Você está na página 1de 1

BOLETIM OPERÁRIO

Caxias do Sul, 30 de março de 2019 | Edição nº 539

A Opinião Pública A Opinião Pública


Pelotas, 09 de março de 1911. Pelotas, 11 de março de 1911.
Edição 56 – Ano XVI Edição 58 – Ano XVI
Capa Pelotas, segundo dizem os jornais acaba de fazer Capa
Noticiário voz comum nessa campanha pacifica da limitação Noticiário
A questão das 8 horas das horas de trabalho. Sob vários pontos de vista, As 8 horas
O operariado de hoje vai reconhecendo seu essa regulamentação é vantajosa não só para o A Comissão de Operários organizada para a
poderio e, ao mesmo tempo que vai tomando esse operariado, como também para o patrão. Não se entrega de circulares no sentido de obter-se as 8
conhecimento de si mesmo e das suas energias, julgue que em 10 ou mais horas de trabalho se horas de trabalho diário, e que, conforme
entra num caminho vasto de reivindicações consiga maior produto, porquanto, após um certo noticiamos, iniciou ontem a sua missão, já conta
sociais. A situação, porém, do operário tende a limite, o trabalho notadamente o produzido nas com apoio dos seguintes mestres e proprietários:
melhorar – o que constitui uma aspiração bastante últimas horas, não pode ser expoente de grande Francisco de Assis Oliveira (mestre pintor)
nobre. O movimento que ora se manifesta no Rio energia física, dadas as condições precárias do José Lipnilk J. Casanova (ferrador)
Grande do Sul tem a sua justificativa na organismo fatigado. O trabalho consciencioso, Narciso Ferreira (fabrica de carruagens)
concessão do direito. É verdade que, em Pelotas, regularizado e bem divido, terá melhor lucro, Francisco Geraldo da Silva (mecânico)
apenas começou a se esboçar, levemente, como apesar de parecer o contrário. Além disso, o Juvenal Mallmann (mecânico)
uma promessa dúbia, o protesto calmo das patrão deve estar cada vez mais convencido de Antonio Lassimo dos Santos (mestre construtor)
consciências proletárias, enquanto nas outras que o operário é o seu elemento. Se o operário Rodrigues & C. (construtores)
principais cidades do Estado já se tenha feito precisa do patrão, que garante o trabalho pela Jeremias Nogueira Soares (mecânico)
sentir brilhantes resultados. O Brasil, dadas às manutenção das fábricas, doutro lado, o patrão Ulysses Simone (mecânico)
condições de rara população, não possui necessita do braço proletário. É um auxilio mutuo. Como noticiamos, realiza-se amanhã uma reunião
movimentos fortes de greve geral, pela simples Ora, esse auxilio mutuo traz inegáveis vantagens do operariado em geral, na sociedade União
razão de não termos ainda a necessária expansão para o patrão que, as mais das vezes, desconhece Operária.
industrial que fomenta esses movimentos. Nos qual o elemento que trabalha dentro das suas
países europeus ou mesmo na América do Norte, oficinas. O operário é um indivíduo que não se
o operariado tem na abundancia das industrias e pode chegar ao patrão, dele está separado por
na concorrência uma grande dificuldade de uma hierarquia perniciosa. A autoridade, dele
trabalho, ligada a carestia da vida dos centros patrão, chega ao operário, depois de ter
Está terminada a greve dos pedreiros e
populosos. Ao mesmo tempo, porém, ele constitui atravessado a espessa camada de empregados
carpinteiros de Bagé. A maioria dos empreiteiros
um elemento forte cuja renuncia ao trabalho subalternos, de sorte que, uma ordem emanada
e construtores cederam as reclamações dos
exorbitante acarreta gravíssimos prejuízos ao do primeiro, só atingirá os últimos, depois de
operários, consentindo em adotar o horário por
comercio. No Brasil, essa falta de indústrias traz a modificada e adulterada pelo temperamento, às
eles exigido. Os serviços foram reencetados em
falta da concorrência, ligada aqui há uma certa e vezes, bilioso ou mais rancoroso, dos outros
todas as obras.
relativa facilidade de vida. Contudo, certas empregados. É claro e é necessário que do lado
conquistas do operariado dos países industriais do proletariado, ora em atividade, deve existir uma
não devem ficar sem eco. É o que, infelizmente ideia pacifica e um procedimento calmo e ordeiro.
parecia acontecer. Agora, porém, um gesto nobre Do mesmo modo, é necessária a mesma atenção
e enérgico de um proletariado, como o de Porto por parte dos patrões, bem como das autoridades.
Alegre, foi o ponto de partida de movimentos Sem esse procedimento de todas essas três
congêneres em outros pontos do Estado. partes, tudo poderá descambar para o terreno
ingrato das represálias e das violências, sucessos
lamentáveis, que, esperamo-lo de coração, não se
realizarão. Ao movimento operário pelotense, aqui
deixamos os nossos votos de feliz sucesso. Léo

OPERARIO.BOLETIM@GMAIL.COM

/BoletimOperario /BoletimOperario /BoletimOperario