Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

LAB. DE FÍSICA II

ALUNO (A): DATA:19/03/2019

RELATÓRIO

TÍTULO:
ESTUDO DOS FLUIDOS EM EQUILIBRIO

1 – OBJETIVOS

 Determinar o empuxo no líquido


 Determinar a densidade do líquido
 Determinar a pressão
2 – FUNDAMENTOS TEÓRICOS
Fluido é uma substancia que tem a capacidade de escoar. Quando um fluido é
submetido a uma força tangencial, deforma-se de modo continuo, ou seja, quando
colocado em um recipiente qualquer, o fluido adquire o seu formato. Podemos considerar
como fluidos líquidos e gases.
Particularmente, ao falarmos em fluidos líquidos, devemos falar em sua
viscosidade, que é o atrito existente entre suas moléculas durante um movimento. Quanto
menor a viscosidade, mais fácil o escoamento do fluido.
Quando trabalhamos com a mecânica de partículas e de corpos rígidos, usamos as
massas de objetos individuais, no caso do fluido, devido as propriedades especiais deles
é conveniente trabalharmos em termos de densidade, pressão e volume.
A densidade é a grandeza que relaciona a massa de um corpo ao seu volume:
𝒎
𝒅 = 𝑽 . Quando comparamos dois corpos formados por materiais diferentes, mas com
um mesmo volume, quando dizemos que um deles é mais pesado que o outro, na verdade
estamos nos referindo a sua densidade onde a afirmação correta seria que um corpo é
mais denso que o outro.
A unidade da densidade no sistema métrico é expressa por: g/cm³ e kg/m³.
Já o conceito de pressão pode ser entendido melhor, ao considerar um elemento
infinitesimal de área em qualquer parte do fluido. Deve haver forças exercidas pelo fluido
em tal elemento de área, devido as propriedades dos fluidos, estas forças caso o fluido
esteja em equilíbrio, serão normais ao elemento pois os fluidos não podem suportar forças
tangenciais sem fluir. A pressão em um destes elementos de área é definido como o
𝒅𝑭
módulo da força que atua nela dividido pela área do elemento, isto é: : 𝑷 = , ou seja
𝒅𝒔
dF=P, ds significa que a força total em uma área de grandeza finita pode ser obtida
integrando-se, portanto: 𝑭 = ∫𝒔 𝑷𝒅𝒔. A unidade de pressão no SI é o Pascal (Pa), que é
o nome adotado para N/m².

3 – MATERIAL NECESSÁRIO
 Dinamômetro
 Paquímetro
 Corpo Cilíndrico
 Becker
 Água (250ml)
 Seringa (ou pipeta)

4 – PROCEDIMENTOS

O procedimento é dado a partir do momento em que foi retirado o cilindro maciço


de dentro do seu recipiente (latão), o dinamômetro foi verificado e depois foi pesado o
cilindro maciço onde foi obtido o peso do cilindro que foi denominado como PCFL (peso
do corpo fora do liquido. Logo em seguida foram feitos os mesmos procedimentos, mas,
nessa segunda parte do experimento o cilindro maciço foi mergulhado no interior da
massa liquida do corpo que estava dentro do Becker, e foi obtido um novo valor o qual
foi denominado como PACDL (peso aparente do corpo dentro do liquido).

5 –ATIVIDADES
5.01 – Dependure o cilindro de náilon na parte inferior do cilindro de latão e ambos no
dinamômetro de acordo com a figura 1 e anote o peso do corpo fora do líquido.

Tabela 1 – Peso do corpo fora do


liquido – Pcfl.
Nº medidas Valores
1ª 1,0 N
2ª 1,0 N
3ª 1,0 N
4ª 1,0 N
5ª 1,0 N
Média 1,0 N

5.02 – Qual o significado físico do valor encontrado?


R: O significado físico foi de uma força real.
5.03 – Mergulhe o cilindro na água (fig.2) e anote a leitura no dinamômetro. Qual o
significado físico do valor encontrado?
Tabela 2 – Peso aparente do corpo dentro do liquido – Pacdl.
Nº medidas Valores
1ª 0,5 N
2ª 0,5 N
3ª 0,5 N
4ª 0,5 N
5ª 0,5 N
Média 0,5 N

R: O significado físico foi de uma força aparente denominada empuxo.


