Você está na página 1de 27

Estado do Ceará

Secretaria de Educação Básica


Centro Regional de Desenvolvimento da Educação – 6º CREDE
Núcleo Regional de Desenvolvimento Pedagógico

Francisco de Assis Abel


Maria Osileusa Gomes Furtado
Wendel Melo Andrade

MÓDULO II
ÁLGEBRA: EQUAÇÕES, FUNÇÕES E
GRÁFICOS
MÓDULO II

ÁLGEBRA: EQUAÇÕES, FUNÇÕES E GRÁFICOS

Índice

ÁLGEBRA – UM POUCO DE HISTÓRIA

UMA FORMA DIFERENTE DE REPRESENTAR EQUAÇÕES

ALGUMAS FORMAS DE RESOLUÇÃO DE UMA EQUAÇÃO DO 2º GRAU

O CALENDÁRIO E AS EQUAÇÕES

UM TRUQUE DE ADIVINHAÇÃO

TORRE DE HANÓI : UM JOGO E UMA FUNÇÃO

ENTENDENDO OS GRÁFICOS

UMA HISTÓRIA CURIOSA

ALGUNS JOGOS

ALGUNS DESAFIOS

SOLUÇÕES

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ÁLGEBRA – UM POUCO DE HISTÓRIA
Por volta do ano 400 d.C, uma idéia audaciosa de um estudioso de Alexandria começou a
mudar toda a história da matemática.
Esse estudioso era Diofante de Alexandria, que viveu de 325 a 409 e seus estudos se
basearam no uso de símbolos para facilitar a escrita e os cálculos matemáticos. Os símbolos
criados por Diofante fizeram com que as expressões, até então escritas totalmente com palavras,
pudessem ser representadas com abreviações.
Diofante viveu numa época muito tumultuada, presenciando, por exemplo, a queda do
império Romano, e isso, não foi nada bom para a matemática, que teve um processo de
desenvolvimento interrompido devido ao clima de guerra que se criou e principalmente pela
destruição de muitos centros de estudos, fazendo com que a simbologia de Diofante não saísse de
estágio inicial.
Só no ano de 650 aproximadamente, com a ascensão de Império Árabe, é que houve uma
retomada dos estudos matemáticos.
De 788 a 809 no reinado do Califa Harun al-Raschid os muçulmanos conquistaram vários
territórios, fazendo surgir grandes cidades, centros comerciais e de artesanato. Todas essas
atividades comerciais, as viagens marítimas e através do deserto provocaram um grande
desenvolvimento dos conhecimentos matemáticos.
Em 809, com a morte de al-Raschid, seu filho al-Mamum assumiu o trono e governou até
833.
Al-Mamum criou em Bagdá um centro de estudos de ensinos e contratou os mais brilhantes
sábios mulçumanos da época. Entre eles estava Mohomed Ibn Musa al-Khowarizmi, grande
matemático que escreveu um livro chamado al-jabr, que signufica restauração e refere-se a
mudança de termos de um lado para o outro de uma equação. Provavelmente o termos ÁLGEBRA
se originou do titulo deste livro.
Al-Khowarizmi, deu sua contribuição, mais como muitos matemáticos de diversas épocas,
não conseguiu expressar as equações totalmente em símbolos. Isso só aconteceu 700 anos depois,
quando França e Espanha estava em guerra, e para evitar que seus planos fossem descobertos pelos
inimigos tanto franceses como espanhóis, usavam códigos em suas mensagens. Mas os espanhóis
não se deram bem na estratégia, pois sempre que um mensageiro de suas tropas era capturado, os
franceses rapidamente descobriam seus planos militares.
“Os franceses tem um pacto com o diabo” diziam os espanhóis, até o Papa foi chamado
para resolver a questão.
O demônio era François Viète um advogado francês, capaz de decifrar os códigos secretos
das mensagens espanholas.
Apaixonado por álgebra, François Viète viveu de 1540 até 1603 e passou para a história
como o proncipal responsável pela introdução dos símbolos no mundo da matemática. Por isso
ficou conhecido como o Pai da Álgebra.
Além de Viète, outros matemáticos da mesma época deram suas contribuições para o
aperfeiçoamento da álgebra. Entre eles, Robert Record, inglês que criou o símbolo (=) para
expressar (igual a). Esse sinal foi usado por Thomas Herriot, outro matemático inglês ,
responsável pela eliminação das poucas palavras que ainda restavam na álgebra de Viète.
A passagem para uma álgebra completamente simbólica foi obra de René Descartes,
grande matemático e filosofo francês que introduziu grandes inovações para aperfeiçoar a álgebra
de Viète.

