Você está na página 1de 16

Pró-Reitoria de Graduação

Curso de Nutrição
Trabalho de Conclusão de Curso

Propriedades Nutricionais e Funcionais da Água de coco

Autor: Sarah Luz Figueiredo Ramos


Orientadora: Prof.Msc Fernanda Damas de Matos

Brasília - DF 1

2012
Sarah Luz Figueiredo Ramos

PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E FUNCIONAIS DA ÁGUA DE COCO

Artigo científico apresentado à disciplina


Trabalho de Conclusão de Curso – TCC,
como requisito parcial à conclusão do curso
de Nutrição na universidade Católica de
Brasília – UCB.
Orientador: Prof. Msc. Fernanda Damas de
Matos

Brasília
2012

2
Artigo de autoria de Sarah Luz Figueiredo Ramos, intitulado “Propriedades
Nutricionais e Funcionais da Água de coco”, apresentado como requisito parcial para
obtenção do grau de Bacharel em Nutrição da Universidade Católica de Brasília, em
22 de Junho de 2012, defendido e aprovado pela banca examinadora abaixo
assinada:

___________________________________________

Prof. Msc Fernanda Damas de Matos


Orientadora
Nutrição – UCB

___________________________________________

Prof. Esp. Marcus Vinícius Cerqueira


Nutrição - UCB

Brasília
2012

3
Propriedades Nutricionais e Funcionais da Água de coco

Sarah Luz Figueiredo Ramos

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo apresentar as diversas


propriedades e benefícios da água de coco para o ser humano.
O estudo mostra as características nutricionais e funcionais da água de coco.
Apresenta o histórico do coqueiro, levanta informações sobre suas características
botânicas, propriedades nutricionais, propriedades funcionais, aplicações clínicas e
outras aplicações, formas de consumo e apresenta as considerações finais.
Neste estudo foi realizada pesquisa exploratória e descritiva, documental e
bibliográfica.

Palavras-chave: Cocos Nucifera L., água de coco, coco, propriedades funcionais,


propriedades nutricionais.

Abstract: This paper aims to present the various properties and benefits of coconut
water for humans.The study shows the nutritional and functional characteristics of
coconut water. Presents the history of the coconut tree, gather information about
their botanical characteristics, nutritional properties, functional properties, clinical
applications and other applications, forms of consumption and presents the
conclusions.This study was conducted exploratory and descriptive research,
document and literature.

Keywords: Cocos nucifera L., coconut water, coconut, functional properties,


nutritional properties.

4
1. INTRODUÇÃO

Este estudo tem como proposição apresentar a composição nutricional e as


propriedades funcionais da água de coco, bem como seus benefícios para o
organismo humano. Visa também incentivar o consumo dessa bebida para a
promoção do bem estar dos indivíduos que a consomem. Entende-se ainda, que a
relevância desse estudo poderá de algum modo, colaborar com acréscimo de
informações aos interessados no tema ora desenvolvido.
O coqueiro (Cocos nucifera L.) é um vegetal muito comum no Brasil,
conhecido mundialmente. Caracteriza-se por ser uma planta perene, de porte ereto,
sem ramificações e com folhagens restritas ao topo. O seu fruto, o coco, é
constituído por uma dupla monosperma formada por uma epiderme lisa que envolve
o mesocarpo fibroso, onde se encontra uma camada muito dura, o endocarpo. A
semente se situa entre o endocarpo e o albúmem sólido e caracteriza-se por uma
amêndoa comestível, branca e oleosa, formando uma grande cavidade no centro do
coco, onde se encontra a água (HOLANDA, 2004; PASSOS,1998; LEBER &FARIA,
2003).
Hoje, identificam-se duas variedades principais do coqueiro: o anão (Nana
Griff.) e o gigante (Typica Nar.), sendo que a exploração que tem crescido mais no
Brasil é a do coqueiro anão para produção de água de coco, fornecimento da polpa
e do fruto seco para a agroindústria de alimentos (ARAGÃO, 2004).
Especialmente a água do coco, vem sendo amplamente utilizada como um
repositor hidroeletrolítico natural existente no interior da semente, rica em
nutrientes. Começa a se formar após um mês e meio da polinização da flor feminina
e alcança seu maior volume aos seis meses de idade, quando se encontra pronta
para consumo (ARAGÃO, 2000).
A água possui em sua composição básica açúcares e minerais, como
potássio (mais abundante), sódio, cálcio, magnésio e fósforo, sendo que esses
possuem quantidade variáveis de acordo com a maturação do fruto (ARAGÃO et
al., 2001; FILHO, 2005; CARVALHO et al., 2006).
A água de coco não é uma fonte expressiva de vitaminas, porém contém
quantidades importantes de vitamina C, nos frutos com 6 meses de maturação e
vitaminas do complexo B, se constituindo em um produto com excelente qualidade
nutricional, leve e com sabor único, além de baixos teores de carboidratos e lipídeos,

