Você está na página 1de 11

Versão livre para treinamento 1

1999 OHSAS 18001


SISTEMAS DE GESTÃO DA
SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

A OHSAS 18001 foi desenvolvida com a participação das seguintes organizações:


! National Standards Authority of Ireland
! South African Bureau of Standards
! British Standards Institution
! Bureau Veritas Quality International
! Det Norske Veritas
! Lloyds Register Quality Assurance
! National Quality Assurance
! SFS Certification
! SGS Yarsley International Certification Services
! Asociación Espanhola de Normalización y Certificación
! lnternational Safety Management Organisation Ltd.
! Standards and Industry Research Institute of Malaysia (Quality Assurance Services)
! lnternational Certification Services.

11 páginas

ÍNDICE
1 Objetivo e campo de aplicação
2 Publicações de referência
3 Termos e definições
4 Elementos do Sistema de Gestão da SST
4.1 Requisitos gerais
4.2 Política de SST
4.3 Planejamento
4.3.1 Planejamento para identificação de perigos e avaliação e controle de riscos
4.3.2 Requisitos legais e outros requisitos
4.3.3 Objetivo
4.3.4 Programa(s) de gestão da SST
4.4 Implementação e operação
4.4.1 Estrutura e responsabilidade
4.4.2 Treinamento, conscientização e competência
4.4.3 Consulta e comunicação
4.4.4 Documentação
4.4.5 Controle de documentos e de dados
4.4.6 Controle operacional
4.4.7 Preparação e atendimento a emergências
4.5 Verificação e ação corretiva
4.5.1 Monitoramento e mensuração do desempenho
4.5.2 Acidentes, incidentes, não-conformidades e ações corretivas e preventivas
4.5.3 Registros e gestão de registros
4.5.4 Auditoria
4.6 Análise crítica pela administração
Anexo A - Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994
Bibliografia
Versão livre para treinamento 2

Prefácio
Esta especificação da Série de Avaliação da Segurança e Saúde no Trabalho Occupational Health and Safety Assessment
Series (OHSAS) e o documento que a acompanha OHSAS 18002, Diretrizes para a implementação da OHSAS 18001, foram
desenvolvidos em resposta à urgente demanda de clientes por uma norma reconhecida para Sistemas de Gestão da
Segurança e Saúde no Trabalho, com base na qual as organizações possam ser avaliadas e certificadas.
A OHSAS 18001 foi desenvolvida para ser compatível com as normas de sistemas de gestão ISO 9001:1994 (Qualidade) e
ISO 14001:1996 (Meio Ambiente), de modo a facilitar a integração dos sistemas de gestão da qualidade, ambiental e da
segurança e saúde no trabalho pelas organizações, se assim elas o desejarem.
Esta especificação OHSAS será revisada ou alterada quando for considerado apropriado. As revisões serão realizadas quando
forem publicadas novas edições da ISO 9001 ou da ISO 14001, para assegurar a continuidade da compatibilidade.
Esta especificação OHSAS será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo em, ou como, uma norma
internacional.
Para a Grã-Bretanha:
- BSI-OHSAS 18001 não é uma norma britânica;
- BSI-OHSAS 18001 será retirada de circulação quando da publicação de seu conteúdo em, ou como, uma norma britânica;
- BSI-OHSAS 18001 é publicada pela BSI que detém a sua propriedade e os direitos autorais.
O processo de desenvolvimento utilizado para a OHSAS 18001 é aberto a outros patrocinadores que desejem produzir, em
associação com a BSI, tipos similares de documentos, contanto que esses patrocinadores estejam dispostos a atender às
condições da BSI para tais documentos,
Publicações consultadas durante o desenvolvimento desta especificação OHSAS
Os seguintes documentos foram consultados durante o desenvolvimento desta especificação OHSAS:
- BS 8800:1996 - Guia para sistemas de gestão da segurança e saúde no trabalho
- Relatório Técnico NPR 5001:1997 - Guia para um sistema de gestão da segurança e saúde no trabalho
- SGS & ISMOL ISA 2000:1997 - Requisitos para Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho
- BVQI SafetyCert - Norma de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho
- DNV - Norma para Certificação de Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (OHSMS): 1997
- Projeto NSAI SR 320 - Recomendação para um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST)
- Projeto AS/NZ 4801 - Sistemas de gestão da segurança e saúde no trabalho Especificação com diretrizes para uso
- Projeto BSI PAS 088 - Sistemas de gestão da segurança e saúde no trabalho
- UNE 81900 - Série de pré-normas sobre prevenção de riscos ocupacionais
- Projeto LRQA SMS 8800 - Critério de avaliação de sistemas de gestão da segurança e saúde.
A OHSAS 18001 substituirá alguns desses documentos mencionados.
A OHSAS 18001 mantém um nível alto de compatibilidade, e equivalência técnica, com a UNE 81900.
Esta publicação não pretende incluir todas as cláusulas necessárias de um contrato. Os usuários são responsáveis por sua
correta aplicação.
A conformidade com esta publicação da Série de Avaliação da Segurança e Saúde no Trabalho, por si só, não confere
imunidade em relação às obrigações legais.