Retirado do site : http://www.start.com.br/matematica/algebra.htm


UMA FORMA DIFERENTE DE
REPRESENTAR EQUAÇÕES
Por volta do século III a.C o geômetra grego Euclides de Alexandria escrevera a obra mais
importante de toda história da matemática. “Os Elementos” era uma obra constituída de 13 livros
onde se encontram conceitos fundamentais sobre álgebra, geometria plana e espacial, entre outros
assuntos, sendo todos explorados através de proposições (teoremas) que sucedem em meio a
axiomas, postulados e definições.
No capitulo (livro) IV desta obra, Euclides apresenta em prosa a resolução de problemas na
forma de produtos notáveis. Ele buscava representar as equações através de figuras geométricas
planas e espaciais.
Usando as idéias de Euclides é possível explorar as formas geométrica para introduzir ou
complementar os estudos das equações algébricas em especial dos produtos notáveis.
Podemos então representar algumas expressões algébricas através de construções
geométricas:
Veja:

 a²

 a³

 a·(b + c) = ab + ac

 (a + b)² = a² + 2ab + b²

 (a + b)³ = a³ + 3a²b + 3ab² + b³


Usando as representações geométricas, tente construir graficamente as expressões abaixo:

a) (a + 2b)²
b) (2a + 3b)²
c) (a – b)²
d) (a + b)·(a – b)
e) (a + 2b)³
ALGUMAS FORMAS DE RESOLUÇÃO DE
UMA EQUAÇÃO DO 2º GRAU
 − b ± b 2 − 4ac 
A criação da fórmula de resolução da equação do 2º grau  x = é atribuída
 2a 
 
ao indiano Bhaskara que nasceu em 1114 e viveu até cerca de 1185. Ele foi um dos mais
importantes matemáticos do século XII. As duas coleções de seus trabalhos mais conhecidas são
Lilaviti (“bela”) e Vijaganita (“extração de raízes”), que tratam de aritmética e álgebra,
respectivamente, e trazem em seus conteúdos problemas resolvidos em prosa, sobre equações
lineares e quadráticas, entre outros assuntos.
No entanto é possível resolver equações polinomiais do 2º grau através de métodos que não
se utilizam da famosa fórmula de Bhaskara.
Veja alguns métodos que podem ser explorados em sala de aula:

RESOLUÇÃO POR COMPLETAMENTO DE QUADRADO

Este método possibilita encontrar as raízes de equações do tipo : ax² + bx – c = 0, com o


auxílio das formas geométricas. Observe o exemplo abaixo:

x² + 8x – 180 = 0
x² + 8x = 180

Representando graficamente esta igualdade teremos:

Tal representação gráfica pode ser disposta da seguinte forma:

Para completarmos o quadrado acima, precisamos acrescentar um quadrado de área 4². Veja:
Temos então : (x + 4)² = 180 + 4²
(x + 4)² = 180 + 16
(x + 4)² = 196
x + 4 = ± 196
x = – 4 ± 14
x’ = 10 e x” = – 18

OBS : Como estamos considerando o x como uma unidade de medida, dentre as soluções
encontradas só podemos considerar o valor positivo.

Tente resolver as equações abaixo usando este método:


a) x² + 10x – 39 = 0
b) x² + 6x – 16 = 0
c) x² + 8x – 9 = 0
d) x² + 12x – 28 = 0
e) x² + 8x – 33 = 0

RESOLUÇÃO POR PRODUTOS NOTÁVEIS

Este processo consiste no mesmo princípio utilizado no método anterior, porém generalizado
a qualquer tipo de equação do 2º grau e sem a necessidade de construirmos as figuras geométricas.
Devemos neste método construirmos trinômios quadrados perfeitos, tais como :

x² + 2ax + a² = ( x + a)² ou x² ─ 2ax + a² = ( x ─ a)²

Exemplo: x² – 2x – 8 = 0
x² – 2x = 8

Para obtermos um trinômio quadrado devemos somar 1² em ambos os termos da igualdade. Veja:

x² – 2x + 1² = 8 + 1²
(x – 1)² = 9
x–1= ± 9
x=1±3
x’ = 4 e x” = – 2

Tente resolver as equações abaixo usando este método:


a) x² + 6x + 5 = 0
b) x² + 10x + 21 = 0
b) x² + 4x + 3 = 0
c) x² – 2x – 3 = 0
e) x² – 8x + 12 = 0

