Você está na página 1de 5

estilos de rock

Década de 50
Rockabilly: Um dos primeiros subgêneros do Rock. Esse nome se deu pela junção com
a palavra hillbilly, que faz referência à música country americana. Principais expoentes:
Carl Perkins, Gene Vincent, Jonhy Cash, Eddie Cochran, Johnny Burnette e Dorsey
Burnette.

Classic rock: O estilo eclético de rock dos primórdios, que busca misturar diversos
estilos. Com uma pegada country. Principais expoentes: Elvis Presley, Chuck Berry,
Bo Diddley.

Década de 60
Rock Psicodelico/Acid rock: Estilo que veio da tentativa de transmitir as afetações
causadas pelo uso do LSD. As distorções no som, somadas aos efeitos, buscava
reproduzir os efeitos da droga. Seus principais expoentes : The Doors, Jefferson
Airplane, Grateful Dead, Love e Jimi Hendrix, Iron Butterfly.

Rock progressivo: Caracterizado pelas músicas de longa duração, além das misturas
apropriadas de cada pátria da banda que desenvolve as canções. Uma das linhas mais
complexas do rock.Principais expoentes: Yes, Genesis, Emerson, Lake & Palmer, Pink
Floyd, Marillion, King Crimson, Rush e Janis Joplin

Surf music: Com pegadas fortes de distorção e o principal traço: o reverb (eco).
Algumas das principais bandas são apenas instrumentais, podendo ter a “perda” de uma
guitarra de base ou do baixo. Principais expoentes: Dick Dale, Surfaris, Los
Straitjackets e Retrofoguetes, Beach Boys.

Ópera rock: Estilo de rock que não diz respeito a toda uma geração, mas a uma opção
estética utilizada por algumas bandas. O lance é contar uma história em uma única
canção se utilizando dos elementos líricos e da pegada rock. Principais expoentes com
suas obras são: “Tommy” e “Quadrophenia”, do The Who, “Arthur”, do The Kinks,
“S.F. Sorrow”, do The Pretty Things e “The Wall”, do Pink Floyd e “Bohemian
Rhapsody”, do Queen. o Genesis lança The Lamb Lies Down on Broadway. David
Bowie lança sua ópera rock The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from
Mars, a história de um astro do rock que é orientado por alienígenas a compor músicas
às vésperas do fim do mundo.[11] Em 1973, o Who lança sua segunda ópera rock,
Quadrophenia, sobre um adolescente da década de 1960 sofrendo de um transtorno de
personalidade.[12] No mesmo ano Lou Reed lança Berlin, uma ópera rock trágica a
respeito de um casal condenado, tratando de temas como uso de drogas, depressão e
suicídio.[13] Em 1974, o Genesis lança The Lamb Lies Down on Broadway, uma
história surreal sobre um jovem à procura de seu irmão desaparecido.[14]Em 1975, o
Queen lança Bohemian Rhapsody, composta por Freddie Mercury, que tem uma letra
fatalista de quase 6 minutos. É umas das músicas mais conhecidas que apresenta esse
estilo de junção de rock e ópera.Em 1979, o Pink Floyd lança The Wall. O trabalho,
encenado em elaboradas apresentações teatrais pela banda, acabaria se tornando uma
das mais famosas e celebradas óperas rock.

Garage rock: Aqui o underground fica muito mais interessante. Uma guitarra na mão e
uma ideia na cabeça. Aqui inicia todo o processo do “submundo” do rock. A música
vira libertação, o som e a força do instrumento sem se preocupar muito com as letras. O
estilo é conhecido, basicamente, pelas composições “Wild Thing”, da banda inglesa The
Troggs, e “Leader of the Pack”, das americanas The Shangri-Las.

Blues rock: Com uma forte influência do Blues, esse estilo originou o hard rock, um
estilo mais vintage e purista. Principais Expoentes: Rolling Stones, Janis Joplin, Doors,
Cream e The Who .

