
da direita:

T6
VX
VX − 3V0 − (1 + 1) × (IN − )=0
1
3VX − 3V0 − 2IN = 0
KS
3VX − 2IN
V0 = (1.3)
N

3
3Y

Agora substituimos 1.2 e 1.3 em 1.1:


J7

IN = 2VX − 4V0
R
4T

3VX − 2IN
IN = 2VX − 4 ×
3
T6

3IN = 6VX − 12VX + 8IN


5IN = 6VX
KS

5IN = 6(1 − IN )
N

6
3Y

IN = A
11
J7
R
4T

Agora finalmente podemos encontrar o valor de RT H :


T6

Vf 1 11
RT H = = 6 = ≈ 1, 8Ω
IN 11
6
 
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
(B) 6,25 (B) o motor, quando alimentado por uma fonte CA, inicia o
(D) 25,00 movimento em uma velocidade proporcional à
frequência da fonte.
(C) os polos da armadura, juntamente com o ímã, provocam
a repulsão magnética somente na partida do motor.
CIRCUITOS ELÉTRICOS (D) os polos www.ExatasConcursos.com.br
da armadura em conjunto com o comutador 6
validam a possibilidade de o motor ser alimentado por
Curva Amperiana uma fonte CC.
(E) se o enrolamento for alimentado por uma fonte CC, a
Questão 5
+

3A máquina iniciaráJroElétrica
sentido do (Eng. de Equipamentos movimento em qualquer
- Petrobras situação.
2010/1)
percurso 24
7A
+

8A 44 W 60 W
+

1A E agora que a fonte v seja morta


5A isc
+
Circuito
10 V A
Legenda: X
_
corrente sainda
saindo da página 80 W
corrente
corrente entrando
entrando na
da página
página Y
isc = corrente de curto-circuito
+

20 W
apresenta uma curva amperiana que englo-

KS
res, cujas correntes encontram-se indicadas Com isso teremos

N
s condutores. Considerando o sentido de Uma carga resistiva
i = i1 +deve
isc ser colocada entre os pontos X e
amperiana indicado na figura e mo a Y do circuito da figura acima. A eficiência de operação de

3Y
ur r um circuito ouaplicando
de um sistema elétrico é medida pela rela-
magnética do meio, o valor de ò Bdl , em a super-posição
ção percentual entre a potência dissipada pela carga e a

J7
potência fornecida pela v fonte. Assim, para que este circui-
1= -
to opere com ieficiência operacional de 80%, a resistência

R
da carga, em ohms, Rth deve ser de

4T
(A) 250 (B) 180
(C) 120 v (D) 100

T6
(E) 60 i=- + isc
Rth
KS
7 Caso em ab exista um circuito aberto
Resolução: ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR
i = 0 v = Rth . i ELÉTRICA
N

sc
Chamaremos a carga resistiva a ser colocada entre os terminais X e Y
3Y

de RL . Se simplificarmos o circuito para um equivalente de Thévenin teremos o


voc = tensão de circuito aberto

__
J7

seguinte:
R

Com isso os equivalentes de Thevenin e Norton podem ser montados :


4T

i Rth
X
T6

+ a

VTH
+

_ RL
IN Rth
KS

- - b

Y
N

Thevenin Norton
3Y

Se chamarmos a potência fornecida pela fonte de PF e a potência consum-


J7

ida pela carga resistiva de PC , uma eficiência operacional de 80% significa que:
R

PC
4T

= 0, 8
PF
T6

RL i2
= 0, 8
VT H i
RL i = 0, 8VT H
VT H
RL × = 0, 8VT H
RL + RT H

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
Eixo

Armadura Enrolamento
= 2,5 T

ÍMÃ
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 7

O esquema acima representa um motor elementar. O prin-


gura acima apresenta uma espira retangular fechada de cípio de funcionamento dessa máquina está calcado na
repulsão dos polos da armadura pelos do ímã permanente.
o L, que inicia um movimento de queda livre no limiar das
A respeito dessa máquina, afirma-se que
as de fluxo de um campo magnético B de 2,5 T. Desprezan-
(A) o motor somente pode iniciar o movimento se for
a resistência do ar e adotando a aceleração da gravidade g
al a 10 m/s2, o fluxo na espira para t = 2 s, em Wb, é alimentadoR por = 0,fonte
L uma 8(RCA.
L + RT H )
5,00 (B) 6,25 (B) o motor, quando alimentado por uma fonte CA, inicia o
12,50 (D) 25,00 0, 2RLem=uma
movimento 0, 8R
velocidade proporcional à
TH
30,00 frequência da fonte.
(C) os polos da armadura, juntamente com o ímã, provocam
RL = 4R
a repulsão magnética T H na partida do motor.
somente
(D) os polos da armadura em conjunto com o comutador
validam a possibilidade de o motor ser alimentado por
Curva Amperiana
Agora só precisamos encontrar
uma fonte CC. RT H que então teremos RL . Curto-
(E) se o enrolamento for alimentado por uma fonte CC, a
+

3A circuitando a fonte de tensão


máquinateremos o seguinte
iniciará o movimento circuito:
em qualquer situação.

KS
sentido do
percurso 24
2A 7A
+

8A 44 W 60 W

N
+

1A 5A

3Y
Legenda: X

J7
corrente sainda
saindo da página 80 W

R
corrente
corrente entrando
entrando na
da página
página Y
+

20 W

4T
gura acima apresenta uma curva amperiana que englo-
seis condutores, cujas correntes encontram-se indicadas

T6
lado desses condutores. Considerando o sentido de Uma carga resistiva deve ser colocada entre os pontos X e
rcurso da amperiana indicado na figura e mo a Y do circuito da figura acima. A eficiência de operação de
Onde ur r a resistência
R T H será
ò Bdl
um circuitoequivalente
ou de um sistema entre
elétricoos terminar
é medida Xe
pela rela- Y:
KS
meabilidade magnética do meio, o valor de , em ção percentual entre a potência dissipada pela carga e a
m, é potência fornecida pela fonte. Assim, para que este circui-
- 2 mo RTcom
to opere H = 60//(44
eficiência + 80//20)
operacional de 80%, a resistência
N

- mo da carga, em ohms, deve ser de 


180× 20
(B) 80
3Y

mo (A) 250
2 mo
RT H = 60// 44 +(D) 100
(C) 120
3 mo (E) 60
(80 + 20)
J7

RT H = 60//(44 + 16)
R

7 RT H ENGENHEIRO(A)
= 30Ω
4T

DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR
ELÉTRICA
T6

Portanto:
KS

RL = 4RT H
RL = 4 × 30
N
3Y

RL = 120Ω
J7

 
Alternativa (C) 

R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 8

Questão 6
(Eng. de Equipamentos Jr Elétrica - Petrobras 2010/1)

40 W

80 W 80 W

X 50 W Z

30 W 10 W
+ 10 W +

KS
12 V Y W 7V
_ _
7,5 W 10 W

N
3Y
J7
Parte 1
A figura ilustra um circuito elétrico resistivo, alimentado por

R
duas fontes CC, funcionando em regime permanente.

4T
Considerando VX, VY e VW, respectivamente, as tensões

T6
nos nós X, Y e W, então a equação que poderá ser deter-
minada a partir do nó Y é
(A) 8 VY = VX + 3 VW
KS
(B) 5 VY = 2 VX + 6 VW
(C) 4VY = 3 VX + 2 VW
N

(D) 3VY = 4 VX + 8 VW
3Y

(E) VY = 8 VX + 3 VW
J7
R

Resolução:
4T

Aplicando a Lei dos Nós no nó Y temos:


T6

VX − VY VY − VW VY
= +
30 10 7, 5
KS

VX − VY = 3(VY − VW ) + 4VY
N

8VY = VX + 3VW
3Y

 
J7

Alternativa (A) 

R
4T
T6

Parte 2
O valor absoluto da tensão e a resistência do equivalente
de Thevenin entre os nós Y e W são, respectivamente,
(A) VTH = 4,2 V e RTH = 28 W
(B) VTH = 4,2 V e RTH = 64 W
(C) VTH = 6,1 V e RTH = 51 W
(D) VTH = 6,1 V e RTH = 81 W
(E) VTH = 8,5 V e RTH = 17 W

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 9

Resolução:

Primeiramente abrimos o circuito entre os pontos Y e W, então para achar-


Considere a figura e os dados abaixo para responder
os
às questões de n as
mos RT H devemos curto-circuitar 28 a fontes
30. de tensão. Resultando no seguinte
R partida
0,2 W
circuito: B
t=0 X X X X X
i (t)
e + 0,5 m R
V = 200 V ind X Z
-

X X X X X 30 W 10 W

KS
Y W
B = vetor densidade de fluxo magnético

N
eind = tensão induzida na barra
7,5 W 10 W

3Y
ura acima ilustra o esquema de funcionamento de uma
uina linear ideal, consistindo de uma bateria com ten-

J7
de 200 V e resistência interna de 0,2 W, conectada
vés de uma barra condutora sobre um par de trilhos

R
atrito. Essa barra inicia o deslizamento sobre o par de A figura ilustra um circuito elétrico resistivo, alimentado por
os quando a chave é fechada em t = 0. Adicionalmente,
Veja que transformamos a malha
duas fontes superior
CC, funcionando em do circuito
regime em apenas um
permanente. resistor R,

4T
ongo dos trilhos, existe um campo magnético constante
Considerando V , V e V , respectivamente, as tensões 28
densidade uniforme, cujas para linhas de fluxo são
simplificar. O valor de R então X Y
é dado
W
por:

T6
endicularmente cortadas pela barra. Para limitar a nos nós X, Y e W, então a equação que poderá ser deter-
ente de partida, uma resistência Rpartida pode ser minada a partir do nó Y é
rida a fim de prevenir a ocorrência de danos à máquina (A) 8 VY = VR X
+=3 V(80
W
+ 40 + 80)//50
nte sua inicialização.
KS
(B) 5 VY = 2 VX + 6200 VW × 50
l o valor da Rpartida a ser inserida, para que a corrente
reduzida a 1/5 do valor anterior? (C) 4VY = 3 R VX +=2 VW
200 + 50
N

0,2 (B) 0,5 (D) 3VY = 4 VX + 8 VW


0,8 (D) 5,5 (E) VY = 8 VR +=3 V40Ω
3Y

X W
10
J7

Agora que conhecemos R fica fácil encontrar a resistência equivalente entre os


5W jXLW
terminais Y e W, que corresponde a RT H :
R

29
O valor absoluto da tensão e a resistência do equivalente
4T

+
+ de Thevenin
RT H = entre
(7,os5//30)
nós Y e W
+são,
R+ respectivamente,
(10//10)
VE _ j2 W
10 W VS (A) VTH = 4,2 V e RTH = 28 W
T6

_
_ (B) VR
7, 5 × 30
= 4,2 V e RTH = 64 W
TH T H = + 40 + 5
(C) VTH = 6,1 V 7,
e R 51 W
5TH+= 30
(D) VTH = 6,1 V e RTH = 81 W
KS

Dado: tg(80,2°) @ 5,8 RT H = 6 + 40 + 5


(E) VTH = 8,5 V e RTH = 17 W
ura acima apresenta um circuito elétrico, alimentado
N

uma fonte CA, funcionando em regime permanente. RT H = 51Ω


alores nos componentes passivos representam suas 30
3Y

edâncias em ohms. A tensão no nó Z, em volts, é


a que a tensão de saída VS esteja atrasada de 80,2°
Perceba que a (A) 9,0
única alternativa possível de resposta é a letra (C), o que
J7

ensão VE, a reatância XL , em ohms, deverá ser ajusta- (B) 8,0


ara implica que VT H = 6, 1V e portanto não é necessário calcularmos o valor de VT H .
(C) 7,0
R

2,5 (B) 4,0


(D) 6,0
5,5 Para
(D) 7,0 treinar, o leitor pode calcular V
T H , mas perceba que não é muito trivial o
4T

8,5 (E) 5,0


cálculo, o que desperdiçaria grande tempo durante a prova.
T6

9  
ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR
ELÉTRICA Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
isc = corrente de curto-circuito

Com isso teremos


CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br
i = i1 + isc 10

aplicando a super-posição
Parte 3
A tensão no nó Z, emv volts, é
i1 = -
(A) 9,0 Rth
(B) 8,0
(C) 7,0 v
(D) 6,0
i=- + isc
Rth
(E) 5,0

Caso em ab exista um circuito aberto

i = 0 v = Rth . isc
Resolução:

KS
Se utilizarmos o equivalente de Thévenin calculado
voc = tensão de na questão anterior, ter-
circuito aberto

N
emos o seguinte circuito:

__

3Y
Com isso os equivalentes de Thevenin e Norton podem ser montados :

J7
I Rth
W

R
+ a

4T
VTH
+
-
_
Thevenin
KS
Y
10

T6
IN Rth

Norton
- b

Portanto fica fácil calcular o valor da corrente I que passa pelo resistor de 10Ω
N

entre os pontos W e Y, que será:


3Y

VT H 6, 1
I= = = 0, 1A
J7

RT H + 10 51 + 10
R

Agora, ainda utilizando o circuito equivalente de Thévenin, podemos encontrar o


4T

valor de VW − VY :
T6

VW − 10I − VY = 0
VW − VY = 10I
KS

VW − VY = 10 × 0, 1
N
3Y

VW − VY = 1V
J7

Considere a figura e os dados abaixo para responder


os
às questões de n 28 a 30.
Agora aplicaremos a Lei dos Nós ao seguinte Supernó desenhado em ver-
R

R partida
0,2 W
melho no circuito
B original (com a simplificação do resistor R já feita):
4T

t=0 X X X X X
i (t)
e +
T6

V = 200 V ind 0,5 m X 40 W Z


-

X X X X X 30 W 10 W
+ 10 W +
12 V Y W 7V
B = vetor densidade de fluxo magnético _ _
eind = tensão induzida na barra
7,5 W 10 W
ra acima ilustra o esquema de funcionamento de uma
na linear ideal, consistindo de uma bateria com ten-
e 200 V e resistência interna de 0,2 W, conectada
és de uma barra condutora sobre um par de trilhos
trito. Essa barra inicia o deslizamento sobre o par de A figura ilustra um circuito elétrico resistivo, alimentado por
quando a chave é fechada em t = 0. Adicionalmente, duas fontes CC, funcionando em regime permanente.
go dos trilhos, existe um Material
campo magnético constante
de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e 28 a qualquer título, a sua
densidade uniforme, cujas linhascópia,
de fluxo Considerando VX, VY e VW, respectivamente, as tensões
são e distribuição.
reprodução, divulgação Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
ndicularmente cortadas pela barra. Para limitar a nos nós X, Y e W, então a equação que poderá ser deter-
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 11

Como a corrente que entra neste supernó deve ser igual a corrente que sai, temos:
VX − VZ VW − VY
=
40 10

Mas como já sabemos que VW − VY = 1V e que VX = 12V , temos:


VX − VZ VW − VY
=
40 10
VX − VZ = 4(VW − VY )

KS
VZ = VX − 4(VW − VY )

N
3Y
VZ = 12 − 4 × 1
VZ = 8V

J7
R
Obs.: Nesta última parte não era necessário utilizar o que chamamos de

4T
“supernó”, ele apenas simplifica os cálculos. Se o leitor aplicar a Lei dos Nós no

T6
nó Z e também no nó W, ao comparar as duas equações deve chegar ao mesmo
resultado que chegamos utilizando o supernó.
KS

 
N

Alternativa (B) 

3Y
J7
R
4T
T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 12

TERMOCEARÁ LTDA.
Questão 7
(Eng. de Termelétrica Jr Eletrônica - Termoceará 2009)
29
ECIMENTOS ESPECÍFICOS
300 W X 150 W

15 kW
+
120 V _ 2A 150 W

+
R
Y
_ No circuito da figura acima, a tensão do Circuito Equivalente
+

KS
5V de Thevenin, dada em volts e calculada entre os pontos X e
_
Y, é:
(A) 210 (B) 180

N
(C) 160 (D) 120

3Y
figura acima, o Diodo Zener é considerado (E) 80
em sua região ativa, com tensão nominal de
alor do resistor R, em kW, para que a corren-

J7
30
eja de 2 mA?
6W 6W
B) 35 (C) 15 (D) 10 Resolução:
(E) 5

R
4T
X Y
Para simplificar o 4 W
circuito, primeiramente
2mF 4W
efetuamos uma transformação de
X 2W 2W

T6
Y fonte (indicada pelo retângulo na figura abaixo), onde o valor da resistência se
TERMOCEARÁ LTDA. 10 W 10 W
+
F
mantém o mesmo, e o valor+20da = (150Ω) × (2A) = 300V :
V fonte de tensão será E9 V
_ _
KS
29
ZCONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
300 W X 150 W
N

ilustra o circuito digital que relaciona o sinal


15 kW +
A figura acima+apresenta um circuito elétrico com fontes
3Y

ais binários de entrada X, Y e Z. De acordo _300 V


a expressão booleana mais simplificada de de corrente
120 contínua.
V_ O
VTHcapacitor encontra-se operando
W terminais
150 os
em regime permanente. A ddp, em volts, entre
J7

e X, Y e Z é
+ X e Y do capacitor é, aproximadamente,
(B) F = X Z + X Y Z R
X Y Z60 V (A) 2,3 (B) 3,0 Y(C) 4,8 (D) 6,2 (E) 9,5
R

_ No circuito da figura acima, a tensão do Circuito Equivalente


(D) 5FV = X +Z + X Y Z
4T

XYZ 31 de Thevenin, dada em volts e calculada entre os pontos X e


_
Y, é:
XYZ Dado o novo circuito, fica fácil calcularmos
(A) 210 a(B)corrente
180 que circula por ele:
T6

Planta
+
(C) 160 (D) 120
circuito da figura acima, o Diodo Zener é considerado u(t) (E) 80 30010− 120 y(t)
al e opera, em sua região ativa, com tensão nominal de I = (s - 2) (s + 1)
V. Qual o valor
J do resistor R, em kW, para que a corren- 300 + 150 + 150
KS

Q QB 30
o Zener seja de 2 mA? 180
40 K 35B
(B) (C) 15 (D) 10 (E) 5 I = 6 WCompensador 6W
CLK X 600
N

Y
4W
K(s - 1)
4W
I = 0, 3A (s + 3) 2 W
3Y

2mF
X 2W
Q QA
JY A Considere o + sistema 10 Wde controle em malha
10 W fechada ilus-
J7

F +
K trado
Agora, partindo da tensão na figura
20acima,
V onde K > 0 representa
VT H fechamos a malha o ganho a ser
9 V de tensão da esquerda:
_
ajustado no compensador. Pelo compensador_ adotado e
R

Z levando-se em conta o diagrama do lugar das raízes (root


4T

uito ilustrado na figura acima estiver no esta- T H −sistema,


locus)Vdesse 300I −conclui-se
120 = 0que o sistema será
gura
, com acima
Y =ilustra
1, osoflip-flops
circuito digital
BeA que relaciona o sinal
executarão,
om os sinais binários de entrada X, Y e Z. De acordo
(A) estável
A figura para
acima qualquer
apresenta valor de K >elétrico
um circuito 0. com fontes
T6

nte,
m as operações
o circuito, de booleana mais simplificada de (B) estável,
a expressão mas
de corrente somente
contínua. VOT para
=K300I
capacitor
H 10. + 120 operando
> encontra-se
. função de X, Y e Z(B)
m é set e hold. em regime
(C) estável, permanente.
mas somenteApara ddp, em
K >volts,
30. entre os terminais
set. (D) reset e toggle. X e Y do capacitor
(D) estável, mas somente é, aproximadamente,
VT H =10
para 300> K×>0, 50.3 + 120
F = XZ + XYZ (B) F = X Z + X Y Z (A) 2,3 para (B)qualquer
3,0 (C) 4,8de K >(D)
eset. (E) instável valor 0. 6,2 (E) 9,5

