Você está na página 1de 72

 ‫ =תּוֹלֵ דוֹת‬toledot

• Toledot - Gn 2.4, 5.1, 6.9, 10.1, 11.27, 25.12, 36.1,9, 37.2


• 5 primeiros Toledot = história primeva
• 5 últimos Toledot = história patriarcal, desenvolvimento histórico
da aliança inicial em ‫(יהוה‬Yahweh/Iavé) e Abraão
• Prosa
• Poesias ocasionais (Gn 49.2-27)
• Paralelismo (relato da criação)
• Quiasma (narrativa da queda, torre de babel = narrativa, discurso,
verso eixo, discurso narrativa)
• Paronomásia (Caim é destinado a ser um nud “errante” e acaba se
instalando na terra de Node “errar, vagar”)
• Utilização de números
γένεσις  = genesis

• Gn 2.4: βίβλος  γενέσεως - biblos geneseos = Livro da Geração


• Título hebraico:‫ בראשית‬- bereshit = no princípio
Mosheh – Moisés
• Ex 17.14; 24.4; 34.27, Js 8.31
• Mc 7.10 citando Ex 20.12 e 12.26 citando Ex 3.6
• O autor estava familiarizado com o contexto (Ex 16.31–maná; e Ex
13.17–ocupação dos filisteus da faixa litorânea Egito-Canaã)
Cerca de 1445 a.C.
Sekenenre Amoses Tutmoses I
(Início da expulsão dos (Término da expulsão (Expedições para o sul e
hicsos) dos hicsos) para o norte)
(c. 1610 a.C.) (c. 1550 a.C.) (c. 1500 a.C.)

Hatshepsut Tutmoses III Amenófis II


(famosa rainha–“filha de (Levou o Egito ao seu (Seu filho mais velho não foi seu
Faraó”) auge do poder) sucessor/Faraó do Êxodo)
(c. 1485 a.C.) (c. 1460 a.C.) (c. 1435 a.C.)
Dar-te-ei a realeza sobre a Terra como cabeça dos seres
vivos; tu levarás a coroa branca e a coroa vermelha sobre o
trono de Geb, príncipe dos deuses. É aqui, que agora, a areia
do deserto me atormenta, a areia por cima da qual eu estava
em outro tempo. Ocupa-te de mim, para que possais realizar
tudo que desejo. Eu sei que tu és meu filho e meu protetor.
Tutmoses IV Amenófis III Amenófis IV
(Mais conhecido pela (Cartas de Amarna / não manteve (Introduziu o
“Estela do Sonho”) poder sobre a Palestina) monoteísmo)
(c. 1415 a.C.) (c. 1390 a.C.) (c. 1365 a.C.)

Pedra de Amarna
• Não há um arranjo literário fácil de perceber;
• 3 narrativas (1–18, 32–34, e 39.32–40.38);
• 2 seções legais (19.1–31.18, e 35.1–39.31);
• Estas duas seções dão a Israel os aspectos históricos e legais que formam
sua estrutura nacional básica;

• Estrutura literária das pragas


Pragas 1-3 Pragas 4-6 Pragas 7-9 Padrão narrativo

Moisés aparece
Água feita em sangue Enxames de moscas Saraiva sobre a
perante Faraó junto
[7.14-24] [8.20-32) colheita [9.13-35]
ao rio.

Moisés comparece
Rãs cobrem a terra do Peste nos animais Gafanhotos cobrem a
perante Faraó (na
Egito [8.1-15] [9.1-7] terra [10.1-20]
corte real?)

Gesto simbólico de
Piolhos cobrem a terra Úlceras no gado e no Trevas cobrem a terra
Moisés e Arão longe
do Egito [8.16-19] povo [9.8-12] do Egito [10.21-29]
de Faraó
levitikon
levitikon
• Aquilo que diz respeito aos levitas (levitikon é um adjetivo grego
equivocadamente utilizado);
• Título hebraico: wayiqra
“e ele chamou”;
• Este título resume a ideia do livro que é mostrar as 38 vezes
quando Deus fala diretamente a Moisés e/ou Arão;
Mosheh – Moisés
• Embora Deus o chame várias vezes (vide 1.1), em nenhuma delas é
descrito Moisés como o autor;
• Evidências:
• ar'q.YIw: - sequência narrativa introduzida por um pretérito com
waw ( w ) consecutivo;
• Testemunho de Cristo (Mt 8.4 - referindo-se à Lv 14.1-32;
Cerca de 1445 a.C.
• Quase exclusivamente literatura legal;
• Levítico 8-10: histórico;
Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu
sou o Senhor, vosso Deus. Guardai os meus
estatutos e cumpri-os. Eu sou o Senhor, que vos
santifico.
Levítico 20.7-8
Sede santos, porque eu sou santo.
1Pe 1.16
SANTIDADE
Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza
de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados,
os santificam, quanto à purificação da carne, muito
mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a
si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará a
nossa consciência de obras mortas, para servirmos ao
Deus vivo!
Hebreus 9.13-14
• 27 capítulos;

• 859 versículos;

• 24.546 palavras;

• Menor livro da coleção de Moisés (Pentateuco ou Torá)


• Irrelevante;

• Menos estudado do AT - por quê?

