Você está na página 1de 2

Os sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade variam em função de

alguns fatores: idade, sexo, estímulos externos, entre outros. Assim, um garoto de sete
anos com TDAH pode apresentar uma sintomatologia bem diferente de uma garota na
mesma idade. E ainda, adultos podem apresentar uma diminuição de alguns sintomas ou
uma exacerbação de outros. Além disso, com certa frequência portadores de TDAH são
acometidos por doenças ou transtornos secundários (comorbidades) associados ou não
ao TDAH, tais como Dislexia, Transtorno de Ansiedade, Transtorno Bipolar,
Depressão, Fobias, Transtorno Obsessivo-compulsivo entre outros. (GOMES, 2007).

Nesse caso com base em um Estágio que realizei durante a graduação sobre TDH,
acredito que para que a intervenção em relação a este distúrbio seja efetiva e surta os
efeitos esperados, de antemão é necessário o acompanhamento de alguns profissionais
que vou citar , e logo em seguida seu respectivo papel nessa intervenção:
 O Psicólogo – que vai levar em consideração os aspectos emocionais, e
psicológicos assim como o ambiente que o individuo se encontra inserido.
 O Psicopedagogo – que vai acompanhar a vida escolar dessa criança observando
seu desenvolvimento e se existe relações subjetivas e objetivas no
desenvolvimento das atividades, assim como também vai identificar os fatores
físicos e psicossociais envolvidos no processo.
 Neuropsicólogo ou Neurologista - já que pode existir fatores genéticos nesse
processo passível de análise, que vai contribuir muito para um diagnóstico
preciso.
 Psiquiatra – havendo realizado o diagnóstico o papel deste profissional é
fundamental para o tratamento com a prescrição dos psicotrópicos quando assim
houver necessidades.

Com a participação destes profissionais podemos desenvolver intervenções que


trabalhem as características incapacitantes em relação a determinada área de
desenvolvimento do sujeito , o processo do brincar por exemplo trabalha muito o
treino da atenção e atuação das habilidades executivas , e isso pode ser feito com
quebra cabeças, jogos em grupos de interação que promovam a socialização
como por exemplo : dominós , jogo da memória para trabalhar as habilidades de
atenção e concentração, desenhos e pinturas para expandir a capacidade de criar
produzindo seu material elevando dessa forma sua autoestima. É bom ressaltar
que, nem sempre vai existir a atuação destes profissionais em conjuntos por
diversos fatores, dai a necessidade de conhecer a individualidade de cada
criança, mas que estas intervenções também sejam realizadas com a inclusão dos
Pais em manejo de contingência ou seja, levar estas práticas para o âmbito
doméstico.

O tratamento alopático nem sempre tem o efeito esperado , ou deixa resquícios


fortes, aqui entra como indicação a necessidade de Psicoterapia que auxilia em
muito no processo, e posso destacar como profissional da área que a TCC (
Terapia Cognitivo Comportamental) tem sido efetiva para minimizar ou
erradicar sintomas fortes do TDAH como Ansiedade e Depressão. Essa
intervenção é realizada em 4 etapas que vou resumir para não tornar o texto tão
cansativo:

1- Psicoeducação – nessa primeira etapa o sujeito em questão ou os Pais e


envolvidos vão receber informações relevantes sobre o TDAH, entender os
sintomas e suas consequências e como criar estratégias para o manejo destes
sintomas.

2 - Psicoterapia - se o sujeito já tem uma idade que lhe permite identificar


certas emoções , aqui ele vai aprender a identificar suas crenças sobre o distúrbio
e passar por uma reestruturação cognitiva ( descontruir a ideia que por conta
deste transtorno seja inútil, ou não consiga realizar algumas coisas por exemplo),
caso ainda a idade não permita esse grau de assimilação , nesse caso os Pais
passarão por esse processo para desconstrução de certos conceitos em torno do
fato.

3 - Avaliação de Comorbidades – aqui quero dizer que o sujeito vai passar por
uma avaliação psicológica onde vamos verificar outros transtornos ligados ao
TDAH como Ansiedade, Depressão, transtorno de conduta etc. Estes dados são
importantes para a condução e sucesso da intervenção trabalhada como um todo.

4 – Intervenção no Ambiente - nesta ultima fase nós vamos trabalhar com a


criança de forma que ela possa encontrar o equilíbrio entre a estrutura e
liberdade, ou seja : O Psicólogo busca mostrar para a criança que ela é capaz de
fazer as atividades que lhe são delegadas, e que é possível conviver com pessoas
de sua mesa faixa etária, assim ela será orientada a utilizar cronogramas, buscar
lugares silenciosos para estudar, utilizar lembretes, quadro de avisos , e sempre
que possível utilizar um intervalo entre as suas tarefas.

Finalizando quero reforçar que a participação dos Pais neste processo e


familiares é de suma importância, até para que as instruções passadas na terapia
sejam seguidas e sem desconsiderar que os aspectos emocionais e sociais das
pessoas que rodeiam a criança influenciam no comportamento da criança, assim
como vai viabilizar o entendimento do comportamento diferenciado da criança
com TDAH de outras crianças sem estigmatiza-las .

Perdão a extensão mas me empolguei com o tema , mania de Psicólogo exceder


nas palavras rsrsrsr ( brincadeira).

Espero ter contribuído com os colegas.