Você está na página 1de 12

Centro Univerisitário de João Pessoa - Departamento de Ciências Exatas

Coordenação de Engenharia Civil

Fı́sica Geral e Experimental II


www.jfisica.com.br

Problemas de Termôdinâmica

Professor: José Jacinto Cruz de Souza

João Pessoa - PB
2014
3a LISTA DE EXERCÍCIO

1. TEMPERATURA através de uma equação que exprime a variação da


resistência em função da temperatura,
Q1. O que significa o zero absoluto?
Q2. O nitrogênio quando resfriado fica lı́quido e R = R0 (1 + AT + BT 2 )
pode ser utilizado no ramo da criogênia para con-
gelar tecidos e células vivas por longo tempo, e à em que R0 , A e B são constantes determinadas nos
pressão atmosférica, o nitrogênio lı́quido entra empontos de congelação e de ebulição da água e de fusão
ebulição à temperatura de 77, 15K. Qual é o valor do enxofre (T3 = 115◦ C). (a) Se R = 10000Ω ,
dessa temperatura na escala Celsius? no ponto de congelação, R = 13946Ω no ponto de
ebulição e R = 24817Ω no ponto de fusão do enxofre,
Q3. A sonda Mars Express da ESA (agência espa-
determine R0 , A e B. (b) Represente graficamente R
cial européia), para entrar na atmosfera de Marte, a
em função de T, entre 0 e 660◦ C.
uma velocidade 25 a 30 vezes superior que a veloci-
dade do som, foi feita para resistir a temperaturas
superiores a 1832◦ F . Quanto vale na escala Celsius 2. EXPANSÃO TÉRMICA
tal temperatura?
Q4. A sonda Huygens da ESA, que chegará à lua Q11. Faça uma exposição escrita explicando, do
de Saturno, Titã, em 2004, a bordo da nave espa- ponto de vista de sua estrutura interna, por que e
cial Cassini da NASA, deve enfrentar temperaturas como os sólidos e os lı́quidos se dilatam quando aque-
que podem chegar aos 1800◦ C. Qual é o valor desta cidos. Existe alguma exceção neste comportamento?
temperatura nas escala Kelvin e Fahrenheit? Explique.

Q5. A que temperatura a escala Fahrenheit indica Q12. O principal vão da ponte de Mackinac tem
uma leitua igual a (a) duas vezes a da escala Celsius comprimento de 1158m. A ponte é feita de aço. Su-
e (b) metade da escala Celsisus? ponha que a menor temperatura possı́vel da ponte
seka de −50◦ C e que a maior temperatura possı́vel
Q6. A escala de Römer, que originou a escala Fah- seja de 50◦ C. Quanto espaço deve estar disponı́vel
renheit, adotava como pontos fixos os valores 8, 0◦ R para expansão térmica no vão central da ponte de
para fusão do gelo e 60◦ R para água em ebulição. (a) Mackinac?
Estabeleça uma relação de conversão entre a escala
Celsius e a escala de Römer. (b) A temperatura, em
graus Celsius, que corresponte a 50◦ R?
Q7. No que está baseado o funcionamento de um
termômetro?
Q8. Onde são utilizados os termômetros de lâmina
bimetálica? Explique seu funcionamento.
Q9. Um termômetro de gás a volume constante é Q13. Uma placa de latão tem um orifı́cio com
calibrado em gelo seco (dióxido de carbono no estado diâmetro d = 2, 54cm. O orı́ficio é pequeno de-
sólido, temperatura de −80◦ C) e em alcool etı́lico em mais para que uma esfera de latão passe por ele. No
ebulição (temperatura de 78◦ C). Os valores das duas entanto, quando a placa é aquecida de 20◦ C para
pressões são 0, 9atm e 1, 635atm, respectivamente. 220◦ C, a esfera de latão passa pelo orifı́cio da placa.
Determine: (a) o valor do zero absoluto fornecido Em quanto aumenta a área do orifı́cio na placa de
pela calibração; (b) o valor da pressão no ponto de latão como resultado do aquecimento?
congelação da água; (c) o valor da pressão no ponto Q14. Verifica-se que o coeficiente de dilatação linear
de ebulição da água. do vidro comum tem o valor de 9, 0×10−6◦ C −1 . Qual
Q10. No intervalo de 0◦ C a 660◦ C usa-se, para inter- o valor do coeficiente de dilatação volumétrica desse
polar temperaturas na Escala Internacional Prática, material, caso alguém utilize a escala Fahrenheit?
um termômetro de resistência de platina, de carac- Q15. Num balão de vidro são introduzidos 100g de
terı́sticas especificadas. A temperatura T é calculada mercúrio, através de um pequeno orifı́cio. O balão
2