RESOLUÇÃO PELO MÉTODO DA SOMA E DO PRODUTO

Este método originou-se de um problema muito antigo que recai numa equação do 2º grau, é
este: “Determinar dois números conhecendo sua soma S e o seu produto P.” Pois sendo x um
destes números, o outro será S – x. Assim, P = x·(S – x), ou P = Sx – x², ou ainda x² – Sx + P = 0
Sabemos que para uma equação do tipo ax² + bx + c = 0, temos:
−b c
S = x' + x" = e P = x'⋅x" = .
a a
Então conhecendo a soma S e o produto P das raízes é possível descobrir um par de números
tais que sua soma seja S e seu produto P. Veja o exemplo abaixo:

− b − (−5)
Na equação x² – 5x + 4 = 0 , a soma S será igual a 5, pois = = 5 e o produto P
a 1
c 4
será igual a 4, pois = = 4 . Logo o único par de números cuja soma é 5 e o produto 4 serão :
a 1
x’ = 4 e x” = 1

Tente resolver as equações abaixo usando este método:


a) x² – 7x + 12 = 0
b) x² + 6x + 9 = 0
c) x² + 2x – 3 = 0
d) – x² – 4x – 4 = 0
e) 3x² + x – 2 = 0
O CALENDÁRIO E AS EQUAÇÕES
Uma brincadeira fácil e simples de ser aplicada em sala de aula, consiste na utilização de um
calendário.

Observe as instruções:

1º) Sem que você veja o calendário, peça a uma pessoa que, em um mês qualquer do
calendário, ela delimite um “quadrado” 3 por 3, contendo 9 dias quaisquer. Veja o exemplo de uma
escolha no calendário abaixo para o mês de janeiro de 2006.

JANEIRO - 2006
DOM SEG TER QUA QUI SEX SAB
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31
.
2º) Depois, peça que a pessoa informe qual é a menor data do quadrado, e com apenas esta
data e sem ver o calendário, você irá descobrir de imediato a soma de todas as datas escolhidas. No
casso do exemplo acima, dado o número 9 obteremos a soma dos termos escolhidos igual a 153
(ou seja, 9 + 10 + 11 + 16 + 17 + 18 + 23 + 24 + 25 = 153)

O SEGREDO DA BRINCADEIRA

Basta somar o número dado com 8 e multiplicar o resultado por 9. Veja :


• Nº dado: 9
• Somando 8 , temos: 17 (9 + 8)
• Multiplicando por 9, temos: 153 (17 · 9)

UMA SIMPLES EQUAÇÃO AJUDA A FUNDAMENTAR A BRINCADEIRA

Sendo S a soma dos nove números escolhidos no quadrado e x o valor do menor número,
poderemos então, formar a seguinte equação:

S = x + (x+1) + (x+2) + (x+7) + (x+8) + (x+9) + (x+14) + (x+15) + (x+16)


S = 9x + 73
S = (x + 8)·9
UM TRUQUE DE ADIVINHAÇÃO
Um simples jogo de adivinhação consiste em pedir que uma pessoa realize os seguintes
cálculos:

1º Escreva um número de dois algarismos.


2º Multiplique o número escrito por 2.
3º Some 5 unidades ao produto obtido.
4º Multiplique esta soma por 50.
5º Some ao produto o número 1756.
6º Subtraia o ano do seu nascimento.

O resultado que se obtém é um número de quatro algarismos abcd. Sendo que os


algarismos cd juntos que correspondem a idade da pessoa e, os algarismos ab juntos indicam o
número que a pessoa escrito inicialmente. Ou seja:

ab → número escrito inicialmente


abcd
cd → idade da pesoa

Veja um exemplo:

1º Suponha que o número escrito pela pessoa seja 36.