Country rock: A fusão rock e country seguiu por todo os anos 50. Esse nome
específico, Country Rock, serviu para denominar os artistas que vieram do início do
final dos anos 1960 e início dos 70. Principais expoentes: Bill Halley, Jerry Lee Lewis e
Bob Luman.

Década de 70
Hard rock: Hard rock é um estilo musical, subgênero do rock que tem suas raízes do rock de
garagem e psicodélico do meio da década de 1960, que se caracteriza por ser consideravelmente
mais pesado do que a música rock convencional, e marcada pelo uso de distorção, uma seção
rítmica proeminente, arranjos simples e um som potente, com riffs de guitarra pesada e solos. O
grande estilo da época, saudosista e clássico. Principais expoentes: AC/DC, Queen,
Whitesnake, Aerosmith, Guns N’ Roses e Van Halen. Mr. Big, Skid Row, Quiet Riot

Glam rock 70 : o auge da liberdade sexual, o rock vem todo subversivo e mostrando
que homem também se preocupa com o estilo e com o brilho! A voz fina e cabelo longo
nos acompanham até hoje. Seus principais expoentes são: New York Dolls, Gary
Glitter, T-Rex, David Bowie, Roxy Music, Slade, Heart e Secos & Molhados.

Punk rock: O punk rock nasce no final dos anos 70. O auge da Guerra Fria tornou
impopular diversas práticas das bandas mais famosas, como o enriquecimento
exacerbado, o luxo e as ostentações. A subversividade do rock foi uma exigência para
os fãs, as letras pregavam revolução e mudança. O rock aqui virou crítica social.
Principais expoentes: Iggy Pop & The Stooges, The Troggs, Sex Pistols, The Clash,
Television, Ramones e Bad Religion.

Heavy metal é um gênero do rock[2] que se desenvolveu no final da década de 1960 e no


início da década de 1970, em grande parte no Reino Unido e nos Estados Unidos.[3] Tendo
como raízes o blues-rock e o rock psicodélico (psicadélico, em português europeu), as bandas
que criaram o heavy metal desenvolveram um som massivo e encorpado, caracterizado por
um timbre saturado e distorcido dos amplificadores, pelas cordas graves da guitarra para a
criação de riffs e pela exploração de sonoridades em tons menores, dando um ar sombrio às
composições.As primeiras bandas de heavy metal como Led Zeppelin, Deep Purple e Black
Sabbath atraíram um grande público, apesar de muitas vezes serem desdenhadas pelos
críticos, um fato comum em toda a história do gênero. Em meados dos anos 1970, o Judas
Priest ajudou a impulsionar a evolução do gênero suprimindo muito da influência do blues
existente;[5][6] o Motörhead introduziu a sensibilidade do punk rock e uma ênfase crescente na
velocidade. Bandas do New Wave of British Heavy Metal como Iron Maiden e Saxon seguiram
o mesmo caminho. Antes do fim da década, os fãs de heavy metal vieram a ser conhecidos
mundialmente como "metalheads", "headbangers", ou "metaleiros" (no Brasil). Principais
expoentes: Led Zeppelin , Black Sabbath, Deep Purple, AC/DC, KISS, Rainbow, Judas
Priest, motorhead, Iron Maiden,Saxon.

New Wave of British Heavy Metal (N.W.O.B.H.M.) Por muitos entendido como um
estilo a parte, nessa década veio a se tornar um movimento contra o punk rock,
primando pela qualidade musical e destreza de seus músicos, sem perder a força das
letras. Principais expoentes: Iron Maiden, Judas Priest, Helloween, Motörhead, Saxon,
King Diamond e Accept.

Começou no final da década de 70, quando bandas clássicas e já consagradas de metal como
Deep Purple, Led Zeppelin e Black Sabbath começam a ser eclipsadas no cenário musical pelo
movimento punk (cada vez mais forte com bandas como Ramones, The Clash, Sex Pistols, Dead
Kennedys, Exploited, GBH entre outras).