e o mercúrio encontram-se inicialmente a tempera- excedeu 6, 00cm, ele foi encaixado na haste, ficando
tura de 0◦ C. Quando a temperatura do conjunto au- firmemente preso a ela, depois de retornar à tempe-
menta para 20◦ C, verifica-se que 0, 3g de mercúrio ratura ambiente de 20◦ C. Muitos meses depois, o
transbordam. Sabendo que o coeficiente de dilatação engenheiro precisou remover o anel da haste. Para
volumétrica do mercúrio é α = 1, 82.10−4◦ C −1 , de-isso, aqueceu ambos até conseguir fazer o anel desli-
termine o coeficiente de expansão linear do vidro. zar pela haste. A partir de que temperatura, apro-
Q16. As placas de cimento de uma certa autoes- ximadamente, do conjunto o anel começa a deslizar
trada têm um comprimento de 25m à temperatura de pela haste cilı́ndrica?
10◦ C. Qual deve ser o espaçamento mı́nimo entre as Q21. O espelho telescópico do observatório da Serra
placas se o cimento puder atingir uma temperatura da Piedade, em Minas Gerais, tem um diâmetro de
de 50◦ C? (considere αcimento = 1, 2 × 10−5◦ C −1 ). 60cm e o seu coeficiente de dilatação linear é, apro-
−6◦ −1
Q17. Uma esfera oca de aluminio tem raio de 10cm ximadamente, de 3 × 10 C ◦ . A temperatura ◦ C. Determine
na

e raio externo de 12cm a 15 C. O coeficiente de di- Serra da Piedade varia entre 3 C e 30
latação linear do aluminio é 2, 3 × 10−5◦ C −1 . De a varição máxima do diâmetro do espelho.
quantos cm3 varia o volume da cavidade interna Q22. Logo depois que a Terra se formou, o calor
quando a temperatura sobe para 40◦ C? O volume causado pelo decaimento de elementos radioativos
aumenta ou diminui? aumentou a temperatura interna média de 300 para
Q18. Uma barra retilı́nea é formada por uma parte 3000K, que é, aproximadamente, o valor atual. Su-
de latão soldada em outra de aço. A 20◦ C. O com- pondo um coeficiente de dilatação volumétrica médio
−5 −1
primento total da barra é de 30cm, dos quais 20cm de 3.10 K , de quanto aumentou o raio da Terra,
de latão e 10cm de aço. os coeficientes de dilatação desde a sua formação?
linear são 1, 9 × 10−5◦ C para o latão 1, 1 × 10−5◦ C Q23. Uma barra feita com uma liga de alumı́nio
para o aço. Qual é o coeficiente de dilatação linear mede 10cm a 20◦ C e 10, 015cm no ponto de ebulição
da barra. da água. (a) Qual o seu comprimento no ponto de
congelamento da água? (b) Qual a sua temperatura,
se o seu comprimento é 10, 009cm.
Q24. Como resultado de uma elevação de tempera-
tura de 32◦ C , uma barra com uma fissura no seu
centro empena para cima. Se a distância fixa L0 for
3, 77m e o coeficiente de expansão linear da barra
Q19. Considere um recipiente de vidro com a forma for 25.10−6 /◦ C , determine a elevação x do centro
de um paralelepı́pedo, que possui uma de suas faces da barra.
menores aberta e a outra apoiada sobre a bancada
do laboratório, sendo que a distância entre elas é de
30cm. Deseja-se colocar mercúrio dentro deste reci-
piente, atingindo certa altura H, de tal maneira que
possa manter constante a parte vazia do recipiente
a qualquer temperatura. Qual o valor de H para
que este objetivo seja atingido? Dados: Coeficiente
de dilatação linear do vidro α = 9, 0.10−6◦ C −1 , co-
eficiente de dilatação volumétrica do mercúrio γ =
18.10−5◦ C −1 . Q25. Uma lâmina bimetálica reta consiste em uma
Q20. Um engenheiro precisou encaixar um barra lâmina de aço e outra de latão, cada uma com
de aço em um anel circular, formado por uma liga 1, 25cm de lagura e 30, 5cm de comprimento, sol-
metálica com coeficiente de dilatação linear igual a dadas juntas. Cada lâmina tem t = 0, 5mm de es-
2, 00.10−5◦ C −1 , em uma haste cilı́ndrica, formada pessura. A lâmina bimetálica é aquecida uniforme-
por material metálico com coeficiente de dilatação mente sobre seu comprimento, conforme mostrado
linear igual a 1, 50.10−5◦ C −1 . A 20, 0◦ C, o anel tem na figura. (Não importa que a chama esteja á di-
um diâmetro interno de 5, 98cm e a haste cilı́ndrica reita; o aquecimento é uniforme por toda a lâmina.
tem uma seção transversal com diâmetro de 6, 00cm. Se a chama estivesse à esquerda, a lâmina se dobraria
O anel foi aquecido e, quando seu diâmetro interno na mesma direção!) A lâmina curva-se de tal forma
3

