Você está na página 1de 5

Colunas inabaláveis

Para que, se eu tardar, fiques ciente de como se deve proceder na casa


de Deus, que é a igreja do Deus vivo, coluna e baluarte da verdade. I
Tm. 3:15
Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais
sairá; gravarei também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da
cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte
do meu Deus, e o meu novo nome. Ap. 3:12.
A vontade de Deus é que sejamos colunas que sustentam a obra.
Cristo é o alicerce, a pedra angular, mas Deus levanta muitas colunas. Se as colunas caem a
obra sofre perda.
Portanto, a vontade de Deus que é sejamos inabaláveis.
Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um
espírito inabalável. Sl. 51:10
Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre
abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso
trabalho não é vão. I Cor. 15:58
Em primeiro lugar precisamos ter uma atitude firme de bom ânimo. Não podemos ser
inconstantes, dúbios e exitantes. Precisamos olhar firmemente para o Senhor e ignorar a força dos
ventos contrários. Essa é uma atitude de um espírito inabalável.
Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela
qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor.
Hb. 12:28
Nós somos parte de uma reino inabalável. Mas a forma de permanecermos inabaláveis é
retendo a graça pela qual servimos a Deus. A obra de Deus é feita por meio da graça, do favor
imerecido.
E tudo isso fazemos com reverência e temor. Ter temor não é ter medo de Deus, mas ficar
maravilhado diante da sua bondade e amor.
Os que confiam no SENHOR são como o monte Sião, que não se abala,
firme para sempre. Sl. 125:1
Os que confiam no Senhor estão no monte Sião. Hebreus 12 nos mostra a diferença entre
Sião e Sinai, graça e lei. Se permanecermos na se graça seremos inabaláveis.
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no
dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Ef.
6:13
Paulo diz que precisamos estar vestidos da armadura para podermos permanecer inabaláveis.
Cada peça da armadura é um aspecto da verdade do evangelho. Quando nossa fé é correta nós não
podemos ser abalados.
Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da
couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz;
embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos
os dardos inflamados do Maligno. Tomai também o capacete da
salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda
oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando
com toda perseverança e súplica por todos os santos. Ef. 6:14-18
Quando nós tomamos toda a armadura de Deus nós permanecemos inabaláveis. Assim tomar
a armadura de Deus não é um algo pequeno e sem importância, mas trata-se de algo vital no
ministério.
Sei que a imagem da armadura é algo bem prático, mas não devemos pensar nela como algo
místico. Cada peça da armadura aponta para um aspecto do evangelho. Trata-se, portanto de algo
doutrinário. Quando cremos corretamente estamos usando a armadura. Quando a fé está errada em
qualquer desses nós nos tornamos abaláveis.
Todas as partes da armadura está relacionada com a Nova Aliança. Não há nada aqui do Velho
Testamento da lei. Aqueles que possuem uma fé errada e ainda segundo a lei do merecimento,
tornam-se vulneráveis aos ataques do maligno. Os ataques com dardos inflamados virão sobre todos
nós, mas aqueles que possuem uma armadura correta permanecem inabaláveis.

Cingindo-vos com a verdade


Cingir significa usar uma cinta ou um cinto. A verdade é o evangelho. O Senhor disse aos
fariseus: “e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo. 8:32). O fariseus conheciam a lei e
mesmo assim não eram livres, assim a verdade não é a lei.
Paulo chama o evangelho de “a verdade do evangelho” em Gálatas 2:14. A verdade do
evangelho é uma cinta.
Os soldados usavam um cinto de couro onde eles prendiam a espada ou pequenas adegas.

Vestindo-vos da couraça da justiça


A couraça era para proteger o peito. As setas malignas visam a tingir o coração com
condenação e acusação. I João 3:20-21 diz que percebemos a acusação no coração. Uma vez que o
coração é atingido com condenação teremos dificuldade de ter comunhão com o Senhor, por isso é
vital estar vestido com a couraça da justiça.
O que é essa justiça? Certamente não é a justiça da obediência aos mandamentos da lei. É a
justiça da fé. É a justiça de Cristo que recebemos com um dom.
Precisamos declarar continuamente somos justiça de Deus em Cristo Jesus. Nunca se achegue
ao Pai confiado em algum merecimento, mas sempre chegue confiado no Cordeiro.
E ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, senão a
que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada
na fé. Fl 3:9
Mesmo quando você falhar declare ousadamente: “Eu sou justiça de Deus em Cristo”. Seja
consciente de sua justiça pela fé.

Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz


Os pés aqui apontam para o fundamento, a firmeza no combate. O que lhe dá essa firmeza? É
a paz de Deus que excede todo entendimento. É a paz que temos por causa da verdade do
evangelho de que todos os nossos pecados foram perdoados e todas as nossas dívidas foram
quitadas diante de Deus.
Esse é o evangelho da paz. Ele não depende de você, mas depende de Cristo. Não se trata do
quão mal somos nós, mas do quão bom ele é. Não depende do quanto você é fiel, do quanto ele é
Fiel. Não depende da sua obediência, mas da obediência de Cristo.
É por isso que Paulo diz precisamos trazer todo pensamento cativo à obediência de Cristo.
Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em
Deus, para destruir fortalezas, anulando nós sofismas e toda altivez que
se levante contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo
pensamento à obediência de Cristo. II Cor. 19:4-5
Somente o crente que tem paz com Deus consegue ficar firme de pé no dia da batalha. Não
estou dizendo de paz com os homens, mas paz com Deus. Quando cremos que fomos justificados,
nós temos paz para com Deus (Rm.5:1).
Temos paz porque sabemos que sobre nós não há mais nenhuma condenação. Ninguém pode
sentir paz se ainda viver debaixo de acusação e condenação em sua mente.
Temos paz porque já não temos medo. Provamos o imenso amor do Pai manifestado em sua
graça e esse amor de Deus lança fora todo medo. Quanto mais provamos da graça mais vencemos o
medo e a condenação e assim vivemos em paz.
Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre
todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano. Lc.
10:19

Embraçando sempre o escudo da fé


É por meio do escudo da fé que apagamos os dardos de fogo do maligno. Essas flechas
inflamadas são pensamentos de desqualificação. Todo o tempo o inimigo mostra que não fizemos
isso ou aquilo, que não estamos qualificados que estamos muito distantes do padrão de Deus.
Toda a armadura está relacionada com uma fé correta. É quando cremos corretamente que
podemos resistir o maligno. A fé aqui não é ato de crer, mas o conteúdo da fé. E o conteúdo da
nossa fé é o evangelho da graça, o evangelho da paz, a justificação pela fé.
Amados, quando empregava toda a diligência em escrever-vos acerca da
nossa comum salvação, foi que me senti obrigado a corresponder-me
convosco, exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma
vez por todas foi entregue aos santos. Jd. 1:3
Todas as coisas de Deus são recebidas pela fé, mas o inimigo tenta nos enganar dizendo que
crer não basta, mas que temos antes de obedecer os mandamentos. Somos tentados a ter alguma
justiça própria para assim merecermos o milagre. Esses são os dardos inflamados do maligno.
Todos os milagres do Senhor foram recebidos exclusivamente pela fé. Em nenhum momento
o Senhor exigiu das pessoas uma bom comportamento antes de fazer o milagre. As pessoas
certamente tinham problemas conjugais, ressentimentos e intrigas, mas o Senhor nunca disse para
eles primeiro cumprirem os mandamentos antes de curá-los.

Tomai também o capacete da salvação


A certeza da salvação é um capacete na sua cabeça. No momento em que você duvida da sua
salvação todas as partes da armadura perdem a utilidade.
A Palavra de Deus também fala da esperança da nossa salvação. A esperança bíblica é a
expectativa confiante de que algo bom vai acontecer! Essa esperança descansa no amor do Pai. Se
sabemos que somos amados, então esperamos que coisas boas aconteçam.
Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da
couraça da fé e do amor e tomando como capacete a esperança da
salvação. I Ts. 5:8
Fé no grego é pistis, significa acreditar que você já recebeu a provisão para a sua necessidade
em Cristo, mesmo que você ainda não a veja. A fé sempre crê como já tendo acontecido, mas
esperança no grego é Elpis e fala do futuro. A esperança é a expectativa confiante de que algo bom
está para vir. Porém você não pode ter pistis sem antes cultivar elpis.