A Nova Onda Do Heavy Metal Britânico retirou o blues da primeira geração do metal,
adicionando peso e velocidade ao mesmo ressaltando os aspectos metálicos do mesmo. Sem
se preocupar em atingir grandes audiências e no entanto, atingindo-as, era puro metal feito
para fãs. Talvez essa seja a razão pela qual o metal chamado tradicional seja em grande parte
moldado a partir das bandas da New Wave of British Heavy Metal. Como o Metallica que foi
inspirado por bandas como Diamond Head e Iron Maiden.[2]

Rock Against Communism (mais conhecido como RAC, em português significa rock contra
o comunismo) é um movimento musical que contêm letras de ideologia política supremacista
que, apesar de seu nome confrontar-se diretamente ao comunismo, suas músicas muitas vezes
não são focadas no mesmo. O Rock Against Communism nasceu no Reino Unido entre o final
dos anos 70 e início dos anos 80, como uma resposta da National Front ao Rock Against Racism
da Anti-Nazi League. Os eventos do Rock Against Communism iniciaram-se entre 1982 e 1983,
como um braço da National Front para propaganda do partido entre a juventude britânica.
Liderados por bandas como: Skrewdriver, Brutal Attack, No Remorse, The Ovaltinees, Sudden
Impact e Skullhead.

Oi! é o nome popular do gênero musical streetpunk, uma variação do punk rock que
surgiu no final dos anos 70 no Reino Unido[2] com bandas como o Sham 69, Cockney
Rejects, Cock Sparrer, The 4-Skins e outras.É o punk rock com influência das
subculturas bootboy (hooligan) e skinhead, apreciado principalmente por punks e
skinheads. O streetpunk/Oi! nasceu entre os jovens dos subúrbios londrinos. Era a
música que segundo Bushell, pai do termo Oi!, unia "punks, skins e toda a juventude
sem futuro"
Década de 80
Glam Metal: É um subgênero do heavy metal, que combina elementos do hard rock
com o punk rock e a música pop. Os integrantes cultivavam uma aparência andrógina
não só com cabelos longos, mas também um guarda-roupa em que as cores e o brilho
ressaltaram. As performances no palco mudaram radicalmente. Principais Expoentes:
Kiss, Poison, Bon Jovi, Mötley Crüe, e Twisted Sister.

Thrash metal: É mais um subgênero do heavy metal caracterizado por seu ritmo rápido
e agressividade. As canções usualmente têm batidas rápidas e riffs de guitarra que
regem a música, intercalados com solos ao estilo shred. As letras são sempre sobre
violência e repúdio ao estado e a economia. De linguagem agressiva as letras são quase
sempre gritadas, como uma manifestação ou pedido de socorro. Principais Expoentes:
Metallica (primeiros trabalhos), Megadeth, Slayer, Sodom, Anthrax, Pantera e
Sepultura.

Black metal: Tipicamente agrega guitarras muito distorcidas, tocadas com técnicas
como palm muting e tremolo picking, ritmo extremamente rápido e mudanças abruptas
de tempo. As letras falam de misticismos, tortura, violências e sevícias em geral. Muitas
bandas nesse estilo pregam falas contra religiões e sobre o satanismo e paganismo.
Principais Expoentes: Venom, Mayhem, Burzum, Dimmu Borgir e Cradle of Filth.

Death metal: O death metal é bem semelhante ao Black Metal, porém sua temática é
mais ligada às aflições do corpo. Torturas, doenças, expurgos em geral. Principais
Expoentes: Entre os exemplos citam-se Death, Morbid Angel, Cannibal Corpse, Carcass
e Napalm Death.

