Você está na página 1de 8

Índice

1.Introdução............................................................................................................................. 2
1.1. Objectivos gerais .............................................................................................................. 2
1.2. Objectivos específicos ....................................................................................................... 2
1.3. Metodologia .......................................................................................................................... 2
2. Multímetro ............................................................................................................................... 2
2.1. Multímetro analógico ....................................................................................................... 3
2.1.1. Constituição do multímetro analógico ..................................................................... 3
2.1.2. Principais características operacionais dos multímetros analógicos: ................... 4
2.2. Multímetro digital ............................................................................................................ 5
2.2.1 Principais características operacionais dos multímetros digitais: ......................... 6
2.2.2 Operação das medidas ............................................................................................... 8
2.3. Cuidados a ter com os multímetros .................................. Erro! Indicador não definido.
2.4. Aplicações dos multímetros ................................................ Erro! Indicador não definido.
3. Alicate Amperimétrico ............................................................... Erro! Indicador não definido.
4. Conclusão .................................................................................... Erro! Indicador não definido.
5. Referências bibliográficas.......................................................... Erro! Indicador não definido.
1.Introdução
Quase todos os circuitos eléctricos, envolvem montagem de circuito e medidas eléctricas,
para melhor monitorar os processos que ocorrem nesses circuitos, há necessidade de se
fazer um estudo dos aparelhos utilizados para a medição das grandezas eléctricas.

O presente trabalho debruça sobre multímetros, que são instrumentos dotados de


múltiplas funções, com eles é possível fazer medições de tensão, corrente, resistência,
com alguns modelos de multímetros pode-se, também, medir outros tipos de grandezas e
até mesmo testar componentes electrónicos. Ao longo da parte textual tenta-se esclarecer
alguma confusão existente quanto à classificação dos multímetros analógico e digital.

1.1. Objectivos gerais


Em geral, o presente trabalho tem como objectivo abordar sobre os multímetros.

1.2. Objectivos específicos


Definir o multímetro de modo geral

Classificar os multímetros quanto ao tipo

Abordar sobre o multímetro analógico

Abordar de uma forma detalhada o multímetro digital

Abordar sobre o alicate amperimétrico

1.3. Metodologia
Este trabalho foi elaborado com base de pesquisas bibliográficas, pesquisas online e
conhecimentos adquiridos ao longo da careira estudantil.

2. Multímetro
Um multímetro mede normalmente tensão e corrente (contínuas e alternadas) e também
resistência eléctrica, mas poderá medir capacidade de condensadores, frequência, tensão
de polarização de díodos, ganho (em malha aberta) de transístores e outras grandezas.
Com o transdutor adequado, o multímetro poderá medir “qualquer” grandeza, tal como
temperatura, pressão, velocidade ou humidade.
Diversos fabricantes disponibilizam dispositivos adicionais (que se ligam directamente
ao aparelho) para medir diversas grandezas, usando um multímetro “básico”.
Quando não é necessária uma análise gráfica do sinal eléctrico, o multímetro é preferido
ao osciloscópio, dada a diferença de preço. A compreensão da constituição básica de um
amperímetro, de um voltímetro e de um ohmímetro é extremamente importante para uma
utilização correcta do instrumento, tanto na medição de tensões e correntes contínuas,
como na medição de tensões e correntes alternadas. Existem modelos com mostrador
analógico (de ponteiro) e modelos com mostrador digital.

2.1. Multímetro analógico


Foram os primeiros tipos de multímetros inventados, no início da década de 1920, quando
os receptores de rádio e aparelhos valvulados se tornaram mais comuns. A invenção do
primeiro multímetro é atribuída ao engenheiro dos correios norte-americanos Donald
Macadie, ao qual desagradava a ideia de ter de carregar diversos instrumentos
separadamente. Sua invenção era capaz de medir tensões, correntes e resistências.

O multímetro analógico é um instrumento dotado de múltiplas funções, com ele é possível


fazer
medições de tensão, corrente, resistência, com alguns modelos de multímetros analógicos
pode-se, também, medir outros tipos de grandezas e até mesmo testar componentes
electrónicos.