F = XZ + XYZ (D) F = X Z + X Y Z
31
VT H = 210V
F = XZ + XYZ
8 +
Planta  
A) DE TERMELÉTRICA JÚNIOR (ELETRÔNICA) u(t) 10 y(t) Alternativa (A) 

(s - 2) (s + 1)
Y J Q QB
K B Compensador
CLK
K(s - 1)
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. (s Sendo
+ 3) vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução,
Q cópia,QAdivulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
J A Considere o sistema de controle em malha fechada ilus-
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 13

Questão 8
(Eng. de Termelétrica Jr Eletrônica - Termoceará 2009)

6W 6W

X Y
4W 2mF 4W
2W 2W

10 W 10 W
+ +
20 V 9V
_ _

KS
N
A figura acima apresenta um circuito elétrico com fontes

3Y
de corrente contínua. O capacitor encontra-se operando
em regime permanente. A ddp, em volts, entre os terminais

J7
X e Y do capacitor é, aproximadamente,
(A) 2,3 (B) 3,0 (C) 4,8 (D) 6,2 (E) 9,5

R
4T
Resolução:

T6
Por estar em regime permanente, nenhuma corrente atravessa o capacitor.
KS
Sabendo que buscamos VX − VY , aplicamos a Lei dos Nós no nó X:
20 − VX VX − VY VX − VZ
N

= + (1.4)
3Y

4 12 2
J7

Agora, mantendo as orientações das correntes adotadas no nó X, aplicamos


R

a Lei dos Nós no nó Y:


4T

VX − VY 9 − VY VY − VZ
+ = (1.5)
T6

12 4 2

Agora somamos a equação 1.4 com o negativo da equação 1.5:


KS

20 − VX VX − VY 9 − VY VX − VY VX − VZ VY − VZ
− − = + −
N

4 12 4 12 2 2
3Y

3(20 − VX ) − (VX − VY ) − 3(9 − VY ) = (VX − VY ) + 6(VX − VZ ) − 6(VY − VZ )


J7

60 − 4VX + 4VY − 27 = 7VX − 7VY


R

11VX − 11VY = 60 − 27
4T

11(VX − VY ) = 33
T6

33
VX − VY =
11
VX − VY = 3V

 
Alternativa (B) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 14

Questão 9
(Profissional Jr Eng. Eletrônica - Petrobras Distr. 2008)
33
35 R5
R4 V4
50 K
IL
40 K 10 K R3 LA

R1 V2 R2
V1
+ + X +
+ IC
20 V 40 V VA

KS
CA
  Y  

N
3Y
No circuito da figura acima, o equivalente NORTON entre Do equacionamento de tensões e corre

J7
sentado na figura acima, é possível co
os pontos X e Y é formado por
VA V2 V

R
(A)    3  IC  IL  0
(A) Rxy = 6,90 k Ixy = 4,50 mA R1 R1  R2 R2

4T
(B) Rxy = 8,00 k Ixy = 3,50 mA V3 V2  V3
(B)   IB  0
R6 R2

T6
(C) Rxy = 24,00 k Ixy = 6,50 mA
V4  V1
(C)  IL  IB  0
(D) Rxy = 9,00 k Ixy = 4,00 mA R3  R 4
KS
(E) Rxy = 8,00 k Ixy = 4,50 mA V3 V4  V3 V2  V3
(D)   0
R6 R5 R2
N

34 V  VA V3
I1 (E) 2   IC  IL  0
3Y

4 R1 R2
Resolução:
6 6 36 d
J7

S
Sabemos que a resistência
2,5
equivalente
2,5
de Thévenin e de Norton são iguais,
R

obtidas curto-circuitando as fontes de tensão, abrindo as fontes de corrente e cal- +


4T

8 8 L C
culando a resistência equivalente entre os terminais X e Y. Portanto VRi N é a re- VL
T6

10 
+
sistência equivalente do circuito abaixo: +
33 10 V 2V
  35 O acionamento da chave S,Rmostrad
R4
KS

V4 5
50 K
executado de modo a se obter uma m
de pulso, com duty-cycle
IL igual a D. Ne
N

40 K 10 K circuito Rcorresponde a LA conversor


um
3
A figura ilustra um circuito resistivo de corrente contínua.
3Y

Buck-Boost. Considerando
R1 V2 oRfunciona
2
Considerando que os valores dos resistores encontram-se regime permanente,
V1 é correto afirmar
V
+ X (A) quando a chave S estiver fechada
J7

em ohms, a corrente I1, em ampères, que atravessa o (B) quando+ a chave IC S estiver aberta
VA CA R
descarregado.
R

resistor de 4 ohms é  Y 
(C) a tensão média sobre o indutor é
4T

(A) 0,50 da tensão de saída Vo.


(B) 0,60
T6

No circuito da figura acima, o equivalente NORTON entre


(C) 0,75 Do(D) a tensão média
equacionamento de saída
de tensões Vo é cal
e correntes no
sentado na figura acima, é possível concluir q
Como pode ser visto, os
o pontos
(D) 0,85 X e Y de
resistor é formado
50kΩporestá curto-circuitado, e os Vresistores de
V V
(A)  A  2
 3 deIC saída
IL  0 V é ca
(A) Rxy = 6,90 k
(E) 0,95 Ixy = 4,50 mA (E)Ra tensão
R1  R2média
R2 o
1

(B) Rxy = 8,00 k Ixy = 3,50 mA V3 V2  V3


(B)   IB  0
R6 R2
(C) Rxy = 24,00 k Ixy = 6,50 mA 10 V4  V1
PROFISSIONAL JÚNIOR (C)  IL  IB  0
(D) Rxy = 9,00 k Ixy = 4,00 mA R3  R 4
FORMAÇÃO: ENGENHARIA ELETRÔNICA
(E) Rxy = 8,00 k Ixy = 4,50 mA V3 V4  V3 V2  V3
(D) 
www.pciconcursos.com.br  0
R R6 5 R2
34 V  VA V3
I1 (E) 2   IC  IL  0
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. 4 Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer
R1 título,
R 2
a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
6 6 36 S d
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 15

40kΩ e 10kΩ estão em paralelo, logo:

RN = 40k//10k
(40k) × (10k)
RN =
40k + 10k
RN = 8kΩ

Agora voltamos
33 para o circuito original e identificamos algumas correntes:

KS
35 R5
R4 V4
50 K I1

N
IL

3Y
40 K 10 K R3 LA

R1 V2 R2

J7
I2 I V1 V
+ + X +

R
+ IC
20 V VTH 40 V VA CA R

4T
  Y  

T6
No circuito da figura acima, o equivalente NORTON entre Do equacionamento de tensões e correntes no
sentado na figura acima, é possível concluir q
KS
E calculamos a corrente I que
os pontos X epassa pelas
Y é formado por fontes:
VA V2 V
(A)    3  IC  IL  0
(A) Rxy = 6,90 k 4,50−
Ixy = 40 20
mA R1 R1  R2 R2
N

I= V V  V3
(B) Rxy = 8,00 k Ixy = 3,50 mA+ 10k)
50k//(40k (B) 3  2  IB  0
3Y

R6 R2
(C) Rxy = 24,00 k 20I = 6,50 mA
I = xy V4  V1
(C)  IL  IB  0
J7

(D) Rxy = 9,00 k 25kIxy = 4,00 mA R3  R 4


(E) Rxy = 8,00
4 V3 V4  V3 V2  V3
I k= mA Ixy = 4,50 mA
R

(D)   0
5 R6 R5 R2
4T

34 V  VA V3
I1 (E) 2   IC  IL  0
4 R1 R2
T6

Pelo divisor de corrente calculamos I2 :


6 6 36 S d
40k + 10k I
I2 = 2,5 × I2,5= = 0, 4mA
KS

50K + 50K 2 +
8 8 L C
Vi VL
N

Agora finalmente podemos fechar


10
a malha de tensão da direita, a fim de 
+ +
3Y

encontrar VT H : 10 V 2V
 
O acionamento da chave S, mostrada na fig
J7

executado de modo a se obter uma modulaçã


40 − (10k)I2 − VT H = 0 de pulso, com duty-cycle igual a D. Nestas co
R

circuito corresponde a um conversor CC-CC


A figura ilustra um circuito 40 −de(10k)
VT H =resistivo × contínua.
corrente (0, 4m) Buck-Boost. Considerando o funcionamento d
4T

Considerando que os valores dos resistores encontram-se regime permanente, é correto afirmar que
VT H = 36V (A) quando a chave S estiver fechada, o diod
T6

em ohms, a corrente I1, em ampères, que atravessa o (B) quando a chave S estiver aberta, o cap
resistor de 4 ohms é descarregado.
Como sabemos que VT H = RN × IN temos: (C) a tensão média sobre o indutor é igual ao
(A) 0,50 da tensão de saída Vo.
(B) 0,60 VT H 36
IN = = = 4, 5mA (D) a tensão média de saída Vo é calculada p
(C) 0,75 RN 8k
(D) 0,85  
(E) 0,95 (E)Alternativa
a tensão média de saída Vo é calculada
(E)
 

10
PROFISSIONAL JÚNIOR
FORMAÇÃO: ENGENHARIA ELETRÔNICA
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
www.pciconcursos.com.br
sentado na figura acima, é possível co
os pontos X e Y é formado por
VA V2 V
(A)    3  IC  IL  0
(A) Rxy = 6,90 k Ixy = 4,50 mA R1 R1  R2 R2
(B) Rxy = 8,00 k I = 3,50 mA V V  V3
CIRCUITOS ELÉTRICOS xy
www.ExatasConcursos.com.br (B) 3  2  IB16
0
R6 R2
(C) Rxy = 24,00 k Ixy = 6,50 mA
V4  V1
(C)  IL  IB  0
(D) Rxy = 9,00 k Ixy = 4,00 mA R3  R 4
Questão 10
(E) Rxy =Jr8,00
(Profissional Eng.k Eletrônica
Ixy = 4,50 mA
- Petrobras Distr. 2008) V3 V4  V3 V2  V3
(D)   0
R6 R5 R2
V  VA V3
34 I1 (E) 2   IC  IL  0
4 R1 R2

6 6 36 S d

2,5 2,5
+
8 8 L C
Vi VL

KS
10 
+ +
10 V 2V
33  

N
O 35
acionamento da chave S, mostrad
R5
executado de modo Ra4 se obter

3Y
V4 uma m
50 K
de pulso, com duty-cycle igual a D. Ne
IL
circuito corresponde a um conversor

J7
A figura ilustra um circuito40resistivo
K 10corrente
de K contínua. R3 LA
Buck-Boost. Considerando o funciona
regime permanente,Ré1 correto R2
afirmar

R
Considerando que os valores dos resistores encontram-se V2
(A) quando aV1chave S estiver fechada

4T
em ohms, a corrente + X
+ I , em ampères, +
que atravessa o (B) quando a+ chave S estiver aberta
1
20 V 40 V descarregado. IC
resistor de 4 ohms é VA CA

T6
  Y  (C) a tensão média sobre o indutor é
(A) 0,50 da tensão de saída Vo.
(B) 0,60
KS
(D) a tensão média de saída Vo é cal
(C) 0,75 Do equacionamento de tensões e corrent
No circuito da figura acima, o equivalente NORTON entre
sentado na figura acima, é possível conc
(D) 0,85 os pontos X e Y é formado por
N

(E) V V2 V
(E) 0,95 (A) R = 6,90 k (A)a tensão
 A  médiade3 saída
 I  I Vo 0é ca
3Y

xy
I = 4,50 mA
xy R1 R1  R2 R2
C L

(B) Rxy = 8,00 k Ixy = 3,50 mA V3 V2  V3


(B)   IB  0
J7

10 R6 R2
(C) R = 24,00 k I = 6,50 mA
Resolução: PROFISSIONAL
xy JÚNIOR xy V4  V1
R

FORMAÇÃO: ENGENHARIA ELETRÔNICA (C)  IL  IB  0


(D) Rxy = 9,00 k Ixy = 4,00 mA R3  R 4
4T

V V  V3 V2  V3
Ixy = 4,50 mAnós:www.pciconcursos.com.br
(E) Rxy = 8,00 kos seguintes
Primeiramente identificamos (D) 3  4  0
R6 R5 R2
T6

V  VA V3
34 I1 (E) 2   IC  IL  0
4 R1 R2
A B
36
KS

6 6 d
S
C
2,5 2,5
N

+
8 8 L C
3Y

Vi VL
10 
+ +
J7

10 V 2V
 
O acionamento da chave S, mostrada n
R

executado de modo a se obter uma mod


4T

de pulso, com duty-cycle igual a D. Nesta


circuito corresponde a um conversor CC
A figura ilustra um circuito resistivo de corrente contínua.
T6

Buck-Boost. Considerando o funcioname


Considerando que os valores dos resistores encontram-se regime permanente, é correto afirmar qu
Agora tiramos que: (A) quando a chave S estiver fechada, o
em ohms, a corrente I1, em ampères, que atravessa o (B) quando a chave S estiver aberta, o
resistor de 4 ohms é VA − VB descarregado.
I1 = (C) a tensão média sobre o indutor é igu
(A) 0,50 4 da tensão de saída Vo.
(B) 0,60(VA − VB ) = 4I1
(D) a tensão média de saída Vo é calcu
(C) 0,75
(D) 0,85
(E) 0,95 (E) a tensão média de saída Vo é calcu

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios10 e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se
PROFISSIONAL o infrator à responsabilização civil e criminal.
JÚNIOR
FORMAÇÃO: ENGENHARIA ELETRÔNICA
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 17

Sabendo isso, aplicamos a Lei dos Nós no nó A:


10 − VA VA − VC
= I1 + (1.6)
2, 5 6

E agora aplicamos a Lei dos Nós no nó B:


2 − VB VB − VC
+ I1 = (1.7)
2, 5 6

KS
Somando a equação 1.6 com o negativo da equação 1.7 temos:

N
3Y
10 − VA 2 − VB VA − VC VB − VC

J7
− − I1 = I1 + −
2, 5 2, 5 6 6

R
12(10 − VA ) − 12(2 − VB ) − 30I1 = 30I1 + 5(VA − VC ) − 5(VB − VC )

4T
120 − 12VA − 24 + VB − 30I1 = 30I1 + 5VA − 5VC − 5VB + 5VC

T6
96 = 60I1 + 17(VA − VB )
96 = 60I1 + 17(4I1 )
KS

128I1 = 96
N

96
3Y

I1 =
128
J7

I1 = 0, 75A
R

 
4T

Alternativa (C) 

T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
ECIMENTOS ESPECÍFICOS 22
Para um motor elétrico, a razão entre a sua potência nominal
e a potência mecânica que ele pode efetivamente fornecer
no seu eixo, em regime contínuo, sem danos, é conhecida
como fator de:
CIRCUITOS
posição (x) ELÉTRICOS (A) carga. www.ExatasConcursos.com.br 18
do cone (B) perdas.
S
eixo de (C) serviço.
rotação (D) potência.
Questão 11
N (Eng. (E) sobrecarga. Pleno Elétrica - Petrobras 2005)
Equipamentos
23
10  10 
S cone

Vf 20  Carga
Térmica
Bobina com n espiras de raio
r e percorrida pela corrente i
A fonte de tensão do circuito da figura alimenta, através de
uncionamento de um auto falante pode ser uma cadeia de resistores, uma carga térmica que consome
o auxílio da figura acima, que mostra um

KS
18 Kcal/h.
al da estrutura com simetria cilíndrica em Sabe-se que a tensão sobre a carga é de 100 volts. A tensão
e rotação indicado. Vf da fonte de alimentação, em volts, é:

N
(Considere 1cal ~ 4 J).
nente estabelece uma densidade de campo

3Y
(A) 130 (B) 155 (C) 180 (D) 200 (E) 220
dial e constante, na região por onde circula a
necida pelo equipamento de som. A bobina 24

J7
sta corrente é solidária a um cone de papelão Considere um motor CA síncrono com vinte pólos, funcio-
nta, produzindo ondas sonoras noResolução:
ar. nando em São Paulo e alimentado pela rede da concessionária

R
local. A velocidade de rotação do eixo desse motor, em RPM, é:

4T
(A) 360
Primeiramente vamos transformar a unidade da potência
(B) 180 dada para o SI:
do cone mais bobina móvel

T6
(C) 720
de espiras da bobina (D) 800 18kcal 18 × 103 × (4J)
espiras P = = = 20W
(E) dependente da carga mecânica e do deslizamento.
h 3600s
KS
onsidere a resistência do ar desprezível. 25
X (s ) Agora, chamando a corrente
Um gerador sobre
síncrono, de valoresanominais
carga 400
de MVA
IL ee 20
a tensão
kV, de VL temos:
N

nsferência , calculada entre a posição pode ser modelado como uma fonte de tensão em série com
I (s )
3Y

uma impedância. Esta impedância série corresponde às


rente de entrada, é: P =valor
bobinas do estator e tem × 1,0
VL de IL pu, tomando como
base os valores nominais do gerador.
J7

ʌ r nB P fosse 100 MVA e a base de


Se a base de potênciaIescolhida
(B) L =
ms
2 VL da impedância, em pu,
tensão 10kV, o valor normalizado
R

seria: 20
4T

2ʌ r n B (A) 0,25 IL =
(D) (B) 0,5 100
ms
T6

(C) 1 IL = 0, 2A
(D) 4
(E) dependente ainda da freqüência de alimentação que não
foi fornecida.
KS

Chamando o nó que une as três resistências de X e aplicando nele a Lei dos


Nós temos: 7
N

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS PLENO - ELÉTRICA


3Y

Vf − VX VX
= + IL
10 20
J7

3VX
Vf = + 10 × (0, 2)
www.pciconcursos.com.br
R

2
3VX
4T

Vf = +2 (1.8)
2
T6

Agora, aplicando a Lei das Malhas na malha da direita temos:

VX − 10IL − VL = 0
VX = 10(0, 2) + 100
VX = 102V

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 19

Voltando na equação 1.8 temos:


3VX
Vf = +2
2
3 × 102
Vf = +2
2
Vf = 155V

 
Alternativa (B) 

KS


N
3Y
J7
R
Questão 12

4T
(Eng. de Automação Jr - Transpetro 2011)

T6
37
de um acelerômetro piezelétrico é dada em
KS
N
3Y
J7
R

No circuito da figura acima, deseja-se inserir um resistor


de 20 kΩ entre os pontos a e b do circuito.
4T

Para que o resistor seja especificado, que potência, em mW,


T6

esse resistor dissipará ao ser inserido?