2º O produto deste número por 2 é: 36 x 2 = 72.
3º Somando 5 ao resultado teremos: 72 + 5 = 77.
4º Multiplicando o resultado obtido por 50, encontraremos: 77 x 50 = 3850.
5º Somando o número 1756 ao resultado, obteremos: 3850 + 1756 = 5606
6º Subtraindo o ano de nascimento, imaginemos a pessoa tenha nascido em 1977 (portanto,
tem 29 anos ou irá completar 29 anos), temos: 5606 - 1977 = 3629

O resultado do teste foi 3629. Ou seja:

36 → número escrito inicialmente


3629
29 → idade da pesoa

Podemos explicar este truque através de uma simples equação matemática. Veja:

1º Imagine que a pessoa escreveu o número ab que podemos representá-lo pela expressão
10a + b.
2º Ao multiplicar este número por 2, obterá: (10a + b) x 2 = 20a + b
3º Ao somar 5 unidades ao produto, terá: 20a + b + 5
4º Ao multiplicar o resultado por 50, encontrará: (20a + 2b + 5) x 50 = 1000a + 100b +
250
5º Ao somar 1756 ao produto, terá: 1000a + 100b + 250 +1756 = 1000a + 100b + 2006
OBS: Quando pedimos para que a pessoa acrescente o número 1755, estamos obtendo com
isso o ano atual (2006).
6º Ao subtrair-se o ano de nascimento da pessoa. Ela obterá o seguinte resultado: 1000a +
100b + 2006 – N, onde 2006 – N = cd será a idade da pessoa. Que pode ser representada por 10c +
d.

Logo ao final do processo obteremos sempre o resultado: 1000a + 100b + 10c + d


Esse resultado é a expressão polinomial do número abcd, onde ab é o número inicialmente
escrito pela pessoa e cd será a idade da pessoa.

Esta atividade é interessante para o professor realizar em sala de aula, fazendo com que os
alunos tentem descobrir o segredo da adivinhação. Posteriormente os próprios alunos poderão criar
desenvolver outras “adivinhações matemáticas” semelhantes a esta.

TORRE DE HANÓI :
UM JOGO E UMA FUNÇÃO
A Torre de Hanói é um jogo de estratégia bastante popular. Ele foi inventado por Edouard
Lucas em 1883.
Uma história curiosa imaginada pelo próprio Edouard Lucas sobre este jogo diz que:
“No começo dos tempos, Deus criou a Torre de Brahma, que contém três pinos de diamante e
colocou no primeiro pino 64 discos de ouro maciço. Deus então, chamou seus sacerdotes e
ordenou-lhes que transferissem todos os discos para o terceiro pino, seguindo as seguintes regras:
 Só é permitido movimentar um disco de cada vez ;
 Não é permitido colocar um disco grande em cima de um disco pequeno;
Os sacerdotes então, obedeceram e começaram os seus trabalhos, dia e noite. Quando eles
terminarem, a Torre de Brahma irá ruir e o mundo acabará.”
A figura abaixo, ilustra o que seria a Torres de Brahma:

No entanto, não há motivo para preocupação pois supondo que a lenda seja verdade, mesmos
que os sacerdotes movimentem um disco por segundo, obedecendo as regras do jogo eles
precisariam de pelo menos 18.446.744.073.709.551.615 (aproximadamente 18,5 quintilhões) de
segundos para cumprir a tarefa, o que seria aproximadamente 5,8 bilhões de séculos.
O JOGO

O jogo e constituído de n discos de tamanhos diferentes dispostos um sobre o outro em


ordem decrescente. Este jogo pode ser encontrado em lojas de brinquedo ou fabricado com peças
de madeira . No desenho abaixo, podemos ver uma Torre de Hanói com cinco peças.

O objetivo do jogo é transportar as peças da posição inicial (1° posição) para a 3° posição
podendo para isso, passar quantas vezes necessárias pela 2° posição.

O jogo é constituído basicamente de duas regras, são elas :

• Só é permitido movimentar um disco de cada vez.


• Não é permitido colocar um disco grande em cima de um disco pequeno.

Com este jogo é possível explorar conceitos de função, seqüências recorrentes, em especial
as progressões geométricas.

UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE PARA O JOGO

Desejamos saber qual é o menor número de movimentos necessários para solucionar uma
torre de Hanói com n peças, ou seja, para transportar n peças da 1° posição para a 3° posição.

M } n peças

A SOLUÇÃO DO PROBLEMA EM FUNÇÃO DO NÚMERO DE DISCOS

Para resolver este problema (não só este, mas vários outros problemas na matemática) onde
envolve n coisas, ver o que acontece para valores pequenos de n pode nos ajudar.
Vejamos alguns casos:
• Para n = 0. Não precisaremos de nenhum movimento, uma vez que não há peças.

