Você está na página 1de 3

ESTUDOS PARA UM ESTACIONAMENTO BASEADO NOS

COMPONENTES DE ACESSIBILIDADE ESPACIAL

COVATTI, Leodi Antônio (1);


BANKI, Gabriela Hall (2);
AMORIM, Julia Moraes Callado de (3);
ANDRADE, Isabela Fernandes (4);
BINS ELY, Vera Helena Moro (5).

(1) Universidade Federal de Santa Catarina, graduando em Arquitetura e Urbanismo


e-mail: leodi.covatti@gmail.com
(2) Universidade Federal de Santa Catarina, graduanda em Arquitetura e Urbanismo
e-mail: gabyh.banki@gmail.com
(3) Universidade Federal de Santa Catarina, mestranda PósARQ
e-mail:jucallado@hotmail.com
(4) Universidade Federal de Santa Catarina, doutoranda PósARQ
e-mail:acessiarq@gmail.com
(5) Universidade Federal de Santa Catarina, Dra.
e-mail:vera.binsely@gmail.com

RESUMO

Este resumo visa apresentar o trabalho de extensão desenvolvido por integrantes do Programa de
Educação Tutorial do curso de Arquitetura e Urbanismo (PET/ARQ) ao elaborar uma proposta de
estacionamento junto ao prédio do curso de Arquitetura e Urbanismo, com base nos princípios da
acessibilidade espacial, a fim de atender uma antiga demanda existente. Utilizou-se métodos como
pesquisa documental, bibliográfica, entrevistas semiestruturadas e não estruturadas e visitas
exploratórias como métodos de pesquisa, viabilizando não só a criação de sugestões para o projeto do
estacionamento como para seu paisagismo, sempre respeitando os anseios do Departamento de
Arquitetura e Urbanismo.

ABSTRACT

The summary presents the work of extension developed by members of the Programa de Educação
Tutorial do curso de Arquitetura e Urbanismo (PET/ARQ) to draft a parking lot next to the building from
the Architecture and Urbanism, based on the principles of spatial accessibility in order to meet an old
existing demand. It was used methods like bibliographical and documentary research, interviews,
exploratory visits, enabling not only the creation of suggestions for how to design the parking as their
landscaping, always respecting the aspirations of the Department of Architecture and Urbanism.
1. APRESENTAÇÃO

Durante a construção do prédio do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, da Universidade


Federal de Santa Catarina (UFSC), foi utilizada uma grande área na região sul da edificação
para abrigar o canteiro de obras e possibilitar o transporte de equipamentos e materiais. Essa
área terraplanada e coberta com pedrisco foi apropriada por docentes, visitantes e estudantes,
há aproximadamente uma década, sendo utilizada até hoje como estacionamento.
Observando o crescente fluxo diário de veículos que circulam pelo campus e o fato do
estacionamento estudado não possuir sequer pavimentação adequada, demarcação de vagas,
sinalização e iluminação, que o Departamento do Curso de Arquitetura e Urbanismo, através do
Centro Tecnológico da UFSC, designou o Programa de Educação Tutorial do curso de
Arquitetura e Urbanismo (PET/ARQ) para elaborar uma proposta para o local. A partir desta
demanda formou-se uma proposta de extensão a ser desenvolvida pelo grupo PET.
Inicialmente, realizou-se uma revisão bibliográfica acerca de assuntos como acessibilidade
espacial, legislação, espaços abertos e paisagismo, visando não elaborar uma proposta de
infraestrutura, mas sim um projeto em fase de estudo preliminar de um estacionamento
acessível e funcional, adequado aos fluxos de veículos e pessoas. A acessibilidade espacial
pode ser entendida, conforme Dischinger, Bins Ely e Piardi (2009), como a condição que
garante não só o acesso ao ambiente como também permite ao usuário utilizar os
equipamentos e participar das atividades disponíveis com independência e compreensão do
espaço e pode ser dividida em quatro componentes sendo que, neste estudo, enfatizaram-se
somente dois deles: orientação espacial e deslocamento. Optou-se, ainda, por trabalhar com
um paisagismo capaz de conduzir aos principais acessos, delimitar os espaços e criar áreas
sombreadas.

1.1 Objetivos

O trabalho teve como objetivo geral desenvolver uma proposta de estacionamento baseada nos
princípios da acessibilidade espacial. Além disso, foram definidos quatro objetivos específicos:
a) Delimitar a área destinada ao estacionamento, prevendo ou não sua expansão em etapas,
definido seus fluxos, acessos, distribuição de vagas, pavimentações e controle de acesso.
b) Inserir no estacionamento elementos que respeitem os conceitos de acessibilidade espacial,
principalmente aqueles ligados aos componentes de deslocamento e orientação espacial.
c) Revitalizar os fundos do prédio (fachada sul), destinando uma área aberta para atividades
acadêmicas, resgatando o espaço do canteiro de trabalho de acordo com o projeto original.
d) Definir soluções paisagísticas adequadas, considerando necessidades de sombra, de
segurança e respeitando os aspectos técnicos.

