Você está na página 1de 7

Fundo Social

Natureza e Finalidade

Constituído com parte dos lucros anuais do BNDES, apóia projetos de caráter social nas
áreas de: geração de emprego e renda, serviços urbanos, saúde, educação e desportos,
justiça, alimentação, habitação, meio ambiente, desenvolvimento rural e outras
vinculadas ao desenvolvimento regional e social, e natureza cultural.

Destinação dos Recursos

Os recursos, de natureza não reembolsável, serão destinados a investimentos fixos de


projetos específicos, admitindo-se uma parcela para aplicação em capacitação de
pessoal e despesas pré-operacionais. Os interessados na obtenção dos recursos deverão:

 Atuar com foco em bases territoriais que apresentem maiores carências e/ou
potencialidades, conforme critérios a serem definidos pelo BNDES, utilizando-
se o Sistema de Informações Geográficas do BNDES - GeoBNDES, como
instrumento de suporte operacional;
 Priorizar projetos que atuem de forma intersetorial e inter-institucional,
objetivando a ampliação do impacto das ações apoiadas sobre as condições de
vida das populações beneficiadas;
 Contribuir para a complementação de políticas de desenvolvimento regional e
social de áreas de baixa renda, através de ações de apoio a tais políticas;
 Atuar na modernização da implementação, monitoramento e avaliação de
programas e projetos sociais;
 Viabilizar a ampliação de parcerias institucionais e do espectro de atuação do
BNDES na política social brasileira.

Serão exigidas contrapartidas financeiras e não-financeiras de acordo com o tipo de


projeto elegível para apoio.

Clientes

 Pessoas jurídicas de direito público interno e entidades sem fins lucrativos,


públicas ou privadas que apresentem operações que possam ser enquadradas nos
projetos elegíveis de apoio;
 Pessoas jurídicas de direito privado, com fins lucrativos, exclusivamente nos
projetos elegíveis de apoio previstos nos itens "d", "e" e "j", abaixo
apresentados.

Projetos elegíveis para apoio

Projetos que possuam os elementos necessários e relevantes para a elaboração e


implementação de programas e projetos regionais e sociais, e a eles articulados, que
visem os seguintes objetivos:

1. formatação e consolidação do atendimento à população em áreas de baixa renda,


sob a forma de Redes de Serviços e de Atenção Social;
2. convergência com Programas Federais prioritários destinados a setores sociais
básicos e áreas com baixo nível de desenvolvimento relativo e regiões de
extrema pobreza;
3. modernização de gestão e de desenvolvimento institucional, através de ações
consorciadas entre pequenos municípios, destinada ao apoio à formação de redes
visando à prestação de serviços de uso comum;
4. desenvolvimento institucional orientado, direta ou indiretamente, para os agentes
repassadores do Programa de Microcrédito - PMC;
5. fortalecimento de aglomerações produtivas, mediante financiamento de
equipamentos coletivos;
6. implantação de equipamentos urbanos de setores sociais básicos, em áreas de
baixa renda, complementarmente a projetos integrados urbanos apoiados pelo
BNDES;
7. estruturação de economias locais e regionais em pólos turísticos, para geração de
trabalho e renda, em torno de atividades de preservação e exploração de
patrimônio histórico-cultural;
8. preservação de patrimônio científico e tecnológico, bem como valorização de
patrimônio histórico industrial e de transportes, quando vinculados à
implementação ou modernização de museus técnicos e de ciências;
9. desenvolvimento, difusão e reaplicação de tecnologias sociais aprimoradoras de
políticas públicas; e
10. melhoria da gestão de empresas autogestionárias, apoiadas pelo BNDES.

Observados os objetivos estabelecidos acima, poderão ser elegíveis outros projetos,


atráves de processos seletivos ou programas, que vierem a ser criados pelo BNDES para
utilização específica de recursos do Fundo Social, para os quais as informações serão
devidamente disponibilizadas.

Encaminhamento

As solicitações de apoio deverão estar acompanhadas de Relatório contendo os


seguintes elementos de informação:

 identificação, finalidade, histórico e qualificação do solicitante;


 articulações e convênios com outras instituições públicas ou privadas;
 situação atual (população atendida, recursos disponíveis, despesas e fontes de
recursos);
 estratégia de sustentabilidade da instituição;
 objetivos, público-alvo e descrição dos benefícios sociais do projeto;
 orçamento discriminado, indicando natureza e composição das despesas do
projeto;
 plantas de obras civis e especificação dos materiais e equipamentos a serem
adquiridos;
 cronograma dos desembolsos;
comprovação da disponibilidade de recursos relativos à parcela das despesas não
cobertas pelo financiamento solicitado ao Banco;
 aspectos jurídicos, inclusive quanto à capacidade de contratar do solicitante; e
 outros aspectos relevantes, de acordo com as peculiaridades do projeto.
As solicitações de apoio são encaminhadas ao BNDES por meio de Carta-Consulta -
preenchida segundo as orientações do Roteiro de Informações para Enquadramento
(versões word 2000 ou word 95) - enviada pela empresa interessada, ao:

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES


Área de Planejamento-AP
Departamento de Prioridades-DEPRI
Av. República do Chile, 100 - Protocolo - Térreo
20031-917 - Rio de Janeiro, RJ

Veja: Apoio a Projetos de Catadores de Materiais Recicláveis

Desenvolvimento institucional orientado

Apoio a Projetos de Desenvolvimento Institucional -


PDI
Objetivos

 Melhorar o desempenho das Instituições de Microcrédito Produtivo Orientado -


IMPO, mediante o fortalecimento e desenvolvimento das suas capacidades
gerenciais e organizacionais, a transparência de suas ações e objetivos, com
vistas à ampliação do seu alcance e redução de seus custos operacionais; e
 Possibilitar às IMPO o acesso a tecnologias específicas de microcrédito
produtivo orientado visando o seu fortalecimento, um desempenho mais
eficiente e sua sustentabilidade.

Clientes

Agentes repassadores de microcrédito - Organizações da Sociedade Civil de Interesse


Público – OSCIP e Cooperativas de Crédito.

Tipos de Projetos Apoiados

1. Governabilidade: destinado às IMPO que busquem melhorar seu sistema de


gestão e governança institucional, além de iniciar/aprimorar um processo de
planejamento estratégico.
2. Regionalização: destinado à descentralização das operações de microcrédito
produtivo orientado. A expansão deverá ser minuciosamente planejada e
sustentável pela instituição.
3. Desenvolvimento de Novos Produtos: destinado às IMPO que desejem ampliar
seu leque de serviços oferecidos aos clientes. O apoio será destinado a estruturar
estes novos serviços e, principalmente, estimular uma maior integração entre a
instituição e o sistema financeiro tradicional, aproveitando-se de parcerias com
bancos locais.

Investimentos financiáveis
 tecnologia da informação: aquisição de hardware e de redes de computação e de
comunicação; aquisição e desenvolvimento de software e sistemas de
informação, inclusive para implantação e acesso à Internet;
 infra-estrutura física: aquisição de móveis e utensílios para adequação de
ambientes físicos, visando a melhoria das instalações de atendimento ao
microempreendedor;
 equipamentos de apoio à operação: aquisição de máquinas e equipamentos
operacionais, de comunicação e outros bens móveis operacionais;
 capacitação: desenvolvimento de programas de treinamento, atualização e
reciclagem de pessoal etc. A capacitação deverá estar relacionada estritamente
aos objetivos do projeto e será limitada a 30% do valor financiável do projeto.

Critérios de Enquadramento e Análise de Projetos

Serão considerados passíveis de apoio todos os projetos que se enquadrarem nos


seguintes critérios:

1. Elegibilidade
2. Enquadramento jurídico
3. Qualificação técnica

Além do atendimento aos itens a e b, deverá ser obtido um mínimo de pontos no item c,
conforme tabela a seguir:

Critério de Pontuação da Qualificação Técnica


Dimensões Mínimo de Pontos
1 - Transparência 01
2 - Desempenho Operacional 10
Total 11

A análise será realizada com base na pontuação do projeto enquadrado e no diagnóstico


da instituição, com o objetivo de verificar a pertinência e relevância dos pleitos
enquadrados, considerando os seguintes indicadores de desempenho:

 ampliação da oferta de microcrédito, medida pelo aumento do número de


clientes ativos; e
 melhoria da eficiência, medida pelo aumento do número de operações por agente
de crédito, sem acréscimo proporcional nos custos operacionais.

No processo de análise será considerada a capacidade da instituição de mobilizar


recursos financeiros de outras fontes e capacidade de articulação. Do ponto de vista
regional, terão prioridade iniciativas que contemplem áreas pouco ou não atendidas pela
oferta de produtos microfinanceiros e/ou consideradas de baixa renda pelo Programa de
Dinamização Regional – PDR do BNDES.

A colaboração financeira do BNDES estará sujeita à existência de dotação orçamentária


na Linha de Apoio a Projetos de Desenvolvimento Institucional - PDI. Desta forma, a
escolha final dos projetos que receberão o apoio do BNDES respeitará a ordem de
classificação das IMPO, conforme os critérios de Qualificação Técnica.
O detalhamento dos critérios, dimensões, indicadores e respectivas pontuações estão
descritos no ANEXO I.

Prazo e Valor do Financiamento

 Prazo Total de Utilização: até 12 meses


 Valor do Financiamento:
o Mínimo: R$ 100 mil
o Máximo: R$ 500 mil

Nível de Participação

Até 85% do valor total do projeto.