• Para n = 1. Efetuamos apenas 1 movimento para solucionar o problema (Veja na figura abaixo)

• Para n = 2. Efetuamos 3 movimentos para solucionar o problema (Veja nas figuras abaixo)

• Para n = 3. Efetuamos 7 movimentos para solucionar o problema (Veja nas figuras abaixo)

Mas, é claro que não podemos fazer só isso. Não podemos ficar observando o que acontece
para todos os valores de n. Logo, temos que começar a tirar algumas conclusões.
Adotaremos então F(n) para o número mínimo de movimentos de uma torre de n peças, logo
podemos estabelecer o seguinte diagrama:

n 0 1 2 3 ... n
F(n) 0 1 3 7 ... F(n)

Agora, veja o que acontece ao formarmos uma terceira linha constituída dos menos
elementos da segunda linha somados uma unidade:

n: 0 1 2 3 ... n
F(n): 0 1 3 7 ... F(n)
F(n) + 1: 1 2 4 8 ... F(n) + 1
Observando a terceira linha, é possível estabelecer uma relação com a primeira linha da
seguinte forma:

n: 0 1 2 3 ... n
F(n): 0 1 3 7 ... F(n)
F(n) + 1: 1 2 4 8 ... F(n) + 1
F(n) + 1: 20 21 22 23 ... 2n

Notemos que os elementos da quarta linha são exatamente iguais aos elementos da terceira
linha, logo:

F(n) + 1 = 2 n
F(n) = 2 n − 1
Esta será então, a fórmula resolutiva do número mínimo de movimentos para a solução de
uma Torre de Hanói em função do número de peças.

ESTUDANDO O GRÁFICO DESTA FUNÇÃO

Sendo F(n) o número mínimo de movimentos e n o número de discos do jogo, observe o


comportamento do gráfico para a função F(n) = 2 n − 1 dados os valores da tabela abaixo:

n F(n)
0 0
1 1
2 3
3 7
4 15
5 31
M M
n 2 −1 n
ENTENDENDO OS GRÁFICOS
Os gráficos consistem na representação de uma função de duas variáveis num sistema de
coordenadas, mediante uma curva, uma reta, ou até mesmo um diagrama de barras
Eles são uma maneira útil de exibir duas ou mais informações em um mesmo plano, pois
organizam as informações em forma de figura, de modo que seja possível encontrar tendências ou
padrões, podendo também ajudar a resolver problemas e fazer previsões.
Através dos gráficos, podemos representar “geometricamente” fenômenos físicos,
econômicos, sociais, entre outros.
Nas atividades exemplos abaixo, buscaremos construir através de situações contextualizadas
este conceito de gráficos em nossos alunos.

ATIVIDADE 01 :

“Paulo correu até o mercado para comprar um doce. Ele começou a ficar cansado e reduziu o
passo, quando chegou no mercado, parou para olhar o preço das balas.”
Qual dos gráficos abaixo, melhor representa a relação: tempo transcorrido e distância
percorrida por Paulo, nesta situação:
distância

distância

tempo tempo
distância

distância

tempo tempo
ATIVIDADE 02 :

“Marta vai para a escola. Enquanto caminha, encontra-se com sua tia e fica parada
conversando. Após algum tempo, Marta percebe que vai chegar atrasada à escola e corre o resto do
caminho.”
Qual dos gráficos abaixo, melhor representa a relação: tempo transcorrido e distância
percorrida por Marta, nesta situação:
distância

distância
tempo tempo
distância

distância

tempo tempo

ATIVIDADE 03 :

“Há um tempo atrás, Marcos iniciou uma dieta rigorosa e no transcorrer de alguns meses,
conseguiu reduzir significativamente o seu peso, mantendo até os dias atuais um peso constante.”
Qual dos gráficos abaixo, melhor representa a relação: peso e meses transcorrido na dieta
realizada por Marcos:
peso
peso

meses meses
peso

peso
meses meses

ATIVIDADE 04 :

“Num certo dia quente de verão Regina decide tomando um banho de banheira. Ela enche a
banheira (não completamente), entra nela, banha-se por algum tempo, em seguida sai da banheira e
escoa a água.”
Qual dos gráficos abaixo, melhor representa a relação: altura da água na banheira e tempo
transcorrido durante o banho de Regina:
altura da água

altura da água

tempo tempo
altura da água

altura da água

tempo tempo
ATIVIDADE 05 :

