Você está na página 1de 23

Componente Curricular:

Metrologia e Controle Dimensional


Prof: Narciso Abel De Col
narcisoabel@hotmail.com
Fone: (047) 9905 9156 Tim
INMETRO: Instituto Nacional de
Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

• O Instituto Nacional de Metrologia,


Qualidade e Tecnologia (Inmetro) é uma
autarquia federal brasileira, no formato de
uma agência executiva, vinculada ao
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior.
Histórico
• Durante o Primeiro Império, foram feitas diversas
tentativas de uniformização das unidades de medir
brasileiras. Mas apenas em 26 de junho de 1862, Dom
Pedro II promulgava a Lei Imperial nº 1157 e com ela
oficializava, em todo o território nacional, o sistema
métrico decimal francês. O Brasil foi uma das primeiras
nações a adotar o novo sistema, que mais tarde seria
utilizado em todo o mundo.
• Com o crescimento industrial do século seguinte, fazia-se
necessário criar no país instrumentos mais eficazes de
controle que viessem a impulsionar e proteger produtores e
consumidores.
Histórico
• Em 1961, foi criado o Instituto Nacional de Pesos e Medidas
(INPM), que implantou a Rede Brasileira de Metrologia Legal
e Qualidade, o atual Instituto de Pesos e Medidas do Estado
de São Paulo (IPEM), e instituiu o Sistema Internacional de
Unidades (SI) em todo o território nacional.
• Era necessário acompanhar o mundo na sua corrida
tecnológica, no aperfeiçoamento, na exatidão e,
principalmente, no atendimento às exigências do consumidor.
Era necessária a Avaliação da Conformidade.
• Em 1973, em complementação ao Conselho Interministerial
de Preços (CIP), nascia então o Instituto Nacional de
Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.
INMETRO: Instituto Nacional de
Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

• Atuação do Inmetro
• Ele atua como Secretaria Executiva do
Conselho Nacional de Metrologia,
Normalização e Qualidade Industrial
(Conmetro), um colegiado interministerial,
que é o órgão normativo do Sistema
Nacional de Metrologia, Normalização e
Qualidade Industrial (Sinmetro).
Algumas competências e atribuições do Inmetro:
• Executar as políticas brasileiras de Metrologia e da Avaliação da
Conformidade;

• Verificar a observância das normas técnicas e das normas legais, no


que se refere às unidades de medida, métodos de medição, medidas
materializadas, instrumentos de medição e produtos pré-medidos;

• Manter e conservar os padrões das unidades de medida;

• Fortalecer a participação do Brasil nas atividades internacionais


relacionadas com Metrologia e Avaliação da Conformidade, além de
promover o intercâmbio com entidades e organismos internacionais;

• Prestar suporte técnico e administrativo ao Conmetro, bem como aos


seus comitês de assessoramento, atuando como sua Secretaria-
Executiva;
Algumas competências e atribuições do Inmetro:
• Fomentar a utilização da técnica de gestão da qualidade nas empresas
brasileiras;

• Planejar e executar as atividades de credenciamento de laboratórios de


calibração e de ensaio, de organismos de certificação, de inspeção, de
treinamento, necessários ao desenvolvimento da infra-estrutura de
serviços tecnológicos no Brasil;

• Coordenar, no âmbito do Sinmetro, a certificação compulsória e


voluntária de produtos, de processos, de serviços e a certificação
voluntária de pessoal;

• Apoiar a inovação tecnológica na indústria nacional.


Vocabulário Internacional de Metrologia
Conceitos fundamentais e gerais e termos associados (VIM 2012).
• O Presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e
Tecnologia - INMETRO, no uso de suas atribuições, confere:

• Art. 1º Adotar, no Brasil, a 1ª edição luso-brasileira do Vocabulário


Internacional de Metrologia – Conceitos fundamentais e gerais e
termos associados (VIM 2012), baseada na 3ª edição internacional do
VIM – International Vocabulary of Metrology – Basic and general
concepts and associated terms – JCGM 200:2012, elaborada pelo Bureau
Internacional de Pesos e Medidas, pela Comissão Internacional de Eletrotécnica
200:2012, elaborada pelo, Eletrotécnica, pela Federação Internacional de Química
Clínica e Medicina Laboratorial, pela Cooperação internacional de Acreditação de
Laboratórios, pela Organização Internacional de Normalização, pela União Internacional
de Química Pura e Aplicada, pela União Internacional de Física Pura e Aplicada e pela
Organização Internacional de Metrologia Legal, com a devida adaptação ao
nosso idioma, às reais condições existentes no País e às já consagradas
pelo uso.
Vocabulário Internacional de Metrologia
Conceitos fundamentais e gerais e termos associados (VIM 2012).
• O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia)
publicou anteriormente cinco impressões da tradução brasileira da 2ª
edição do International Vocabulary of Metrology (VIM), de 1993.
Essas impressões foram identificadas como 1ª, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª edições
(brasileiras) do VIM.