(A) 12,0
(B) 10,5
KS

(C) 9,8
(D) 5,0
mostra o gráfico que corresponde a um
(E) 1,8
N

de tensão medido na tela de um osciloscó-


3Y

se esse sinal de tensão sobre um resistor


38
ência média, em W, dissipada no resistor é
J7

Resolução:
R

Ao inserirmos a resistência de 20kΩ entre os pontos a e b teremos o seguinte


4T

circuito:
37
T6

nsibilidade de um acelerômetro piezelétrico é dada em


mV/m X
mV/ms
pC/ms
pC/ms−2
V/ms−3

No circuito da figura acima, deseja-se inserir um resistor


de 20 kΩ entre os pontos a e b do circuito.
stema de controle configurado na figura Para que o resistor seja especificado, que potência, em mW,
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
planta G(s) é INSTÁVEL, e deseja-se es- esse resistor dissipará ao ser inserido?
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
trolá-la com ajuda de um compensador do (A) 12,0
(B) 10,5
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 20

Aplicando a Lei dos Nós em X temos:

60 − VX 50 − VX VX
+ =
20k 20k 40k
2(60 − VX ) + 2(50 − VX ) = VX
5VX = 220

KS
VX = 44V

N
Ou seja, a tensão Vba sobre o resistor de 20kΩ será:

3Y
J7
Vba = 50 − VX

R
Vba = 50 − 44

4T
Vba = 6V

T6
Portanto, a potência necessária ao resistor será:
KS
Vba2
P =
R
N

62
3Y

P =
20k
J7

P = 1, 8mW
R

 
4T

Alternativa (E) 

T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 21

Questão 13
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2012/1)

A figura apresenta um circuito em corrente contínua com-


posto por uma fonte de tensão de 5,4 V, quatro resistên-

KS
cias com valores de 1 Ω, 2 Ω, 5 Ω e 10 Ω, além de uma
fonte de corrente, cujo valor depende da tensão nos ter-
minais da resistência de 5 Ω (if = 2v1).

N
Qual o valor da corrente, em ampères, fornecida pela fon-

3Y
te de corrente?
(A) 1

J7
(B) 2
(C) 4

R
(D) 8

4T
(E) 16

Resolução:
T6
KS
Para facilicar nossa análise, nomeamos a tensão do nó acima da fonte de
N

corrente de VX , como visto na figura abaixo:


3Y
J7

Vx
R
4T
T6
KS

Pelo divisor de tensão no ramo mais a direita do circuito tiramos:


N

5
3Y

V1 = × VX
10 + 5
J7

VX = 3V1
R
4T

Agora aplicamos a Lei dos Nós no nó de VX :


T6

5, 4 − VX VX VX
+ 2V1 = +
1 2 15
30(5, 4 − VX ) + 60V1 = 15VX + 2VX

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 22

47VX − 60V1 = 162


47 × (3V1 ) − 60V1 = 162
141V1 − 60V1 = 162
81V1 = 162
V1 = 2V

KS
Como a questão quer saber o valor de if e sabendo que if = 2V1 , tiramos

N
finalmente:

3Y
J7
if = 2V1

R
if = 2 × 2

4T
if = 4A

T6
 
Alternativa (C) 

KS
N
3Y
J7
R
4T
T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 23

1.2 Circuitos CC Com Diodo Zener

Questão 14
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2010/2)
47 49

KS
N
3Y
No circuito da figura acima, os valores de R e da tensão
nominal do diodo zener, VZ, são desconhecidos. Para A figura acima apresenta um conver

J7
determiná-los, utilizaram-se duas baterias diferentes, opera com modulação por largura d
verificando-se as potências dissipadas pelos resistores.
cycle D = 0,6. Para uma entrada DC

R
Os valores obtidos estão na tabela abaixo.
rando o funcionamento do circuito em

4T
Bateria PR PRL te, o valor médio da tensão de saída

T6
10 V 12 mW 8 mW (A) −37,5
(B) −22,5
18 V 48 mW 18 mW
(C) 3,75
KS
Com base nos dados acima apresentados, os valores de (D) 22,5
R e VZ são, respectivamente, (E) 37,5
N

(A) 2 kΩ e 4 V (B) 3 kΩ e 6 V
(C) 2 kΩ e 6 V (D) 3 kΩ e 4 V
3Y

50
(E) 2 kΩ e 10 V
J7

48
R

Resolução:
4T

Sabemos que P = V × I e V = R × I, logo:


T6

P =V ×I
KS

V
P =V ×
R dissipará a potência
N

No circuito da figura acima, o resistor


2 No circuito apresentado na figura aci
V
máxima quando a frequência ω do sinal da fonte de cor-
3Y

P =
rente senoidal, em rad/s, for R fonte de tensão controlada por tensã
√ onde V1 é a diferença de potencial ap
J7

(A) 0 (corrente contínua)


V = P(B) R 2 Ω. Para esse circuito, o valor da c
R

da tensão V, é
4T

(A) −3Vpodemos
Agora que temos a tensão em função da potência e da resistência,
(B) −2V
T6

(C)
fechar a malha externa: (D)

Vbat − VR − VRL = 0 (C)


p p
Vbat − PR R − PRL RL = 0
(E) (D) 2V

(E) 3V

13 ENGENHEIRO(A) DE EQU
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 24

Para a primeira linha da tabela temos então:


p p
Vbat − PR R − PRL RL = 0
√ p
10 − 12 × 10−3 R − (8 × 10−3 ) × (2 × 103 ) = 0

12 × 10−3 R = 10 − 4
62
R=
12 × 10−3

KS
R = 3kΩ

N
Nesta situação, vamos ver qual é a corrente que passa por R e por RL :

3Y
J7
R
4T
T6
PR = R × IR2 PRL = RL × IR2 L
r r
PR PR L
KS
IR = IRL =
R
rR r L
N

12 × 10−3 8 × 10−3
IR = IRL =
3Y

3 × 103 2 × 103
IR = 2mA IRL = 2mA
J7
R
4T
T6

Vemos neste caso que IR = IRL , o que implica que não passa corrente pelo
diodo zener, ou seja, este não está operando com sua tensão zener. Por este
KS

motivo não podemos ainda determinar o valor de VZ .


N

Fazendo a mesma análise para a segunda linha da tabela temos:


3Y

p p
J7

Vbat − PR R − PRL RL = 0

R

p
18 − 48 × 10−3 R − (18 × 10−3 ) × (2 × 103 ) = 0

4T

48 × 10−3 R = 18 − 6
T6

122
R=
48 × 10−3
R = 3kΩ (Como esperávamos!)

Nesta nova situação, a corrente que passa por R e a corrente que passa por
RL serão:

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 25

PR = R × IR2 PRL = RL × IR2 L


r r
PR PR L
IR = IRL =
R
rR r L
48 × 10−3 18 × 10−3
IR = IRL =
3 × 103 2 × 103
IR = 4mA IRL = 3mA

KS
N
ECIMENTOS ESPECÍFICOS 23
Neste caso vemos 6 IRL , logo IZ = 4mA − 3mA = 1mA. Isso indica
que IR =

3Y
que o diodo zener está conduzindo, portanto está imprimindo sua tensão VZ nas

J7
extremidades de RL . Então basta calcularmos VZ como segue:

R
VZ = RL × IRL = (2 × 103 ) × (3 × 10−3 ) = 6V

4T
T6
Portanto, encontramos R = 3kΩ utilizando a primeira linha da tabela, e uti-
lizando a segunda Alinha
figuraencontramos
acima ilustra umVcircuito
Z = 6V .
KS
lustra o modelo para pequenos sinais, ope- contendo o chip 7483
a de médias freqüências, de um circuito (somador de 4 bits). Este circuito vai operar os números
A = A3 A2A1A0 e B = B 3B2B1B0, resultando nas saídas
 
na configuração emissor comum. O ganho
N

S = S3S2S1S0 e C0 (carry da operação). As variáveis A, B e


Alternativa (B) 

neste circuito é:
3Y

1
S podem assumir valores no conjunto {0, 1, 2, 3,... , 15}.
(B) Considere as seguintes afirmativas:
J7

I - Se A>B, então C0 = 1
R

(D) II - Se B>A, então S = B - A


4T

III - Se A = B, então S = 0 e C0 = 0
T6

A(s) afirmativa(s) correta(s) é(são) apenas:


Questão 15
(Eng. (A)
de IEquipamentos
(B) II (C) IIIEletrônica
Pleno (D) I -ePetrobras
III (E) II e III
2006)
24
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

ura acima corresponde a uma fonte regulada


saída variável. O regulador é alimentado com
O circuito da figura acima mostra um diodo zener de 16V
o regulada de 50 V. O amplificador operacional
alimentado por duas fontes CC. A potência dissipada no
ença entre seus terminais de entrada por um
diodo, em mW, é:
0. O diodo zener proporciona uma tensão de
(A) 0
V e o resistor Rz foi dimensionado para limitar
(B) 12
ener. Quando o valor da resistência R2 do
(C) 15
varia entre 100 k e 10 k , variação sufici-
(D) 24
ter o transistor operando na região ativa, a
(E) 38
a da fonte, em V, variará entre:
(B) 6 e 18
(D) 12 e 42

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação
6 e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
A) DE EQUIPAMENTOS PLENO
ura acima ilustra o modelo CIRCUITOS
para pequenosELÉTRICOS
sinais, ope- www.ExatasConcursos.com.br
A figura acima ilustra um circuito contendo o chip 7483 26
o na faixa de médias freqüências, de um circuito (somador de 4 bits). Este circuito vai operar os números
istorizado na configuração emissor comum. O ganho A = A3 A2A1A0 e B = B 3B2B1B0, resultando nas saídas
orrente I2/I1 neste circuito é: S = S3S2S1S0 e C0 (carry da operação). As variáveis A, B e
S podem assumir valores no conjunto {0, 1, 2, 3,... , 15}.
-âRBRC Resolução:
(B) Considere as seguintes afirmativas:
ri RL
I - sabemos
De antemão não Se A>B, entãose
C0 =o1 diodo zener está polarizado diretamente (e
(D) II - Se B>A, então S = B - A
fixando a tensão entre
III -seus
Se A =terminais
B, então S = 0em
e C016V).
=0 Por este motivo assumiremos que
ele está polarizado diretamente, o queé(são)
A(s) afirmativa(s) correta(s) implica que IZ tem o sentido indicado na
apenas:
(A) I (B) II (C) III (D) I e III (E) II e III
figura abaixo:
24

KS
IZ

N
3Y
J7
cuito da figura acima corresponde a uma fonte regulada

R
tensão de saída variável. O regulador é alimentado com
O circuito da figura acima mostra um diodo zener de 16V

4T
tensão não regulada de 50 V.Se encontrarmos
O amplificador operacional um valor negativo ou igual a zero para IZ isso indicará que o
alimentado por duas fontes CC. A potência dissipada no
ifica a diferença entre seus terminais de entrada por um
diodo, em mW, é:
o β = 50000. O diodo zener proporciona
diodo zener estádepolarizado
uma tensão reversamente, o que implicará em VZ = 0.

T6
(A) 0
ência de 6 V e o resistor Rz foi dimensionado para limitar
(B) 12
rente no zener. Quando o valor da resistência R2 do
(C) 15
nciômetro varia entre 100 k e 10 k Aplicando
, variação sufici-a Lei dos Nós no nó X indicado na figura temos:
(D) 24
para manter o transistor operando na região ativa, a
KS
(E) 38
ão de saída da fonte, em V, variará entre:
e 50 (B) 6 e 18
N

e 36 (D) 12 e 42
5 e 45 24 − VZ 18 − VZ VZ
3Y

+ = IZ +
6
15k 30k 15k
ENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS PLENO
2(24 − VZ ) + (18 − VZ ) = 30 × 103 IZ + 2VZ
J7

TRÔNICA
R
4T

www.pciconcursos.com.br
T6

48 + 18 − 5VZ
IZ =
30 × 103
KS

66 − 5 × 16
IZ =
N

30 × 103
3Y

7
IZ = − mA
15
J7

Como encontramos IZ < 0 percebemos que o diodo zener está polarizado


R
4T

reversamente, então VZ = 0, e a potência dissipada será:


T6

PZ = VZ × IZ
= 0 × IZ
=0
 
Alternativa (A) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 27
TERMOCEARÁ LTDA.

Questão 16
CONHECIMENTOS
(Eng. de Termelétrica Jr Eletrônica -ESPECÍFICOS
Termoceará 2009) 29
26 300 W X 150 W

15 kW
+
120 V _ 2A

+
R
60 V Y
_ No circuito da figura acima, a tensão d
+
5V de Thevenin, dada em volts e calculad
_
Y, é:

KS
(A) 210 (B) 1
(C) 160 (D) 1
No circuito da figura acima, o Diodo Zener é considerado (E) 80

N
ideal e opera, em sua região ativa, com tensão nominal de
16 V. Qual o valor do resistor R, em kW, para que a corren-

3Y
30
te no Zener seja de 2 mA?
6W 6
(A) 40 (B) 35 (C) 15 (D) 10 (E) 5

J7
X
27 4W

R
2mF
X 2W 2

4T
Resolução:
Y TERMOCEARÁ LTDA.
10 W
+

T6
F
Com os dados do enunciado, e identificando as correntes, temos o seguinte
20 V
_
circuito: CONHECIMENTOS
Z ESPECÍFICOS 29
26 300 W X 150 W
KS
A figura acima ilustra o circuito digital que relaciona o sinal
15 kW
F com os sinais bináriosI de entrada X, Y e Z. De acordo A figura+acima apresenta um circuito
de120 V_ 1
N

com o circuito, a expressão booleanaIZ mais simplificada de corrente contínua. O capacitor


2A e
IR
em regime permanente. A ddp, em vo
3Y

F em função de X, Y e Z é
+ + X e Y do capacitor é, aproximadamen
R
(A) F = X Z +60XV Y Z 1 6 V(B)
_ F = XZ + XYZ (A) 2,3 (B) 3,0Y (C) 4,8
J7

_ No circuito da figura acima, a tensão do Circuit


+
(C) F = X Z + X Y Z (D) _F = X Z + X Y Z de Thevenin, dada em volts e calculada entre
5V 31
R

Y, é:
(E) F = X Z + X Y Z (A) 210 (B) 180
4T

Planta
(C) 160 + (D) 120
No circuito da figura acima, o Diodo Zener é considerado (E) u(t)
80 10
de ideal
malha 28 e opera, em sua região ativa, com tensão nominal de
T6

Fechando a tensão da esquerda podemos encontrar


16YV. Qual o valor do resistor R, em kW, para que a corren-
o valor de I: (s - 2) (s + 1
J QB 30
te no Zener seja de 2 mA? Q
6W 6W
(A) 40 (B) 35 K 3 (C)B
60 − 15 × 10 I − 16 − 5 = 0 15 (D) 10 (E) 5
Compensado
KS

CLK X Y
27 39 4W 2mF
K(s - 1)
X I = mA 2W (s2+W3)
15QA
N

Y Q
W 10 W
A a malha de Considere
+ o10sistema de controle em
3Y

F
J
Agora, sabendo que IZ = 2mA, fechamos tensão da direita:
trado na
20 figura
V acima, onde K > 0 repr
K _
ajustado no compensador. Pelo com
J7

Z
− RIRna=figura
5 + 16ilustrado 0 acima estiver no esta- levando-se em conta o diagrama do l
Quando o circuito locus) desse sistema, conclui-se que
A figura acima ilustra o circuito digital que relaciona o sinal
R

do QFBQ =os
00, combinários
Y = 1, de
− IZ )os=entrada
flip-flops
0 X, BY ee Z. A executarão,
com A figura acima apresenta
(A) estável um circuito
para qualquer valor elétric
de K
A21 −sinais
R(I De acordo
4T

respectivamente,
com o circuito, aasexpressão
operações de mais simplificada de
booleana de (B)
corrente contínua. O capacitor
estável, mas somente para encontra-
K >1
(A) set
F eme reset.
função de X, Y e Z é (B)21 set e hold. 3 em regime permanente. A ddp, em volts, entre
(C) estável, mas somente para K > 3
R = ×toggle.
10 X e Y do capacitor é, aproximadamente,
T6

(C) reset e reset.


(A) F = X Z + X Y Z (D) reset
(B) −
39 F =2X e
Z + XYZ (D) estável, mas somente para (D)
10 >
(A) 2,3 (B) 3,0 (C) 4,8 6,2
(E) toggle e reset. 15 (E) instável para qualquer valor de K
(C) F = X Z + X Y Z (D) F =15
XZ + XYZ
3 31
R = 21 × × 10
(E) F = X Z + X Y Z 9 Planta
8 +
R = 35kΩ
ENGENHEIRO(A) DE TERMELÉTRICA JÚNIOR (ELETRÔNICA) u(t) 10
28
(s - 2) (s + 1)
Y J Q QB  
K B Alternativa (B)Compensador
CLK  
K(s - 1)
(s + 3)
Q QA
A
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo
J Considere o sistema de controle em malha
vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
trado na figura acima, onde K > 0 representa
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se oK infrator à responsabilização civil e criminal.
ajustado no compensador. Pelo compensad
levando-se em conta o diagrama do lugar da
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 28

Questão 17
(Eng. de Automação Jr - Transpetro 2011)
39
BLOCO 2

41
Um microcontrolador possui uma en
A/D com resolução de 10 bits configu
1 a 4 volts. O resultado da conversã
nhado à esquerda em dois registrado
ADHI e ADLO.
Uma tensão de 3 V na entrada aca

KS
ADHI, um valor de
(A) 128

N
O circuito da figura acima mostra um diodo Zener com
(B) 170
tensão nominal de 6 V, alimentado por uma fonte de ten-

3Y
são contínua. Se a corrente elétrica que atravessa o diodo (C) 191
Zener é 0,3 A, a tensão Vf da fonte, em volts, é (D) 192

J7
(E) 255
(A) 19
(B) 24

R
(C) 27 42

4T
(D) 32 Encontram-se disponíveis no merca
(E) 38 lisadores lógicos idênticos, que difer

T6
no número de canais disponíveis. P
40 completamente e ao mesmo tempo
K,P,Q,R X K,P,Q,R X SPI entre dois equipamentos e uma c
Resolução: tre outros dois.
KS
0000 1 1000 1
Dentre os analisadores lógicos disp
0001 1 1001 1
Chamemos de X o nó 0010
que une0as três resistências. ples eacapaz
Fechando malhade realizar
da essa tarefa é
N

1010 0
(A) 2 canais
3Y

direita temos: 0011 0 1011 0 (B) 4 canais


0100 1 1100 0 (C) 6 canais
J7

VX 0101
− 10IZ −1 VZ =1101
0 0 (D) 8 canais
0110 1110 (E) 10 canais
R

1 0
0111
V
1 X
=1111
10IZ + 0VZ
4T

43
VX = 10
A tabela verdade acima apresenta
× 0, 3 + 6
o resultado das combi- Sobre as tecnologias usadas para
T6

nações lógicas das variáveis de entrada da função boole- dados, as duas que melhor se equip
ana X = f(K,P,Q,R).
VX = 9V taxa máxima de transferência são
A expressão minimizada da função X é (A) RS-232 e I2C
KS

(B) RS-485 e CAN


Agora, aplicando
(A) a Lei dos Nós no nó X temos: (C) FireWire 100 e Bluetooth 3.0
N

(B) (D) FireWire 800 e USB 2.0


Vf − VX VX (E) IEEE 802.11b e USB 1.1
3Y

= + IZ
(C) 20 15
44
J7

(D) 3(Vf − VX ) = 4VX + 60IZ


Numa indústria química, utilizam-se t
7VX + 60IZ
R

(E) missão de dados para operações de


Vf = sos em ambientes com riscos de exp
4T

3
7 × 9 + 60 × 0, 3 Uma tecnologia que foi projetada pa
Vf = de ambiente é a
T6

3
(A) IEC 61158-2
Vf = 27V (B) IEEE 1394
(C) EIA RS-232
(D) EIA RS-422 
Alternativa
(E) EIA RS-485
(C) 

9 ENGENHEIRO(A) JÚNIOR -

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 29

1.3 Circuitos CC: RC, RL e RLC

Questão 18
( Eng. Júnior - Área: Automação - Transpetro 2012 )

Um sistema de controle utiliza um capacitor de capacitân-


cia 1,0 μF, inicialmente neutro. Ele é ligado a uma fonte
de tensão constante até carregar-se completamente. A
seguir, verifica-se que, descarregando-o através de um
resistor, o calor desenvolvido equivale a 0,125 J.

