Você está na página 1de 27

COAGULADOR POR PLASMA DE ARGÔNIO

Modelo ARGON 2

MANUAL DE UTILIZAÇÃO

R
ARGON 2
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
COAGULADOR POR PLASMA DE ARGÔNIO MODELO ARGON 2
O Coagulador por plasma de argônio modelo Argon 2 foi especialmente projetado para procedimentos
endoscópicos que utilizam plasma de argônio.
Apresentação
O presente manual foi elaborado de forma a fornecer as informações necessárias ao usuário sobre o
Coagulador por Plasma de Argônio modelo Argon 2, quanto à sua operação, manutenção, conservação,
transporte, características técnicas, seus cuidados gerais, e outras informações necessárias para o uso
correto do equipamento.
Marca:
WEM Equipamentos Eletrônicos LTDA.
Fabricante do equipamento e detentor do registro:
WEM Equipamentos Eletrônicos LTDA
R: Marechal Mascarenhas de Moraes, 550 - Lagoinha.
CEP 14095-120 - Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil
Fone: (16) 3512-4600 / Fax: (16) 3512-4637
Site: http://www.wem.com.br
E-mail: wem@wem.com.br
CNPJ: 54.611.678/0001-30 - Inscrição Estadual: 582.181.462.110
Responsável Técnico: Eng. Edson Luiz Rodrigues Vieira – CREA-SP nº 0600689196
Nome técnico: Coagulador
Nome comercial: Coagulador por Plasma de Argônio
Modelo comercial: Argon 2

Registro ANVISA nº

ATENÇÃO

Para maior segurança:


a) Leia e entenda todas as instruções contidas neste Manual de Utilização antes de
instalar ou operar este equipamento.
b) Certifique-se de que todas as instruções estejam informadas no conteúdo deste
manual.
Este manual deve ser lido por todos os operadores deste equipamento.

Este manual foi redigido originalmente no idioma Português.

“A WEM Equipamentos Eletrônicos Ltda se reserva o direito de efetuar qualquer alteração nos
dados fornecidos neste manual bem como nas características do equipamento, sem prévio aviso”.

Manual Rev:00
Muag2_0
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Conteúdo Pág.
1 – Identificação.......................................................................................................................................................... 03
1.1 – Nome e modelo............................................................................................................................................. 03
1.2 – Descrição do equipamento............................................................................................................................ 03
1.3 – Partes e peças.............................................................................................................................................. 04
1.4 – Princípio Físico e fundamentos da tecnologia do equipamento..................................................................... 06
1.5 – Itens opcionais............................................................................................................................................... 06
1.6 – Opcionais, materiais de consumo e materiais de apoio................................................................................ 07
1.7 – Especificações e características técnicas..................................................................................................... 08
2 – Condições especiais de armazenamento, conservação e/ou manipulação do equipamento................................. 09
3 – Instruções para uso do equipamento.................................................................................................................... 09
3.1 – Condições de operação............................................................................................................................... 09
3.2 – Conhecendo o painel dianteiro do equipamento.......................................................................................... 10
3.3 – Conhecendo o painel traseiro do equipamento............................................................................................ 10
3.4 – Outros símbolos utilizados no equipamento................................................................................................. 11
3.5 – Operando o equipamento............................................................................................................................. 11
3.6 – Purgando o gás............................................................................................................................................ 12
3.7 – Cilindros reconectados (cilindros novos ou reinstalados)............................................................................. 12
3.8 – Iniciando a coagulação com gás argônio..................................................................................................... 12
4 – Advertências e/ou precauções a serem adotadas................................................................................................. 13
4.1 – Advertências e/ou precauções durante o transporte e armazenamento...................................................... 13
4.2 – Advertências e/ou precauções durante a instalação.................................................................................... 14
4.3 – Advertências e/ou precauções durante a utilização..................................................................................... 14
4.4 – Advertências, recomendações, e cuidados em cirurgias............................................................................. 14
4.5 – Cuidados em cirurgias endoscópicas e laparoscópicas............................................................................... 15
4.6 – Cuidados com acessórios............................................................................................................................ 15
4.7 – Advertências e/ou precauções durante a desinfecção e limpeza................................................................. 16
5 – Desempenho do equipamento sobre requisitos essenciais de segurança e eficácia do equipamento médico, e
16
eventuais efeitos secundários indesejáveis.................................................................................................................
5.1 – Indicação, finalidade ou uso a que se destina o equipamento..................................................................... 16
5.2 – Efeitos secundários ou colaterais indesejáveis e contra-indicações............................................................ 16
5.3 – Segurança e eficácia do equipamento......................................................................................................... 16
6 – Instalação ou conexão a outros equipamentos..................................................................................................... 17
7 – Instalação, manutenção corretiva e preventiva..................................................................................................... 17
7.1 – Instalação do equipamento.......................................................................................................................... 17
7.2 – Uso com a unidade de transporte................................................................................................................ 18
7.3 – Plugue de força............................................................................................................................................ 21
7.4 – Aterramento................................................................................................................................................. 21
7.5 – Voltagem da rede elétrica............................................................................................................................ 21
7.6 – Instalação do cilindro................................................................................................................................... 21
7.7 – Manutenção corretiva................................................................................................................................... 22

1
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

7.8 – Manutenção Preventiva e Conservação....................................................................................................... 23


8 – Procedimentos adicionais para reutilização.......................................................................................................... 24
9 – Procedimentos adicionais antes da utilização do equipamento............................................................................ 24
10 – Preocupações em caso de alteração do funcionamento do equipamento........................................................... 24
11 – Sensibilidade a condições ambientais previsíveis nas situações normais de uso............................................... 24
12 – Preocupações em caso de inutilização do equipamento...................................................................................... 24
13 – Termo de responsabilidade.................................................................................................................................. 25

2
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

1 – IDENTIFICAÇÃO
1.1 – Nome e modelo
Nome técnico: Coagulador
Nome comercial: Coagulador por plasma de argônio
Modelo comercial: Argon 2