1 Objetivo e campo de aplicação


Esta especificação da Série de Avaliação da Segurança e Saúde no Trabalho (OHSAS) fornece os requisitos para um Sistema
de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST), permitindo a uma organização controlar seus riscos de acidentes e
doenças ocupacionais e melhorar seu desempenho. Ela não prescreve critérios específicos de desempenho da Segurança e
Saúde no Trabalho, nem fornece especificações detalhadas para o projeto de um sistema de gestão.
Esta especificação OHSAS se aplica a qualquer organização que deseje:
a) estabelecer um Sistema de Gestão da SST para eliminar ou minimizar riscos aos funcionários e outras partes interessadas
que possam estar expostos aos riscos de SST associados a suas atividades;
b) implementar, manter e melhorar continuamente um Sistema de Gestão da SST;
c) assegurar-se de sua conformidade com sua política de SST definida;
d) demonstrar tal conformidade a terceiros;
e) buscar certificação/registro do seu Sistema de Gestão da SST por uma organização externa; ou
f) realizar uma auto-avaliação e emitir autodeclaração de conformidade com esta especificação.
Versão livre para treinamento 3

Todos os requisitos desta especificação OHSAS se destinam a ser incorporados em qualquer Sistema de Gestão da SST. O
grau de aplicação dependerá de fatores como a política de SST da organização, a natureza de suas atividades e os riscos e a
complexidade de suas operações.
Esta especificação OHSAS é direcionada à Segurança e Saúde no Trabalho, e não à segurança de produtos e serviços.
2 Publicações de referência
Outras publicações que fornecem informações ou diretrizes estão listadas na Bibliografia. É aconselhável que sejam
consultadas as últimas edições de cada publicação. Especificamente, deve ser feita referência à:
- OHSAS 18002:1999, Diretrizes para a implementação da OHSAS 18001.
- BS8800:1996,Guia para sistemas de gestão da segurança e saúde no trabalho.

3 Termos e definições
Para os efeitos desta especificação OHSAS, aplicam-se os seguintes termos e definições:
3.1 Acidente
Evento não-planejado que resulta em morte, doença, lesão, dano ou outra perda.
3.2 Auditoria
Exame sistemático para determinar se as atividades e resultados relacionados estão em conformidade com as providências
planejadas, e se essas providências estão implementadas efetivamente e são adequadas para atender à política e aos
objetivos (ver 3.9) da organização.

3.3 Melhoria contínua


Processo de aprimoramento do Sistema de Gestão da SST, visando atingir melhorias no desempenho global da Segurança e
Saúde no Trabalho, de acordo com a política de SST da organização.
NOTA - Não é necessário que o processo seja aplicado simultaneamente a todas as áreas de atividade.

