Você está na página 1de 15

Universidade Federal de São Carlos – UFSCar

Centro de Educação e Ciências Humanas – CECH


Programa de Pós-Graduação em Sociologia - PPGS

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS
MESTRADO

SOC 001 - PESQUISA SOCIAL


06 créditos - 90 hs
Ementa
Epistemologia, Teoria e Metodologia, Conhecimento científico e realidade social; objetividade e subjetividade.
Principais correntes teórico-metodológicas na Sociologia; o positivismo, dialética, os enfoques compreensivos,
o estrutural-funcionalismo, o estruturalismo. A pesquisa empírica: construção de instrumentos. Técnicas de
coleta e análise de dados: a enquete, a entrevista, a biografia, a história de vida, a observação participante,
interpretação e métodos narrativos.
Bibliografia
BERG, Bruce L. Qualitative Research Methods for the Social Sciences. 4th Edition. Needham Heights, MA,
Allyn & Bacon, 2001.
BERICAT, Eduardo(1998). La integración de los métodos cuantitativo y cualitativo en la investigación social.
Significado y medida. Barcelona: Ariel Sociología.
BOURDIEU, Pierre., CHAMBOREDON J. C., PASSERON, J.C. El Ofício de Sociólogo. Madrid, Siglo Veintiuno
de España, 1988.
BURAWOY,Michael et al(2000) . Global Ethnography. Forces, Connections, and Imaginations in a Postmodern
World. Berkeley and Los Angeles:
University of California Press.
COULLON, Alain. Etnometodologia, Campinas, Papirus Editora, 1995.
DAMATTA, Roberto et. al. A Aventura Sociológica: objetividade, paixão,improviso e método na pesquisa social.
Org.Edson de Oliveira Nunes. RJ, Zahar , 1978.
DENZIN, Norman K., LINCOLN, Yvonna S(ed.)(1998). Collecting and Interpreting Qualitative Materials.
Thousand Oaks,CA: Sage Publications.
GARFINKEL, Harold. Studies in Ethnomethodology. Cambridge, Polity Press, 1996.
GIDDENS, Anthony. Comte, Popper e o positivismo. In GIDDENS, A., Política, Sociologia e Teoria Social.
Encontros com o pensamento social clássico e contemporâneo. S.Paulo, Fund.Editôra UNESP, 1998.
GIDDENS, Anthony. Novas Regras do Método Sociológico: uma crítica positiva das Sociologias
Compreensivas. Rio, Zahar,1978.
KUHN, Thomas S. A Estrutura das Revoluções Cientificas. S.Paulo, Perspectiva, 1978.
MILLS, C. W. A Imaginação Sociológica. Rio, Zahar, 1975.
POPPER, Karl. A lógica da pesquisa científica. São Paulo, Cultrix, 1993.
PRUS, Robert. Symbolic Interaction and Ethnographic Research. Intersubjectivity and the Study of Human
Lived Experience.Albany. State University of New York Press,1996.
RILEY, Matilda W. , NELSON, Edgard E (1976). A observação sociológica. Uma estratégia para um novo
conhecimento social. Rio de Janeiro: Zahar Editores.
TAYLOR, S.J., BOGDAN R. Introducción a los Métodos Cualitativos de Investigación: la búsqueda de
significados. Barcelona, Paidós, 1992.
WEBER, Max. Metodologia das Ciências Sociais, parte 1 e 2. São Paulo: Cortez; Campinas: EDUNICAMP,
1992.

SOC 002 - SEMINÁRIO DE DISSERTAÇÃO


06 créditos - 90 hs
Ementa
Abordagem da produção da dissertação através do debate dos projetos de pesquisa dos alunos. Enfoque no
desenvolvimento e estruturação da versão final do projeto com leituras metodológicas dirigidas nas áreas
temáticas das pesquisas. Acompanhamento metodológico incluindo aulas complementares em métodos e
técnicas.
Bibliografia
GOODE, W.J., HATT, P.K. Métodos em pesquisa social. São Paulo, Editora Nacional, 1979.
BRANDÃO, Carlos. R. Pesquisa Participante. São Paulo, Brasiliense, 1984.
BECKER, Howard (1986). Writing for Social Scientist: How to start and finish your thesis, book or article.
Chicago, University of Chicago Press.
BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais. São Paulo, HUCITEC, 1994.
BOURDIEU, Pierre. Compreender. In. BOURDIEU, Pierre. (Coord). A miséria do mundo. Rio de Janeiro:
Editora Vozes,1997, p.693-732.
BOURDIEU, Pierre. Introdução a uma sociologia reflexiva. In. O poder simbólico. Lisboa: DIFEL, 1989, p. 17-
58.
ECO, Umberto, Como se Faz uma Tese, São Paulo, Perspectiva, 1989.
LIMA, Jacob C. e GONDIM, Linda M(2002). A pesquisa como artesanato intelectual. Considerações sobre
método e bom senso. João Pessoa: Manufatura.
IANNI, Octavio. Estilos de Pensamento: Explicar, Compreender, Revelar. Araraquara/São Paulo, Cultura
Acadêmica, 2003.
MOURA CASTRO, Cláudio - "Memórias de um Orientador de Tese", in Nunes, Edson (org.), A Aventura
Sociológica, Rio de Janeiro, Zahar, 1978, p. 307-326.
PHILLIPS, Estelle & Pugh, D. S., How to Get a PhD, Buckingham, Open University Press, 1994.
QUIVY, Raymond & Van Campenhoudt, Luc Manual de Investigações em Ciências Sociais, Lisboa, Gradiva,
1992.
WRIGHT-MILLS, C. Sobre o Artesanato Intelectual. Araraquara/São Paulo, Cultura Acadêmica, 2003.

SOC 003 - TEORIA SOCIOLÓGICA I


06 créditos - 90hs
Ementa
Releitura dos clássicos da sociologia e seus desdobramentos na modernidade. Marx e os marxismos; Weber
e a escola sociológica alemã; Durkheim, positivismo e funcionalismo; da Escola de Chicago e a sociologia
norte-americana.
Bibliografia
COULON, Alain. A Escola de Chicago. Campinas, Papirus Editora, 1995.
DURKHEIM, Émile & WEBER, Max. Socialismo. Rio de Janeiro, Relume-Dumará, 1993.
DURKHEIM, Émile. A divisão do trabalho social. Lisboa, Editorial Presença; São Paulo, Livraria Martins
Fontes, 1977. 2 v.
DURKHEIM, Émile. As formas elementares de vida religiosa: o sistema totêmico na Austrália. São Paulo,
Ed.Paulinas, 1989.
DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. São Paulo, Cia. Editora Nacional, 1974.
DURKHEIM, Émile. O suicídio: estudo sociológico. Lisboa, Editorial Presença; São Paulo, Livraria Martins
Fontes, 1977.
MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã: Lisboa, Editorial Presença; São Paulo, Martins Fontes,
s/d.
MARX, Karl & ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Lisboa, Escriba, 1968.
MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1975. 3 v.
MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo, Martins Fontes, 1977.
MARX, Karl. Manuscritos econômicos filosóficos de 1844. Lisboa, Editorial Avante, 1994.
MARX, Karl. O 18 Brumário e Cartas a Kugelman. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1974.
MAUSS, Marcel. Ensaios de sociologia. São Paulo, Perspectiva, 1981.
MAUSS, Marcel. Ensaios de Sociologia. São Paulo, Perspectiva, 1981
SIMMEL, Georg. Sociología. Estudios sobre las formas de socialización. Madrid, Alianza Editorial, 1986. 2v.
TÖNNIES, Ferdinand. Comunidad y Sociedad. Buenos Aires, Editorial Losada, 1947.
WEBER, Max. A Ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo, Pioneira; Brasília, Ed. UnB, 1981.
WEBER, Max. Economía y sociedad : esbozo de sociología comprensiva. Bogotá, Fondo de Cultura
Económica, 1977 2v.
WEBER, Max. Ensaios de sociologia. Org. H.Gerth e C.Wright Mills. Rio de Janeiro, Zahar Editores, 1974.
WEBER, Max. Max Weber: Sociologia. Org. Gabriel Cohn. São Paulo, Ática, 1979.
WEBER, Max. Metodologia das ciências sociais. São Paulo, Cortez; Campinas, EDUNICAMP, 1992. 2v.
WEBER, Max. Sociología del trabajo industrial. Madrid, Editorial Trotta- Comunidad
BLUMER, Herbert. Symbolic Interactionism. Perspective and Method. Berkeley, University of Califórnia Press,
1989.