KS
Nessa situação, o valor da tensão, em volts, à qual sub-
mete-se o capacitor é

N
(A) 500
(B) 400

3Y
(C) 300
(D) 200

J7
(E) 100

R
4T
Resolução:

T6
Do enunciado concluímos que um capacitor (de capacitância 1µF ) foi car-
regado por uma fonte de tensão E (que queremos determinar), e acumulou uma
KS
energia de 0, 125J (que posteriormente foi descarregada sobre um resistor).
N
3Y

Sabemos que a energia U armazenada em um capacitor C por uma fonte


de tensão E é dada pela expressão:
J7

1
R

U = CE 2
2
4T
T6

Substituindo os valores dados podemos então encontrar o valor de E:


1
U = CE 2
KS

2

E = 2U C
N

p
E = 2 × 0, 125 × (50 × 10−6 )
3Y


E = 250000
J7

E = 500V
R
4T

 
Alternativa (A) 
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 30

Questão 19
( Eng. Júnior - Área: Automação - Transpetro 2012 )

KS
A análise de um projeto de automação indicou a presença
do circuito ilustrado como elemento auxiliar, alimentado

N
por corrente contínua.

3Y
Se a resistência R mede 4,0 Ω, o amperímetro A1 indica
2A, a capacitância é de 2,0 μF e o capacitor já se encontra

J7
totalmente carregado, a indicação no amperímetro A2 e

R
a carga armazenada no capacitor são, respectivamente,

4T
(A) 0A e 10 μC
(B) 0A e 16 μC

T6
(C) 0,5 A e 10 μC
(D) 0,5 A e 16 μC
(E) 2A e 10 μC
KS
N

Resolução:
3Y

Como o capacitor encontra-se totalmente carregado, então não há pas-


J7

sagem de corrente por ele, ou seja, A2 = 0A.


R
4T

Como A2 = 0, toda a corrente A1 deve passar pelo resistor R, como já


T6

sabemos o valor destas duas grandezas, fica fácil encontrarmos a tensão sobre os
terminais do capacitor (que é a tensão nos terminais do resistor R):
KS

Vc = RIA1 = 4 × 2 = 8V
N
3Y

Portanto a carga armazenada no capacitor C é:


J7

Q = CVc = (2µ) × 8 = 16µC


R
4T

 
Alternativa (B) 

T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 31

Questão 20
30(Eng. de Automação Jr - Transpetro 2008)
33
20 W S1 10 W 30 W O seguinte pseudocódigo é uma fo
algoritmo de busca depht first num gra
2 mH IS
+ 1 mH + cedimento principal dfs(N,Adj) re
12 V 5 mF 7V inteiro N e a matriz Adj, de dimensõe
- 40 W - senta o elemento da linha u e colun
40 W
procedimento dfs(N,Adj) faz a cham
A figura acima apresenta um circuito de corrente contínua cedimento dfs-visit(u), onde u é

KS
funcionando em regime permanente com a chave S1 aberta. Ao término dos dois procedimentos
Em determinado instante, a chave S1 é fechada. Imediata- indexados pelos inteiros u de 1 até N

N
mente em seguida, o módulo da corrente IS, em ampères, acordo com a regra de busca prevista
que atravessa a chave S1, é, aproximadamente,

3Y
(A) 0,8 (B) 0,7
dfs(N,Adj)
(C) 0,6 (D) 0,5

J7
Para u de 1 até N
(E) 0,4
cor[u] ¬ branco

R
31 b[u] ¬ 0

4T
Fim-Para
Resolução: r(t) Para u de 1 até N
u(t) X(t) y(t) Se cor[u] = branco

T6
M + A, B C
dfs_visit(u)
Para resolver questões deste tipo temos que ter em mente que capacitores Fim-Se
Fim-Para
em regime permanente viram circuito aberto, e a tensão em t0+ (imediatamente
KS
-K Fim
após a mudança do circuito) do capacitor é a mesma tensão que o capacitor
dfs-visit(u)
cor[u] ¬ cinza
N

A figura acima apresenta o diagrama de um sistema de con-


adquiriu em regime trole
permanente. Jásob
cujas equações indutores
a forma de em regime
espaço permanente
de estado são: viram
Para vcurto-
de 1 até N
3Y

Se (Adj(u,v) = 1) e (
circuito, e a correnteX(t)=AX(t)+Bu(t)
em t0+ no com indutor é a mesma corrente que passavab[v] pelo¬ u
A
a lei de controle u(t)=-KX(t)+Mr(t)
y(t)=CX(t)
J7

indutor em regime permanente. Sabendo isso, vamos analisar o circuito. dfs_visit(v)


onde Fim-Se
R

Fim-Para
Com S1 aberta 0 1 ù um circuito
étemos é0ù de duas
é malhas
ù éà esquerda
ù de S1 e¬um
4T

A=ê ú B=ê ú C = êë10 0 úû e K = ë 6 3 û


ê ú cor[u] preto
ë- 8 - 6 û ë1û
à direita. O circuito à esquerda de S1 será:
circuito de uma malha 30 Fim
T6

O resultado do vetor b após a aplica


Quando uma entrada r(t) do tipo degrau for aplicada, qual o 33
valor do ganho M para que20
o erro principal para N=6
W de estado estacionário seja O seguinte pseudocód
NULO ?
KS

(A) 5,00 (B) 3,65 algoritmo de busca dep


(C) 2,48 (D) 1,40 + é0 1cedimento
1 0 0 principal

+ ê ú
df
0 0 1 0 0 0
N

(E) 0,80 12 V Vc ê ú
inteiro N e a matriz Adj,
ê0 0 0 1 0 0ú
3Y

- - senta o elemento
32 40 W e Adj = ê ú éda li
ê0 1procedimento
0 0 0 0údfs(N,A
Um conjunto x(n) de 400 amostras resultou da discretização ê0 0 0 0 1 1ú
J7

de um sinal com período


A figura de amostragem
acima apresenta um decircuito
0,1 ms.de corrente contínua ê
Usan- cedimento dfs-visit
ú
funcionando em regime permanente com a chave S1 aberta. ê
ë0 0Ao0 término
0 0 dos 1ûú dois p
do-se o algoritmo FFT (Fast Fourier Transform) com uma
R

Veja que, como o circuito 512 Em


janela de está emdeterminado
amostras, regime instante,
foi calculada a chave S1 é fechada.
a Transformada
permanente, Dis-
substituimos Imediata-
o indutor indexados
de pelos inteiro
4T

creta de Fourier mente em seguida,


da seqüência x(n) oe módulo daacorrente
obteve-se seqüênciaIS, em ampères,
(A) b = [3 5 acordo
4 0 2 com0]a regra de b
2mH por um curto-circuito, X(k), onde kerepresenta
oque capacitor
atravessa aserá um
S1, é,circuito
chavediscreta.
a freqüência aberto (o(B)
aproximadamente,
A que freqüên- capacitor
b = [2 1 está
4 2 5 6]
T6

(A) 0,8
cia, em Hz, corresponde a amostra X(k) para k=64?(B) 0,7
representado na figura apenas (C) para
0,6 localizarmos a tensão
(D) 0,5 VC ). Agora(C) b = podemosdfs(N,Adj)
[2 1 3 0 5 4]
(A) 420 (B) 640 Para u de 1 at
(E) 0,4 (D)
calcular a tensão VC(C)sobre 1250 o capacitor por um simples divisor de tensão: [0 1 2 3 0 cor[u]
(D) 2240 b = 5]
¬ b
(E) 3200 (E) b = [0 1 0 5 2 b[u] 3] ¬ 0
31 40 Fim-Para
VC = 12 × = 8V Para u de 1 at
r(t) 40 + 20 u(t) X(t) 9 y(t) Se cor[u] =
M + A, B C ENGENHEIRO JÚNIOR -
dfs_visi
Ainda com S1 aberta, o circuito à direita de S1 será: Fim-Se
www.pciconcursos.com.br Fim-Para
-K Fim
dfs-visit(u)
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
A figura acima apresenta o diagrama de um sistema
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal. de con- cor[u] ¬ cinz
trole cujas equações sob a forma de espaço de estado são: Para v de 1 at
Se (Adj(u,v
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 32

30
33
30 W O seguinte pseudocódigo é uma forma simplificad
algoritmo de busca depht first num grafo direcionado. O
I + cedimento principal dfs(N,Adj) recebe como entra
7V inteiro N e a matriz Adj, de dimensões NxN. Adj(u,v) r
- senta o elemento da linha u e coluna v da matriz A
40 W
procedimento dfs(N,Adj) faz a chamada recursiva do
A figura acima apresenta um circuito de corrente contínua cedimento dfs-visit(u), onde u é um inteiro de 1
funcionando em regime permanente com a chave S1 aberta. Ao término dos dois procedimentos, os vetores cor
Em determinado
Neste caso instante,
substituimos o aindutor
chave S1de é fechada.
1mH por Imediata-
um curto-circuito,
indexados pelos e identificamos
inteiros u de 1 atéaN, são preenchid

KS
mente em seguida, o módulo da corrente IS, em ampères, acordo com a regra de busca prevista no algoritmo.
correnteque que passa
atravessa por ele
a chave S1, é,por I. Então calculamos I:
aproximadamente,
(A) 0,8 (B) 0,7

N
(C) 0,6 7 dfs(N,Adj)
I(D)=0,5 = 0, 1A

3Y
Para u de 1 até N
(E) 0,4 30 + 40 cor[u] ¬ branco
¬ 0

J7
31 b[u]
Agora que sabemos a tensão no capacitor e a corrente no indutor no instante
Fim-Para
Para u de 1 até N

R
r(t)
t0+ , ao fecharmos S1 teremos u(t) o seguinte X(t) circuito:y(t) Se cor[u] = branco
30M + A, B C

4T
dfs_visit(u)
Fim-Se33

T6
20 W S1 10 W 30 W Fim-Para O seguinte pseudocódigo é uma f
-K Fim
algoritmo de busca depht first num gra
2 mH IS dfs-visit(u)
+ + I + cedimento principal dfs(N,Adj) re
KS
A figura acima apresenta o diagrama de um sistema de con- cor[u] ¬ cinza
12 V 7 V
trole cujas equações sob a forma de espaço de estado são: Vc Para v deinteiro
1 atéN eNa matriz Adj, de dimensõe
- 40 W - - senta o elemento
= 1) e da linha u =e colun
40 W Se (Adj(u,v) (cor[v] bra
N

X(t)=AX(t)+Bu(t)
A y(t)=CX(t)
com a lei de controle u(t)=-KX(t)+Mr(t) b[v] ¬ u
procedimento dfs(N,Adj) faz a cham
3Y

dfs_visit(v)
A figura acima apresenta um circuito de corrente contínua cedimento dfs-visit(u), onde u
onde Fim-Se
funcionando em regime permanente com a chave S1 aberta. Fim-Para Ao término dos dois procedimentos
J7

Fechando 1 ù que
éa 0malha écontém

Em determinado Vinstante,
é
e I ù a chave é
temos: S1 é 3fechada.
ù Imediata-
cor[u] ¬indexados
preto pelos inteiros u de 1 até N
A=ê ú B=ê ú C =C ê
ë
10 0 û e
ú
S K = ê
ë
6 ú
û
ë- 8 - 6 û mente ë 1emû seguida, o módulo da corrente IS, emFim ampères,
R

acordo com a regra de busca prevista


que atravessa a chave S1, é, aproximadamente,
4T

Quando uma entrada (A) 0,8 r(t) do


− 10I
VC tipo degrauS −for40I = (B)
aplicada,
0 qual
0,7 o O resultado do vetor b após a aplicação do procedim
dfs(N,Adj)
valor do ganho M(C) para0,6que o erro de estado estacionário (D) 0,5
VC − seja40I principal para N=6 Para u de 1 até N
T6

NULO ? (E) 0,4 IS =


10 cor[u] ¬ branco
(A) 5,00 (B) 3,65
31 8 − 40 × 0, 1 é 0 1 1 0 0 0ù
b[u] ¬ 0
(C) 2,48 (D) 1,40
I = ê Fim-Paraú
KS

ê0 0 1 0 Para 0 0ú
(E) 0,80 S
10 u de 1 até N
r(t) u(t) X(t) ê0 0 0 1 0 Se
y(t) 0ú cor[u] = branco
32 M + IS =A,0,B4A eCAdj = ê ú é
N

ê0 1 0 0 0 0ú dfs_visit(u)
Um conjunto x(n) de 400 amostras resultou da discretização ê0 0 0 0 1 Fim-Se 1ú
3Y

de um sinal com período de amostragem de 0,1 ms. Usan- ê  Fim-Paraú 


do-se o algoritmo FFT (Fast Fourier Transform) com uma êë0 0 Alternativa
0Fim0 0 1úû (E)
-K  
J7

janela de 512 amostras, foi calculada a Transformada Dis- dfs-visit(u)


creta de Fourier da seqüência
A figura acimax(n) e obteve-se
apresenta a seqüência
o diagrama (A) de
de um sistema b =con-
[3 5 4 0 2cor[u] 0] ¬ cinza
R

X(k), onde k representa a freqüência


trole cujas equações discreta. A quede
sob a forma freqüên-
espaço de estado
(B) b =são:[2 1 4 2 5 6] Para v de 1 até N
4T

cia, em Hz, corresponde a amostra X(k) para k=64? Se (Adj(u,v) = 1) e (


X(t)=AX(t)+Bu(t)
A
(C) b = [2 1 3 0 5 4]
(A) 420 (B) com 640 a lei de controle u(t)=-KX(t)+Mr(t) b[v] ¬ u
y(t)=CX(t)
T6

(C) 1250 (D) 2240 (D) b = [0 1 2 3 0 5] dfs_visit(v)


(E) 3200 onde (E) b = [0 1 0 5 2 3]Fim-Se
Fim-Para
é 0 1ù é0ù é ù é ù
cor[u] ¬ preto
A=ê ú B=ê ú C =ë ê10 0 û e
ú K = ê
ë
6 3 ú
û
ë- 8 - 6 û ë1û 9 Fim
ENGENHEIRO JÚNIOR - ÁREA: AUTOMA
O resultado do vetor b após a aplica
Quando uma entrada r(t) do tipo degrau for aplicada, qual o
valor do ganho M para que owww.pciconcursos.com.br
erro de estado estacionário seja principal para N=6
NULO ?
(A) 5,00 (B) 3,65
(C) 2,48 (D) 1,40 é0 1 1 0 0 0ù
ê ú
(E) 0,80 ê0 0 1 0 0 0ú
ê0 0 0 1 0 0ú
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e aequalquer Adj = êtítulo, a sua ú é
reprodução, cópia, divulgação e 32
distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal. ê0 1 0 0 0 0ú
Um conjunto x(n) de 400 amostras resultou da discretização ê0 0 0 0 1 1ú
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 33

Questão 21
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2012/1)

Comutação em t = 0s

i(t) = 1A + L R e(t)
-

KS
A figura mostra um circuito composto por uma fonte de
corrente contínua, um indutor e um resistor ideais, além

N
de uma chave seletora. A chave comuta instantaneamen-

3Y
te seus contatos em t = 0 s, e a fonte de corrente contínua
tem valor de 1 A. Considere que, antes desse instante,

J7
não havia corrente no indutor nem no resistor.

R
Qual função expressa a tensão e(t), em volts, nos termi-

4T
nais do resistor e do indutor para t ≥ 0 s?

T6
- R ×t - R ×t R -R×L×t
(A) e(t) = L × e L
(B) e(t) = R × e L (C) e(t) = ×e
L

(E) e(t) = R(1- e-R×L×t )


KS
(D) e(t) = L(1- e-R×L×t )
N
3Y

Resolução:
J7

Encontrar o gabarito correto desta questão é extremamente fácil. Perceba


R

que em t = 0 o indutor se comporta como um circuito aberto, portanto a corrente


4T

de 1A passa toda pelo resistor R, fazendo com que a tensão sobre o resistor seja:
T6

e(0) = 1 × R = R. Dentre as alternativas, a única que resulta em e(0) = R é a letra


B. Feito isso o candidato já poderia passar para a próxima questão da prova.
KS

Porém aqui, por motivos didáticos, vamos encontrar a expressão de e(t),


N

o que também é bastante simples. Se transformarmos a fonte de corrente em


3Y

paralelo com R em uma fonte de tensão (em série com R), teremos o conhecido
J7

circuito RL. A nova fonte de tensão, obtida da conversão, será: E = R × 1 = R.


R

Logo a expressão para a tensão no resistor será:


4T

−t
e(t) = Ee τ
T6

−t
e(t) = Re (L/R)
R
e(t) = Re− L t

 
Alternativa (B) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 34

Questão 22
27 (Eng. de Automação Jr - Transpetro 2006)
29
Uma planta industrial po
Função de Transferência
ordem, estritamente próp
R
é correto afirmar que:
+ (A) possui três pólos loca
E R (A) 0 ,2 RC
C (B) possui pelo menos u
RC  5  (C) o seu grau relativo é z
(B) ln  (D) possui dois zeros loca
2 3
plano s.

