Você está na página 1de 8

Atos Normativos

A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

Olá, seja bem-vindo ao Curso Ênfase.


Estamos aqui para oferecer ensino com qualidade e excelência.
Lembre que não é permitida a divulgação, reprodução, cópia, distribuição,
comercialização, rateio ou compartilhamento, oneroso ou gratuito, de aulas e materiais,
ficando a pessoa sujeita às sanções cíveis e penais.
Confiamos em Você!

1
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 3
2. ORGANOGRAMA DO PODER JUDICIÁRIO..............................................................3
2.1 JUSTIÇA FEDERAL .............................................................................................. 4
2.1.1 CONCEITO ...................................................................................................... 4
2.1.2 DIVISÃO ESPACIAL ..........................................................................................7
2.1.3 NÚMEROS DE TRF’s ........................................................................................ 7
3. PREVISÃO CONSTITUCIONAL ............................................................................... 7
3.1 ÓRGÃOS DA JUSTIÇA FEDERAL .......................................................................... 7
3.2 COMPOSIÇÃO ................................................................................................... 8

2
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

1 INTRODUÇÃO
Nessa aula abordaremos a resolução nº 147 de 2011 do Conselho da Justiça Federal,
dispondo sobre a instituição de um Código de Conduta do Conselho e da Justiça Federal de
primeiro e segundo graus. Esse código de conduta nas provas dos TRF’s é cobrado geralmente
de 3 a 4 questões por provas.
Inicialmente, antes de estudar com profundidade a resolução, é necessário pontuar
algumas observações sobre o Tribunal Regional Federal da 5 Região.

2. ORGANOGRAMA DO PODER JUDICIÁRIO

Tanto para a Justiça Comum Estadual como para a Federal, a denominada 3ª instância,
ou instância Superior, é o próprio Superior Tribunal de Justiça.
A organização da Justiça Federal se dá na seguinte forma: a) primeira instância pelos
Juízes Federais; b) na segunda instância os Tribunais Regionais Federais. No Brasil, há 5 TRF,
sendo o maior deles o da 1ª Região. Além da Justiça Federal, há outras justiças especializadas,
como a eleitoral, do trabalho e militar.

3
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

Conforme analisado no organograma, na base, temos a Corte Suprema, no caso, o


Supremo Tribunal Federal, sendo competente para decidir casos em que há evidente afronta
ou desrespeito à Constituição Federal.

2.1 JUSTIÇA FEDERAL


2.1.1 CONCEITO
A Justiça Federal é responsável pelas causas que envolvem o Estado Brasileiro, seja
diretamente, seja por meio de empresas públicas (CEF), as autarquias (INSS) e fundações.
A Justiça Federal é responsável por processar e julgar causas em que a União, suas
entidades autárquicas, empresas públicas federais figurem como interessadas na condição de
autoras ou rés, além das questões de interesse da Federação, prevista no artigo 109 da CF.

CF, Art. 109. Aos juízes federais compete processar e julgar:

I - as causas em que a União, entidade autárquica ou empresa pública federal forem


interessadas na condição de autoras, rés, assistentes ou oponentes, exceto as de falência,
as de acidentes de trabalho e as sujeitas à Justiça Eleitoral e à Justiça do Trabalho;

II - as causas entre Estado estrangeiro ou organismo internacional e Município ou pessoa


domiciliada ou residente no País;

III - as causas fundadas em tratado ou contrato da União com Estado estrangeiro ou


organismo internacional;

IV - os crimes políticos e as infrações penais praticadas em detrimento de bens, serviços


ou interesse da União ou de suas entidades autárquicas ou empresas públicas, excluídas
as contravenções e ressalvada a competência da Justiça Militar e da Justiça Eleitoral;

V - os crimes previstos em tratado ou convenção internacional, quando, iniciada a


execução no País, o resultado tenha ou devesse ter ocorrido no estrangeiro, ou
reciprocamente;

V-A as causas relativas a direitos humanos a que se refere o § 5º deste artigo; (Incluído
pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

VI - os crimes contra a organização do trabalho e, nos casos determinados por lei, contra
o sistema financeiro e a ordem econômico-financeira;