Encaminhamento

As solicitações de apoio são encaminhadas ao BNDES por meio de Carta-Consulta -


preenchida segundo as orientações do Roteiro Básico de Informações (versões word
2000 ou word95 - enviada pelo interessado ou por intermédio de parceiros estratégicos,
ao:

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Área de


Planejamento-AP
Departamento de Prioridades-DEPRI
Av. República do Chile, 100 - Protocolo - Térreo
20031-917 - Rio de Janeiro, RJ

A descrição do projeto deverá conter a apresentação dos seguintes itens, quando couber:

 listagem contendo dados que identifiquem os bens a serem adquiridos, com sua
discriminação, fabricante, valor unitário, assim como outras informações que
venham a ser solicitadas pelo BNDES;
 termo de referência da capacitação que contenha no mínimo:

1. especificação detalhada do trabalho a ser realizado, sua finalidade, destinatários,


prazos, número de participantes, metas programadas para cada segmento do
público-alvo, conteúdo programático e carga horária estimada, bem como as
condições de elaboração, definindo, a cada etapa, o respectivo valor a ser pago;
2. indicação do responsável (e substituto) pelo acompanhamento da execução do
contrato ou convênio durante toda sua vigência, pela avaliação da prestação dos
serviços, pela liquidação da despesa e pelo atestado de cumprimento das
obrigações constantes do contrato ou convênio, que aprovará o pagamento de
cada parcela; e
3. metodologia detalhada a ser utilizada e a indicação do perfil profissional dos
especialistas a serem contratados.

Somente poderão ser enquadradas as instituições que apresentarem as informações


solicitadas com presteza e qualidade, protocolizadas no BNDES até o dia 31 de março
de 2007.
Serão elegíveis para este apoio as IMPO que tenham operações no âmbito dos
Programas de Microcrédito do BNDES, sendo que serão aceitos, também, projetos de
PDI apresentados concomitantemente a projetos de PMC até o dia 31 de março de 2007.

A contratação do Projeto de Desenvolvimento Institucional – PDI estará condicionada à


contratação de operação no âmbito do PMC.

Veja: Procedimentos e tramitação dos projetos de desenvolvimento institucional no


BNDES: versão HTML e versão PDF.

Apoio a Projetos de Catadores de Materiais Recicláveis


Objetivo

Contribuir para complementação de políticas de desenvolvimento regional e social em


convergência com ações federais prioritárias destinadas a população de baixa renda e
para o desenvolvimento, difusão e replicação de tecnologias sociais aprimoradoras de
políticas públicas.

O apoio do BNDES ao segmento foi estruturado com base no estudo intitulado “Análise
do Custo de Geração de Postos de Trabalho na Economia Urbana para o Segmento dos
Catadores de Materiais Recicláveis”(1), em que foram tipificadas as cooperativas e as
associações de catadores e proposto um módulo de unidade básica de investimentos
para cada tipo, de acordo com seu estágio de desenvolvimento, visando a geração de
novos postos de trabalho e aumento de eficiência no segmento.

(1) O estudo “Análise do Custo de Geração de Postos de Trabalho na Economia Urbana


para o Segmento dos Catadores de Materiais Recicláveis”, foi financiado com recursos
do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS, numa realização
do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis – MNCMR, sob
coordenação institucional da OAF/PANGEA e coordenação técnica do Grupo de
Estudos de Relações Intersetoriais da Faculdade de Ciências Econômicas da
Universidade Federal da Bahia.

Clientes

Cooperativas de catadores de materiais recicláveis, que se enquadrem nos critérios de


elegibilidade, enquadramento jurídico e classificação especificados pelo BNDES.

Investimentos financiáveis

 implantação, ampliação, recuperação e modernização da infra-estrutura física –


galpões, coberturas para carregamento e descarregamento de fardos, cozinha,
vestiários, banheiros, salas de reunião, treinamento e informática etc;
 aquisição de equipamentos para: acondicionamento, proteção individual, triagem
e enfardamento, armazenamento e estocagem, transporte externo, cozinha,
vestiário, banheiro e escritório etc; e
 assistência técnica e capacitação dos cooperados etc.

Critérios de Enquadramento e Análise de Projetos

Serão considerados passíveis de apoio todos os projetos que se enquadrarem nos


seguintes critérios:

1. Elegibilidade
2. Enquadramento jurídico
3. Classificação

Os dois primeiros grupos (a e b) possuem caráter eliminatório, ou seja, são


imprescindíveis para que o projeto seja passível de apoio.

O grupo c será dividido em dimensões, por sua vez, desmembradas em indicadores, aos
quais será atribuída uma pontuação. Será calculada a soma de pontos para cada
dimensão e a soma total de pontos dos critérios classificatórios para cada projeto.

Serão passíveis de apoio pelo BNDES os projetos que, além de atenderem aos critérios
de elegibilidade e de enquadramento jurídico, obtenham um mínimo de pontos nos
critérios classificatórios, conforme tabela a seguir:

Critérios Classificatórios
Dimensões Mínimo de Pontos
1 - Articulação com o poder público 2
2 - Gestão 5
3 - Capacitação dos Cooperados 3
4 - Condições de Trabalho 15
5 - Inserção Comercial 2
6 - Procedência de Insumos 3
Total 30

O detalhamento dos critérios, dimensões, indicadores e respectivas pontuações estão


detalhados no ANEXO I

Os projetos recebidos até 31/01/2007 estão sendo analisados, a fim de avaliar a


adequação com os critérios estabelecidos no APOIO A PROJETOS DE CATADORES
DE MATERIAIS RECICLÁVEIS.

Oportunamente será divulgada a relação de projetos passíveis de apoio, que deverão


prosseguir para a fase de análise.

Veja: Procedimentos e tramitação dos projetos no BNDES

Você também pode gostar