Você está na página 1de 9

Universidade Federal do ABC

EN2605 – ELETRÔNICA DIGITAL


Experimento 6: Registradores de Deslocamento e Máquinas de Estado
Prof. Dr. Rodrigo Reina Muñoz

Helder Rolim RA: 11051811


Luciano Aparecido Ronchini RA: 11022912
Pedro Henrique Birais RA: 11010813
Rodrigo Yoshio Sano RA: 11047210

Santo André
Julho de 2016
SUMÁRIO
Introdução 2

Objetivos 2

Metodologia 3

Resultados e discussão 3

Conclusão 8

Referências 9

1
1. Introdução

Um registrador de deslocamento consiste em um conjunto de flip-flops que


podem ser interligados entre diversas configurações. Como por exemplo a do tipo
entrada serial saída serial (Serial-Serial), que pode deslocar uma informação (bit),
aplicada na entrada, a cada pulso de clock. Nesta configuração o registrador opera
com carga de dados “serial” ou em série.
Além da configuração Serial-serial, existem outras três para registradores de
deslocamento. A configuração Paralelo-Paralelo armazena todos os bits
simultaneamente, e todos eles são disponíveis na saída simultaneamente. A Paralelo-
Serial, em que os bits são armazenados simultâneamente, mas a saída é em série. E a
Serial-Paralelo, em que o primeiro flip-flop sincroniza o sinal com a borda do relógio, de
forma que a informação é deslocada a cada borda de subida do relógio.
De maneira geral, os registradores de deslocamento operam de forma que, um
bit aplicado na entrada aparece na saída do primeiro flip-flop, no primeiro pulso de
clock, então ele desloca-se aparecendo na saída do segundo flip-flop, já no segundo
pulso de clock, isto se repete até aparecer na saída final da sequência.
Neste experimento foi estudada a configuração Paralelo-Serial, nela foi
verificado o comportamento do circuito para saída em paralelo e saída serial.

2. Objetivos

- Implementar o circuito registrador paralelo-serial, disponível no roteiro da aula,


no Quartus II
- Fazer uma análise comparativa do circuito simulado com os resultados teóricos
- Implementar o circuito do registrador bidirecional de 8 bits 74198, utilizando o
Quartus II
- Projetar um circuito sequencial que conte de 2 a 5. Fazer a simulação no
Quartus II e verificar o funcionamento na placa DE2-115.

3. Metodologia

O experimento consistiu de três etapas:

2
(i) Implementar o circuito registrador paralelo-serial, apresentado no roteiro, no
Quartus II. Em seguida carregar as entradas I3=1; I2=1; I1=0; I0=1 e verificar o
funcionamento do circuito em relação as saídas Q3, Q2, Q1 e Q0 em configuração
paralela e a saída Q3 serial. Comparar os resultados da simulação com a análise
teórica

(ii) Implementar o circuito do registrador bidirecional de 8 bits 74198, disponível


no roteiro, utilizando o Quartus II. Carregar a informação: A = 1; B = 1; C = 0; D = 1; E =
1; F = 0; G = 0; H = 0; para realização dos testes.

(iii) Projetar e simular um circuito sequencial que conte de 2 a 5. Em seguida,


utilizar a placa DE2-115 para verificar o funcionamento.

4. Resultados e discussão

O circuito registrador paralelo-serial foi montado no Quartus II utilizando flip-flops


tipo D do CI 7474, conforme a Figura 1 apresentada a seguir.

Figura 1. Circuito registrador paralelo-serial.

As entradas foram carregadas com os valores I3 = 1, I2 = 1, I1 = 0 e I0 = 1, o


clear foi configurado com valor 1 durante toda a simulação, o enable ficou inicialmente
com valor 1 e depois de dois períodos do clock foi configurado para 0, e a entrada foi

3
mantida sempre em 0 para facilitar na análise da saída do circuito posteriormente. A
saída do circuito pode ser observada no resultado da simulação da Figura 2 a seguir.

Figura 2. Resultado da simulação do circuito registrador paralelo-serial.

Na figura 2 podemos observar que inicialmente a saída do circuito corresponde ao


valor 1011 que foi carregado através das portas I0 a I3. O circuito altera a saída
durante a borda de subida do clock, de maneira que o sinal colocado na porta enable é
deslocado entre as saídas a cada pulso do relógio. Ao colocar o sinal da porta enable
em nível lógico baixo, a resposta das saídas passam a ser alteradas a cada pulso de
clock, de maneira sequencial cada uma das saídas (I0 a I3) passam uma a uma a nível
lógico baixo, ou seja, o circuito cumpre o propósito de deslocar uma informação
aplicada na entrada a cada pulso de clock.

