Você está na página 1de 6

QUARTA-FEIRA, 7 DE ABRIL DE 2010

Chico Xavier, um Homem chamado Amor

Hoje nós vamos conhecer a história da vida de um homem humilde, de


alma nobre, que viveu apenas para fazer o bem. Esse homem foi um
grande médium, pois ele podia ver, ouvir e conversar com os espíritos.
Ele também escrevia cartas e mensagens que esses espíritos lhe ditavam,
sempre consolando as suas famílias e atestando algo muito importante :
que a vida continuava no mundo espiritual e que devemos buscar nessa
vida, a amar o nosso próximo praticando a caridade e a bondade para
com todos.

Essas foram as lições desse homem que se chamava Francisco Cândido


Xavier, o Chico Xavier, que esse mês de abril, no dia 02, se ainda
estivesse vivendo em nosso mundo, completaria 100 anos de vida.

Vamos então lembrá-lo, nesse momento, com muita alegria, contando a


sua historinha chamada “Um homem chamado Amor”.
Um Homem chamado Amor

F R A N C I S C O C Â N D I D O X AV I E R , C H I C O X AV I E R , N A S C E U N O
DIA 02 DE ABRIL DE 1910, NUMA CIDADE CHAMADA PEDRO
L E O P O L D O , E M U B E R A B A , N O E S TA D O D E M I N A S G E R A I S .

ELE TEVE UMA INFÂNCIA MUITO TRISTE, POIS QUANDO


ERA PEQUENINO, COM APENAS 5 ANOS, A SUA MÃEZINHA,
D. MARIA JOÃO DE DEUS, FICOU MUITO DOENTE E
MORREU; E ELE COM OS SEUS OITO IRMÃOZINHOS
T I V E R A M Q U E S E S E PA R A R .

E L E S E R A M B E M P O B R E Z I N H O S . . . O PA I , S . J O Ã O
CÂNDIDO ERA UM OPERÁRIO E NÃO TINHA COMO CUIDAR
D A S C R I A N Ç A S , A S S I M , L E V O U C H I C O PA R A M O R A R C O M A
SUA MADRINHA, D. RITINHA, UMA MULHER NERVOSA, QUE
AINDA NÃO SABIA SER CARIDOSA E COM ISSO, ELE
S O F R E U M U I T O S M A LT R AT O S A O L A D O D E L A .

C H I C O A PA N H O U M U I T O D E D . R I T I N H A . E L A O B AT I A C O M
VA R A D E M A R M E L O , M U I TA S V E Z E S P O R Q U E E L E V I A
COISAS QUE ELA NÃO VIA. ERAM OS ESPÍRITOS DE
P E S S O A S Q U E J Á C O M E Ç AVA M A A PA R E C E R PA R A E L E E
E L A N Ã O A C R E D I TAVA .

DIZIA SEMPRE:

- ESSE MENINO TEM O MAL NO CORPO!

A família de Chico Xavier era católica, desde bem pequeno ele ia a igreja e
aos 5 anos já sabia rezar de cor o “Pai Nosso”.
Um dia, quando estava muito triste com os maltratos de D. Ritinha, ele
correu para o quintal de casa, onde havia uns pés de bananeira e
lembrou-se de sua mãe quando lhe dizia:

- Chico, toda vez que você estiver muito triste ou assustado, eleve os
seus pensamentos a Jesus e reze...

Foi aí então, que ele ajoelhou-se e começou a rezar o Pai Nosso. Quando
terminou a oração tamanha foi a sua surpresa! Sua mãe, D. Maria João de
Deus, apareceu ao seu lado e ele abraçou-a muito feliz.

- Mamãe, não me deixe aqui!, Estou muito triste, me leve com a senhora...
– pedia ele

- Não posso meu filho - respondia ela – tenha paciência, quem não sofre
nessa vida, não aprende a ser forte. Você tem que ser forte para trabalhar.
Se você tiver paciência com a sua madrinha, Jesus irá lhe ajudar.

Desse dia em diante, Chico ficou mais feliz e conformado. Toda vez que
estava triste ele recebia o consolo com a presença do espírito da sua
mãe.
Na escola, Chico também era motivo de piadas, pois via os espíritos e
muitos lhe ajudavam nas tarefas, lhe ditando até textos para redação.
Onde ele passava o povo dizia:

- Lá vem o menino aluado!

Sua vida começou a melhorar quando o seu pai casou-se novamente com
uma mulher muito bondosa, chamada D. Cidália. Ela viu que Chico estava
precisando de ajuda e o levou para criar. A partir daí, ele foi mais feliz.

Chico foi crescendo e compreendendo mais os seus dons de médium.


Conheceu e estudou o Espiritismo, e entendeu que a sua missão era
ajudar as pessoas e também àqueles espíritos que necessitavam se
comunicar com a sua família.

Conheceu também o seu anjo tutelar, um espírito chamado Emmanuel,


que lhe orientou pelo resto de sua vida. Emmanuel pediu para que ele
fosse muito responsável e que seguisse aos ensinamentos de Jesus:
sempre ajudasse a todos sem pedir nada em troca.

Logo ele construiu, junto com amigos o seu Centro Espírita e lhe deu o
nome de “Grupo Espírita Luiz Gonzaga”.

Chico Xavier recebeu muitas mensagens dos espíritos e ajudou muitas


famílias a receber notícias de seus parentes que já estavam morando no
mundo espiritual.

Escreveu também muitos livros, todos ditados pelos Espíritos, com


mensagem de paz, amor, fé e esperança. Todo o dinheiro que recebeu
com as vendas desses livros ele ajudou e ainda ajuda até hoje as pessoas
pobres e doentes que procuram auxílio nos grupos de assistência que ele
criou.

Com 92 anos de idade, Chico Xavier estava muito doente e desencarnou


no dia 30 de junho de 2002, indo morar no mundo dos espíritos.
Hoje, nós temos a certeza que ele está em um lugar muito feliz, pois foi
um homem muito humilde e bondoso, um verdadeiro Homem de Bem. Por
tudo isso, ele ficou também conhecido como “Um homem chamado
Amor’”.

Autor: Carlos Pereira