KS
A figura acima mostra uma fonte de tensão contínua alimen- (C) RC ln(0,2) (E) todos os pólos estão
tivo.
tando um circuito RC. Com o capacitor descarregado, a chave
RC  3 

N
fecha-se no instante inicial, isto é, em t=0. A expressão (D) ln 
2 5 30

3Y
matemática do tempo total (t), contado a partir do instante
inicial até o capacitor se carregar com 1/5 da tensão da (E) 0,6 RC f(t)

J7
fonte, é:
A

R
4T
Resolução:

T6
Para resolver esta questão utilizaremos o Equivalente de Thévenin do cir- 0

cuito “visto” pelo capacitor. Para acharmos RT H curto-circuitamos a fonte e medi-


KS
A figura acima mostra um sinal oriundo de uma des
mos a resistência equivalente nos terminais do capacitor. capacitor,
Resultando no seguinte
cuja expressão é dada por:
N

circuito: 27
3Y

 f (t ) = Ae − αt29 para t ≥ 0
 Uma planta industrial p
_  f (t ) = 0 Funçãopara det <Transferência
0
J7

28 ordem, estritamente pró


Considere a figura abaixo. R
R

Ao é correto afirmar que:


onde A e α são constantes positivas. A expressão d

I
+ (A) possui três pólos loc
4T

E formada de Fourier
(A) 0 ,2 RC deste sinal é:
4 2 mH C R (B) possui pelo menos u
Aω  5  (C) o seu grau relativo é
(A) F ω (B)=
RC
( )
ln 
T6

(D) possui dois zeros loc


Bo
α2+ jω 3  plano s.
S
+ A figura acima mostra uma fonte de tensão 3contínua
mF alimen- (C) RCAln(0,2 ) (E) todos os pólos estão
12 V 20  descarregado, a chave(B) F ω = ( ) tivo.
KS

tando um circuito RC. Com o capacitor


Como fica claro na figura, vemos 5  que Ia
1 resistência equivalente entre os
αRC+ lnjω 3pontos
 A
fecha-se no instante inicial, isto é, em t=0. A expressão (D)   30
2 5
N

matemática do tempo total (t), contado a partir do instante A


e B é:
inicial até o capacitor se carregar com 1/5Rda tensão da F ω (E)
(C) ( )
= 0,6 RC f(t)
α − jω
3Y

A chave S, nofonte, RT H =aberta


é: encontrava-se
circuito, R//R por=um longo
tempo, tendo o circuito alcançado o regime permanente. 2 A
A
(D) F (ω) = 2
J7

Imediatamente após fechar a chave S, o valor da corrente I1,


Agora, para acharmos a tensão equivalente de Thévenin α + ω 2 colocar
devemos
em ampères, será:
R

novamente(A)a0,75 (B) 1,00


fonte no circuito e encontrar (ω) = 2 AA e2 B. Ou
a tensão entre(E)osFextremos
4T

(C) 1,25 (D) 1,50 0


seja, ficamos com o seguinte circuito:
(E) 2,00
27
α +ω
T6

29
A figura acima mostra um sinal oriundo de uma de
8 Uma planta industrial p
_ capacitor, cuja expressão é dada por:
PROVA 35 - ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA AUTOMAÇÃO Função de Transferênci
ordem, estritamente pr
 f (t ) = Aeé− αcorreto
R
Ao t
para t ≥ 0que:
afirmar

 f (t ) = 0(B) possui
+ (A) possui três pólos lo
E R (A) 0 ,2 RC para t < 0
28 C pelo menos
Considere a figura abaixo. RC  5  (C) o seu grau relativo é
www.pciconcursos.com.br A e α são
onde(B)  
lnconstantes positivas.
(D) possuiAdois
expressão
zeros lo
Bo formada de  3 deste sinal é:
2 Fourier
4 2 mH plano s.
(C) RC ln(A0,
(ω) = ω2)
A figura acima mostra uma fonte de tensão contínua alimen- (E) todos os pólos estã
(A) F
α + jω tivo.
tando um circuito RC. Com o capacitor descarregado, a chave
S RC  3 
fecha-se
Material de uso exclusivo do Comprador+ Cód.no T64TRJ73YNKS.
instante inicial, isto é, em
Sendo t=0. Apor
vedada, expressão
3quaisquer
mF meios(D)e a qualquer 
ln título, a 30
sua
(B) F (ω) =  
2 A5
reprodução, cópia, divulgação e 12 V
matemática
distribuição. do tempo totalo(t),
Sujeitando-se contado
infrator 20 
a partir do instante
à responsabilização civil e criminal.
5
inicial até o capacitor se carregar I1 1/5 da tensão da
com α + jω f(t)
(E) 0 ,6 RC
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 35

Como vemos, é um simples divisor de tensão, logo:


R E
VT H = E =
R+R 2

Agora
27 que encontramos RT H e VT H nos restou o seguinte circuito:
29
Uma planta industrial
_ Função de Transferênc
ordem, estritamente p
RTH
é correto afirmar que:

KS
+ (A) possui três pólos lo
VTH R (A) 0 ,2 RC
C (B) possui pelo menos

N
RC  5  (C) o seu grau relativo
(B) ln  (D) possui dois zeros l

3Y
2 3
plano s.
A figura acima mostra uma fonte de tensão contínua alimen- (C) RC ln(0,2 ) (E) todos os pólos estã

J7
tivo.
tando um circuito RC. Com o capacitor descarregado, a chave
Ora, este é umfecha-se
simples circuito 
RC  3 fonte
inicial,RC onde a Aresistência éR
(D)T H elna  é

R
no instante isto é, em t=0. expressão 30
2 5
VT H . Então podemosmatemática
utilizar adoconhecida
tempo total (t), contado a partir do instante
equação de carga do capacitor, sabendo

4T
inicial até o capacitor se carregar com 1/5 da tensão da (E) 0 ,6 RC f(t)
que no tempo t que procuramos
fonte, é: a carga do capacitor é igual a 51 da fonte, ou seja

T6
A
VC (t) = E5 :
KS
−t
VC (t) = VT H (1 − e τ )
E 0
N

−t
VC (t) = (1 − e τ )
2
3Y

A figura acima mostra um sinal oriundo de uma d


E E −t capacitor, cuja expressão é dada por:
= (1 − e τ )
J7

5 2
1 1 −t  f (t ) = Ae − αt para t ≥ 0
R

= (1 − e τ ) 
5 2  f (t ) = 0 para t < 0
4T

28
−t
Considere a figura
2
e τabaixo.
=1− onde A e α são constantes positivas. A expressã
5
T6

formada de Fourier deste sinal é:


4 2 mH
−t 3 Aω
= ln (A) F (ω) =
τ 5 α + jω
KS

S 
+ 3 3 mF
A
12 V t = −τ ln 20  (B) F (ω) =
5 α + jω
N

5
 I1
3Y

5 A
t = τ ln (C) F (ω) =
3 α − jω
J7

A chave S, no circuito, encontrava-se aberta


 por um longo
tempo, tendo o circuito alcançado o regime 5 permanente. A
Imediatamente apóst fechar
= (Ra Tchave
H C) S,ln (D) F (ω) =
R

o valor da corrente I1,


3 α 2 + ω2
em ampères, será:
4T

 
(A) 0,75 RC (B) 1,00 5 F (ω) =
A
(C) 1,25 t= ln(D) 1,50 (E)
2 3 α + ω2
2
T6

(E) 2,00

8  
PROVA 35 - ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA AUTOMAÇÃO Alternativa (B) 


www.pciconcursos.com.br

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
_
RC  5 
(B) ln 
2 3

(C) RC ln(0,2) 0
CIRCUITOS ELÉTRICOS 3
RC  www.ExatasConcursos.com.br A figura acima mostra36
um sinal oriundo
(D) ln  capacitor, cuja expressão é dada por:
2 5

Questão 23 (E) 0,6 RC  f (t ) = Ae − αt para


(Eng. de Automação Jr - Transpetro 2006) 
28  f (t ) = 0 para t
Considere a figura abaixo.
onde A e α são constantes positivas. A
27 formada de Fourier deste sinal é:
4 2 mH
29 Aω
( )
ω = pode ser modelada atrav
(A) F industrial
Uma planta
α + jω
Função de Transferência G(s) racional e contínua,
S
+ R
3 mF ordem, estritamente própria e estável. Com relaç
A
12 V + 20  F ω que:
(B) afirmar
é correto = ( )
E
5  C I1 R (A) possui três pólosαlocalizados
+ jω no semiplano s

KS
(B) possui pelo menos um zero localizado no infi
A
(C) o seu
(C) grau ( )
F ωrelativo
= é zero. sobre o eixo ima
(D) possui dois zerosαlocalizados
− jω

N
A chave S, no circuito, encontrava-se aberta por um longo plano s.

3Y
A figura acima mostra uma fonte de tensão contínua alimen-
tempo, tendo o circuito alcançado o regime permanente. (E) todos os pólos estão A localizados sobre o eixo
tando um circuito RC. Com o capacitor descarregado, a chave
Imediatamente após fechar a chave S, o valor da corrente I1, (D) F ω = 2
tivo. ( )
fecha-se no instante inicial, isto é, em t=0. A expressão α + ω2

J7
em ampères, será:
matemática do tempo total (t), contado a partir do instante 30
(A) 0,75 (B) 1,00 A
( )

R
inicial até o capacitor se carregar com 1/5 da tensão da
(C) 1,25 (D) 1,50 F ω =
(E) f(t)
fonte, é: α 2 + ω2

4T
(E) 2,00
A
(A) 0 ,2 RC

T6
8
PROVARC 5
35 - ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA AUTOMAÇÃO
Resolução: (B) ln 
2 3
KS
(C) RCaln(chave
Sabendo que com 0,2) S aberta em regime permanente o0 indutor será t

RC  3  e o capacitor será equivalente aAum


equivalente a um curto-circuito figura acima mostra um sinal oriundo de uma de
circuito aberto,
N

(D) ln  www.pciconcursos.com.br


capacitor, cuja expressão é dada por:
2 5
3Y

podemos facilmente calcular o valor da corrente IL que passa pelo indutor e a


(E) 0,6 RC  f (t ) = Ae para t ≥ 0 − αt
tensão VC sobre o capacitor nesta situação. Para isso nos baseamos no
 circuito
J7

28  f (t ) = 0 para t <0
resultante com a chave S aberta:
R

Considere a figura abaixo.


onde A e α são constantes positivas. A expressão
4T

formada de Fourier deste sinal é:


4

(A) F (ω) =
T6

IL
α + jω
+ +
VC A
12 V 20  (B) F (ω) =
KS

5 α + jω
A
(C) F (ω) =
N

α − jω
3Y

A chave S, no circuito, encontrava-se aberta por um longo


tempo, tendo o circuito alcançado o regime permanente. A
A tensão VC sobre o Imediatamente
capacitor em regime
após fechar permanente
a chave então
S, o valor da corrente I1, (D) F (ω) =
será:
J7

α 2 + ω2
em ampères, será:
(A) 0,75 20
(B) 1,00 A
F (ω) =
R

(C) 1,25 VC = 12 × (D) 1,50= 10V (E)


20 + 4 α + ω2
2
4T

(E) 2,00
A corrente IL que passa pelo indutor em regime permanente8será:
T6

PROVA 35 - ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA AUTOMAÇÃO


12
IL = = 0, 5A
20 + 4

Imediatamente após o fechamento da chave S, os valores de IL e VC serão


www.pciconcursos.com.br
os mesmos de quando a chave S estava aberta em regime permanente, logo tere-
mos o seguinte circuito:

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
(C) RC ln(0,2) 0

RC  3  A figura acima mostra um sinal oriundo de uma de


(D) ln  capacitor, cuja expressão é dada por:
2 5

CIRCUITOS ELÉTRICOS
(E) 0,6 RC
www.ExatasConcursos.com.br  f (t ) = Ae − αt37 para t ≥ 0

28  f (t ) = 0 para t < 0
Considere a figura abaixo.
onde A e α são constantes positivas. A expressão
formada de Fourier deste sinal é:
4 VL
+ X Aω
(A) F (ω) =

12 V
+
IL
I 20 
+
VC
(B) F (ω) =
α + jω
A
5 I1 α + jω
A
(C) F (ω) =
α − jω
A chave S, no circuito, encontrava-se aberta por um longo
tempo, tendo o circuito alcançado o regime permanente. A
Então fica fácilImediatamente
encontrarapós o valor
fechar ada corrente
chave 1:
S, o valor daIcorrente I1, (D) F (ω) =
α + ω2
2

KS
em ampères, será:
(A) 0,75 VX VC(B) 1,00
10 A
(C) 1,25 I1 = = (D)=1,50 = 2A (E) F (ω) =
5 5 5

N
(E) 2,00 α + ω2
2

3Y
Obs.: ObservePROVA
que35a- ENGENHEIRO(A)
corrente ILJÚNIOR
não - foi utilizada para8encontrar I1 , por isso
ÁREA AUTOMAÇÃO

J7
não precisava ter sido calculada. Mas é uma boa prática determinar completa-

R
mente o estado de regime permanente antes de prosseguir os cálculos, pois deste

4T
modo temos dados suficientes para verificar nossos cálculos.
www.pciconcursos.com.br

T6
 
Alternativa (E) 

KS
N
3Y
J7
R
4T
T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 38

Questão 24
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2010/1)

S1 2kW
1kW

IF 5 mH 2kW
+
10V 20kW 2mF 3kW

KS
N
A figura apresenta um circuito elétrico alimentado por uma

3Y
fonte CC, funcionando em regime permanente com a cha-
ve S1 aberta.

J7
Parte 1

R
Nessas condições, qual é a corrente IF, em miliamperes,
fornecida pela fonte?

4T
(A) 1,2

T6
(B) 1,6
(C) 2,0
(D) 2,4
KS
(E) 2,8
N
3Y

Resolução:
J7

Lembrando que em regime permanente o capacitor será equivalente a um


R

Considere a figura abaixo para responder às questões 39


circuito aberto, e o indutor a um curto-circuito, com S1 aberta teremos
de nos 36 e 37.
o seguinte
4T

circuito:
T6

1kW VS A B C

IF IL 2kW
KS

+ +
10V 20kW VC 3kW
– – No circuito da figura acima, a carga A cons
N

fator de potência 0,8 atrasado, a carga B ap


3Y

cia aparente de 12VA com fator de potência


a fonte de tensão VS é de 40 V (rms) com
oscilação de 31rad/s. A capacitância C, e
J7

A figura apresenta um circuito elétrico alimentado por uma que deve ser ligada em paralelo às cargas
cuito apresente fator de potência unitário é
Como pode ser visto,
fonte CC,para encontrarmos
funcionando IF basta
em regime permanente com adividirmos
cha- a tensão da
R

(A) 225
ve S1 aberta.
4T

fonte pela resistência equivalente Req : (B) 275


36 Nessas condições, qual é a corrente IF, em miliamperes, (C) 300
(D) 375
T6

VF
fornecida pela fonte? 10 10 (E) 425
IF(A)=1,2 = 20×(2+3)
= = 2mA
(B) 1,6
R eq 1 + 5
20+(2+3) 40
(C) 2,0
 Plano s
 jw
(D) 2,4
(E) 2,8

Alternativa (C)  j 30

s
37
Em determinado instante, a chave S1 é fechada. Qual é a - 40 -10
taxa de variação da tensão do capacitor, em volts/s, imedi-
-j 30
atamente ao instante do fechamento da chave S1?
Material de uso exclusivo do Comprador − 0,96
(A)Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
Um sistema linear, contínuo e invariante n
(B) − 0,80
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
senta a configuração de polos e zeros do
(C) − 0,64 malha aberta, mostrada no diagrama acima.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 39

Parte 2
Em determinado instante, a chave S1 é fechada. Qual é a
taxa de variação da tensão do capacitor, em volts/s, imedi-
atamente ao instante do fechamento da chave S1?
(A) − 0,96
(B) − 0,80
(C) − 0,64
(D) − 0,48
(E) − 0,32

KS
Resolução:

N
Antes de fecharmos a chave S1, vamos voltar ao circuito da resolução da

3Y
questão anterior (quando S1 estava aberta em regime permanente) para calcu-

J7
larmos os valores da corrente IL que passa pelo indutor e da tensão VC sobre o

R
capacitor. Pelo divisor de corrente encontramos facilmente IL como segue:

4T
20

T6
IL = × IF = 0, 8 × 2mA = 1, 6mA
20 + 5
E VC é igual á tensão sobre o resistor de 20kΩ:
KS

VC = RI = R(IF − IL ) = (20 × 103 ) × (2 − 1, 6) × 10−3 = 8V


N

_
3Y

Agora que já temos o valor de IL e VC podemos fechar a chave S1, resul-


J7

tando no seguinte circuito:


Considere a figura abaixo para responder às questões 39
R

de nos 36 e 37.
4T

IR 2kW
T6

1kW VS A B C
X

IF IL 2kW
+ +
KS

10V 20kW VC 3kW


– – No circuito da figura acima, a carga A cons
fator de potência 0,8 atrasado, a carga B ap
N

cia aparente de 12VA com fator de potência


3Y

a fonte de tensão VS é de 40 V (rms) com


oscilação de 31rad/s. A capacitância C, e
A figura apresenta um circuito elétrico alimentado por uma que deve ser ligada em paralelo às cargas
J7

fonte CC, funcionando em regime permanente com a cha- cuito apresente fator de potência unitário é
(A) 225
ou seja, dVdtC ,
R

Como nos é pedido


ve S1a aberta.
taxa de variação da tensão do capacitor, (B) 275
4T

36 (C) 300
lembramos da equaçãoNessas
do capacitor (emé adescarga):
condições, qual corrente IF, em miliamperes,
(D) 375
fornecida pela fonte?
(E) 425
T6

(A) 1,2 dVC


(B) 1,6 IC = −C 40
(C) 2,0
dt
dVC IC Plano s jw
(D) 2,4
=−
(E) 2,8 dt C j 30

Ou seja, como C 37
é conhecido, precisamos apenas determinar a corrente IC s
Em Para
determinado instante, a chave S1 é fechada. Qualno
é anó X identificado no - 40 -10
que passa pelo capacitor. tal aplicamos a Lei dos Nós
taxa de variação da tensão do capacitor, em volts/s, imedi-
-j 30
atamente ao instante do fechamento da chave S1?
(A) − 0,96
Material de uso exclusivo do Comprador T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios eUm
− 0,80
(B)Cód.
sistema título,
a qualquer linear,a contínuo
sua e invariante n
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e senta a configuração de polos e zeros do
criminal.
(C) − 0,64 malha aberta, mostrada no diagrama acima.
(D) − 0,48 este sistema, a fim de aplicar um controle d
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 40

circuito, resultando em:


VC
IF + IC = + IR + IL
20 × 103
8
IC = 3
+ IR + 1, 6 × 10−3 − 2 × 10−3
20 × 10
IC = IR

Agora precisamos determinar o valor de IR , e para isso fechamos a malha que

KS
contém VC e IR :

N
VC − (2 × 103 )IR − (IL + IR )3 × 103 = 0

3Y
5 × 103 IR = VC − 3 × 103 IL

J7
VC − 3 × 103 IL

R
IR =
5 × 103

4T
8 − 3 × 103 (1, 6 × 10−3 )
IR =

T6
5 × 103
3, 2
IR =
5 × 103
KS
IR = IC = 0, 64mA
N
3Y

dVC
Agora podemos finalmente encontrar dt
:
J7

dVC IC 0, 64 × 10−3
=− =− = −0, 32 V /s
R

dt C 2 × 10−3
4T

 
Alternativa (E) 

T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 41

Questão 25
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Termoaçu 2008/1)
27
50 W 0,2 h

+
10 W AMP
+ -
120 V
-
0,05 F 50 W

KS
N
3Y
No circuito da figura acima, considera-se que o capacitor e o
26 28
indutor estão inicialmente descarregados. A chave é fechada
+VDD +VDD
no tempo t=0s e, neste 10 instante, uma medida de corrente ( I0 )

J7
A0
12
é feita no amperímetro 13 (AMP).
A1 Com a chave fechada até o
A2

R
circuito atingir o regime
15 permanente,
A3 outra medida de cor- C QPC D QPD B QPB
9 B0
rente ( Iss ) é feita. Os
11 valores, em A, das medidas I0 e Iss ,

4T
B1
14
respectivamente, são 1
B2 A QPA
B3
(A) 0,0 e 1,2 2 (B)A<B0,0 e 1,5
A<B 7 (C) 0,3 e 0,0

T6
i
3 A=Bi A=B 6
4 (E) 2,0 e 3,0 5
(D) 0,4 e 1,2 A>B i A>B
7485 Y
C QNC
Um 7485, cuja pinagem está indicada na figura acima, é
KS
usado para comparar 2 números de 4 bits sem sinal (0 a 15).
D QND
Resolução: Para usá-lo como comparador de 2 números com sinal
(8 a +7), onde os números negativos são representados
N

em complemento 2, três opções são apresentadas:


3Y

Com a chave aberta não há nenhuma fonte conectada ao circuito, e como o


I  trocar os bits mais significativos A3 por B3 e vice-versa B QNB A QNA
capacitor está descarregadodeentão não
cada um dos fluirá
números de 4nenhuma corrente
bits antes de ligá-los ao pelo circuito, logo
J7

comparador;

__
II  passar e
I0 = 0. Com a chave fechada porem
um inversor o bit mais
regime significativo de cada podemos substituir o
permanente,
R

número de 4 bits antes de ligá-los ao comparador;


