Você está na página 1de 3

Lei o fragmento de texto retirado da tese: (Referência: MENDES, Henrique Manoel Riani et al. Análise de experiências internacionais com a logística reversa de eletroeletrônicos: comparação com a realidade brasileira e recomendações. 2017.)

Ordenamento para o Retorno e Disposição de Equipamentos Elétricos e Eletrônicos

A S u íça é um p aís co mpro metido com as q u es tõ es amb i en tais . C on f or me apon ta o r anking da un iv e r s idade de Yale, d eno mi n ado E n viron m en tal Per f or m an ce I n d ex ( EP I), em 2015 a S u íça f igu r ou na po s i ção de nú mero 1 6 , s endo que em 2014 era a lí d er do r ank in g ( s e gundo a un iv ers id ad e, h ouve u ma alt er ação na metodo lo gia p ara métri ca de av ali a ção ) . O Br as i l é tamb ém um dos p aíses av ali ados n es t e r a nk in g, ap a r ec endo ( em 2 015) na po s i ção de nú mero 4 6. O EP I classi f ica os p aís es de aco rdo c om s eu d es emp enho amb ien tal em du as ár ea s pr io rit ár ias : p r o teç ão da s aúde hu mana e pro te ção dos eco s s i s t e mas ( Hs u et al., 2016). M es mo an tes de h av er u ma r e gu lamen t ação es p ecíf ica, a S u íça já co n tava com um s is tema f o rmal p ar a co l eta e r ecicla g em de R E EE*, o qu al foi o p r imei ro no mundo a s er es tr u tu r ado de f o rm a s is têmica. O p aís p as s ou a te r u ma legis l a ção es pe cíf i ca p ar a tr atar d a LR de R EEE em jan eir o de 1998, com a pub li caç ão da O rd ina nce on T he Re tu r n, the Ta ke Ba c k and the D is po s al of Elect r ical and Electro ni c Eq u i p m ent ( OR D EE). Es te o r d en amen to gov e rna todo o r eto r no, co leta e d is po s ição f in al de R EE E no p aís , tendo co mo ob jetivos p r in cip ais ga r an ti r que es te r es íduo n ão en tre no f lu x o de r es íduo mu n i cip al e que s eja d is po s to de fo rma amb i en talmen te ad eq u ad a ( S inh a-K het r iwal et al., 2005 ) . S egundo o or d en amen to S u íço, é ob r i ga ção d a p e s s oa que d es ca r ta s eu R E EE , d evo lv e- lo a um co mercian te, f ab r ic an te ou im po r tador do p rodu to, s endo tamb ém p e r miti da a d evo lu çã o em pont os púb l icos d e co leta de R EEE ou d ir etam en te no lo cal d e d is po s iç ão f in al. O O RD EE tamb ém es pecif ic a que ca b e aos d is t r ibu ido r es r ece b er os R EEE do ti po que co mercializ am s em cob r ar por es t e s er v i ço, as s i m co mo os co mer cian tes , os qu ais d ev em r eceb er os pro d uto s d es car t ados p elos con s u mi do r es f in ais s em co b r ar a m ais por is t o. J á os f abr ican t es e im po r tado r es d ev em r e c eb er os pro d utos da mar ca que co lo c ar am no me r cado, tamb ém s em

cus tos . C abe aos r es p on s áv eis p ela r e cep ç ão d es tes pr o d utos d es c ar tado s , pro v id en cia r s u a d es ti n ação f in al, pod en d o es ta s er f eit a por uma t er cei ra p a r te co mi s s i on ad a ( F O EN, 2015 ). O r es pons ável pela d es ti n ação f in al do R EEE pode op tar en tão por con tr atar u ma emp r es a p r iv ada ou contr ib u i r f in an ceir amen te com u ma o rg an iz ação p r o fis s ion al ( En ti d ade G es to r a), que as s e gu r e a d is po s içã o f in al de s eus ap ar elh o s . A s emp r es as po d em ain da op er a r todo es te s is tema de f o rm a de f o rm a in d i v idu al, d ev endo n es te cas o: a ) ga r an ti r a d is po s ição f in al a s uas pr óp rias cu s tas ; b) in d i ca r, de f o rma cla r a, em s eu s pon tos de v end a, que r e ceb em R EEE; e c) man ter um inv en tár io do to t al de equ ip amen to v e nd idos e co letado s , as s i m co mo r ecibos que comp r o v em a d es ti n a ção f in al co r ret a, os q u ais d ev er ão p e r man e cer à d is po s i ção da a gên cia amb i en t al S u íça e dos C a n tõ es p elo p eríodo de cin co anos (C on s elho F ed e r al S u íço , 2005 ).

