Você está na página 1de 3

Touro e Escorpião o eixo energético de

Manutenção e Transmutaçao.
Escorpião e touro são signos que tornam as estações iniciadas nos respectivos equinócios de
outono (Áries) e primavera (Libra) constantes e estáveis. Por esta qualidade estabilizadora, são
chamados de Fixos.
Touro é um signo do elemento Terra, cujas energias primordiais são Frio e Seco. A qualidade
Fixo unida ao elemento Terra torna este signo o mais perseverante e resistente de todos.
Quando Touro desenvolve o apego por situações, pessoas e, especialmente, coisas do universo
material, sua resistência é dirigida às mudanças e perdas. No entanto, sua perseverança e
estabilidade se traduzem na força e objetividade em seus desejos e suas tarefas produtivas.
O signo oposto complementar de Touro é Escorpião, cujo elemento é Água, energias Fio e
Úmido, mas compartilha a mesma qualidade, Fixo. O elemento Água corresponde ao
temperamento emocional e sensível, o que chega a ser contraditório no caso de Escorpião, pois
dificilmente pode-se classificar as emoções como fixas ou estáveis. Consequentemente,
Escorpião tende a controlá-las ou não manifestá-las quando acredita que as mudanças de humor
ou o fluxo de sentimentos pode torná-lo vulnerável. Trata-se de uma reação incoerente com o
propósito do signo. O excesso de controle emocional pode se transformar em uma eterna
insatisfação ou em tensão constante. A aceitação da própria sensibilidade é o primeiro passo. O
segundo é saber como lidar com as emoções que têm o poder de desestabilizar a mente.
Conforme a tipologia de temperamentos desenvolvida por Carl Gustav Jung, as personalidades
mentais ou intelectuais têm dificuldades em lidar com o fluxo desestabilizador emocional e, por
sua vez, aqueles de temperamento emocional têm dificuldades em organizar a mente e os
pensamentos. Em um mundo excessivamente racional, a mente é supervalorizada em
detrimento da linguagem mais simbólica e intuitiva do corpo emocional. Compreender e aceitar
os eternos ciclos naturais de morte e nascimento rumo à transmutação, por exemplo, pode
contribuir para a conexão mais profunda com as próprias emoções. Mesmo não tendo o poder
absoluto de controlar os próprios sentimentos, pelo menos os momentos introspectivos podem
silenciar a mente e perceber com profundidade a expressão mais essencial, ou seja, da própria
alma. Escorpião possui um potencial de entendimento extra-sensorial, pois o elemento Água
reúne as energias primoridiais Frio e Úmido tornando-o o elemento mais passivo na Natureza,
ou seja, mais voltado a captar alterações multi-dimensionais em seu corpo etéreo. Se Escorpião
está consciente deste potencial, consegue aproximar-se do significado dos ciclos constantes de
mudanças, alterações psíquicas, transformações e, fundamentalmente, o significado da morte
como nada mais, nada menos do que outro ciclo que traduz a impermanência de todas as
manifestações da Natureza.
A necessidade obsessiva por controle é o resultado da negação do potencial escorpiônico de
aprofundar-se nas emoções, intuições e na psique. Isto ocorre quando nos desconectamos da
nossa essência sutil e nos entregamos exclusivamente ao racionalismo objetivo. Entre 2012 e
2014, o trânsito de Saturno por Escorpião desafiou este signo a aprofundar-se em seus
sentimentos e a enfrentar medos ou inseguranças. O salto quântico esperado deste ciclo foi o
amadurecimento de Escorpião frente a mudanças e limites para seu desejo de controle.
Saturno também influenciou o signo de Touro por oposição ao mesmo tempo em que percorria
o signo de Escorpião. Neste caso, o salto quântico esperado foi uma revisão de valores e a
necessidade do desapego. Saturno em Escorpião oferece mudanças evolutivas, no entanto, a
resistência a elas faz com que estas mudanças naturais tenham o significado de perda e de
frustração.
O que significa “revisão de valores” para Touro? Em plena crise econômica e ecológica do
século XXI, Plutão percorre o signo de Capricórnio entre 2009 e 2024 para alertar a
Humanidade como um todo dirigindo nossa atenção para métodos menos destrutivos para nossa
relação com a Natureza, além da reavaliação do padrão de vida e símbolos de sucesso.
Permacultura, agrofloresta, sustentabilidade e reciclagem são alguns métodos criados para este
fim. Sutilmente, estamos sendo pressionados a encarar que nossa conduta mecanicista está
destruindo o planeta em que vivemos. Por outro lado, Netuno iniciou seu trânsito em seu signo
de regência, Peixes, desde 2011 demonstrando outros caminhos. Mas, perceber as sugestões
subjetivas de Netuno requer sensibilidade e conexão com a substância vital onisciente e
onipresente que podemos chamar de Consciência Una ou Deus. A transcendência de Netuno em
Peixes é a chave para o momento de crise de valores em que vivemos atualmente. O enfoque no
mundo material, no acúmulo de bens e na insensibilidade quanto à deterioração do habitat
ecossistêmico aprofundará a crise e conduzirá a Humanidade ao caos começando pelos
sentimentos de ansiedade, insegurança, depressão e obsessão. Nada mais satisfaz a sede de
consumo: a cada dia, um novo produto tecnológico é lançado com a finalidade perversa de dar
continuidade ao caos, à destruição de recursos naturais, à ansiedade por representar um ego
bem sucedido na sua superficialidade social. O físico indiano Amit Goswami nos ensina que
devemos praticar o “do-be-do-be-do-be” que, em Português seria “fazer-ser-fazer-ser-fazer-
ser”. No intuito de parar o constante “fazer” que a sociedade e a sobrevivência nos impõem,
devemos intercalar com momentos de “ser”, ou seja, recuperar a auto-consciência por meio da
contemplação ou da meditação. Este estado de “ser” ou de “não-fazer” nos permite sair do
automatismo do dia a dia e acessar níveis mais profundos da nossa psique. A intuição pode
dominar este estado e é aí que nos tornamos mais criativos, saímos da caverna das ilusões e
percebemos os reais valores de todas as coisas. Começamos a nos questionar a necessidade das
aquisições e do comportamento consumista, nos tornamos mais íntegros neste processo de auto-
conhecimento e começamos a perceber que não precisamos seguir o fluxo sedutor do
consumismo e das máscaras egóicas. O estado de “ser”, a contemplação, a meditação e a
intuição são recursos netunianos que nos integram ao Todo, à substância primordial ou ao
inconsciente coletivo. Entre 2011 e 2025, a passagem de Netuno por Peixes permite o salto
quântico de Touro e Escorpião. Durante este período, o “deus dos mares” realizará sextis
(ângulos de 60º) em astros e elementos localizados em Touro, criando possibilidades de maior
flexibilização, intuição e a percepção do subjetivo, ou seja, Touro deverá perceber a realidade
além da matéria e do mundo físico. Este aspecto configura um bom começo para uma revisão
de valores a partir da aceitação de outras dimensões extra-físicas e do sentimento holístico de
interconexão de todas as criaturas vivas.
Astros e elementos de Escorpião terão contato com Netuno por meio de trígonos (ângulos de
120º). Considerando-se que Escorpião e Peixes pertencem ao mesmo elemento – Água – pode-
se dizer que este aspecto é fluente no que diz respeito às emoções e à sensibilidade. Escorpião
poderá alcançar a onda de possibilidades para deixar fluir os sentimentos, fantasias, intuições e
inspirações. A prática do “do-be-do-be”, neste caso, é facilitada e auxilia Escorpião a
compreender a vicissitude inexorável da existência.
Podemos concluir que, durante o trânsito de Netuno por Peixes, o eixo Touro-Escorpião será
contemplado pela oportunidade de transcender a materia e os prazeres sensoriais que são finitos
e de intuir que existe uma dimensão metafísica onde a Razão dá lugar ao intelecto supramental
que supera medos e outras emoções ou sentimentos que conduzem ao sofrimento.

