Você está na página 1de 2

CONCERTO “FAZ ESCURO MAS EU CANTO” com a Orquestra de Câmara do Amazonas

HOMENAGEM AO POETA THIAGO DE MELLO

Dia: 27/03/2019
Horário: 20h00
Duração do Evento: 45 minutos.
Classificação: Livre
Local: Teatro Amazonas
Informações: 3215-2127

SINOPSE: Como parte das comemorações dos 350 anos de Manaus, a Prefeitura de Manaus
através da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – MANAUSCULT, em parceria
com o Governo do Estado do Amazonas através da Secretaria de Estado de Cultura do
Amazonas – SEC promove o concerto “Faz escuro mas eu canto” em homenagem ao poeta
Thiago de Mello, com a Orquestra de Câmara do Amazonas sob a regência do maestro Marcelo
de Jesus. Aos 93 anos (a se completar no próximo dia 31 de março), o amazonense Thiago é
um dos mais destacados poetas brasileiros tendo suas obras traduzidas em mais de trinta
países. O concerto será composto de composições de outros ilustres amazonenses como
Nivaldo Santiago e Cláudio Santoro, além do clássico gravado na voz de Nara Leão, “Faz escuro
mas eu canto”.

Nascido Amadeu Thiago de Mello em 31 de março de 1926 no município de


Barreirinha, o poeta foi preso durante a ditadura civil-militar (1964-1985) exilando-se no Chile,
onde chegou a ser Adido Cultural do Brasil. Encontrou na sua amizade com Pablo Neruda um
entusiasmado colaborador e tradutor.

A Prefeitura de Manaus tem orgulho em homenagear o poeta Thiago de Mello como


parte das comemoração dos 350 anos de Manaus.

ROTEIRO:

20h00 - Mestre de Cerimônias: Boa noite a todos. A Prefeitura de Manaus através da


Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – MANAUSCULT, em parceria com o
Governo do Estado do Amazonas através da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas –
SEC promove, esta noite, o concerto “Faz escuro mas eu canto” em homenagem ao poeta
Thiago de Mello. Aos 93 anos (a se completar no próximo dia 31 de março), o amazonense
Thiago é um dos mais destacados poetas brasileiros tendo suas obras traduzidas em mais de
trinta países. O concerto será composto de composições de outros ilustres amazonenses como
Nivaldo Santiago e Cláudio Santoro, além do clássico gravado na voz de Nara Leão, “Faz escuro
mas eu canto”.
Nascido em Barreirinha, no Amazonas, Thiago de Mello é hoje reconhecido como um
dos poetas mais influentes e respeitados do país, reconhecido como um ícone da literatura
regional.
Tem obras traduzidas para mais de trinta idiomas. Preso durante a ditadura (1964-
1985) exilou-se no Chile, encontrando em Pablo Neruda um amigo e colaborador. Um traduziu
a obra do outro e Neruda escreveu ensaios sobre o amigo.
Seu poema mais conhecido é Os Estatutos do Homem, onde o poeta chama a atenção
do leitor para os valores simples da natureza humana. Seu livro Poesia Comprometida com a
Minha e a Tua Vida rendeu-lhe, em 1975, ainda durante o regime militar, prêmio concedido
pela Associação Paulista dos Críticos de Arte e tornou-o conhecido internacionalmente como
um intelectual engajado na luta pelos Direitos Humanos.
Generoso, sendo essa, segundo amigos, uma das suas principais características,
sempre atribuiu a outros poetas uma poesia maior que a sua, enaltecendo e declamando em
diversas ocasiões textos de Ferreira Gullar, Souzalopes, Marcelo Adifa (quando este sequer
havia sido publicado), Jáder de Carvalho e Iacyr Anderson.
Neste momento, passamos a palavra ao Prof. Ademir Ramos que falará sobre a
importância de Thiago para a cultura amazonense e brasileira.
20h05 - Prof. Ademir Ramos: (FALA DO PROFESSOR)
20h10 - Mestre de Cerimônias: Com a palavra, o músico e poeta Celdo Braga.
20h10 - Celdo Braga: (FALA DE CELDO)
20h15 - Mestre de Cerimônias: Agora apresentaremos o concerto “Faz Escuro mas eu Canto”
com a Orquestra de Câmara do Amazonas sob a regência do maestro Marcelo de Jesus.
Tenham todos um bom espetáculo.