Você está na página 1de 17

Índice de Refração e Leis

da refração da Luz
Prof. Zé Godinho
Bacharel em Matemática Aplicada
A natureza da luz
O problema:
De acordo com a teoria eletromagnética, a luz é composta
de campos elétricos e magnéticos que oscilam constantemente
enquanto viajam.
Campo Elétrico

Campo Magnético
O éter

A luz é uma onda longitudinal, por isso precisa de um meio


para se deslocar.
A natureza da luz
A explicação de Einstein:

A luz é composta de pacotes de energia (fótons), que juntos possuem


comportamento ondulatório, ou seja a dualidade Onda-Partícula.

O fim da saga do éter


Luz x Som
• Eletromagnética – Constrói o • Mecânica – Precisa de um Meio
próprio meio para passar. material para se propagar.
• Meios muito densos atrapalham o • Meios muito densos facilitam o seu
seu movimento. movimento.
• Vluz vácuo ≅ Vluz ar > VLuz • Vsom Sólidos > Vsom água >
líquidos > VLuz Sólidos Vsom ar
• Quando a luz passa de um meio • Quando o som passa de um meio
menos denso para um meio mais menos denso para um meio mais
denso ela perde velocidade. denso ele ganha velocidade.
• Quando a luz passa de um meio • Quando o som passa de um meio
mais denso para um meio menos mais denso para um meio menos
denso ela ganha velocidade. denso ele perde velocidade.
Refração da Luz
• A luz ao passar de um meio para outro sofre o
fenômeno da refração, com mudança na
velocidade, no comprimento de onda e na
direção de propagação em alguns casos.
Casos particulares
• Um raio de luz incide formando 90º com a
superfície de separação.

- Denso (Refringente)

Velocidade + Denso (Refringente)


Diminuiu

Velocidade - Denso (Refringente)


Aumentou

O raio não sofre mudança na direção


Casos particulares
• Ao passar de um meio menos refringente para um mais
refringente com ângulo de incidência î ≠ 90º

i Normal

•A luz perde velocidade por ser mais


difícil a propagação.
• O raio aproxima da normal.
Casos particulares
• Ao passar de um meio mais refringente para um menos
refringente com ângulo de incidência î ≠ 90º

r
•A luz ganha velocidade por ser mais fácil
a propagação
• O raio afasta da normal.
O índice de refração Absoluto
• O índice de refração de um determinado meio pode
ser calculado fazendo O menor índice que existe é
o índice do vácuo pois:
c Onde:
n= N = índice de refração nvácuo =
300000
300000
=1
v C = Velocidade da luz no vácuo 3.108 m/s
300000
V = Velocidade da luz no meio envolvido nar = = 1,000003 ≅ 1
299999

O índice de refração Relativo


nA
n A, B = Índice de A em relação a B
nB
A relação de Snell-Descartes
• Para qualquer ponto de c
c n2 =
refração, seja de um n1 =
v1 v2
meio mais refringente
para um meio menos n1.V 1 = c n 2.v 2 = c
refringente ou vice-versa Logo
é válida a seguinte
relação. N1.V1 = N2.V2
Pág 174
Exercícios
1 – Considere dois meios homogêneos e transparentes, A e B, separados por uma fronteira
F. A luz proveniente do meio A atravessou a fronteira F e passou a se propagar no meio
B.
Dizemos que ocorre o fenômeno da refração:
a) Se a luz for desviada em sua trajetória ao atravessar a fronteira F.
b) Se a luz sofrer variação de velocidade ao atravessar a fronteira F.
c) Somente se forem satisfeitas as duas condições anteriores simultaneamente.
d) Quaisquer que sejam os meios A e B.
e) Somente se um dos meios for o vácuo.
2 – O índice de refração absoluto de um meio:
a) Tem sempre valor menor que 1;
b) É medido em km/s;
c) Só pode ser igual a 1;
d) Obedece a relação n ≥1;
e) Não tem definição exata.

3 – A velocidade da luz no vidro tem módulo igual a 2.108 m/s. Qual o índice de refração
absoluto do vidro?

c 8
n= n=
3.10
n = 1,5
v 2.10 8
4 – O índice de refração absoluto da água vale 4/3. Calcule o módulo da velocidade com que a
luz propaga na água.

c 4.v = 9.108
n= v = 2,25.108 m / s
v
9.108
4 3.108 v=
= 4
3 v
5 – O índice de refração absoluto da água vale 4/3 e o vidro 3/2. Qual o índice de refração do
vidro em relação à água?
nA
nV , A =
nV 9
nV , A =
8
3
 
