Você está na página 1de 2

A política virou comédia?

Para muitos que estejam neste momento a interrogar-se sobre o


título desta crónica, só tenho a dizer que o sentido é mesmo
perjurativo.
É vergonhoso, ver o que a política de alguns países se tornou
nestes últimos tempos, mas a palavra que melhor descreve é
comédia. Sim, comédia!
Ultimamente são cada vez menos as pessoas que votam
conscientemente. Temos como um bom exemplo as eleições do
Brasil e porque é que considero esta uma das "comédias políticas"?
A resposta está no porquê dos eleitores terem votado nele, e
muitos votaram apenas porque se identificam com o discurso de
ódio deste candidato (apesar de ele ainda não ter ganho a 2 ronda
há uma grande probabilidade, infelizmente).
E apesar dos apoiantes do candidato dizerem que não, ele é
racista, xenófobo, homofóbico, machista e corrupto e não anda com
"meias medidas" para criticar as minorias ou grupos dos quais ele
não faz parte, com todos estes defeitos reunidos como foi possível
tantos homens e mulheres se manifestarem a favor deste
candidato? A resposta é o seu discurso de ódio, por mais incrível
que pareça sim foi o ódio dele que angariou os seus votos. Por
exemplo uma mulher racista votou no candidato do PSL porque o
que eles têm em comum é o racismo. Ou seja mesmo que ele seja
tão preconceituoso, as pessoas preferem que o alvo delas seja
"afetado" mesmo sabendo ou não que elas poderão ser "afetadas".
Mas não foram só as eleições brasileiras que me transmitiram esta
sensação de desprezo pelas pessoas envolvidas na política (sendo
candidatos ou apoiantes), as eleições dos EUA são outro ótimo
exemplo para descrever mais uma "comédia". Mas qual foi o motivo
desta vez pelo qual Donald Trump ganhou? Ao analisar estas
eleições devemos ter em conta que o método de eleições
americano é diferente, mas também mais complexo. Mas, de forma
resumida ele ganhou devido ao seu discurso essencialmente
racista, xenófobo (homofóbico e machista também, mas de forma
mais moderada) e porque apoiava fortemente a facilitação da posse
armas. Tanto é que alguns emigrantes chegaram a votar nele pois
pensavam que Trump apenas dizia que queria expulsar os
emigrantes para ter um discurso mais polémico e angariar votos.
Porém alguns meses depois, esses mesmos emigrantes
começaram a ser deportados e mostravam nas redes sociais o
quão arrependidos estavam de ter votado nele.
Mas não e só nas questões sociais que estes dois políticos deixam
a desejar, pois a preocupação com os assuntos ambientais é
inexistente (tanto é que um deles chegou a alegar que o
aquecimento global não existia). Quanto à economia o mesmo
acontece, os 2 pouco entendem (Jair Bolsonaro chegou ainda a
admitir numa entrevista que não entendia nada de economia, para
além de admitir ser corrupto ao dizer "Se eu puder não pagar a nota
fiscal, eu não pago!"). Relativamente à posse de armas, ambos são
a favor de a população andar armada o que muito provavelmente só
aumentaria a criminalidade e quanto aos direitos dos animais
ambos já mostraram desinteresse sobre o assunto e apoio à caça.
Vale ressaltar que isto não é uma generalização, mas sim casos em
particular. Nós não devemos deixar a política de parte, pelo
contrário porque a política é essencial ao normal funcionamento das
nossas vidas. E mesmo que a maioria da sociedade
despreze cada vez mais a política cabe a cada um de nós a função
de a melhorar.

Antes de votar procure sempre informar-se sobre os projetos e


ideologias do candidato que prefere, por vezes podemos estar a
votar contra nós próprios.
Por fim deixo uma pergunta para vossa reflexão: Como é que
permitimos pessoas incompetentes e com ideias tão desajustadas
aos nossos tempos ocupar cargos importantes?