1.2 – Descrição do equipamento


O Coagulador por plasma de argônio modelo Argon 2 foi especialmente desenvolvido para uso em
procedimentos endoscópicos que utilizam plasma de argônio. Porém, também pode ser utilizado para
pequenos procedimentos que utilizam plasma de argônio.
A coagulação por plasma de argônio apresenta muitas vantagens sobre a coagulação spray, que é uma
coagulação de não-contato (fulguração) convencional. Dentre essas vantagens podemos destacar:
• Coagulações mais rápidas e mais eficientes, reduzindo o tempo de uso do bisturi elétrico em até 70%.
• Redução da perda de sangue em até 50%, o que leva a uma menor necessidade de reposição e menor
risco de contaminação do paciente e da equipe cirúrgica.
• Evita a formação de escara flutuante, reduzindo drasticamente as possibilidades de novo sangramento
no pós-operatório.
• Menor dano tecidual, produzindo uma cicatrização melhor e mais rápida com reduzido nível de infecção.
• Melhor visibilidade. O fluxo de gás soprado sobre o tecido afasta o sangue e outros fluídos permitindo
visibilidade total do local a ser coagulado, com precisão e segurança.
• Nível reduzido de fumaça e odor. Níveis reduzidos de fumaça são importantes em cirurgias
laparoscópicas, permitindo ao cirurgião trabalhar com total visibilidade e segurança sem necessitar
aguardar a aspiração da fumaça para prosseguir o procedimento.
• Não produz combustão de tecido adiposo, já que não existe oxigênio envolvido no processo.
• Alta eficiência em ossos, cartilagens, ligamentos, membranas externas de órgãos. A coagulação de
sangramentos em tecidos de alta impedância é normalmente ineficiente com a fulguração convencional.
• O paciente passa um tempo menor na sala cirúrgica com tempo reduzido de anestesia, com risco menor
de infecção e recuperação mais rápida.
• A equipe cirúrgica pode utilizar um número menor de instrumentos no campo cirúrgico o que reduz o
risco de rasgos e perfurações nas luvas e conseqüente risco de contaminação.
Todas essas vantagens resultam em aumento da segurança para o paciente e para a equipe cirúrgica.
A relação custo/benefício para os coaguladores por plasma de argônio é extremamente favorável ao
hospital considerando-se a redução de tempo cirúrgico e da menor necessidade de reposição de sangue.

3
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

1.3 – Partes e peças


Itens acompanhantes e opcionais:

Bisturi Eletrônico
(Não acompanhante)
Cabo de ligação para
bisturi
(acompanhante)

Caneta ES-10
(opcional)

Coagulador por
plasma de argônio
ARGON 2
150
100 200

50 250

0 300

Cilindro de Válvula do cilindro


gás argônio (acompanhante)
(opcional)

Alça de segurança para


Suporte de cilindro
acessórios (acompanhante)
(acompanhante)

Rodízios
Pedal FS-10
(opcional)

Unidade de
transporte
(acompanhante)

Atenção: o bisturi eletrônico não é um acessório, não acompanha o conjunto acima, possui registro a parte
e, deve ser adquirido separadamente. A WEM Equipamentos Eletrônicos Ltda. recomenda o uso de bisturis
de sua fabricação, para melhores resultados. A unidade é uma parte acompanhante do equipamento e não
pode ser vendida separadamente. Para mais informações, consulte o endereço eletrônico
www.wem.com.br.

4
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Descrição Interna do Argon 2

Chave liga/desliga Placa de circuito impresso

Painel dianteiro
Cabo de força

Porta-fusíveis

Conexão p/ saída
Conector de potência do
p/ pedal bisturi

Conexão
p/ bisturi

Conexão
p/ cilindro

Conexão de
Válvula Válvula de alívio saída de gás
redutora (segurança) Filtro para acessório

Vista Interna do Argon 2

Outras partes acompanhantes ou opcionais:


Unidade de transporte (acompanhante)
Cabo de alimentação (acompanhante)
Cabo de ligação para bisturi (acompanhante)
Suporte de acessórios (acompanhante)
Válvula do cilindro c/ mangueira (acompanhante)
Alça de segurança para cilndro (acompanhante)
Cilindro (opcional)

5
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

1.4 – Princípio físico e fundamentos da tecnologia do equipamento, aplicados para seu


funcionamento e sua ação
O coagulador por plasma de argônio é basicamente uma unidade controladora de fluxo de gás argônio que
funciona acoplado a uma unidade eletrocirúrgica (bisturi elétrico). Quando o coagulador é acionado, ele
também ativa o circuito de coagulação do bisturi elétrico.
A corrente elétrica de rádio freqüência fornecida pelo bisturi elétrico, que é conduzida por um eletrodo de
tungstênio no centro da caneta com um fluxo de gás concêntrico, ioniza o feixe de gás argônio que passa a
ser o meio condutor da corrente elétrica, formando o plasma de gás argônio.
Princípio de funcionamento

Alta freqüência

Eletrodo

Argônio não ionizado

Gerador de
Alta Freqüência

Tecido Coagulado
Feixe de Plasma de Argônio
Tecido

Placa Neutra

Alta freqüência

A figura mostra o coagulador por plasma de argônio em operação. O fluxo de gás afasta o sangue e outros
fluidos do local a ser coagulado, permitindo total visibilidade para o cirurgião, reduzindo o risco de escaras
flutuantes que podem provocar novo sangramento no pós-operatório.
A corrente elétrica utilizada deve ser sempre aquela que corresponde à coagulação spray ou fulguração,
que possui os níveis de voltagem adequados para produzir a ionização do gás.
Esse feixe ionizado proporciona uma coagulação mais eficiente, pois não emite faíscas, permitindo uma
coagulação homogênea e mais visualmente limpa. Este é um equipamento de operação intermitente, ligado
através de uma chave elétrica.
1.5 – Itens opcionais
a) Eletrodos para caneta ES-10 (Cód. - EA-05:4145, EA-70:3718, EA-320:4078)
EA-05 EA-70

EA-320

b) Caneta ES-10 (Cód.: 3721)

6
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

c) 01 cilindro

d) Pedal simples FS-10 (Cód.: 3752)

e) Cateter CA-01, comprimento: 2,30 metros (Cód.: 3036)

f) Cateter CA-02, comprimento: 3,20 metros (Cód.: 4745)

1.6 – Materiais de consumo e materiais de apoio


a) Material de consumo:
Gás argônio.
b) Material de apoio:
Manual de Utilização
Relação de Assistências Técnicas Autorizadas
Itens de fabricação para uso exclusivo nos produtos da empresa:
Todas as partes, acessórios e opcionais descritos neste Manual de Utilização e os demais não descritos
mas pertencentes ao equipamento são de uso exclusivo nos produtos da empresa.
Atenção: O uso de qualquer parte, acessório ou material não especificado ou previsto neste Manual de
Utilização é de inteira responsabilidade do usuário.

7
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

1.7 – Especificações e Características Técnicas


Classe de enquadramento (ANVISA) Classe III
Frente: 243 mm
Dimensões do equipamento Altura: 74 mm
Profundidade: 260 mm
Área ocupada 0,010 m3
Dimensões da embalagem 0,29 X 0,37 X 0,45 m
Tipo de embalagem Papelão
Peso líquido 12 kg
Peso bruto 13,3 Kg
Faixa de alimentação de tensão elétrica 100 a 240 VAC com seleção automática de tensão
Freqüência da rede de alimentação 50 / 60 Hz
Corrente de consumo 0,4A (rede 127 VAC) 0,3A (rede 220 VAC)
Tipo de corrente AC (alternada)
Número de fases Monofásico
Seletor de tensão de operação Seleção automática de tensão
Modo de Operação Operação contínua com carga intermitente
Proteção contra choque elétrico Parte aplicada tipo CF Classe I
Potência nominal de entrada 100 VA
Potência elétrica máxima 100 VA
Fusíveis externos 2A / 250V
Tipo de fusíveis Vidro (modelo 20AG), 20mm, rápido.

