Você está na página 1de 2

TREINAMENTO EM AUTO-INSTRUÇÕES

Meichenbaum utiliza como marco geral as instruções relativas a “solução de problemas”


acrescendo dois aspectos importantes: as verbalizações de auto-reforço e as de
autocorreção.
 PROCEDIMENTO
1. O monitor ou terapeuta age como modelo e realiza uma tarefa enquanto fala consigo
mesmo em voz alta sobre o que esta fazendo (modelagem cognitiva).
2. O paciente (a criança) realiza a mesma tarefa do exemplo proposto pelo terapeuta,
sob as instruções deste (guia externa em voz alta).
3. O paciente realiza a tarefa enquanto se dirige a si mesmo em voz alta (auto-
instruções em voz alta).
4. O paciente realiza novamente a tarefa, enquanto murmura as instruções para si
mesmo (auto-instruções disfarçadas).
5. O paciente guia seu próprio comportamento através de auto-instruções internas,
enquanto vai desenvolvendo a tarefa (auto-instruções encobertas).
 CONSIDERAÇÕES SOBRE A TECNICA
1. Adequação as características do paciente (introduzir o procedimento de auto-
instruções como um jogo, quando se trata de criança).
2. A flexibilidade no tipo de instruções gerais a utilizar no momento do afrontamento do
problema (cada sujeito tem frases ou verbalizações especificas altamente eficazes
para controlar seu próprio comportamento).
3. O uso de imagens que incitem o sujeito ao uso das verbalizações no momento
adequado.
4. A pratica no uso das verbalizações para o controle do comportamento, em numerosas
situações, a fim de que o sujeito possa generalizar.
5. O envolvimento do paciente na aprendizagem.
 APLICAÇÕES
A. Problemas secundários à impulsividade do sujeito, nos quais o comportamento deste
não leva ao objetivo desejado devido à rapidez com que se executa a resposta. Este é
o caso de crianças hiperativas, alguns casos de rendimento escolar, agressividade.
Nestes casos, o procedimento introduz maior lentidão e, finalmente, uma melhor
execução.
B. Problemas secundários a auto-instruções negativas ou inadequadas, como no caso de
problemas de ansiedade (fobias, assertividade), stress, depressão. Nestes supostos, o
uso de determinadas auto-instruções substitui as verbalizações inadequadas do
sujeito, além de sugerir uma alternativa comportamental. Evidentemente, para
conseguir este mesmo objetivo existem outras técnicas cognitivas.
C. Problemas referentes à falta de autocontrole, controle do peso ou da ingestão de
álcool, prevenção das recaídas das dependências, controle dos comportamentos
delitivos. Nestes casos, o conteúdo das auto-instruções que devem ser usadas leva à
antecipação do comportamento que, impulsivamente, o sujeito pretende emitir,
retardando a atuação.
D. Dificuldades na aprendizagem, seja em função das dificuldades inerentes ao
problema, sejam devido às dificuldades cognitivas específicas dos sujeitos, como é o
caso de crianças deficientes.
Programa de Treinamento Para Fazer a Cama
(para crianças enuréticas)
(Para realizar estas instruções é imprescindível que se treine os pais com um exemplo na sessão e que
conheçam alguns termos de Modificação Comportamental).
1. Instruções a serem seguidas pelos pais. 1- DIA
1.1.0 exercício dura meia hora e deve-se escolher um momento oportuno para não ser interrompido pelas
outras pessoas ou tarefas.
1.2. Disponha-se, com seu melhor bom humor, a fazer a cama completa, enquanto vai dizendo em voz alta
o que vai fazendo diante de seu filho.
1.3. Diga-lhe: “Preste bem atenção no que faço, para que você aprenda a fazer sua cama”.
1.4. Uma vez dispostos os lençóis, a colcha, o travesseiro, etc., na presença da criança, você deve começar
dizendo o seguinte texto enquanto se dispõe a fazer a cama:
Qual é o meu problema ?T enho que aprender a fazer a cama corretamente.
Como posso fazê-lo? Primeiro tenho que comprovar que tenho todos os materiais, os lençóis... Muito
Bem, Eu os Tenho. Agora tenho que pegar o lençol de baixo e estendê-lo sobre o colchão... cuidando de
introduzir as bordas sob o colchão... Depois o lençol de cima... Muito Bem, Já o Tenho.
Agora devo colocar a colcha. Devo colocá-la com cuidado... Atenção, me enganei. Neste lado da cama
está encostando no chão (erre de propósito para que seu filho veja como se corrige) Não Foi Nada... Posso
Corrigi- lo... Puxo a colcha deste lado e já está... Arrumado... (Uma vez terminada a cama, faça a revisão).
Como ficou a cama? Está muito bem.
Amanhã Você Vai Fazer. Verá Como é Fácil.
2. Instruções a serem seguidas pelos pais. 2B DIA
2.1. Nas mesmas condições do dia anterior, preparados os lençóis, colcha, etc., pede-se à criança que faça
a cama enquanto você guia a resposta.
2.2. Explique-lhe que você vai falar indicando-lhe o que deve fazer. “Você lhe falará como se fosse seu
pensamento”.
2.3. Trate de dizer-lhe em voz alta o que dizia a si mesma no dia anterior (ponto 1.4), em perfeita
coordenação com o que a criança vai fazendo.
2.4. Fale devagar, suave, sem se alterar. Lembre que deve fazer as três perguntas: Qual é o meu problema?
Como posso resolvê-lo? Como ficou a cama ?
2.5. Lembre que deve introduzir auto-reforços e autocorreções, de acordo com a execução da criança
(textos em maiúsculas):.. Muito Bem, Já o Tenho.
Não Foi Nada... Posso Corrigi-lo...
3. Instruções a serem seguidas pelos pais. 3a DIA
3.1. Nas mesmas condições do dia anterior, preparados os lençóis, colcha, etc., peça à criança que faça a
cama enquanto ela mesma dirige suas respostas em voz alta.
3.2. Indique-lhe que ao falar deve fazer-se as três perguntas-chave: Qual é o meu problema? Como posso
fazer? Como ficou a cama ?
3.3. Indique-lhe a necessidade de auto-reforçar-se ou de autocorrigir-se. Se não o fizer, faça-o você,
inicialmente, e insista em que o faça.
3.4. Finalmente, Reforce o Trabalho da Criança.
4. Instruções a serem seguidas pelos pais. 4- DIA
4.1. Siga as instruções do terceiro dia, indicando-lhe que pode falar em voz baixa, cochichando.
4.2. Caso a criança não siga as instruções ou mesmo não faça a tarefa corretamente, ajude-a com algumas
instruções, mas sem intervir direta mente. (Neste caso, repetir outro dia nas mesmas condições).
4.3. Caso contrário, seguir as instruções do “último dia”.
5. Instruções a serem seguidas pelos pais. ÚLTIMO DIA
5.1. Nas mesmas condições do dia anterior, preparados os lençóis, colcha, etc., peça à criança que faça a
cama, pedindo-lhe que avise quando terminar.
5.2. Explique-lhe que está convencido/a de que já sabe fazer corretamente sua cama, e que hoje é o dia do
exame.
5.3. Reforce amplamente o trabalho da criança. Sinalize de maneira especial os aspectos corretos. Não
mencione os possíveis erros cometidos.

Você também pode gostar