3.4 Perigo
Fonte ou situação com potencial para provocar danos em termos de lesão, doença, dano à propriedade, dano ao meio
ambiente do local de trabalho, ou uma combinação destes.
3.5 Identificação de perigos

Processo de reconhecimento que um perigo (ver 3.4) existe, e de definição de suas características.

3.6 Incidente
Evento que deu origem a um acidente ou que tinha o potencial de levar a um acidente.
NOTA - Um incidente em que não ocorre doença, lesão, dano ou outra perda também é chamado de "quase-acidente". O termo "incidente"
inclui " quase-acidente ".

3.7 Parte interessada


Indivíduo ou grupo preocupado com, ou afetado pelo, desempenho da SST de uma organização.
3.8 Não-conformidade
Qualquer desvio das normas de trabalho, práticas, procedimentos, regulamentos, desempenho do sistema de gestão etc., que
possa levar, direta ou indiretamente, à lesão ou doença, dano à propriedade, dano ao meio ambiente de trabalho, ou uma
combinação destes.
3.9 Objetivos
Metas, em termos de desempenho da SST, que uma organização estabelece para ela própria alcançar.
3.10 Segurança e Saúde no Trabalho (SST)
Condições e fatores que afetam o bem-estar de funcionários, trabalhadores temporários, pessoal contratado, visitantes e
qualquer outra pessoa no local de trabalho.
3.11 Sistema de Gestão da SST
Parte do sistema de gestão global que facilita o gerenciamento dos riscos de SST associados aos negócios da organização.
Isto inclui a estrutura organizacional, atividades de planejamento, responsabilidades, práticas, procedimentos, processos e
recursos para desenvolver, implementar, atingir, analisar criticamente e manter a política de SST da organização.
3.12 Organização
Companhia, corporação, firma, empresa, organização ou associação, ou parte dela incorporada ou não, pública ou privada,
que tem funções e estrutura administrativa próprias.
NOTA - Para organizações com mais de uma unidade de negócio, urna única unidade pode ser definida como uma organização.
Versão livre para treinamento 4

3.13 Desempenho
Resultados mensuráveis do Sistema de Gestão da SST, relacionados ao controle da organização sobre seus riscos à
segurança e saúde, com base em sua política e objetivos de SST.
NOTA – A medição do desempenho inclui a mensuração de atividades e resultados da gestão de SST.

3.14 Risco
Combinação da probabilidade de ocorrência e da(s) conseqüência(s) de um determinado evento perigoso.
3.15 Avaliação de riscos
Processo global de estimar a magnitude dos riscos, e decidir se um risco é ou não tolerável.
3.16 Segurança
Isenção de riscos inaceitáveis de danos [ISO/IEC Guide 2].

3.17 Risco tolerável


Risco que foi reduzido a um nível que pode ser suportado pela organização, levando em conta suas obrigações legais e sua
própria política de SST

4 Elementos do Sistema de Gestão da SST

Melhoria
contínua

Política de SST
Análise crítica
pela
administração
Planejamento

Verificação e
ação corretiva Implementação
e operação

Figura 1 - Elementos da gestão bem-sucedida da SST

4.1 Requisitos gerais


A organização deve estabelecer e manter um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST), cujos requisitos
estão descritos na seção 4.

4.2 Política de SST

Análise crítica pela


administração

Realimentação
Auditoria Política da medição do
desempenho

Planejamento

Figura 2 - Política de SST


Versão livre para treinamento 5

Deve existir uma política de Segurança e Saúde no Trabalho, autorizada pela alta administração da organização, que
estabeleça claramente os objetivos globais de segurança e saúde e o comprometimento para melhorar o desempenho da SST.
A política deve:
a) ser apropriada à natureza e escala dos riscos de SST da organização;
b) incluir o comprometimento com a melhoria contínua;
c) incluir o comprometimento com o atendimento, pelo menos, à legislação vigente de Segurança e Medicina do Trabalho
aplicável, e a outros requisitos subscritos pela organização,
d) ser documentada, implementada e mantida;
e) ser comunicada a todos os funcionários, com o objetivo de que eles tenham conhecimento de suas obrigações individuais
em relação à SST;
f) esteja disponível para as partes interessadas; e
g) seja periodicamente analisada criticamente, para assegurar que ela permanece pertinente e apropriada à organização.