ESTE EQUIPAMENTO NÃO É ADEQUADO AO USO NA PRESENÇA DE ATMOSFERA EXPLOSIVA

Dimensões detalhadas do equipamento (mm):


243 260

74

Normas aplicadas ao projeto e desenvolvimento do equipamento (principais)


Norma NBR IEC 60601-1 Equipamento eletromédico – Parte 1 – Prescrições gerais para segurança
Equipamento eletromédico – Parte 2 - 2 – Prescrições particulares para segurança de
Norma NBR IEC 60601-2-2
equipamento cirúrgico de alta freqüência
Equipamento eletromédico - Parte 1: Prescrições gerais para segurança - 2. Norma
Norma NBR IEC 60601-1-2
colateral: Compatibilidade eletromagnética - Prescrições e ensaios

Normas aplicadas ao processo de fabricação do equipamento (principais)


Norma NBR ISO 9001 Sistemas de gestão da qualidade – Requisitos.
Norma RDC 59 (ANVISA) Boas Práticas de Fabricação de Produtos Médicos
Norma EN ISO 13485 Quality systems – Medical devices – Particular requirements for the application of ISO 9001

CUIDADOS COM O USO DO GÁS ARGÔNIO


O gás argônio é um gás inerte, inodoro e incolor, quimicamente inerte, de classe nobre e é encontrado livre
na atmosfera, porém, algumas informações sobre este gás devem ser abordadas.
O cilindro a ser conectado deve conter gás argônio de pureza mínima de 99,998%. A pressão máxima de
entrada não deve exceder 2900 PSI (200 BAR). O equipamento está preparado para receber 1 cilindro de
gás argônio.

8
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

O argônio não é tóxico, mas, se encontrado em grandes quantidades, pode causar asfixia, e todas as
precauções sobre seu manuseio e armazenamento devem ser tomadas.
O gás argônio não é um gás inflamável, mas seu cilindro pode romper-se devido ao fogo ou calor, e
nenhuma parte do seu cilindro deve estar sujeitas a partes mais altas que 52º C (125º F), porém, os
cilindros são equipados com dispositivo para alívio de pressão.
O cilindro deve sempre estar fora de risco de queda, deve ser transportado sempre em um carrinho de
transporte de cilindros, nunca arraste, role o cilindro ou o deixe cair. Em casos de vazamento, feche sua
válvula, e, com o equipamento desligado, desconecte-o do Argon 2. Leve o cilindro para uma área bem
ventilada, e chame a distribuidora de gás para troca ou manutenção.

2 – CONDIÇÕES ESPECIAIS DE ARMAZENAMENTO, CONSERVAÇÃO E/OU MANIPULAÇÃO DO


EQUIPAMENTO
Armazenamento: Manter em local protegido de umidade, chuva e sol direto, e em sua embalagem original.
No caso de armazenamento de diversas caixas do equipamento embalado, o
empilhamento máximo deverá ser conforme indicado no símbolo de empilhamento na
embalagem.
Conservação.....: Quando em uso, limpar com pano úmido.
Mantenha o equipamento limpo para a próxima utilização.
Não permita que líquidos sejam inseridos no equipamento.
Não utilize solvente orgânico como thinner para limpar o equipamento.
Mantenha o equipamento em local limpo, longe de poeira.
Transporte.........: Quando em sua embalagem original, durante o transporte evite vibrações e impactos no
equipamento e não deixe cair no chão.
Símbolos impressos na embalagem, relacionados com o armazenamento e transporte.

Posição da embalagem no armazenamento e transporte

4 Empilhamento máximo

Proteger contra água

Conteúdo frágil

3 – INSTRUÇÕES PARA USO DO EQUIPAMENTO


3.1 – Condições de operação
A operação do equipamento é especifica em conformidade com a Norma Geral NBR IEC 60601-1 (Seção
Dois - item 10.2.1 Condições ambientais).

Faixa de temperatura ambiente de +10°C a +40°C


Faixa de umidade relativa de 30% a 75%
Faixa de pressão atmosférica de 700 hPa a 1060 hPa (525 mmHg a 795 mmHg)

9
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

3.2 – Conhecendo o Painel Dianteiro do equipamento

Indicador de Indicador de
Conector acionamento equipamento energizado
para bisturi ACTIVE POWER

Conexão de
saída de gás Teclas para ajuste de fluxo Tecla PURGE
para acessório

3.3 – Conhecendo o Painel Traseiro do equipamento

Botão
Liga/Desliga Porta-fusíveis Conexão para
Bisturi

FUSES
FOOTSWITCH

ESU GAS TANK

ESU

Coagulador Plasma Argônio

100 VA Argon 2

Cabo de Conexão de alimentação Conexão para Conexão para


alimentação para Bisturi Pedal cilindro

10
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

3.4 – Outros símbolos utilizados no equipamento


Painel Frontal

Antes de colocar o Argon 2 em operação, consulte documentos acompanhantes

Saídas de alta voltagem

Conector p/ acessório

Fluxo indicado p/ procedimentos laparoscópicos.

Painel Traseiro

Conectar o Argon 2 a uma rede elétrica aterrada

Antes de colocar o Argon 2 em operação, consulte documentos acompanhantes

Acessórios

Data de Fabricação

Validade

Descartável

3.5 – Operando o equipamento


Se o equipamento estiver corretamente instalado conforme capítulo 6, siga as seguintes instruções:
1º: Coloque a chave Liga / Desliga localizado no painel traseiro do Argon 2, na posição Desligado (O).
Coloque a chave do bisturi também na posição desligado.
2º: Abra a válvula do gás (ver capítulo 7.6)
3º: Conecte o plugue de força do Argon 2 e do bisturi a uma tomada aterrada (ver capítulo 7.3, 7.4 e 7.5).
4º: Com a chave Liga / Desliga do bisturi desligado, conecte o plugue de força do bisturi na entrada
localizada atrás do Argon 2
5º: Conecte o Conector do Bisturi na entrada de saída de potência do bisturi (para maiores informações
consulte o manual do fabricante e/ou veja mais detalhes no capítulo 6).
6º: Coloque a chave Liga / Desliga do Argon 2 na posição ligado ( I ).
7º: Ligue o bisturi. Se o bisturi possuir o modo STAND-BY, deixe-o no modo operacional para
Monopolar/Coagulação por fulguração (SPRAY).
8º: Ajuste o fluxo de gás através do botão para decrementar ou botão para incrementar, localizados no
painel frontal do Argon 2
Sugestões para o fluxo de gás e potência de coagulação do bisturi:
• Fluxo de 0 a 2 LPM, use potências de 10 a 40 Watts
• Fluxo de 2 a 4 LPM, use potências de 20 a 60 Watts
• Fluxo de 4 a 5 LPM, use potências de 40 a 70 Watts
Para procedimentos laparoscópicos, recomenda-se utilizar fluxo de gás de 1 até 3 LPM.

11
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Para prevenir a possibilidade de embolia ao nível de fluxo de 5 LPM, não use potência inferior a 30 Watts.