SOC 004 - TEORIA SOCIOLÓGICA II


06 créditos - 90hs
Ementa
As principais correntes teóricas e principais autores da Sociologia na contemporaneidade: Bourdieu, Elias,
Foucault, Giddens, Habermas, Honnet. As
micro-sociologias. As abordagens transversais.
Bibliografia
BAUMAN, Zygmunt - Comunidade, RJ, Jorge Zahar, 2003
BAUMAN, Zygmunt - Modernidade Líquida, RJ, Jorge Zahar, 2001.
BOURDIEU, Pierre - Razões Práticas, SP, Papirus Editora, 1997.
BOURDIEU, Pierre - Meditações Pascalianas, RJ, Bertrand Brasil, 2001
ELIAS, Norbert - Escritos & Ensaios 1. RJ, Zahar Editores, 2006..
ELIAS, Norbert - Estabelecidos e Outsiders, RJ, Zahar, 2000.
FOUCAULT, Michel - Vigiar e Punir, Petrópolis, Ed. Vozes, 1997.
GIDDENS, Anthony - "A vida em uma sociedade pós-tradicional." In: Anthony Giddens, Ulrich Beck e Scott
Lash, Modernização Reflexiva. SP, Unesp, 1997.
GIDDENS, Anthony - As conseqüências da Modernidade. SP, Ed. Unesp, 1991.
GOFFMAN, Erving - Estigma, RJ, Zahar , 1975.
HABERMAS, Jürgen - O Discurso Filosófico da Modernidade, Lisboa, Publicações Dom Quixote, 1990.
HALL, Stuart -A identidade cultural na pós-modernidade, SP, DP&A, 2005.
HONNETH, Axel - Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. SP, Ed. 34, 2003.
NUNES, Jordão H. - Interacionismo simbólico e dramaturgia: A sociologia de Goffman. SP, Humanitas e Ed.
UFG, 2005.
SANTOS, Boaventura de S. - Pela Mão de Alice, o Social e o Político na Pós-Modernidade. SP, Cortez
Editora, 1995.
SCAVONE, Lucila, ALVAREZ, Marcos e Miskolci, Richard - O legado de Foucault, SP, Ed.Unesp, 2006.

DISCIPLINAS OPTATIVAS
MESTRADO E DOUTORADO

SOC 010 - DESENVOLVIMENTO E GLOBALIZAÇÃO


06 créditos - 90 hs
Ementa
Revisão de conceitos econômicos e sociológicos para a compreensão da fase atual do capitalismo; As
implicações do processo de globalização nos rumos da economia brasileira; A construção dos novos territórios
frente às exigências da economia globalizada: um enfoque sócio-ambiental e geográfico; As compressões das
agências supranacionais acerca da América Latina: diagnóstico e propostas (BIRD, FMI, CEPAL e UNESCO).
Bibliografia
CARDOSO, F.H & FALETTO, E. Dependência e Desenvolvimento na América Latina. RJ : Ed Guanabara,
1970, p. 9-67.
CARDOSO, F.H. Por um outro Desenvolvimento. As idéias e seu lugar. Petrópolis: Vozes, 1993. p 151-226.
CHENEAUX, J. Uma outra relação com o espaço e com o tempo. Modernidade-mundo. Petrópolis: Vozes,
1995, p. 17-40.
FURTADO, C. Teoria e Política do Desenvolvimento econômico. SP, Abril, 1987 p. 107-149.
IANNI, O. A dialética da globalização/ Modernidade-Mundo. Teorias da Globalização. 2.o ed. RJ: Civilização
Brasileira, 1996.
KON, A. Tecnologia e trabalho no cenário da globalização. L. Dowbor et al ( orgs). Desafios da Globalização.
4.a ed. Petrópolis: Vozes, 2002 p 60-69.
MESZÁROS, I. Para além do capital. SP/Campinas: Ed. Boitempo/ Ed. da Unicamp, 2002, p. 983-1001.
SOBRAL, H. R. Globalização e meio ambiente. L. Dowbor et al (orgs). Desafios da Globalização. 4.a ed.
Petrópolis: Vozes, 2002 p. 140-146.
STIGLITZ, J.E. A globalização e seus malefícios. SP : Ed. Futura, 2002. p 206-261.

SOC 011 ESTÁGIO DOCÊNCIA I – Mestrado


06 créditos - 90 hs
Ementa
O curso visa introduzir o aluno na perspectiva profissional docente, discutindo a relação ensino/aprendizado,
preparando e acompanhando a experiência de estágio em sala de aula, auxiliando com sugestões que
facilitam a interação com os alunos, os tipos de aula, a preparação do programa, as dicas para facilitar a
comunicação de conteúdos, os problemas mais frequentes enfrentados em sala, o processo de avaliação, as
relações com os docentes, os colegas e os alunos da graduação.
Bibliografia
Aberta

SOC 012 ESTRUTURA SOCIAL BRASILEIRA


06 créditos - 90 hs
Ementa
O curso focaliza a composição da estrutura social brasileira, analisando diversos segmentos e classes da
sociedade, e abordando as mudanças processadas nessa estrutura ao longo do tempo.
Bibliografia
GUERRA, Alexandre; Pochmann, Marcio; Amorim, Ricardo; Silva, Ronnie (orgs.). Classe média:
desenvolvimento e crise. Atlas da nova estratificação social no Brasil, vol 1. SP, Cortez Editora, 2006.
MARTINS, José de Souza. A sociedade vista do abismo. Petrópolis, Vozes, 2002
MEDEIROS, Marcelo. O que faz dos ricos, ricos? SP, Ed. Hucitec, 2005
REZENDE, Fernando e Tafner Paulo (eds). Brasil: o estado da nação. RJ, IPEA, 2005 Cap. 3. Pobreza e
exclusão social, Pág. 85-112.
SANTOS, José Alcides F. (2001). "Mudanças na estrutura de posições e segmentos de classe no Brasil".
Dados, 44/1: 53-96.
SANTOS, José Alcides F (2002). Estrutura das posições de classe no Brasil. RJ, IUPERJ/UCAM.
SCALON, Maria Celi. (1999). Mobilidade social no Brasil, RJ, Revan, 1999.
SCALON, Maria Celi. (org.). (2004). Imagens da desigualdade. BH, Ed. UFMG.
SOUZA, Jessé. A gramática social da desigualdade brasileira. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 54. Pág.
79-98.

SOC 013 ESTUDOS CULTURAIS


06 créditos - 90 hs
Ementa
Introdução aos Estudos Culturais; Os Fundadores Britânicos desde o Século XIX: Carlyle, Arnold e Leavis; E.
P. Thompson e Raymond Williams: uma história material da cultura; O Centro de Estudos Culturais em
Birmingham ;Gênero e Raça; Dominações e Resistências; A mundialização dos Estudos Culturais Edward
Said - Homi Bhabha - Sander L. Gilman - Elaine Schowalter - Ella Shohat; Os Estudos Culturais no Brasil
Antonio Candido/Roberto Schwarz/Renato Ortiz; Estudos contemporâneos: Iara Beleli (mídia e diferenças),
Maria Celeste Mira (mídia), Richard Miskolci (identidades sociais), Tânia Garcia (nacionalidade); Outros
Paradigmas: Pierre Bourdieu e críticos dos Estudos Culturais
Bibliografia
BAL, Mieke. The Practice of Cultural Analysis - Exposing Interdisciplinary Interpretaion. Santaford: Stanford
University Press, 1999.
CEVASCO, Maria Elisa. Dez Lições sobre o Estudo Cultural. São Paulo: Boitempo, 2003.
CULLER, Jonathan. Literary in Theory. Stanford: Stanford University Press, 2006.
DURING, Simon. The Cultural Studies Reader ? Second Edition. NY/London: Routledge, 1999.
ESCOSTEGUY, Ana Caralina D. Cartografia dos Estudos Culturais. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.
GILROY, Paul. O Atlântico Negro. São Paulo: Editora 34, 2001.
GOODE, Erich & Yehuda, Ben. Moral Panics? The Social Construction of Deviance. Malden, Blackwell, 2001.
GROSSBERG, L. Cultural Studies. NY: Routledge, 1991.
HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. DP&A Editora, 2005.
HALL, Stuart. Estudos Culturais: Dois Paradigmas In: Da Diáspora. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2003.
MATTELART, Armand e Neveu, Érik. Introdução aos Estudos Culturais. São Paulo: Parábola, 2004.
ORTIZ, Renato. As Ciências Sociais e a Cultura. In: Tempo Social - Revista de Sociologia da USP. São Paulo:
Pós-Graduação em Sociologia/USP, v. 14, 2002. p.19-32
SAID, Edward. Cultura e Imperialismo. São Paulo: Cia das Letras, 2005.
SAID, Edward. Cultura e Política. São Paulo: Boitempo Editorial, 2003.
SCHWOCH, James & White, Mimi. Questions of Method in Cultural Studies. Malden: Blackwell, 2006.
STOREY, John. Cultural Studies and the Study of Popular Culture: Theories and Methods. Athens: The
University of Geórgia Press, 1998.
WILLIAMS, Raymond. Cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1992.
YUDICE, George. A conveniência da Cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2004.

