Você está na página 1de 3

CANCRO COLO-RECTAL

O cancro do cólon e/ou do recto é, também, chamado cancro colo-rectal. O cancro colo-rectal é um dos
tipos de cancro mais comum nos homens (tal como o cancro da pele, próstata e pulmão) e nas mulheres
(tal como o cancro da pele, pulmão e mama).

Os investigadores continuam a estudar o cancro colo-rectal, para saberem mais sobre a doença; estão a
tentar descobrir as suas causas e a explorar novos modos de o prevenir, detectar e tratar.

CANCRO DA BEXIGA

Nos Estados Unidos, são diagnosticados anualmente 38.000 casos de cancro da bexiga em homens e
15.000 em mulheres. Este é o quarto tipo de cancro mais frequente nos homens e o oitavo nas mulheres.

Aqui serão abordadas as possíveis causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e reabilitação, e ainda
informação destinada a ajudar os doentes a enfrentar e a viver com o cancro da bexiga.

A investigação desenvolvida tem vindo a aumentar o conhecimento sobre o cancro da bexiga. As suas
causas e novas formas de prevenção, detecção, diagnóstico e tratamento são cada vez mais conhecidas.
Graças à investigação, as pessoas que sofrem de cancro da bexiga têm hoje uma melhor qualidade de
vida e a probabilidade de virem a falecer vítimas da doença é cada vez menor.

CANCRO DA MAMA
O cancro da mama é o tipo de cancro mais comum entre as mulheres (não considerando o cancro da
pele), e corresponde à segunda causa de morte por cancro, na mulher.

Em Portugal, anualmente são detectados cerca de 4500 novos casos de cancro da mama, e 1500
mulheres morrem com esta doença.

O cancro da mama é uma das doenças com maior impacto na nossa sociedade, não só por ser muito
frequente, e associado a uma imagem de grande gravidade, mas também porque agride um órgão cheio
de simbolismo, na maternidade e na feminilidade.

Neste capítulo, poderá encontrar informação importante sobre o cancro da mama. Serão abordadas as
causas possíveis, o rastreio, sintomas, diagnóstico, tratamento, e recuperação. Contém, ainda,
informação para ajudar as mulheres com cancro da mama a lidarem com a doença.

CANCRO DA PELE NÃO-MELANOMA

O cancro de pele tem origem nas células, a unidade básica do organismo. Normalmente, as células da
pele crescem e dividem-se para dar lugar a novas células. Diariamente, as células da pele envelhecem e
morrem e são substituídas por novas células. Por vezes, este processo sistemático corre mal, formando-
se novas células sem que a pele tenha necessidade delas, e sem que as células envelhecidas morram
quando deviam. Este excesso de células pode formar uma massa de tecido designada por neoplasia ou
tumor.

CANCRO DA PRÓSTATA
Em Portugal, o cancro da próstata é o tipo de cancro mais importante e frequente no homem (superior ao
cancro da pele) .
Iremos abordar possíveis factores de risco, sintomas, diagnóstico e tratamento, bem como informação
para ajudar a pessoa a lidar com o cancro da próstata.

A investigação constante, numa área de intervenção tão importante como o cancro da próstata é,
inquestionavelmente, necessária. Estão a ser estudadas novas formas de o prevenir, detectar e tratar,
tendo sempre em atenção a melhoria da qualidade de vida das pessoas com cancro da próstata, durante
e após o tratamento.

CANCRO DO CÉREBRO
Aqui poderá encontrar informações importantes sobre tumores cerebrais: possíveis causas, sintomas,
diagnóstico, tratamento e cuidados de acompanhamento. Encontrará ainda informações destinadas a
ajudar os doentes a lidar com tumores cerebrais.

CANCRO DO COLO DO ÚTERO


O colo do útero faz parte do aparelho reprodutor feminino. É a parte inferior e mais estreita do útero
(“ventre”). O útero é um órgão oco, em forma de pêra, situado no abdómen inferior. O colo do útero liga o
útero à vagina que, por sua vez, conduz ao exterior do corpo.

O canal cervical é uma passagem. O sangue é libertado do útero e passa através do canal até à vagina,
durante o período menstrual da mulher. O colo do útero também produz muco , que ajuda os
espermatozóides a deslocarem-se desde a vagina até ao útero. Durante a gravidez, o colo do útero
contrai-se para ajudar a manter o bebé no interior do útero. Durante o parto, o colo do útero abre-se
(dilatação) para permitir a passagem do bebé através da vagina.

CANCRO DO ESTÔMAGO
A investigação constante, numa área de intervenção tão importante como o cancro do estômago é,
inquestionavelmente, necessária; cada vez se sabe mais sobre as suas causas, sobre a forma como se
desenvolve e cresce, ou seja, como progride. Estão também a ser estudadas novas formas de o prevenir,
detectar e tratar, tendo sempre em atenção a melhoria da qualidade de vida das pessoas com cancro do
estômago, durante e após o tratamento.

CANCRO DO OVÁRIO
Quando o cancro atinge outra zona do organismo, a partir do seu local de origem, o novo tumor tem o
mesmo tipo de células e o mesmo nome do tumor de origem. Por exemplo, se o cancro do ovário
metastizar para o fígado, as células cancerígenas existentes no fígado serão, na realidade, células
cancerígenas do ovário. Será um cancro do ovário metastizado, e não cancro do fígado. Por essa razão,
é tratado como cancro do ovário e não como cancro do fígado. Os médicos chamam ao novo tumor
doença “à distância” ou metastizada.

CANCRO DO PULMÃO
O cancro do pulmão é dos tipos de cancro mais frequentes.

O diagnóstico de cancro do pulmão, levanta muitas questões, para as quais é necessário haver
respostas, claras e perceptíveis.

A investigação constante, numa área de intervenção tão importante como o cancro do pulmão é,
inquestionavelmente, necessária; cada vez se sabe mais sobre as suas causas, sobre a forma como se
desenvolve e cresce, ou seja, como progride. Estão, também, a ser estudadas novas formas de o
prevenir, detectar e tratar, tendo sempre em atenção a melhoria da qualidade de vida das pessoas com
cancro, durante e após o tratamento.

TRABALHO REALIZADO POR: Márcio Samuel Pinto Alves.