3.6 – Purgando o Gás


Para este procedimento, pressione o botão PURGE localizado no painel frontal do Argon 2.
A purgação é necessária para expulsar o ar do circuito de gás e substituí-lo por gás argônio. Pressione o
botão Purge no painel frontal do Argon 2 antes de iniciar uma cirurgia ou sempre que substituir um
acessório, o botão Purge deverá ser pressionado por aproximadamente 10 segundos (este procedimento
não ativará o bisturi). Em seguida, certifique-se de que o índice de fluxo está ajustado aos níveis desejados
conforme os níveis de potência do bisturi ou a preferência do cirurgião.
3.7 – Cilindro Reconectado (cilindro novo ou reinstalado)
Quando o manômetro que está conectado no cilindro chegar a zero (0), indica que a válvula do cilindro está
fechada, se estiver, abra a válvula. Se mesmo assim o manômetro continuar indicando zero (0), troque o
cilindro de gás.
Antes de substituir o cilindro (ver Capítulo 7.6) ou depois de conectado um cilindro, aperte o botão PURGE
para purgar no painel frontal do Argon 2 (este procedimento não ativará o bisturi). Em seguida, certifique-se
de que o índice de fluxo de gás está ajustado aos níveis desejados conforme a potência do bisturi ou a
preferência do cirurgião.

3.8 – Iniciando a Coagulação com Gás Argônio


O Argon 2 e o bisturi devem estar instalados conforme capítulos 7.1 a 7.6. Para se realizar uma coagulação
com gás argônio, deve-se pressionar a alavanca COAG do pedal.
INICIAÇÃO DO FEIXE. Uma vez que a iniciação do feixe depende de diversas variáveis, tais como a
voltagem de saída do bisturi, do tipo de tecido e/ou do tipo de caneta ou acessório, inicie o feixe de gás
argônio segurando a ponta a uma distância de um centímetro do tecido do paciente. Iniciado o feixe, a
ponta do dispositivo manual pode ser posicionada a uma certa distância do tecido alvo que proporcione
uma posição mais confortável e para se obter o feixe desejado.

Recomenda-se que a caneta seja mantida formando um ângulo de 45° a 60° em relação à superfície do
tecido de modo a se obter o desempenho ideal. Note também que a ponta emite um brilho se estiver
excessivamente próxima do tecido ou se a potência do bisturi estiver alta demais.

A ponta da caneta deve estar a uma distância não maior que 1 cm da superfície do tecido para que se
possa iniciar o feixe de argônio. A ponta da caneta não deve entrar em contato com o tecido.
O avermelhamento da ponta indica que ela está muito próxima da superfície do tecido, ou que a potência do
bisturi está muito alta.

Mantenha a caneta a um ângulo de 45o-60o em relação ao tecido. Isto permite que o fluxo de gás afaste o
sangue e detritos do local da cirurgia.
Evite utilizar a caneta perpendicular ao tecido porque o sangue será empurrado para dentro do vaso
reduzindo a eficiência

12
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Com a caneta posicionada num ângulo determinado, direcione o fluxo de gás para o sangramento.
Movimente a caneta para frente utilizando um movimento de vai-e-vem lateral.
Evite movimentar a caneta para trás, pois isso atenua o efeito do fluxo de gás e resulta em uma hemostasia
ineficiente.

Use a caneta com movimentos lentos e precisos nos níveis de potência máximos recomendados.
Movimente como se estivesse pintando com um spray e tente coagular na primeira vez. O feixe pode ser
mantido por um período mais longo em vasos de maior calibre. Se utilizado de maneira adequada o
Coagulador por plasma de argônio modelo Argon 2 consegue fechar vasos com diâmetros de 2-3 mm.
Evite movimentar a caneta de modo muito rápido e abrupto. Isto resulta numa hemostasia ineficiente.

Para aqueles vasos que necessitam serem pinçados, o feixe de argônio pode ser utilizado em conjunto com
a pinça. Para um melhor resultado inicie o feixe de argônio na base do instrumento, próximo do vaso
pinçado.
Evitar passar o feixe sobre grampos ou outras estruturas metálicas no local da cirurgia, porque elas
conduzem corrente elétrica. Evite, também, colocar a ponta de aspiradores muito próxima do feixe, pois isto
altera a direção do fluxo de gás.
IMPORTANTE: Não aponte a ponta para vasos abertos. Não tente coagular vasos com mais de 3 mm
de diâmetro.
FEIXE EXTINTO: Se o feixe se extinguir ao se afastar do tecido, significa que foi excedida a
capacidade do bisturi de manter um canal condutor de gás argônio ionizado; a ponta deve ser
mantida o mais próximo do tecido do paciente para continuar a coagular. Quanto mais baixo for o
nível de energia do bisturi ou da voltagem pico a pico, menor deverá ser a distância entre a ponta e o
tecido, para se iniciar a ionização do feixe de argônio.
4 – ADVERTÊNCIAS E/OU PRECAUÇÕES A SEREM ADOTADAS
4.1 – Advertências e/ou precauções durante o transporte e armazenamento
Durante o transporte (produto embalado) evite vibrações e impactos no equipamento.
Não permitir que o equipamento fique exposto à chuva ou fique exposto à umidade excessiva. Evite quedas
(produto embalado).
É recomendável quando o equipamento ficar por um período prolongado sem utilização, a retirada da
tomada da rede de energia elétrica, e que seu cilindro seja fechado.
O cilindro deve ser transportado em carrinho de transporte, e bem preso. Nunca role o cilindro, proteja-o de
queda, calor excessivo ou fogo.