SOC 014 ESTUDOS ESPECIAIS I - MESTRADO


02 créditos - 30hs
Ementa
Aberta. Cursos de curta duração com professores convidados, ou mesmo do quadro do Programa de Pós-
Graduação em Sociologia sob temas específicos de interesse das linhas de pesquisa.
Bibliografia
Aberta

SOC 015 ESTUDOS ESPECIAIS II - DOUTORADO


02 créditos - 30hs
Ementa
Aberta. Cursos de curta duração com professores convidados, ou mesmo do quadro do Programa de Pós-
Graduação em Sociologia sob temas específicos de interesse das linhas de pesquisa.
Bibliografia
Aberta

SOC 016 GÊNERO, FAMÍLIA E SOCIEDADE


06 créditos - 90 hs
Ementa
Estudos de família e parentesco. Família e Gênero. Formas de divisão etária e, sexual do trabalho. Espaços
sociais e práticas locais. Corpo e sexualidade. A questão do tempo; ciclo de vida; juventude; envelhecimento.
Bibliografia
ARIÉS, Philippe. História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: LTC, 1981.
BRUSCHINI, C. A. Alguns marcos teóricos sobre Família. Revista Brasileira de Estudos de População vol. 6,
no 1, 1o sem. 1989.
BRUSCHINI, C. A. e COSTA, Albertina de Oliveira (orgs.) Uma Questão de Gênero. Rio de Janeiro: Ed. Rosa
dos Tempos, Fundação Carlos Chagas, SP, 1992.
BUTLER, Judith. O parentesco é sempre tido como heterossexual? In: cadernos Pagu. Campinas: Núcleo de
Estudos de Gênero Pagu, v. 21, 2003, p.219-260.
CARVALHO Filho, Benedito José de. Marcas de Família: travessias no tempo. São Paulo: Annablume:
Fortaleza: Secretaria da Cultura e Desporto do Governo do Estado
DUBAR, Claude. La Crise des Idéntités: L´interprétation d´une mutation. Paris, PUF, 2000.
FREYRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala: Formação da Família Brasileira sob o Regime da Economia
Patriarcal. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1996.
GIDDENS, Anthony. A Transformação da Intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas.
São Paulo: Ed. Unesp, 1993.
GIDDENS, Anthony. As Conseqüências da Modernidade. Ed Unesp, SP, 1991.
GOLDANI, Ana Maria, Retratos de Família em Tempo de Crise. Revista Estudos Feministas, número
especial / 2º semestre/94.
GOLDANI, Ana Maria. "As Famílias no Brasil Contemporâneo e o Mito da Desestruturação". Cadernos Pagu.
De Trajetórias e Sentimentos, no 1, Ed.
Unicamp, Campinas, 1993.
GOLDENBERG, Mirian. O macho em crise: um tema em debate dentro e fora da academia. In: Goldenberg,
M. (Org.) Os Novos Desejos. Rio de Janeiro, Editora Record, 2000, p.13-39.
GROSSI, Miriam P. Gênero e Parentesco: famílias gays e lésbicas no Brasil. In: cadernos pagu. Campinas:
Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, v. 21, 2003, p261-280
HEILBORN, Maria Luiza. Dois é Par: Gênero e Identidade Sexual em Contexto Igualitário. Rio de Janeiro,
Garamond, 2004.
HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor W. "Autoridade e Família" in Família. Ed. Cultrix, SP, 1981.
MISKOLCI, Richard. Vivemos uma Crise das Identidades de Gênero? In: CD Anais XXIX Encontro Anual da
ANPOCS, 2005.
MURARO, Rose. Mulher, Gênero e Sociedade/ org. Andrea Brandão Puppin e Rose Marie Muraro. Rio de
Janeiro: Relume Dumará: Faperj, 2001.
OSÓRIO, Luiz Carlos. Família hoje. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
PISCITELLI, Adriana e Goldani, Ana Maria. A Prática Feminista e o Conceito de Gênero. Textos Didáticos. 48.
Campinas, IFCH, 2002.
ROMANELLI, Geraldo. "Autoridade e Poder na Família" in CARVALHO, Renata do Carmo Brant de (Org.) A
Família Contemporânea em Debate. Ed. Educ, SP, 1995.
SALLES, VÂNIA. "Novos Olhares sobre a Família". Revista Brasileira de Estudos de população. Vol. 11, nº2,
2º sem.1994.
SCAVONE, Lucila. Dar a vida e cuidar da vida: Feminismo e Ciências Sociais. São Paulo: Editora Unesp,
2005.
ZAMBERLAM, Cristina de Oliveira. Os novos paradigmas da família contemporânea: uma perspectiva
interdisciplinar. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.
GOLDANI, Ana Maria. As Famílias no Brasil Contemporâneo e o Mito da Desestruturação. Cadernos Pagu. De
Trajetórias e Sentimentos, no 1, Ed. Unicamp, Campinas, 1993.
GOLDENBERG, Mirian. O macho em crise: um tema em debate dentro e fora da academia. In: Goldenberg,
M. (Org.) Os Novos Desejos. Rio de Janeiro, Editora Record, 2000, p.13-39.
GROSSI, Miriam P. Gênero e Parentesco: famílias gays e lésbicas no Brasil. In: cadernos pagu. Campinas:
Núcleo de Estudos de Gênero Pagu, v. 21, 2003, p261-280
HEILBORN, Maria Luiza. Dois é Par? Gênero e Identidade Sexual em Contexto Igualitário. Rio de Janeiro,
Garamond, 2004.
HORKHEIMER, Max e ADORNO, Theodor W.- Autoridade e Família, in Família. Ed. Cultrix, SP, 1981.
MISKOLCI, Richard. Vivemos uma Crise das Identidades de Gênero? In: CD Anais XXIX Encontro Anual da
ANPOCS, 2005.
MURARO, Rose. Mulher, Gênero e Sociedade/ org. Andrea Brandão Puppin e Rose Marie Muraro. Rio de
Janeiro: Relume Dumará: Faperj, 2001.
OSÓRIO, Luiz Carlos. Família hoje. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.
PISCITELLI, Adriana e Goldani, Ana Maria. A Prática Feminista e o Conceito de Gênero. Textos Didáticos. 48.
Campinas, IFCH, 2002.
ROMANELLI, Geraldo. Autoridade e Poder na Família, in CARVALHO, Renata do Carmo Brant de (Org.) A
Família Contemporânea em Debate. Ed. Educ, SP, 1995.
SALLES, VÂNIA. Novos Olhares sobre a Família. Revista Brasileira de Estudos de população. Vol. 11, nº2, 2º
sem.1994.
SCAVONE, Lucila. Dar a vida e cuidar da vida: Feminismo e Ciências Sociais. São Paulo: Editora Unesp,
2005.
ZAMBERLAM, Cristina de Oliveira. Os novos paradigmas da família contemporânea: uma perspectiva
interdisciplinar. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

SOC 017 LEITURA DIRIGIDA


02 créditos - 30hs
Ementa
Aberta. O aluno, sob a responsabilidade do orientador ou professor especialista, num tema de interesse da
dissertação, trabalha sobre uma bibliografia específica.
Bibliografia
Aberta