que o raio da curvatura é R = 36, 9cm. Qual é a bloco de madeira dum pêndulo balı́stico de 2kg
temperatura da lâmina depois de ser aquecida? de massa. Calcule a variação da temperatura do
projétil, supondo que todo o calor libertado devido
ao atrito foi gasto para aquecê-lo.
Q32. Em torno de uma cratera formada por um me-
teorito, 75kg de rocha fundiram devido ao impacto.
A temperatura do solo antes do impacto era de 0◦ C.
Supondo que o meteorito atingiu o solo enquanto
se movia a uma velocidade de 600m/s, determine a
massa inicial do meteorito considerando que durante
o impacto não houve perdas de calor para a rocha
circundante, nem para a atmosfera. Considere cro-
cha = 0, 8kcal/kg ◦ C), Tf = 500◦ C, Lf = 48kcal/kg.
3. CALORIMETRIA
Q33. Um bloco de gelo, em seu ponto de fusão e com
Q26. Nas máquinas de café expresso utiliza-se va- massa inicial de 50kg, desliza sobre uma superfı́cie
por de água para aquecer o café. Qual a massa de horizontal, começando à velocidade de 5, 38m/s e fi-
vapor de água a temperatura de 130◦ C necessária nalmente parnado, depois de percorrer 28, 3m. Cal-
para aquecer uma chaleira de café (mc = 100g) de cule a massa de gelo derretido como resultado do
Ti = 20◦ C até Tf = 50◦ C? considere que ca = cc . atrito entre o bloco e a superfı́cie. (Suponha que
todo calor porduzido pelo atrito seja absorvido pelo
Q27. Para preparar uma xicara de café solúvel, um bloco de gelo.)
pequeno aquecedor elétrico de imersão é usado para
esquentar 100g de água. O rótulo diz que se trata de Q34. Em um recipiente isolado, previamente pre-
um aquecedor de 200W (essa é a taxa de conversão parado para ter capacidade calorı́fica desprezı́vel,
de energia elétrica em térmica). Calcule o tempo existem 3litros de água pura a uma temperatura
necessário para aquecer a água de 23◦ C para 100◦ C, de 35◦ C. Numa tentativa de baixar a tempe-
desprezando as perdas de calor. calor especifico da ratura da água, é colocado, dentro do recipiente
água = 1cal/g ◦ C. meio quilograma de gelo em fusão. Qual a tem-
peratura final da mistura. Dados: calor especı́fico
Q28. No topo das cataratas do Niágara a tempera-
da água = 4200J/kg.◦ C, calor especı́fico do gelo
tura da água é 5◦ C. Sabendo que a altura da cata-
(−5◦ C) = 2100J/kg.◦ C, calor latente de fusão do
rata é 50m e assumindo que toda a energia poten-
gelo = 330kJ/kg, densidade da água = 1g/cm3 .
cial é utilizada para o aquecimento da água, calcule
a temperatura da água na base das cataratas.
Q29. Um recipiente metálico de 4, 0kg contém 14kg 4. GASES IDEAIS E LEIS DA
de água e ambos estão a 15◦ C. Um bloco de 2, 0kg TERMODINÂMICA
feito do mesmo metal, que estava inicialmente a
160◦ C, é mergulhado na água. Após o equilı́brio Q35. Uma amostra de gás se expande a partir de
térmico, o sistema total encontra-se à temperatura uma pressão e um volume iniciais de 10P a e 1m3
de 18◦ C. Determine o calor especı́fico do metal. para um volume final 2m3 . Durante a expansão,
Q30. O calor fornecido a um corpo desde uma tem- a pressão e o volume são obtidos pela equação:
2 8
peratura inicial Ti até uma temperatura final T é P = aV , onde a = 10N/m . Determine o traba-
dado por lho realizado pelo gás durante a expansão.
Q36. Um sistema recebe 2kcal de calor e realiza um
Q = A(T − Ti )2
trabalho igual a 3, 35kJ. O correspondente aumento
onde A = 20cal/K . (a) Determine a expressão da de energia interna do sistema é igual a 5030J. De-
2