5
o que contribuem para um baixo valor calórico (ARAGÃO et al., 2001; FILHO, 2005;
CARVALHO et al., 2006).
Dentre as funções da água de coco, pode-se salientar seu emprego durante a
atividade física, evitando desidratação e desgaste físico ao repor os minerais
perdidos pelo organismo após o exercício. É indicada para consumo por indivíduos
com hipertensão arterial, por equilibrar o sódio e evitar edemas, e ainda por possuir
quantidade elevada de potássio. Utilizada para substituir produtos protéicos em
países subdesenvolvidos, pela semelhança entre seus aminoácidos com os
encontrados no do leite de vaca, bem como maior porcentagem de arginina, alanina,
cistina e serina. Ainda, possui propriedades antioxidantes e hepatoprotetores em sua
forma in natura que diminuem o estresse oxidativo e diminuem o risco do
desenvolvimento de doenças crônicas (ARAGÃO, 2004; NADANASABAPATHY &
KUMAR, 1999; MARQUES & GALLI, 2007; (FARIA & LEBER, 2001; CARVALHO et
al, 2006; ARAGÃO, 2007).

2. MATERIAL E MÉTODOS

Foi realizado um estudo descritivo de caráter exploratório, por meio de


revisão bibliográfica, o qual incluiu pesquisas em artigos científicos coletados de
periódicos indexados, no período compreendido entre 2000 e 2011 nos seguintes
bancos de dados: Pubmed, Science Direct, Scielo e Lilacs contendo as palavras
chaves em português, inglês e espanhol: água de coco, Cocus nucífera L, coco,
propriedades funcionais, propriedades nutricionais.

3. REFERENCIAL TEÓRICO

3.1 HISTÓRICO DO COQUEIRO (COCOS NUCIFERA L.)


O coqueiro não existia no Brasil na sua descoberta em 1500.
Primeiras referências aparecem no Tratado Descritivo do Brasil, escrito por
Gabriel Soares de Souza em 1587 que diz:
‘’As palmeiras que dão os cocos se dão bem na Bahia, melhor que na Índia,
porque metendo um coco debaixo da terra, a palmeira que dele nasce dá coco em
cinco e seis anos, e na Índia não dão, estas plantas, frutos em vinte anos”.
(BONDAR, 1955) (SIQUEIRA, ARAGÃO, TUPINAMBÁ, 2002).
No Brasil, em 1553, foi introduzido, inicialmente, o coqueiro gigante, na Bahia,

6
procedente das Ilhas de Cabo Verde, e apresentando como origem a Índia ou Siri
Lanka (NUCÉ DE LAMOTHE, 1983). Depois em uma segunda introdução, em 1939,
introduziu-se no Rio de Janeiro e plantados em Cabo Frio, proveniente da Malásia
(BURLE & BROWNE, 1954).
Em 1978 teve uma Terceira introdução pela Ceplac, introduzindo-se o coco
procedente da Costa do Marfim. Em uma quarta introdução em 1981, Sococo
importou o coco gigante para produzir híbridos no Pará, e por fim em uma quinta
introdução,em 1983,a Embrapa trouxe da costa do Marfim várias populações de
coco gigante para constituir um Banco Ativo de Germoplasma no Sergipe.
(SIQUEIRA, ARAGÃO, TUPINAMBÁ, 2002).
O coqueiro anão foi introduzido em 1925 chegando até o Brasil pelos
doutores Arthur Neiva e Miguel Calmon, ao retornarem de uma viagem ao Oriente
estimulados pela precocidade da produção e facilidade da colheita dos frutos ,no Rio
de Janeiro, Pernambuco e Bahia.(GOMES,1944).
O coqueiro Híbrido surgiu com o cruzamento dos dois tipos e começou na
Índia em 1926 para combinar características do gigante e do anão. Foram criados
programas de produção de híbridos adotado pela IRHO e iniciado pela
Sudene,SOCOCO e pela Embrapa.(GOMES,2007)( (SCHUILING e HARRIES ,1994)
(DE CANDOLE,1895)

3.2 BOTÂNICA E CARACTERÍSTICAS DO COQUEIRO

O coqueiro é uma planta perene de porte ereto, sem ramificações e de


folhagem restrita ao topo (HOLANDA,2004).