SOC 018 SOCIOLOGIA BRASILEIRA


06 créditos - 90hs
Ementa
O curso focaliza dois objetos: (a) a formação do imaginário nacional brasileiro a partir dos anos 30 e a idéia
específica de modernidade construída pelo pensamento social brasileiro a partir do final do século XIX; e (b)
as re-atualizações dessa idéia de modernidade a partir da formação de uma sociedade de consumo de
massas, nos anos 70, e da idéia de globalização, a partir dos anos 90.
Bibliografia
Araújo, Ricardo Benzaquen. 1995. Guerra e Paz: Casa Grande & Senzala e a obra de Gilberto Freyre nos
anos 30, Rio, Ed. 34, 1995.
Azevedo, Célia Maria Marinho de. O abolicionismo transatlântico e a memória do paraíso racial brasileiro,
Estudos Afro-Asiáticos, 30, dezembro de 1996.
Azevedo, Thales de. 1955. As elites de cor, um estudo de ascensão social, São Paulo, Cia. Editora Nacional.
Bastide, R. e Fernandes, F. 1955. Relações Raciais entre Negros e Brancos em São Paulo, ed. Anhembi.
CARDOSO, F.H. e IANNI, O. 1959. Cor e Mobilidade Social em Florianópolis, Cia. Editora Nacional.
Cardoso, Fernando Henrique. Livros que inventaram o Brasil, in Novos Estudos CEBRAP, n. 37, novembro de
1993, pp. 21-36.
Costa, Emilia Vioti da. O mito da democracia racial brasileira, in Da Monarquia à República, momentos
decisivos, São Paulo, Ciências Humanas, 1979.
DaMatta, Roberto. Digressão: a fábula das três raças, ou o problema do racismo à brasileira? Relativizando,
uma introdução à antropologia social, Rio de Janeiro, Rocco, 1990, pp. 58-87.
Fernandes, Florestan, A Integração do Negro na Sociedade de Classes, Cia Editora Nacional, São Paulo,
1965, 1o. volume.
FERNANDES, Florestan. "O cientista brasileiro e o desenvolvimento da ciência". In: A Sociologia numa era de
revolução social. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1976, pp. 25-55.
Fernandes, Florestan. A persistência do passado, in O negro no mundo dos brancos, Difel, 1972.
FIGUEIREDO, Marcus Faria. "O financiamento das Ciências Sociais: a estratégia de fomento da Fundação
Ford e da Finep, 1966-1985". BIB, n. 26, 1988, pp. 38-55.
FORJAZ, Mª Cecília S. "Cientistas e militares no desenvolvimento do CNPq". BIB, n. 28, 1989, pp. 71-99.
Freyre, Gilberto. Casa Grande & Senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal,
Rio de Janeiro, Schimidt, 1933.
GUERREIRO RAMOS, Alberto. "Notas para um estudo crítico da sociologia no Brasil". In: Introdução crítica à
Sociologia brasileira. Rio de Janeiro: Andes, 1957, pp. 17-27.
GUERREIRO RAMOS, Alberto. "Prefácio à segunda edição". In: A redução sociológica. 2ª ed. Rio de Janeiro:
Tempo Brasileiro, 1965, pp. 13-52.
Guimarães, Antonio S. A. Classes, Raças e Democracia, São Paulo, Editora 34, 2002.
Guimarães, Antonio Sérgio A. Racismo e Anti-Racismo no Brasil, São Paulo, Editora 34, 1999.
Hasenbalg, Carlos. 1979. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro, Graal.
IANNI, Octávio. "A crise de paradigmas na Sociologia". RBCS, v. 5, n.13, 1998, pp. 90-100.
IANNI, Octávio.. "As Ciências Sociais na época da globalização". RBCS, v. 13, n. 37, 1998, pp. 33-41.
IANNI, Octávio., Sociologia da sociologia: o pensamento sociológico brasileiro. 3ª ed. São Paulo: Ática, 1989,
pp. 84-124.
Ianni, Otávio. 1962. O negro e o mulato, As Metamorfoses do Escravo, São Paulo, Difel, pp. 236-268.
KOURY, M.G.P. "A imagem nas Ciências Sociais do Brasil: um balanço crítico". BIB, n. 47, 1999, pp. 49-64.
KOURY, M.G.P. "Análises do desenvolvimento social na América Latina: notas para discussão". Cadernos de
Ciências Sociais, n. 43, 2000.
KOWARICK, Lúcio. "Movimentos sociais urbanos no Brasil contemporâneo: uma análise da literatura". RBCS,
v. 1, n. 3, 1987, pp. 38-50.
MAIO, Marcos Chor. 1997. A História do Projeto Unesco. Estudos Raciais e Ciências Sociais no Brasil, Rio de
Janeiro, IUPERJ, tese doutorado.
Medeiros, Maria Alice de A. 1984. O elogio da dominação, Rio de Janeiro, Ed. Achiamé.
MICELI, Sérgio. "Condicionantes do desenvolvimento das Ciências Sociais no Brasil, 1930-1964". RBCS, v. 2,
n. 5, 1987, pp. 5-27.
MOREIRA LEITE, Miriam L. "Relatos de viajantes como fontes da história social da população brasileira". In:
Livros de viagem, 1803/1900. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997, pp. 9-26.
NOGUEIRA, Oracy. 1998 [1955]. Preconceito de Marca. As relações raciais em Itapetiniga, São Paulo, Edusp.
ORTIZ, Renato. "Notas sobre as Ciências Sociais no Brasil". Novos Estudos, n. 27, 1990, pp. 163-176.
Ortiz, Renato. Memória coletiva e sincretismo científico: as teorias raciais do sec. XIX, Da raça à cultura: a
mestiçagem e o nacional. Cultura Brasileira & Identidade Nacional, Ed. Brasiliense, 1985.
Pinto, Luis A. Costa. 1953. O Negro no Rio de Janeiro, Relações de raças numa sociedade em mudança,
Companhia Editora Nacional.
QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. "A nostalgia do outro e do alhures: a obra sociológica de Roger Bastide".
In: BASTIDE, Roger. Roger Bastide. São Paulo: Ática, 1983.
REIS, Elisa, REIS, Fábio W. & VELHO, Gilberto. "As Ciências Sociais nos últimos vinte anos: três
perspectivas". RBCS, v. 12, n. 35, 1997, pp. 7-38.
RIBEIRO, René. 1956. Religião e Relações Raciais, Rio, Ministério da Educação e Cultura.
Santos, Luiz A. de Castro, 1985. A casa-grande e o sobrado na obra de Gilberto Freyre, Anuário Antropológico
83, Tempo Brasileiro/Edições UFC, pp. 73-102.

SOC 019 SOCIOLOGIA DA CULTURA


06 créditos - 90 hs
Ementa
Teorias críticas sobre cultura de massa e indústria cultural; aspectos relacionados às implicações sociais e
ideológicas presentes na cultura de massa; transformações nos modos de produção e consumo de cultura na
contemporaneidade; aspectos sócio-culturais relacionados à modernidade e à pós-modernidade.
Bibliografia
Adorno, Theodor. W. - A indústria Cultural: O Esclarecimento como mistificação das massas. In : Dialética do
Esclarecimento. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed., 1986.
Benjamin, Walter. A obra e arte na era de sua reprodutibilidade técnica. In: Obras escolhidas I : Magia e
técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1985.
Bourdieu, Pierre. Sobre a televisão. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1993.
Bradbury, Malcom e Mc Farlane, James. Modernismo-Guia Geral. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
Canclini, Nestor Garcia. Consumidores e cidadãos. Conflitos multiculturais da globalização. Rio de Janeiro:
Ed. UFRJ, 2001.
Debord, Guy. A sociedade do espetáculo. São Paulo: Contraponto, 1997.
Eagleton, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: J. Zahar Ed., 1998.
Eco, Humberto. Apocalípticos e integrados. São Paulo: Perspectiva, 1993.
Featherstone, Mike. O desmanche da Cultura. Globalização, Pós-Modernismo e Identidade. São Paulo:
Sesc/Nobel, 1997.
Harvey, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Edições Loyola, 1993.
Ianni, Otávio. A sociedade global. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993.
Jameson, Fredric. Pós-modernidade e sociedade de consumo. In: Novos Estudos Cebrap, no. 12, jun. 1985.
Jameson, Fredric. Reificação e utopia na cultura de massa. In: As marcas do visível. Rio de Janeiro: Graal,
1995.
Jameson, Fredric. A cultura do dinheiro. Petrópolis: Vozes, 2001.
Jameson, Fredric. As sementes do tempo. São Paulo: Ática, 1997.
Jameson, Fredric. Pós-Modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1996.
Jameson, Fredric. Pós-Modernismo. São Paulo: Àtica, 1996.
Lima, Luís Costa (org.) Teorias da Cultura de massa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.
Martín-Barbero, Jesús. De los médios a las mediaciones. Bogotá: Convénio Andrés Bello, 2003.
Marcuse, Herbert. Algumas implicações sociais da tecnologia moderna. In: Praga. Revista de Estudos
Marxistas no. 1. São Paulo: Boitempo, julho 1997.
Morin, Edgar. Cultura de massas no século XX. Volume 1: Neurose. Rio de Janeiro: Forense Universitária,
1997.
Morin, Edgard. Cultura de Massas no Século XX. Volume 2: Necrose. Rio de Janeiro: 1999.
Ortiz, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.
Williams, Raymond. Cultura. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