2.1.1. Constituição do multímetro analógico


Trata-se de um instrumento que permite medir diversas grandezas eléctricas, basicamente
e constituído por: ponteiro; bobina móvel; imã permanente; escala de indicação; selector;
(ponteiro) negativo e ´positivo; mola espiral.

Na figura a seguir temos a representação de um multímetro analógico.


O mostrador analógico funciona com base no galvanómetro, instrumento composto
basicamente por uma bobina eléctrica montada em um anel em volta de um ímã. O anel
munido de eixo e ponteiro pode girar sobre o ímã. Uma pequena mola espiral (como as
dos relógios) mantém o ponteiro no zero da escala. Uma corrente eléctrica passando pela
bobina cria um campo magnético oposto ao do ímã promovendo o giro do conjunto. O
ponteiro desloca-se sobre uma escala calibrada em tensão, corrente, resistência etc. Uma
pequena faixa espelhada ao longo da escala, ajuda a evitar o erro de paralaxe.

Este equipamento possui o que chamamos de suspensão, que trata de um mecanismo que
permite um movimento com baixo atrito. Estes também possuem uma escala sobre a qual
são realizadas as leituras, esta caracteriza-se pelo:

Calibre, que é o valor máximo medido por um instrumento sem que ocorra nenhum dano.

Posição do zero, trata-se de quando o instrumento não está efectuando medidas, podendo
este variar.

Linearidade, que se refere em como a escala é dividida

2.1.2. Principais características operacionais dos multímetros analógicos:


Sensibilidade [S]: É uma grandeza directamente relacionada com a resistência interna
dos instrumentos, quanto maior for a sensibilidade de um instrumento, melhor este será.

Resolução através deste, torna-se possível identificar a capacidade de um instrumento em


diferenciar grandezas com valores próximos entre si.
2.2. Multímetro digital

O multímetro digital é um instrumento dotado de múltiplas funções, com ele é possível


fazer medições de tensão, corrente, resistência.

O multímetro digital, por ser em essência, um processador digital com um conversor AD


(analógico-digital), o mesmo possui flexibilidade. Assim, muitos outros medidores são
integrados, como: testadores de díodos, de transístores, medidores de capacitância,
medidores de temperatura, entre outros.

Um multímetro digital oferece a facilidade de mostrar directamente em seu visor, que


chamamos de display de cristal líquido, ou simplesmente display, o valor numérico da
grandeza medida, sem termos que ficar fazendo multiplicações (como ocorre com
multímetros analógicos).

Na figura a seguir temos a representação de um multímetro digital.

1. Display LCD.

2. Soquete hFE: Soquete para medida de hFE de transístores NPN e PNP e teste de LED’s.

3. Chave Rotativa.

4. Terminal de Entrada 10A: Entrada positiva para medidas de corrente na escala de 10A.
5. Terminal de Entrada COM: Entrada negativa para as medidas de tensão, resistência e
corrente, e para os testes de díodo e continuidade.

6. Terminal de Entrada V/mA/Ω: Entrada positiva para medidas de tensão resistência,


corrente DC (em mA) e para os testes de díodo e continuidade.

7. Indicador de Alta Tensão.

8. Indicador de Polaridade Negativa (positiva é implícita).

9. Indicador de Bateria Fraca.

10. Dígitos do Display de Cristal Líquido.

2.2.1 Principais características operacionais dos multímetros digitais:


Resolução: esta é fornecida através do número de dígitos ou contagens de seu display;

Exactidão: informa o maior erro possível em determinada condição de medição;

Categoria: diz respeito à segurança, tanto do operador quanto do equipamento, desta


maneira os instrumentos digitais são hierarquizados em 4 categorias de sobretensão, são
elas:

Categoria I: trata-se do equipamento de baixa energia com protecção, que limita efeito
dos transientes;

Categoria II: trata-se de equipamentos consumidores de energia fornecida por uma


instalação fixa. Exemplos incluem aparelhos domésticos, laboratoriais entre outros;

Categoria III: são equipamentos em instalações fixas. Exemplo: equipamento para uso
industrial com conexão permanente à uma instalação fixa.