13
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

4.2 – Advertências e/ou precauções durante a instalação


Não instale o equipamento próximo a torneiras de água ou equipamentos similares. Não instale o
equipamento próximo de pressões atmosféricas e temperatura anormal, alta umidade, luz solar intensa,
ventilação pobre, ambiente alcalino ou ácido, poeira, cloro e gás sulfúrico.
Deve se garantir que o equipamento só seja instalado em locais estáveis. Certifique-se de que o
equipamento está em local seguro, com relação à inclinação, vibração ou choques.
Verifique se a tensão e a freqüência do equipamento são compatíveis com a rede elétrica local. Caso
necessário, o equipamento deve ser comutado para o mesmo valor da rede de energia elétrica local.
Verifique se a rede, onde o equipamento será ligado, está devidamente aterrada.
Por razões de segurança, verifique e certifique de que o equipamento não está conectado a rede de energia
elétrica durante a instalação.
Verifique se o cilindro está em posição correta e bem preso à unidade de transporte do equipamento, e se
não há vazamentos nas conexões.
4.3 – Advertências e/ou precauções durante a utilização
Não utilizar este equipamento, ou parte dele para propósito ao qual ele não foi projetado. Não realize
modificações no equipamento
Nunca tente consertar o equipamento, chame a assistência técnica autorizada.
Não puxe com força o cabo de energia da saída.
O produto somente pode ser usado ou operado por profissional qualificado (médico) ou supervisionado pelo
mesmo.
4.4 – Advertências, recomendações e cuidados em cirurgias
Examine todos os acessórios e conexões ao Argon 2 e ao bisturi antes de iniciar a cirurgia. Certifique-se de
que os acessórios estejam funcionando de maneira adequada. A conexão inadequada pode produzir
faiscamento de metal para metal resultando em estimulação neuromuscular no paciente, mau
funcionamento do acessório e efeitos cirúrgicos indesejáveis.
A eletrocirurgia deve ser utilizada com cautela em pacientes com marcapasso interno ou externo. A
interferência produzida pela corrente eletrocirúrgica pode conduzir a um funcionamento inadequado do
marcapasso. Para maiores informações deve-se consultar um cardiologista ou o fabricante do marcapasso.
O Eletrodo Neutro deveria ser ligado de forma eficiente em toda superfície no corpo do paciente e também
tão perto quanto possível do campo operatório.
Não se deve permitir que o paciente entre em contato direto com objetos metálicos aterrados (mesa
cirúrgica, mesas de instrumentação, suportes, etc.) durante a eletrocirurgia, para evitar queimaduras por
desvios de corrente. Em casos onde isso não é possível deve-se trabalhar com cuidado visando à
segurança do paciente. O uso de invólucros antiestáticos é recomendado nesse caso.
O contato entre partes do corpo pode resultar em queimaduras pela circulação da corrente eletrocirúrgica
entre essas partes. Deve-se separá-las com gaze ou compressa seca.
Nos casos em que um defeito ou mau funcionamento do bisturi ou Argon 2 pode provocar a interrupção da
cirurgia, recomenda-se manter um outro equipamento em condições de substituí-lo.
Se o equipamento cirúrgico da Alta Freqüência e os equipamentos de monitoração fisiológica forem
utilizados simultaneamente no mesmo paciente, convém que quaisquer eletrodos de monitoração sejam
colocados tão longe quanto possível dos eletrodos de cirurgia. Não são recomendados os eletrodos de
monitoração do tipo agulha.
De qualquer maneira, são recomendados os sistemas de monitoração contendo dispositivos de limitação
das correntes de alta freqüência.
Deve-se tomar muito cuidado ao utilizar a eletrocirurgia muito próximo ou em contato direto com objetos
metálicos como, por exemplo, pinças, espéculos, grampos, etc. A utilização da eletrocirurgia nessas
condições pode provocar destruição de tecidos e queimaduras não intencionais.
Utilizar níveis de potência mínimos adequados ao procedimento cirúrgico em questão. Se o cirurgião não
tiver experiência pessoal sobre o nível de potência a utilizar recomendamos iniciar com um nível bem baixo,

14
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

e aumentá-lo cuidadosamente até conseguir o efeito eletrocirúrgico desejado. Nunca aumente o nível de
potência sem antes fazer uma verificação cuidadosa nas condições da caneta, cabo de placa e suas
respectivas conexões. A necessidade de um aumento muito grande de potência pode indicar problemas
nos cabos ou suas conexões. Use o eletrodo ativo pelo tempo mínimo necessário para conseguir o efeito
cirúrgico desejado de modo a reduzir a possibilidade de queimaduras.
Os cabos dos eletrodos de cirurgia deverão ser colocados de maneira a evitar contato com o paciente ou
outros condutores. Convém que os eletrodos ativos temporariamente não utilizados sejam guardados de
modo a ficarem isolados do paciente.
Nos procedimentos cirúrgicos onde a corrente de alta freqüência poderia passar por partes do corpo que
têm uma área seccional relativamente pequena, a utilização de técnicas bipolares pode ser recomendada
para evitar uma coagulação indesejada.
O faiscamento e a geração de calor associado a eletrocirurgia constituem uma fonte de ignição para
materiais inflamáveis como:
a. Anestésicos inflamáveis ou gases oxidantes tais como o óxido nitroso (N2O) e o oxigênio se utilizados
nas operações cirúrgicas no tórax ou na cabeça, a menos que esses agentes sejam evacuados por
aspiração.
b. Soluções inflamáveis que podem se acumular sob o paciente ou em depressões ou cavidades de seu
corpo como o umbigo ou a vagina. Todo fluído acumulado nessas zonas deverá ser eliminado antes da
utilização do equipamento.
c. Gases endógenos.
d. Algodão hidrófilo ou gazes saturadas de oxigênio.
e. Substâncias inflamáveis como tinturas à base de álcool, utilizados na preparação do paciente.
f. Gases inflamáveis naturais que podem se acumular em cavidades como, por exemplo, o intestino.
g. Produtos adesivos como solventes inflamáveis.
Sempre que possível utilize agentes não inflamáveis para limpeza e desinfecção, senão, deixar evaporar os
produtos inflamáveis antes da utilização da cirurgia de alta freqüência.
Níveis perigosos de voltagem. Este equipamento deve ser utilizado apenas por pessoal qualificado.
Nunca utilizar em ablação endometrial. Alto risco de embolia por ar/gás no interior do útero. Não dirija o jato
p/ dentro de vasos abertos.
Usar com cuidado próximo a tecidos delicados como intestino, bexiga, ureter, grandes vasos.
4.5 – Cuidados em Cirurgias Endoscópicas e Laparoscópicas
Acionamento inadvertido do bisturi ou o movimento do eletrodo ativado fora do campo de visão pode
resultar em danos ao paciente.
Fluxo de Gás Argônio no máximo 4 LPM.
Manter a válvula da cânula aberta. Utilizar dispositivo de sucção para aspirar o gás.
Monitorar continuamente a pressão intra-abdominal durante a ativação do Argon 2 e não permitir que
ultrapasse 18 mmHg.
4.6 – Cuidados com acessórios
Deve-se verificar, antes de cada uso, as condições de conservação dos cabos dos eletrodos (caneta,
cateter, placa, etc...) cabos dos mesmos, observando a isolação (ressecamento, trincamento, falhas), cabos
rompidos, conector quebrado; substituindo-os para evitar risco de segurança para o paciente e para os
operadores.
As placas adesivas devem ser descartadas após cada uso.
Os acessórios podem trabalhar em uma tensão de pico de alta freqüência de 3500Vp. Em caso de dúvida,
entre em contato com o departamento técnico WEM pelo fone (16) 3512-4600 ou pelo e-mail
wem@wem.com.br.
Não enrole os cabos de placa de paciente ou de acessórios em torno de objetos metálicos. Este
procedimento pode induzir correntes potencialmente perigosas nesses objetos que podem causar choques
e queimaduras no paciente ou na equipe cirúrgica.