4.3 Planejamento

Política

Realimentação
Auditoria Planejamento da medição do
desempenho

Implementação e Operação

Figura 3 - Planejamento

4.3.1 Planejamento para identificação de perigos e avaliação e controle de riscos


A organização deve estabelecer e manter procedimentos para a identificação contínua de perigos, a avaliação de riscos e a
implementação das medidas de controle necessárias. Tais procedimentos devem incluir:
- atividades de rotina e não-rotineiras;
- atividades de todo o pessoal que tem acesso aos locais de trabalho (incluindo subcontratados e visitantes);
- instalações nos locais de trabalho, tanto as fornecidas pela organização como por outros.
A organização deve assegurar que os resultados dessas avaliações e os efeitos desses controles sejam considerados quando
da definição de seus objetivos de SST. A organização deve documentar e manter tais informações atualizadas.
A metodologia da organização para a identificação de perigos e avaliação de riscos deve:
- ser definida com respeito ao seu escopo, natureza e momento oportuno para agir, para assegurar que ela seja proativa ao
invés de reativa;
- assegurar a classificação de riscos e a identificação daqueles que devem ser eliminados ou controlados através de
medidas, conforme definido em 4.3.3 e 4.3.4;
- ser consistente com a experiência operacional e a capacidade das medidas de controle de riscos empregadas;
- fornecer subsídios para a determinação de requisitos da instalação, identificação de necessidades de treinamento e/ou
desenvolvimento de controles operacionais;
- assegurar o monitoramento das ações requeridas, para garantir tanto a eficácia como o prazo de implementação das
mesmas.
NOTA - Para diretrizes adicionais sobre identificação de perigos e avaliação e controle de riscos, ver OHSAS 18002.
4.3.2 Requisitos legais e outros requisitos
A organização deve estabelecer e manter procedimento para identificar e ter acesso à legislação e a outros requisitos de SST
que lhe são aplicáveis.
A organização deve manter essa informação atualizada. Deve comunicar as informações pertinentes sobre requisitos legais e
outros requisitos a seus funcionários e às outras partes interessadas envolvidas.
4.3.3 Objetivos
A organização deve estabelecer e manter objetivos de Segurança e Saúde no Trabalho documentados, em cada nível e função
pertinentes da organização.
NOTA - Os objetivos devem ser quantificados, sempre que praticável,
Versão livre para treinamento 6

Ao estabelecer e revisar seus objetivos, a organização deve considerar os requisitos legais e outros requisitos, seus perigos e
riscos de SST, suas opções tecnológicas, seus requisitos financeiros, operacionais e de negócios, bem como a visão das
partes interessadas. Os objetivos devem ser compatíveis com a política de SST, incluindo o comprometimento com a melhoria
contínua.
4.3.4 Programa(s) de gestão da SST
A organização deve estabelecer e manter programa(s) de gestão da SST para atingir seus objetivos. Esse(s) programa(s)
deve(m) incluir a documentação para:
a) a atribuição de responsabilidade e autoridade em cada função e nível pertinente da organização, visando atingir os
objetivos, e
b) os meios e o prazo dentro do qual os objetivos devem ser atingidos,
O(s) programa(s) de gestão da SST deve(m) ser analisado(s) criticamente em intervalos planejados e regulares. Deve(m) ser
alterado(s), onde necessário, para atender às mudanças nas atividades, produtos, serviços ou condições operacionais da
organização.