Categoria IV: são equipamentos para uso na origem da instalação. Exemplo: Medidor
de electricidade;

Em multímetros digitais o valor da escala já indica o máximo valor a ser medido por ela,
independente da grandeza. Temos abaixo uma indicação de valores encontrados na
prática para estas escalas:

Escalas de tensão contínua: 200mV, 2V, 20V, 1000V ou 200m, 2, 20,1000.

Escalas de tensão alternada: 200V, 750V ou 200, 750.


Escalas de resistência: 200, 2000, 20K, 200K, 2M ou 200, 2K, 20K, 200K,20000K.

Escalas de corrente contínua: 200u, 2000u, 20m, 200m, 2A, 20A ou 200u, 2m, 20m,
200m, 2, 10.

Escalas de corrente alternada: 2A, 10A ou 2, 10.

A selecção entre as escalas pode ser feita através de uma chave rotativa, chaves de
pressão, chaves tipo H-H ou o multímetro pode mesmo não ter chave alguma, neste caso
falamos que o multímetro digital é um equipamento de auto-range, ou seja, ele selecciona
a grandeza e a escala que esta sendo medida automaticamente. Em alguns casos podemos
encontrar multímetros que tem apenas uma escala para tensão, uma para corrente e uma
para resistência, este tipo de multímetro também é auto-range, nele não é preciso se
procurar uma escala específica para se medir um determinado valor de tensão.

Uma coisa muito importante ao se usar um multímetro digital é saber seleccionar a escala
correta para a medição a ser feita. Sendo assim podemos exemplificar algumas grandezas
com seus respectivos nomes nas escalas:

Tensão contínua = VCC, DCV, VDC (ou um V com duas linhas sobre ele, uma tracejada
e a outra continua).

Tensão alternada = VCA, ACV, VAC (ou um V com um ~ sobre ele).

Corrente contínua = DCA, ADC (ou um A com duas linhas sobre ele, uma tracejada e
uma continua).

Corrente alternada = ACA (ou um A com um ~ sobre ele).

Resistência = Ohms,

Nota: Todas estas medidas devem ser feitas com critério e nunca devemos encostar as
mãos em nenhuma ponta de prova durante uma medida, caso isto aconteça corremos o
risco de levarmos um choque eléctrico e/ou termos uma leitura errada.

Uma coisa importante de se perceber é que a grande maioria dos multímetros digitais tem
3 ou 4 bornes para a ligação das pontas de prova.

Normalmente um é comum e os outros servem para medição de tensão, resistência e


corrente. A indicação dos bornes sempre mostra para quais escalas eles podem ser usados.
Eis abaixo um exemplo de como eles estão dispostos:
Borne comum, normalmente indicado por COM – é onde deve estar sempre ligada a ponta
de prova preta.

Borne indicado por V/Ohms/mA – nele deve estar conectada a ponta de prova vermelha
para a medição de tensão (contínua ou alternada), resistência e corrente na ordem de
miliamperes.

Borne indicado por A – a ponta de prova vermelha deve ser ligada nele para a medição
de corrente continua ou alternada (observação: a grande maioria dos multímetros digitais
não mede corrente alternada, verifique se existe uma escala em seu instrumento para isto
antes de fazer a medição).

O quarto borne em um multímetro pode ser utilizado para a medição de correntes


contínuas mais elevadas, como exemplo, até 10A. Neste caso a indicação no borne seria
10A ou 10 ADC.

A chave de liga-desliga de um multímetro digital pode ser uma das posições da chave
rotativa como pode ser uma chave ao lado do instrumento. Deixe sempre desligado o
multímetro caso não o esteja utilizando.

2.2.2 Operação das medidas


2.2.2.1 Medição da tensão
Para medir uma tensão