Você está na página 1de 5

Direito Constitucional

Conceito Lógico-jurídico: norma hipotética


Constituição Federal é o conjunto de lei fundamental fundamental;
e suprema de um Estado; Jurídico-positivo: norma suprema, que regula
Criada pela vontade do povo; a criação das mmmooooutras;
Determina a organização político-jurídica do Estado; Sentido cultural
Estabelece limitações ao poder do Estado e enumera Meirelles Teixeira;
os direitos e garantias; Produto de um fato cultural, produzido pela
Segundo J.J. Canotilho, a constituição ideal, deve: sociedade e que sobre ela pode influir;
Ser escrita; Produto da cultura
Conter direitos fundamentais individuais; O Direito não é:
Principio da separação de poderes; Real: seres que pertençam à natureza;
Democrático formal. Ideal: não é uma relação, quantidade, figura
matemática ou mmoessência, pois seres ideais não
É dividida em concepções: existem;
Sentido sociológico Puro valor: tenta concretizar um valor, não se
Ferdinand Lassale; confundindo com mmoele;
Constituição é um fato social; Constituição total: combinação de todos os
“soma dos fatores reais de poder” sentimentos mmoanteriores.
Choque de interesses;
Estrutura das Constituições
Equilíbrio estável;
A constituição é dividida em partes: preambulo,
Constituição real/efetiva; parte dogmática e disposições transitórias.
Constituição escrita; Preâmbulo
Texto formal; Parte introdutória da CF;
Folha de papel; Define as intenções do legislador constituinte;
Como realmente é; Função: ajudar na interpretação;
Situação ideal: ter plena correspondência entre os Não é norma constitucional;
fatores reais de poder e a constituição escrita.
Os estados e municípios não são obrigados a
Todo Estado sempre teve e terá uma constituição real. reproduzi-la em suas mmlconstituições, mas podem;
Sentido político Parte dogmática
Carl Schmitt; Corpo permanente, ou seja, o texto propriamente
“decisão política fundamental”; dito;
Visa estruturar e organizar os elementos Parte transitória
essenciais do ffffEstado; Integrar a ordem jurídica antiga a nova;
Produto da vontade do titular do poder Normas constitucionais;
constituinte;
Pode ser modificada através de reforma
Constituição ≠ leis constitucionais constitucional (EC);
Constituição: decisão política fundamental. Pode servir como controlo de inconstitucionalidade;
Leis constitucionais: normas que estão no
texto ooooconstitucional e que tenham Elementos das Constituições
menos importância. São normas, pois a constituição tem muitas faces
Sentido jurídico e é dividida em 5 categorias:
Hans Kelsen Elemento orgânico:
“norma jurídica pura” Normas que regular a estrutura do Estado e do
Não se apoia na realidade social do Estado; Poder.
Escalonamento hierárquico das normas; Ex: título III – organização do Estado
l título IV – organização dos poderes e do sistema
Lógico-jurídico e jurídico-positivo;
de governo
Elemento limitativos: * Leis federais, estaduais e municipais possuem o
mesmo nível hierárquico;
Normas que compõe os direitos e garantias
* Há hierarquia entre a Constituição Federal,
fundamentais, limitando a atuação do poder estatal.
Constituição Estadual e Leis Orgânicas Municipais
Direitos sociais não se enquadram aqui.
* Leis complementares e ordinárias possuem o
Ex: título II – direitos e garantias fundamentais,
mesmo nível hierárquico;
exceto capítulo II.
* As leis complementares podem tratar de temas
reservados às leis ordinárias;
* As leis ordinárias não podem tratar de temas
Elemento socioideológico: reservados às leis complementares;
Traduz o compromisso das constituições modernas * Regimentos dos tribunais (poder judiciário) e
com o mmlbem-estar social. regimento das Casas Legislativas (senado e câmara dos
Ex: capitulo II do título II, título VII e VIII deputados) são normas primárias, comparadas às leis
ordinárias;
Elemento de estabilização do estado: Abaixo das leis, ficam as normas infralegais (não
Normas destinadas a apresentar solução de conflitos pode gerar direito nem impor obrigações);
constitucionais. decretos autônomos ≠ decretos regulamentares
Instrumento de defesa, que visa promover a paz
social
Ex: art. 102, I “a” – ação de inconstitucionalidade Aplicabilidade das Normas Constitucionais
arts. 34 a 36 – intervenção
Toda norma constitucional surte efeito jurídico;
Elementos formais de aplicabilidade: Distingue-se em:
Normas que estabelecem regras de aplicação da Autoexecutáveis: normas completas, que não
constituição. dependem de qualquer micomplementação.;
Ex: preâmbulo Não-autoexecutaveis: normas que dependem de
complementação mipara sua aplicação, como normas
A pirâmide de Kelsen incompletas, normas programáticas mi(definem
Hierarquia das normas diretrizes para política pública) e normas de
lllll estruturação mi(instituem órgãos, mas deixam para a lei
As normas inferiores retiram sua validade nas normas a tarefa de organizar o seu mifuncionamento).
superiores. Para José Afonso da Silva, são classificadas em:
No topo fica a Constituição, e é formada por normas Normas de eficácia plena
constitucionais originárias e derivadas. Aquelas que não precisam de integração legislativa
Normas originárias: normas que fazem parte da para a sua mmllaplicabilidade;
CF/88; Características:
Normas derivadas: normas que derivam dos Autoaplicáveis – independe de lei para seus
originários, as mmmchamadas emendas constitucionais. efeitos. Até pode mmmmexistir lei regulamentadora;
Entendimentos doutrinários e jurisprudenciais: Não-restringíveis – não poderá limitar sua
* Não existe hierarquia entre normas constitucionais aplicação;