Escorpião(Agua) e touro(Terra) juntamente com os outros signos fixos aquário(Ar) e


leão(Fogo) são aqueles que segundo a tradição Hermética expressam mais fortemente as
qualidades vibratórias da Luz Astral. Isso é chamado por vezes de Tetramorfismo. Esses signos

2
são a analise ou decomposição quaternária das vibração dos poderes cuja raiz é simbolizado
pelo Tetragrama divino (YHVH)e são representados por vezes pelos Naipes do Taro; as vezes
pelas formas geométricas dos Tattwas no sistema Hindu, e de forma sintetica na esfinge
Assírio, Grega ou Egípcia, ou mesmo pelos Querubins de Ezequiel.

A astrologia clássica confere a escorpião a regência Marcial porem esse é apenas um aspecto
dessa energia. Escorpião e regido também por plutão cuja influencia se mostra na punção de
morte, tão evidente nesse signo e demarca a grande revolução que periodicamente esse signo
passa. Marte influência o aspecto ignio ou serpentino deste signo. Enquanto que o aspecto
sublimado e de influencia Netuniana simbolizado pela Fenix. Escorpião tem sua tônica
assinalada pela letra Nun (peixe) que marca o Arcano 13 no Taro e leva de Netsash(venus a
amante) á Tipheret (o herói solar) ou seja; da Amante venusiana ao Augoeides o Príncipe solar
o Self da psicologia Junguiana. Isso demostra a intima relação do Arcano 13 (morte) com o
Filho Cabalistico ( O mantenedor da vida) que só recebe a glorificação após sacrificar-se,
morrer e ressuscitar ao cabo de três dias. É por essa emulação também que escorpião após
morrer(em seu ego), ascende em sua força serpentina(sabedoria interna) até se tornar uma
Fenix(imortal). Esse processo demarcas as fases da Alquimia conhecidas por Nigredo, Albedo e
Rubedo. Também observo que o Elemento Ou Mutação de Agua na Cosmologia chinesa
origina-se da Unidade do Céu e associa-se ao Planeta vênus que domina sobre os Rins
considerado a casa do jing; essência ancestral e a Caldeira do Corpo. Já Terra na cosmologia
chinesa( Wu Xing) é associado a Saturno e origina-se do numero 5 do Céu que domina sobre o
Baço considerado transformador da energia em vitalidade e boa disposição psíquica. A Adição
de numerologica de 1+5 dá 6 que na numerologia chinesa tem a conotação de “Fluir”.
Resumindo touro sob regência da imperatriz (Vênus) é num plano superior um
delimite( elemento controlador) de Escorpião (morte)...o que demostra que a virtude do amor e
a única coisa que permanece e supera morte e a própria morte é senão uma mudança de estado
desejado pelo Amor para que possa se aperfeiçoar em novas formas. Por sua vez Escorpião tem
essa Virtude oculta de se elevar a si mesmo morrendo um pouquinho de cada vez até Sublimar-
se e unir-se a Unidade do céu.