Você está na página 1de 61

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI

CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA


CURSO DE ENGENHARIA CIVIL
Disciplina Projetos e Construção de Edifícios I

Aula 2 – Alvenarias

Prof. Jefferson Heráclito


O que são alvenarias?
 “arte ou ofício de pedreiro ou alvanel”, ou “tipo de
construção constituído de pedras naturais, irregulares,
justapostas e superpostas” ;

 sistema construtivo formado de um conjunto coeso e


rígido de tijolos ou blocos (elementos de alvenaria),
unidos entre si, com ou sem argamassa de ligação, em
fiadas horizontais que se sobrepõem uma sobre as outras;

 Pode ser empregada na confecção de diversos elementos


construtivos (paredes, abóbadas, sapatas, muros, etc...)
Qual a função das alvenarias ?
 Separação de ambientes;
 Alvenarias externas: atua como freio, barreira e filtro
seletivo no controle de diversas ações.
Como são classificadas as alvenarias ?
 Alvenaria resistente: empregada na construção para
resistir cargas;
 Alvenaria de Vedação: não possui função estrutural.
Quais os materiais usados nas alvenarias?

Pedras Naturais

Blocos Cerâmicos
Quais os materiais usados nas alvenarias?

Blocos de Concreto

Blocos Sílico - Calcário


Quais os materiais usados nas alvenarias?

Blocos de Concreto Celular

Tijolos de Vidro
Quais os materiais usados nas alvenarias?

Tijolos Solo cimento

Madeira
Quais os materiais usados nas alvenarias?

Gesso Acartonado - Drywall


A escolha do material da alvenaria depende
da...
 Natureza do material;
 Peso próprio;
 Dimensões e formas;
 Disposição dos furos, quando existir;
 Textura;
 Propriedades físicas (porosidade, capilaridade,
características térmicas, acústica e mecânicas);
 Durabilidade;
 Resistência a ação de agentes agressivos;
 Precisão dimensional.
Diferença entre bloco e tijolo
Denominações de Alvenarias
A) Alvenaria Ciclópica: executada com grandes blocos de
pedras, trabalhadas ou não.
Denominações de Alvenarias
B) Alvenaria Insossa: executadas com pedras ou blocos
cerâmicos, assentados sem argamassa, denominadas
também de “alvenaria seca“
Denominações de Alvenarias
C) Alvenaria com argamassa: executadas com argamassa de ligação entre os
elementos, sendo também denominadas:
 alvenaria hidráulica - executadas com argamassas mistas 1:4/8 (argamassa
básica de cal e areia 1:4, adicionando-se cimento na proporção de uma
parte de cimento para 8 partes de argamassa básica);
 alvenaria ordinária - executadas com argamassas de cal (1:4 - argamassa de
cal e areia).
Denominações de Alvenarias
D) Alvenaria de vedação: painéis executados com blocos, entre estruturas,
com objetivo de fechamento das edificações.
Denominações de Alvenarias
E) Alvenaria de divisão: painéis executados com blocos ou elementos
especiais (drywall – gesso acartonado), para divisão de ambientes,
internamente, nas edificações
Elementos de Alvenaria
Pedras Naturais- encontradas na natureza são classificadas
em regular ou irregular.
 Pedras Irregulares – pedras em estado natural são
simplesmente encaixadas entre si ou assentadas com
argamassas.
 Pedras Regulares – pedras naturais trabalhadas, com
formas regulares ou não, assentadas com juntas secas ou
juntas argamassadas, alinhadas ou desencontradas
(travadas).
“Pedras” Artificiais – material natural processado
industrialmente
Tijolos de Barros Cozido
A) Tijolo comum ou maciço: São blocos de barro comum, moldados com
arestas vivas e retilíneas, obtidos após a queima das peças em fornos
contínuos ou periódicos com temperaturas das ordem de 900 a 1000°C.

*Vantagens:

Regularidade de formas e dimensões (melhor assentamento);


Arestas vivas e cantos resistentes;
Massa homogênea (sem fendas, trincas, cavidades ou impurezas);
Cozimento uniforme;
Resistência a compressão dentro dos limites da NBR;
Absorção de água de 18% a 20%.
“Pedra” Artificial
*Formas e dimensões:

Há dois tipos de tijolos comuns de barro, mas de modo geral usam-se as


seguintes relações:
1. Comprimento = 2 x largura + uma junta;
2. Largura= 2 x espessura + uma junta;
“Pedra” Artificial
* dimensões mais comum: 21x10x5
* peso: 2,50kg
* resistência do tijolo: 20kgf/cm²
* quantidades por m²: parede de 1/2 tijolo: 77un; parede de 1 tijolo: 148un
*Custo unitário: R$ 0,25 un (Ref: SEINFRA –CE Tabela desonerada)
“Pedra” Artificial
B) Tijolo Refratário: É aplicado na construção de lareiras , fornos, etc, pois
resistem, sem que ocorram deformações ou vitrificações , a temperatura
máxima de 1200 ºC , possuindo resistência a compressão superior a 100
kgf/ cm².
*Formas e Dimensões: Variadas (Tijolo reto, meio tijolo, placa, radiais,
circulares, arcos, cunhas , etc).
*Custo Unitário: R$ 1,90 un (Ref: SEINFRA –CE Tabela desonerada)
*Dimensões mais comuns:
“Pedra” Artificial
C) Tijolo Furado: É laminado ou extrudado, apresenta ranhuras na parte
externa e , no seu interior, pequenos furos , que diminuem o peso do tijolo.
É recomendado para alvenaria de vedação interna, separação de
compartimentos. Pode ser de 4, 6, 8 e 10 furos. Destinam-se a execução
de meio e de um tijolo, conforme sua posição.

*Vantagens

Menor peso por unidade de volume;


Aspectos mais uniformes , arestas e cantos mais fortes;
Diminui a propagação de umidade;
Economia de mão-de-obra e argamassa;
Melhores isolamentos térmicos e acústicos.
“Pedra” Artificial
*Desvantagens
Pequena resistência a compressão;
Não possui juntas verticais argamassadas;
Baixa porosidade da face externa, logo baixa aderência para receber
revestimento;
Nos vãos de portas e janelas são necessários tijolos comuns para remate;
Necessário encunhamento nas faces de contato com os elementos
estruturais;
Retrabalho para executar as instalações embutidas nas paredes.
“Pedra” Artificial
*Formas e Dimensões: são classificados em três formas básicas.
Tipo1: Cilíndricos e paralelos às faces menores;
Tipo II: Prismáticos e normais às faces menores ;
Tipo III: Prismáticos e normais às faces menores, mas são maiores que o tipo
II.
“Pedra” Artificial
* Dimensões mais comum: 9x19x19cm
*quantidade por m²: parede de 1/2 tijolo: 22un; parede de 1 tijolo: 42un
* peso 3,0kg
* resistência do tijolo espelho: 30kgf/cm² e um tijolo: 10kgf/cm²
* resistência da parede * 45kgf/cm²
* Custo unitário: R$ 0,42 un (Ref: SEINFRA –CE Tabela desonerada)
“Pedra” Artificial
 Tijolos de Concreto
A) Blocos de Concreto: são blocos com resistência a compressão de 30 MPa.
São utilizados em sistemas de construção de alvenaria armada. São
produzidos com agregados inertes e cimento portland, com ou sem aditivo,
moldados em prensas vibradoras.
*Vantagens
Podem ser usados com ou sem revestimento, podendo aplicar a pintura
diretamente no bloco;
Apresenta carga de ruptura a compressão superior a 80 Kgf/ cm²;
Possui menor peso que o bloco comum;
Demandam menor tempo de assentamento e revestimento;
Consumem menos argamassa de assentamento;
Apresentam melhor acabamento e mais uniformidade.
“Pedra” Artificial
*Desvantagens
Não permite corte;
Nos remates de vãos são necessários tijolos comuns;
Não permitem perfeito cunhamento nas áreas de contato alvenaria X
estruturas (vigas e lajes);
Estragam quando nas aberturas de rasgos para embutimento de instalações;
O assentamento de tacos de madeiras para fixação de batentes e roda pés
torna-se difícil.
“Pedra” Artificial
*Formas e dimensões:

Blocos de Concretos

Blocos Canaletas

Bloco Canaleta : 14 x 19 x 39 = 13,50 kg


19 x 19 x 39 = 18,10 kg
“Pedra” Artificial
Determina as dimensões nominais dos blocos de concreto mais utilizados.
dimensões a b c peso a b c peso