SOC 020 SOCIOLOGIA DA INOVAÇÃO


06 créditos - 90 hs
Ementa
Desenvolvimento tecnológico e desenvolvimento social; Tecnologia e organização do trabalho; O
desenvolvimento da alta tecnologia (robotização e micro-eletrônica) e seu impacto sobre a composição da
força de trabalho; Novas tecnologias de comunicação e informação e seu impacto sobre a cultura; O papel da
técnica no desenvolvimento do capitalismo; Crítica sociológica à técnica moderna; O conceito de tecnociência;
Implicações sociais da biotecnologia.
Bibliografia
ALBAGLI, Sarita & MACIEL, Maria Lúcia. Informação e conhecimento na inovação e no desenvolvimento
local. In: Ciências da Informação, v. 33, n. 3, p. 9-16, set./dez., 2004.
ARAÚJO, H.R. (org.) Tecnociência e cultura, São Paulo, Estação Liberdade, 1998.
BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica, in Adorno, Benjamin... Col. Os
Pensadores, 1983.
CALLON, Michel. Society in the making: The study of technology as a tool for sociological analysis. In:
BIJKER, Wiebe et al. (Eds.). The social construction of technological systems. Mass., Cambridge: MIT Press,
1987.
CASSIOLATO, José Eduardo & LASTRES, Helena. Sistemas de Inovação: políticas e Perspectivas. In:
Parcerias estratégicas, n. 08, p. 237-255, 2000.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. (Trad. de Roneide Majer). São Paulo: Paz e Terra, 1999.
CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.
FEENBERG, Andrew. Critical theory of technology. Oxford: Oxford University Press, 1991.
FLICHY, Patrice. L'innovation technique? recents développements en sciences sociales vers une nouvelle
theorie de l'innovation. Paris: La Decouverte, 1995.
FREEMAN, Christopher. The economics of hope. Londres: Pinter, 1992.
FREEMAN, Christopher. Economics of industrial innovation. Cambridge: MIT, 1982.
GIBBONS, Michael et al. The new production of knowledge. Londres: Sage, 1994.
HABERMAS, J. Ciência e técnica como ideologia, in Adorno, Benjamin... Col. Os Pensadores, 1983.
LATOUR, Bruno. Ciência em ação. Como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. (Trad. de Ivone
Benedetti). São Paulo: Unesp, 2000.
LEMOS, Cristina. Inovação na era do conhecimento. In: Parcerias estratégicas, n. 08, p.157-179, 2000.
MACIEL, Maria Lúcia. O milagre italiano: Caos, crise e criatividade. Brasília: Paralelo 15, 1996.
MACIEL, Maria Lúcia. Inovação e conhecimento. In: SOBRAL, Fernanda et al. (Org.) A alavanca de
Arquimedes. Ciência e tecnologia na virada do século. Brasília: Paralelo 15, 1997.
MACIEL, Maria Lúcia. Ciência, tecnologia e inovação: a relação entre conhecimento e desenvolvimento. In:
BIB - Revista Brasileira de Informação Bibliográfica em Ciências Sociais, n. 54, p. 67-80, 2º. semestre 2002.
MARTINS, Hermínio (Org.). Dilemas da civilização tecnológica. Lisboa: ICS, 2003.
MARX, K. O Capital...
MOWERY, David & ROSENBERG, Nathan. Trajetórias da inovação: A mudança tecnológica nos Estados
Unidos da América no século XX. Campinas: Unicamp, 2005.
SANTOS, L.G. Politizar as novas tecnologias, São Paulo, Ed. 34, 2003.
SANTOS, L.G. - “Tecnologia, perda do humano e crise do sujeito do direito". In: OLIVEIRA, Francisco de &
PAOLI, Maria Célia (Orgs). Os sentidos da democracia: Políticas do dissenso e hegemonia global. Petrópolis:
Vozes, 2000.
SCHUMPETER, Joseph Alois. Teoria do desenvolvimento econômico. (Trad. de Maria Sílvia Possas). In: Os
pensadores, São Paulo: Abril 1982.
SHIVA, Vandana. Biopirataria. São Paulo: Vozes, 2001.
TRIGUEIRO, Michelangelo Giotto. O clone de Prometeu. Brasília: UnB, 2002.

SOC 021 SOCIOLOGIA DA RELIGIÃO


06 créditos - 90 hs
Ementa
A disciplina trata dos aspectos sociológicos do fenômeno religioso. Na parte introdutória, trata-se do escopo
da disciplina, as diversas definições de religião utilizadas na sociologia, e as possíveis relações entre o estudo
sociológico e os fenômenos religiosos em si. Em seguida, investiga-se o papel atribuído à sociologia da
religião nos autores clássicos da disciplina: Tocqueville, Marx, Engels, Durkheim, Weber, Simmel, Troeltsch.
Depois, estuda-se o debate contemporâneo sobre o paradigma da secularização, frisando a necessidade de
globalizar o debate para além das trajetórias européia e norte-americana. Discute-se em seguida a relação
entre religião e política em nível mundial, inclusive o papel do chamado fundamentalismo em várias religiões
mundiais. Depois, investigam-se as transformações do campo religioso latino-americano. Por fim, estudam-se
os principais fenômenos contemporâneos do campo religioso brasileiro, inclusive a extensão deste em
fenômenos transnacionais.
Bibliografia
Birman, Patrícia & Leite, Marcia Pereira. 2000. `Whatever Happened to what used to be the Largest Catholic
Country in the World´, Daedalus, 129, 2, Spring, pp. 239-270.
Casanova, José. 2006. `Rethinking Secularization: a Global Comparative Perspective´, The Hedgehog
Review, 8, 1-2, Spring-Summer, pp. 7-23.
Davie, Grace. 2002. Europe: the Exceptional Case, London, Darton, Longman & Todd.
Hagopian, Frances. 2005. `Religious Pluralism, Democracy, and the Catholic Church in Latin America in the
Twenty-First Century´, paper apresentado no congresso `Contemporary Catholicism, Religious Pluralism, and
Democracy in Latin America: Challenges, Responses, and Impact´, University of Notre Dame.
Jacob, Cesar Romero et al. 2003. Atlas da Filiação Religiosa e Indicadores Sociais no Brasil, Rio de Janeiro,
Ed. PUC-Rio / São Paulo, Loyola.
Martin, David. 2002. Pentecostalism: the World their Parish, Oxford, Blackwell.
Gómez de Souza, Luiz Alberto et al, Desafios do Catolicismo na Cidade, São Paulo, Paulus.
Norris, Pippa & Inglehart, Ronald. 2004. Sacred and Secular, Cambridge University Press.
Pierucci, Antônio Flávio & Prandi, Reginaldo, A Realidade Social das Religiões no Brasil, São Paulo, Hucitec.
Vásquez, Manuel & Marquardt, Marie Friedmann. 2003. Globalizing the Sacred. New Brunswick, Rutgers.
The Hedgehog Review, 2002 (número especial sobre globalização e religião).
Freston, Paul. 2007. Latin America: The `Other Christendom´, Pluralism and Globalization, in Beyer, P. &
Beaman, L. (orgs.), Globalization, Religion
and Culture, Routledge.
Ari Pedro Oro e Carlos Alberto Steil (orgs.), Globalização e religião -Vozes, Petrópolis 1997.

SOC 022 SOCIOLOGIA DAS DIFERENÇAS


06 créditos - 90 hs
Ementa
A "Naturalização" do Social; Família Burguesa e Normalização; A Construção Social dos Anormais; Saberes e
Práticas Normalizadoras (Eugenia, Criminologia, Sexologia, Psiquiatria e Psicanálise); relações entre saberes
e práticas normalizadoras; A Emergência das "Diferenças" ; A Segunda Escola de Chicago (Howard Becker e
Erving Goffman); Michel Foucault (História da Loucura e da Sexualidade); Abordagens contemporâneas das
diferenças Pós-foucaultianos ; Teoria queer (Rubin, Sedgwick, Butler, Halberstam, Preciado)
Bibliografia
Alvarez, Marcos César. O Homem Delinqüente e o Social Naturalizado: apontamentos para uma história da
criminologia no Brasil In: Miskolci, Richard. (Org.) Dossiê Normalidade, Desvio Diferenças. São Carlos: Teoria
& Pesquisa, 2005. v.47.
Borges, Dain: Inchado, feio, preguiçoso, inerte: A Degeneração no Pensamento Social Brasileiro 1880-1940
Tradução de Richard Miskolci. In: Miskolci, Richard. (Org.) Dossiê Normalidade, Desvio Diferenças. São
Carlos: Teoria & Pesquisa, 2005. v.47.
Bourdieu, Pierre. A Dominação Masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.
Brah, Avtar. Diferença, Diversidade, Diferenciação. In: cadernos pagu. v. 26, 2006, p.329-376
Butler, Judith. O Parentesco é sempre tido como heterossexual? In: Cadernos Pagu. Campinas: Pagu, 2003,
v. 21, p.219-260
Butler, Judith. Problemas de Gênero? Feminismo e Subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização
Brasileira, 2003.
Canguilhem, George. O Normal e o Patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.
Deleuze, Gilles. Conversações. Tradução Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 2004.
Foucault, Michel. História da Sexualidade II. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1985.
Foucault, Michel. Os Anormais. São Paulo, Martins Fontes, 2001.
Foucault, Michel. Vigiar e Punir. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, Vozes, 1998.
Gilman, Sander L. A Gordura como Deficiência: O Caso dos Judeus. Tradução de Richard Miskolci. In:
Cadernos Pagu. Campinas: pagu, v.23, 2004.
Foucault, Michel. O Caso Nietzsche ou o que torna perigosas filosofias perigosas. Tradução de Richard
Miskolci. In: Miskolci, Richard. (Org.) Dossiê Normalidade, Desvio Diferenças. São Carlos: teoria & pesquisa,
2005. v.47.
Googe, Erich. Moral Panics ‘The Social Construction of Deviance’. Gros, Frédéric (org.) Foucault: A coragem
da verdade. São Paulo: Parábola, 2004.
Laqueur, Thomas. Inventando o Sexo. Corpo e Gênero dos Gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará,
2001.
Louro, Guacira Lopes. Um Corpo Estranho. Porto Alegre: Autêntica, 2004.
Miskolci, Richard. Do Desvio às Diferenças. In: Miskolci, Richard. (Org.) Dossiê Normalidade, Desvio
Diferenças. São Carlos: Teoria & Pesquisa, 2005. v.47.
Miskolci, Richard. Estética da Existência e Pânico Moral In: Rago, M. e Veiga-Neto, A. Figuras de Foucault.
Belo Horizonte, Autêntica, 2006.
Rago, Margareth. Amores Lícitos e Ilícitos na Modernidade Paulistana ou no Bordel de Madame Pomméry In:
Miskolci, Richard. (Org.) Dossiê Normalidade, Desvio Diferenças. São Carlos: Teoria & Pesquisa, 2005. v.47.
Rago, Margareth et alli. (Orgs). Imagens de Foucault e Deleuze: Ressonâncias Nietzscheanas. Rio de
Janeiro: DP&A, 2002.
Rago, Margareth. Os Prazeres da Noite. Prostituição e Códigos da Sexualidade Feminina em São Paulo
(1890-1930) Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.
SCOTT, Joan W.. O enigma da igualdade. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 13, n. 1, 2005.
Stepan, Nancy Leys. Raça e Gênero - O Papel da Analogia na Ciência In: Tendências e Impasses - O
Feminismo como Crítica da Cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994. p.72-96
Thompson, Kenneth. Moral Panics? Key Ideas. London: Routledge, 1998.