= 
2
nV ,A
4
 
3
2ª Lei da Refração – Aula 14 – Pág 175
Para um conjunto de dois meios homogêneos transparentes e uma dada luz monocromática, é
constante a razão entre o seno do ângulo de incidência e o seno do ângulo de refração.
Essa razão entre o seno de refração e o seno de incidência é numericamente igual ao índice
de refração entre o meio de incidência e o meio de refração, logo.:

ni
ni ,r =
nr i
senr
ni ,r =
seni r

ni senr
ni ,r = =
nr seni
ni .seni = nr .senr
Conclusões Finais

ni .vi = nr .vr ni .seni = nr .senr


ni vr ni senr
= =
nr vi nr seni

vr senr
=
vi seni

ni .vi = nr .vr ni .seni = nr .senr vi .senr = vr .seni


Papai e mamãe
Como uma ave que sai do ninho de onde nasceu,
Eu saio de vossos braços, para cumprir passo a passo à sina que Deus me deu.
Sei que mamãe padeceu pra criar o filho seu, por isso é que eu vou embora,
Preciso lutar com a vida para lhe dar mãe querida, mais conforto pra senhora.
Vou fazer um juramento que só voltarei para trás se eu conseguir triunfar,
Porém se eu fracassar, aqui eu não volto mais.
Um pedido vou fazer, a quem por mim perguntar, alguns dos colegas meus,
Diga que fui embora sem despedir, temendo não resistir a triste hora do adeus.
Pegue meu cão policial, para que o pobre animal não veja quando eu partir,
Solte ele quando eu estiver bem longe, pra ele não me seguir.
O meu canário seresteiro que eu mesmo fiz prisioneiro pra ouvir ele cantar,
Mamãe, depois que eu for embora abra a porta da gaiola e deixe o canário voar.
É noite silenciosa, cai sereno na rosa, surge a lua lá na serra.
Mamãe, vou partir agora e quando raiar a aurora eu já estarei em outras terras.
Não chores mamãe, eu vendo o pranto que escorre em seu rosto divino,
Chego a perder a coragem de seguir essa viagem e cumprir o meu destino.
Não chores papai, não sou um filho que morre, só vou conhecer o mundo, por lugares desconhecidos,
mais de você pai querido, não esquecerei nem um segundo.
Nas ondas do vento, vou mandar um mandar um pensamento, levar um recado meu,
Para dizer mãe querida, que não encontrei nesta vida outro amor igual ao seu.
É chegada a triste hora de ir pelo mundo a fora, mas levarei nas lembranças a casa onde nasci,
onde feliz eu vivi desde os tempos de criança.
Adeus ó terra querida, onde eu tive nesta vida os primeiros sonhos meus,
adeus serras e Campinas, chão de águas cristalinas,
Adeus papai e mamãe, adeus.
Papai e mamãe
Eu sou o filho que volta a bater na porta que a muito tempo fechei,
quando fui embora chorando e aqui soluçando papai e mamãe eu deixei.
Hoje vejo a gaiola vazia do canário que um dia eu mesmo mandei soltar,
talvez o pobre animal voltou ao seu velho ninho como eu voltei ao meu lar.
Vejo meu cão policial latindo ali no quintal e nem me reconheceu, vem lobo,
vem lamber seu dono que te deixou no abandono sem ao menos dizer-te adeus.
Já vai alta madrugada eu vejo a janela fechada dos quartos dos meus velhinhos,
talvez mamãezinha chora sem nunca pensar que agora seu filho está tão pertinho.
Talvez pensam que eu morri, por que nunca lhes escrevi desde a minha despedida,
eles devem estar velhinhos já na curva do caminho que conduz ao fim da vida.
Abre a porta papai, seu filho está de volta a pedir a sua benção,
sei que sua voz não sai cortada pela emoção, não precisa dizer nada deixe as lágrimas derramadas,
molharem meu peito de dor. Eu que vivi papaizinho vinte anos sem carinho, quero agora seu calor.
Papai cadê minha mãezinha, não precisa dizer nada meu pensamento adivinha olhando nos olhos teus.
Meu filho chorando quero te dizer, sua mãe não pode viver e foi se embora morar com deus,
como uma flor entre espinhos no abandono murchou.
Papai como estás velhinho, seus cabelo estão branquinhos, foram as tardes sem fim.
Aqui vejo a fotografia da mãezinha que um dia deixei a chorar,
parece que ela diz, filho como estou feliz por ver você regressar.
Parti pra fazer riqueza,
pra tirar-lhes da pobreza o meu pai e minha mãezinha,
mais descobri tarde demais que eram os meus velhos pais a maior riqueza que eu tinha.

Você também pode gostar