*: 09 x 19 x 39 10kg 09 x 19 x 19 4,8kg

11 x 19 x 39 10,7kg 1/2 14 x 19 x 19 6,7kg


tijolo

14 x 19 x 39 13,6kg 19 x 19 x 19 8,7kg

19 x 19 x 39 15,5kg

* quantidade de blocos por m² : 12,5un


* resistência do bloco: deve-se consultar o fabricante
“Pedra” Artificial
“Pedra” Artificial
*Blocos de Concreto Celular:
 mistura de cimento, cal, areia, água e agentes expansores (pó de alumínio);
 fabricados com materiais totalmente inorgânicos e incombustíveis;
 elevado ponto de fusão e baixo coeficiente de dilatação térmica;
 utilizado em diversas aplicações que necessitam de proteção contra fogo;
 Leve, fácil de manusear, fabricado em grandes dimensões;
 garante alta produtividade na obra;
 pesa 20% do peso do concreto armado convencional;
“Pedra” Artificial
*Blocos de Concreto Celular:
“Pedra” Artificial
*Blocos de Concreto Celular:
“Pedra” Artificial
*Blocos de Concreto Celular:
“Pedra” Artificial
Tijolos de Solo-Cimento

Material obtido pela mistura de solo arenoso - 50 a 80% do próprio terreno onde
se processa a construção, cimento Portland de 4 a 10%, e água, prensados
mecanicamente ou manualmente. São assentados por argamassa mista de
cimento, cal e areia no traço 1:2:8 ou por meio de cola.
* dimensões: 20x10x4,5cm
* quantidade: a mesma do tijolo maciço de barro cozido
* resistência a compressão: 30kgf/cm²
Elementos de Alvenaria
“Pedra” Artificial
*Blocos Sílico – Calcário:
 São blocos prismáticos;
 Mistura de cal e agregados finos (Quartzo);
 Moldados em peças (Pressão+Compactação);
 Endurecimento (Calor+Vapor d’água).
 Podem resistir de 4,5 MPa até 35 MPa.
“Pedra” Artificial
*Blocos Sílico – Calcário (Vantagens):
 Dispensa chapisco e emboço no revestimento;
 Não é necessário regularizar a parede;
 Material pouco poroso e bastante nivelado;
 Pode ficar aparente ou receber uma fina camada de acabamento;
 Permite passagem das instalações.

*Blocos Sílico – Calcário (Desvantagens):


 Tecnologia construtiva mais complexa e específica;
 Apresenta elevada retração na secagem;
 Há poucos fornecedores;
 Não é viável em prédios muito altos;
 Mais pesados que os blocos Cerâmicos.
“Pedra” Artificial
*Blocos Sílico – Calcário:

Bloco Espessura 11,50 cm:


R$ 30,97/ m² (Material)
R$ 13,71/m² (MO: 1P 1 S)

Bloco Espessura 14 cm:


R$ 40,61/ m² (Material)
R$ 14,51/m² (MO: 1P 1 S)
Classificação das Paredes
As paredes são classificadas de acordo com a forma de
colocação dos tijolos, que são:
 Ao cutelo;
 De meio Tijolo;
 De um Tijolo;
 De um Tijolo e meio;
 De dois Tijolos;
 Oca.
Ao Cutelo
 Tijolo aplicado ao alto, de modo que a espessura do tijolo corresponda à
espessura da parede.
 Aplicação: Utilizados em paredes divisórias de fraca espessura ou em
construções de caráter provisório (divisões e fundos de armários
embutidos, box de banheiro, etc), reforçadas de, no máximo, 2,0 em 2,0 m,
por prumos de madeira ou ferro;
De meio Tijolo (à Meia vez)
 Tijolos assentados segundo a largura e o comprimento, de modo que a
largura corresponda a espessura da parede.
 Aplicação: São utilizadas para vedação, divisões internas e servem como
suporte para carga, quando o comprimento da parede for menor que 4 m (
comprimentos maiores do que 4 m pilares são usados como reforço).
De um Tijolo ( à uma Vez)
 Os tijolos são colocados de tal forma que o seu comprimento (maior
dimensão) seja a espessura da parede.
 Aplicação: São utilizados como paredes externas por serem bastante
impermeável, possuírem maior resistência e, consequentemente, maior
capacidade para suportarem cargas. Contudo, apresentam menor
rendimento de material e mão de obra.
De um Tijolo e meio ( à uma vez e meia)
 Os tijolos numa parede de vez e meia, com uma espessura de 35 cm,
podem ser dispostos de várias formas, sendo que as fiadas ímpares
correspondem a uma fila de tijolos a uma vez e as fiadas pares, a meia vez.
De dois Tijolos (de duas vezes)
 Neste caso, a espessura da parede é múltipla da largura de tijolo;
Ocas
 São alvenarias usadas quando se pretende grande isolamento de som e
umidade, além de diminuir a variação de temperatura. São formadas por
duas paredes, separadas por uma câmara de ar de, aproximadamente, ¼ de
tijolo. A amarração entre as paredes é feita por meio de “gatos” metálicos.
Executados com blocos ou elementos especiais (drywall – gesso
acartonado), para divisão de ambientes, internamente, nas edificações.
Técnicas de Assentamento de Alvenarias em
Bloco Cerâmico
 A) Assentamento com juntas desencontradas
Técnicas de Assentamento de Alvenarias em
Bloco Cerâmico
 B) Espalhamento da massa
• 1º Método – a argamassa é colocada em abundância em cima de cada fiada
e o excesso rebatido com a colher.
• 2º Método – a argamassa é aplicada no tijolo a ser assente com a colher.
Técnicas de Assentamento de Alvenarias em
Bloco Cerâmico
 C) Processo de assentamento
Passo a passo:
1) Após marcar a alvenaria no piso, posicionar os escantilhões (régua de
madeira ou metálica com comprimento do pé-direito, graduada fiada por
fiada – espessura do tijolo mais juntas);
2) Limpar e umedecer a superfície que receberá a fiada de marcação;
3) Estender a linha de escantilhão para o outro;
4) Iniciar a parede assentando-se os tijolos de canto, que servirão de guia;
5) Assentar os tijolos de acordo com a primeira fiada do projeto;
6) Verificar o alinhamento das faces e o nivelamento de cada unidade, à medida
que esta vai sendo assentada;
7) Posicionar novamente o escantilhão e a linha, na parede a ser elevada;
8) Assentar os tijolos utilizando juntas verticais e horizontais;
9) Verificar a espessura e o nivelamento das juntas;
10) Assentar tacos, vergas e contra vergas de acordo com o projeto.
Técnicas de Assentamento de Alvenarias em
Bloco Cerâmico
Cuidados na execução da alvenaria
Deve ser observado as seguintes instruções:
 Poucos antes do assentamento do tijolo deve ser molhado, para facilitar a
aderência , eliminando o pó que envolve o tijolo e impedindo a absorção de água
da argamassa;
 Perfeito prumo e nível na disposição das fiadas. Recomenda-se verificá-los a cada
3 ou 4 fiadas, com nível de bolha e fio de prumo, respectivamente.
 Desencontro de juntas para que a amarração seja perfeita , evitando a
superposição de juntas;
 Saliências maiores que 4 cm, deverão ser previamente preenchidas com os
próprios tijolos da alvenaria, sendo vetado, o uso de argamassa;
 Atingindo-se a altura de 1,5 m, prever a utilização de andaimes;
 Vãos situados diretamente sobre o solo levarão vergas, em se tratando de portas,
e vergas e contra vergas , em vão de janelas
Vergas e Contra Vergas
VERGAS – é o elemento estrutural localizado sobre o vão de janelas e portas a fim de
evitar a sobrecarga das esquadrias. A verga deve ultrapassar o vão cerca de 30 cm
de ambos os lados, podendo ser pré-fabricada, ou moldada inloco.
CONTRAVERGAS – é o reforço colocado sob o vão da janela com o intuito de evitar
prováveis trincas.

0,30 <1,0 m 0,30

A
Sobreca rga sobre
a esqua dria B 2Ø1/ 4”
coloca r verga

Pé-direito
Vã o de Vã o
de
ja nela porta
Prová vel trinca
coloca r contra verga

Cinta de a rga ma ssa 1:3


(cimento e a reia )
45o
Corte AB
Vergas e Contra Vergas
Defeitos que surgem com a ausência dessas peças
Encunhamento
 O fechamento da alvenaria junto às lajes ou vigas superiores deve ser feito
após um tempo mínimo de 10 dias, pois durante a cura da argamassa
ocorre uma pequena redução das dimensões. O espaço deixado entre elas
é de aproximadamente 20 cm.

Viga

Pilar

Parede

Encunhamento com tijolos maciços


Encunhamento
 A técnica mais conhecida para preencher este espaço consiste em assentar
tijolos maciços um pouco inclinados, ou cortado em diagonal, com
argamassa relativamente fraca (1:312 a 15 – cimento/cal
hidratada/areia).Tomar cuidado em usar inclinações diferentes nas duas
seções ou partes do painel.
Encunhamento
 A técnica dos tijolos maciços um pouco inclinados, contudo vem sendo
substituída pelo uso de novos materiais e técnicas que oferecem melhor
rendimento. Uma delas é a utilização do cimento expansor, que é uma
argamassa pronta, à base de cimento, cujo adicionamento de água permite
sua expansão.
Encunhamento
 Defeito
Amarração: Alvenaria X Alvenaria (Juntas
desencontradas)
Amarração: Alvenaria X Pilar (Ferro Cabelo)
Amarração: Alvenaria X Pilar (Tela metálica)