*Reverse Logistic of Electrical and Electronic Equipment (REEE)

2 Segundo o Conselho Federal Suíço (2005), os responsáveis pela destinação final devem garantir que
2
Segundo o Conselho Federal Suíço (2005), os responsáveis pela destinação final devem
garantir que este procedimento seja feito de modo ambientalmente correto e seguindo as
melhores tecnologias disponíveis para tal. Em especial devem seguir orientações quanto a
certos grupos de substâncias que estão presentes em partes e componentes dos REEE, tais
como: baterias, capacitores, tubos de raio catódico, placas de circuito impresso e plásticos
contendo compostos orgânicos químicos. O ordenamento traz ainda uma lista dos tipos de
equipamentos (incluindo seus componentes) que são cobertos pela legislação, conforme
demonstrado na Figura 19.
Equipamentos elétricos cobertos pelo ordenamento suíço:
a) Equipamentos eletrônicos de consumo;
b) Equipamentos de escritório e TICs;
c) Eletrodomésticos;
d) Equipamentos de iluminação;
e) Lâmpadas (excluíndo as incandescentes);
f) Ferramentas (exceto ferramentas industriais estacionárias de grande porte);
g) Aparelhos de esporte e laser, assim como brinquedos;
Figura O M an 19: u al Categorias d i s poni b il iz de ado equipamentos p ela a gên ci a elétricos amb i en tal e eletrônicos s uí ça tr az em cobertos s eus an pela ex os ORDEE u ma lis ta de

qu ais pro d uto s , d en tro de cada cate go r ia, d ev em im p lemen tar a LR , d eix an do cl aro que t al li sta

n ão p r etende s er ex aus ti v a. O M anu al ap r es en ta t a mb ém, u ma li sta dos ap a r elhos que n ão estã o

contemp lados no O RD E E e, por is s o, n ão n e ces s i tam im p lemen tar um s is tema p ar a LR ; m as ,

indep end en te d is t o, a d es ti n ação amb i en talmen t e ad equ ad a con ti nua a s er um im p er ati vo

tamb ém p ara es te s ap a r el hos ( S A EF L, 2000). Est a s li sta s en con tr am -s e d is p on ív eis nos An ex os

1 e 2 d es t e tr ab alho.

3

O M anu al tr az ainda e m s eus an ex o s , f ich as t écn icas q u e d emo n s tr a m as melh o res

p r áti cas e t ecnolo gias d is pon ív eis p ar a ga r an ti r o t r atamen to amb i en talmen t e ad eq u ado de c ada

cate go r ia d e EEE ab r an g ido p ela legis l aç ão , id en t if icando as pr in cip ais c ar acterís t icas de cada

f amí li a de pro d uto am de ap r es en tar as s e gu in t es inf o rmaçõ es : a) mate r iais con s t it u in t es e

compon entes es p eciais; b ) ob jetivos e r equ is i tos p ara d is po s iç ão f in al; c) e x emp l os de d es car t e

do equip amen to; d) d es mo n t agem; e) s ep ar a ção e r emo ção dos co mp o n en tes es pe ciais; f )

man ejo dos co mpon en tes pr in cip ais ; e g) r ecicl a g em e d is po si ção dos co mpon en tes r es idu ais

( SA EF L, 200 0 ). O p r o ces s amen to mais es pe cializ ado dos metais p r es en t es n este s equ ip amen tos

é r eali z ado em ou tros p aíses, u ma v ez que as plan tas que d em esta tecno lo gia n ão es t ão

s ed iad as na S u íça ( F O E N , 201 6 a).

Durante o pro c esso de d e smon tagem de EEE, v á r i os ti pos de resíduo s s ão produ z idos. De

acordo com o M an u al do ORDEE, todos os componentes contendo s ubs t ân cias poluentes

d ev em s er r emov i dos e tr atados de f o rma s ep ar ad a , ga r anti ndo sua dispo siç ão fin al ad equ ad a.

D evido ao fato de os REEE ger ar e m ou t ros tipos de r esíduo s, com class i ficaçõ es e tr atamentos

próp rios, outr as le gis l açõ es d ev em s er ob s erv ad as. N este mesmo M anu al e x is t e uma tab ela que

classifica os r esíduo s ge r ados na etapa d e d esmon tag em e ind i ca qu ais le gi slaçõ es melhor se

apli cam ao tr at amento e t r ansporte d es t es r esíduo s (SAEF L, 2000 ).

De acordo com a Ordinance on Mo ve m ents of Wa ste (o rd en amento sobr e mov i mentaçã o

de r esíduo s), os EEE s ão classificados como “o utros r esíduo s controlados ”. P or conta dis t o,

todas as p essoas, empr es as ou o rg aniz açõ es que tr atem da dispo sição fin al dos R EEE na S uíça

n ecess i tam uma autoriz ação do C antão em que se en contr a, p a ra op er ar, s ej am eles

tr ansportado r es, a rmaze n ador es, r e ciclado r es, e mpr es as ou O NGs que tr ab alh em com a

d esmon tag em e tria gem dos mat eriais. C aso a op ção s eja a ex portação dos R EEE p ar a

dispo sição fin al, f az -se n ecess á rio uma autoriz a ção d a S A E F L , s endo q ue p a ra p aíses n ão

memb ros da OCDE ou U E, a ex portação d e R EEE é proibida (SA E F L, 20 0 0 ; FO EN, 201 6 a ).

Atividade:

Escolha um produto e planeje a logística reversa, considerando que você é o fabricante. Use recursos visuais para explicar sua proposta, como fluxogramas, gráficos, tabelas, vídeos, fotos, etc.

Trabalho em dupla. Data de entrega:

/

/