Você está na página 1de 2

RECEPTORES SENSORIAIS – ED 4

1) Qualquer informação do meio externo é transformada em sinal elétrico para que possa
ser compreendida e processada pelo SNC (Transdução Sensorial). Como se dá essa
transformação (escolha um receptor sensorial como exemplo)? De que forma essa
informação é codificada?
Transdução sensorial consiste na transformação dos estímulos físicos ou químicos em
potencial elétrico pelos receptores sensoriais. Os receptores sensoriais detectam muitos
tipos diferentes de estímulos incidentes, por esta ração são subdivididos de acordo com
seus estímulos correspondentes (mecanorreceptores, quimiorreceptores,
termorreceptores e fotorreceptores). Um estímulo incidente ativa uma proteína
receptora de célula sensorial, ocasionando uma despolarização denominada potencial
gerador. Caso esse estímulo seja forte o suficiente para atingir o potencial limiar, ele
será codificado em potencial de ação que pode ser interpretado e geral uma resposta.
Pode-se citar uma célula sensorial epitelial onde um estímulo incidente ativa uma
proteína mecanorreceptora, desencadeando em potencial receptor. O potencial
receptor abre canais de cálcio controlados por voltagem, resultando na liberação do
neurotransmissor sobre o neurônio aferente primário. O neurônio aferente estimulado
gera potenciais de ação conduzidos para centros integradores.
2) Defina campo receptor para um determinado receptor sensorial.
Os campos receptores são classicamente definidos como áreas circunscritas do espaço
sensorial, capazes de influenciar os neurônios dos diversos níveis do SNC. Mas não
devem ser vistos como algo estático. Muito pelo contrário, eles se modificam no tempo,
sendo na verdade dinâmicos, porque podem expandir-se, contrair-se ou deslocar-se em
função de diferentes influências como a atenção, o estresse, o cansaço do indivíduo e
outras variáveis.

3) O que caracteriza receptores sensoriais de adaptação rápida e lenta.


Uma característica especial dos receptores é o fato de que, após determinado período
de tempo, eles se adaptam total ou parcialmente aos estímulos a que são sensíveis. Por
isso, quando um estímulo sensorial é aplicado, os receptores respondem, inicialmente
com uma frequência de impulsos muito alta; com o passar do tempo, há queda
progressiva da frequência de resposta, até que, finalmente, muitos deles deixam de
responder.
Adaptação lenta: Os receptores de adaptação lenta são os que, enquanto o estímulo
estiver presente, continuam a transmitir impulsos para o cérebro. Por isso eles mantêm
o cérebro constantemente informado sobre a situação corporal e sua relação com o
meio ambiente. Esse mecanismo permite que se obtenha uma ideia do tempo de
duração do estímulo.
Adaptação rápida: Os receptores que se adaptam de forma rápida reagem fortemente
enquanto uma mudança está, na verdade, começando a se desenvolver. Eles só são
estimulados quando ocorrem alterações na potência do estímulo. Assim, no caso do
corpúsculo de Paccini, uma pressão súbita aplicada sobre a pele excita esse receptor por
alguns milissegundos e em seguida, essa excitação acaba, mesmo que a pressão
continue. No entanto, esse receptor é capaz de transmitir novamente o sinal quando a
pressão é liberada.

4) Como podemos relacionar a distribuição de receptores sensoriais em diferentes regiões


da superfície corporal com as distâncias mínimas para a discriminação de dois pontos?
A distribuição dos receptores sensoriais em algumas regiões tem densidade maior, ou
seja, maior quantidade de receptores por área, permitindo assim que a distância para
discriminação de dois pontos seja menor. Já em algumas regiões a densidade é menor,
ou seja, menor quantidade de receptores por área, o que resulta que a discriminação
de dois pontos precise de maiores distâncias.