• Dificuldade em entender e pouca relevância para o crescimento


espiritual;

• Obsoleto: não tem mais nada a ver com nossos dias.


Quanto à
atualidade de sua
mensagem
“Como mandamentos cerimoniais,
estas leis não valem mais. [Mas], os
princípios por trás delas são tão
válidos hoje como foram durante a
antiga dispensação”
J. C. Ryle
O remédio de Deus para a A resposta de Deus para o
A provisão de Deus para a
ruína do homem clamor do homem
necessidade do homem
A semente da mulher (Gn O sangue de um cordeiro
Sacerdote/Altar/Sacrifício
3.15) (Ex 13-14)
A provisão para o culto
O problema do pecado A possibilidade de
salvação
DEUS SANTO

Sacrifício Sacerdote

PECADO
ALTAR

PECADOR PECADOR PECADOR PECADOR PECADOR


O Caminho de Deus A Obra de Deus O Caminhar com Deus A Adoração a Deus
(1-7) (8-15) (16-22) (16-27)

Alcançar comunhão através da adoração Mantendo a comunhão pela prática

SACRIFÍCIO SANTIFICAÇÃO

A corrupção física e cerimonial A corrupção moral e espiritual

PURIFICAÇÃO A VIDA PURA


SANTIDADE
• Moisés recebe a Lei;
• O objetivo era purificar o povo;
• Método comum entre as nações: sacrifício (alguém sofrendo
por outro alguém);
• Deus institui o sacrifício de animais em Israel;
• No holocausto o animal sacrificado era queimado inteiramente
no altar;
• Um fogo em uma lareira queimava a noite toda rolas, pombos,
cabritos, novilhos e carneiros;
• O sangue não era queimado;
• SÍMBOLO: Consagrar-se inteiramente ao Senhor que colocava o
pecado do ofertante no animal sacrificado.
• MANJAR
• Se dava as primícias das colheitas;
• Flor de farinha, azeite, bolos e obreias cozidas;
• Parte da oferta era queimada como memorial ao Senhor
• SÍMBOLO: Consagrar tudo o que faziam ao Senhor
• Uma parte desta oferta devia ser comida pelo sacerdote;
• Contudo, a oferta do Sacerdote não podia ser comida, mas
deveria ser totalmente queimada;
OFERTAS PELO PECADO:
• O culpado traz a oferta;
• Se for sacerdote, deve sacrificar um novilho;
• Se for um pecado nacional, os anciãos é quem sacrificam os
animais;
• Se for um príncipe do povo, ele deve sacrificar um bode;
OFERTAS PELO PECADO:
• Indivíduos traziam cabritas;
• PECADOS OCULTOS:
• Rico: cabrita;
• Pobre: rolinhas;
• Mais Pobre: flor de farinha;
• Deus aceitava o sacrifício e o pecado era perdoado se oferecido
com arrependimento;
SACRIFÍCIOS DA PAZ:
• Para cumprir votos;
• Para demonstrar amor a Deus;
• Para agradecer por bênçãos recebidas;
• O sangue era todo aspergido no altar;
• O ofertante e sua família comiam “na presença do Senhor”;
• ROUBO = DEVOLUÇÃO (acrescentando um quinto)
• Em tudo isso, o propósito era a santificação do Povo;
• TODO SACRIFÍCIO APONTAVA PARA O SACRIFÍCIO QUE, UM
DIA, O PRÓPRIO DEUS FARIA PELO POVO!
POR CAUSA DO SACRIFÍCIO DE CRISTO, AS LEIS
DO LEVÍTICO NÃO TÊM MAIS NENHUM VALOR!
• Obediência à voz Deus;
• Compromisso com Sua Palavra;
• Santidade na vida dos que querem adorar a Deus!
DEUS SANTO

Sacrifício Sacerdote

PECADO
ALTAR

PECADOR PECADOR PECADOR PECADOR PECADOR


Portanto, santificai-vos e sede santos, pois eu sou o
Senhor, vosso Deus. Guardai os meus estatutos e
cumpri-os. Eu sou o Senhor, que vos santifico.