“Uma árvore foi plantada numa rua e ao longo dos anos, cresceu e tornou-se uma planta
adulta e frondosa, atingindo então, a sua altura máxima. Passados alguns anos, com muita tristeza,
ela teve que ser cortada para a construção de uma avenida.”
Qual dos gráficos abaixo, melhor representa a relação: altura da árvore e anos transcorridos
durante o crescimento da árvore :
altura

altura
anos anos
altura

altura

anos anos
UMA HISTÓRIA CURIOSA
Na ilha dos sapatos gratuitos

Numa ilha havia 1111 habitantes. Marcos, um comerciante de sapatos, percebeu que nesta
ilha nenhum habitante usava sapatos, pois ninguém jamais havia vendido este produto naquele
local. Marcos foi então, morar nesta ilha pois, com isso pretendia vender sapatos para os 1111
habitantes.
Marcos montou um estoque de 1111 sapatos e se instalou na ilha onde abriu uma loja de
nome “Sapatos Gratuitos”.
Curioso um cliente chegou na loja e perguntou:
─ Estes sapatos são de graça ?
─ Sim; disse Marcos, e explicou ao cliente como ele deveria proceder para ter o seu par de
sapatos gratuitos :
─ Um par de sapatos aqui custa um selinho de R$ 3,00 e mais a quantia de R$ 27,00 . Só que
junto com os sapatos, você ganhará de brinde 10 selinhos. Como cada selinho custa R$ 3,00 , logo
você poderá vender estes selinhos e com isso ganha R$ 30,00, preço que gastou pelos sapatos, logo
terá sapatos gratuitos!
O cliente convencido da proposta do comerciante comprou os sapatos e ganhou seus 10
selinhos, vendendo todos eles para seus amigos, e a cada um deles informou que poderia
acrescentar a este selinho mais R$ 27,00 e trocar por um par de sapatos na loja de “sapatos
gratuitos” e com isso cada amigo ganharia mais 10 selinhos para vender e recuperar o dinheiro que
havia gastado.
Ao final de algumas semanas todos os habitantes da ilha haviam comprado um par de
sapatos.
Pergunta-se:
Nesta modalidade de comércio, os sapatos são mesmo gratuitos ? Explique.
Quanto recebeu o comerciante com este negócio ?
Qual foi preço real de cada par de sapatos ?

Adaptado do livro “Explorando o Ensino de Metemática” , V. 1, páginas 29 à 33


ALGUNS JOGOS
JOGO 01  SOMAS IGUAIS A 115

Distribua os números abaixo, de tal forma que a soma de qualquer linha reta seja igual a ll5.

12 – 13 – 14 – 15 – 16 – 19 – 20 – 26 – 27 – 29 – 30 – 32 – 33 – 35

Dicas : Os círculos pretos são números pares e os cinzas são números impares;
O circulo A é o maior número impar;
O circulo D é o menor número par;
O circulo K é igual à soma do circulo D + 2;
O circulo V é igual à soma do circulo J + 6.
JOGO 02  SOMAS IGUAIS A 46
Preencha com os números abaixo, os círculos com letras, de forma que a soma das linhas
retas seja igual a 46, independente da linha ter 4 ou 5 círculos.

6 7 8 9 12 13 14 15 16

Dicas : O círculo A é igual ao círculo B + 8 ;


O círculo F é igual ao círculo D + 4 ;
O círculo H é igual ao círculo E + 5 .

JOGO 03  ESTRELA MÁGICA


Descubra quais os números que devemos colocar nos círculos vazios da figura abaixo, para
que a soma de cada uma das linhas na estrela seja igual a 40. (Dica: Utilize sistemas de equações
lineares)
JOGO 04  TRIÂNGULO NUMÉRICO I
Coloque nos círculos do cada triângulo os algarismos de 1 a 9, sem os repetir, de forma que a
soma correspondente a cada um dos lados do triângulo seja 17 .

1 2 3 4 5 6 7 8 9

JOGO 05  TRIÂNGULO NUMÉRICO II

Coloque novamente nos círculos do cada triângulo os algarismos de 1 a 9, sem os repetir, de


forma que a soma correspondente a cada um dos lados do triângulo seja agora 20 .