Suas características botânicas são:


Divisão: Espermatófita
 Classe: Angiosperma
 Sub-classe: Monocotiledônea
 Ordem: Principes (= Arecales)
 Família: Palmae (= Arecaceae)
 Tribo: Cocoidae
 Gênero: Cocos
 Espécie: Cocos nucifera (SIQUEIRA, ARAGÃO, TUPINAMBÁ, 2002).

7

Hoje, identificam-se duas variedades principais do coqueiro: o anão (Nana


Griff.) e o gigante (Typica Nar.). A variedade anão apresenta as colorações amarela,
verde e vermelha, sendo que no Brasil, a mais cultivada é a verde, por possuir uma
maior precocidade de produção, maior quantidade de frutos, melhor sabor da água e
ainda, por apresentar um porte menor. Sua floração ocorre entre o segundo e o
terceiro anos, com período de vida médio entre 30 e 35 anos, apresentando frutos
pequenos com aproximadamente 1 quilo. (SIQUEIRA, ARAGÃO, TUPINAMBÁ,
2002).
A variedade gigante é menos produtiva, possui porte mais alto, chegando até
35 metros. Apresenta maturidade tardia, floração entre o quinto e sétimo anos, vive,
em média, entre 80 e 100 anos e produz frutos de 1,5 quilos. Pode-se ainda
observar uma sub variedade que é a junção do anão com o gigante formando o
híbrido, com porte intermediário, alta produção, frutos grandes com grande
espessura de copra (HOLANDA, 2004; RANIERI, 2000; SIQUEIRA, ARAGÃO,
TUPINAMBÁ, 2002).
Pode-se ainda observar uma sub variedade que é a junção do anão com o
gigante formando o híbrido, com porte intermediário, alta produção, frutos grandes
com grande espessura de copra (HOLANDA, 2004; RANIERI, 2000; SIQUEIRA,
ARAGÃO, TUPINAMBÁ, 2002).
O coco possui uma dupla camada formada pelo epicarpo liso (casca) e pelo
mesocarpo fibroso. No interior desse encontra-se uma camada marrom e resistente,
o endocarpo, onde se encontra o albúmem liquido (água) e o albúmem sólido (parte

8
branca comestível). (PASSOS,1998).
Possui um pH variável de acordo com a idade do fruto. Ao atingir 5 meses de
idade seu pH encontra-se em torno de 4,7 a 4,8, chegando até 5 até o final do
crescimento do fruto (ARAGÃO et al., 2001; FILHO, 2005; CARVALHO et al., 2006).
O coco possui, aproximadamente, de 400 mililitros de água e leva em torno
de 180 a 200 dias para que atinja o ponto ideal de colheita. Durante a colheita deve-
se ter o máximo de cuidado para evitar injúrias mecânicas ao fruto, devendo ser
apanhados com as mãos e descidos em cestos ou sacos presos a uma corda para
evitar ruptura e perdas com a queda. (CARVALHO et al., 2006; ABREU, 2006;
HOLANDA, 2004; PASSOS, 1998; LEBER & FARIA, 2003).

3.4 PROPRIEDADES NUTRICIONAIS DA ÁGUA DE COCO

Em média, a água de coco apresenta a seguinte composição:

Nutrientes Em 100ml(g) de água de coco


Sacarose 280 mg

Frutose 2400 mg

Glicose 2378 mg

Cálcio 17,10 mg

Fósforo 7,40 mg

Sódio 7,05 mg

Magnésio 4,77 mg

Potássio 156,86 mg

(ALEIXO et al., 2000; ROSA; ABREU, 2000)

A água do interior do coco é estéril e representa cerca de 25% do peso do


fruto e sua composição básica representa 93% de água,5% de açúcares,alem de
proteínas,vitaminas e sais minerais.(ARAGÃO, et al.2001)