capacidade calorı́fica em função de T . (b) Sabendo termine o equivalente mecânico do calor.


que Ti = 200K, calcule a capacidade calorı́fica para Q37. Um gás ideal realiza a transformação cı́clica
T1 = 300K. indicada no diagrama P V , abaixo. Sabendo que a
Q31. Um projétil de chumbo de 2g de massa move- temperatura do gás no estado, A, é 100K, determine:
se com velocidade de 200m/s quando penetra num (a) a temperatura do gás no estado B. (b) a energia
4

interna do gás no estado A. (c) o trabalho realizado Q40. Numa máquina térmica reversı́vel, uma mole
pelo gás no ciclo. de um gás ideal monoatômico sofre uma trans-
formação cı́clica representada no diagrama da figura
a seguir. O processo 1−2 é isocórico, o processo 2−3
é adiabático e o processo 3 − 1 isobárico. (a) Calcule
o calor Q, a variação de energia interna ∆Eint e o
trabalho W para cada um dos três processos e para o
ciclo completo. (b) Se a pressão no ponto 1 for igual
a 1, 0atm, qual será a pressão e o volume nos pontos
2 e 3?

Q38. Um cilindro provido de um êmbolo móvel


contém gás no seu interior e encontra-se imerso numa
mistura de gelo e água, como está ilustrado na figura
a seguir. O gás é comprimido rapidamente, levando-
se o êmbolo da posição (1) à posição (2), onde é
mantido até que atinja a temperatura de 0◦ C. Em
seguida é levado muito lentamente até á posição (1).
Se 100g de gelo durante um ciclo, qual o trabalho
realizado sobre o gás?(Lf = 333kJ/kg)

Q41. Uma máquina de Carnot utiliza um gás ideal


como substância de trabalho e funciona entre as tem-
peraturas 227◦ C e 127◦ C. Ela absorve 6, 0.104 calo-
rias à temperatura mais elevada. (a) Qual é o tra-
balho realizado pela máquina em cada ciclo? (b)
determine o rendimento da máquina.
Q42. Na figura abaixo uma amostra de gás se ex-
pande de V0 para 4V0 enquanto a pressão diminui de
Q39. Um sistema termodinâmico é levado do estado p0 para p0 /4, onde p0 = 1N/m2 e V0 = 1, 0m3 , qual
inicial, A, até ao estado, B, e trazido de volta a, A, é o trabalho realizado pelo gás se a pressão varia com
através do estado, C, conforme o diagrama P − V o volume de acordo (a) com a trajetória A. (b) com
da figura abaixo (a). (a) Complete a tabela da fi- a trajetória B e (c) com a trajetória C?
gura, atribuindo os sinais + ou − às grandezas ter-
modinâmicas associadas a cada processo. (b) Cal-
cule o trabalho realizado pelo sistema para o ciclo
completo A → B → C → A. A escala do eixo ver-
tical é definida por ps = 40P a e a escala do eixo
horizontal é definida por Vs = 4, 0m3 .