SOC 023 SOCIOLOGIA DAS OCUPAÇÕES E DAS PROFISSÕES


Ementa
A diferenciação entre ocupação e profissão no mundo anglo-saxão. O desenvolvimento dos estudos sobre
profissões superiores: 1) o fazer profissional; 2) as profissões concebidas como a legitimação do altruísmo na
sociedade capitalista; 3) as profissões como monopólios de poder, 4) as profissões superiores como um
sistema competitivo; e 5) a crítica de Bourdieu ao conceito e ao estudo da profissão, 6) as profissões e o
Estado.
Bibliografia
BARBOSA, Maria Ligia de O. - Para onde vai a classe média: um novo profissionalismo no Brasil. Tempo
Social 10, n. 1, 1998.
BARBOSA, Maria Ligia de O. - As profissões no Brasil e sua sociologia, Dados, 46, 2003. ps.593/606.
BONELLI, Maria da Gloria - Profissionalismo e política no mundo do Direito, São Paulo,
Edufscar/Sumaré/Fapesp, 2002, pgs. 13-82
CAMPOS, Leonildo S. - As mudanças no campo religioso brasileiro e seus reflexos na profissionalização do
pastor protestante. Teoria e Pesquisa 40/41, 2002. pg. 76-103
COELHO, Edmundo Campos. As Profissões Imperiais, capítulos 1 e 2. Rio de Janeiro, Record, 1999.
DUBAR, Claude - Trajetórias sociais e formas identitárias: alguns esclarecimentos conceituais e
metodológicos, Campinas, Educação e Sociedade, vol 19, n. 62, 1998.
DUBAR, Claude - Identidade profissional em tempos de Bricolage (entrevista com Claude Dubar). Rio de
Janeiro, Revista Contemporaneidade e Educação, 9 :152-156, 2001.
FREIDSON, Eliot - Para uma análise comparada das profissões: a institucionalização do discurso e do
conhecimento formal. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 31, junho de 1996.
FREIDSON, Eliot - Resenha de Carlos Eduardo Viegas, sobre o livro Professionalism: The third logic. Teoria e
Pesquisa, 40/41, pp. 247/251
MARTINS, Paulo Henrique - Contra a desumanização da medicina, São Paulo, Editora Vozes, 2003., ps. 11 a
56.
PETRACARCA, Fernanda R. - Jornalismo e meio-ambiente no Rio Grande do Sul: trajetórias profissionais e
lógicas de engajamento na produção de notícias ambientais. Teoria e Pesquia 40/41, 2002, ps. 107/136.
RODRIGUES, Maria de Lurdes - Sociologia das Profissões, Celta, Portugal (Oeiras), 1997.
SCIULLI, David - Continental Sociology of Professions today: conceptual contributions. Current Sociology
53:6, 2005. E o debate em torno desta visão, publicado no mesmo periódico.

SOC 024 SOCIOLOGIA DO TRABALHO


06 créditos - 90 hs
Ementa
O curso visa discutir o papel do trabalho na constituição de formas de sociabilidade na sociedade capitalista e
suas transformações atuais. Analisa as mudanças tecnológicas, organizacionais e suas implicações no
surgimento de atores coletivos, movimentos sociais, políticas públicas e na vida cotidiana. Aborda temáticas
contemporâneas e emergentes no estudo trabalho-sociedade e o extrapolamento das fronteiras intra-
disciplinares, como a sociologia do trabalho, a sociologia econômica, a sociologia urbana e sociologia política.
Bibliografia
ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho. Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do
trabalho. S.Paulo, Cortez- Campinas, Ed.Unicamp, 1995.
ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro, Forense-Universitária, 1981.
BAUMANN, Zygmunt. Comunidade. A busca por segurança no mundo atual. Rio, Zahar, 2003.
BECK, Ulrich. The Brave New World of Work. Cambridge, UK, Polity Press, 2001.
BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista. A degradação do trabalho no século XX. Rio de Janeiro,
Zahar Editores, 1981.
CASTEL, Robert. As metamorfoses da questão social. Uma crônica do salário. Petrópolis, Vozes, 1998.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Rio, Paz e Terra, 1999.
CORIAT, Benjamin. Pensar pelo avesso. O modelo japonês de trabalho eorganização. Rio de Janeiro, Editora
da UFRJ/Revan, 1994.
DEJOURS, Cristophe. A banalização da injustiça social. Rio, FGV Editora,2003.
GORZ, André. O imaterial. Conhecimento, valor e capital. São Paulo, Annablume, 2005.
GRANOVETTER, Mark. Getting a Job. A Study of Contacts and Careers. 2nd Edition.. Chicago, The University
of Chicago Press, 1995.
HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo, Loyola, 1993.
LAZZARATO, Maurizio e NEGRI, Antonio. Trabalho imaterial. Rio, DP&A, 2001.
LIMA, Jacob C. As artimanhas da flexibilização: o trabalho em cooperativas de produção industrial. São Paulo,
Terceira margem, 2002.
MACHADO DA SILVA, Luiz Antonio e CHINELLI, Filippina. Velhas e novas questões sobre a informalização do
trabalho no Brasil atual. Contemporaneidade e Educação 2(1), 1997.
MARTINS, Heloisa de S., RAMALHO, José Ricardo. Terceirização. Diversidade e negociação no mundo do
trabalho. São Paulo, HUCITECCEDI/NETS, 1994.
MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos de 1844. Lisboa, Edições Avante, 1993.
MARX, Karl. O capital . Crítica da economia política. Rio, Civilização Brasileira, 1975.
PIORE, Michael J. e SABEL, Charles, F. The Second Industrial Divide.Possibilities for Prosperity. Basic Books,
1984.
RAMALHO, José Ricardo (2000). Trabalho e sindicato: posições em debate na sociologia hoje. Dados, Rio de
Janeiro, vol.43, n.4, 2000.
RODRIGUES, Leôncio M. Destino do Sindicalismo. Spaulo. EDUSP-FAPESP, 2002.
SENNET, Richard. A corrosão do caráter. Consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio-São
Paulo, Record, 1999.
MARTINS, Heloisa de S., RAMALHO, José Ricardo. Terceirização. Diversidade e negociação no mundo do
trabalho. São Paulo, HUCITECCEDI/NETS, 1994.
MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos de 1844. Lisboa, Edições Avante, 1993.
MARX, Karl. O capital . Crítica da economia política. Rio, Civilização Brasileira, 1975.
PIORE, Michael J. e SABEL, Charles, F. The Second Industrial Divide.Possibilities for Prosperity. Basic Books,
1984.
RAMALHO, José Ricardo (2000). Trabalho e sindicato: posições em debate na sociologia hoje. Dados, Rio de
Janeiro, vol.43, n.4, 2000.
RODRIGUES, Leôncio M. Destino do Sindicalismo. São Paulo. EDUSP-FAPESP, 2002.
SENNET, Richard. A corrosão do caráter. Consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio-São
Paulo, Record, 1999.