4.4 Implementação e operação

Planejamento

Realimentação
Auditoria Implementação da medição do
e Operação desempenho

Verificação e Ação Corretiva

Figura 4 - Implementação e operação

4.4.1 Estrutura e responsabilidade


As funções, responsabilidades e autoridades do pessoal que gerencia, desempenha e verifica atividades que têm efeito sobre
os riscos de SST das atividades, instalações e processos da organização, devem ser definidas, documentadas e comunicadas,
a fim de facilitar a gestão da Segurança e Saúde no Trabalho.
A responsabilidade formal pela SST é da alta administração. A organização deve nomear um membro da alta administração
(por ex.: numa grande organização, um membro da diretoria ou do comitê executivo), com responsabilidade específica para
assegurar que o Sistema de Gestão da SST está adequadamente implementado e atende aos requisitos em todos os locais e
esferas de operação dentro da organização.
A administração deve fornecer os recursos essenciais para a implementação, controle e melhoria do Sistema de Gestão da
SST.
NOTA - Recursos incluem: recursos humanos, qualificações específicas, tecnologia e recursos financeiros.
O representante nomeado pela administração da organização deve ter funções, responsabilidades e autoridades definidas
para:
a) assegurar que os requisitos do Sistema de Gestão da SST sejam estabelecidos, implementados e mantidos de acordo com
esta especificação OHSAS;
b) assegurar que os relatórios sobre o desempenho do Sistema de Gestão da SST são apresentados à alta administração
para análise crítica, e sirvam de base para a melhoria do referido Sistema.

Todos aqueles com responsabilidade administrativa devem demonstrar seu comprometimento com a melhoria contínua do
desempenho da SST.
4.4.2 Treinamento, conscientização e competência
O pessoal deve ser competente para desempenhar as tarefas que possam ter impacto sobre a SST, no local de trabalho. A
competência deve ser definida em termos de educação apropriada, treinamento e/ou experiência.
A organização deve estabelecer e manter procedimentos para assegurar que seus funcionários, trabalhando em cada nível e
função pertinentes, estejam conscientes:
- da importância da conformidade com a política e procedimentos de SST, e com os requisitos do Sistema de Gestão da
Segurança e Saúde no Trabalho;
- das conseqüências de SST, reais ou potenciais, de suas atividades de trabalho, e dos beneficies para sua segurança e
saúde resultantes da melhoria do seu desempenho pessoal,
- de suas funções e responsabilidades em atingir a conformidade com a política e procedimentos de SST, e com os
requisitos do Sistema de Gestão da SST, inclusive os requisitos de preparação e atendimento a emergências (ver 4.4.7);
Versão livre para treinamento 7

- das potenciais conseqüências da Inobservância dos procedimentos operacionais especificados.


Os procedimentos de treinamento devem levar em conta os diferentes níveis de:
- responsabilidade, habilidade e instrução; e
- risco.
4.4.3 Consulta e comunicação
A organização deve ter procedimentos para assegurar que as informações pertinentes de SST são comunicadas para e a partir
dos funcionários e de outras partes interessadas.
As providências para o envolvimento e consulta aos funcionários devem ser documentadas, e as partes interessadas
informadas.
Os funcionários devem ser:
- envolvidos no desenvolvimento e análise crítica das políticas e procedimentos para a gestão de riscos;
- consultados quando existirem quaisquer mudanças que afetem sua segurança e saúde no local de trabalho;
- representados nos assuntos de segurança e saúde; e
- informados sobre quem é(são) seu(s) representante(s) nos assuntos de SST, e sobre o representante nomeado pela
administração (ver 4.4.1).

4.4.4 Documentação
A organização deve estabelecer e manter informações, em papel ou em meio eletrônico, para:
a) descrever os principais elementos do sistema de gestão e a interação entre eles; e
b) fornecer orientação sobre a documentação relacionada.
NOTA - É importante que a documentação seja retida pelo período de tempo mínimo requerido, para eficácia e eficiência.