VII - os habeas corpus, em matéria criminal de sua competência ou quando o


constrangimento provier de autoridade cujos atos não estejam diretamente sujeitos a
outra jurisdição;

4
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

VIII - os mandados de segurança e os habeas data contra ato de autoridade federal,


excetuados os casos de competência dos tribunais federais;

IX - os crimes cometidos a bordo de navios ou aeronaves, ressalvada a competência da


Justiça Militar;

X - os crimes de ingresso ou permanência irregular de estrangeiro, a execução de carta


rogatória, após o "exequatur", e de sentença estrangeira, após a homologação, as
causas referentes à nacionalidade, inclusive a respectiva opção, e à naturalização;

XI - a disputa sobre direitos indígenas.

A Justiça Federal atua ainda em casos que envolvem estados ou organizações


estrangeiras, estrangeiros em situação irregular no país, desrespeito a tratados internacionais
(exemplo dos tratados sobre as pessoas com deficiência que deram origem ao estatuto da
pessoa com deficiência), crimes contra o sistema financeiro, crimes cometidos a bordo de
aeronaves. Atualmente está em discussão o deslocamento dos crimes contra direitos
Humanos para a Justiça Federal (não é um tema pacífico).
O STJ como 3 º instância, poderá analisar em grau recursal as causas competência da
própria justiça federal.

CF, Art. 105. Compete ao Superior Tribunal de Justiça:

I - processar e julgar, originariamente:

a) nos crimes comuns, os Governadores dos Estados e do Distrito Federal, e, nestes e nos
de responsabilidade, os desembargadores dos Tribunais de Justiça dos Estados e do
Distrito Federal, os membros dos Tribunais de Contas dos Estados e do Distrito Federal,
os dos Tribunais Regionais Federais, dos Tribunais Regionais Eleitorais e do Trabalho, os
membros dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios e os do Ministério
Público da União que oficiem perante tribunais;

b) os mandados de segurança e os habeas data contra ato de Ministro de Estado, dos


Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica ou do próprio Tribunal;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)

c) os habeas corpus, quando o coator ou paciente for qualquer das pessoas mencionadas
na alínea "a", ou quando o coator for tribunal sujeito à sua jurisdição, Ministro de
Estado ou Comandante da Marinha, do Exército ou da Aeronáutica, ressalvada a
competência da
Justiça Eleitoral; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)

d) os conflitos de competência entre quaisquer tribunais, ressalvado o disposto no art. 102,


I, "o", bem como entre tribunal e juízes a ele não vinculados e entre juízes vinculados a
tribunais diversos;
5
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

e) as revisões criminais e as ações rescisórias de seus julgados;

f) a reclamação para a preservação de sua competência e garantia da autoridade de suas


decisões;

g) os conflitos de atribuições entre autoridades administrativas e judiciárias da União, ou


entre autoridades judiciárias de um Estado e administrativas de outro ou do Distrito
Federal, ou entre as deste e da União;

h) o mandado de injunção, quando a elaboração da norma regulamentadora for


atribuição de órgão, entidade ou autoridade federal, da administração direta ou
indireta, excetuados os casos de competência do Supremo Tribunal Federal e dos órgãos
da Justiça
Militar, da Justiça Eleitoral, da Justiça do Trabalho e da Justiça Federal;

i) a homologação de sentenças estrangeiras e a concessão de exequatur às cartas


rogatórias; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

II - julgar, em recurso ordinário:

a) os habeas corpus decididos em única ou última instância pelos Tribunais Regionais


Federais ou pelos tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios, quando a decisão
for denegatória;

b) os mandados de segurança decididos em única instância pelos Tribunais Regionais


Federais ou pelos tribunais dos Estados, do Distrito Federal e Territórios, quando
denegatória a decisão;

c) as causas em que forem partes Estado estrangeiro ou organismo internacional, de um


lado, e, do outro, Município ou pessoa residente ou domiciliada no País;

III - julgar, em recurso especial, as causas decididas, em única ou última instância, pelos
Tribunais Regionais Federais ou pelos tribunais dos Estados, do Distrito Federal e
Territórios, quando a decisão recorrida:

a) contrariar tratado ou lei federal, ou negar-lhes vigência;

b) julgar válido ato de governo local contestado em face de lei federal; (Redação dada pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

c) der a lei federal interpretação divergente da que lhe haja atribuído

O TRF 5 faz parte da segunda instância da Justiça Federal.