III  passar por um inversor as saídas A>B e A<B.
indutor por um curto-circuito e o capacitor por um circuito aberto, issoCMOS
O circuito fazdacom queimplementa a função lóg
figura acima
4T

Está(ão) correta(s) APENAS a(s) opção(ões)


(A) Y = AB (C + D) Y = ( A + B ) (C + D )
o circuito vire apenas a fonte
(A) I de tensão em série
(B) II com duas resistências de 50Ω e(B)
T6

(C) III (D) I e II (C) Y = CD ( A + B) (D) Y = ( A + B) CD


um amperímetro, como a (E)
figura
II e III abaixo ilustra:

_
(E) Y = AB (C + D)
27
KS

50 W Para responder às questões 29 e 30, considere o siste


_ em Malha Fechada, com realimentação unitária
+ saída, mostrado na figura.
N

10 W AMP
3Y

+ -
120 V
-
J7

50 W

Para um determinado valor de K positivo, dois dos pó


R

estarão sobre o eixo imaginário e o sistema entra


4T

oscilação.
No circuito da figura acima, considera-se que o capacitor e o
indutor estão inicialmente descarregados. A chave é fechada 29
T6

no tempo t=0s e, neste instante, uma medida de corrente ( I0 )


Portanto, a corrente que passa pelo amperímetro será:
é feita no amperímetro (AMP). Com a chave fechada até o
Com base nos dados apresentados, a oscilação ocorre p
circuito atingir o regime permanente, outra medida de cor- o valor de K igual a
120
rente ( Iss ) é feita. Os valores, em A, das medidas I0 e Iss , (A) 2500 (B) 1850 (C) 1200 (D) 500 (E) 1
I
respectivamente,
SS = são = 1, 2A
(A) 0,0 e 1,2 (50 + 50) 30
(B) 0,0 e 1,5
Com base nos dados apresentados, a freqüência angula
(C) 0,3 e 0,0  
(D) 0,4 e 1,2 oscilação, em rad/s, é
(E) 2,0 e 3,0
Alternativa
(A) 5 (B) 10
(A)
(C) 20  (D) 50 (E) 1

7
ENGENHEIRO DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR (ELETRÔNI

www.pciconcursos.com.br
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 42

Questão 26
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Refap 2007)
24 27
2 mF 10  F D

10  S1 STRAIN GAUGE
ATIVO

/
Ic 20  Resistência R + R
+
5 mH
5V 1mF 40 
- STRAIN GAUGE
40  DE COMPENSAÇÃO

KS
Resistência R

Alim

N
A figura acima apresenta um circuito elétrico operando em
regime permanente com a chave S1 fechada. Em determina-

3Y
F
do instante, a chave S1 é aberta. Imediatamente após esse

J7
instante, a corrente IC, em ampères, que atravessa o capacitor
Dois strain gauges, conectados em um
de 1 mF no circuito, aproximadamente, será:

__
são utilizados para a medida da força lo

R
(A) 0,01 (B) 0,02 sobre uma barra de aço cilíndrica, confo

4T
(C) 0,05 (D) 0,08 ra. O circuito em ponte é ajustado de ta
(E) 0,10 não há esforço longitudinal na barra, a te

T6
Considerando que o diâmetro da barra é
25 do aço é E, os strain gauges possuem
Considere um sistema, com entrada u(t) e saída y(t), cuja são de alimentação é V e a tensão de s
Resolução: função de transferência é dada por: são para a força de tração na barra será
KS
Y s  K E
V 
Lembrando que em regime G s  permanente
 (A) 4 D 2  a cir-
capacitores são equivalentes 2
N

U s  s s  4 s  10  K V 
3Y

cuitos abertos e indutores a curto-circuitos, com S1 fechada teremos o seguinte


Fecha-se a malha, com realimentação de saída do tipo K V
u(t) = -y(t) + r(t), onde r(t) é uma entrada de referência. Com (B) 4 D2
circuito: E V
J7

base nesses dados, qual o valor de K para que dois dos pólos
24 27

__
1
do sistema, em malha fechada, sejam imaginários puros?
VC2 10  D2 E
V 
R

(A) 40 - (B) 100


(C)  1
F  D
+ 4 K V 
4T

(C) 340 (D) 560


10 
(E) 820 1
STRAIN GAUGE E
V 
D2 
(D)ATIVO 2
T6

/
20  IL KR V
Resistência R + 
R
26 +
I
+
5V VC1 40  2
- V1
STRAIN D E V
- 40  (E) GAUGE
KS

DE COMPENSAÇÃO
4 K
Resistência R
V R
00
N

A figura acima apresentaV1 um circuito elétrico operando em 28 Alimentação


V +
V3 Uma linguagem descritiva de hardware é
3Y

regime permanente com a chave S1 fechada. Em determina-


01 F
Vemos que a “abertura” dos capacitores
do instante, simplifica
a chave S1 é aberta. bastante
Imediatamente após esseo circuito, ficando
importante para fácil
o desenvolvimento de
instante, a correnteV2IC, em ampères, que atravessa o capacitor Dentre as mais populares, destaca-se
J7

calcularmos o estadodedos1 mFcapacitores e do indutor:


no circuito, aproximadamente, V3
será:
Dois strain gauges, conectados em um circuito
afirmativa INCORRETA relacionada com
V2 são utilizados para a medida da força longitudin
11 10 programação.
R

(A) 0,01 (B) 0,02 sobre uma barra de aço cilíndrica, conforme indic
5 (D) 0,08
(C) 0,05 I = = 0, 1A ra. O(A) A linguagem
circuito em ponte éVHDL possui
ajustado de talinterfac
forma q
4T

40
(E) 0,10 (10 + 20 + 2 ) eletrônica.
não há esforço longitudinal na barra, a tensão de s
Para implementar o diagrama de estados da figura acima,Considerando que o diâmetro da barra é D, o Módu
(B) A linguagem VHDL possui portabilid
T6

com252 flip-flops tipo D, a lógica de menor hardware da entradado aço é E, os strain gauges possuem fator gau
40 (C) O processamento em VHDL é
são de alimentação é V e a tensão de saída é ∆V
DB do ILflip-flop
= um
Considere mais significativo
sistema,× com é: 5 ×
I =entrada
0, 0,e1saída
u(t) = 0,y(t),
05A cuja
(A) função
V3.Q de + 40 + 40 é dada por:
transferência
Q (B) V3.Q .Q +Q são paraseqüencial.
a força de tração na barra será:
B A B A A (D) Um componente é descrito em VH
(C) V3 V QA =
+C1 Y s=
5 − 10I  5 −(D)10 × Q0,B.1QA=+ 4V
KV1. V2.QA E
V
arquitetura estrutural ou comportam
G s    (A) 4 D 2  2
U s  s s  4 s  10  (E) UmK código
V escrito em VHDL pode s
(E) V1. QB+ QB .QA
VC2
Fecha-se a malha, × Irealimentação
= 20 com = 20 × 0, 1de=saída
2V do tipo tos FPGA
K V
durante a fase de desenv
u(t) = -y(t) + r(t), onde r(t) é uma entrada de referência. Com (B) 4 D2
E V
base nesses dados, qual o valor de K para que dois dos pólos 8
Sabendo queEngenheiro os capacitores
do sistema,deem Equipamentosmanterão
malha fechada, Júnior suas tensões
sejam- imaginários
Eletrônica puros? de r.p. D2 E no
Vmomento

1
(A) 40 (B) 100 (C)  1
4 K V 
www.pciconcursos.com.br
(C) 340 (D) 560
(E) 820 1
2E
V 
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios (D) e D 
a qualquer título,
2  a sua
K V 
26
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
2
V1 D E V
(E)
CIRCUITOS ELÉTRICOS

5V
+

-
10 

Ic
_
www.ExatasConcursos.com.br

imediatamente após a abertura da chave S1, teremos então o seguinte circuito:


24

.
X

-
+
+

VC1
VC2
-
10 

Ic2

40 
IL
+

/
-
VL
40 
27

STRAIN GAUGE
ATIVO
Resistência R + R

STRAIN GAUGE
DE COMPENSAÇÃO
Resistência R
F
43

KS
Alimentação
A figura acima apresenta um circuito elétrico operando em V +
Icregime permanente com a chave S1 fechada. Em determina-

N
Para encontrarmos aplicamos a Lei dos Nós no nó X:
do instante, a chave S1 é aberta. Imediatamente após esse
F

3Y
instante, a corrente IC, em ampères, que atravessa o capacitor
5 − VC1 Dois strain gauges, conectados em um circuito
= Ic + Ic2 será:
de 1 mF no circuito, aproximadamente,
são utilizados para a medida da força longitudin
10

J7
(A) 0,01 (B) 0,02 sobre uma barra de aço cilíndrica, conforme indic
(C) 0,05 5 −(D)VC1
0,08 ra. O circuito em ponte é ajustado de tal forma q
Ic = − Ic2

R
(E) 0,10 10 não há esforço longitudinal na barra, a tensão de s

4T
Considerando que o diâmetro da barra é D, o Mód
25
5−4 do aço é E, os strain gauges possuem fator gau
Ic = − Ic2 são de alimentação é V e a tensão de saída é ∆
10 u(t) e saída y(t), cuja
Considere um sistema, com entrada

T6
função de transferência é dada por: são para a força de tração na barra será:
Ic = 0, 1 − Ic2 (1.9)
Y s  K E
V 
G s    (A) 4 D  2 2
U s  s s  4 s  10  K V 
KS
Como visto na equação 1.9, precisamos primeiro encontrar o valor de Ic2 . Para tal,
Fecha-se a malha, com realimentação de saída do tipo K V
u(t)contém
= -y(t) + r(t),Vondeer(t)oéresistor
uma entradade
de referência. Com (B) 4 D2
fechamos a malha que 40Ω que não está emE V série com
N

C1
base nesses dados, qual o valor de K para que dois dos pólos
1
3Y

o indutor (pois não temos o valor


do sistema, em malhadefechada,
VL ): sejam imaginários puros? D2 E
V 
(A) 40 (B) 100 (C)  1
4 K V 
(C) 340 (D) 560
J7

VC1 − VC2 − 10Ic2 − 40(Ic2 − IL ) = 0


(E) 820
E
V 
1
(D) D2  2
VC1 − VC2 + 40IL K V 
R

26
Ic2 =
4T

V1
50 D2 E V
(E)
00 4 − 2 + 40 × 0, 05 4 K V
T6

Ic2 =
V1 50 28
V3 Uma linguagem descritiva de hardware é hoje uma
01 Ic2 = 0, 08A (1.10)
importante para o desenvolvimento de circuitos
KS

V2 Dentre as mais populares, destaca-se a VHDL


V3 afirmativa INCORRETA relacionada com essa lin
V2
Finalmente, substituimos o valor 11 de Ic210 encontrado em 1.10 na equação 1.9
N

programação.
(A) A linguagem VHDL possui interface de alto
3Y

para encontrarmos Ic : eletrônica.


Para implementar o diagrama de estados da figura acima,
(B) A linguagem VHDL possui portabilidade na in
com 2 flip-flops tipo D, a lógica de menor hardware da entrada
J7

(C) O processamento em VHDL é descrito


c = 0, 1 −
DB do flip-flop maisIsignificativo é: Ic2
seqüencial.
(A) V3.QB + QA (B) V3.QB.QA+QA
R

(D) Um componente é descrito em VHDL, base


(C) V3 + QA Ic = 0, 1 −(D)0,V1. 08QB. QA + V2.QA arquitetura estrutural ou comportamental.
4T

(E) V1. QB+ QB .QA (E) Um código escrito em VHDL pode ser testad
Ic = 0, 02A tos FPGA durante a fase de desenvolvimento
T6

8  
Engenheiro de Equipamentos Júnior - Eletrônica
Alternativa (B) 

www.pciconcursos.com.br

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 44

Questão 27
(Eng. de Equipamentos Jr Elétrica - Petrobras 2010/2)
BLOCO 1 23

2 kΩ
2
oidal tem uma seção reta S [ m ], com-
12 kΩ 8 kΩ
o L [ m ], permeabilidade μ [ H/m ] e um
e N espiras. Nesse núcleo é feito um Gap
comprimento médio d [ m ], com d << L, +
9V 0,25 mF
dispersão no Gap possa ser desprezada.
-
cleo tenha um fluxo magnético de Ψ [ Wb ],

KS
a corrente no enrolamento, em ampères, é

Dados: permeabilidade do Gap é μ0 [ H/m ] e No circuito elétrico da figura acima, com a chave aberta,

N
a dispersão no enrolamento é desprezível o capacitor está totalmente descarregado. Considerando

3Y
que o capacitor atinge carga máxima após 5 constantes
- d) dù de tempo, quanto tempo, em ms, decorrerá para esse

J7
+ ú
m m0 û capacitor atingir a carga máxima, após o fechamento da
chave?

R
(A) 15,0
- d) dù

4T
+ ú (B) 10,2
m m0 û
(C) 6,0

T6
(D) 3,0
- d)ù (E) 2,4
ú
+ m0 û
KS
24
Seja um transformador monofásico de 40 kVA, 3.000/300 V.

N

+ ú Resolução: A partir dos ensaios de curto-circuito e circuito aberto, ve-


m0 û
3Y

rificou-se que as perdas no cobre e no ferro têm valores


Sabemos que iguais a 600 W e 300
a constante de W, respectivamente.
tempo AdmitindoRC
τ de um circuito quesérie é dado por τ =
esse transformador alimenta uma carga em condições no-
J7

+ dm 0 ] RC. Porém o circuito dado não está no formato RC série (um resistor em série com
minais, com fator de potência 0,7 indutivo, o valor aproxi-
R

um capacitor). Por mado estedemotivo


seu rendimento
vamosécalcular a resistência “vista” pelo capacior,
4T

(A) 0,85
ou seja, a resistência equivalente de Thévenin. Para tal curto-circuitamos a fonte
(B) 0,89
re dois meios dielétricos magnéticos (meios
T6

(C) 0,90
pos elétrico e magnéticode tensão
devem e calculamos a resistência equivalente nos terminais do capacitor, cujo
satisfazer
(D) 0,92
condições de contorno. Considere que os
processo está mostrado (E) 0,97na figura abaixo:
BLOCO 1permissividades ε1
nham, respectivamente, 23
KS

e permeabilidades μ1 e μ2 (em H/m). Dado


25 2 kΩ
s 1 e 2, as intensidades de Campo Elétrico, A realização de paralelismo de geradores é uma medida
N

2
cleo toroidal tem uma seção reta S
espectivamente, E1 e E2, e as densidades [ m ], com-
amplamente utilizada nos parques
12 kΩ 8 kΩ de energia. Suponha
3Y

o médio L [ m ], permeabilidade μ [ H/m ] e um


ético, em T, são, respectivamente, B1 e B2,
mento de N espiras. Nesse núcleo é feito um Gap
tre esses meios, a(s) componente(s)
rro) de comprimento médio d [ m ], com d << L,
dois
ramento
geradores
de um I
idênticos,
sistema .
G
A
1
e
elétrico
G2, conectados ao bar-
de potência, injetando
J7

E
de
e oE
é igual
o 1que
é
à componente
a dispersão
igual à componente
normal
no Gap possa de E2.
ser desprezada.
tangencial
Ψ de
I
.
potências ativas P1 e P2. A forma
B
0,25 mF
pela qual as potências
R

núcleo
1 tenha um fluxo magnético de [ Wb ], ativas são repartidas entre esses dois geradores ocorre,
ssão da corrente no enrolamento, em ampères, é principalmente, pelo(a)
4T

de B1 é igual à componente tangencial de (A) ajuste das correntes de excitação.


Dados: permeabilidade do Gap é μ0 [ H/m ] e No circuito elétrico da figura acima, com a chave aberta,
(B) ajuste das
estácorrentes
totalmentede armadura. Considerando
T6

a dispersão no enrolamento é desprezível o capacitor descarregado.


s de E1 e E2 são proporcionais Perceba que o resistor
às respecti- (C) de 2kΩ
quedespacho
está curto-circuitado
o capacitor determinado pelo operador
atinge carga máxima
(ele liga o ponto B ao próprio
do sistema
após 5 constantes
YN é (L - d) d ù
sividades. ponto B), portanto ele elétrico.
de pode
tempo, ser
quanto tempo, em ms, decorrerá
desconsiderado, para esse
restando-nos apenas os resistores
+
s Sdeêë B1m e B2m0são
ú
û inversamente proporcio- capacitor
(D) atingir a carga
característica máxima, após o de
velocidade-potência fechamento
cada da
máquina.
pectivas permeabilidades. de 12kΩ e 8kΩ que(E) estão
chave? em paralelo
característica da carga(ambos
conectada ligam o ponto A ao ponto B), logo:
ao barramento.
(A) 15,0
Y é (L - d) d ù
ê + ú (B) 10,2
NS ë m m0 û
A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 6 (C) 6,0
(D) 3,0
YS é (L - d)ù (E) 2,4
ê ú
N ë m + m0 û
24
Seja um transformador monofásico de 40 kVA, 3.000/300 V.
éL d ù Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
YNS ê + ú A partir dos ensaios de curto-circuito e circuito aberto, ve-
ë m m0 û reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
rificou-se que as perdas no cobre e no ferro têm valores
iguais a 600 W e 300 W, respectivamente. Admitindo que
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 45

12 × 8
RT H =
12 + 8
96
RT H =
20
RT H = 4, 8kΩ

Agora que já temos RT H podemos facilmente encontrar a constante de

KS
tempo do sistema:

N
τ = RT H C

3Y
τ = (4, 8 × 103 ) × (0, 25 × 10−6 )

J7
τ = 1, 2 × 10−3 s

R
4T
Como o capacitor atinge carga máxima após cinco constantes de tempo,

T6
temos que o tempo necessário para atingir esta carga máxima será:
KS
tcM ax = 5τ
= 5 × (1, 2 × 10−3 )
N
3Y

= 6ms
J7

 
Alternativa (C) 

R
4T
T6
KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 46

Questão 28
(Eng. de Equipamentos Jr Elétrica - Petrobras 2010/2)
26

KS
Considere o circuito CC mostrado na figura acima, onde a chave foi mantida por um longo tempo na posição a, tempo sufi-

N
ciente para atingir o estado estacionário, sendo colocada, depois, na posição b, em t = 0. Nessas condições, o valor inicial
(em t = 0) e o valor final, em regime permanente, da tensão vc nos terminais do capacitor, em volts, são, respectivamente,

3Y
(A) 1,0 e 10,0
(B) 10,0 e 10,0

J7
(C) 10,0 e 20,0
(D) 15,0 e 20,0

R
(E) 15,0 e 30,0

4T
27

T6
Resolução:
KS
Com a chave na posição a, em regime permanente não passará corrente
pelo capacitor e o mesmo estará com a mesma tensão do resistor de 100kΩ (visto
N

que estão em paralelo), e a corrente pelo circuito será impressa pela fonte de
3Y

corrente de 0, 1mA, logo:


J7
R

VCa = (100k) × (0, 1m)


4T

VCa = (100 × 103 ) × (0, 1 × 10−3 )


A figura 1 mostra o circuito π equivalente de um transformador em fase de um sistema elétrico de potência. Na figura 2, é
T6

VCa =a10V
mostrado o mesmo transformador, entretanto, modelagem utilizada é feita através de um transformador ideal de relação
de transformação 1:a, em série com uma admitância ykm. Comparando-se a modelagem apresentada nas duas figuras, as
expressões das admitâncias yA, yB e yC, da figura 1, são, respectivamente,
KS

Com a(achave
- 1)y
na posição b, em regime permanente não passará corrente
(A) , km e
pelo capacitor(a e- 1)o2ymesmo estará com a mesma tensão do resistor de 50kΩ (visto
N

(B) , km e
3Y

que estão em
(C)
paralelo),
, a(a - 1)y
e a tensão no circuito proverá da fonte de tensão de 60V ,
e (1 - a)y
km km
logo:
J7

2
(D) , e (1 + a) ykm

(E) a(a + 1)ykm , e (1 - a)2ykm 50


R

VCb = × 60
100 + 50
4T

60
VCb =
T6

3
7
VCb = 20V ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR
ELÉTRICA

 
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 47

Questão 29
(Eng. Eletrônica Eletrobrás - Eletronuclear 2010)

VA VB VC

5kW 1mH S1
2kW
+
14V 6kW 2mF 4kW 1kW
_

KS
A figura acima ilustra um circuito alimentado por uma fonte

N
DC, que se encontra em regime permanente, com a cha-

3Y
ve S1 aberta.