Tomai a espada do Espírito


A espada do Espírito é a palavra de Deus. No original palavra aqui é rhema, que significa a
palavra viva liberada a nós pelo Espírito.
Sabemos que a Bíblia é a palavra de Deus. Mas se essa palavra for apenas letras impressas, não
será Espírito e nem espada. A expressão grega para palavra aqui é “Rhema”. O Logos é a palavra
escrita, mas o Rhema é a palavra avivada em nós pelo Espírito.
O Senhor Jesus disse em João 6:63 que “as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são
vida.” Mais uma vez a expressão usada é “rhema”. Isso significa que a palavra instantânea falada a
nós pelo Espírito é que torna-se a espada que destrói o inimigo.
Tudo o que Deus faz ele o faz pela Palavra e pelo Espírito. É da união entre a Palavra e o
Espírito que temos a espada para vencermos o diabo.
A maneira de tomarmos a espada é proferindo a Palavra. Em Apocalipse 12:11, lemos que:
"Eles o venceram por causa do sangue do Cordeiro e por causa da Palavra do Testemunho que deram". Você não
pode derrotar o Diabo com a sua própria força, você precisa da Palavra de Deus.

Orando em todo tempo no Espírito


A maneira como vestimos todas as peças da armadura é orando no Espírito. E o que significa
orar no Espírito? Significa orar em línguas.
Paulo diz que esta é a armadura de Deus e em Isaías 59 temos uma descrição da armadura de
Deus.
Vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs o capacete da salvação
na cabeça; pôs sobre si a vestidura da vingança e se cobriu de zelo,
como de um manto. Segundo as obras deles, assim retribuirá; furor aos
seus adversários e o devido aos seus inimigos; às terras do mar, dar-lhes-
á a paga. Temerão, pois, o nome do SENHOR desde o poente e a sua
glória, desde o nascente do sol; pois virá como torrente impetuosa,
impelida pelo Espírito do SENHOR. Virá o Redentor a Sião e aos de
Jacó que se converterem, diz o SENHOR. Quanto a mim, esta é a
minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu Espírito, que está sobre
ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela, nem
da de teus filhos, nem da dos filhos de teus filhos, não se apartarão
desde agora e para todo o sempre, diz o SENHOR. Is. 59:17-21
O primeiro elemento é a couraça da justiça. Nós estamos vestidos da justiça de Cristo, por isso
somos justiça de Deus. Quando o Senhor executar justiça, o mundo conhecerá a sua ira.
Depois vem o capacete da salvação. Em nossa cabeça é a proteção, mas na cabeça do Senhor
é o seu propósito, aquilo que está em sua mente, trazer salvação.
A vestidura de vingança não é contra nós, mas contra o diabo. O Senhor é o vingador de toda
opressão do maligno, doenças, depressão e destruição.
O manto de zelo é a completa certeza de que ele cumrprirá a sua promessa.
No verso 21 o Senhor diz que “esta é a minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu
Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se apartarão dela”.
A Nova Aliança está completamente relacionada com o Espírito que nos foi dado. E a palavra
que ele pôs em nossa boca de acordo com o contexto só pode ser aquela que vem com o Espírito,
ou seja, as línguas.
No Velho Testamento houve muitos milagres, mas nunca o de falar em línguas. Esse é o sinal
distinto da Nova Aliança.
Em Romanos 11 Paulo se refere a esse texto, mas ele escreve de forma diferente. Ele diz:
E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o
Libertador e ele apartará de Jacó as impiedades. Esta é a minha aliança
com eles, quando eu tirar os seus pecados. Rm. 11:26-27
Paulo diz que ter os pecados tirados é equivalente a receber o Espírito. Aqueles que têm
dificuldade de crer que seus pecados foram perdoados não conseguem fluir em línguas.
Quando Pedro pregava na casa de Cornélios, no momento em que ele disse que todo o que
crê tem os seus pecados perdoados, o Espírito veio sobre eles. As duas coisas andam juntas. E
imediatamente todos eles começaram a falar em línguas.
A oração em línguas é a oração no Espírito. Judas diz em sua epístola que quando oramos no
Espírito nós edificamos a nossa fé.
Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no
Espírito Santo, guardai-vos no amor de Deus, esperando a misericórdia
de nosso Senhor Jesus Cristo, para a vida eterna. Jd. 1:20-21
Precisamos orar em línguas e nos guardar no amor de Deus. Não é em nosso amor para com
Deus, mas no amor dele por nós. Quanto entendemos que somos amados, mais somos alimentados,
mais oramos em línguas e mais somos guardados para permanecermos inabaláveis.