6
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

2.1.2 DIVISÃO ESPACIAL


A Justiça Federal Brasileira está dividida em 5 regiões, para quais existem:

A) Tribunais Regionais Federais: cada região de atuação da Justiça Federal possui


um Tribunal Regional Federal, formado pelas seções judiciárias dos Estados que compõe essa
região;
B) Seções Judiciárias: instaladas nas capitais, as seções são formadas pelo
conjunto de varas federais daquele Estado;
C) Vara Federais: é o local onde atuam os juízes titulares e substitutos, as varas
federais podem ficar instaladas em capitais ou no interior.
Essa divisão em 5 regiões não é muito proporcional, pois há regiões que contemplam
muitos estados, como o TRF 1 e, outras com pouco, no caso do TRF 2, 3 e 4.
Exemplo: Em um determinado TRF, contempla 3 estados e, para cada estado haverá
uma seção judiciária (instalada na capital daquele estado), sendo esta dividida em várias varas
federais.

2.1.3 NÚMEROS DE TRF’S


1ª Região: abrange os Estados do Acre, Amazonas, Amapá, Minas Gerais, Pará,
Roraima, Tocantins, Bahia, Goiás, Maranhã, Mato Grosso, Piauí e Distrito Federal.
2ª Região: abrange os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.
3ª Região: abrange os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.
4ª Região: abrange os Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
5ª Região: abrange os Estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte,
Ceará e Paraíba.

3. PREVISÃO CONSTITUCIONAL
3.1 ÓRGÃOS DA JUSTIÇA FEDERAL
CF, Art. 106. São órgãos da Justiça Federal:

I - os Tribunais Regionais Federais; [SEGUNDA INSTÂNCIA]

II - os Juízes Federais. [PRIMEIRA INSTÂNCIA]

7
www.cursoenfase.com.br
Atos Normativos
A. Complementar 01
O presente material constitui resumo elaborado por equipe de monitores a partir da
aula ministrada pelo professor. Recomenda-se a complementação do estudo em livros
doutrinários e na jurisprudência dos Tribunais.

3.2 COMPOSIÇÃO

CF, Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais compõem-se de, no mínimo, sete juízes,
recrutados, quando possível, na respectiva região e nomeados pelo Presidente da
República dentre brasileiros com mais de trinta e menos de sessenta e cinco anos, sendo:

I - um quinto dentre advogados com mais de dez anos de efetiva atividade profissional
e membros do Ministério Público Federal com mais de dez anos de carreira;

II - os demais, mediante promoção de juízes federais com mais de cinco anos de exercício,
por antigüidade e merecimento, alternadamente.

§ 1º A lei disciplinará a remoção ou a permuta de juízes dos Tribunais Regionais Federais


e determinará sua jurisdição e sede. (Renumerado do parágrafo único, pela Emenda
Constitucional nº 45, de 2004)

§ 2º Os Tribunais Regionais Federais instalarão a justiça itinerante, com a realização de


audiências e demais funções da atividade jurisdicional, nos limites territoriais da
respectiva jurisdição, servindo-se de equipamentos públicos e comunitários. (Incluído pela
Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

§ 3º Os Tribunais Regionais Federais poderão funcionar descentralizadamente,


constituindo Câmaras regionais, a fim de assegurar o pleno acesso do jurisdicionado à
justiça em todas as fases do processo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45, de
2004)

No artigo 107 da CF, prevê que a composição do TRF deverá ter no mínimo de 7 juízes.
Essa composição do artigo 107 é uma composição mista, tendo observado expressamente o
que dispõe a CF.
A lei 9.667 de 2000 elaborou uma nova organização da Justiça Federal e da divisão dos
TRF’s em 1 a 5 região.

8
www.cursoenfase.com.br