Você está na página 1de 3

50 FUNDAMENTOSDEGEOLOGIA

Introdução
As espécies minerais mais conhecidas do mundo, como o Diamante Hope ou as jóias
da coroa da rainha Elizabeth II da Inglaterra, são todas pedras preciosas. Para se qualificar
como gema, um mineral deve ser profundamente atraente por alguma razão, A qualidade mais
desejável é a beleza, mas o brilho, a durabilidade e a escassez também são importantes, Uma
cor intensa é fundamental para muitas pedras preciosas. Os diamantes, no entanto, são quase
incolores, mas são valorizados pelo seu brilho.

Um diamante natural ou "bruto" pode ser lapidado por meio de vários processos. Mas
isso não é um processo simples - como produzir um bloco de madeira - porque o diamante é a
substancia mais dura da Terra. Além disso, 0 diamante possui quatro planos internos de
fraqueza ou planos de clivagem. No entanto, se ele for clivado perfeitamente ao longo desses
planos, resultará em uma "pedra” com formato de duas pirâmides unidas pelas bases.
Diamantes grandes são geralmente cortados em peças menores, utilizando-se lâminas de serra
incrustadas de diamante ou polidos com pó de diamante, para adquirir o seu formato final
como gema.

0 valor de um diamante é determinado pela avaliação de sua cor, transparência (falta


de defeitos internos) e peso, que é medido em quilates (l quilate 200 miligramas), 0 diamante
VICtoria Transvaalf, oriundo da África do Sul, que está no Instituto Smithsoniano, pesa 68
quilates, e o diamante azul mais famoso do mundo, o Dia- mante Hope, pesa 45,5 quilates,

Estamos usando o termo mineral sem tê-lo, ainda, definido. 0 termo é usado de várias
maneiras na vida cotidiana - por exemplo, como a designação de substâncias essenciais na
dieta para uma boa nutrição, tais como cálcio, ferro, potássio e magnésio. Esses são, na
realidade, elementos químicos e não minerais no sentido geológico, para os geólogos, mineral
é um sólido cristalino inorgânico que ocorre na natureza (I Figura l). A palavra cristalino
significa que os minerais têm um arranjo interno ordenado de átomos. Os minerais têm
também uma composição química bem definida e propriedades físicas características, tais
como cor, dureza e densidade. Mais tarde examinaremos cada elemento dessa definição.

MATÉRIA SÓLIDA
A matéria é definida como algo que tem ocupa espaço. Portanto, a água, as plantas, os
animais, a atmosfera, os minerais e rochas são compostos de matéria. As três fases, ou
estados, da matéria são sólidos, gasoso, todos os quais são importantes na geologia. Líquidos
como a água da superfície e água subterrânea, assim como os gases da atmosfera, são
importantes agentes geológicos que discutiremos em capítulos posteriores. Aqui, estamos
interessados principalmente em sólidos porque, por definição, os minerais são sólidos.

Elementos e átomos
Essa discussão sobre minerais começa com a consideração sobre os elementos e átomos. Toda
matéria é constituída de elementos químicos, cada ura dos quais é composto de minúsculas
partículas chamadas de átomos. Os átomos, as menores unidades da matéria que detêm as
características de um elemento particular, não podem ser subdivididos em substâncias de
composições diferentes. Noventa e dois elementos, que ocorrem naturalmente, foram
descobertos e alguns deles estão listados na Tabela 3.1. Outros elementos têm sido
produzidos em laboratórios (ver a tabela periódica de elementos no Apêndice B).

Todos os elementos que ocorrem na natureza, e também aqueles artificialmente


produzidos, têm um nome e um símbolo, tais como oxigênio (0), alumínio (AI) potássio (K), No
centro de um átomo fica um pequeno núcleo composto de uma ou mais partículas conhecidas
como prótons, com uma carga elétrica positiva, e que são eletricamente neutros (1 Figura 32).
O núcleo tem cerca de somente 1/100.000 do diâmetro de um átomo, ainda que contenha
virtualmente toda a massa do átomo. Os elétrons, partículas com uma carga negativa orbitam
em grande velocidade ao redor do núcleo em distâncias determinadas em uma ou mais
órbitas. Os elétrons determinam como um átomo interage com outros átomos. O núcleo
determina quantos elétrons um átono tem, porque os prótons positivamente carregados
seguram em suas órbitas.

O número de prótons no núcleo determina a identidade de um átomo e seu número


Atômico. O hidrogênio (H), por exemplo, tem um próton no núcleo e, portanto, tem
número atômico 1. 0 núcleo dos átomos de hélio (He) possui 2 prótons, enquanto os de
carbono (C) possui 6 e o de urânio (U) possui 92, portanto, seus números atômicos são
2, 6 e 92, respectivamente. Os átomos também são caracterizados pelo número de sua
massa atômica, que é a soma de prótons e nêutrons no núcleo (os elétrons contribuem
com muita pouca massa para o átomo). Entretanto, átomos do mesmo elemento químico
podem ter diferentes números de massa atômica porque o número de nêutrons pode variar,
Todos os átomos de carbono (C) possuem 6 prótons de outro modo eles não seriam carbono,
mas o número de nêutrons pode ser 6, 7 ou 8. Portanto, reconhecemos três tipos de
carbono que são conhecidos como isótopos, cada um com um número diferente de massa
atômica (z Figura 3,3).