9
Tem como características baixos teores de carboidratos e gorduras, tendo um
valor calórico reduzido em media de 20 calorias/100ml.(FILHO,2005) (ARAGÃO,et
al.2001)
Os componentes mais importantes são os açúcares redutores (glicose e
frutose) cuja concentração atinge o nível máximo de 6,0g/100ml do 6 e 7 mês,com a
maturação esse nível reduz até 1,0g/ml e há formação de açúcares não
redutores(sacarose e glicose).(FILHO,2005).(MAGDA,1992)
Em estágios progressivos da maturação da água, observou-se redução no
volume de água, açúcares, sólidos totais, cinzas e minerais e um aumento
significativo de gordura e proteína. (ARAGÃO,2000)
No estágio de maturidade, o sódio, potássio e magnésio aumentam e o cálcio
diminui lentamente, ferro e cobre permanece na mesma quantidade e o zinco
diminui a partir do nono mês. O potássio é o eletrólito mais abundante durante toda
a maturação, sódio apresenta um incremento, enxofre tem um aumento lento
(ARAGÃO et al ,2001).
Os teores de potássio, cálcio, magnésio, manganês e zinco são dependentes
dos fatores variedade, safra e idade. E o teor de potássio, sódio e cobre aumentam
e os demais nutrientes diminui com o aumento da idade do fruto. (SREBERNICH,
1998).
A água de coco possui boa fonte de ácido ascórbico com seis meses de
maturação e vitaminas do complexo B (ATUKORALE,2001).
Também possui óleo em emulsão estabilizado por proteínas coloidais, o teor
de lipídeos e proteína aumentam com a idade do fruto e independentes de safra e
variedade.(SREBERNICH,1998,PEHOWICH et al 2000, MAGDA,1992)
Ácidos graxo de cadeia curta (láurico e mirístico predominantes com 50 a
60% aos 10 meses) aumentam enquanto os ácidos de cadeia longa (oléico e
linoléico 40 a 60% do total de ácidos graxos aos 6 meses) diminuem com a
maturação do fruto. (SREBERNICH,1998)

3.5 PROPRIEDADES FUNCIONAIS DA ÁGUA DE COCO

A água de coco não pode ser considerada um isotônico, pois não possui as
mesmas características de concentração de solutos do plasma sanguíneo humano,
mas é bem próximo a este ponto mas é um ótimo repositor hidroeletrolítico natural

10
controlando o sódio e a quantidade de água corporal durante a atividade física
evitando desidratação e desgaste físico.(FARIA ;LEBER,2001)(ABREU,2006)
Além disso, é indicada para hipertensos por equilibrar o sódio e evitar edema,
pois pelo uso de diuréticos no tratamento é perdido muito potássio pela urina, sendo
necessária a reposição do mesmo e por não conter sacarose em sua composição
somente frutose e dextrose, pode ser utilizada por diabéticos sem
restrição.(ABREU,2006)(FARIA;LEBER,2001)
Em alguns países onde há deficiência nutricional da população é alta, a água
de coco é um substituto de produtos protéicos, por apresentar aminoácidos
semelhantes a do leite , com porcentagem maior de arginina, alanina, cistina e
serina e também possui propriedade antioxidante contra o stress oxidativo e pela
vitamina C e outros princípios ativos envolvidos, como também possui efeito
hepatoprotetor, inibição de células cancerosas e ação indireta na prevenção do
enfarte do miocárdio. (LOKI E RAJAMOHAN,2003)(ARAGÃO ,2007)

3.6 APLICAÇÕES CLÍNICAS DA ÁGUA DE COCO

Estéril, a água de coco do fruto jovem apresenta composição próxima á do


soro glicosado isotônico usado em hospitais, que possibilita seu uso na esfera
médica. Possui também a densidade semelhante a do plasma sanguíneo podendo
ser usada como infusão intravenosa em quadros que necessitem reposição de
açúcar.(ARAGÃO,2000;WOSIACKI et al,1996)
A água de coco ajuda a manter o equilíbrio de líquidos e o equilíbrio
sanguíneo no corpo, a regular os mecanismos de contração dos músculos, auxilia
no combate a câimbra. É uma bebida indicada para pessoas com hipertensão,
justamente por equilibrar o sódio, e evitar o edema, pois os medicamentos diuréticos
utilizados no tratamento dessa doença, geram uma perda muito grande de potássio
pela urina, sendo necessário a sua reposição. O potássio necessário no mecanismo
de contração muscular em grandes quantidades (150 – 200 mg/100 mL), um coco
de bom tamanho supre quase a metade da necessidade diária do nutriente (FARIA;
LEBER, 2001).
Em casos de desinteria e cólera ou outras diarréias severas, em que os níveis
de potássio podem ser baixos, pode ser utilizada por via oral e intravenosa.
(ATUKORALE,2001)
Pode ser usada como produto protéico em populações com deficiência