15
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Não conecte acessórios molhados ou com umidade interna ao Argon 2. Pode haver risco de choque
elétrico.
Uma potência aparentemente baixa ou uma falha na operação correta do equipamento nas regulagens
normais de funcionamento pode indicar uma aplicação defeituosa do eletrodo neutro ou um mau contato
nas suas conexões (ver capítulo 7.7).
4.7 – Advertências e/ou precauções durante a limpeza
Antes de efetuar a limpeza do equipamento, verifique se o mesmo está desligado.
Para limpeza externa do aparelho, utilize um pano úmido. Tome cuidado para que não entre nenhum líquido
no equipamento. Caso não seja evitada a penetração de líquidos, não ligue o equipamento e chame
imediatamente a Assistência Técnica Autorizada.
Não utilizar material microabrasivo ou palha de aço na limpeza, não empregar solventes orgânicos ou
detergentes que contenham solventes tais como éter, tira manchas, gasolina, etc. Não utilizar aerossóis ou
aplicadores a base spray líquido.

5 – DESEMPENHO DO EQUIPAMENTO SOBRE REQUISITOS ESSENCIAIS DE SEGURANÇA E


EFICÁCIA DO EQUIPAMENTO MÉDICO, E EVENTUAIS EFEITOS SECUNDÁRIOS INDESEJÁVEIS
5.1 – Indicação, finalidade ou uso a que se destina o equipamento
Indicação...: Coagulação de tecidos e órgãos
Finalidade..: Coagulação de tecidos e órgãos através de coagulação por plasma de argônio

5.2 – Efeitos secundários ou colaterais indesejáveis e contra-indicações


O equipamento não produz nenhum efeito secundário ou efeitos colaterais indesejáveis, se todas as
recomendações deste Manual de Utilização forem tomadas. O equipamento não possui nenhuma contra-
indicação. Somente pode ser usado ou operado por profissional qualificado (médico) ou supervisionado
pelo mesmo.

5.3 – Segurança e eficácia do equipamento


O equipamento é totalmente seguro se atendido o Manual de Utilização aqui descrito.

16
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

6 – INSTALAÇÃO OU CONEXÃO A OUTROS EQUIPAMENTOS


O Argon 2 deve ser utilizado com bisturi que possua o modo “Spray” de coagulação (fulguração) com
voltagem mínima de 6500Vpp e que esteja em conformidade com as prescrições da norma de segurança
elétrica NBR IEC 60601-1 e NBR IEC 60601-2-2.
O Argon 2 é fornecido em conjunto com uma unidade de transporte que permite que sejam posicionados
diferentes bisturis da WEM com segurança na parte posterior (topo) do módulo.
Os pés do bisturi devem ser encaixados nos sulcos existentes na parte superior do Argon 2, para evitar
deslocamentos acidentais do bisturi. Esses 4 sulcos foram especialmente desenhados para alojar os pés
dos bisturis WEM HF-120MC, e para o modelo SS-200A. Porém, qualquer outro bisturi de outro fabricante
pode ser alojado na parte superior do equipamento, desde que suas dimensões sejam semelhantes aos
bisturis eletrônicos WEM.
Para instalar o Coagulador por plasma de argônio modelo Argon 2:
1º: Certifique-se que o Argon 2 e o bisturi estejam desconectados da rede elétrica.
2º: Conecte o conector do painel frontal do Argon 2 à saída para caneta com controle manual do bisturi.
3º: Conecte o pedal no conector do painel traseiro do Argon 2.
4º: Conecte o acessório à saída no painel frontal do Argon 2.

150
100 200

50 250

0 300

Instalação do bisturi e acessórios


Atenção: O uso de qualquer parte, acessório ou material não especificado é de inteira responsabilidade do
usuário.
7 – INSTALAÇÃO, MANUTENÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA
7.1 – Instalação do Equipamento
Após desembalar o Argon 2 verifique se não existe dano aparente causado por queda ou manuseio
inadequado durante o transporte. Caso isto ocorra entre em contato imediato com a transportadora para
orientar-se sobre as medidas a serem tomadas.
A WEM se responsabiliza pela segurança, confiabilidade e performance do equipamento desde que:
a. O equipamento seja utilizado de acordo com as instruções de uso contidas neste manual.
b. As instalações elétricas estejam de acordo com as normas brasileiras vigentes para instalações
hospitalares.

17
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

7.2 – Uso com Unidade de Transporte


A unidade de transporte é um acessório acompanhante. Mova a unidade de transporte segurando junto o
equipamento, quando transportado em locais c/ saliências ou desníveis. Depois de posicionado no local e
em uso, evite mover a unidade de transporte para evitar a desconexão dos cabos dos eletrodos e do cabo
de força.

150
100 200

50 250

0 300

Argon 2 sobre unidade de transporte

18
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Montagem da unidade de transporte


A unidade de transporte que acompanha o Argon 2 possui um sistema de montagem fácil e rápido, como
mostrado a seguir:

1) A unidade de transporte vem desmontada conforme é mostrado na figura seguinte:

2) Levante a alça do carrinho até que o furo de conexão de sua base se encaixe com o furo, então fixe-a,
com o manípulo que acompanha o equipamento:

3) Ajuste a bandeja de fixação do equipamento até que chegue no ponto de encaixe, e então, aperte os
parafusos de fixação:

19
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

4) Coloque o cilindro sob o suporte na base da unidade de transporte e prenda-o com as abraçadeiras que
acompanham a unidade e monte o suporte frontal da unidade:

5) Monte os conjuntos do Argon 2 e bisturi no carrinho no suporte como mostra a figura seguinte:

Para conectar o cilindro e iniciar o uso veja os capítulos 6, 7.1, 7.3, 7.4, 7.5, 7.6.

20
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

7.3 – Plugue de Força


O plugue do cabo de força fornecido com o equipamento é do tipo 3 pinos, sendo 2 chatos e 1 redondo (tipo
NEMA 2P+T). O pino redondo deve ser ligado ao terra. Se a tomada de força do seu centro cirúrgico for
diferente da fornecida e desde que tenha o terra (tipo Schuko, NEMA 3P, etc.), a fábrica deverá ser
consultada p/ providenciar o cabo de força correspondente ou p/ troca da tomada p/ utilizar o cabo fornecido
c/ o equipamento. Não se deve utilizar extensões ou adaptadores de 3 para 2 pinos sem o pino terra.
Devem-se efetuar inspeções periódicas do cabo de força verificando danos na isolação ou nos conectores.
Para desligar o plugue da tomada puxe sempre pelo plugue, nunca pelo cabo.
7.4 – Aterramento
Para garantir a segurança do paciente e do cirurgião, o Argon 2 deve ser convenientemente aterrado. O fio
terra no cabo de força está conectado ao chassi do equipamento impedindo circulação de correntes
perigosas a partir da caixa do equipamento em caso de ocorrência de falha elétrica interna. Se no local
onde o equipamento será utilizado não existir um bom aterramento, este deverá ser providenciado antes
que o aparelho seja ligado.
7.5 – Voltagem da Rede Elétrica
O Argon 2 pode ser ligado em qualquer tomada cuja voltagem esteja entre 100 a 240V. Em caso de dúvida
consulte pessoal qualificado. Verifique se o fusível está de acordo com a especificação impressa no painel
traseiro do equipamento ou conforme o capítulo 1.6 e 7.7.
7.6 – Instalação do Cilindro
Os cilindros a serem conectados devem conter Gás Argônio de pureza mínima de 99,998%. A pressão
máxima de entrada não deve exceder 2900PSI (200BAR). O equipamento está preparado para receber 1
cilindro de gás argônio.
1º: Posicione o cilindro de gás argônio na base da unidade de transporte.
2º: Conecte a mangueira de gás na parte traseira do Argon 2 apertando manualmente.
3º: Alinhe o encaixe do cilindro com a mangueira do conector de gás.
4º: Prenda o cilindro no carrinho com a abraçadeira que vem presa no carrinho.
5º: Conecte a mangueira nos cilindro apertando manualmente.
6º: Abra a válvula do gás. Um curto chiado será ouvido quando a válvula for aberta. Se esse chiado durar
mais de 2 segundos, feche a válvula imediatamente e verifique se há conexões incompletas e/ou
desalinhadas. Se o problema persistir, consulte a Assistência Técnica WEM.

