Você está na página 1de 73

ROCHAS

O que é uma rocha?


• Termo utilizado para descrever uma associação
de minerais (consolidados) que, por diferentes
motivos, geológicos acabam ficando unidos.
Rocha: aglomerado de um ou mais minerais.
As rochas costumam ser analisadas e
classificadas segundo o critério genético (isto é
origem), que por sua vez está relacionado aos
diferentes ambientes de formação.

Elas podem ser formadas por processos


ENDÓGENOS (interior da terra) ou EXÓGENOS
( em condições superficiais):
As rochas são classificadas tradicionalmente em três
categorias por sua gênese:

• 1) ígneas; - intrusivas (plutônicas)


- extrusivas (vulcânicas)

• 2) sedimentares; detriticas, químicas, biológicas

• 3) metamórficas ; foliadas / não foliadas


Tres clases de rochas

Para entender a terra


Ciclo das Rochas
Distribuição e abundância

• Em extensão, as 80
rochas sedimentares 70
predominam, mas em 60 ígneas
volume são as rochas 50
ígneas e metamórficas 40
sedime
ntares
as mais abundantes. 30 metamó
20 rficas

10
0
1.- ROCHAS IGNEAS
Rochas Ígneas ou Magmáticas
Ignis refere-se aquilo tem origem no fogo

• As rochas ígneas são definidas como as que são


formadas por meio do resfriamento de magmas, sendo
consideradas como rochas primárias, possui origem
líquida. São formadas em altas temperaturas, a partir
de matéria mineral fundida em grandes profundidades. A
energia formadora das rochas ígneas é o calor interno
da Terra, que produz o magma. O resfriamento dos
magmas pode ocorrer tanto na superfície quanto no
interior da Terra.
Formação das Rochas Ígneas

Piroclásticas

Extrusiva

Intrusiva

Porfirítica
partially
crystalline
INTRUSIVAS
Granito Gabro

EXTRUSIVAS
Basalto
Riolito
O Magma
– massa fluido-pastosa de Si e O (material
rochoso fundido) temperaturas 700 a 1200 C
– + parte sólida, correspondendo a minerais já
cristalizados e eventuais fragmentos de rocha
– + cátions sem posição definida [ > % Ca,
Fe+2/+3, Mg, Na, K, Al, Ti e < % P, Mn + traços
(ppm ou ppb);
– + voláteis: H2O, CO2, CO, H2, N2, S2, SO3,
HCl, H2S, dissolvido na parte líquida
• A importância dos voláteis está ligada ao abaixamento da T° de
fusão, à diminuição da viscosidade (rompem as ligações Si-O) e à
formação de minerais economicamente importantes.
Características do magma
• Temperatura : ~ 600°C a 1200°C
• A % de SiO2 é variável e interfere nas características e
no comportamento do magma: (tetraedros de sílica Si O4)
• A viscosidade do magma depende:
– Temperatura > T°  < Viscosidade
– Composição > SiO2  > Viscosidade
– Voláteis > voláteis  < Viscosidade
– Pressão > P  > Viscosidade

• Mantendo-se o Vol magma constante, se P e T°


aumentam simultaneamente 
< viscosidade (T° é mais influente)
Origem do magma (locais de ocorrência de rochas ígneas)

Seção esquemática da crosta / manto (astenosfera / litosfera), indicando a


localização dos sítios formadores de magmas no modelo de Tectônica de
Placas.
Características do magma
felsicos

intermediarios

maficos
Magma Source: Partial Melting
Hypothetical Solid Rock:
Intermediate Composition Melting
Mineral Temp

A (Mafic) 1200°C

B (Int) 1000°C

C (Felsic) 800°C

Temperature = 500°C
Magma Source : Partial
Melting
Melting
Mineral Temp

A (Mafic) 1200°C

Intermediate Magma
B (Int) 1000°C
(All Minerals Melt)

C (Felsic) 800°C

Temperature = 1400°C
Magma Source : Partial
Melting
Melting
Mineral Temp

A (Mafic) 1200°C

B (Int) 1000°C

C (Felsic) 800°C

Temperature = 900°C Magma


Magma Separates Felsic

Melting
Mineral Temp

A (Mafic) 1200°C

B (Int) 1000°C

C (Felsic) 800°C

Remaining Rock: More Mafic Magma


Temperature = 900°C
Bottom Line on Partial
Melting
Partial Melting produces a magma that is
more felsic than the parent rock