Parte 1

J7
Nessas condições, o valor da tensão VA sobre o capacitor,
em volts, é

R
(A) 3 (B) 5 (C) 7 (D) 9 (E) 11

4T
T6
Resolução:
KS
Sabemos que em regime permanente o capacitor será como um circuito
aberto, e o indutor como um curto-circuito. Visto isso, o ciruito se transforma em
N
3Y

um simples circuito de duas malhas resistivas. Aplicando a Lei dos Nós no nó de


VA temos:
J7

14 − VA VA VA
R

= +
2k 6k 5k + 4k
4T

9(14 − VA ) = 3VA + 2VA


T6

14VA = 9 × 14
KS

VA = 9V

 
N

Alternativa (D) 

3Y
J7
R
4T
T6

Parte 2
Em determinado instante, a chave S1 é fechada no circuito
da figura. Imediatamente ao fechamento, a ddp (VB – VC)
sobre os terminais do indutor, em volts, será
(A) 0,9 (D) 4,9
(B) 2,0 (E) 6,1
(C) 3,2

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 48

Resolução:

Ainda com a chave aberta, calculamos a corrente IL que passa pelo indu-
tor:
VA
IL =
5k + 4k
9
IL =
9k

KS
IL = 1mA

N
3Y
Imediatamente após o fechamento da chave S1 sabemos que o capaci-
tor manterá sua tensão de r.p.(VA ) e o indutor manterá sua corrente de r.p.(IL ).

J7
Portanto, aplicando a Lei dos Nós no nó de VC temos:

R
VC VC

4T
IL = +
4k 1k

T6
5VC
IL =
4k
4k × IL
KS
VC =
5
4
N

VC = V
5
3Y
J7

Agora que conhecemos VC calculamos VB :


R

VA − (5k)IL − VB = 0
4T

VB = VA − (5k)IL
T6

VB = 9 − (5k)1m
KS

VB = 4V
N

Finalmente:
3Y

4
VB − VC = 4 −
J7

5
16
R

VB − VC =
5
4T

VB − VC = 3, 2V
T6

 
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 49

35 Questão 30
(Profissional Jr Eng. Eletrônica - Petrobras Distr. 2008)

R4 V4 R5
 VA V2 V
(A)    3  IC  IL  0
IL R1 R1  R2 R2
LA IB
R3 V V  V3
+ (B) 3  2  IB  0
R1 R2 R6 R2
V2
40 V V1 V3 V4  V1
(C)  IL  IB  0
 R3  R 4
+ IC
VA CA R6 V3 V4  V3 V2  V3

KS
(D)   0
 R6 R5 R2
V  VA V3
(E) 2   IC  IL  0

N
nte NORTON entre
R1 R2

3Y
Do equacionamento de tensões e correntes no circuito apre-
sentado na figura acima, é possível concluir que

J7
R
4T
Resolução:

T6
Aplicando a Leis dos Nós no nó de V4 temos:
V4 − V1
KS
+ IL − IB = 0
R3 + R4
N

E esta equação corresponde a alternativa (C).


3Y

36 S d
J7

+ +
R

8 8 L C
Vi VL R V
4T

o
10  
+ Analisando as
+ outras alternativas:
T6

10 V 2V
 
O acionamento da chave S, mostrada na figura acima, é
• (A): A primeira vista é falsa pois apresenta e IaLsecom
ICmodo
executado de obter o mesmo
uma sinal.
modulação Veja
por largura
de pulso, com duty-cycle igual a D. Nestas condições, este
KS

que o único nó que relaciona estas duas


circuito correntes
corresponde é o nó CC-CC
a um conversor de V2denominado
, mas as
A figura ilustra um circuito resistivo de corrente contínua. Buck-Boost. Considerando o funcionamento do circuito em
mesmas possuem sinais opostos.
N

Considerando que os valores dos resistores encontram-se regime permanente, é correto afirmar que
(A) quando a chave S estiver fechada, o diodo d conduz.
3Y

em ohms, a corrente I1, em ampères, que atravessa o (B) quando a chave


• (B): É o resultado da aplicação da Lei dos nós no Snóestiver aberta, o o
V3 , porém capacitor
sinal deestará
IB
resistor de 4 ohms é descarregado.
J7

está invertido. (C) a tensão média sobre o indutor é igual ao valor médio
(A) 0,50 da tensão de saída Vo.
R

(B) 0,60
• (D): É o resultado da aplicação da Lei dos nós no nó V3 , porém é descon-
Vi D
4T

(D) a tensão média de saída Vo é calculada por  .


(C) 0,75 1 D
siderada a presença da fonte de corrente IB e o sinal do terceiro termo está
(D) 0,85
T6

Vi
(E) 0,95 invertido. (E) a tensão média de saída Vo é calculada por .
1 D

• (E): Mesmo erro da alternativa (A).


10
PROFISSIONAL JÚNIOR
FORMAÇÃO: ENGENHARIA ELETRÔNICA  
www.pciconcursos.com.br
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 50

Questão 31
(Eng. de Equipamentos Jr Elétrica - Petrobras 2010/1)

25
4W

+ +
50 V VL(t)
5H
- -

KS
Para o circuito da figura acima, a curva que mais se aproxima do comportamento da tensão sobre o indutor, vL(t), a partir do
instante em que a chave é fechada, é

N
3Y
(A) (B) (C)
vL (t) vL (t) vL (t)

J7
50 50 50

R
4T
T6
0 6 t (s) 0 6 t (s) 0 6 t (s)
KS
(D) vL (t) (E)
vL (t)
N

50 50
3Y
J7
R

0 2 t (s) 0 2 t (s)
4T
T6

Resolução:

Para um circuito RL série com uma fonte de tensão E, sabemos que a ex-
KS

pressão da tensão no indutor quando este estiver em carga é:


N

−t
3Y

VL (t) = Ee τ
J7

Logo, sabendo que nesta questão E = 50V , assim que a chave for fechada ( t = 0
R

) temos:
4T

−0
VL (0) = Ee τ = E = 50V
T6

8
Como 50V , só nos
VL (0)DE=EQUIPAMENTOS
ENGENHEIRO(A) resta as opções
JÚNIOR (A) ou (D). Observamos que estas
ELÉTRICA
duas opções se diferem no tempo de acomodamento (aproximadamente igual a

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
46
CIRCUITOS ELÉTRICOS VCC = +5,0 V
www.ExatasConcursos.com.br 51

RC = 240 W

5τ ), logo basta encontrarmos o valor de 5τ do nosso circuito:


L RELÉ
t∞ ≈ 5τ = 5 ×
R
RB 5
VIN = 5Q ×
1 4
= 6, 25s

Para acionar um relé a partir de um circuito de controle digital, um engenheiro montou o circuito apresentado acima. Quan-
Portanto
na entradaoVIN
gráfico
for igual acorreto é da alternativa (A),Q1que apresenta umpela
tempo
bobina de

KS
do a tensão + 5,0 V (nível lógico alto), o transistor fará passar uma corrente do
relé, provocando o fechamento da chave. No projeto, o engenheiro empregou um transistor cujo parâmetro β pode assumir
acomodamento igual a 6s, que é próximo a 6, 25s.
valores entre 100 e 400, de acordo com o manual do fabricante.

N

Considerando que Q1 apresenta VBE = 0,7 V e VCE = 0,2 V no modo de saturação, qual o limite máximo que a resistência 

3Y
RB pode assumir de maneira a garantir que Q1 opere na saturação quando VIN = + 5,0 V? Alternativa (A)
 
(A) 18,5 kΩ

J7
(B) 21,5 kΩ

R
(C) 27,2 kΩ
(D) 31,2 kΩ

4T
Questão
(E) 34,6 kΩ
32
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2011)

T6
47 KS
N
3Y

No circuito da figura acima, as chaves S1 e S2 estão inicialmente abertas, e os capacitores C1 e C2 completamente des-
J7

carregados. A este circuito é aplicada uma fonte de tensão constante VS = 12 V, conforme mostrado no esquemático. No
instante de tempo t = t1, a chave S1 é fechada, e a chave S2 é mantida aberta. Após o circuito atingir o regime permanente,
R

no instante t = t2, a chave S1 é aberta, e a chave S2 é fechada.


4T

Considere IR2 a corrente que circulará pelo resistor R2 imediatamente após a comutação das chaves em t = t2 e VC2 a ten-
são que será medida sobre o capacitor C2 quando o circuito atingir o regime permanente, para t > t2.
T6

Os valores da corrente IR2, em mA, e da tensão VC2, em V, são, respectivamente,


(A) 12 e 4
(B) 12 e 6
KS

(C) 12 e 12
(D) 120 e 4
(E) 120 e 12
N
3Y

ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 12


Resolução:
J7

ELETRÔNICA
R

Em t = t1 , quando apenas a chave S1 está fechada, o capacitor C1 irá car-


4T

regar. Ao atingir o regime permanente, a tensão do capacitor C1 será igual à tensão


T6

da fonte VS .

Imediatamente após a comutação das chaves, o capacitor C1 ainda estará


carregado com uma tensão VS e atuará como uma fonte, enquanto o capacitor
C2 , por estar totalmente descarregado, atuará como um curto-circuito. Ou seja,
teremos o circuito abaixo:

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
1 BE CE
RB pode assumir de maneira a garantir que Q1 opere na saturação quando VIN = + 5,0 V?
(A) 18,5 kΩ
(B) 21,5 kΩ
(C) 27,2 kΩ
(D) 31,2CIRCUITOS
kΩ ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 52
(E) 34,6 kΩ

47

+ R2
-

No circuito da figura acima, as chaves S1 e S2 estão inicialmente abertas, e os capacitores C1 e C2 completamente des-
carregados. A este circuito é aplicada uma fonte de tensão constante VS = 12 V, conforme mostrado no esquemático. No
instante deLogo
tempo t fica
= t1, afácil
chave encontrarmos
S1 é fechada, e a chave
IR2S2: é mantida aberta. Após o circuito atingir o regime permanente,
no instante t = t2, a chave S1 é aberta, e a chave S2 é fechada.
VS após 12a comutação das chaves em t = t2 e VC2 a ten-

KS
Considere IR2 a corrente que circulará pelo resistor R2 imediatamente
IR2 =atingir =
são que será medida sobre o capacitor C2 quando o circuito = 120mApara t > t2.
o regime permanente,
R2 100
Os valores da corrente IR2, em mA, e da tensão VC2, em V, são, respectivamente,

N
(A) 12 e 4

3Y
(B) 12 e 6
Porém com o passar do tempo a carga que estava armazenada no capacitor
(C) 12 e 12
C1 irá se deslocar para o capacitor C2 , até o momento que a tensão do capacitor

J7
(D) 120 e 4
(E) 120 eC12
1 será igual à tensão do capacitor C2 , ou seja: VC1 = VC2 = Veq . Mas como a

R
carga não pode se perder durante o processo, a carga somada dos capacitores no

4T
12
começo e no final do precesso devem
ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR ser iguais, ou seja:

T6
ELETRÔNICA
X X
Qi = Qf
KS
VC1i C1 + VC2i C2 = VC1f C1 + VC2f C2
N

VS C1 + 0C2 = Veq C1 + Veq C2


3Y

VS C1
Veq =
C1 + C2
J7

12 × 5µ
Veq =
R

5µ + 10µ
4T

60
Veq =
T6

15
Veq = 4V
KS

 
Alternativa (D) 

N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
Os valores obtidos estão na tabela abaixo.
rando o funcionamento do circuito e
Bateria PR PRL te, o valor médio da tensão de saída
10 V 12 mW 8 mW (A) −37,5
(B) −22,5
CIRCUITOS ELÉTRICOS 18 V 48 mW 18 mW
www.ExatasConcursos.com.br 53
(C) 3,75
Com base nos dados acima apresentados, os valores de (D) 22,5
R e VZ são, respectivamente, (E) 37,5
1.4 Circuitos CA
(A) 2 kΩ e 4 V (B) 3 kΩ e 6 V
(C) 2 kΩ e 6 V (D) 3 kΩ e 4 V 50
(E) 2 kΩ e 10 V
Questão 33
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2010/2)
48

KS
N
No circuito da figura acima, o resistor dissipará a potência

3Y
No circuito apresentado na figura ac
máxima quando a frequência ω do sinal da fonte de cor-
rente senoidal, em rad/s, for fonte de tensão controlada por tensã

J7
onde V1 é a diferença de potencial a
(A) 0 (corrente contínua) (B) 2 Ω. Para esse circuito, o valor da c

R
da tensão V, é

4T
(C) (D) (A) −3V

T6
(B) −2V
(E)
KS
(C)
N

Resolução: (D) 2V
3Y

Para o resistor R dissipar a potência máxima precisamos que (E) 3V


o circuito RLC
J7

paralelo esteja em ressonância, e isso implica que a reatância capacitiva seja


R

13
igual a reatância indutiva, fazendo com que uma reatância anule a outra, e aENGENHEIRO(A)
fonte DE EQU
4T

“enxergue” apenas um circuito resistivo. Portanto, igualando XL e XC temos:


T6

X L = XC
1
KS

ωL =
ωC
N

1
ω2 =
3Y

LC
r
1
J7

ω= rad/s
LC
R
4T

Obs.: Essa frequência de ressonância é a mesma tanto para circuitos RLC


série como para RLC paralelo.
T6

 
Alternativa (E) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
R2
R1 (D) evitar que o tiristor seja disparado por uma variação brusca
Vo
+  di 
C
VO (s) de corrente  .
 dt 
VI (s)
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br
(E) evitar que o tiristor seja disparado por uma variação brusca 54

o ilustrado representa um filtro passa-banda  dv 


de tensão   .
nda ordem.
unção Considerando
de transferência os amplificadores
Questão 34  dt 
(Eng. de Automação Jr - Transpetro 2006)
26

o é: 10 

s 2 / R 1C
A
/ R 1C + 1 / R 32 C 2
0,001 F

10  0,1 H

KS
s / R 1C
/ R 3 C + 1 / R 22 C 2 (A) 20 + j20

N
B
(B) j10

3Y
O circuito da figura acima é alimentado, entre os pontos
s 2 / R 1C (C) 10 - j10
50

J7
/ R 1C + 1 / R 22 C 2 A e B, por uma tensão senoidal de freqüência Hz. (D) 10
π

R
A impedância equivalente deste circuito, em ohms, é: (E) 20

4T
s / R 1C

T6
/ R 1C + 4 / R 22 C 2
Resolução:
KS
s 2 / R 3C Primeiramente encontramos a impedância do capacitor:
/ R 1C + 1 / R 22 C 2
N

1 1 1
ZC = = = = −10jΩ
3Y

50
7
jωC j(2πf )C j(2π π )0, 001
PROVA 35 - ENGENHEIRO(A) JÚNIOR - ÁREA AUTOMAÇÃO
J7

Então encontramos a impedância do indutor:


R

50
4T

ZL = jωL = j(2πf )L = j(2π )0, 1 = 10jΩ


www.pciconcursos.com.br π
T6

Agora podemos associar as impedâncias para achar a equivalente:


KS

Zeq = R//ZC + R//ZL


10(−10j) 10(10j)
N

= +
3Y

10 − 10j 10 + 10j
−1000j + 1000 + 1000j + 1000
=
J7

(10 − 10j)(10 + 10j)


R

2000
= 2
4T

10 − (10j)2
2000
T6

=
100 + 100
= 10Ω
 
Alternativa (D) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 55

Questão 35 ELETRONUCLEAR
(Eng. Eletrônica Eletrobrás - Eletronuclear 2010)

29
2R L V2
V1

+
Vi C C R
_ 1 LCs2 + 1
(A) +
2R Ls

KS
O circuito da figura acima deve ser equacionado no Domí- 1 LCs2 - 1
nio de Laplace, aplicando-se o método de tensões sobre (B) +
R Ls

N
os nós. Considere os dois nós da figura com suas respec-

3Y
tivas tensões V1 e V2. A análise feita na estrutura acima 1 32
resultou na seguinte equação matricial: (C) Sabe-s
2R

J7
de Fou
é Vi (s )ù
é g11 (s ) g12 (s )ù é V1 (s )ù ê 2R ú LCs2 + 1

R
ê ú ê ú ê ú (D) x (t ) =
ú=ê ú Ls

4T
ê ú ê
êg21 (s ) g22 (s )úû ê V2 (s )ú ê 0 ú
ë ë û ê ú

T6
êë úû 1 comple
(E) -
A expressão de g12 (s ) é
Ls
KS
• ao, an

• wo =
N

Resolução:
3Y

perío
Como só nos interessa achar g12 (s), procuramos a equação que resultará
J7

Se os
em um termo independente diferente de zero, visto que a primeira equação do sinal pe
R

sistema é: an =
4T

Considere a figura e os gdados a seguir para responder i


V (s) 2
11 (s)V1 (s) + g12 V2 (s) = (1.11)
às questões de nos 30 e 31. 2R
T6

a expressão do coeficiente complexo Cn será


VA VB VC
Ora, uma simples análise mostra que a equação acima vem diretamente
2pn da
S1 5 æ 2pn ö -j
5kW 1mH Cn = 5
dos Nós no nó de V1 . Fazendo isso, já(A)pensando
aplicação da Lei2kW sen ç domínio
÷e
KS

2pn no è 5 ø de
+
Laplace,14V
temos: 6kW 2mF 4kW 1kW
2pn
N

_ 5 æ 2pn ö j
(B) Cn = sen ç ÷e
5
3Y

Vi (s) − V1 (s) V1 (s) V1 (s) − V2 (s) 4pn è 5 ø


= +
2R XC XL
J7

5 æ 2pn ö
Vi (s) V1 (s) V1 (s) V1 (s) V2 (s) (C) Cn = sen ç ÷
− um circuito
A figura acima ilustra = 1alimentado
+ por −
uma fonte 4pn è 5 ø
R

DC, que 2Rse encontra2Rem regime Ls Ls


Cspermanente, com a cha-
4T

ve S1 aberta.
   5 æ 2pn ö
Vi (s) 1 1 (D) C1n = cos
= Cs + + V1 (s) + − pn2 (s) çè 5 ÷ø
4V
2R Ls 2R Ls
T6

30
2pn
Nessas condições, o valor da tensão VA sobre o capacitor, j
em volts, é 5e 5 1
Comparando este resultado com a equação 1.11 (E) Cn = que g12
vemos = − Ls .
(A) 3 (B) 5 (C) 7 (D) 9 (E) 11 2pn
 
Alternativa (E) 

10
ENGENHEIRO(A)
ELETRÔNICA

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 56

Questão 36 ELETRONUCLEAR
(Eng. Eletrônica Eletrobrás - Eletronuclear 2010)

33
35
10W De acordo com o circuito, o valor da
da fonte, em rad/s, que, ao ser ajus
sinal de saída V0, em regime perman
+
+ 100mF 10mH 1
vi(t) v0(t) (A) (B)
RLC
_
_ 1

KS
(C) (D)
LC
No circuito da figura acima, a fonte de alimentação é

N
R
senoidal dada por: vi(t) = 25sen(103 t). A expressão da (E)

3Y
LC
tensão na saída é
(A) vo(t) = 25cos(103 t)

J7
36
(B) vo(t) = 25sen(103 t)
(C) vo(t) = 2,5sen(103 t)

R
4T
æ 3 pö 5V 4k
(D) v o (t ) = 2,5sen ç 10 t + ÷ - +
è 4ø

T6
æ 3 pö
(E) v o (t ) = 5sen ç 10 t - ÷ + -
è 4ø
KS
4V 3k
ei
Considere a figura e os dados a seguir para responder
N

às questões de nos 34 e 35.