4.4.5 Controle de documentos e de dados


A organização deve estabelecer e manter procedimentos para o controle de todos os documentos e dados exigidos por esta
especificação OHSAS, para assegurar que:
a) possam ser localizados;
b) sejam periodicamente analisados, revisados quando necessário e aprovados, quanto à sua adequação, por pessoal
autorizado;
c) as versões atualizadas dos documentos e dados pertinentes estejam disponíveis em todos os locais onde são executadas
operações essenciais ao efetivo funcionamento do Sistema de Gestão da SST;
d) documentos e dados obsoletos sejam prontamente removidos de todos os pontos de emissão e uso ou, de outra forma,
garantidos contra o uso não intencional;
e) documentos e dados arquivados, retidos por motivos legais e/ou para preservação de conhecimento, sejam
adequadamente identificados.
4.4.6 Controle operacional
A organização deve identificar aquelas operações e atividades associadas aos riscos identificados, onde as medidas de
controle necessitam ser aplicadas. A organização deve planejar tais atividades, inclusive manutenção,. de forma a assegurar
que sejam executadas sob condições específicas através
a) do estabelecimento e manutenção de procedimentos documentados, para abranger situações onde sua ausência possa
acarretar desvios em relação à política de SST e aos objetivos;
b) da estipulação de critérios operacionais nos procedimentos;
c) do estabelecimento e manutenção de procedimentos relativos aos riscos identificados de SST, de bens, equipamentos e
serviços adquiridos e/ou utilizados pela organização, e da comunicação dos procedimentos e requisitos pertinentes a serem
atendidos por fornecedores e contratados;
d) do estabelecimento e manutenção de procedimentos para o projeto de locais de trabalho, processos, instalações,
equipamentos, procedimentos operacionais e organização do trabalho, incluindo suas adaptações às capacidades
humanas, de forma a eliminar ou reduzir os riscos de SST na sua fonte.
4.4.7 Preparação e atendimento a emergências
A organização deve estabelecer e manter planos e procedimentos para identificar o potencial e atender a incidentes e
situações de emergência, bem como para prevenir e reduzir as possíveis doenças e lesões que possam estar associadas a
eles.
A organização deve analisar criticamente seus planos e procedimentos de preparação e atendimento a emergências, em
particular após a ocorrência de incidentes ou situações de emergência.
Versão livre para treinamento 8

A organização deve também testar periodicamente tais procedimentos, onde exeqüível.

4.5 Verificação e ação corretiva

Implementação e Operação

Realimentação
Auditoria Verificação e
da medição do
Ação Corretiva
desempenho

Análise Crítica pela


Administração

Figura 5 - Verificação e ação corretiva

4.5.1 Monitoramento e mensuração do desempenho


A organização deve estabelecer e manter procedimentos para monitorar e medir, periodicamente, o desempenho da SST.
Esses procedimentos devem assegurar:
- medições qualitativas e quantitativas, apropriadas às necessidades da organização;
- monitoramento do grau de atendimento aos objetivos de SST da organização;
- medidas pró-ativas de desempenho que monitorem a conformidade com os requisitos do(s) programa(s) de gestão da
SST, com critérios operacionais, e com a legislação e regulamentos aplicáveis;
- medidas reativas de desempenho para monitorar acidentes, doenças, incidentes (incluindo quase-acidentes) e outras
evidências históricas de deficiências no desempenho da SST;
- registro de dados e resultados do monitoramento e mensuração, suficientes para facilitar a subseqüente análise da ação
corretiva e preventiva.
Se for requerido equipamento para o monitoramento e mensuração do desempenho, a organização deve estabelecer e manter
procedimentos para a calibração e manutenção de tal equipamento. Os registros das atividades e dos resultados da calibração
e manutenção devem ser retidos.
4.5.2 Acidentes, incidentes, não-conformidades e ações corretivas e preventivas
A organização deve estabelecer e manter procedimentos para definir responsabilidade e autoridade para:
a) tratar e investigar:
- acidentes;
- incidentes;
- não-conformidades.