originarias; Aplicabilidade direta (não depende de norma para
* Não existe hierarquia entre normas originárias e reproduzir seus efeitos), imediata (desde o
derivadas; momento em que é promulgada) e integral (não
Embora não haja hierarquia entre ambas, as sofre limitações ou restrições na sua aplicação);
originarias não mmmllpodem ser declaradas Norma de eficácia contida ou prospectiva
inconstitucionais, enquanto as derivadas mmmlpodem; Aquelas que estão aptas para produzir seus efeitos
* Segundo Otto Bachof, há normas constitucionais desde a promulgação;
inconstitucionais – mas ainda não é admitido no Brasil; Podem ser restringidas pelo Poder Público;
EC nº 45/2004 – tratados e convenções internacionais Características:
de direitos humanos Autoaplicáveis;
Demais tratados de direitos humanos aprovados pelo Restringíveis – sujeitas a limitações ou restrições;
rito ordinário tem status supralegal Lei, norma constitucional e conceitos éticos-
Abaixo da CF, ficam as leis e tratados internacionais juridicos mmindeterminados;
Normas primárias Aplicabilidade direta, imediata e possivelmente
Entendimentos doutrinários e jurisprudenciais: não-integral (podem sofrer limitações ou
restrições);
Normas de eficácia limitada
Depende de regulamentação para surtir seus Incondicionado – não se sujeita a qualquer forma
efeitos; ou moprocedimento;
Permanente – pode se manifestar a qualquer
tempo, não se maesgotando com uma nova
Características: constituição;
Não-autoaplicáveis; Ilimitado juridicamente – não se submete a limites
Aplicabilidade indireta (depende de norma determinados mapelo direito anterior.
regulamentadora), mediata (sua promulgação não Autônomo – liberdade para definir o conteúdo da
é o suficiente) e reduzida (grau de eficácia nova molconstituição;
restrito); Pode ser dividida em histórica (responsável pela 1ª
José Afonso subdivide-a em dois grupos: constituição de jjjum Estado) e pós-fundacional (
a) Normas declaratórias de princípios responsável por criar uma nova mconstituição para o
institutivos ou organizativos: Estado - país);
dependem de lei para estruturar e organizar Derivado: tem o poder de modificar a CF e elaborar as
atribuições de instituições, pessoas e órgãos. constituições estaduais;
Podem ser impositivas (impõem ao Jurídico – previsto no ordenamento jurídico
legislador a sua elaboração) ou facultativas vigente;
(fica a critério do legislador); Derivado – fruto do poder originário;
b) Normas declaratórias de princípios Limitado ou subordinado – limitado pela CF;
programáticos: Condicionado – forma de seu exercício é
Estabelecem programas a serem determinada pela constituição.
desenvolvidos pelo legislador Subdivide-se em poder reformador (pode mudar a
infraconstitucional constituição) e poder decorrente (os estados se auto
Elas possuem efeito negativo (revogação de organizam através de suas constituições);
disposições anteriores e proibição de leis que se
oponham a seus comandos) e vinculativo
(obrigação que o legislador ordinário edite leis
Aplicação das Normas Constitucionais no
regulamentadoras). tempo
Para Maria Helena Diniz: Constituição anterior é integralmente revogada;
Eficácia absoluta; As normas infraconstitucionais editadas na vigência da
Não podem ser extintas por emenda constitucional; constituição pretérita que forem materialmente
Eficácia plena; compatíveis com a nova Constituição são por ela
Não precisam de regulamentação para sua recepcionadas;
aplicação; As normas infraconstitucionais editadas na vigência da
Aplicabilidade imediata; constituição pretérita que forem materialmente
Normas com eficácia relativa restringível; incompatíveis com a nova Constituição são por ela
Aquelas que estão aptas para produzir seus efeitos revogada;
desde a promulgação;
Possuem cláusula de redutibilidade – podem ser
restringidas;
Princípios Fundamentais
Eficácia relativa complementável ou dependentes de
complementação; Regras e princípios
Depende de regulamentação para surtir seus Regras são concretas, definindo condutas; e princípios
efeitos; são abstratos, definem diretrizes para que se alcance a
máxima concretização da norma;
Poder Constituinte
Princípios Fundamentais
Poder que cria a constituição, enquanto os poderes Valores que orientam o poder constituinte originário na
constituídos são que resultam da sua criação; elaboração da constituição;
A titularidade do poder constituinte é o povo; Segundo Canotilho, pode ser:
Seu exercício pode ser democrático ou por convenção Político-constitucionais – representam decisões
(quando se dá pelo povo) ou autocrática (se dá pela políticas fundamentais, conformadoras de nossa
ação de usurpadores do poder); Constituição;
Pode ser: Jurídico-constitucionais – princípios gerais
Originário: poder de criar uma nova constituição; referentes a ordem jurídica nacional, encontrando-
Político – poder de fato; se dispersos pelo texto constitucional. Derivam dos
Inicial – inicio a uma nova ordem jurídica; princípios político-constitucionais.
Monarquia
o poder é hereditário, vitalício e sem responsabilidade.
Fundamentos da República Federativa do Brasil
Sistema de Governo
Soberania
Presidencialismo:
Cidadania as funções de chefe de estado e de chefe de governo
estão alconcentradas nas mãos de uma única pessoa: o
SOCIDIVAPLU Dignidade da pessoa humana
Presidente;
Valores sociais do trabalho Parlamentarismo:
e da livre iniciativa as funções de chefe de governo estão nas mãos do
Primeiro Ministro ale as funções de chefe de estado
Pluralismo político estão nas mãos ou do Presidente ou aldo Monarca.