Mangueira de
conexão do cilindro
150
100 200

50 250

0 300

FUSES
FOOTSWITCH

ESU GAS TANK

ESU

Coagulador Plasma Argônio

100 VA Argon 2

Mangueira de
conexão do cilindro

Instalação do cilindro

21
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

7.7 – Manutenção Corretiva

PROBLEMA SOLUÇÃO
- Verifique se o cabo de força está conectado à rede elétrica
- Verifique se a tomada tem energia elétrica
O equipamento não - Verifique se o cabo de força não está rompido
liga - Verifique se a chave não está danificada
- Verifique se os fusíveis do painel traseiro estão queimados, então, com o equipamento desligado,
realize a troca
- Vazamento interno no equipamento. Desligue e ligue o equipamento, consulte a Assistência
Fuga de gás
Técnica WEM.
O equipamento - Verifique se a amperagem do fusível está compatível com o indicado
queima fusível - Verificar se o cabeamento ou algum contato de conexão não está em curto
- Verifique se o cabo do pedal está adequadamente conectado
- Verifique se o conector de 3 pinos está conectado na saída do gerador
- Verifique se o acessório (caneta, cateter) está conectado corretamente na saída do Argon 2
Equipamento não tem - Certifique-se de que o acessório esteja em boas condições
saída de potência - Verifique se existe pressão no cilindro e se o fluxo de saída está ajustado. Caso contrário, abra a
válvula do cilindro ou ajuste o fluxo de saída
- Verifique se o gerador está ligado
- Verifique se o gerador está fora da condição Stand-by, ou se a potência do mesmo está ajustada
Alarme de falha de
- Verifique se o cabo da placa está corretamente conectado à placa e ao gerador
placa do gerador
- Substitua o cabo da placa por outro comprovadamente sem defeito
ativado
- Pare a cirurgia
- Verifique todas as conexões dos acessórios e certifique-se que não há mau-contato
Estimulação - Níveis mais baixos de potência reduzem a estimulação neuromuscular
Neuromuscular - A fulguração tende a produzir mais estimulação do que o corte devido a níveis mais elevados de
voltagem envolvidos. A dessecação não deve produzir estimulação neuromuscular, pois não há
faiscamento envolvido
- Verifique se os fios terra do cabo de força dos equipamentos envolvidos não estão interrompidos
- Verifique a integridade da conexão chassis-terra do Argon 2, gerador, e do monitor
- Verifique se o circuito de aterramento da instalação elétrica da sala cirúrgica está adequado
Interferência no
- Verifique se as conexões do cabo da placa e de acessórios. A existência de faiscamento de
monitor cardíaco
metal para metal decorrente de mau-contato das conexões pode causar interferência
- A fulguração tende a produzir maior nível de interferência do que o corte. Níveis mais baixos de
potência produzem menor interferência
- Verifique se as conexões do cabo da placa e de acessórios. A existência de faiscamento de
metal para metal decorrente de mau-contato das conexões pode causar interferência
Interferência em - Dê preferência à utilização de instrumentos bipolares
Marcapasso - Quando for utilizar instrumentos monopolares, coloque a placa o mais próximo possível do local
da cirurgia e faça com que o caminho percorrido pela corrente fique o mais afastado possível do
músculo cardíaco.

Nota: Se não for possível resolver o problema com as soluções acima previstas, solicite a Assistência
Técnica Autorizada através do Departamento de Atendimento ao Consumidor WEM, pelo telefone (16)
3512-4600, fax (16) 3512-4637 ou pelo do e-mail wem@wem.com.br, ou verifique a Relação de
Assistências Técnicas Autorizadas enviada com o equipamento.
Esquemas eletro-eletrônicos, lista de peças e informações técnicas.
Os esquemas eletroeletrônicos e as listas de peças ou qualquer outra informação necessária poderão ser
fornecidos pela WEM Equipamentos Eletrônicos Ltda, desde que necessários para a manutenção técnica
do equipamento por parte do usuário e de comum acordo entre as partes.

22
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Termo de Garantia
A WEM Equipamentos Eletrônicos Ltda garante aos seus clientes usuários originais, que os equipamentos
de sua fabricação são produzidos dentro da mais avançada tecnologia e com rigoroso controle de
qualidade, assegurando, dentro das condições e prazos abaixo, um perfeito funcionamento dos mesmos.
DA GARANTIA
A garantia, sem qualquer ônus ao usuário adquirente, é limitada à substituição e/ou conserto de eventuais
peças defeituosas ou à correção de qualquer defeito de produção, mediante constatação do nosso
Departamento de Assistência Técnica.
A substituição e/ou conserto referido no item anterior não se aplica às peças com desgaste natural de uso
(fusíveis, filtros, etc), bem como, por imperícias ou negligências na utilização do equipamento, ou ainda, que
tenham sido consertadas ou modificadas por pessoas não credenciadas pela WEM.
Em nenhuma hipótese, caso ocorra à necessidade de substituição de qualquer componente coberto por
este Termo, o período de garantia original será dilatado pelo acréscimo de eventuais suplementares do
componente substituído.
DOS EQUIPAMENTOS
Esta garantia é valida para todos os equipamentos da marca WEM produzidos pela WEM Equipamentos
Eletrônicos Ltda.
DA INSTALAÇÃO E DO USO
A instalação e/ou operação dos equipamentos, bem como, as condições de trabalho, devem atender às
Normas da WEM contidas neste Manual de Utilização. Diferentes condições das indicadas invalidam as
cláusulas de Garantia deste Termo.
DO LOCAL DA GARANTIA
O reparo e/ou substituição de peças será realizado por técnico da WEM, ou Assistência Técnica Autorizada
credenciado pela mesma.
Quando constatado que um perfeito reparo do equipamento só será possível em nossas instalações
(fábrica), ou nas firmas por nós autorizadas, o frete do transporte (ida e volta) correrá por conta do
adquirente usuário.
DOS PRAZOS
Inicia-se a partir da data de emissão da Nota Fiscal de venda da WEM ou seus revendedores, sendo válida
para o equipamento pelo prazo de 12 meses, e o prazo de garantia dos acessórios é determinado pelo
tempo médio de vida útil dos mesmos, de acordo com o número de suas utilizações.
DA RESPONSABILIDADE
Esta garantia é válida somente para o equipamento que estiver em uso e na posse do adquirente usuário
original.
A responsabilidade da WEM é limitada à substituição e/ou reparo dos componentes, excetuando-se da
garantia eventuais prejuízos por lucros cessantes ou pela indenização de quaisquer outros danos indiretos
ou imediatos.
Solicite a Assistência Técnica Autorizada através do Departamento de Atendimento ao Consumidor WEM,
pelo telefone (16) 3512-4600, fax (16) 3512-4637 ou pelo do e-mail: wem@wem.com.br, ou verifique a
Relação de Assistências Técnicas Autorizadas enviada com o equipamento.