SOC 025 SOCIOLOGIA E POLÍTICA AMBIENTAL


06 créditos - 90 hs
Ementa
Formação da Agenda Ambiental no mundo desenvolvido: antecedentes e consequências políticas e sócio-
culturais; 2) Meio ambiente e relações
internacionais: a apropriação da questão ambiental pelos países em desenvolvimento. 3) Políticas ambientais
no Brasil: marco institucional, atores e estratégias.
Bibliografia
ALONSO, A.; COSTA, V. (2002) "Ciências sociais e meio ambiente no Brasil: um balanço bibliográfico", BIB,
nº 53, 1º semestre, pp. 35-78
ALVES, A. C. (1991) "Análise ambiental do ponto de vista jurídico" in TAUK, S. M. (Org.) Análise ambiental:
uma visão interdisciplinar, Ed. Unesp, S. Paulo, pp. 45-64
BECKER, B. (1993) A amazônia pós ECO-92. In BURSZTYN, M. (org.) Para pensar o desenvolvimento
sustentável, S. Paulo, Brasiliense/IBAMA/ENAP
CUSTÓDIO, H. B. (1991) "Legislação brasileira do estudo de impacto ambiental" in TAUK, S. M. (Org.) Análise
ambiental: uma visão interdisciplinar, Ed. Unesp, S. Paulo, pp. 45-64
DRUMMOND, J. A. (1999) A legislação ambiental brasileira de 1934 a 1988: comentários de um cientista
ambiental favorável ao conservacionismo. Ambiente & Sociedade, Vol. 2, Nos 3-4, pp. 127-49
FOLADORI, G. (2001) Limites do desenvolvimento sustentável, Campinas, Editora da UNICAMP/ Imprensa
Oficial
GARCIA DOS SANTOS, L. (1997) GUIMARÃES, R. (2001) "La sostenabilidad del desarollo entre Rio-92 y
Johannesburgo 2002: eramos felices y no sabiamos", Ambiente & Sociedade, vol. IV, nº 9, 2º semestre, pp. 5-
24
GUIMARÃES, P. C. V.; MACDOWELL, S. F.; DEMAJOROVIC, J. (1996 ) "Fiscalização em meio ambiente no
Estado de São Paulo", Cadernos FUNDAP, nº 20, maio/agosto, pp. 59-75
LIMA, G. F. da COSTA; PORTILHO, F. (2001) - "A sociologia ambiental no contexto acadêmico norte-
americano: formação, dilemas e perspectivas", Teoria & Sociedade, nº 7, junho, pp.241-76
MARTINEZ-ALLIER, J. (1997) Justiça ambiental e distribuição ecológica de conflitos. In FERREIRA, Leila da
C. (org.) A sociologia no horizonte do século XXI, São Paulo, Boitempo, pp.122-35
PACHECO, R. S. et al.(1992) "Atores e conflitos em questões ambientais urbanas", Espaço & Debates, n° 35,
pp. 46-51
RIBEIRO, W. C. (2001) A ordem ambiental internacional, São Paulo, Contexto
SACHS, I. (1993) "Estratégias de transição para o século XXI", in BURSZTYN, M. (org.) Para pensar o
desenvolvimento sustentável, S. Paulo, Brasiliense/IBAMA/ENAP
VARGAS, M. C. (1999) "O gerenciamento integrado dos recursos hídricos como problema sócio-ambiental",
Ambiente & Sociedade, Ano II, nº 5, 2º semestre de 1999, pp.109-34
VIGEVANI (1997) "Meio ambiente e relações internacionais", Ambiente & Sociedade, Vol. 1, nº 1, pp. 27-61
VIOLA, E. J.; LEIS, H. R. (1992) "A evolução das políticas ambientais no Brasil, 1971-1991: do bissetorialismo
preservacionista ao muti-setorialismo orientado para o desenvolvimento sustentável" in HOGAN, D.J.; VIEIRA,
P. F. (orgs.) Dilemas sócio-ambientais e desenvolvimento sustentável, Campinas, Editora da UNICAMP

SOC 026 SOCIOLOGIA ECONÔMICA


06 créditos - 90 hs
Ementa
Fundamentos da sociologia econômica; Sistemas Econômicos e Instituições; a Burocracia e o estudo das
organizações; Mercados, redes sociais, confiança, capital social; o desenvolvimento social; Economia moral,
economia social, economia solidária.
Bibliografia
BOLTANSKI, Luc., CHIAPELLO, Eve(1999). Lê nouvel esprit du capitalisme. Paris, Gallimard.
BOURDIEU, Pierre (2000) Les structures sociales de l'économie. Paris, Seuil.
PUTNAM, Robert (2000). Comunidade e Democracia - a experiência da Itália Moderna. Rio de Janeiro, FGV
Editora.
CATTANI, Antonio David (2003). A outra economia. Porto Alegre, Veraz Editores.
FRANÇA FILHO, G.C., LAVILLE, Jean-Louis. Economia Solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre,
UFRGS Editora, 2004.
GRANOVETTER, Mark. Getting a Job (1995). A Study of Contacts and Careers.. Chicago, The University of
Chicago Press.
GREIDER, William(2003). The Soul of Capitalism.Opening Paths to a Moral Economy. New York, Simon &
Schuster Paperbacks.
MAUSS, Marcel(1969). Ensaios de Sociologia. São Paulo, Perspectiva.
MAUSS,Marcel(2003). Sociologia e Antropologia. São Paulo, Cosac& Naify.
PEIXOTO, João, MARQUES, Rafael(2003)(org). A nova sociologia econômica. Oeiras, Celta.
POLANYI, Karl. (1980) A grande transformação - as origens da nossa época. RJ, Campus.
GRANOVETTER, Mark , SWEDBERG, Richard(org.) (2001). The Sociology of Economic Life Cambridge MA,
Westiview Press.
SABEL, C. & PIORE, M (1994) The Second Idustrial Divide. USA, Basic Books.
MARX, Karl.(1975). O capital:crítica da economia política. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.
SINGER, Paul(1998). Uma utopia militante. Repensando o socialismo. Petrópolis, Vozes.
SMELSER, Neil J(1968). A sociologia da vida econômica. São Paulo, Pioneira.
SMELSER, Neil J., SWEDBERG, Richard(1994). The Handbook of Economic Sociology. Princenton, NJ,
Princeton University Press..
WANDERLEY, F. (2003) "Avanços e desafios da Nova Sociologia Econômica: notas sobre os estudos
sociológicos do mercado - uma introdução". In Sociedade e Estado, Vol.XVII, No 1, jan-junho de 2002.
Brasília.
WEBER, Max(1999). Economia e Sociedade. Brasília, Editora UnB.
SWEDBERG, Richard, et al. Sociologia Econômica. Número especial Tempo Social. Revista de Sociologia da
USP, vol 16(2), novembro de 2004.

SOC 027 SOCIOLOGIA RURAL


06 créditos - 90 hs
Ementa
O curso tem como temáticas a discussão sobre sociedades rurais e capitalismo agrário: classes, questão
fundiária e relações de trabalho; poder, prestígio, dominação e legitimidade em contextos rurais; ruralidades e
identidades sociais; cultura popular e movimentos sociais rurais; campesinato: organização social e
resistência cotidiana;migrações, família e gerações no campo; modernidade e sistemas rurais; ruralidade,
conduta econômica e consciência temporal; gênero, agricultura familiar e pluriatividade; globalização e
sustentabilidade dos processos agrários
Bibliografia
ABRAMOVAY, Ricardo. Paradigmas do capitalismo agrário em questão. São Paulo: Anpocs/Hucitec/Ed.
Unicamp, 1992.
ABRAMOVAY, Ricardo. O futuro das regiões rurais. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 2003.
BOURDIEU, Pierre; SAYAD, Abdelmalek Le déracinement: la crise de l'agriculture traditionnelle en Algérie.
Paris : Les Éditions de Minut, 1964.
BUTTEL, Frederick ; NEWBY, Howard. The rural sociology of the advanced societies. Montclair, NJ: Allanheld,
Osmun, 1982
CAMPANHOLA, Clayton; SILVA, José Graziano O novo rural brasileiro. Jaguariúna-SP: Embrapa, 2000.
CANDIDO, Antônio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação dos seus
meios de vida. 8ª ed. São Paulo: Duas Cidades, 1998.
FERNANDES, Florestan. Anotações sobre o capitalismo agrário e mudança social no Brasil. In Sociedade de
classes e subdesenvolvimento. 4ªed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981, pp.190-211.
GARCIA, Afrânio. O Sul: o caminho do roçado. Estratégias de reprodução camponesa e transformação social.
São Paulo: Marco Zero, 1989.
GRAMMONT, Hubert (org) Nueva ruralidad: avances teóricos y evidencias. Buenos Aires: Clacso, 2006.
HEREDIA, Beatriz; MEDEIROS, Leonilde, PALMEIRA; Moacir; CINTRÃO, Rosângela; LEITE, Sérgio. Os
impactos regionais da reforma agrária: um estudo sobre áreas selecionadas. CDPA-UFRRJ/PPGAS-MN-
UFRJ/NEAD: Rio e Janeiro, 2002.
HERVIEU, Bertrand. Les champs du futur. Paris: Bourdin Francois Eds, 1993.
JEAN, Bruno. Territoire d'avenir: pour une sociologie de la ruralité. Québec, PUQ, 1997.
JOLLIVET, Marcel. Pour une science sociale à travers champs: paysannerie, ruralité capitalisme (France XXe
sciècle). Paris: Ed. Arguments, 2001.
KAUTSKY, Karl. La question agraire: étude sur les tendances de l'agriculture moderne. Paris, Maspéro, 1970.
MARSDEN, Terry; MURDOCH, Jonathan. Between the local and the global: confronting complexity in the
contemporary agri-food Sector. Collection Research in Rural Sociology and Development, vol. 12. Elsevier (JAI
Press), 2006.
MARTINS, José de Souza. Capitalismo e tradicionalismo: estudos sobre as contradições da sociedade agrária
no Brasil. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1975.
MARTINS, José de Souza. Reforma agrária: o diálogo impossível. São Paulo: Edusp, 2001.
MARX, Karl (1983) O capital: crítica da economia política (livro III). São Paulo: Difel.
MEDEIROS, Leonilde. História dos movimentos sociais no campo, Rio de Janeiro, FASE, 1989.
MENDRAS, Henry. Sociétés paysannes. Paris: Armand Colln, 1976.
MOREIRA, Roberto. (org) Identidades sociais: ruralidades no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro, DP&A,
2005.
MURDOCH, Jonathan; MARSDEN, Terry. Reconstituting rurality: class, community and power in the
development process. London, UCL Press, 1994.
QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Cultura, sociedade rural e sociedade urbana no Brasil. São Paulo:
LTC/Edusp, 1978.
SCOTT, James The moral economy of the peasant. New Haven, Yale University Press, 1976.
SILVA, Maria Aparecida de Moraes. Errantes do fim do século. São Paulo: Editora Unesp, 1999.
WANDERLEY, Maria de Nazareth Baudel. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas
avançadas: o 'rural' como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura, 15, outubro, 2000,
pp. 87-145.
WEBER, Max. Capitalismo e sociedade rural na Alemanha. In: Ensaios de sociologia. 5ª ed. Rio de Janeiro:
Zahar Editores, 1982.