Regime Político
Soberania – poder supremo e independente do Estado; Democracia:
Cidadania – objeto e direito fundamental das pessoas; os regimes políticos democráticos se caracterizam por
Dignidade da pessoa humana – coloca o ser humano eleições livres, respeito aos direitos civis
como a preocupação central para o Estado brasileiro; constitucionais e liberdade de organização e expressão
princípio supremo; do pensamento político, enfim, se assenta no pilar da
elevada densidade normativa – pode ser usado soberania popular.
como fundamento Autoritarismo:
mmmmmmmmmmmmmmmmmde decisão os regimes políticos autoritários operavam através da
judicial; suspensão das garantias individuais e das garantias
Valores sociais do trabalho e da livre iniciativa – políticas. No regime político autoritário as normas
reforça o Estado capitalista que somos e demonstra que constitucionais são manipuladas ou reeditadas
o trabalho tem um valor social. conforme os interesses do grupo ou partido que detêm
Pluralismo político – garantir a inclusão dos diferentes o poder.
grupos sociais no processo político nacional. Exclui os Totalitarismo:
discursos de ódio. no totalitarismo, o regime político está concentrado
em uma pessoa que representa a figura de um
Forma de Estado “Führer” (comandante supremo). Nos regimes
Repartição territorial do Poder; políticos totalitários não há nenhuma instituição
Federação; política que possa representar qualquer vestígio de
união de Estados baseados na Constituição; democracia.
os Estados ao entrarem na federação, perdem sua
soberania; Separação dos poderes
autonomia política limitada pela CF;
nenhum estado pode se separar do Brasil; Art. 2º. São Poderes da União, independentes e
poder descentralizado; harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o
Confederação: Judiciário.
consiste na união de Estados soberanos por meio de
um tratado mointernacional dissolúvel. Surgimento da separação dos Poderes
Estado unitário: Funções típicas e atípicas dos Poderes
é aquele que é rigorosamente centralizado, no seu
limiar, e identifica moum mesmo poder para um Objetivos da República
mesmo povo, num mesmo território.
Art. 3º. Constituem objetivos fundamentais da
Forma de governo República Federativa do Brasil:
I - construir uma sociedade livre, justa e solidária;
República: II - garantir o desenvolvimento nacional;
é caracterizada porque o poder é temporário, eletivo e III - erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir
com olresponsabilidade: as desigualdades sociais e regionais;
Eletividade – povo que escolhe os governantes;
Temporariedade – poder não é vitalício;
Responsabilidade – governante deve se ater a certos IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de
limites. origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras
formas de discriminação.
Bizu:
CON-GA-PRO-ER-RE
os objetivos internos sempre começam com verbo
no infinitivo.

Princípios nas relações internacionais


Art. 4º. A República Federativa do Brasil rege-se nas
suas relações internacionais pelos seguintes princípios:
I - independência nacional;
II - prevalência dos direitos humanos;
III - autodeterminação dos povos;
IV - não-intervenção;
V - igualdade entre os Estados;
VI - defesa da paz;
VII - solução pacífica dos conflitos;
VIII - repúdio ao terrorismo e ao racismo;
IX - cooperação entre os povos para o progresso da
humanidade;
X - concessão de asilo político.

Parágrafo único. A República Federativa do Brasil


buscará a integração econômica, política, social e
cultural dos povos da América Latina, visando à
formação de uma comunidade latino-americana de
nações.

Bizu
DE-CO-R-A P-I-S-C-I-NÃO
DE – Defesa da paz
CO – Cooperação entre os povos para o progresso da
humanidade
R – Repúdio ao terrorismo e ao racismo
A – Autodeterminação dos povos
P – Prevalência dos direitos humanos
I – Independência nacional
S – Solução pacífica dos conflitos
C – Concessão de asilo político
I – Igualdade entre os Estados
NÃO – Não intervenção