Os isótopos de carbono, DII c; de qualquer outro elemento, comportam»se


quimicamente
do mesmo modo, Por exemplo, o carbono 12 e o carbono 14 estão presentes no dióxido de
carbono (COI), No entanto, algu11S isótopos são radioativos, o que significa que, espontanea-
mente, eles decaem ou mudam para outros elementos estáveis; o carbono 14 é radioativo,
enquanto o carbono 12 e 0 13 são estáveis,
Núcleo
(Cdbcno 12)
6p
(Carbono 14)
Figura 3.3
Representações esque
máticas dos isótopos de
carbono. 0 carbono tem
um número atómico de
6 eum número de massa
atomica de 12, 13 ou 14,
dependendo do número
de nêutrons (n) em seu
núcleo,
(Carbono IC)
A interação dos elétrons ao redor dos átomos pode resultar na união de dois ou mais átoraos,
um processo conhecido corno ligação química, Se os átomos de dois CII mais elementos dife
rentes se ligarem, a substância resultante será um composto. Oxigênio gasoso consistindo em
apenas átomos de oxigênio é, portanto, um elemento, enquanto o mineral quartzo, composto
de átomos de silício e oxigênio, é um composto. A maior parte dos minerais são compostos,
embora ouro, prata e vários outros sejam exceções importantes,
Para entender a ligação química, é necessário buscar aprofundapse na estrutura dos
átomos. Lembre,se de que os elétrons negativamente carregados circundara os núcleos
dos átomos nas órbitas.Com exceção do hidrogênio, que tern somente um próton e um elé-
tron, as órbitas atômicas mais internas contêm somente dois elétrons. Oilttas órbitas contêm
vários números de elétrons, ma; a órbita mais externa é aquela que geralmente é envolvida
na ligação química,
Dois tipos de ligações químicas, iônica e cova!ente, são particularmente inportantes etn
minerais, e muitos minerais contêm ambos os tipos de ligações. Dois outros tipos de ligação
química, metálica e van der Waals, são muito menos comuns, mas extremamente importantes
na determinação das propriedades de a131ns minerais,
Ligação iônica Observe na Tabela que a maioria dos ,átomos tern menos que oito elé
trons em sua órbita mais externa. Alguns poucos elementos, tais como o neônio e o argônio,
têm as órbitas exteriores completas com oito elétrons, Por causa dessa configuração de elé
trons, esses elementos, conhecidos como gases nobres, não reagem prontamente com outros
elementos para formar compostos químicos. As interações entre átomos tendem a produzir
configurações de eléfrons similares àquelas dos gases nobres. Isto é, os átomos interagem
de maneira que a órbita mais externa seja preenchida com oito elétrons, A exceção ocorre
quando a pr'me'ra órbita .com dois elétrons) é também a órbita mais externa do {tomo,
como no caso do hélio,
elétrons de um átomo para outro, O sal comum é composto dos elementos sódio (Na) e cloro
(Cl), Ambos são venenosos mas, quando combinados quimicamente, forma:tl o composto
cloreto de sódio (NaCl) que é, também, o mineral halita, Observe na 1 Figura 14a que o sódio
possui 11 prótons e II elétrons. Portanto, as cargas elétricas positivas dos prótcns são balan•
ceadas, exatamente, pelas cargas negativas dos elétrons e o átomo é eletricamente neutro, Da
mesma maneira, o cloro com 17 prótons e 17 elétrons é eletricamente neutro (I Figura
Mas nem sódio nem cloro possuem oito elétrons em sua órbita mais externa, 0 sódio possui
apenas um, enquanto 0 cloro possui sete. Para alcançar a configuração estável, o sódio perde
o elétron de sua órbita mais extema. A órbita anterior, que tinha oito elétrons, é agora a sua
órbita mais externa (n Figura 3,4a), 0 sódio agora possui um elétron a menos (carga negativa)
do que os prótons (carga positiva), de modo que é um íon eletrica(lente carregado, simbo-
lindo como Na+l.
O elétron perdido pelo sódio é transferido para a órbita Inais externa do cloro que,
ginalmente, possuía sete elétton;. Esse acréscimo de urn elétcon dá ao cloro uma órbita mais
externa de oito elétrons, a configuração de um gás nobre, Mas, agora, seu Illímero total de
elétrons é 18, o que excede etn I o número de prótons, Da mena forma, o cloro também
se toma um (on, mas é negativamente carregado (Cl'l), Uma ligação iônica forma-se entre
sódio e cloro em razão da força de atração entre o íon de sódio, positivamente carregado, e o
negativamente carregado [on de cloro (n Figllra 3 4a).