SOC 028 SOCIOLOGIA URBANA


06 créditos - 90 hs
Ementa
Através de uma abordagem histórica e teórico-conceitual, o curso examina, em sua primeira parte, a formação
e consolidação do urbanismo e da sociologia urbana como campos de investigação científica e de intervenção
nas políticas públicas. Revisita a abordagem do fenômeno urbano na teoria sociológica clássica, na Escola de
Chicago, na Escola Francesa Marxista e no âmbito dos estudos de planejamento urbano. A segunda parte
enfatiza estudos analíticos de sociologia voltados à realidade urbana brasileira com temas referentes aos
novos padrões de segregação sócio-espacial e divisão territorial do trabalho; urbanização sustentável;
governança metropolitana; desterritorialização e re-territorialização das atividades produtivas; os movimentos
sociais; os dilemas da política urbana face ao crescimento da desigualdade, da violência e da exclusão.
Bibliografia
BIDOU-ZACHARIASEN, Catherine. De volta a cidade. Dos processos de gentrificação às políticas de
revitalização dos centros urbanos. São Paulo, Annablume, 2006.
BOURDIEU, Pierre (org.) 1993 - La Misère du Monde, Paris, Seuil.
CARLOS, Ana Fani Alessandri e LEMOS, Amália Inês Geraiges. Dilemas urbanos. Novas abordagens sobre a
cidade. São Paulo: Contexto, 2003. Parte IV - O trabalho na cidade, p. 185-227.
CARLOS, Ana Fani Alessandri. O espaço urbano. Novos escritos sobre a cidade. São Paulo: Contexto, 2004.
Uma leitura sobre a cidade, p. 17-34.
CASTELLS, M. (1983) A questão urbana, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983 (1a ed.:Paris, 1972)
CASTELLS, Manuel e HALL, Peter. 1995. Technopoles of the World. Londres: Routledge
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo:
Paz e Terra, 1999. vol. 1, cap. 3 e 4, p. 209-412.
CERTEAU, Michel; Giard, Luce; Mayol, Pierre 1994 - L'Invention du Quotidien, 2, Habiter, Cuisiner, Paris,
Gallimard-Folio.
ELIAS, Norbert; Scotson, John 1994 - The Established and the Outsiders, Londres, Sage.
DAVIS, M. (1992). A cidade de quartzo: escavando o futuro em Los Angeles. São Paulo: Scrita.
CHOAY, F. (1997) O urbanismo. Utopias e realidades, São Paulo, Perspectiva, 4a edição
FERNANDES, A.C. (2001) "Da reestruturação corporativa à competição entre cidades: lições urbanas ...",
Espaço & Debates, nº 41, pp. 26-45
GONÇALVES, Maria Flora (org.). O novo Brasil urbano: impasses, dilemas, perspectivas. Porto Alegre:
Mercado Aberto, 1995, p. 23-40.
GOTTDIENER, M. (1993). A produção social do espaço urbano. São Paulo: EDUSP.
HALL, Peter. 1995. Cities of Tomorrow. Oxford: Routledge.
HARVEY, D. (1993). Condição Pós Moderna. São Paulo, Loyola.
JACOBS, Jane. Morte e vida de grande cidades. São Paulo: Martins Fontes,2003.
KOWARICK (2000) Escritos Urbanos. São Paulo: ed. 34.
LE CORBUSIER (1933) A Carta de Atenas, São Paulo, Ed. Perspectiva
LEFEBVRE, Henry. O direito à cidade. São Paulo: Ed. Moraes, 1991.
LIPIETZ, A. (1987). O capital e seu espaço. São Paulo: Nobel.
MARICATO, Ermínia. O Urbanismo na periferia do capitalismo: desenvolvimento da desigualdade e
contravenção sistemática. In GONÇALVES, Maria Flora (org.). O novo Brasil urbano: impasses, dilemas,
perspectivas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1995, p. 261-287.
MARQUES, E. (2000). Estado e Redes sociais: permeabilidade e coesão nas políticas urbanas no Rio de
Janeiro. Rio de Janeiro: Revan/Fapesp.
MUMFORD, Lewis (1965) A cidade na História, B. Horizonte, Itatiaia (1a ed. N.Y., 1961)
PADDISON, Ronan (Coord.) 2001 - Handbook of Urban Studies, London, Sage.
WEBER, Max. Conceito e categorias de cidades. In VELHO, Otavio Guilherme. O fenômeno urbano. 4. ed.
Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979, p. 68-89.
PARK, R. E. (1916) "A cidade: sugestões para a investigação do comportamento humano no meio urbano" in
Velho, O. G. (org.) O fenômeno urbano (col. Textos Básicos de Ciências Sociais], Rio de Janeiro, Zahar,
1967, pp.29- 72
RIBEIRO, L. C. Q.; CARDOSO, A. L. (1994): "Planejamento urbano no Brasil: paradigmas e experiências",
Espaço & Debates (37): pp. 77-89
RIBEIRO, L.C. (1997). Dos cortiços aos Condomínios Fechados: As formas de Produção da Moradia na
cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.
SASSEN, Saskia. 1991.The Global City. Princeton: Princeton University Press.
SILVA, R. T. (1999) "A regulação e o controle público da infra-estrutura e dos serviços urbanos no Brasil", in
DEAK, C.; SCHIFFER, S.R. (orgs.) O processo de urbanização no Brasil, S. Paulo, FUPAM/EDUSP, pp. 261-
312
SIMMEL, G. (1902) "A metrópole e a vida mental", in Velho, O. G. (org.) O fenômeno urbano, Rio de Janeiro,
Zahar, 1967, pp. 13-28
VALLADARES, Lícia do Prado. A invençao da favela. Do mito de origem a favela. Rio de Janeiro, Editora FGV,
2005.
WIRTH, Louis. O urbanismo como modo de vida. In VELHO, Otavio Guilherme. O fenômeno urbano. 4a. ed.
Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979, p. 90-113.

SOC 100 TÓPICOS ESPECIAIS EM PESQUISA SOCIAL


06 créditos - 90 hs
Ementa
Aberta. Estudos de abordagens metodológicas ou técnicas de pesquisa específicas.
Bibliografia
Aberta

SOC 101 TÓPICOS ESPECIAIS EM SOCIOLOGIA


06 créditos - 90 hs
Ementa
Aberta. A disciplina cobre as linhas de pesquisa do PPGS em áreas temáticas sem disciplinas eletivas
permanentes.
Bibliografia
Aberta

SOC 102 TÓPICOS ESPECIAIS EM TEORIA SOCIOLÓGICA


06 créditos - 90 hs
Ementa
Aberta. Aprofundamento de autores ou escolas sociológicas clássicas e contemporâneas.
Bibliografia
Aberta

SOC 152 ESTÁGIO DOCÊNCIA II - DOUTORADO


06 créditos - 90 hs
Ementa
O curso visa introduzir o aluno na perspectiva profissional docente, discutindo a relação ensino/aprendizado,
preparando e acompanhando a experiência de estágio em sala de aula, auxiliando com sugestões que
facilitam a interação com os alunos, os tipos de aula, a preparação do programa, as dicas para facilitar a
comunicação de conteúdos, os problemas mais frequentes enfrentados em sala, o processo de avaliação, as
relações com os docentes, os colegas e os alunos da graduação.
Bibliografia
Aberta

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS - DOUTORADO

SOC 150 SEMINÁRIO AVANÇADO EM SOCIOLOGIA


06 créditos - 90hs
Ementa
Aberta. Propõe-se a dar formação teórica mais sólida nas temáticas transversais da Sociologia. Focaliza
autores clássicos e/ou contemporâneos
relevantes, compondo um leque diversificado de formas de conceber as relações sociais.
Bibliografia
Aberta

SOC 151 SEMINÁRIO DE TESE


06 créditos - 90 hs
Ementa
Aberta.Focaliza substantivamente os temas dos projetos de pesquisa dos alunos inscritos na disciplina, além
de enfrentar questões concernentes à
realização do trabalho de campo a partir de bibliografia específica e atualização metodológica.
Bibliografia
Aberta