• Com a publicação da 3ª edição internacional do VIM pelo JCGM do


BIPM, em 2008, montou-se no Inmetro um grupo de trabalho para
elaborar uma versão brasileira deste novo documento. A partir do
trabalho desse grupo, o Inmetro publicou, em novembro de 2009, uma
primeira edição brasileira do VIM 2008, tendo ficado disponível no
sítio www.inmetro.gov.br
METROLOGIA DIMENSIONAL
• Metrologia: É a ciências da medição aplicada a grandezas
determinadas, em particular às Dimensões Lineares e Angulares nas
peças em geral.

Elementos Fundamentais para Medição


• Método: Maneira de como conseguir o resultado da medição.
• Instrumento de Medição: Utilizar instrumentos, conforme a precisão
exigida.
• Operador: O elemento mais importante da medição, porque ele é a
parte inteligente.

Unidade
• É um determinado valor em função do qual outros valores são
enunciados. (milímetro = mm)
Padrão
• É a materialização da unidade.
METROLOGIA DIMENSIONAL
Normas Gerais de Medição

• Tranqüilidade
• Limpeza
• Cuidados
• Paciência
• Sensibilidade
• Responsabilidade
• Posição de Medição
• Instrumento adequado
• Domínio sobre o instrumento
METROLOGIA DIMENSIONAL
Recomendações gerais quanto ao uso de Instrumentos de
Medição e Verificação:

• É dever de todo operador zelar pelo bom estado de conservação dos


instrumentos de medição e verificação,

Evitando:
• Choques, arranhões, oxidação e sujeira
• Misturar Instrumentos
• Pressão excessiva e o atrito entre a peça e o instrumento na medição
• Medir peças fora da temperatura ambiente
• Medir peças sem importância com instrumentos caros
• Medir peças em movimento
• Guardar instrumento de medição fechado e travado
DIMENSIONAMENTO
Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico
Linear – “SI”.

_____ _____ _____ _____ _____ _____ _____ _____ _____ _____
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

• Unidade Padrão do Sistema Internacional de


Medidas é o ________ (___)
DIMENSIONAMENTO
Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico
Linear – “SI”.

km hm dâm m dm cm mm déc. cent. milés.


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

• Unidade Padrão do Sistema Internacional de


Medidas é o __metro_ (_m_)
DIMENSIONAMENTO
Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico
Linear – “SI”.

01 quilômetro km 06 centímetro cm

02 hectômetro
km hm hm
dâm m dm cm 07mm milímetro
déc. cent. m milés._
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
03 decâmetro dâm 08 décimos déc.

04 metro m 09 centésimos cent.

05 decímetro dm 10 milésimos milés.


DIMENSIONAMENTO
Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico
Linear – “SI”.
1) Exercícios no quadro branco/negro.

Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico


Linear – “SI”. (Cálculos de área).
2) Exercícios no quadro branco/negro.

Transformação das Unidades de Medida do Sistema Métrico


Linear – “SI”. (Cálculos de volume).
3) Exercícios no quadro branco/negro.
Dimensionamento
Referências
Referências Bibliográficas para o Plano de Ensino

Básicas:

ALBERTAZZI, Armando; SOUSA, André Roberto de. Fundamentos de metrologia


científica e industrial. Barueri, SP : Manole, 2008. xiv, 407 p, il.

ALVES, Artur Soares. Metrologia geométrica. Lisboa : Fundação Calouste


Gulbenkian, 1996. 269 p, il. (Manuais universitários).

ASSOCIACAO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. NB-71: Terminologia de


tolerancias e ajustes: terminologia.In: ASSOCIACAO BRASILEIRA DE NORMAS
TECNICAS Normas para desenho tecnico, 1981 332 p. Porto Alegre, 1981. p.211-212.
Comite: CB-4. Substituida por: 6173.

CASILLAS, A. L. Tecnologia da medicao. Sao Paulo : Mestre Jou, 1967. 100p, il.