b) adotar medidas para reduzir quaisquer conseqüências oriundas de acidentes, incidentes ou não-conformidades;
c) iniciar e concluir ações corretivas e preventivas;
d) confirmar a eficácia das ações corretivas e preventivas adotadas.
Esses procedimentos devem requerer que todas as ações corretivas e preventivas propostas devem ser analisadas
criticamente durante o processo de avaliação de riscos, antes da implementação.
Qualquer ação corretiva ou preventiva adotada para eliminar as causas das não-conformidades, reais e potenciais, deve ser
adequada à magnitude dos problemas e proporcional ao risco de SST verificado.
A organização deve implementar e registrar quaisquer mudanças nos procedimentos documentados, resultantes de ações
corretivas e preventivas.
4.5.3 Registros e gestão de registros
A organização deve estabelecer e manter procedimentos para a identificação, manutenção e descarte de registros de SST,
bem como dos resultados de auditorias e análises críticas.
Os registros de SST devem ser legíveis e identificáveis, permitindo rastrear as atividades envolvidas. Tais registros devem ser
arquivados e mantidos de forma a permitir sua pronta recuperação, sendo protegidos contra avarias, deterioração ou perda. O
período de retenção deve ser estabelecido e registrado.
Os registros devem ser mantidos, conforme apropriado ao sistema e à organização, para demonstrar conformidade aos
requisitos desta especificação OHSAS.
Versão livre para treinamento 9

4.5.4 Auditoria
A organização deve estabelecer e manter um programa e procedimentos para auditorias periódicas do Sistema de Gestão da
SST a serem realizadas de forma:
a) determinar se o Sistema de Gestão da SST:
1) está em conformidade com as disposições planejadas para a gestão da SST, inclusive os requisitos desta especificação
OHSAS;
2) foi devidamente implementado e está sendo mantido; e
3) é eficaz no atendimento à política e aos objetivos da organização;
b) analisar criticamente os resultados de auditorias anteriores;
c) fornecer à administração informações sobre os resultados das auditorias.
O programa de auditoria da organização, incluindo qualquer cronograma, deve basear-se nos resultados das avaliações de
riscos das atividades da organização, e nos resultados de auditorias anteriores. Os procedimentos de auditorias devem
considerar o escopo da auditoria, a freqüência, as metodologias e as competências, bem como as responsabilidades e
requisitos relativos à condução de auditorias e à apresentação dos resultados.
Sempre que possível, as auditorias devem ser conduzidas por pessoal independente daquele que tem responsabilidade direta
pela atividade que está sendo examinada.
NOTA - A palavra "independente", neste caso, não significa necessariamente externo à organização.

4.6 Análise crítica pela administração

Verificação e ação corretiva

Fatores Análise Crítica


Fatores
internos Pela
externo
Administração

Política

Figura 6 - Análise crítica pela administração

A alta administração da organização, em intervalos por ela pré-determinados, deve analisar criticamente o Sistema de Gestão
da SST, para assegurar sua conveniência, adequação e eficácia contínuas. O processo de análise crítica deve assegurar que
as informações necessárias sejam coletadas, de modo a permitir à administração proceder a essa avaliação. A referida
análise crítica deve ser documentada.
A análise crítica pela administração deve abordar a eventual necessidade de alterações na política, objetivos e outros
elementos do Sistema de Gestão da SST, à luz dos resultados de auditorias do mencionado Sistema, da mudança das
circunstâncias e do comprometimento com a m
Versão livre para treinamento 10