2. MÉTODOS E TÉCNICAS

Para atingir aos objetivos expostos utilizaram-se os métodos e técnicas a seguir:


a) Pesquisa Documental: conforme Lakatos e Marconi (2008) é realizada em fontes primárias.
Utilizaram-se as plantas arquitetônicas para auxiliar na compreensão da edificação existente
e na elaboração da planta base para elaboração das propostas de estacionamento.
Catalogaram-se as normas referentes à acessibilidade e pavimentação a partir de
documentos oficiais e públicos, contribuindo com a fundamentação teórica do estudo.
b) Pesquisa bibliográfica: realizada em livros, artigos e etc. Complementou as informações
normativas, possibilitando a ampliação da fundamentação teórica e a escolha dos métodos.
c) Entrevistas: Foram realizadas entrevistas não estruturadas a fim de obter informações sobre
os projetos e soluções de paisagismo. Para tal foi necessário à elaboração de um roteiro,
passível de ampliação, se necessário fosse (MARTINS; THEÓPHILO, 2009). Optou-se
pelas entrevistas não estruturadas, mais informais, com os requerentes do projeto a fim de
definir a demanda, esclarecendo os anseios do departamento de arquitetura frente aos
acessos, limites e diretrizes de projeto.
d) Visitas exploratórias: Nas visitas exploratórias os pesquisadores realizaram levantamentos
físicos e registros fotográficos, passando a conhecer melhor o espaço em estudo, suas
potencialidades e fragilidades.

3. RESULTADOS

Para o desenvolvimento desta atividade de extensão, foram adotados conceitos e parâmetros


técnicos da NBR 9050 (ABNT, 2004) e as definições de Neufert (1998) e Goldsmith (2000) para
definição das dimensões e distribuição das vagas e vias do estacionamento. Foram estudados
diversos tipos de piso, recomendando-se o pavimento intertravado, devido a suas vantagens
técnicas, mão de obra abundante, facilidade de manutenção, opções de cores, modelos táteis e
baixo custo. Definiram-se as espécies de vegetação que proporcionam variedade de cores,
pouca manutenção e sombras.
Quanto à disposição mais adequada para as vagas definiu-se a concêntrica – seguindo a
configuração do edifício – atingindo-se um número de vagas satisfatório para a realidade local.
Foram definidas zonas para trânsito de pedestre e veículos, locais para plantio e cultivo de
vegetação e as delimitações do espaço destinado ao estacionamento, sugerindo-se ainda
possíveis ampliações.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A incompatibilização de projetos cedidos para o desenvolvimento da proposta para o espaço


em estudo foi um fator limitante. Apesar disso, foi possível atingir aos objetivos traçados
criando-se mais de uma proposta para o futuro estacionamento, que aliam funcionalidade,
acessibilidade, integração com o entorno e paisagismo.

Pode-se destacar como positivo o envolvimento do grupo com o tema, visto a relevância de se
trabalhar com questões relacionadas à acessibilidade espacial e, ao mesmo, solucionando um
problema vivenciado por todos em nosso meio acadêmico, com a possibilidade, enquanto
futuros arquitetos e urbanistas, de relacionar a pesquisa e a prática do projeto arquitetônico.

5. REFERÊNCIAS

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 9050 – Acessibilidade a edificações,


mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.
DISCHINGER, Marta; BINS ELY, Vera Helena Moro; PIARDI, Sonia Maria Demeda Groisman.
Promovendo a acessibilidade nos edifícios públicos: Programa de Acessibilidade às Pessoas com
Deficiência ou Mobilidade Reduzida nas Edificações de Uso Público. Florianópolis: Ministério Público de
Santa Catarina, 2009.
GOLDSMITH, Selwyn. Universal Design: a manual of practical guidance for architects. Woburn, MA:
Architectural Press, 2000.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina De Andrade. Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2008.
MARTINS, Gilberto de Andrade; THEÓPHILO, Carlos Renato. Metodologia da Investigação Científica
para Ciências Sociais Aplicadas. 2ed. São Paulo: Atlas, 2009.
NEUFERT, Ernst. A arte de projetar em arquitetura. Barcelona: Editorial Gustavo Gili, 1998.

Interesses relacionados