Você está na página 1de 7

PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO

TEMOS A PRONTA ENTREGA ESTE


PORTFÓLIO (PREÇO BAIXO)
WHATSAPP (91)988309316
E-MAIL:
PORTFOLIOUNIVERSITARIO@GMAIL.COM

Temática Interdisciplinar:

Semestre:
Curso Núcleo Comum
2º/3ºsemetre
Metodologia Científica
Educação de Jovens e Adultos
Disciplinas Fundamentos da Educação
integradoras Educação Formal e não Formal
Didática: Planejamento e Avaliação
Práticas Pedagógicas: Gestão da sala de aula
Aspectos históricos, sociais e pedagógicos da Educação de
Conteúdos
Jovens e Adultos.
interdisciplinares

Compreender como se configurou a Educação de Jovens e


Competência Adultos ao longo da história e refletir sobre práticas
pedagógicas com esse público.
Analisar o papel da educação frente ao direito à escolarização
Habilidades
de Jovens e Adultos.
 Compreender de que maneira o pedagogo pode
contribuir para a efetivação da função social da escola,
analisando as relações que se estabelecem entre o
contexto social e político.
Objetivos de
 Compreender o processo histórico da Educação de
aprendizagem
Jovens e Adultos.
 Identificar os fatores que podem interferir na prática
pedagógica realizada com esse público.

Prezados alunos,

Sejam bem-vindos a este semestre!

A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como


temática “A escolarização de Jovens e Adultos analfabetos ou com baixa
escolarização”. Escolhemos esta temática para possibilitar-lhes a aprendizagem
interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre.
Por meio das discussões que perpassam este semestre, será possível
observar que a história da Educação de Jovens e Adultos (EJA) é marcada por
precariedades e descasos. No entanto, inúmeras reivindicações foram realizadas
para que essa modalidade fosse compreendida atualmente como um direito social.
Nesta lógica, refletir sobre práticas pedagógicas que vislumbrem a concretização de
uma escolarização de qualidade e a apropriação do conhecimento científico a este
público é fundamental para que esse direito se concretize.

Sendo assim, nesta atividade a intenção é promover a reflexão sobre tais


questões e levá-los a articular com os principais conhecimentos que permeiam este
semestre, o que favorecerá a ampliação de saberes essenciais ao exercício da
docência e gestão na EJA.

ORIENTAÇÕES DA PRODUÇÃO TEXTUAL

1. Formação dos grupos

Organizem grupos de 2 (dois) a 7 (sete) alunos (as) do mesmo curso e turma.

Para realizar a atividade de portfólio em grupo, vocês deverão criar um texto de


própria autoria, utilizando-se do material disponibilizado. O texto deverá ser
estruturado seguindo as normas da ABNT. Para isso, acesse:
http://www.unoparead.com.br/sites/bibliotecadigital/ . Ao acessar a Biblioteca Digital
na parte inferior direita da página inicial clique em “Padronização” e escolha a opção
“Modelo para elaboração de Trabalho Acadêmico” e siga a estrutura e orientações
que se encontram descritas.

2. O que deve ser realizado no que se refere à produção textual

1. Refletir em grupo sobre a Situação Geradora de Aprendizagem e Situação


Problema.
2. Ler o texto intitulado “Breve história sobre a Educação de Jovens e Adultos no
Brasil” (disponível em:
http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/38/art05_38.pdf Acesso em:
13 dez. 2018).
3. Ler o texto intitulado “Trajetória da escolarização de jovens e adultos no
Brasil: de plataformas de governo a propostas pedagógicas esvaziadas”
(disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ensaio/v18n67/a11v1867. Acesso em
13 dez. 2018).
4. Ler o texto intitulado “Analfabetismo no Brasil: configuração e gênese das
desigualdades regionais” (disponível em:
https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25401/14733 Acesso em:
14.dez. 2018).
5. Ler a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB n. 9394/96, na
Seção V intitulada “Da Educação de Jovens e Adultos”. Acesso pelo link:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm
6. Ler as seções 3.1 e 3.2, da página 123 à 148, que constam no livro Didática:
Planejamento e Avaliação, ISBN 978-85-8482-552-3, disponível na Biblioteca
virtual. Para subsidiar essa reflexão, pode-se ler ainda o texto “Avaliação
formativa: a prática em construção”, disponível no link
http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2013/trabalhos/co_03/79.
pdf
7. Elaborar a produção textual em grupo, embasada na fundamentação teórica e
na reflexão sobre a proposta apresentada na Situação Problema,
considerando ainda as normas da ABNT.

3. Leitura e interpretação da SGA

Situação Geradora de Aprendizagem (SGA)