5.04 – Como você justifica a aparente diminuição do peso do cilindro ao ser submerso na
água?
R: Ao perceber que o peso do corpo fora do liquido é maior que o peso aparente do
corpo dentro do liquido, aí podemos notar a diferença entre os pesos e isso se deve a
força de empuxo provocada pelo fluido, porque ela tem a mesma direção, porém o
sentido contrário a força gravitacional, sendo assim fica uma força resultante para
baixo menor que o peso do corpo fora do líquido.
5.05 – Como você determina o módulo da força que provocou a aparente diminuição
sofrida pelo peso do corpo (denominado empuxo)?
R: Podemos calcular a força do empuxo usando a fórmula seguinte: E=Pcfl – Pacdl.
5.06 – Determine o empuxo sofrido pelo cilindro completamente submerso.
R: 𝑬 = 𝑷𝒄𝒇𝒍 − 𝑷𝒂𝒄𝒅𝒍
𝑬 = 𝟏, 𝟎 𝑵 − 𝟎, 𝟓 𝑵
𝑬 = 𝟎, 𝟓 𝑵
5.07 – Qual o sentido do empuxo?
R: O sentido do empuxo é uma força contrária de baixo para cima.
5.08 – Qual o módulo do empuxo, no caso de submergirmos somente a metade do
cilindro?
𝒎𝒇
R: 𝑬𝒏𝒐𝒗𝒐 = .𝒈
𝟐

𝑬
𝒎𝒇 =
𝒈
𝑬
𝑬𝒏𝒐𝒗𝒐 =
𝟐
𝑬𝒏𝒐𝒗𝒐 = 𝟎, 𝟐𝟓 𝑵

Consideremos então o Enovo o novo empuxo, E é o empuxo com o cilindro inteiro


imerso e mf é a massa do cilindro deslocado. A partir do momento em que
mergulhamos metade do cilindro no fluido, a força que atua nela será a metade e
assim teremos um novo empuxo que será de 0,25N.
5.09 – Por que o empuxo tem que ser uma força?
R: Porque é necessária uma força, para variar a força resultante e, também o
empuxo pode ser medido em um dinamômetro.
5.10 – Por que usamos a expressão “aparente diminuição sofrida pelo peso do corpo” e
não diminuição do peso do corpo?
R: Porque não existe uma diminuição do peso, e sim uma nova força de sentido
oposto.
5.11 – Com a seringa, recolha a água do Becker e encha o cilindro de latão. Observe que
o peso da água colocada dentro do cilindro, aula a ação do empuxo. Como o volume do
cilindro submerso é igual ao volume interno do cilindro de latão, ao submergir desloca
um volume de água, igual ao seu volume submerso (princípio da impenetrabilidade da
matéria) e, ao encher o cilindro de latão, você coloca (em seu interior) um volume de agua
igual ao volume do liquido deslocado pelo cilindro. Qual a leitura indicada pelo
dinamômetro ao encher o “balde” (metálico) com um volume de água igual ao deslocado
pelo cilindro submerso?
R: A leitura indicada é de aproximadamente 0,85 N.
5.12 – Determine o peso do volume de água deslocada pelo cilindro submerso.
𝒎 𝒎
R: 𝒅 = ⇒ 𝟏 = 𝟓𝟎 ⇒ 𝒎 = 𝟓𝟎𝒈 ⇒ 𝒎 = 𝟎, 𝟎𝟓𝒌𝒈
𝑽