INMETRO; SENAI. Vocabulário internacional de termos fundamentais e gerais de


metrologia: portaria INMETRO n. 029 de 1995.5. ed. Rio de Janeiro : Ed. SENAI,
2007. 67 p.
Referências
Referências Bibliográficas para o Plano de Ensino

Complementares:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. TB-30: Dicionário multilíngue


de termos técnicos de tolerâncias, ajustes e calibradores: terminologia. Rio de Janeiro
: ABNT, 1972. 8 p.

PROVENZA, Francesco. Desenhista de máquinas. Sao Paulo : Pro-tec, 1978. 1v.


(várias paginações), il.

PROVENZA, Francesco. Projetista de máquinas.5. ed. Sao Paulo : Escola Pro-Tec,


1984. 1v. (várias paginações), il.
Referências
Outras Referências complementares para o plano de ensino

ABNT NBR ISO 4287:2002, Especificações geométricas do produto (GPS) – Rugosidade:


método do perfil – Termos, definições e parâmetros de rugosidade. ABNT, 2002

ABNT NBR 6409:1997, Tolerâncias geométricas - Tolerâncias de forma, orientação,


posição e batimento - Generalidades, símbolos, definições e indicações em desenho.
ABNT, 1997.

AGOSTINHO, Oswaldo Luiz; RODRIGUES, Antônio Carlos dos Santos; LIRANI, João.
Tolerâncias, ajustes, desvios e análise de dimensões. São Paulo (SP): Edgard
Blücher, c1995. 295 p.

BERNARDES, A. T. SANTOS, M. C. H. CARDOSO, C. A. SANTOS, L. A. S. A metrologia e


a avaliação da conformidade no ensino de engenharia: uma proposta do Inmetro. Instituto
Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – Inmetro. COBENGE, 2010.

CNI- Confederação Nacional da Indústria. Projeto Sensibilização e Capacitação da


Indústria em Normalização, Metrologia e Avaliação da Conformidade. 2ª edição, Brasília,
2002.

CONEJERO, A. S.. “A importância da metrologia”. Disponível em:


http://www2.desenvolvimento.gov.br/arquivo/publicacoes/sti/indBraOpoDesafios/coletanea/
Metrologia/Artigo3-AntonioConejero.pdf. Acesso em: 05 abr. 2009.
Referências
Continuação - Outras Referências complementares para o plano de ensino

DIAS, José Luciano de Mattos. Medida, normalização e qualidade; aspectos da história da


metrologia no Brasil. Rio de Janeiro: Ilustrações, 1998. 292 p.

ESTEVES, F. S. O ensino de metrologia no Instituto Federal do Rio de Janeiro ciência ou


ferramenta? V Congresso Brasileiro de Metrologia, 2009.

FROTA, M. Finkelstein, N. L. Educação em metrologia e instrumentação: demanda


qualificada no ensino das engenharias. Revista de Ensino de Engenharia, v. 25, n. 1, p.
4965, 2006 – ISSN 0101-5001.

International Organization for Standardization, International Electrotechnical Commission -


ISO/IEC GUIDE 99:2007(E/F) International vocabulary of metrology — Basic and general
concepts and associated terms (VIM). Genebra. 2007. 2. Instituto Português da Qualidade
- Vocabulário Internacional de Metrologia. Conceitos Básicos e Gerais e Termos
Associados. Caparica. 2008. ISBN 972-763-00-6.

INMETRO-Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.


Vocabulário internacional de termos fundamentais e gerais de metrologia VIM, 2008.

INMETRO-Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial.


Metrologia. Disponível em: <http://www.inmetro.gov.br/> Acesso em: 05 mai. 2006.
Referências
Continuação - Outras Referências complementares para o plano de ensino

INMETRO-Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Histórico


do Inmetro. Disponível em: <http://www.inmetro.gov.br/inmetro/historico.asp> Acesso em:
20 fev. 2011.

PUC-RIO. Ensino de Metrologia no Brasil. Disponível em:


<http://www2.dbd.pucrio.br/pergamum/tesesabertas/0212163_05_cap_04.pdf> Acesso
em: 15 abr. 2011.

SCHMIDT, Walfredo. Metrologia aplicada. São Paulo (SP): EPSE, 2003. 66 + 46 p.


[anexos]

SENAI.SP. Tolerância Geométrica. Brasília, SENAI/DN, 2000.

TELECURSO 2000. Metrologia. Ed. Globo, 1995. Rio de Janeiro, RJ.

ZANETTINI, José Julio. Mecânica Geral; acabamento superficial. Porto Alegre, CPF
SENAI Artes Gráficas, 1994.

VIM – Vocabulário Internacional de Metrologia. 2008, INMETRO.

Catálogos e Tabelas Técnicas.