11
nutricional.(ARAGÃO,2000)
Estudos comprovam que a amêndoa, o leite e a água do coco podem inibir o
aparecimento de células neoplásicas na medula óssea promovidas pelos agentes
genotóxicos, também previne contra enfarte do miocárdio .(LIM-SYLIANCO et
al.1992)(ANURANG E RAJAMOAH 2003)
Ligeiramente ácida, composta de proteínas, sais, açúcares, vitaminas,
gorduras neutras, alem de indutores da divisão celular e eletrólitos diversos, com
densidade e pH compatível com o plasma sanguíneo, fornece nutrientes necessários
para manter a sobrevivência e a viabilidade dos gametas masculinos e femininos
criopreservados possibilitando a sobrevida e motilidade. (AGUA DE COCO...,1999)
Consegue manter a longevidade de células como de córneas humanas para
transplante, cultura de tecidos, meio de cultura para bactérias e vírus, obtenção de
vacinas contra febre aftosa, raiva e leishmaniose, meio para células vegetais, como
embriões e pólen(ARAGÃO,2000)
Anti-helmíntica, tenicida e diurética sendo recomendada contra icterícia e
irritações gastrointestinais. (AGUA DE COCO...,1999)

3.7 OUTRAS APLICAÇÕES DO COCO

Não possui as mesmas características de concentração de solutos do plasma


sanguíneo humano, mas é bem próximo a este ponto, sendo utilizado para
preservação de órgãos para transplantes e sêmen para inseminação artificial de
pequenos animais. (ABREU,2006)
Na virologia é utilizada no desenvolvimento de meristemas vegetativos e
florais,cujo cultivo é a base de um método de cura para plantas infectadas com
vírus.(AGUA DE COCO...,1999)
Pode ser usada no crescimento e cultivo de diversos cogumelos em ágar de
água de coco para crescimento de fungos mantidos em laboratório, além de ser bom
fertilizante com hormônio para crescimento para orquídeas. (WOSIACKI et
al,1996;ARAGÃO et al,2001)(MARQUES E SILVA,1981)

12
3.8 FORMA DE CONSUMO

No Brasil, o consumo do coco é quase exclusivamente para alimentação


humana, in natura ou por meio de produtos industrializados (água de coco, leite,
farinha, polpa e outros). Há também uma grande demanda nos EUA, Japão e
Europa para importação de produtos naturais como água de coco, para competir no
mercado de bebidas isotônicas. (ARAGÃO et al.2001)
O Brasil é um grande produtor de coco e vem realizando importações de coco
seco desidratado em outros países. (PORTO ,2010)
A produção brasileira é comercializada da seguinte forma:
35% destinam-se às agroindústrias, que produzem principalmente coco
ralado e leite de coco;
35% destinam-se aos mercados Sudeste/Sul;
30% restante ficam no mercado nordestino. (CUENCA et al,2002)
De maneira geral, pequenos produtores constituem a maior fatia da produção
de coco (85%). (CUENCA et al,2002)
O consumo da água de coco são poucas, mas estima-se que o coco vendido
de maneira informal, respondam por 80% do volume consumido no país.
(CUNHA,2011).
Existem diferentes formas de extrair, conservar e embalar a água de coco. A
inovação das embalagens e dos métodos de comercialização da água de coco trás
ao consumidor a facilidade de encontrá-la em todas as estações do ano, transportá-
la com tranqüilidade sem precisar, em alguns casos, de refrigeração e armazená-la
ocupando menos espaço do que o próprio fruto. (FASSETI et al 2000).
As indústrias que processam o coco verde para obtenção da água têm
enfrentado problemas de origem enzimática e/ou microbiológica que mudam as
características sensoriais e a portabilidade do produto. (HOFFMANN et al 2002).
Com o aumento da produção, sua conservação através da pasteurização é
uma alternativa que amplia as possibilidades de comercialização através da venda
do produto envasado. Esta conservação tem como finalidade aumentar o tempo de
prateleira e assegurar as condições adequadas de higiene do produto, ocasionando
alterações mínimas nas suas características nutricionais e sensoriais. (ARAÚJO et al
2000).

13
4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A água de coco é uma bebida natural possuindo inúmeras propriedades


nutricionais e funcionais, sendo aproveitada em várias outras áreas além da
nutrição, como na medicina e na biotecnologia.
Ressaltam-se ainda, as suas aplicações clinicas pela sua composição
próxima à do soro glicosado usado em hospitais e pela sua densidade semelhante a
do plasma sanguíneo, possibilitando a sua utilização na esfera médica.
De fácil acesso e consumo da população no Brasil e em outros países, a
água de coco tem um aumento considerável de seu consumo, favorecendo assim o
estado nutricional de quem a ingere.