1 2 3 4 5 6 7 8 9
ALGUNS DESAFIOS

01) “Deus concedeu-lhe passar a sexta parte de sua vida na juventude;


um duodécimo, na adolescência; um sétimo, em seguida foi escoado
num casamento estéril. Decorreram mais cinco anos, depois do que lhe
nasceu um filho. Mas, este filho − desgraçado e, no entanto, bem
amado! − apenas tinha atingido a metade da idade do pai, morreu.
Quatro anos ainda, mitigando a própria dor com o estudo da ciência
dos números, passou-os Diofante, antes de chegar ao termo de sua
existência.”
Com quantos anos morreu Diofante ?

02) Marta foi ao super mercado para comprar feijão. No caminho de casa veio trazendo uma sacola
com o feijão que acabara de comprar. Se acrescentasse na sacola a metade do feijão que comprou e
depois a sua quarta parte, obteria 7 Kg de feijão. Quantos quilos de feijão Marta comprou ?

03) Joana comprou para os seus filhos 9 brinquedos, 8 eram do mesmo preço e um era mais caro.
Os 8 brinquedos de mesmo preço custavam no total R$ 40,00 a mais que o brinquedo de maior
preço. Se Joana tivesse comprado 6 brinquedos, dos mais baratos, teria pago por eles R$ 20,00 a
menos do que pagou pelo brinquedo mais caro. Quanto custou cada um destes brinquedos ?

04) Digam-me doutores matemáticos, qual é o número que, multiplicado por 5, dividindo o
produto por 4, acrescentando 5 unidades ao quociente, multiplicando o resultado por si mesmo e,
depois de extrair a raiz quadrada, acrescentar 9 unidades e dividir por 3 dá o próprio número ?

05) Um montão de bananas, sua metade, seus dois terços, todos juntos
são 26. Digam-me : Quantas bananas têm neste montão ?

06) Num sítio havia 3 árvores carregadas de mangas. Ana e Marta colheram um certo número de
mangas da primeira árvore, mas jogaram fora 6 que estavam estragadas. Da segunda árvore,
1
colheram um número de mangas equivalente a das que haviam sobrado, mas voltaram a jogar
3
1
fora 2. Da terceira árvore, colheram do total que tinham até então e, sem jogar nenhuma fora,
3
1
apanharam ainda desta árvore mais de quantas mangas tinham até aquele momento. Ficaram
3
assim com o dobro do número de mangas que tinham colhido da primeira árvore. Diga-me quantas
mangas Ana e Marta colheram da primeira árvore.
07) Alegravam-se os macacos divididos em dois bandos:
Sua oitava parte ao quadrado no bosque brincava.
Com alegres gritos, doze gritando no campo estão.
Sabes quantos macacos há na manada total ?

08) Um pequeno burro e um cavalo caminhavam juntos, levando cada um grandes sacos
carregados com grãos de trigos. Durante a viajem o cavalo reclamava muito do peso que levava,
foi então que o burrinho disse:
j Se me der um de seus sacos, ficarei com o dobro de sua carga. Porém se te der um de meus
sacos ficaremos com a mesma quantidade de carga.
Quantos sacos de trigo carregavam o burro e o cavalo ?

09) João tem um terreno retangular de 36 m² de área. Ele acabou de ganhar de um amigo 17
metros tela de arame, porém só é suficiente para cercar três lados de seu terreno. Quais as
dimensões do terreno de João?

10) Quantos anos tem Pedro de Marcos, se a soma das suas idades somada com a diferencia entre
elas mais o seu produto é igual a 100 anos, e ainda que Pedro é dois anos mais velhos que Marcos?
SOLUÇÕES
ENTENDENDO OS GRÁFICOS
ATIVIDADE 01 : II
ATIVIDADE 02 : III
ATIVIDADE 03 : IV
ATIVIDADE 04 : II
ATIVIDADE 05 : I

HISTÓRIAS CURIOSAS
01) Nesta modalidade de comércio, os sapatos são mesmo gratuitos ? Explique.
Não, pois os últimos 1000 compradores não terão mais para quem vender os selinhos .

02) Quanto recebeu o comerciante com este negócio ?


Do 1º comprador : 3,00 + 27,00 = 30,00
De 10 compradores : 10 · 27,00 = 270,00
De 100 compradores : 100 · 27,00 = 2.700,00
De 1000 compradores : 100 · 27,00 = 27.000,00
TOTAL = 30.000,00

03) Qual foi preço real de cada par de sapatos ?


