Você está na página 1de 2

Agrupamento de Escolas de Castro Verde

Curso Profissional de Téc. de Audiovisuais

Português

12º Ano Turma C


Ano Letivo 2018-19 Prof.ª Manuela Pereira

Leia atentamente o seguinte poema:

E há poetas que são artistas


E trabalham nos seus versos
Como um carpinteiro nas tábuas!...

Que triste não saber florir!


Ter que pôr verso sobre verso, como quem constrói um muro
E ver se está bem, e tirar se não está!...
Quando a única casa artística é a Terra toda
Que varia e está sempre bem e é sempre a mesma.

Penso nisto, não como quem pensa, mas como quem respira,
E olho para as flores e sorrio...
Não sei se elas me compreendem
Nem sei eu as compreendo a elas,
Mas sei que a verdade está nelas e em mim
E na nossa comum divindade
De nos deixarmos ir e viver pela Terra
E levar ao solo pelas Estações contentes
E deixar que o vento cante para adormecermos
E não termos sonhos no nosso sono.

Alberto Caeiro

1. Considerando a interpretação das primeiras duas estrofes do poema,


considere as afirmações verdadeiras ou falsas e justifique a sua resposta.

a) Há poetas que são rudes no seu labor poético;

b) Há poetas que consideram a métrica dos seus poemas e têm rigor no seu
labor poético;

c) Há poetas que são perfeccionistas no seu labor poético.


2. Atente no verso “Que triste não saber florir!“ (v. 1, II)

2.1. Seleccione a alínea que está em harmonia com o verso transcrito.

O sujeito poético pretende com tal verso exprimir:

a) Pena por não ser ele próprio uma flor, e portanto não poder florir tal como
as flores;

b) Pena dos poetas que não são espontâneos;

c) Pena por ele próprio não trabalhar os versos.

3. Explicite o sentido dos versos 4 e 5 da segunda estrofe, salientando o conceito de


“casa artística”.

4. Atente na afirmação “Penso nisto…”presente no 1º verso da terceira estrofe.


4.1. Tal afirmação estará de acordo com os princípios filosóficos e estéticos
sensacionistas defendidos por Caeiro? Justifique.

5. Esclareça o conceito de verdade e de divindade em Caeiro, considerando as


afirmações presentes nos versos 5 e 6 da terceira estrofe e o seu estudo acerca da
poética caeiriana.

6. Faça o levantamento de expressões que considere relevantes como marcas de


deambulismo no poema.

6.1 Relacione o deambulismo com o modo de apreensão do real defendido por


Caeiro em toda a sua obra poética.

7. Proceda à análise do discurso de Caeiro salientando os seguintes aspectos:


- frases coordenadas;
- discurso oralizante;
- recursos estilísticos;
- métrica;
- rima;

Bom Trabalho!