Levítico 20.7-8
Portanto, se o sangue de bodes e de touros e a cinza
de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados,
os santificam, quanto à purificação da carne, muito
mais o sangue de Cristo, que, pelo Espírito eterno, a
si mesmo se ofereceu sem mácula a Deus, purificará
a nossa consciência de obras mortas, para servirmos
ao Deus vivo!
Hebreus 9.13-14
BeMidbar
• “No deserto de”
• Título grego: [Ariqmoiv
• [Arithmoi] = Números;
• Estes números estão relacionados aos censos presentes no livro;
• O título hebraico indica como Deus usou o deserto para preparar
uma geração disposta a confiar nEle e cumprir sua vontade em
plena obediência
Mosheh – Moisés

•Pelos mesmos motivos de Gn, Ex e Lv;


•Nm 1.1, 2.1, 4.1, 33.1-2 apontam Moisés;
•Data ≈ 1406 a.C.
• Narrativo–4.1-3 • Lei civil–27.1-11
• Poesia–21.17-18 • Lei do culto–15.7-21
• Profecia–24.3-9 • Decisão oracular–15.32-36
• Canto de vitória–21.27-30 • Lista de recenseamento–26.1-
• Oração–12.13 51
• Bênção–6.24-26 • Arquivo do templo–7.10-88
• Sátira–22.22-35 • Itinerário–31.1-49
• Carta diplomática–21.14-19

Segundo Dillard e Longman III: “É melhor considerar o gênero de Números


como escrita histórica instrutiva”.
• Estrutura extremamente difícil de se analisar;

• Pesquisa feita em 46 comentários descobriu 24 esquemas


propostos para Números;

• As duas mais aceitas são as que dividem Números em cronologia


e geografia;

• Uma estrutura proposta tendo como base a cronologia:


• 1.1–10.11: do primeiro dia do segundo mês até o décimo nono
dia de perambulação no deserto

• 10.12–21.9: não datado, mas incluso nos quarenta anos.

• 21.10–36.13: cinco meses durante o quadragésimo ano no


deserto;

Desde o início até o final dos 40 anos no deserto.


• 1.1–10.10: o deserto de Sinai;

• 10.11–21.13: a área ao redor de Cades;

• 20.14–36.13: de Cades a Moabe.

Divisão de Números baseado na topografia.


Nm 1–25 Nm 26–36
Pecado e Otimismo e
julgamento esperança

Nm 13-14
GÊNESIS - formação da nação;

ÊXODO - a salvação da nação;

LEVÍTICO - a santificação da nação;

NÚMEROS - a educação da nação.


LEVÍTICO enfatiza o culto do cristão e a
sua pureza na vida diária;

NÚMEROS enfatiza o caminhar do cristão


(peregrinação);
O Livro de Números pode ser resumido
nesta expressão:

Marchando e Murmurando
Neste deserto, cairá o vosso cadáver, como também todos os
que de vós foram contados segundo o censo, de vinte anos
para cima, os que dentre vós contra mim murmurastes; não
entrareis na terra a respeito da qual jurei que vos faria habitar
nela, salvo Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num.

Números 14.29-30
Algumas Aplicações de
Números
Perseverança é Essencial

Milhões saíram do Egito;

Somente 2 puderam entrar na Terra Prometida


(dos que saíram do Egito);

Os coroados não são os que começam bem, mas os


que terminam bem sua peregrinação.
1Coríntios 10.1-12
Hebreus 3.12-19
• Título hebraico: “estas são as palavras”;
• LXX: (deuteros nomos): “segunda lei”;
• O nome não é apropriado por causa de um erro na
tradução de Dt 17.18

haZo’t haTorah Mishneh


Esta [da] Lei Cópia
“Uma repetição [cópia] desta Lei”
• Apesar do livro de Dt ser um dos mais atacados nos últimos
150 anos, 1.5 e 31.9,24, dão um testemunho interno (Torá) da
autoria mosaica;
• Fora do Pentateuco, encontramos o testemunho de 1Re 8.53 e
2Re 14.6
• No NT, Jesus em Mt 19.7,8 citando Dt 24.1; At 3.22,3 citando
Dt 18.15; e Rm 10.19 citando Dt 32.21
• Apesar de todos estes testemunhos, críticos racionalistas (a
partir Séc. XIX) afirmam que Dt é uma “fraude piedosa” de
reformistas de Judá do séc. XVII a.C.
• Data: 1405 a.C. - Dt 1.3
• Entende-se que houve breve atividade editorial no tempo de
Josué no relato da morte de Moisés (Dt 34).
• Título: 1.1
• Preâmbulo Histórico: 1.1-5
• Prólogo Histórico: 1.6–4.43
• Estipulações da Aliança, Bênçãos e Maldições (27.1–29.1)
• Resumo das Exigências da Aliança (29.2–30.20)
• Provisão para a Transição (31.1–34.12)
Tratado de Suserania

• Suserano
• Vassalo

Meredith Kline
OBEDECER POR AMOR
DEUTERONÔMIO CLAMA POR UMA
INTERNALIZAÇÃO DA LEI DE DEUS.
Amar a Deus de todo coração,
alma e mente. (Dt 10.12)
JESUS PARA RESPONDER AO DIABO
(MT 4.4,7,10) QUANDO
QUESTIONADO SOBRE O MAIOR
MANDAMENTO (MT 22.37).