Gothic Rock: O rock tocado em melodias mais baixas. A intenção é criar uma tensão
quase como um sussurro. Tem uma pegada lírica e a utilização de sons eletrônicos. Sua
temática é a comum ao tema: melancolia, dor e perda. Principais expoentes: Joy
Division (considerados os precursores do estilo), The Cure, Bauhaus, Echo & The
Bunnymen, Sisters of Mercy, Siouxsie & The Banshees.

Hardcore: Variante do Punk, o hardcore é barulhento e politicamente orientado pelo


Anarquismo de Bakunin. No meio da ascensão do capitalismo, eles se autodenominam
o lixo que sobra da sociedade. Principais expoentes: Minor Threat, Dead Kennedys,
Discharge, Exploited e Ratos de Porão

White Metal : Heavy Metal Cristão.

Década de 90
Britpop/synthpop/EBM: No início do surgimento das bandas britânicas super
comerciais e com uma pegada pop intensa. Principais Expoentes: Blur, Oasis, Pulp,
Suede, The Stone Roses e Supergrass.

Grunge: O desprendimento visual do punk, com a união do clássico. Melodia intensa


com poucos acordes, somadas à polidez do som e letras relacionadas a depressão e
angústia. Principais Expoentes: Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains, Soundgarden e
Mudhoney.

Neo-Psicodelismo: A onda paz e amor vem com tudo, agora bem mais comecial que
ideológica. Principais expoentes: Smashing Pumpkins, Cake, Black Crowes e R.E.M.

Funk metal: A mistura do balanço do funky americano com a pegada rap urbano bem
higienizado. Sucesso dos anos 90, carregou o mundo com a sua mistura elétrica.
Principais expoentes: Red Hot Chili Peppers, Living Colour, Faith No More e Rage
Against the Machine.

Metal melódico/Prog Metal: Um heavy metal mais leve e cadenciado pós anos 2000.
Pegada lírica e gótica, uma retomada mais elaborada do metal dos anos 80. Principais
Expoentes: Nightwish, Dream Theater,Epica, After Forever.

Power metal : Principais Expoentes: Angra, Stratovarius, Blind Guardian e Rhapsody.

Guitarristas solistas : Yingwie, Satriane,

Garage Rock : O estilo é caracterizado por acordes básicos executados em guitarras


elétricas - às vezes distorcidas através de pedal denominado fuzz[2] -, baixo e bateria.
Também era comum o uso de órgãos eletrônicos.[3] As letras não eram sofisticadas e
ocasionalmente agressivas. O termo rock de garagem deriva da percepção de que as
bandas eram, muitas vezes, constituídas por jovens amadores que ensaiavam na
garagem da família; trata-se de uma percepção parcialmente correta, uma vez que há
registros de bandas ou de membros destas que fossem músicos semi ou completamente
profissionais. The Horrors, Eagles of Death Metal, The Strokes e Kings of Leon,

Indie rock: As bandas “independentes” chegam bem famosas nos anos 90. O legal era
gostar de coisas que ninguém gostava. Nessa onda underground, as bandas de garagem
foram se popularizando. As canções românticas chegaram fortes. Principais Expoentes:
Radiohead, Pixies, The Strokes, White Stripes, Coldplay, Travis e Belle & Sebastian,
além de algumas bandas britpop.

New metal: A mistura dos sons urbanos chegam intensas no rock dos anos 90. O rap e a
música eletrônica viram influências para diversas bandas de rock. A sonoridade pesada
e o esquema de mistura com as letras faladas do rap chegam pra cair com o antigo
purismo. Principais Expoentes: Korn, Linkin Park, Static-X, Limp Bizkit e Slipknot.

Pop punk: Uma mistura fofa entre o punk rock, straight edge e grunge. As letras
chegam falando basicamente sobre o estilo de vida adolescente branco sem
compromisso. Romances e galãs, as maiores “boybands” do rock vieram dessa galera.
Principais Expoentes: Green Day, Blink-182, NOFX e Offspring (essas duas bandas
mais enraizadas no hardcore).