Rock Magma from Partial Melting


Ultramafic Mafic
Mafic Intermediate
Intermediate Felsic
Felsic (more) Felsic
Composição química das rochas ígneas:
A partir de milhares de análises químicas de rochas, observou-se que há 2 "picos" de
freqüência para SiO2 = 53% (em basaltos) e 73% (em granitos). Isso é coerente com
observações de campo e com os 2 grandes tipos de crosta (continental e oceânica).
Mas há vários outros tipos de rochas ígneas:
POR QUÊ EXISTEM TANTOS TIPOS DE ROCHAS
ÍGNEAS?
• Hipótese 1: diferentes tipos de rochas se originam de
um mesmo magma, por meio de diferenciação
magmática  seqüências de rochas vulcânicas com
variação composicional + intrusões estratificadas)
• Hipótese 1: EXPERIMENTOS COM VÁRIAS MISTURAS DE SILICATOS,
SIMULANDO OS DIVERSOS AMBIENTES PARA UMA CÂMARA MAGMÁTICA,
VISANDO COMPREENDER A DIFERENCIAÇÃO MAGMÁTICA
(Ocorre porque diferentes minerais se cristalizam com diferentes
temperaturas) CRISTALIZAÇÃO FRACIONADA
(Série de Bowen)
Hipótese 1
CLASSIFICAÇÃO DAS ROCHAS MAGMÁTICAS OU ÍGNEAS
A classificação pode ser:
Em função da gênese:

INTRUSIVAS (ou plutônicas) = Grãos variam de 1mm a 1cm –


Apresentam textura fanerítica (minerais visíveis a olho nu)
-Equigranular: minerais do mesmo tamanho
-Inequigranular: minerais de tamanhos diferentes
EXTRUSIVAS (ou vulcânicas) = grãos < 1mm
Apresentam textura afanítica(minerais não visíveis a olho nu).
Lavas ou pirocláticas.
Em função da composição química:
Basicamente estão presentes 6 grupos de silicatos –

feldspatos, quartzo, olivinas, piroxênios, anfibólios, micas, com quantidades subordinadas de


magnetita, ilmenita e apatita.

A % dos minerais essenciais é o critério básico para classificação das rochas ígneas.
Fig. 5.4
• Classificação de Rochas Ígneas Plutônicas
• (baseada em Streckeisen,1976 e LeMaitre, 1989
in Hibbard,M.J. 1995. Petrography to petrogenesis. Pub. Prentice-Hall Inc, New Jersey)
afanitica
Texturas de rochas ígneas.

faneritico
porfiritico
Igneous Textures -
Crystalline

Groundmass

Porfirítica
fenocristais
Phenocrysts
Porphyritic texture

Big crystals

Small
crystals

Granito
vidro
Obsidiana

Glassy
pegmatitico
vesicular
piroclastico
Igneous Textures - Pyroclastic/Fragmental

Made of rock fragments


rather than crystals
Igneous Composition

Mafica, ex. basalto

Félsica, ex. riolito


Exemplos de rochas Ígneas
Exemplos de rochas Ígneas
granodiorito
diorito
tonalito
granito
granito
granito
granito
granito
granito
Modos de Ocorrência de Rochas Ígneas
Modos de Ocorrência de Rochas Ígneas
CORPOS INTRUSIVOS MENORES

DIQUES
• Geometria tabular
• Discordante da rocha
encaixante
• geralmente rochas
afaníticas básicas ou
alcalinas
• Dimensões variadas
(espessura e comprimento)
• São formados quando o
magma invade as rochas
encaixantes através de
falhas ou fraturas.
• Ocorrem isoladamente ou
como enxame de diques
Modos de Ocorrência

Dique de basalto subvertical cortando rochas proterozóicas do Estado


do Rio de Janeiro
Modos de Ocorrência

Diques graníticos cortando dobras em rochas metamórficas


Modos de Ocorrência
CORPOS INTRUSIVOS MENORES

SILLS
• Geometria tabular
• Concordante com a rocha encaixante
(paralela à estratificação ou bandamento)
• geralmente rochas afaníticas básicas
• Dimensões variadas (espessura e
comprimento), porém com espessura
constante
• Ocorrem geralmente em níveis rasos da
crosta, onde o peso das rochas
sobrepostas é menor
Modos de Ocorrência

Sill de rocha básica contendo disjunção colunar


Modos de Ocorrência
CORPOS INTRUSIVOS MENORES
LACÓLITOS
• Forma de cogumelo
• Ocorre o arquamento das rochas superpostas
• geralmente formado por rochas mais viscosas que
basaltos

Outros: Necks vulcânicos, Facólitos e Lopólitos


Modos de Ocorrência
CORPOS INTRUSIVOS MAIORES
BATÓLITOS e STOCKS:
- Corpos intrusivos discordantes de grandes dimensões com formas irregulares
- Cristalizam-se a grandes profundidades
-Representam as câmaras magmáticas alimentadoras de vulcões que se
cristalizaram lentamente

-Compreende rochas de granulação grossa (geralmente granítica)

-Ricos em veios pegmatíticos nas bordas


Disjunção Colunar
Padrão de fraturamento regular (em
geral 6 faces) gerado pela contração do
magma durante o rápido resfriamento
em derrames e corpos ígneos
tabulares.
Columnar
Structures
Igneous Dike
Xenólito
Lava Tubes