Q43. Um mol de um gás ideal monoatômico, ini-


cialmente à pressão de 5, 0kN/m2 e temperatura
de 600K expande a partir de um volume inicial
Vi = 1m3 até Vf = 2, 0m3 . Durante a expansão,
a pressão p e o volume do gás estão relacionados por
p = 5.103 .e(Vi −V )/a
5

onde p está em kN/m2 , Vi e V estão em m3 e a =


1m3 . Determine:
(a) A pressão final. (b) A temperatura final do gás.
(c) O trabalho realizado pelo gás durante a expansão.
Q44. Num ciclo de Carnot, a expansão isotérmica
de um gás ideal acontece a 400K e a compressão
isotérmica a 300K. Durante a expansão, 500cal de
calor são transferidas pelo gás. Calcule (a) o traba-
lho realizado pelo gás durante a expansão térmica;
(b) o calor rejeitado pelo gás durante a compressão 4 (d) QH = 100J, QC = −90J, W = 10J. Usando
isotérmica e (c) o trabalho realizado pelo gás durante a primeira e a segunda leis da termodinâmica,
a compressão isotérmica. verifique para cada máquina se alguma destas leis
Q45. Num ciclo de Carnot, a expansão isotérmica está violada.
do gás ocorre a 500K e a compressão isotérmica Q50. A segunda lei da termodinâmica pode ser
ocorre a 300K. Durante a expansão são transferi- usada para avaliar propostas de construção de equi-
das 700calorias de energia térmica para o gás. De- pamentos e verificar se o projeto é factı́vel, ou seja,
termine: (a) o trabalho realizado pelo gás durante se é realmente possı́vel de ser construı́do. Considere
a expansão isotérmica; (b) o calor cedido pelo gás a situação em que um inventor alega ter desenvol-
durante a compressão isotérmica; (c) o trabalho re- vido um equipamento que trabalha segundo o ciclo
alizado sobre o gás durante a compressão isotérmica termodinâmico de potência mostrado na figura. O
equipamento retira 800kJ de energia, na forma de
Q46. Uma turbina combinada tem uma primeira
calor, de um dado local que se encontra na tempe-
turbina, que usa como substância de trabalho o
ratura de 1000K, desenvolve uma dada quantidade
mercúrio, e uma segunda turbina que usa vapor de
lı́quida de trabalho para a elevação de um peso e
água. A primeira turbina absorve vapor saturado de
descarta 300kJ de energia, na forma de calor, para
mercúrio de uma caldeira à temperatura de 470◦ C e
outro local que se encontra a 500K de temperatura.
descarregao para uma caldeira que produz vapor de
Nessa situação, verifique se a alegação do inventor
água à temperatura de 238◦ C. A segunda turbina
está correta ou incorreta, analisando se as leis da
recebe este vapor e lança-o para um condensador
termodinâmica está violada.
que está a temperatura de 38◦ C. Qual o rendimento
máximo da combinação?
Q47. O motor de um frigorı́fico tem uma potência
de 200W . Suponha que a temperatura dentro do
frigorı́fico é 270K e a temperatura exterior 300K.
Qual a quantidade máxima de calor que pode ser
retirada do frigorı́fico em 10 minutos?
Q48. Uma máquina de Stirling usa n = 8, 1.10−3
moles de um gás ideal como combustı́vel. A máquina Q51. Todos os anos, diversos pedidos de patentes
opera entre 95◦ C e 24◦ C a 0, 7 ciclos por segundo e de novas máquinas são rejeitados por violarem as
o volume da substância dobra durante a expansão. Leis da Termodinâmica. Em particular, o conceito
(a) Qual o trabalho realizado por ciclo? (b) Qual de entropia é frequentemente o ponto central da fa-
é a potência da máquina? (c) Quanto de calor é lha dos projetos dessas máquinas, o que demonstra
absorvido pela máquina? (d) Qual é a eficiência da a importância da entropia. Nesse contexto, consi-
máquina? dere um gás ideal confinado em um cilindro, por um
Q49. Um inventor afirma ter criado qua- pistão. O pistão é lentamente empurrado para baixo,
tro máquinas, todas operando entre 400K e de tal maneira que a temperatura do gás permaneça
300K. As caracterı́sticas de cada máquina, a 20◦ C. Durante a compressão,730J de trabalho fo-
por ciclo, são as seguintes: máquina 1 (a) ram feitos sobre o gás. Calcule a variação de entropia
QH = 200J, QC = −175J, W = 40J; máquina do gás. Justifique sua resposta.
2 (b) QH = 500J, QC = −200J, W = 400J; máquina
3 (c) QH = 600J, QC = −200J, W = 400J; máquina
6

