Você está na página 1de 30

Teoria das Estruturas I – Prof.

Vanessa Vilela

Teoria das Estruturas I


Vanessa Vilela Rocha
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Decomposição das vigas Gerber


 A viga Gerber consiste na associação de
vigas com estabilidade própria com outras
sem estabilidade:

 Viga I (instável)

 Viga II (estável)
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Decomposição das vigas Gerber


 Resolve-se, primeiramente, a viga que está
sem equilíbrio (viga I), descobrindo a
reação do apoio adicional, transfere-se
para a viga II:
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Decomposição das vigas Gerber


Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Uma linha de influência mostra como um
determinado esforço numa seção varia
quando uma carga concentrada move
sobre a estrutura.
 A linha de influência é construída sobre o
eixo da estrutura sendo que as abscissas
representam as posições da carga móvel e
as ordenadas representam os respectivos
valores do esforço considerado.
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Chama-se VB de “linha de influência” da
reação de apoio B, isto é, uma equação
que mostra como a reação RB varia com
a posição x de uma carga unitária que se
desloca sobre a estrutura.
 Os valores de VB são adimensionais.
 Dando valores para x determina-se os
respectivos valores de VB .
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência

 Para a carga P aplicada em S, a LI é:


Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Exemplo 1:
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Cálculo de Ra e Rb
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Linha de influência em C
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Momento Fletor em C
◦ para x = z
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Linhas de


Influência
 Momento em C pela Linha de influência
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Diagrama de


esforços internos solicitantes

 Decomponha e calcule as reações de


apoio da Viga Gerber abaixo, e desenhar o
DEC e DMF, identificando os pontos de
momento máximo.
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Vigas Gerber – Diagrama de


esforços internos solicitantes

 Decomponha e calcule as reações de


apoio da Viga Gerber abaixo, e desenhar o
DEC e DMF, identificando os pontos de
momento máximo.
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Dúvidas?
Teoria das Estruturas I – Prof.Vanessa Vilela

Viga inclinada
Vigas Inclinadas
 Podem ser biapoiadas ou engastadas;
 Há necessidade de se trabalhar com dois
sistemas de eixos.
Vigas Gerber – Linhas de Influência
• Para calcular uma viga inclinada é importante
verificar:
• A orientação dos apoios;
• As direções das cargas aplicadas;
• O ângulo que a viga faz com o eixo
horizontal;
• Os desenhos dos diagramas devem ser feitos
perpendiculares à viga.
Exemplo 1
 Ache as
resultantes e
desenhar o
DEN, DEC e
DMF.
Diagramas de vigas inclinadas
 Para desenhar os diagramas, temos
que decompor as forças para o eixo da
viga. Note que a viga é a hipotenusa de
um triângulo retângulo de catetos 6m e
8 m. Assim, a viga forma com a
horizontal um ângulo a, tal que:
 a = arctg (6/8) = 36.87º
Diagrama de
Esforço Normal

4 tf
NM 3,2 tf
3,2 tf
NA
3,2 tf
2,4 tf

2,4 tf B
A NB
2,4 tf
A

 F viga 0  F viga 0  F viga 0


2,4  NA  0 2,4  4.sen(36,87 º )  NM  0 2,4  NB  0
NA  2,4tf (compressão) NM  0tf NB  2,4tf (tração)
Diagrama de
Esforço Cortante

4 tf
QM
3,2 tf QA 3,2 tf
2,4 tf
3,2 tf

QB
2,4 tf B
A
2,4 tf
A

 F seção 0  F seção 0  F seção 0


3,2  QA  0 3,2  4. cos(36,87 º )  QM  0 3,2  QB  0
QA  3,2tf QM  0tf QB  3,2tf
Diagrama de
Esforço Cortante

4 tf
QM
3,2 tf QA 3,2 tf
2,4 tf
3,2 tf

QB
2,4 tf B
A
2,4 tf
A

 F seção 0  F seção 0  F seção 0


3,2  QA  0 3,2  4. cos(36,87 º )  QM  0 3,2  QB  0
QA  3,2tf QM  0tf QB  3,2tf
Exemplo 2
 Ache as resultantes e desenhar o DEC e
DMF.
Exemplo 3
 Ache as resultantes e desenhar o DEC e
DMF.
Exemplo 3
 Ache as resultantes e desenhar o DEC e
DMF.