14
5. REFERÊNCIAS

ARAGÃO.M.W. Coco pós colheita. Embrapa Informação Tecnológica - Brasília, DF,


2002.

CARVALH.M.J,MAIA.A.G,SOUSA.M.PH.,JR.M.A.G. Água de coco: propriedades


nutricionais, funcionais e processamento. Semina: Ciências agrárias,
Londrina.v.27,n3,p437 – 452,jul/set.2006.

COSTA.C.M.L, MAIA.A.G., COSTA.C.M.J, FIGUEIREDO.W.R, SOUSA.M.PH.


Avaliação de água de coco obtida por diferentes métodos de conservação. Ciênc.
agrotec., Lavras, v. 29, n. 6, p. 1239-1247, nov./dez., 2005.
FARIAS.M.J, Emulsão de cera de carnaúba associada a fungicida como alternativa à
modificação da atmosfera de armazenamento em coco verde in natura.
Fortaleza,2008.

FONTES.R.H,FERREIRA.S.M.J, SIQUEIRA.A.L. Sistema de produção para a cultura


do coqueiro. Embrapa, sistemas de produção, Aracajú, SE, 2002.
FONTES.R.H,WANDERLEY.M. Situação Atual e Perspectivas para a cultura do
coqueiro no Brasil. Embrapa, Aracajú. SE, 2006.

MARQUES.C.P.M.L,GALLI.V, Água de coco: propriedades nutricionais, funcionais e


comercialização. Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR – Ponta
Grossa – Brasil, 2007.

MARTINS.R.C,JÚNIOR.J.A.L. Evolução da produção de coco no Brasil e no


comércio internacional-Panorama 2010. Embrapa, Aracajú SE, 2011.
ROSA.F.M, ABREU.P.A.F. Água de coco métodos de conservação. Embrapa e
SEBRAE CE,2000.

NOGUEIRA.C.L.A,SOUZ.C.G,ALVES.B.M.O,DOMINGOS.C.S.M.MARQUES.F.L,CO
STA.L.T,PAIXÃO.R.J.F. Avaliação sensorial de água de coco (Cocos nucifera L) in
natura e processada. Revista de Biologia e Ciências da terra.2004.

15
PIRES.M.M,COSTA.S.R,JOSÉ.S.R.A,MIDLEJ.C.B.M,ALVES.M.J. A cultura do coco:
uma análise econômica. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 26, n. 1, p. 173-176,
Abril 2004

SILVA.A.R,CAVALCANTE.F.L,HOLANDA.S.J,PEREIRA.E.W,MOURA.F.M,NETO.F.
M. Qualidade de frutos do coqueiro anão verde fertirizado com nitrogênio e
potássio. Rev. Bras. Frutic., Jaboticabal - SP, v. 28, n. 2, p. 310-313, Agosto 2006.

SILVA.V.L.D,ALVES.E.R,FIGUEIREDO.W.R,MACIEL.T.V,FARIAS.M.J,AQUINO.L.R.
A, Características físicas, físico-químicas e sensoriais da água de frutos de coqueiro
anão verde oriundo de produção convencional e orgânica. Ciênc. agrotec., Lavras, v.
33, n. 4, p. 1079-1084, jul./ago. 2009.

SIQUEIRA.A.L,ARAGÃO.M.W, TUPINAMBÁ.A.E. A introdução do coqueiro no


Brasil. Importância histórica e agronômica. Embrapa, Aracajú SE, 2002.

TAVARES.F.F.M, Pós-coco, agregação de valor na cadeia produtiva do coco


verde.ESPM-SP,2010.

VALE.T.A,BARROSO.A.R,QUIRINO.F.W. Caracterização da biomassa e do carvão


vegetal do coco da baía(Cocus nucifera L.) para uso energético. Biomassa &
Energia, v. 1, n. 4, p. 365-370, 2004

VIANA.P.M.F,UCHÔA.N.C,FREIRE.O.C.F,VIEIRA.P.G.I,MENDES.P.N.F,SARAIVA.
O.A.H.Tratamento do coco verde para exportação com ênfase no controle da
podridão-basal-pós-colheita. Embrapa Agroindústria Tropical. Fortaleza,CE.2007.

16

Interesses relacionados