Resolução:
3Y

Como pode ser visto no circuito, vo (t) é a tensão sobre os terminais do ca-
J7

eo [V]
pacitor e do indutor, visto que+ estes dois estão em
+ paralelo. De vi (t) vemos que
R

VI R V0 C
ω = 103 rad/s. Para simplificar
4T

_ nossa análise calcularemos a impedância equiva-


_
lente desta associação em paralelo do capacitor e do indutor. Para tal, primeiro VB
T6

calculamos a impedância de cada componente:


A figura acima ilustra um circuito R, L e C, alimentado por
-1 0 1
uma fonte senoidal VI, com nível DC nulo.
KS

VA
34
N

1
ZC = V0 (s) ZL = jωL
3Y

jωC A função de transferência


VI (s)
do circuito é
−j ZL = j103 × (10 × 10−3 )
J7

ZC = 3 O circuito da figura acima mostra um


× 102−6
10 × (100RLCs +R ) 2
Z +=1
LCs 10j com diodos considerados ideais. O
(A) (B) L
R

RLCs2 + Ls + R RLCs2 + Ls + 1 em V, marcados na curva caracterís


ZC = −10j
4T

eo x ei apresentada, são, respectivam


LCs2 + 1 LCs2 + R (A) 1,25 e 1,2
(C) (D)
T6

RLCs2 + Cs + R LCs2 + Ls + 1 (B) 1,25 e 0,8


Agora, associando paralelamente a impedância capacitiva com
(C) 1,2a indutiva
e 0,6
temos: RLC s2 + 1 (D) 0,8 e 1,25
(E)
RLC s2 + C s + 1 (E) 0,6 e 1,2
ZL × ZC
Zeq =
ZL + ZC
11

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 57

(10j) × (−10j)
Zeq =
10j − 10j
Zeq = ∞

A impedância equivalente igual a infinito equivale a um circuito aberto,


neste caso então teremos:

KS
vo (t) = vi (t) = 25sen(103 t)

N
 

3Y
Alternativa (B) 


J7
R
4T
T6
KS
Questão 37
(Eng. Eletrônica Eletrobrás - Eletronuclear 2010)
N
3Y

L
J7

+
R

+
C
4T

VI R V0
_
_
T6

A figura acima ilustra um circuito R, L e C, alimentado por


KS

uma fonte senoidal VI, com nível DC nulo.


N

Parte 1
V0 (s)
3Y

A função de transferência do circuito é


VI (s)
J7

RLCs2 + R LCs2 + 1
(A) (B)
2
RLCs + Ls + R RLCs2 + Ls + 1
R
4T

LCs2 + 1 LCs2 + R
(C) (D)
RLCs2 + Cs + R LCs2 + Ls + 1
T6

RLC s2 + 1
(E)
RLC s2 + C s + 1

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 58

Resolução:

A impedância equivalente do circuito será:


ZL × ZC
Zeq = +R
ZL + ZC
1
sL × sC
Zeq = 1 +R
sL + sC
sL
Zeq = +R

KS
LCs2 + 1
RLCs2 + Ls + R

N
Zeq =
LCs2 + 1

3Y
Como Vo é a tensão sobre o resistor R temos que:

J7
R

R
Vo (s) = × Vi (s)

4T
Zeq
Vo (s) R

T6
=
Vi (s) Zeq
Vo (s) LCs2 + 1
=R×
KS
Vi (s) RLCs2 + Ls + R
N
3Y

Vo (s) RLCs2 + R
=
J7

Vi (s) RLCs2 + Ls + R
R

 
4T

Alternativa (A) 

T6
KS
N

Parte 2
3Y

De acordo com o circuito, o valor da frequência angular w


J7

da fonte, em rad/s, que, ao ser ajustada, faz com que o


sinal de saída V0, em regime permanente, se anule, é
R

1 L
4T

(A) (B)
RLC C
T6

1
(C) (D) LC
LC

R
(E)
LC

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 59

Resolução:

Do resultado da questão anterior sabemos que

RLCs2 + R
Vo (s) = × Vi (s)
RLCs2 + Ls + R
Portanto Vo será igual a zero quando a função de transferência for nula.
Logo, fazendo s = jω e igualando a FT a zero temos:

KS
N
3Y
RLC(jω)2 + R
=0
RLC(jω)2 + L(jω) + R

J7
RLC(jω)2 + R = 0

R
4T
−RLCω 2 + R = 0
R(1 − LCω 2 ) = 0

T6
R=0 ou LCω 2 = 1
KS

Como R 6= 0, temos que:


N
3Y

LCω 2 = 1
J7

1
ω=√
LC
R
4T

Perceba que esta é a frequência de ressonância do sistema! Em


T6

ressonância temos XL = XC , o que provoca a abertura do circuito na parte onde o


indutor e o capacitor estão em paralelo, fazendo com que a tensão sobre o resistor
KS

seja nula. Ou seja, outra forma de resolver esta questão seria:


N
3Y

XL = X C
J7

1
R

ωL =
ωC
4T

1
ω2 =
T6

LC
1
ω=√
LC
 
Alternativa (C) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 60

ELETRONUCLEAR
Questão 38
(Eng. Eletrônica Eletrobrás - Eletronuclear 2010)
48
go em assembly x86 mostrado a seguir.
R
55h
0Fh + +
0h
6h V1(t) L C V2(t)

ue ficará no acumulador al será


B) 56h (C) 63h (D) 66h (E) 6Fh _ _

KS
ao sistema de interrupções de um PC com O circuito da figura acima atua como um filtro do tipo

N
86, analise as proposições a seguir. passa-faixa, onde v 1(t) é o sinal de entrada do circuito

3Y
e v 2 (t), o sinal de saída. Admitindo-se que R = 10 3 W ,
ereços das rotinas manipuladoras das
C = 107 F e L = 10 3 H , a frequência central da banda
ções geradas internamente pelo processador

J7
ões) independem da programação do de passagem (em kHz) e o valor máximo do módulo da
dor de interrupções. resposta de frequência são iguais, respectivamente, a

R
a exceção do tipo falta, o endereço de 10 1

4T
salvo na pilha é o da instrução seguinte à (A) e
2p 2 100 1
vocou a exceção. (D) e
2p

T6
upção que for invocada através do pino NMI 50 1 2
essador não pode ser desabilitada. (B) e
2p 2 100
ereços das rotinas manipuladoras das IRQ (E) e 1
ndem da programação do controlador de 2p
KS
50
ções. (C) e 1
2p
N

APENAS as proposições
3Y

(B) II e III.
(D) I, II e III.
Resolução:
J7

Da teoria de filtros sabemos que a frequência central da banda de passagem


R

ulado com uma portadora de 3 GHz é trans-


de um filtro passa-faixa representa o ponto de maior módulo da resposta em fre-
4T

49
élite, utilizando-se um transmissor na Terra
Um sistema de radiodifusão de TV tem seu espectro com-
quência.
de 100 W e antenas transmissora Já para partilhado
e receptora um filtroporrejeita-faixa, esta frequência representa o ponto de
T6

emissoras que transmitem sinais na faixa de


m ganhos iguais a 53 dB. O satélite 50 MHz a 650 MHz. O receptor projetado para esse siste-
menordamódulo
o, localizado a uma distância Terra de da resposta em frequência. Tanto para o passa-faixa como para
ma baseia-se em um circuito do tipo super-heterodino, cujo
nte 36.000 km, atua comooum bloco repetidor a frequência
rejeita-faixa, oscilador local gera sinais
central com frequências
da banda de passagem na faixaf0deé dada por:
KS

porcionando um ganho de potência ao sinal 59 MHz a 659 MHz, e os filtros de FI (Frequência Interme-
sinal sofre a atenuação de espaço livre, cujo 1 centrados em 9 MHz. Os circui-
diária) desse receptor são
ω0RF=do√receptor são projetados para, den-
N

tos da seção de
æ 4pd ö
2 LC a interferência imagem, que
tre outras funções, eliminar
3Y

or ç ÷ , sendo l o comprimento de onda são sinais indesejados, 1 centrados na chamada


è l ø 2πf0 = Uma√ dada emissora, operando no sis-
frequência imagem.
LCe que transmite seu sinal com
J7

nsmitido e d a distância [m] entre a Terra e o tema acima especificado,


esse enlace, o valor aproximado da potência 1 1 frequência imagem o
portadora igual a 60 MHz, tem como
valor, em MHz,fde0 = ×√
R

do na Terra, em pW (picoWatt), após passar


2π LC
4T

(A) 38
44 p ) = 2,65 ) (B) 42 1 1
f0 = ×√
T6

(B) 1 (C) 50 2π 10 × 10−7


−3
(D) 100 (D) 78
105
(E) 87 f0 =

100
14
f0 = kHz
(A)

Por se tratar de um filtro passa-faixa, o maior módulo da resposta acontece

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 61

na frequência f0 . Mas primeiro calculamos as impedâncias capacitiva e indutiva:

1
ZC = ZL = 2πf0 Lj
2πf0 Cj
1 105
ZC = ZL = 2π × × 10−3 j
105
2π × 2π × 10−7 j 2π
ZL = 102 j
ZC = −102 j

KS
N
Agora calculamos a impedância equivalente da associação em paralelo do

3Y
capacitor com o indutor:

J7
ZL × ZC

R
Zeq =
ZL + ZC

4T
(10j) × (−10j)
Zeq =

T6
10j − 10j
Zeq = ∞
KS

Como Zeq é infinito, é como se o circuito estivesse aberto na porção onde L


N

e C estão em paralelo. Isso faz com que V2 (t) = V1 (t), fazendo com que o módulo
3Y

da resposta em frequência em f0 seja:


J7


V2
R

=1
V1
4T

 
T6

Alternativa (E) 

KS
N
3Y
J7
R
4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
protocolos da arquitetura TCP/IP. Um dos expande de 1 m3 para 3 m3, a uma pressão constante de
e atua na camada de rede, tem por finali- 2 N/m2.
o endereço lógico IP de um host a partir deO trabalho realizado pelo gás, em joule, é
físico MAC, como no caso de computado-
(A) 9
CIRCUITOS ELÉTRICOS(B) 6 www.ExatasConcursos.com.br 62
é conhecido pela sigla (C) 4
(D) 2
(E) 1
Questão 39
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2011)
44

BLOCO 2

diabático, a variação da energia interna do


l ao trabalho realizado pelo gás.

KS
PORQUE

N
e calor em um processo adiabático.
Uma carga resistiva trifásica é conectada à rede de distri-

3Y
as afirmações acima, conclui-se que buição através de uma linha, conforme indicado na figura
firmações são verdadeiras, e a segunda acima.

J7
primeira. O valor, em ampère, da corrente IL é
rmações são verdadeiras, e a segunda não

R
(A) 5 (C) 25 (E) 40
primeira. (B) 15 (D) 30

4T
afirmação é verdadeira, e a segunda é falsa.
afirmação é falsa, e a segunda é verdadeira.

T6
rmações são falsas.
Resolução:
45
KS
C2
Como a impedância da linha não é nula, para simplificar nosso circuito ire-
mos transformar a carga (que está em triângulo)R em estrela. Como as três resistên-
N

2
0 43
cias são iguais (7, 5Ω), basta calcular uma
C1umaresistência da nova formação estrela:
3Y

s redes de computadores com acesso à internet operam R1


Um gás é aquecido em caldeira, e o seu volume se
m base nos protocolos da arquitetura TCP/IP. Um dos Vin
expande - pressão constante de
de 1 m3 para 3 m3, a uma
2Ra Rb 7, 5 × 7, 5 V
J7

otocolos, que atua na camada de rede, tem por finali-


ade mapear o endereço lógico IP de um host a partir de
R = 2 N/m . = +
0 = 2, 5Ω

mostra doisfísico
sistemas ORtrabalho
a + Rbrealizado
+ Rc pelo7, 5+
gás, em 7, 5 +é 7, 5
joule,
MAC, elétricos de potência
R

u endereço como no caso de computado-


(A) 9
sr diskless.
uma linha de transmissão de impedância
4T

(B) 6 da figura acima representa um filtro analógico


O circuito
As
sse tensões
protocolo terminais dapela
é conhecido linha Agora
são
sigla V1 e Vas
2 resistências de linhaordem,
(C) 4de segunda
RC-ativo
de 0,onde
5Ω oestão em série com as resistências
amplificador opera-
ado na figura acima.
) SNMP (D) 2
cional éuma
considerado
cargaideal.
T6

) RARP
ência
de carga, resultando
do sistema #1 para o sistema #2, em
em(E) 1 em estrela com cada resistência igual a: 2, 5 +
) ICMP
A partir da topologia do circuito, infere-se que o filtro aci-
0, 5 = 3Ω. Ou seja, ma agora
é do temos o seguinte sistema:
44 tipo
) BGP
KS

) ARP (A) passa faixa


(B) passa baixas
(C) passa altas
N

BLOCO 2 (D) rejeita faixa


3Y

(E) passa-tudo equalizador de fase


1 3 3
o processo adiabático, a variação da energia interna do
J7

3
stema é igual ao trabalho realizado pelo gás. 11 ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR
R

ELETRÔNICA
PORQUE
4T

ão há troca de calor em um processo adiabático.


Uma carga resistiva trifásica é conectada à rede de distri-
T6

Comoque
nalisando-se as afirmações acima, conclui-se as fontes são simétricas
buição e linha,
através de uma as cargas balanceadas,
conforme indicado na figura cada carga estará
) as duas afirmações são verdadeiras, e a segunda acima.
justifica a primeira.
sujeita à tensão de fase,O valor,
logo:em ampère, da corrente I é
L
) as duas afirmações são verdadeiras, e a segunda não (A) 5
justifica a primeira. (B) 15
120V
) a primeira afirmação é verdadeira, e a segunda é falsa.
IL = = 40A
(C) 25 3Ω
) a primeira afirmação é falsa, e a segunda é verdadeira. (D) 30
) as duas afirmações são falsas. (E) 40
 
Alternativa (E) 

2 45
C2

R2
Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
R1
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se C1
o infrator à responsabilização civil e criminal.
Vin -
(C) view
(C) soma = (–1)i xi−1
(D) tupla
(E) domain

(D) soma = (–1)i xi+1


CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 63 66
Os sistem
zado de p
(E) soma = (–1)i+1 xi−1
namento
Questão 40
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2011) um núcleo
63 dendo ser
todo o har
todos os
consigam
No Linux,
distribuiçõ
(A) superv
(B) sched
(C) firmwa

KS
(D) kernel
Um transformador ideal conecta uma carga resistiva (A) 50
(E) shell
monofásica à rede elétrica, conforme indicado na figura (B) 250

N
acima. (C) 500
67

3Y
A resistência equivalente da carga, em ohms, vista pelo (D) 1.250
Os sistem
lado da rede, é (E) 12.500
como defa

J7
(A) NTFS

R
(B) W7FS
Resolução:

4T
(C) REISE
(D) EXT3
Adotamos V1 , I1 , N1 e Z1 respectivamente como sendo a tensão, corrente,

T6
(E) FAT64
número de espiras e impedância do primário. Fazemos o mesmo para o secundário
ENGENHEIRO(A) DE EQUIPAMENTOS JÚNIOR 16
(porém com índice 2). Por se tratar de um transformador ideal, temos as seguintes
KS
ELETRÔNICA
relações
N

V1 N1 I2
= =
3Y

V2 N2 I1
J7

Ou seja, temos que:


N1
R

V1 = × V2 (1.12)
N2
4T

E também
T6

N2
I1 = × I2 (1.13)
N1
KS

Agora, dividindo a equação 1.12 pela equação 1.13 temos:


V1 N1 N1 1
N

= × V2 × ×
3Y

I1 N2 N2 I2
 2
V1 N1 V2
J7

= ×
I1 N2 I2
R

 2
V1
Z1 = × Z2
4T

V2
2
T6


6000
Z1 = ×5
120
Z1 = 12500Ω

 
Alternativa (E) 


Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.
CIRCUITOS ELÉTRICOS www.ExatasConcursos.com.br 64

Questão 41
(Eng. de Equipamentos Jr Eletrônica - Petrobras 2012/1)

A esse respeito, considere as afirmativas a seguir.


I - O módulo da tensão entre o neutro da fonte de alimen-
tação e o neutro da carga é igual a zero (| NN’| = 0V).
II - O módulo do somatório das correntes iA, iB e iC é
igual a zero (|iA + iB + iC| = 0A).
III - O módulo da componente de sequência negativa
A figura mostra um circuito em corrente alternada trifásico

KS
das correntes iA, iB e iC é igual a zero.
composto por uma fonte de alimentação trifásica equili-
brada com conexão estrela e uma carga desequilibrada, Está correto APENAS o que se afirma em

N
também com conexão estrela. Considere os módulos dos (A) I
fasores AN e BN e CN iguais a 127 V e os ângulos (B) II

3Y
igualmente espaçados de 120o, com sequência de fase (C) III
ABC. Não há conexão entre o neutro da fonte de alimen- (D) I e II

J7
tação e o neutro da carga. (E) II e III

R
4T
Resolução:

I - Como os neutros não estão conectados e nem aterrados, existirá uma tensão
T6
KS
não nula entre o neutro da fonte e o neutro da carga, de modo que a soma
das correntes (iA , iB e iC ) possa ser zero (as correntes não possuem um
N
3Y

caminho para fluir até a terra). FALSO.


J7

II - Todas as correntes de linha que fluem para a carga não terão como escoar
R

para a terra em virtude do neutro da carga não estar aterrado, logo, irão se
4T

somar e precisam se anular. VERDADEIRO.


T6

III - No circuito sem neutro aterrado, a soma das correntes iA + iB + iC = 0, logo,


a corrente de sequência zero (iA0 = iB0 = iC0 ) é nula, pois todas as correntes
KS

e tensões no neutro da estrela ficam na sequência zero. Porém as demais


N

sequências, positiva e negativa, serão diferentes de zero, uma vez que flui
3Y

corente pela carga. FALSO.


J7

 
Alternativa (B) 
R


4T
T6

Material de uso exclusivo do Comprador Cód. T64TRJ73YNKS. Sendo vedada, por quaisquer meios e a qualquer título, a sua
reprodução, cópia, divulgação e distribuição. Sujeitando-se o infrator à responsabilização civil e criminal.