Após verificação dos resultados, o circuito do Quartus II foi implementado na


placa da Altera. Para simular o clock foi utilizado um dos botões, enquanto que para as
entradas I3 até I0, enable e clear foram utilizadas chaves na posição 0 ou 1
dependendo da necessidade. As saídas foram designadas para os LEDs da placa. O
diagrama esquemático com os pinos utilizados da placa no experimento é apresentado
a seguir, na Figura 3.

4
Figura 3. Esquemático dos pinos utilizados para as entradas e saídas.

Na segunda parte da aula prática foi verificado o funcionamento do registrador


bidirecional de 8 bits 74198. O circuito montado no Quartus II é apresentado na Figura
4.

Figura 4. Circuito registrador de 8 bits.

5
A tabela verdade com o funcionamento do registrador utilizando CI 74198, que
atua como o registrador pode ser observado na Figura 5 a seguir.

Figura 5. Tabela verdade do registrador bidirecional.

Em seguida foi efetuada a simulação no software. As entradas foram


configuradas com A = 1, B = 1, C = 0, D = 1. E = 1, F = 0, G = 0 e H = 0. O clear foi
deixado com valor 0 por um breve período de tempo (2 ciclos do clock) e depois
permaneceu em 1. As entradas DESL_ESQ e DESL_DIR, e S0 e S1, que representam
os modos de funcionamento foram deixados com valores que facilitassem a análise e
abrangessem todas as combinações possíveis.

O resultado de simulação do circuito registrador de 8 bits pode ser observado a


seguir, na Figura 6.

6
Figura 6. Resultados de simulação do registrador.

Ao comparar as figuras 5 e 6 podemos avaliar que o resultado fornecido pela


simulação no Quartus II corresponde a descrição da tabela da figura 5. Inicialmente
quando o sinal de clear está em nível lógico baixo, as entradas são condições de
irrelevância e todas as saídas permanecem em nível baixo.
As demais condições analisadas foram com a entrada clear em nível alto. Para
as demais entradas em condições de irrelevância e o relógio em baixo, a saída do
registrador corresponde ao valor inserido nas entradas. E assim as demais condições
apresentadas na tabela verdade também podem ser verificadas. Como por exemplo,
quando S1 está em zero e S0 em um, o deslocamento ocorre para a direita, ao inverter
os valores de S1 e S0 o deslocamento ocorre à esquerda. Em SLSI corresponde a
entrada serial quando desloca a esquerda, enquanto SRSI a entrada serial ao deslocar
para direita.

5. Conclusão

7
Neste experimento foi possível avaliar o funcionamento típico dos registradores
de deslocamento, que operam de maneira síncrona e fazem com que o bit aplicado na
entrada seja propagado por cada um dos flip-flops do circuito até o estágio de saída do
registrador. Contudo há a possibilidade elevar a complexidade de operação de circuitos
registradores, visto que é possível operá-los em diferentes configurações de entrada e
saída de dados e também de maneira de bidirecional, como no caso do 74198.
Os resultados obtidos a partir da simulação no ambiente do Quartus II
corresponderam de forma precisa ao comportamento descrito nas tabelas verdades
para o circuito do registrador paralelo-serial e também para o registrador bidirecional de
8 bits.
Semelhante ao que foi realizado no experimento anterior, após compilar e
validar o funcionamento do circuito do registrador paralelo-serial, foi possível
implementá-lo na placa da Altera. O processo de implementação foi simples e rápido, o
que possibilitou testes práticos e uma melhor compreensão do funcionamento do
circuito.
Enfim, este experimento trata-se de uma extensão natural da compreensão das
diversas aplicações que envolvem circuitos baseados em flip-flops, tais como no caso
de contadores e agora para os registradores de deslocamento.

6. Referências

[1] TOCCI, Ronald J.; WIDMER, Neal S.; MOSS, Gregory L. Sistemas digitais: princípios e
aplicações. Tradução de Jorge Ritter; Revisão de Renato Camargo Giacomini. 11. ed. São
Paulo, SP: Pearson Education do Brasil, c2011. xx, 817 p.

[2] FLOYD, Thomas L.; FLOYD, T. L; THOMAS L. FLOYD. Sistemas digitais: fundamentos e
aplicações. 9. ed. Porto Alegre, RS: Bookman, 2007. 888 p.