Q52. O refrigerador mostrado na abaixo opera em e 24◦ C, respectivamente. (a) Calcule a variação total
regime permanente com um coeficiente de desempe- de entropia que resulta da condução de 1200J de
nho de 5, 0 em uma cozinha a 23◦ C. O refrigerador calor através da barra. (b) A entropia da barra muda
rejeita 4, 8kW por transferência de calor para a vizi- no processo?
nhança a partir da serpentinas metálicas localizadas Q58. Numa experiência de calores especı́ficos,200g
em seu exterior. Determine: (a) A potência de en- de alumı́nio (c = 0, 215cal/g ◦ C) a 100◦ C se mistu-
trada, em kW . (b)A temperatura teórica mı́nima no ram com 50g de água a 20◦ C. (a) Ache a tempera-
interior do refrigerador, em K (kelvin). tura de equilı́brio. (b)Encontre a variação de entro-
pia do alumı́nio e da água. (c) Calcule a variação de
entropia do sistema.
Q59. Um condicionador de ar operando entre 93 e
70◦ F é fabricadao com uma capacidade de esfria-
mento igual a 4000Btu/h. Seu coeficiente de perfor-
mace é 27% daquele de um refrigerador de Carnot
operando entre as mesmas temperaturas. Qual a
potência do motor do aparelho em hp?
Q60. Suponha que a mesma quantidade de calor,
Q53. Para fazer gelo, um freezer extrai 42kcal de por exemplo, 260J, é transferida por condução de
calor de um reservatório a −12◦ C em cada ciclo. O um reservatório a 400K para outro a (a) 100K, (b)
coeficiente de performance do freezer é 5, 7 . A tem- 200K, (c) 300K e (d) 360K. Calcule a variação de
peratura do ambiente é 26◦ C. (a) Quanto calor, por entropia em cada caso.
ciclo, é rejeitado para o ambiente? (b) Qual a quan-
Q61. A temperatura muto baixas, o calor especı́fico
tidade de trabalho por ciclo necessária para manter
molar CV para muitos sólidos é (aproximadamente)
o freezer em funcionamento?
proporcional a T 3 ; isto é CV = AT 3 , onde A
Q54. Uma bomba térmica é usada para aquecer um depende da substância. Para o alumı́nio, A =
edifı́cio. Do lado de fora a temperatura é −5◦ C 7, 53.10−6 cal/mol.K 4 . Ache a variação de entropia
e dentro do edifı́cio deve ser mantida a 22◦ C. O de 4mols de alumı́nio, quando sua temperatura varia
coeficiente de performance é 3, 8 e a bomba injeta de 5, 0K para 10, 0K
1, 8M cal de calor no edifı́cio por hora. A que taxa
Q62. Uma máquina térmica, operando em regime
devemos realizar trabalho para manter a bomba ope-
permanente, recebe 500000kcal/h de uma fonte
rando?
quente e produz uma potencia de 260HP. (a) O fluxo
Q55. O motor de um refrigerador tem 200W de de calor transferido para a fonte fria. (b) O rendi-
potência. Se o compartimento frio está a 270K e mento térmico da máquina. (c) A variação de entro-
o ar em volta a 300K, qual a quantidade máxima de pia que ocorre na fonte quente e na fonte fria, cujas
calor que pode ser extraı́da do compartimento frio, temperaturas são, respectivamente, 400◦ C e 50◦ C.
supondo eficiência ideal, em 10min? (d) A máquina é de Carnot? Dado: 1HP = 640,8cal.
Q56. Uma usina termelétrica alimentada pela Q63. Verificar, por meio da desigualdade de Clau-
queima de carvão produz uma potência mecânica sius, se é possı́vel haver uma máquina cı́clica que
de 1000M W com uma eficiência térmica de 40%. receba 2000kcal à temperatura de 470◦ C e produza
(a) Qual a taxa de fornecimento de calor para a um trabalho quivalente a 700kcal. A máquina for-
usina? (b) O carvão usado é o antracito, que pos- nece para fonte fria uma determinada quantidade de
sui calor de combustão H = 2, 65.107 J/kg. Qual é calor à temperatura de 70◦ C.
a massa de carvão queima por dia, se a usina fun-
ciona sem interrupções? (c) A que taxa o calor re-
jeitadoo para o reservatório frio, que vem a ser um
rio próximo? Dados: constante universal dos ga-
ses ideais: R = 8, 31J/mol.K; pressão a atmosférica
normal ao nı́vel do mar: p0 = 1atm = 101kP a.
Q57. As duas extremidades de uma barra de latão
estão em contato com reservatórios de calor a 130◦ C
7
8
9
10
11

Você também pode gostar