7.8 - Manutenção Preventiva e Conservação


Manutenção preventiva
Diariamente verifique:
- se existe oxidação nos cabos de energia
- se ocorrerem cheiros não comuns quando o equipamento é ligado
- se não existem danos físicos na carcaça do equipamento
Semanalmente verifique:
- as condições da fonte de energia (tomada de alimentação elétrica)
- se há vazamento nas conexões do cilindro

23
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

Conservação
Para limpeza externa do aparelho, utilize um pano úmido. Tome cuidado para que não entre nenhum líquido
no equipamento. Caso não seja evitada a penetração de líquidos, não ligue o equipamento e chame
imediatamente a Assistência Técnica Autorizada.
Não utilizar material microabrasivo ou palha de aço na limpeza, não empregar solventes orgânicos ou
detergentes que contenham solventes tais como éter, tira manchas, gasolina etc. Não utilizar aerossóis ou
aplicadores a base spray líquido. Mantenha o equipamento em local limpo, longe de poeira.
8 – PROCEDIMENTOS ADICIONAIS PARA REUTILIZAÇÃO
Métodos de limpeza e esterilização
A. Limpeza em água corrente e sabão neutro
B. Limpeza com pano macio embebido em solução germicida
C. Limpeza com pano macio umedecido com água e sabão neutro
D. Esterilização por autoclavagem
E. Esterilização por óxido de etileno
G. Esterilização por imersão em soluções germicidas

Descrição Método
Caneta para argônio Todos
Cateter para argônio Todos
Eletrodo para argônio Todos
Adaptador Todos
Pedal de comando duplo C
Unidade de Transporte C

Nota: A esterilização por autoclavagem, apesar de permitida em alguns acessórios, reduz a vida útil dos
mesmos através do envelhecimento acelerado dos materiais plásticos. Verifique na embalagem dos
acessórios o melhor método para esterilização.
Acondicionamento
Manter em local protegido da chuva ou de umidade excessiva. É recomendável quando o equipamento ficar
por um período prolongado sem utilização, a retirada da tomada da rede de energia elétrica, e fechar a
válvula dos cilindros.
9 – PROCEDIMENTOS ADICIONAIS ANTES DA UTILIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO
Mesmo na primeira utilização, o equipamento deverá ser limpo, devendo seguir os mesmos procedimentos
adicionais para reutilização, conforme descrito no item 8 deste Manual de Utilização.
10 – PRECAUÇÕES EM CASO DE ALTERAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO EQUIPAMENTO
Caso o equipamento apresente aquecimento ou ruídos anormais, verifique se o problema está relacionado
com algum dos itens listados no item 7.7 – Manutenção corretiva e suspenda o uso imediato do
equipamento.
Em qualquer caso, verifique se a problema ou alteração estão relacionados com algum dos itens listados no
item 7.7 – Manutenção Corretiva. Caso afirmativo, se não for possível solucionar o problema, solicite a
Assistência Técnica Autorizada.
Neste caso, desligue o equipamento, retire o cabo de alimentação de energia da tomada e solicite os
serviços da assistência técnica através do Departamento de Atendimento ao Consumidor WEM, pelo
telefone (16) 3512-4600, fax (16) 3512-4637 ou pelo e-mail wem@wem.com.br.
11 – SENSIBILIDADE A CONDIÇÕES AMBIENTAIS PREVISÍVEIS NAS SITUAÇÕES NORMAIS DE USO
O Coagulador por plasma de argônio modelo Argon 2 foi projetado para não ser sensível a interferências
como campos magnéticos, influências elétricas externas, descargas eletrostáticas, à pressão ou variação
de pressão, desde que o equipamento seja instalado, mantido, limpo, conservado, transportado e operado
conforme este Manual de Utilização.
12 – PRECAUÇÕES EM CASO DE INUTILIZAÇÃO DO EQUIPAMENTO
Os seguintes riscos são identificados, associados com a eliminação de produtos descartáveis, resíduos,
etc., e do equipamento e os acessórios, ao final de suas vidas úteis:

24
MANUAL DE UTILIZAÇÃO
ARGON 2

- Contaminação
- Reutilização indevida ou utilização após vida útil e conseqüentemente mau funcionamento do
equipamento e acessórios, ocasionando lesões/queimaduras no usuário ou paciente.
Para minimizar os riscos acima deverá proceder da seguinte forma:
a. Equipamento
O equipamento não utiliza itens descartáveis nem gera resíduos após sua utilização, no entanto, após a
vida útil do mesmo, este deve retornar à fábrica para ser feito sua inutilização e controle de rastreabilidade.
b. Acessórios
Nos acessórios que são acoplados no equipamento, devem ser tomadas as seguintes providências:
- Itens descartáveis
Neste caso encontram-se canetas descartáveis, placas de contato descartáveis, eletrodos descartáveis.
Para todos esses itens, após a utilização dos mesmos, devem ser inutilizados segregando-os em local
apropriado como lixo hospitalar sendo devidamente identificado como tal, e removidos por entidades
credenciadas para coleta de lixo hospitalar.
- Itens reutilizáveis
Neste caso encontram-se canetas reutilizáveis, placas de contato reutilizáveis, eletrodos reutilizáveis. Para
todos esses itens, após a vida útil dos mesmos, devem ser inutilizados segregando-os em local apropriado
como lixo hospitalar sendo devidamente identificado como tal, e removidos por entidades credenciadas para
coleta de lixo hospitalar.
Média de vida útil:
- Eletrodos: 3 meses
- Canetas: 3 meses
- Cateteres: 3 meses ou 10 utilizações
- Equipamento: 3 anos

13 – TERMO DE RESPONSABILIDADE
A empresa WEM Equipamentos Eletrônicos Ltda, representada por seu Responsável Técnico e seu
Representante Legal, Eng. Edson Luiz Rodrigues Vieira, assume a responsabilidade técnica e legal pelo
equipamento e que todas as informações prestadas referente ao equipamento Coagulador por plasma de
argônio modelo Argon 2, contidas neste Manual de Utilização, são verdadeiras.

Ribeirão Preto, 07 de dezembro de 2005.

Eng. Edson Luiz Rodrigues Vieira


CREA-SP nº 0600689196
Responsável Técnico
Responsável Legal

25

Você também pode gostar