Anexo A
(informativo)
Correspondência entre OHSAS 18001, ISO 14001:1996 e ISO 9001:1994
Seção OHSAS 118001 Seçã ISO 14001:1996 Seção ISO 9001:1996
o
1 Objetivo e campo de aplicação 1 Objetivo e campo de aplicação 1 Objetivo e campo de aplicação
2 Publicações de referência 2 Referências normativas 2 Referências normativas
3 Termos e definições 3 Definições 3 Definições
4 Elementos do Sistema de 4 Requisitos do sistema de gestão 4 Requisitos do sistema da qualidade
Gestão de SST ambiental
4.1 Requisitos gerais 4.1 Requisitos gerais 4.2.1 Generalidades (I' sentença)
4.2 Política de SST 4.2 Política ambiental 4.1.1 Política da qualidade
4.3 Planejamento 4.3 Planejamento 4.2 Sistema da qualidade
4.3.1 Planejamento para identificação 4.3.1 Aspectos ambientais 4.2 Sistema da qualidade
de perigos e avaliação
e controle de riscos
4.3.2 Requisitos legais e outros 4.3.2 Requisitos legais e outros ---- ----------------------------------------------
requisitos requisitos
4.3.3 Objetivos 4.3.3 Objetivos e metas 4.2 Sistema da qualidade
4.3.4 Programa(s) de gestão da 4.3.4 Programa(s) de gestão 4.2 Sistema da qualidade
SST ambiental
4.4 Implementação e operação 4.4 Implementação e operação 4.2 Sistema da qualidade
4.9 Controle de processo
4.4.1 Estrutura e responsabilidade 4.4.1 Estrutura e responsabilidade 4.1 Responsabilidade da administração
4.1.2 Organização
4.4.2 Treinamento, conscientização e 4.4.2 Treinamento, conscientização e 4.18 Treinamento
competência competência
4.4.3 Consulta e comunicação 4.4.3 Comunicação ---- ------------------------------------------------
4.4.4 Documentação 4.4.4 Documentação do sistema de 4.2.1 Generalidades (sem I' sentença)
gestão ambiental
4.4.5 Controle de documentos e de 4.4.5 Controle de documentos 4.5 Controle de documentos e de dados
dados
4.4.6 Controle operacional 4.4.6 Controle operacional 4.2.2 Procedimentos do sistema da qualidade
4.3 Análise crítica de contrato
4.4 Controle de projeto
4.6 Aquisição
4.7 Controle de produto fornecido pelo cliente
4.8 Identificação e rastreabilidade do produto
4.9 Controle de processo
4.15 Manuseio, armazenamento, embalagem,
preservação e entrega
4.19 Serviços associados
4.20 Técnicas estatísticas
4.4.7 Preparação e atendimento a 4.4.7 Preparação e atendimento a ---- ------------------------------------------
emergências emergências
4.5 Verificação e ação corretiva 4.5 Verificação e ação corretiva ---- ------------------------------------------
4.5.1 Monitoramento e mensuração do 4.5.1 1 Monitoramento e medição 4.10 Inspeção e ensaios
desempenho 4.11 Controle de equipamentos de inspeção,
medição e ensaios
4.12 Situação de inspeção e ensaios
4.5.2 Acidentes, incidentes, 4.5.2 Não-conformidade e ações 4.13 Controle de produto não-conforme
não-conformidades e corretiva e preventiva 4.14 Ações corretiva e preventiva
ações corretivas e preventivas
4.5.3 Registros e gestão de registros 4.5.3 Registros 4.16 Controle de registros da qualidade
4.5.4 Auditoria 4.5.4 Auditoria do sistema de gestão 4.17 Auditorias internas da qualidade
ambiental
4.6 Análise crítica pela administração 4.6 Análise crítica pela administração 4.1.3 Análise crítica pela administração
Versão livre para treinamento 11

Bibliografia

ISO/IEC Guide 2:1996 - Standartization and relate activities - General vocabulary. -


NBR ISO 9OOl:l994 Sistemas da qualidade Modelo para garantia da qualidade em projeto, desenvolvimento, produção,
instalação e serviços associados.
NBR ISO 14001:1996 - Sistemas de gestão ambiental - Especificação e diretrizes para uso.
NBR ISO 14004:1996 - Sistemas de gestão ambiental - Diretrizes gerais sobre princípios, sistemas e técnicas de apoio
NBR ISO 14010:1996 - Diretrizes para auditoria ambiental - Princípios gerais.
NBR ISO 14011:1996 - Diretrizes para auditoria ambiental - Procedimentos de auditoria – Auditoria de sistemas de gestão
ambiental.
NBR ISO 14012: 1996 - Diretrizes para auditoria ambiental - Critérios de qualificação de auditores ambientais.