Na medida em que a população alcança níveis mais elevados de


escolarização, o acesso a determinados espaços passa a ser mais notado, como por
exemplo, as instituições de Ensino Superior. A taxa de analfabetismo, a média dos
anos de estudo e o nível de instrução evidenciam um retrato da escolaridade
acumulada ao longo de gerações. No recorte histórico de 2005 a 2015, a
escolaridade média da população brasileira com idade superior a 25 anos
apresentou uma elevação, passando de 6,5 para 7,9 anos de estudo completos.
Ainda que a população esteja elevando a sua escolarização, o dado não deve
ser visto como algo tão positivo, uma vez que ele não equivale, sequer, ao Ensino
Fundamental completo. No que se refere à educação, quando comparamos o Brasil
aos demais países da América do Sul, observamos que ainda estamos caminhando
a passos curtos. O documento “Human development report”, publicado em 2014
pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), destaca que o
Chile possuía uma média de 7,3 anos de estudo já em 1985, o qual foi atingido pelo
Brasil somente em 2011, estando assim com um atraso de 25 anos, em relação à
escolaridade do Chile. No ano 2000, um documento publicado pelo governo federal,
intitulado “Mapa do analfabetismo”, evidenciou que em 1.796 municípios brasileiros,
a escolarização média da população com idade superior a 15 anos era inferior às
quatro séries concluídas.
No total dos 5.507 municípios brasileiros somente 19 deles asseguram à sua
população uma escolarização média que corresponda ao ensino fundamental
completo. O mesmo documento considerou ainda Guaribas (PI) como sendo a
cidade brasileira onde a população com 15 anos ou mais apresentava o menor
índice de tempo de estudo, visto que a população total consistia em 4.814 e a taxa
de analfabetismo era de 59,0, tendo, portanto, mais da metade da população da
cidade não alfabetizada. Em Guaribas (PI), o número médio de série concluídas pela
população era de 1,1.
Ao voltarmos os olhares para Guaribas (PI), encontramos o Centro de
Educação Básica para Jovens e Adultos “Florestan Fernandes”, que busca atender
pessoas que não tiveram acesso à educação na idade considerada adequada. No
início do ano letivo de 2019, a escola abrirá novas turmas para receber os
educandos analfabetos ou com baixa escolarização. Dos 5 professores que atuavam
há mais de 20 anos com a EJA na escola Florestan Fernandes, 3 se aposentaram
no final de 2018 e, em virtude disso tem-se professores recém-chegados na escola,
para substituir os aposentados.
Os professores recém-chegados à escola nunca trabalharam com a EJA e
traziam consigo uma visão deturpada das suas especificidades, aspecto que ficou
evidenciado na fala do professor Ronaldo, de matemática recém-chegado na escola,
à Marcela, pedagoga da escola Florestan Fernandes, que atua na EJA há quinze
anos. Diz ele:
- Marcela, meus alunos da EJA são preguiçosos! Eles vêm para a escola
somente para comer. Após o jantar, quando entram na sala de aula, prestam
atenção em apenas 5 minutos da aula e já dormem. Além do mais, deixam para
procurar a escola somente no fim da vida, o Brasil não deveria gastar dinheiro
investindo na educação de pessoas que não quiseram estudar quando eram
crianças!
Após esta fala, Marcela, ciente da gravidade das consequências da visão
equivocada que Ronaldo tinha da EJA, conversou com a equipe pedagógica sobre a
possibilidade de organizar uma semana de formação pedagógica, voltada para a
EJA.

Situação-problema:

Marcela organizou uma série de atividades relevantes para a semana


pedagógica, incluindo, inicialmente, uma palestra ministrada por Maria Clara, uma
importante pesquisadora no âmbito da EJA, intitulada “Educação de Jovens e
Adultos: para quê e para quem?”

Marcela, pediu à Maria Clara que buscasse contemplar em sua fala os seguintes
questionamentos:

- Quais são os fatores históricos, políticos e sociais que perpassam a Educação de


Jovens e Adultos na educação brasileira?

- Qual a função social da escola, sobretudo diante do processo de escolarização da


população analfabeta e com baixa escolarização?

- Quais são os desafios e as possibilidades para a efetivação do direito à educação


de Jovens e Adultos?
- Como o professor deve conduzir o processo avaliativo, tendo em vista saber como
está a aprendizagem dos estudantes que frequentam a EJA?

Em continuidade à proposta de trabalho:

- Após fazerem a leitura dos materiais indicados e refletir sobre a situação geradora
de aprendizagem elaborem um texto que contemple o que será abordado por Maria
Clara, tendo em vista atender à solicitação de Marcela, ou seja, sua atividade deve
contemplar os questionamentos apresentados logo acima.

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL

A produção textual deve ser organizada por meio dos seguintes itens, a
serem considerados pelo grupo:
1º Realização da leitura dos materiais indicados.
2º Durante a leitura dos materiais disponibilizados, sugere-se que sejam realizadas
resenhas (NBR 6028 de 2003), conforme orientações indicadas pela disciplina de
Metodologia Científica, pois isso irá contribuir de maneira mais efetiva para a
elaboração do texto central.
3º Elaborar a Introdução da produção textual, 1 página, momento em que será
apresentado o assunto do seu trabalho.
4º Para o Desenvolvimento do trabalho, o grupo deve elaborar um texto entre 3 a 4
páginas, como fundamentação teórica que atenda a proposta solicitada e permita
reflexão sobre a Situação Problema, no sentido de contemplar o que Maria Clara
abordará junto ao grupo de professores da EJA, conforme solicitado por Marcela:

- Quais são os fatores históricos, políticos e sociais que perpassam a Educação de


Jovens e Adultos na educação brasileira?

- Qual a função social da escola, diante do processo de escolarização da população


analfabeta e com baixa escolarização?

- Quais são os desafios e as possibilidades para a efetivação do direito à educação


de Jovens e Adultos?

- Como o professor deve conduzir o processo avaliativo, tendo em vista saber como
está a aprendizagem dos estudantes que frequentam a EJA?
5º Nas Considerações Finais, 1 página, o grupo deve tratar sobre a relevância da
realização do trabalho para a futura prática docente.
6º Ao concluir a atividade, o grupo não deve se esquecer de incluir todas as
Referências, utilizadas durante a elaboração do trabalho e apresentadas de acordo
com as regras da ABNT (NBR 6023 de 2002).

Um ótimo trabalho!
Equipe de professores