𝑷 = 𝒎. 𝒈 ⇒ 𝑷 = 𝟎, 𝟎𝟓. 𝟏𝟎 ⇒ 𝑷 = 𝟎, 𝟓𝑵

5.13 – Compare o peso do volume do liquido deslocado (pelo corpo submerso) com o
valor do empuxo.
R: Ambos são iguais, pois correspondem a 0,5N.
5.14 – Verifique a veracidade da seguinte afirmação: “Todo corpo mergulhado em um
fluido fica submetido a ação de uma força vertical, orientada de baixo para cima e
denominada empuxo, cujo valor modular é igual ao peso do volume do fluido deslocado”.
Como é conhecida esta afirmação?
R: Esta afirmação é conhecida como princípio de Arquimedes.
5.15 – Partindo das considerações teóricas de massa específica, demonstre que:
E=Pliq.deslocado
Pode ser escrita como: E = VµLg ou E = ρV, onde:
V= volume do liquido deslocado, µL = massa específica do liquido, g = aceleração da
gravidade local e ρ = peso especifico do liquido deslocado.
R: 𝑷 = 𝑬
𝑷 = 𝑽𝝁𝒈
𝑷 = 𝑽(𝒎/𝑽)𝒈
𝑷 = 𝒎𝒈
5.16 – Determine o valor da pressão nas bases inferior e superior do corpo imerso na
água.
R: 𝑷 = 𝝆𝑽𝒈 ⇒ 𝑷 = 𝟏𝟎𝟎𝟎. 𝟎, 𝟓𝒙𝟏𝟎−𝟒 . 𝟏𝟎 ⇒ 𝑷 = 𝟎, 𝟓 𝑵
5.17 – Explique a diferença entre os resultados encontrados no item anterior.
R:
5.18 – Determine a densidade do liquido utilizado. Compare com os valores teóricos e
determine o erro. Justifique as diferenças.
R:
5.19 – No seu entender, a densidade uma vez determinada é constante independente da
temperatura?
R: Somente a massa específica é constante independente de fatores perturbadores,
pois a densidade varia de acordo com o volume interno preenchido do sólido, que
varia com alteração de pressão e temperatura, pois aumenta o estado de agitação
das moléculas e permite a dilatação ou compressão do liquido.
5.20 – Determine aproximadamente, a pressão exercida pelo seu peso sobre o chão.
𝑭 𝑭 𝟒𝟐𝒌𝒈 𝟒𝟐𝒌𝒈
R:𝑷 = 𝑨 = 𝑳𝒂𝒓𝒈𝒖𝒓𝒂 𝒙 𝒄𝒐𝒎𝒑𝒓𝒊𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 = = 𝟎,𝟎𝟏𝟗𝟖𝒎² ≅ 𝟐, 𝟏𝟐𝟏(𝒌𝒈/𝒎²)
𝟎,𝟎𝟗 𝒙 𝟎,𝟐𝟐

5.21 – Seria recomendável você atravessar um terreno lamacento sobre “pernas de pau”?
Justifique.
R: Não, pois se utilizar a perna de pau em um terreno lamacento a tendência dela é
afundar devido a pequena área de contato com o solo, pois sua pressão é elevada
dificultando assim a movimentação.
5.22 – Cite um exemplo onde duas forças diferentes produzem pressões iguais.
R: Elevador Hidráulico.

6 – CONCLUSÃO
Podemos concluir com base nos resultados obtidos através do experimento, que
em um corpo submerso existe uma gravidade agindo sobre ele de cima para baixo e,
também há uma outra força agindo sobre o mesmo corpo de baixo para cima que é
denominada Empuxo. Logo temos a impressão de que o objeto é mais leve e chamamos
de peso aparente.
O Empuxo é dependente do volume da densidade do líquido que é deslocado pelo
corpo submerso e, quanto maior a densidade e volume do liquido deslocado o empuxo
que age sobre o corpo submerso também será maior.

REFERENCIAS
 HALLIDAY, D.; RESNICK, R.; WALKER J. Fundamentos de Física, Vol. 2:
gravitação, ondas e termodinâmicas. 8ª Edição. Rio de Janeiro, LTC, 2011.
 NUSSENZVEIG, H.M. fluidos, oscilações, onda, calor, curso de Física Básica. 4ª
edição. BLUCHER
 http://www.sofisica.com.br/conteudos/Mecanica/EstatisticaeHidrostatica/empux
o. Acessado em 17 de março de 2019.
 http://www.google.com/amp/s/m.mundoeducacao.bol.uol.com.br. Acessado em
18 de março de 2019.