Se o comerciante ao final da transação recebeu a quantia de R$ 30.000,00 , tendo vendido 1111
30.000
pares de sapatos, logo o preço real de cada par de sapatos foi ≅ 27,03 Reais.
1111

ALGUNS JOGOS MATEMÁTICOS


JOGO 01  SOMAS IGUAIS A 115
Os números devem ser distribuídos de cima para baixo da esquerda para direita da seguinte forma:
35 ; 12 ; 26; 20; 16; 27; 13; 14; 29; 32; 15; 30; 19 e 33

JOGO 02  SOMAS IGUAIS A 46


A=15 ; B=7 ; C=13 ; D=8 ; E=9 ; F=12 ; G=16 ; H=14 e I=6

JOGO 03  ESTRELA MÁGICA


Os números a serem descobertos de cima para baixo da esquerda para direita são: 11; 5; 2; 9; 13 e
16
JOGO 04  TRIÂNGULO NUMÉRICO I
Começando no vértice superior e no sentido horário para que a somatória dos lados seja 17
teremos: 2; 4; 8; 3; 7; 6; 1; 9; 5. (existem outras soluções)

JOGO 05  TRIÂNGULO NUMÉRICO II


Começando no vértice superior e no sentido horário para que a somatória dos lados seja 20
teremos: 5; 3; 4; 8; 1; 9; 2; 6; 7. (existem outras soluções)

ALGUNS DESAFIOS
01) 84 anos
02) 4 Kg
03) R$ 30,00 o mais barato e R$ 200 o mais caro.
04) 8
05) 12 bananas
06) 48 mangas
07) 48 ou 16 macacos
08) O burro 7 e o cavalo 5
09) Os lados do terreno medem 9 m e 4 m ou 8 m e 4,5 m
10) Pedro tem 10 anos e Marcos 8 anos
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ALMEIDA, Marcos Teodorico Pinheiro de. Jogos divertidos e brinquedos criativos. 1. ed.,
Petrópolis-RJ: Vozes, 2004

BOLT, Brian. Actividades Matemáticas: coleção O prazer da matemática n° 7. 1. ed., Lisboa:


Gradiva, 1991.

BOLT, Brian. Mais Actividades Matemáticas: coleção O prazer da matemática n° 11. 1. ed.,
Lisboa: Gradiva, 1992

DANTE, Luiz Roberto. Coleção Matemática 1ª série : Ensino Médio. 1. ed., São Paulo: Ática,
2004.

GUELLI, Oscar. Contando a História da Matemática: volume 2 – Equação: O idioma da


Álgebra. 11. ed., São Paulo: Ática, 2004

GUELLI, Oscar. Contando a História da Matemática: volume 3 – Historia da equação do 2º


grau. 10. ed., São Paulo: Ática, 2004

GUELLI, Oscar. Contando a História da Matemática: volume 5 – Jogando com a matemática.


8. ed., São Paulo: Ática, 2004

GROENWALD, Claudia Lisete Oliveira ; TIMM, Ursula Tatiana. Utilizando curiosidades e


jogos matemáticos em sala de aula. ULBRAS/RS, Rio Grande do Sul. Disponível em:
<http://www.somatematica.com.br/artigos/a1/>. Acesso em: 05 nov. 2004.

MEC – Ministério da Educação.Explorando o Ensino da Matemática: Artigos Volume 1.


Brasília: MEC/SEF, 2004.

MEC – Ministério da Educação.Explorando o Ensino da Matemática: Artigos Volume 2.


Brasília: MEC/SEF, 2004.

ROSA, Ernesto. As mil e uma equações: Coleção: A descoberta da Matemática. 10. ed., São
Paulo: Ática, 2004

ROSA NETO, Ernesto. Didática da Matemática. 9.ed., São Paulo: Ática, 1997.

SHINE, Carlos Yuzo, A Torre de Hanói, Revista Eureca, Rio de Janeiro. Disponível em:
<http://www.obm.org.br/eureka/artigos/hanoi.doc>. Acesso em: 12 out. 2005.

SMOOTHEY, Marion. Investigação Matemática: atividades e jogos com gráficos. 1. ed., São
Paulo: Scipione, 2003.

SITES CONSULTADOS :
• http://www.somatematica.com.br
• http://www.start.com.br/matematica